Você está na página 1de 11

(1530) INÍCIO DA COLÔNIA – CAPITANIAS HEREDITÁRIAS,

GOVERNO GERAL, O PLANTATION E A SOCIEDADE COLONIAL

 Início da Colonização do Brasil:

A colonização inicia-se como uma resposta aos avanços de outras nações


no território americano (então luso-espanhol) empolgados com as
imensas jazidas de metais preciosos encontrados pelos Espanhóis em suas
possessões.
Ademais, o comércio português entrara em declínio tanto pela expulsão
dos judeus, como pela concorrência de outras nações.
Assim, a colonização impunha-se, como forma de manter as possessões e
dá-las destinação financeira.
Observemos que o processo de colonização do Brasil, tal como ocorrido
nas demais colônias ibero-americanas, subordinou-se, em linhas gerais,
ao processo de surgimento do capitalismo europeu de base mercantil1 e
de sua afirmação ao longo da idade moderna.

 A saída dos Judeus Serfaditas de Portugal, a concorrência no

comércio de especiarias e o início da colonização brasileira:

De maior potência do mundo no séc. XVI, Portugal passara no séc. XVIII a

um papel coadjuvante na Europa.

Países como a Inglaterra, a Espanha e a Holanda já a haviam superado.

A derrocada portuguesa acelerara-se, dentre outros motivos, pela expulsão

dos Judeus Serfaditas pelo rei D. Manuel I que em 1494, determina que os

judeus ou se convertem ao cristianismo ou tinham 10 dias para deixar

Portugal. O êxodo desses judeus portugueses se intensificará ainda mais

com a institucionalização do tribunal da Inquisão em 1537.

1
Entendido como o conjunto de medidas econômicas que buscavam estabelecer
companhias de exploração e de extração de riquezas sob a forma de monopólios, com o fim de
torna favorável a balança comercial e procporcionar a acumulação de metais preciosos
(Bulionismo).
Os principais centros de emigração destes judeus foram Bayonne (França),

Antuérpia (Bélgica), Amesterdão (Holanda) e Hamburgo, na Alemanha,

todas urbes portuárias em que proliferava o comércio internacional.

Sua saída foi um imensa perda para a economia portuguesa que passa a ter

concorrência dos países para onde se deslocaram essas comunidades e já

na década de 30 do séc .XVI tinha ampla concorrência no comércio de

especiarias, com a diminuição de sua lucratividade.

É esse processo que desloca o interesse português para suas colônias

americanas e inicia o processo de colonização das américas.

 A escolha do Plantation para a economia na colônia:

Diante dos Altos custos da produção açucareira = alto risco


= necessidade Lucro, foi escolhido um meio de produção denominado

 Plantation: latifúndio monocultor com mão de obra escrava: que


permitia altos lucros.

 Porque a cana-de-açúcar?

1. clima e solos favoráveis.


2. produto conhecido e com alta demanda na Europa.
3. experiência com cano nas ilhas portuguesas africanas de Açores e
madeira.

Atente-se para o fato de que o cultivo da cana-de-açúcar era muito caro e


tinha alta tecnologia.

 Porque a mão de obra escrava negra para o Plantation do açúcar:

A escolha da escridão negra africana para suprir de mão de obra o


plantiation americano tem uma série de explicações.
Primeiro, os portugueses já tinham experiência com ela na produção de
suas ilhas africanas de Madeira e Açores. Ademais, as benfeitorias
portuguesas na África eram um local adequado para o abastecimento de
escravos com amplas relações e experiência no comércio africano.
Outro fator relevante é que o cultivo da cana permitia a produção de
cachaça, altamente valorizada na África e uma das moedas de troca pelo
escravo no comércio africano.
Além disso, a escravidão africana era uma atividade que gerava enormes
lucros a Metrópoles, que podia taxar esse tráfico, ao contrário da
escravização indígena que não conseguia taxar.

 Principais grupos negros traficados para o Brasil:

a. Sudaneses: da Nigéria, Daomé e Costa do Ouro, e


b. Bantos: de Angola, Moçambique e Congo.

 Quais eram as moedas de troca pelo escravo?

Aguardente, tabaco e depois ouro.


 Produção de Tabaco:

A produção do tabaco espalhou-se por toda a colônia. No entanto, a


principal área produtora era o Recôncavo Baiano (único local em qu
houve o plantation do tabaco) em cidades como: cachoeira, maragojipe e
Muritiba.
Comércio Triangular: o fumo era utilizado tanto para consumo como
para o comércio triangular de escravos com a Àfrica.

 Quem eram os traficantes dos negros?

Os traficantes de escravos ficaram conhecidos como homens de grosso


trato (ou grosso modo).

 Resistência a escravidão:

Cumpre ressaltar que durante todo o período escravocrata houve intensa


resitencia a escravidão, inclusive com fugas em massa, ataques a casas
grandes. É o que vemos, por exemplo, pela formação dos Quilombos.

 Escravidão Indígena:
Mesmo com o enorme fluxo de escravos negros para as colônias
portuguesas, o escravo negro era uma “mercadoria” muito cara, sendo
mais utilizado em setores produtivos com alto valor agregado, como a
produção do açúcar.
Naquelas atividades produtivas de baixo valor, ou por aqueles que não
podiam pagar por um escravo negro, a escravidão indígena continuou
sendo empregada.
Inclusive formaram-se grupos especializados, que dentre outras funções,
atuavam na captura e comercialização de escravos indígenas para
abastecer essa demanda interna, os Bandeirantes.
Atenção: a escravidão indígena só era considerada legal pela lei da época
se no contexto de uma “ Guerra Justa”.

 Predominância da Escravidão Negra apenas na mineração:

A escravidão indigena era, tambpem, tão comum, apesar da resistência


da Metrópole e da Igreja Católica, que só podemos falar em
predominância absoluta do escravo negro no Séc. XVIII, na região
Mineradora.

 Os embates entre colonos e a igreja com relação a escravidão


indígena eram comuns:

Dentre outras podemos citar a Revolta de BEckman, que será melhor


tratado posteriormente.

 Por que a Inglaterra tão envolvida com o tráfico escravo africano


o proibiu?

A Inglaterra só virá proibir o tráfico escravo negro a partir da pressão do


grupo Quaker2 no Parlamento Inglês. Utilizando argumentos
humanitários esse grupo foi capaz de implementar forte campanha contra

2
É o nome dado a vários grupos religiosos, com origem comum num movimento
protestante britânico do século XVII. A denominação quaker é chamada de quakerismo,
Sociedade Religiosa dos Amigos (em inglês: Religious Society of Friends), ou simplesmente
Sociedade dos Amigos ou Amigos. Eles são conhecidos pela defesa do pacifismo e da
simplicidade, rejeitando qualquer organização clerical, para viver no recolhimento, na pureza
moral e na prática activa do pacifismo, da solidariedade e da filantropia.
a escravidão levando ao posicionamento inglês contra a escravidão em
escala global.
 Observe que na América Espahola o regime predominante não era
o escravocrata negro ou índigena como no Brasil, mas sim a
Econminenda:

Estabelecida a partir de um arranjo contratual, caracteriza-se pela


submissão de um número variável de indígenas “pagadores de impostos”
a um encomendero, – inicialmente os mais notáveis soldados espanhóis
nas guerras de conquista – responsável por viabilizar sua incorporação aos
moldes culturais, econômicos e sociais europeus. No âmbito da
circunscrição territorial, a encomienda não é uma concessão de terras, mas
uma concessão de recolhimento de tributos. Diferentemente do que ocorre
com a escravidão, não é perpétua nem transmitida hereditariamente, já que
os nativos, ao menos juridicamente, foram tomados não por propriedade,
mas por homens livres, embora seja possível uma aproximação entre
ambas, dado que são expressões da forma de trabalho compulsório.

 A aliança Portuguesa e Flamengo na produção e distribuição do


açúcar:

1. os Flamengos faziam empréstimos para a produção.


2. os Flamengos, com sede em flandres (maior centro comercial do
mar do norte) tinham expertise no comércio Continental.
3. os Flamengos tinha uma frota para o transporte de mercadoria.

 Monopólio Metropolitano e o Pacto Colonial

Paralelamente, essa cultura inaugura o Pacto Colonial português com o


Brasil através do qual a Colônia produzia (atividade menos lucrativa) e a
Metrópole comercializa (atividade mais lucrativa).

Isso através do regime de Monopólio Comercial, ou seja, todo comercio


da Colônia era feito através de Portugal. Assim, não tendo que importar
este bem de outros países e tendo muitos compradores, Portugal
mantinha positiva sua tabela comercial e acumulava capitais.

 Estratificação Social:
Com o poder econômico concentrado nas mãos do Senhor de Engenho
(sociedade patriarcal) aristocratizava-se a população brasileira e
impunha-se a estratificação social, que só seria flexibilizada com a
descoberta dos metais preciosos.

 Altos lucros do açúcar:

O Pe. João Antônio Andreoni editou o livro Cultura e opulência do Brasil


por suas drogas e minas, contando a atividade econômica da colonia,
através de dados estatísticos e matemáticos, tendo como foco norteador
os custo e lucros de um engenho açucareiro. A Coroa Portuguesas
confiscou a obra por medo da ganancia de outros Estados europeus.

 A princípio baixo controle metropolitano na sua colônia americana:

Observemos que apesar de a metrópole intervir no nordeste açucareiro


através do exclusivo colonial é apenas através do ciclo do ouro que se
intensifica a ação regulamentadora do Estado Português, no entanto com
os investimentos de extração
privados.

ADMINISTRAÇÃO COLONIAL:

Em 1534 a coroa portuguesa inicia a ocupação efetiva de suas possessões


na América através do regime das capitanias hereditárias que seriam
depois complementados com o governo geral.

(1534) Capitanias Hereditárias:

Representava a transferência para a iniciativa privada das despesas da


colonização + manutenção dos lucros.

Não havia a transferência da propriedade tem o direito de usufruto ( não


é uma relação feudal).

 Documento regulamentares:
 Carta de doação: que concediam uns poderes políticos
administrativos aos donatários.

 Foral: tinha natureza fiscal e declinava os deveres dos donatários.

 Sesmarias:

Como o donatário tem a obrigação de ocupar o território e fazer render


lucros e concede sesmarias para a ocupação dos Colonos.

 Fracasso das capitanias:

As capitanias fracassaram principalmente por três aspectos: distância da


metrópole + altos custos + ataque dos Índios.

Apenas Pernambuco e São Vicente prosperaram.

(1548) Governo geral:


Diante do insucesso da maioria das capitanias hereditárias a coroa inicia a
centralização do empreendimento colonial. Assim cria-se em 1548 o
governo geral.

 Por que foi criado o Governo Geral?

Dom João terceiro achava que as Capitanias não progrediram por que
faltava uma autoridade a todos os donatários obedecessem. então
nomeia essa autoridade em 1548: governador geral.

 Escolha de Salvador como sede do Governo Geral:

Pela Equidistância, escolhe-se a Bahia como sede ( retomada a posse pela


coroa o donatário é indenizado)

 Funções do governador geral:

1. Defesa: assessorado pelo Capitão Mor.


2. Incentivo à economia e cobrança de impostos: assessorado pelo
provedor mor.
3. Justiça: assessorado pelo Ouvidor mor.
4. Administração pública.

 Lista de governadores gerais até o início da União Ibérica (1580-


1640):
1ª ( 1548 a 1553) Governador: Tomé de Souza.
2º ( 1553 a 1557) Governador: Duarte da Costa
3º ( 1557 a 1572) Governador: Mem de Sá.

1580 com a união Ibérica que perdurará até 1640 são instituídos dos
governos Gerais.

 Divisão da colônia americana em 02 estados:

Já em 1621 uma carta Régia divide a colônia hein: estados do Brasil e


estado do Maranhão e Grão Pará.
(1530-1821) SOCIEDADE COLONIAL E AS CÂMARAS MUNICIPAIS

 A sociedade colonial e sua estratificação:

Na sociedade colonial havia o conceito de aristocratização pela


concentração de propriedade e da renda. Diante das distâncias entre
cidades os senhores de Engenho eram quase senhores feudais e
representavam núcleo do Poder colonial.

 Estratificação social:

Consoante Ilmar Mattos, em O Tempo de Saquarema, a população


colonial era composta de 03 grupos
 Os Colonizadores, que definiam os interesses da metrópole,
 Os Colonos (latifundiários, “homens bons” ou para os
comerciantes “mazombos”), que implementavam a política
metropolitana, através das Câmaras Municipais e
 Os Colonizados que eram submetidos à exploração dos dois
grupos anteriores.

 Sociedade Rural e patriarcal:

Enquanto as colônias portuguesas na América não tinha um maior


controle Central pela metrópole. o que só se daria com o ciclo da
mineração. a sociedade era basicamente Rural, com Pouca importância
das cidades, que exerciam uma função satelital em relação ao campo.
nesse sentido, os senhores de engenho de engenho em suas mãos poder
sobre seus escravos e agregados.

 Mudanças nessa sociedade só viriam com a mineração.

 Atividade comercial inferior em relação à produção:

Apesar de ter um histórico comercial e a atividade comercial gerar


enormes lucros, ela era considerada inferior pela Elite colonial ( senhores
de Engenho) que eram os detentores do poder político.
Os comerciantes reinóis contrapunham-se politicamente aos Colonos, por
terem pouca representação política, em relação à sua importância
econômica e serem socialmente discriminados em relação aos senhores
de engenho. Essa realidade é o que podemos observar por exemplo na
Guerra dos Mascates

 (1709-1710) Guerra dos Mascates (rebelião nativista):

Foi provocada pela emancipação de Recife *que até então era


subordinada à Olinda) e que abrigava os comerciantes lusitanos a quem
os produtores pernambucanos deviam muito dinheiro. Foi mediada pela
Coroa e Recife continuou independente. Importante notar que a despeito
da importância dos mercadores reinóis esses tinham dificuldade para
alcançar representação política dominada pelos latifundiários.

 Câmaras municipais e o poder dos “Homens Bons”:

Na prática e diante da dificuldade de comunicação e transporte entre os


diferentes núcleos das possessões portuguesas na América, não havia um
controle mais centralizado no Governo Geral.
Assim o Governo Geral foi mais relevante na proteção de ataques
estrangeiros, no restante o controle era, predominantemente, local.

 Então, como era realizado o controle da sociedade a nível local?

Através das câmaras municipais.


Eram elas que, na prática, detinham:
4. O poder político ( como dito, centralizado nas mãos “homens
bons”: proprietários de terras).
5. Arrecadavam os impostos.
6. Julgado pequenos crimes.

Interessante é que em todo o império Português, em quatro continentes,


existiam câmaras municipais.

 Diferença entre as câmaras municipais portuguesas e os cabildos


espanhóis:
nas câmaras municipais portuguesas os eleitos e eleitores eram os
homens bons.
nos cabelos dos espanhóis eram os criollos.
no entanto na América espanhola ao contrário da Portuguesa os crioulos
não podiam assumir cargos administrativos do Estado.
4. essa situação era completamente diferente no caso de Portugal. um
exemplo Claro disso é ascensão de Alexandre Gusmão ( Santista
que foi secretário particular de Dom João V).

Interesses relacionados