Você está na página 1de 15
Republica Federativa do Brasil insti o Oesomotiment, dst iodo Comercio Beret neta Naso co Popa ua {RPI 1790) «nan PL0300600-0 A (22) Data de Depésito: 24/03/2003 (43) Data de Publicacao: 26/04/2005 IA (54) Int. CI AGIK 35/78 ‘AB1P 29100 (64) Thulo: PROCESSOS DE ISOLAMENTO DE UM CONSTITUINTE DE UM OLEO ESSENCIAL E OBTENGAO DE SEUS PRODUTOS (71) Dopositante(s): Aché Laboratéris Farmaceutios SIA (eis) (72) Inventor(es): Lutz Francisco Pianowsk, Jose Batista Cali, Dagoberto de Casto Brandio (74) Procurador: Valeska Santos Guimarses (67) Resumo: “PROCESSOS DE ISOLAMENTO DE UM CONSTITUINTE Be Uw OLE0 ESSENCIAL E OSTENGAO DE SEUS PRODUTOS™. Na presente invengdo ¢ solago de um 6leo essercial um de. seus Constitutes, "a Qual” aptesenta propedades aninfamatiras, Snlinocieptvas © imunomoduatéras, bem come s80 obtides produos & peridot 10 20 28 30 no PROCESSOS DE ISOLAMENTO DE UM CONSTITUINTE DE UM OLEO ESSENCIAL E OBTENCAO DE SEUS PRODUTOS, Na presente invengdo € isolado de um 6leo essencial um de seus constituintes, 0 qual apresenta propriedades antiinflamatérias, antinociceptivas ¢ imunomodulatérias, bem como sio obtidos produtos a partir dele. ‘A Cordia curassavica, também conhecida como Cordia verbenacea, é uma planta pertencente familia Borraginaceae, usada na medicina popular como erva-balecira, erva salicinia, maria-preta, maria-milagrosa, caatinga de bardo ou pimenteira. Trata-se de uma espécie helidfita, muito ramosa e flexivel, que medra nas restingas arenosas ¢ timidas da orla maritima, especialmente em Santa Catarina, Possui uma estatura de 1 a 2 m, podendo excepcionalmente atingir 3 m. Apresenta-se como um arbusto perene nativo ¢ ereto, de folhas tipicamente verrugosas, simples, alternas, aromiticas e de peciolo curto. Sua inflorescéncia é branca e espigosa, do tipo corimbo, e seus frutos so redondos e vermelhos, quando maduros. ‘A erva balecira é extremamente nistica, prescindindo de técnicas sistemiticas de cultivo. A propagacdo pode ser feita por sementes ou através de estacas obtidas das partes lenhosas da planta, As folhas colhidas, que so a parte utilizada para obtengdo de seus extratos, devem ser secas & sombra e acondicionadas em potes escuros. Para a obtengio das concentragdes pretendidas dos componentes do éleo essencial da Cordia curassiwica, deve-se observar a sazonalidade e horério da colheita, bem como o grau de amadurecimento da planta. Na medicina popular, a Cordia curassavica é indicada como antiulcerogénica, antiartritica, analgésica e tnica, Também é utilizada no uso externo em ferimentos e contusdes, ou ainda, em problemas de coluna, artrite, reumatismo ¢ infecgdes, quando utilizada na forma de cha. ‘Apesar de ainda ndo ser utilizada em culindria, em cosmética, é componente de 6leos para massagem, com a finalidade de relaxar e aliviar dores. Os dleos essenciais so compostos aromaticos, geralmente volateis, extraidos das plantas onde so encontrados pré-formados ou em forma combinada. Seus constituintes, que podem ser em nimero de até 50, siio formados por diversas substancias quimicas, tais como: éleoois simples e terpénicos, aldeidos, ésteres, fendis, hidrocarbonetos terpénicos, aldeidos, cetonas, 2n0 éteres, éxidos, perdxidos, furanos, cidos organicos, lactonas, cumarinas e até compostos que apresentam enxofre. A grande maioria dos dleos essenciais € constituida de derivados fenilpropandides ou de terpencides, sendo que estes ultimos preponderam. Os compostos terpénicos mais freqiientes 5 nos dleos essenciais so os monoterpenos (cerca de 90%) € os sesquiterpenos. O numero de compostos terpénicos conhecidos ultrapassa 8000, como componentes descritos em dleos essenciais, é estimado um numero superior a 150, para monoterpenos, ¢ 1000, no caso de sesquiterpenos. Os sesquiterpenos apresentam 15 (quinze) étomos de carbono em sua estrutura, apresentando 103 (trés) unidades de isopreno, ou seja, unidades pentacarbonadas, que se apresentam estruturalmente da seguinte forma: AALAL Os sesquiterpenos podem ser aciclicos (farnesol, nerolidol), monociclicos (acido abscisico), bicicticos (gama-bisaboleno, beta-selineno, cariofileno) ou lactonas sesquiterpénicas. Em cada um desses subgrapos, classificam-se inimeras substncias, caracterizadas por cerca de 15 200 tipos diferentes de esqueletos. As substncias presentes em um 6leo essencial apresentam-se em diferentes concentragées, havendo sempre prevaléncia de uma, duas ou trés delas, as quais irdo caracterizar as fragancias; além disso, ha outras em menores teores ¢ algumas até em baixissimas quantidades (ou tragos). 20 Assim, quimica e biosinteticamente, os dleos essenciais nao se apresentam como um grupo homogéneo, caracterizando-se como misturas complexas de substancias voléteis, lipofilicas, liquidas e geralmente odoriferas. A designagao de dleo deriva de algumas de suas caracteristicas fisico-quimicas, como, por exemplo, a de serem geralmente liquidos de aparéncia oleosa a temperatura ambiente. Entretanto, a principal caracteristica dos dleos 25 essenciais é a volatilidade, diferindo-se, assim, dos dleos fixos ou de mistura de substéncias lipidicas, obtidos geralmente de sementes.