Você está na página 1de 40

Aquacultura em sistema de bioflocos

Introdução

Engº de Aquicultura Fabrício Galdino


Sócio Diretor – Aquatropic Aquacultura e Meio Ambiente Ltda.
Por quê Bioflocos ? Aumentar o Controle !
• Aproveitar melhor o nosso principal recurso, a água.
• Controlar Doenças (sanidade) e reduzir riscos.
• Baixar custo de produção (Diminuir o uso de ração através do
consumo dos flocos pelos animais cultivados).
• Aumentar produtividade (Cultivo superintensivo).
• Redução de resíduos (Dimuir os impactos ambientais
ocasionados pelos efluentes).
• Produzir mais próximo aos centros consumidores (dentro de
cidades).
ÁREA RURAIS x URBANAS
APROVEITAMENTO DE ÁREAS IMPRODUTIVAS
REDUÇÃO DE EFLUENTES

SISTEMA
CONVENCIONAL
REDUÇÃO DE EFLUENTES
SISTEMA BFT EXTRAÇÃO DOS SÓLIDOS PRODUÇÃO DE
FERTILIZANTES
Composto Macroagregado O que são bioflocos ? 52 % de P.B - Diam. 0,1 a 2 mm
 Invertebrados
 Diatomáceas
 Protozoários

 Algas
 Bactérias
 Pellets Fecais
Alça Microbiana
Microbial Loop

Fósforo Carbono Nitrogênio


O2
O2

Biomassa Bacteriana
E OS OUTROS SISTEMAS DE
CULTIVO SUPERINTENSIVO?
CULTIVOS SUPERINTENSIVOS
- BIOFLOCOS - SEMI-BIOFLOCOS
• Somente reposição de água. • São realizadas renovações, mesmo que
• Reaproveitamento de água durante os pequenas (geralmente 15% por semana).
ciclos. • Não há reaproveitamento de água
• Desenvolvimento de bactérias durante os ciclos.
heterotróficas e quimioautotróficas, • Desenvolvem-se principalmente
algas e outros microorganismos que bactérias heterotróficas (crescimento
compõem o floco. rápido) mas geralmente não fazem
• Coloração da água geralmente nitrificação completa (as renovações são
amarronzada (sistema heterotrófico) ou feitas quando o nitrito aumenta).
esverdeada (sistemas autotrófico). • Coloração da água ligeiramente
amarronzada (menos turva que no
bioflocos).
SEMI-BIOFLOCOS BIOFLOCOS
- BIOMIMÉTICA (AQUAMIMICRY) - RAS (RECIRCULAÇÃO)

• Utilizam uma proporção média de 30% da • Geralmente fazem somente a reposição de água
área total de tanques para cultivo e 70% de por evaporação.
área de recirculação. • São utilizados filtros (mecânico, biológico e
• Geralmente são utilizados tanques de químico).
grande volume (acima de 6.000 m³). • Desenvolve-se principalmente bactérias
• Possuem um “shrimp toilet” no centro que quimioautoróficas (nitrificação completa)
faz a remoção dos resíduos acumulados, geralmente não necessitando de aplicações extras
sendo geralmente descartado. de carbono.
• Desenvolve-se principalmente bactérias • Água fica com aspecto translúcido/transparente.
heterotróficas e algas.
• Coloração da água geralmente translúcida
ou esverdeada.
AQUAMIMICRY
AQUACULTURA BIOMIMÉTICA

Fonte: www.bioshrimp.com
RAS – Recirculação de Água
AQUACULTURA MULTITRÓFICA
AQUAPONIA URBANA
DIFERENÇAS ENTRE RAS E BIOFLOCOS

Retirada dos compostos nitrogenados e gás carbônico Reaproveitamento dos Nutrientes através da alça microbiana
VOLUME DE ÁGUA X PRODUTIVIDADE

VOLUME DE ÁGUA PARA PRODUZIR 1 KG DE PEIXE

SISTEMA SEMI-INTENSIVO 10.000 L / kg

SISTEMA INTENSIVO (RACEWAY) 150.000 L / kg

SISTEMA BFT 30 - 200 L / kg


VOLUME DE ÁGUA X PRODUTIVIDADE

VOLUME DE ÁGUA PARA PRODUZIR 1 KG DE CAMARÃO

SISTEMA SEMI-INTENSIVO 5.000 L / kg


Sistema de Recirculação

SISTEMA BFT 180 L / kg


Sistema Heterotrófico
NUTRIÇÃO / ALIMENTAÇÃO

SISTEMA DE PRODUÇÃO CONVENCIONAL 60 a 80 % dos custos

FATOR CONVERSÃO ALIMENTAR: 1,3 a 1,7

SISTEMA DE PRODUÇÃO EM BFT 50 a 60 % dos custos


FARTOR CONVERSÃO ALIMENTAR: 0,9 a 1,3
No Mundo
- Wadell Mariculture Center
Nov Jan Nov
00 02 04
Dias 140 132 76

Dens. 200 300 400

Peso (g) 19 17 16

Sobr. % 61 72 80

Prod. 2.1 3.5 6.8


Kg/m²
FCR 2.8 2.0 1.5
Technion, Instituto de Tecnologia de Israel
Prof: Yoram Avnimelech

1. Produção de Tilápia vermelha de 30 a 40 kg/m³.


2. FCR de 0,8 a 1,2.
3. Sobrevivência 90%
4. Escala de produção comercial
5. Estabelecimento da C/N.
6. Necessidade de um sistema de drenagem
eficiente.
No Brasil

FURG - Estação de Maricultura (EMA)

- Resultados de produção com camarão marinho


em sistema Heterotrófico e Autotrófico.

- Comprovação da viabilidade técnica e


econômica do sistema.

- Difusão tecnológica dos sistema de produção


para produtores e técnicos.

- Pesquisas e trabalhos com produção de camarão


em baixa salinidade.
No Brasil

UFSC – Departamento de Aquicultura


Dr. Luis Alejandro Vinatea Arana

- Utilização inicial do sistema BFT para


berçários de camarão marinho.

- Desenvolvimento de técnicas de aeração


para cultivo de tilápias em sistema BFT.

- Dietas adequadas para cultivo de camarões


marinhos em sistemas BFT.

- Utilização de probióticos na aquicultura.


Produção comercial em BFT no mundo

China
Produção comercial em BFT no mundo

Indonésia – Global feed Co. México – Fitmar


Produção comercial em BFT no mundo

México – Sea Pros


Produção comercial em BFT no Brasil

Engorda de Tilápia em Bioflocos – Goiás


Produção comercial em BFT no Brasil

Engorda de Tilápia em Bioflocos – DF


Produção comercial em BFT no Brasil

Produção de Juvenis de Tilápia em Bioflocos, Super Peixe – Goiás


Produção comercial em BFT no Brasil

Produção de Camarão – Ceará

Produção de Camarão - Aquascience, empresa Camanor - RN


Produção comercial em BFT – Salinização Artificial

Produção de Camarão Marinho - Interior de São Paulo


Produção comercial em BFT – Salinização Artificial no Brasil

Sentinela do Sul – Rio Grande do Sul Uruguaiana – Rio Grande do Sul


Produção comercial em BFT – Salinização Artificial no Brasil

Goiás – Produção de Camarão Marinho


Produção comercial em BFT – Salinização Artificial no Brasil

Aperibé – Rio de Janeiro


Outras espécies produzidas em Bioflocos
Bagre do Canal – Arizona, EUA.

Camarão Gigante da Malásia – Maratízes (Sul do ES).


Espécies com potencial de cultivo em BFT

Pirarucu

Alta resistência a amônia e nitrito. Viabilidade de


cultivo em alta densidade
BUSCA CONSTANTE PELO AUMENTO DA PRODUTIVIDADE E
REDUÇÃO DO USO DE ÁGUA
Obrigado !