Você está na página 1de 67

Descrição da atividade

"A Física do cotidiano" é uma atividade que trabalhei com os meus alunos
do 4º ano do curso de Física da UEM neste ano de 2017 na disciplina de Estágio
Supervisionado em Física III. Ela foi baseada no livro "A Física do dia-a-dia: 105
perguntas e respostas sobre a Física fora da sala de aula", cuja organizadora da
obra foi a professora Regina Pinto de Carvalho e eu já trabalho com meus alunos
de estágio supervisionado desde o ano de 2011.
A proposta de atividade para os meus alunos foi que cada um deveria
escrever 4 textos abordando conceitos de física no cotidiano de uma forma bem
simples, didática e em uma linguagem leiga, mas na forma de uma pergunta. A
partir de uma pergunta norteadora, eles construíram seus textos como respostas
às perguntas. Cada aluno apresentou seus textos em sala de aula e após a
apresentação, todos poderiam comentar, criticar e dar sugestões para a melhoria
do texto, se fosse necessário. Após toda a atividade executada, os alunos
deveriam arrumar seus textos, quando necessário e entregar a versão final. Esta
apostila é a compilação das versões finais dos textos e será repassada a todos
os alunos.
Essa atividade tem 2 objetivos: dar a oportunidade aos futuros
professores de trabalhar e ter acesso a temas de física relacionados com
situações do nosso cotidiano; trabalhar a parte escrita e a questão da linguagem,
visto que consideramos que esse é um dos grandes problemas com os alunos
nos cursos de Física.
Após todo o trabalho de apresentação e discussão, os alunos tiveram
mais tempo para poderem alterar seus textos quando foi julgado necessário e os
selecionamos por áreas da Física. Ao todo são 26 textos divididos em 7
capítulos: 1- Mecânica; 2- Fluidos; 3- Termodinâmica; 4- Óptica; 5- Acústica; 6-
Ondulatória; 7- Eletricidade e 8- Diversos.
Todos os textos aqui apresentados foram escritos pelos alunos e
entregues corrigidos.
SUMÁRIO

Capítulo 1: Mecânica ........................................................................................ 1


Como funciona o freio ABS de um carro? .......................................................... 2
O que é velocidade terminal durante a queda de um paraquedista? ................. 4
Por que atletas que praticam salto em penhasco não se machucam? .............. 6
Por que dobramos os joelhos ao pular?.............................................................. 8
Por que o Spinner gira por tanto tempo? ............................................................ 9
Porque os carros sofrem aquaplanagem? ........................................................ 11

Capítulo 2: Fluidos .......................................................................................... 13


Como os balões voam? .................................................................................... 14
Por que é difícil para um mergulhador explorar o fundo do oceano? ................ 17

Capítulo 3: Termodinâmica ............................................................................ 19


Como funciona a panela de pressão? ............................................................... 20
Como funciona uma garrafa térmica? ............................................................... 22
Porque nos dias frios forma-se um nevoeiro sobre os lagos e rios? ................. 24
Porque os caminhões jogam sal nas estradas com neve? ............................... 26
Qual o lado do papel alumínio devemos usar para cozinhar alimentos? .......... 28

Capítulo 4: Óptica ........................................................................................... 30


Como as Auroras Boreais acontecem? ............................................................. 31
Como funcionam as lentes fotográficas? .......................................................... 33
Como funcionam os leitores de código de barras? ........................................... 35
O que são pilares de luz? .................................................................................. 38
Por que o céu é azul? ........................................................................................ 40
Por que os metais mudam de cor quando submetidos a uma alta temperatura?
.......................................................................................................................... 42

Capítulo 5: Acústica ....................................................................................... 44


Como funciona um silenciador de arma de fogo? ............................................. 45
Por que junto ao um raio ouvimos um som? ..................................................... 48
Capítulo 6: Ondulatória .................................................................................. 50
Como funciona um controle remoto? ................................................................ 51
Como funcionam os fornos de micro-ondas? .................................................... 53

Capítulo 7: Eletricidade .................................................................................. 55


Como funciona um chuveiro elétrico? ............................................................... 56
Por que é tão perigoso ficar em áreas abertas em dias de tempestades? ....... 58

Capítulo 8: Diversos ....................................................................................... 61


Por que no céu formam as nuvens do tipo prateleira? ...................................... 62
1
Como funciona o freio ABS de um carro?

Fabrício Pignata Seule (2017)

Imagem 1: Freio ABS do Spin Chevrolet.

A força de atrito estático ocorre quando a força aplicada não é suficiente


para mover o objeto. É aquela situação em que você empurra o guarda roupa e
ele não se move. Isso ocorre porque a força aplicada é igualada pela força de
atrito. Observe que por esse motivo, a força de atrito estático tem a sua
intensidade variável.

Quando a força aplicada for maior que a força de atrito de destaque, o


corpo entrará em movimento. A partir desse momento, o atrito deixa de ser
estático para se tornar cinético, ou seja, o atrito cinético é o atrito que ocorre
quando os corpos estão em movimento.

Seu funcionamento é teoricamente simples: o ABS (Anti-lock Braking


System) é um sistema que evita que as rodas travem quando pisamos
firmemente no pedal de freio do carro. Com isso, o atrito estático entre o pneu e
o pavimento é mantido, uma vez que o atrito cinético (que ocorre com os pneus
derrapando) é menor segundo as leis da Física. Em outras palavras, quando as
rodas travam e derrapam, o carro percorre uma maior distância até parar quando
comparado ao que aconteceria se você conseguisse frear no limite,
imediatamente antes desse travamento.

2
Gerenciado por uma central eletrônica e munido de sensores em cada
roda, o sistema monitora a velocidade de cada uma delas, e compara com a
velocidade do carro. Em caso de diferenças em uma frenagem, o sistema libera
o freio, pressionando-o novamente em milésimos de segundos, de maneira
quase que imperceptível, mas que garante o não travamento das rodas.

Com o freio ABS, o tempo e a distância de parada serão menores que em


um freio sem o sistema, por mais que o motorista seja habilidoso. Com isso, as
chances de não sofrer um acidente em uma situação de emergência aumentam
consideravelmente.

Imagem 2: Funcionamento do freio ABS.

Para saber mais:

http://g1.globo.com/carros/guia-pratico/videos/v/saiba-o-que-e-e-como-
funciona-o-freio-abs-em-carros/3341091/

http://orca.com.br/blog/como-funciona-o-freio-abs/

3
O que é velocidade terminal durante a queda de um paraquedista?

Regiane A. S. Pego (2017)

Imagem 1: Salto de paraquedas. Fonte: Curiosityflux.

Ao observar uma pessoa saltando de paraquedas poderíamos pensar


intuitivamente que quanto maior for à altura do salto maior seria sua velocidade,
o que não é verdade. No salto o paraquedista está sujeito a duas forças: Força
Peso e Força de Arrasto. A primeira se deve a ação da gravidade, que ‘puxa’ a
pessoa para baixo em direção ao centro da Terra, e a massa do corpo. A outra
é resultado da resistência do ar, atuando no sentido contrário do movimento.
Assim enquanto a força peso aumenta à velocidade do corpo a força de arrasto
a diminui.

É importante ressaltar que a resistência do ar cresce quanto maior for a


velocidade, assim no início do salto, quando a velocidade ainda é baixa, ela
pouco interfere. No decorrer do salto chega um momento em que a força peso
se iguá-la a força de arrasto, fazendo com que o corpo mantenha a velocidade,
o nome dado a este fato é velocidade terminal.

Vídeo:

4
https://www.youtube.com/watch?v=zUDEJ47Nlvo&t=57s

Referências:

http://fisicaeplaneta.blogspot.com.br/2012/09/paraquedismo-e-fisica.html

5
Por que atletas que praticam salto em penhasco não se machucam?

Regiane A. S. Pego (2017)

Imagem 1: Salto de penhasco. Fonte: Estadão Esportes.

Normalmente pulamos em uma piscina, saltamos de um trampolim, e não


nos questionamos o que aconteceria se saltássemos de alturas bem maiores.
Para explicar o porquê de esse tipo de salto ser tão perigoso, vamos elucidar
aqui dois conceitos que são: a força de arrasto e a pressão. Para o primeiro
pensaremos em um objeto que se move num fluido, ele está constantemente
colidindo com fluido, acontecendo neste processo uma força de resistência ao
movimento do objeto em relação ao fluido.

No segundo toda a força aplicada (neste caso a força de arrasto) é dividida


pela área de contato, nessa situação a interação do corpo humano com a água.
Assim, no caso específico do homem na água na região de impacto da água no
objeto é exercida, portanto, uma PRESSÃO que decorre da FORÇA DE
ARRASTO e é aplicada na área efetiva de interação do objeto com água.

Enfim, um homem caindo de grande altura pode atingir velocidade de


cerca de 60 m/s e quando atingir a água sofrerá força de 20 quilogramas por
centímetro quadrado de área do seu corpo no impacto com água. Desta forma,
ele poderá sofrer uma força muito maior do que o seu peso ao atingir água e os
danos no seu corpo serão terríveis.

6
Vídeo:

Desafiando limites: https://www.youtube.com/watch?v=2K-kgXgZgJI&t=16s

Referências:

UFRGS - Queda na água: www.if.ufrgs.br/cref/?area=questions&id=609

UFRGS - Força de impacto na água da pessoa que cai da ponte:


https://www.if.ufrgs.br/cref/?area=questions&id=644

7
Por que dobramos os joelhos ao pular?

Rafaela Garbin da Silva (2017)

Imagens 1 a 3: 1) Mulher dobrando joelho antes de pular; 2) Mulher durante o pulo; 3) Mulher
dobrando o joelho ao entrar em contato com o chão novamente.

A necessidade de pular é muito comum em nosso cotidiano. Para pular o


mais alto possível, qualquer pessoa, automaticamente, dobra o seu joelho na
busca de conseguir um impulso maior, afinal, com os joelhos dobrados o tempo
em que aplicamos a força contra o solo é maior, fornecendo mais impulso para
que o pulo seja realizado.
Podemos verificar que essa ação também acontece quando o corpo está
retornando ao solo, tal procedimento pode evitar danos aos ossos, visto que,
aumenta o tempo de contato até que acabe a interação do corpo com o solo,
assim a força de reação do solo sobre as pernas é menor.

Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=QHQEjwhlLLk

Imagem:

https://www.mundoboaforma.com.br/wp-content/uploads/2015/03/salto.png

8
Por que o Spinner gira por tanto tempo?

Rafaela Garbin da Silva (2017)

Imagem 1 (esquerda): Hand Spinner girando. Imagem 2 (direita): Rolamentos em forma de


anéis com bolinhas de metal.

Provavelmente você já brincou ou já viu alguém brincando com um hand


spinner, esse brinquedo é composto por quatro rolamentos em forma de anéis,
sendo um no centro e outros três ligadas ao central.
Quando impulsionado, o brinquedo gira em um movimento circular como
o de uma hélice. A inércia é capaz de explicar o seu movimento, afinal, segundo
ela, um corpo tende a manter seu estado de movimento ou de repouso a menos
que uma força externa seja aplicada sobre ele, ou seja, se não houver um atrito
o movimento adquirido ao impulsionar o spinner não se interrompe. Portanto,
neste caso para que ele possa girar por um tempo maior é necessário um baixo
atrito entre os rolamentos e os anéis externos e internos, nos quais há bolinhas
de metal que diminuem a superfície de contato entre eles e consequentemente
diminuem a força de atrito. É por esse motivo que o spinner gira por tanto tempo,
ainda que com um baixo impulso.

Vídeos:

https://www.youtube.com/watch?v=yxRFwhvSjFoe

https://www.youtube.com/watch?v=ncjl-fZrmQY

9
Imagens:

http://vivatatuape.com.br/portal/2017/06/06/voce-sabe-o-que-sao-os-spinners-
conheca-nova-mania-que-ganhou-europa-e-eua-que-chegou-no-brasil/

https://pt.aliexpress.com/w/wholesale-skateboard-bearings.html

10
Porque os carros sofrem aquaplanagem?

Fabrício Pignata Seule (2017)

A função das nervuras (sulco) de um pneu é escoar a água em piso


molhado. Elas são projetadas para direcionar a água para fora do pneu da forma
mais rápida e evitar a aquaplanagem.

Muita gente ainda tem dúvidas sobre o que é a aquaplanagem, como ela
acontece e o que fazer quando o carro literalmente anda sobre as águas. A
aquaplanagem (ou hidroplanagem) acontece no exato momento em que, sobre
piso molhado, os pneus do carro perdem o contato com o asfalto e passam a
girar sobre uma finíssima lâmina de água. A aderência é reduzida e, se o
processo continuar, o carro poderá sair completamente de sua trajetória.

Imagem 3: carro sofrendo aquaplanagem.

O fenômeno é mais comum em rodovias planas e bem pavimentadas,


quando o veículo se desloca em alta velocidade. A largura dos pneus é
diretamente proporcional à probabilidade de aquaplanagem, e a profundidade
dos sulcos é inversamente proporcional. Em piso molhado, a distância percorrida
do momento em que o motorista freia até o momento em que o veículo para,
depende da banda de rodagem.

11
Imagem 4: Pneu novo ao lado de um pneu bem gasto.

A 120 km/h, um carro cujos sulcos dos pneus estejam com 2,5mm de
profundidade (ou seja, perto do limite mínimo de 1,6mm) precisará de uma
distância 50% maior para parar do que outro com pneus novos, cujos sulcos têm
perto de 8 mm.

Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=lZkholYO1nI

Para saber mais:

http://quatrorodas.abril.com.br/auto-servico/pneus-carecas-tem-mais-aderencia-
em-piso-seco/

https://oglobo.globo.com/economia/carros/pista-molhada-exige-atencao-baixa-
velocidade-pneus-em-bom-estado-15094889#ixzz4m0FxSGMy

12
13
Como os balões voam?

Wellington França dos Santos (2017)

Imagem 1: Balões sobrevoando o céu.

Quem de nós nunca se deparou com a visão de um enorme balão, todo


colorido, voando pelo céu, levando seus passageiros para onde o vento os levar.
Mas você já parou para pensar ‘Como os balões voam? ’

Pois é, como pode uma cestinha com algumas pessoas dentro, amarrada
a um pedaço enorme de pano e um lança chamas sair voando por aí? E é aí que
está o segredo, no lança chamas.

Assim como o óleo flutua sobre a água, porque é “mais leve” do que a
água, o ar dentro do balão é “mais leve” do que o ar de fora, é aí que entra em
ação o lança chamas, ele enche o balão com ar quente, o ar quente é “mais leve”
do que o ar que está fora do balão, fazendo com que o balão suba.

14
Imagem 2: Lança chamas inflando balão com ar quente.

O ar quente é “mais leve” porque ocupa mais espaço, isso deixa o ar


menos denso do que o ar de fora do balão. O ar de fora é frio e ocupa menos
espaço, essa é a característica de um ar mais denso.

O ar quente, menos denso, é mais leve e sobe, já o ar mais frio, desce,


como o óleo e a água, mas o óleo não precisa estar quente, suas partículas
ocupam mais espaço naturalmente, fazendo o óleo ser menos denso que a água
e subir, enquanto a água, mais densa, desce.

Para saber mais:

As bexigas de festa voam quando são infladas com gás Hélio, ele também
é menos denso do que o ar e por isso elas voam. As que nós sopramos não
voam pois o ar que sopramos tem a mesma densidade que o ar de fora, assim,
a bexiga não voa.

Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=u4F2aEN7U1c

15
Imagens:

http://s.pousadinhas.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2014/10/passeio-
de-balao.jpg

http://s.pousadinhas.com.br/wordpress/wp-content/uploads/2014/10/passeio-
de-balao.jpg

16
Por que é difícil para um mergulhador explorar o fundo do oceano?

Regiane A. S. Pego (2017)

Imagem 1: Oceano Profundo. Fonte: Reddit.

A falta de ar não é o grande obstáculo que impossibilita os homens de


conhecerem o fundo do Oceano. O problema está diretamente ligado ao conceito
de pressão que afirma: quanto maior for à força aplicada numa determinada área
maior será a pressão. Portanto em grande profundidade o peso sobre o
mergulhador aumentará proporcionalmente a quantidade de massa de água
sobre ele exercendo assim uma grande pressão. Normalmente por questão de
segurança para mergulhadores iniciantes é recomendado ir apenas até 40
metros de profundidade.

No fundo do oceano o corpo humano seria esmagado e o mesmo


aconteceria com um submarino. Este é o motivo que faz com o fundo do mar
seja mais desconhecido que o solo lunar.

Vídeo:

Entenda a pressão exercida sobre o corpo humano em um mergulho:


https://www.youtube.com/watch?v=3Hv-2ZTGt9I

17
Referências:

Fundo do mar é mais desconhecido que o solo lunar:


http://exame.abril.com.br/ciencia/fundo-do-mar-e-mais-desconhecido-do-que-
solo-lunar/

Água exerce Pressão: http://www.proenc.iq.unesp.br/index.php/ciencias/34-


textos/290-aagua

18
19
Como funciona a panela de pressão?

Rafaela Garbin da Silva (2017)

Imagem 1: Esquematização de uma panela de pressão. Imagem 2: Panela de pressão.

Quando vamos cozinhar alimentos em água, o nosso principal interesse


é que seja atingida a temperatura maior possível, a fim de reduzir o tempo de
cozimento. Ao nível do mar e em um recipiente aberto, a água entra em ebulição
a 100ºC, passando do estado líquido para vapor.

Portanto, nessas situações a água que cozinha o alimento não passa


dessa temperatura. Todavia, alguns alimentos são difíceis de cozinhar e isso
exige um tempo maior, por este motivo utilizamos a panela de pressão, pois
como ela possui uma tampa vedada, a água começa ferver inicialmente a 100ºC
e este vapor de água vai ficando aprisionado no interior da panela, fazendo com
que a sua pressão aumente e com isso a temperatura de ebulição também
aumente, assim, a água fica mais quente que o normal e o alimento cozinha mais
rapidamente. Porém, a panela de pressão não é capaz de suportar altas
pressões e por este motivo há válvulas de segurança para permitir que o excesso
de vapor de água saia, mantendo uma pressão sempre constante e suportável
dentro dela.

Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=QKO6BYfqlnw

20
Imagens:

http://minhamarmitatem.com.br/medo-da-panela-de-pressao/

http://guiadaculinaria.com.br/admin/novo/f_noticias/Guia-da-Culinaria-
857cf4bdd1.jpg

21
Como funciona uma garrafa térmica?

Renan André Peres (2017)

Imagens 1 e 2: Garrafas térmicas.

Ao beber um café ou chá quentinho mesmo ter sido feito há horas atrás,
é possível notar o quanto uma garrafa térmica consegue conservar a alta
temperatura do líquido, até mesmo em dias mais frios.

Podemos dizer então que objetivo de uma garrafa térmica é nada mais
que conservar essa alta temperatura, ou seja, que o líquido não perca energia
pro meio externo tão rapidamente, fazendo com que o café ou chá fique quente
por um bom tempo.

Por tanto, podemos dizer que tal garrafa funciona da seguinte maneira,
em seu interior, é formada por duas paredes de um material espelhado,
geralmente vidro, sendo depois gerado um vácuo entre tais paredes (ausência
de matéria), fazendo assim com que não ocorra a propagação de calor por
condução e liquido conserve sua energia. O vidro espelhado ajudará na reflexão
das ondas eletromagnéticas, evitando a propagação de calor por irradiação, no
qual seria outra forma do calor "escapar", e o vácuo não permitirá a transferência

22
de calor por condução, uma vez que necessária matéria para tal tipo de
propagação, sem contar que o vidro é um péssimo condutor.

Devemos lembrar que tal funcionamento serve também pra conservação


de líquidos gelados.

Imagem 3: Esquema de uma garrafa térmica.

Vídeo:

Termo - Aula 02 - Funcionamento de uma garrafa térmica:


https://www.youtube.com/watch?v=sY6tA4Xxs2o

Referências:

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/a-garrafa-termica.htm

http://www.efeitojoule.com/2008/04/como-funciona-garrafa-termica.html

23
Porque nos dias frios forma-se um nevoeiro sobre os lagos e rios?

Daniel Freire Copele (2017)

Imagens 1 e 2: Nevoeiros.

Durante o nosso dia o sol esquenta através dos seus raios solares tudo
ao nosso redor, e durante a noite sem o sol a tendência do ambiente é ir
perdendo ao pouco essa temperatura ganha durante o dia, e com a chegada dos
raios do sol acontece o fenômeno.

O caso especial é de quando ao amanhecer se estivermos próximos a


lagos e rios vemos há formação da “fumaça fria”. Este termo é muito usado, e
vem principalmente porque a água em grande quantidade demora para perder
ou ganhar o calor (temperatura) e com o decorrer da noite ela perde e esfria, ao
amanhecer com a chegada do sol até a superfície fria da água tendem a realizar
um fenômeno chamado condensação que é a transformação da umidade do ar
em vapor d’água, o que forma o Nevoeiro “nuvem terrestre”.

Um termo muito fácil de se confundir e Névoa com Nevoeiro, a diferença


entre eles está associado há o quanto conseguimos enxergar através do
fenômeno, quando está fraca (rala), e conseguimos enxergar o nosso redor
chamamos de Nevoeiro, já quando está forte (densa), difícil a visualização
recebe nome de Névoa. A Névoa quando enfrentada em estrada aumenta o risco
de acontecer acidentes, por ser difícil a visualização através dela, e como nas
estradas a visão é essencial, com a junção de uma não clareza na visão com
velocidades altas (comparadas com o caminhar de uma pessoa) aumentam a
facilidade de ocorrerem acidentes.

24
Referências:

http://mundoestranho.abril.com.br/ambiente/como-se-forma-a-neblina/

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/neblina.htm

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/ultimas-noticias/voce-sabe-a-
diferenca-entre-nevoeiro-e-neblina-entenda-os-fenomenos/

Imagens:

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/upload/conteudo_legenda/311f04866e4e
e8fe716a0845ed277bb3.jpg

http://s5.static.brasilescola.uol.com.br/img/2014/05/nevoeiro.jpg

25
Porque os caminhões jogam sal nas estradas com neve?

Fabrício Pignata Seule (2017)

Imagem 5: Caminhão jogando sal nas estradas.

Quando se coloca sal em gelo formado por água pura diminui-se o ponto
de fusão, logo, não consegue ficar congelada, pois o gelo derrete, mas o
processo de derretimento do gelo é um processo que absorve calor do meio para
poder ocorrer. O efeito do sal em diminuir a temperatura de fusão da água é
usado nos países onde costuma nevar.

Na realidade, não é apenas o cloreto de sódio que é jogado, mas ele é


misturado à areia. Costuma-se usar também cloreto de cálcio (CaCl2). Cada um
desses componentes possui uma função definida que são muito eficientes para
tratar do problema da neve nas estradas.

Imagens 6 e 3: Sal derretendo gelo.

Vídeo:

26
https://www.youtube.com/watch?v=6JnLvfJprHg

Para saber mais:

http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/quimica/por-que-se-joga-sal-nas-
estradas-lugares-frios.htm

https://quimicaensinada.blogspot.com.br/2012/02/como-gelar-sua-cerveja-em-
3-minutos.html

27
Qual o lado do papel alumínio devemos usar para cozinhar alimentos?

Rafaela Garbin da Silva (2017)

hhuk

Figfgh

Imagem 1: Alimento assado com papel alumínio; Imagem 2: Embrulho de alumínio.

A técnica de embrulhar o alimento com papel alumínio, utilizada nos dias


de hoje, além de agilizar o processo de cozimento do alimento ainda possibilita
a concentração de sabores e aromas. Para compreender o que acontece quando
realizamos este processo, é necessário entender como as ondas de luz ou o
calor, que são emitidos pelo forno, se comportam ao incidir sobre uma superfície
fosca ou brilhante presentes no papel alumínio. Afinal, pode-se perceber que a
luz reflete melhor quando incide sobre a superfície brilhante, como no exemplo
do espelho.
Uma superfície fosca possui rugosidades, que acaba por refletir uma parte
e absorver outra parte da radiação, transferindo-a para dentro do material.
Assim, na cozinha, ao utilizar o papel alumínio para assar um alimento o lado
brilhante deve ficar virado para dentro, pois o calor penetra pela parte fosca e é
transferido para o alimento tendendo, assim, a ficar “preso” na parte interna do
embrulho, devido a reflexão que o lado brilhante ocasiona e, por conseguinte,
cozinhando o alimento de forma mais uniforme.

Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=wRRzgGn-TUc

Imagens:

28
https://sp.depositphotos.com/31047549/stock-photo-grilled-trout.html

http://www.leiliane.com.br/carnes/pernil-assado/

29
30
Como as Auroras Boreais acontecem?

Daniel Freire Copele (2017)

Imagens 1 e 2: Auroras.

As auroras boreais são um fenômeno ótico (visível) que acontece nos


polos do nosso planeta, as auroras podem receber 2 nomes diferentes, nomes
vindos de onde é que este fenômeno visual acontece, se for vista (formada) no
polo Norte ela recebe o nome de Aurora Boreal, se for no polo Sul recebe Aurora
Austral. Mas enfim o que é são as Auroras? O sol nos transmite calor, através
dos seus raios solares, juntamente com eles vem outras partículas, estas veem
carregadas (eletricamente) devido as reações que acontecem no Sol, essas
partículas ao chegarem ao nosso planeta que é um grande imã e se concentram
nos polos, e com o encontro dessas partículas com a nossa atmosfera formam
este fenômeno e podem ocorrer de diferentes formas e cores (Aurora 1 e 2).

Por mais bonito que este fenômeno seja, quando ele ocorre acontecem
interferências na comunicação terrestre devido em alguns casos onde há muita
concentração dessas partículas que interferem, afetando assim a comunicação
do homem (Interferências nos sinais de Celular, TV, Rádio etc.).

Vídeos:

https://www.youtube.com/watch?v=Inufy4FdnRk

31
https://abrilmundoestranho.files.wordpress.com/2016/08/51782cf29827686d270
00202original-9.gif

Referências:

http://www.infoescola.com/fenomenos-opticos/aurora-boreal/

http://www.sogeografia.com.br/Curiosidades/?pg=5

http://mundoestranho.abril.com.br/ciencia/o-que-e-o-vento-solar/

Imagens:

http://www.sogeografia.com.br/Curiosidades/content5_clip_image004.jpg

http://www.sogeografia.com.br/Curiosidades/content5_clip_image002.jpg

32
Como funcionam as lentes fotográficas?

Danilo Ricardo Rosa de Sá (2017)

Imagem 1: Lentes de câmeras fotográficas.

Às vezes se observarmos através se uma simples lente, podemos


enxergar a imagem de ponta cabeça. Essas lentes são chamadas de convexas.
Os raios de luz que entram nessa lente convexa se direcionam para um ponto
específico chamado ponto focal. É nesse ponto que a imagem é formada e
capturada pelas câmeras (ver imagem 2).

A luz que entra na lente não percorre uma linha reta e sim, acontece uma
pequena variação em seu caminho. Chamamos esse fenômeno de refração.
Porém, quando observado os efeitos de apenas uma lente, nota-se que as luzes
que estão mais próximas das bordas da lente convexa são refratadas
ligeiramente, uma parte antes e uma depois do ponto focal. Esse fenômeno é
chamado de aberração cromática. As fotos que saem desse processo acabam
ficando com falha na nitidez e coloração.

Para corrigir esse fator que pode atrapalhar no processo de captura de


fotos, a lente convexa é agrupada com uma outra lente chamada côncava
segundo a imagem 2.

33
As câmeras digitais semiprofissionais ou profissionais, possuem uma
quantidade muito grande de ajustes na lente, como foco e zoom. Por isso, há
uma grande quantidade de lentes (ver imagem 1).

Imagem 2: Raios de luz atravessando as lentes convexa e côncava e se encontrando no ponto


focal.

Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=EL9J3Km6wxI

Referência:

http://virgula.uol.com.br/comportamento/pilares-de-luz-fotografos-capturam-
fenomeno-optico-em-varios-paises/#img=3&galleryId=1181196

Imagens:

https://www.bigbang.si/info/kako-izbrati-pravi-objektiv-za-zrcalno-refleksni-
fotoaparat/

http://www.cameramais.com.br/blog/macrofotografia-com-a-sua-lente-do-kit-
saiba-como/

34
Como funcionam os leitores de código de barras?

Wellington França dos Santos (2017)

Imagem 1: Exemplo comum de código de barras, padrão EAN-13.

Todas as pessoas já devem ter visto um na vida, as vezes passa


desapercebido, mas é muito útil para todos nós, na identificação de produtos no
supermercado, no controle das encomendas no correio, até no despacho de
bagagem no aeroporto, o código de barras é uma forma rápida e prática de
armazenar informação, que pode ser o nome de um produto, o prazo de validade,
o nome do dono de uma mala, o endereço de uma carta etc.

A codificação por barras nada mais é do que uma tradução de um código


numérico para um código gráfico, onde uma combinação de barras claras e
escuras, largas e finas significam um número. Existe um padrão internacional
que a grande maioria dos materiais segue, o EAN-13, onde as barras são a
representação gráfica de um código numérico de 13 dígitos. Este não é o único
formado de codificação em barras, mas o mais importante é como um leitor
consegue “enxergar” essas barras?

O leitor de código de barras possui um receptor que funciona como se


fosse uma câmera fotográfica, mas essa câmera só fotografa uma cor, a
vermelha. Por isso a maioria dos leitores de código de barras que vemos tem
uma luz vermelha. Assim como o flash ajuda nossas câmeras a fotografarem
melhor o ambiente, a luz vermelha do leitor ajuda seu receptor a enxergar melhor
o código de barras.

35
O segredo está na absorção da luz. As barras escuras absorvem a luz, já
os espaços em branco, refletem a luz, o receptor capta a luz refletida pelos
espaços e decodifica a informação armazenada. Então, o verdadeiro código de
barras são os espaços em branco, não as barras escuras, pois o receptor não
as enxerga, o que ele enxergar é a combinação de espaços em branco, finos e
largos.

Imagem 2: Leitor de código de barras manual com feixe vermelho.

Para saber mais:

Existem leitores de código de barras de outras cores, azuis, por exemplo,


o funcionamento é exatamente o mesmo, a vantagem da luz azul é sua definição,
o laser azul utilizado enxerga detalhes menores do que a luz vermelha, com mais
alcance e definição da leitura.

Mas sua utilização não é muito conveniente pois o custo dos componentes
que funcionam com a luz azul é maior.

Vídeo:

36
http://redeglobo.globo.com/globocidadania/videos/v/quero-saber-como-
funciona-o-codigo-de-barras/2709710/

Imagens:

https://http2.mlstatic.com/S_15286-MLB20099178237_052014-O.jpg

http://www.industriahoje.com.br/wp-content/uploads/2014/01/leitor-de-codigo-
de-barras-manual-.jpg

37
O que são pilares de luz?

Danilo Ricardo Rosa de Sá (2017)

Imagem 1: Pilares de luz.

Dificilmente conseguiríamos ver esse fenômeno em um país cujo território


esteja em uma zona tropical (região mais quente). Pelo motivo de esses pilares
necessitarem de cristais de gelo, é mais fácil encontrar esse fenômeno em
lugares em que tenha uma temperatura mais baixa, como nas regiões de Ontário
e Toronto no Canadá, lago de Lucerne em Wisconsin, Östersund e Tampere na
Suécia, Alaska, Noruega, Finlândia, Rússia e Estados Unidos.

Esse fato ocorrente e denominado de pilares de luz, devido à sua


estrutura, acontece por um processo óptico em que a luz é refletida por cristais
de gelo que estão presentes na atmosfera do nosso planeta.

Então, esse acontecimento são luzes presente nas cidades, como postes
de iluminação e prédios, que são refletidas nas partículas cristalinas contidas no
ar.

Vídeo:

38
https://www.youtube.com/watch?v=mAq_E6BvFPA

Referência:

http://virgula.uol.com.br/comportamento/pilares-de-luz-fotografos-capturam-
fenomeno-optico-em-varios-paises/#img=3&galleryId=1181196

Imagem:

http://virgula.uol.com.br/comportamento/pilares-de-luz-fotografos-capturam-
fenomeno-optico-em-varios-paises/#img=3&galleryId=1181196

39
Por que o céu é azul?

Danilo Ricardo Rosa de Sá (2017)

Imagem 1: Céu.

Para entender esse fenômeno, precisamos saber que a luz branca emitida
pelo sol é uma composição de várias outras cores.

Quando a luz chega ao nosso planeta, ela passa primeiramente pela


atmosfera que é composta por milhares de partículas de ar. Ao se encontrar com
essas partículas, acontece um fenômeno chamado dispersão da luz. De maneira
simplória, esse fenômeno é o espalhamento dessa luz. A cor azul contida na luz
solar é a que é absorvida pelas moléculas de ar e acaba sendo espalhada por
todo o céu. Por isso, ele é azul durante o dia.

Ao entardecer, o sol passa a iluminar a Terra com um ângulo diferente


que leva a aumentar a distância percorrida pela luz. Isso faz com que os raios
de luz próximos aos vermelhos sejam espalhados devido não só as partículas
de ar, mas também a grande quantidade de poeira, dando tonalidades diferentes
de cor para o céu ao amanhecer e ao entardecer.

40
Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=7c2tZmD4BJQ

Referência:

http://super.abril.com.br/ciencia/por-que-o-ceu-e-azul/

Imagem:

https://i.ytimg.com/vi/7c2tZmD4BJQ/maxresdefault.jpg

41
Por que os metais mudam de cor quando submetidos a uma alta
temperatura?

Renan André Peres (2017)

Imagem 1: Metal aquecido numa alta temperatura.

É importante lembrarmos que temperatura é uma grandeza física no qual


indica a intensidade de vibração das moléculas de um corpo, por tanto, se a
temperatura estiver muito baixa, isso significa que há uma menor vibração das
moléculas, já se estiver muito alta, teremos as moléculas numa maior vibração.

Quando um metal é aquecido numa temperatura muito alta, ou seja,


recebe uma quantidade de energia muito grande (calor), suas moléculas
começam a vibrar de uma maneira extremamente intensa, fazendo com que os
elétrons dos átomos sejam “perturbados” a tal ponto que em certo momento são
obrigados a liberarem parte dessa energia recebida na forma de ondas
eletromagnéticas, ocasionando a emissão de luz, mudando assim a cor do
material.

A tonalidade da cor que o metal passará a ter, juntamente com a


intensidade da luz emitida, dependerá da temperatura no qual tal metal for
submetido, conforme mostra a tabela abaixo:

42
Imagem 2: Para cada faixa de temperatura o metal possuirá uma tonalidade de cor diferente.

Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=WLMYmag-9Cc

Referências:

http://fisicaradiacao.blogspot.com.br/2010/06/cor-dos-metais-aquecidos.html

https://educsinequanon.wordpress.com/2016/02/14/porque-metais-emitem-luz-
quando-aquecidos/

43
44
Como funciona um silenciador de arma de fogo?

Daniel Freire Copele (2017)

Imagem 1.

Os silenciadores sempre despertaram o interesse do homem, pela sua


maneira de deixar o tiro camuflado (discreto), ou até imperceptível como vemos
em filmes, series e até desenhos. Mas enfim como ele funciona? E será que ele
realmente deixa imperceptível ou silencioso?

Quando vemos um tiro notamos que na ponta da “arma” saem fumaça e


até fogo, isso demonstra o que acontece dentro da arma que nada mais é que
uma explosão na parte traseira do projetil o que impulsiona ela para frente e o
cano direciona. Como o projetil passa bem justo pelo cano da arma toda a
explosão e fumaça vem atrás da bala, ao sair do cano ela gera um som maior
visto que antes ela estava concentrada atrás do projetil.

A função do Silenciador e nada mais nada menos que diminuir o som


produzido pela explosão da bala, existem alguns tipos de mecanismos de
silenciar, mas todos com o mesmo objetivo, o mais comum funciona da seguinte
maneira, um cano auxiliar todo furado anexado a ponta da “arma” revestido por
um material isolante sonoro (ex.: fibra de vidro) e na parte externa outro cano
que encapa todo o sistema.

Veja.:

45
Imagem 2: Esquema do silenciador.

E o som da bala ao passar por esses furos é redirecionado ao isolante


sonoro o que faz com que ele seja abafado. E sobre os silenciadores serem algo
para uso “discreto” por não deixar produzir som, isto é MENTIRA pois ele diminui
o barulho produzido pela explosão da bala.

Curiosidade.: o sistema de silenciamento (apresentado) é usado também


em carros da mesma forma.

Referências:

http://www.fatosdesconhecidos.com.br/como-funciona-o-silenciador-de-uma-
arma/

http://super.abril.com.br/comportamento/como-funcionam-os-silenciadores/

http://www.industriahoje.com.br/como-funciona-o-silenciador-de-um-carro

http://www.megacurioso.com.br/armas/42661-mito-ou-verdade-silenciadores-
de-armas-funcionam-.htm

46
Vídeos:

http://3.bp.blogspot.com/-
OMkKNKR2brs/VhMr1bCcGYI/AAAAAAAAEDM/1X0LjJVkndk/s1600/glockslien
ciada.gif

https://www.youtube.com/watch?v=1oCWErbcfR4

Imagens:

http://www.fatosdesconhecidos.com.br/wp-content/uploads/2014/11/3012-
1024x676.jpg

http://www.industriahoje.com.br/wp-content/uploads/2014/01/silenciador-
vidro.jpg

47
Por que junto ao um raio ouvimos um som?

Renan André Peres (2017)

Imagem 1: Tempestade elétrica.

Todo som que nos cerca acaba sendo gerado por vibrações que se
propagam em algum meio material, no caso mais abundante ao nosso redor,
esse meio é o ar. Essas vibrações, ou perturbações do meio, são as chamadas
ondas sonoras, onde no ar se propagam com uma velocidade em torno de 340
m/s, chegando então até nossos ouvidos.

Imagem 2: Representação das ondas sonoras chegando aos nossos ouvidos.

48
No caso dos trovões essas perturbações do ar, são ocasionadas pelos
raios. No instante em que o raio é descarregado, tanto no solo ou mesmo de
nuvem para nuvem, o ar em seu redor se aquece chegando a uma temperatura
de até 27mil °C.

Tal variação de temperatura faz com que o ar se expanda e se comprima


muito rapidamente, ou seja, o ar acaba se expandindo apenas por alguns
milésimos de segundos, depois volta a se resfriar de tal maneira que acaba se
condensando, é onde que essa condensação gera uma pressão tão alta, que
logo depois acaba ocorrendo uma explosão (expansão novamente) do ar para
todas as direções, gerando assim o som do trovão. Todo esse processo ocorre
praticamente que instantâneo para nós.

Vídeo:

Minuto da Ciência - Raios, Relâmpagos e Trovões:


https://www.youtube.com/watch?v=Bhw3K7hxumE

Referências:

http://www.megacurioso.com.br/fenomenos-da-natureza/36958-o-que-provoca-
o-som-do-trovao-.htm

https://www.tecmundo.com.br/ciencia/14857-5-fatos-curiosos-que-a-fisica-
explica.htm

49
50
Como funciona um controle remoto?

Wellington França dos Santos (2017)

Imagem 1: controle remoto de aparelho televisor.

A tecnologia está presente na vida de qualquer pessoa de várias formas,


as crianças de hoje parecem já nascer sabendo usar um smartphone, um tablete,
enfim, ela nos rodeia por todos os lados. Um dos primeiros avanços da
tecnologia, mais difundido, talvez o mais acessível seja o controle remoto.

Existe controle remoto para tudo, é tão prático e natural que ninguém para
e pensa, ‘como funciona um controle remoto?

Quando um botão é pressionado no controle remoto, um pulso elétrico é


gerado. Todo controle tem um emissor de infravermelho e o aparelho televisor
possui um receptor que é compatível com o emissor. O emissor transforma o
pulso elétrico em infravermelho, que é uma onde eletromagnética. A onda sai do
emissor e chega até o receptor, o receptor faz o processo inverso, transformando
infravermelho em pulso elétrico, este pulso é interpretado pelo televisor que
executa o comando.

Isso tudo ocorre tão rapidamente que nós nem percebemos. E é assim
que os canais são trocados se precisarmos sair do conforto do sofá.

Para saber mais:

51
Sabe como testar se seu controle remoto está funcionando? É fácil, é só
usar a câmera do seu celular ou uma câmera digital. Abra o aplicativo da câmera
e aponte o controle para a lente da câmera, agora é só pressionar qualquer botão
do controle, se estiver funcionando, você verá o emissor piscando como uma
pequena lâmpada.

Imagem 2: Foto do emissor do controle remoto acionado.

Nossos olhos não enxergam o infravermelho, mas as câmeras digitais


‘enxergam’. A câmera vê o emissor do controle como se fosse uma lâmpada
emitindo luz.

Vídeo:

https://youtu.be/3rwT2Gi8s2E

Imagens:

https://www.sensacionalista.com.br/wp-content/uploads/2016/10/controle-
remoto.jpg

http://www.alexbaroni.com.br/wp-content/uploads/2014/09/controle-remoto.jpg
52
Como funcionam os fornos de micro-ondas?

Regiane A. S. Pego (2017)

Imagem 1: Forno micro-ondas. Fonte: Micro-ondas blogger.

Os fornos de micro-ondas, populares em todo o mundo, além de


facilitarem o preparo de vários alimentos também economizam eletricidade. O
núcleo dos fornos de micro-ondas é chamado de magnétron, que é um
dispositivo formado por dois imãs circulares e paralelos, um cátodo e um
conjunto de circuitos de ressonância.

Quando o cátodo é aquecido ele emite elétrons. Esses, por sua vez, agem
sobre as moléculas da água que estão presentes nos alimentos, provocando o
aumento da agitação das moléculas e, assim, um aumento da temperatura dos
alimentos.

53
As moléculas da água transferem parte de sua energia para as partículas
do alimento. Com o passar do tempo, ele é aquecido ou cozido. A ação do forno
de micro-ondas é mais eficaz com alimentos doces do que com salgados, isso
acontece porque o sal é dissolvido na água que está presente nas moléculas dos
alimentos e, assim, parte da energia das micro-ondas são dissipadas, sobrando
menos energia para o aquecimento dos alimentos. Esse fato não ocorre com
alimentos doces.

Vídeo:

Como funciona o forno de micro-ondas?


https://www.youtube.com/watch?v=Gc5xbEQ1QTY

Referência:

Como funciona o forno de micro-ondas:


http://mundoestranho.abril.com.br/tecnologia/como-funciona-o-forno-de-
microondas/

54
55
Como funciona um chuveiro elétrico?

Wellington França dos Santos (2017)

Imagens 1 e 2: Exemplos de chuveiros elétricos e resistência elétrica.

O chuveiro elétrico torna a vida de todos muito mais fácil, como seriam os
banhos nos dias mais frios? Mas pouca gente sabe como funciona um chuveiro
por dentro.

Seu funcionamento é simples, a água é aquecida por uma resistência


elétrica dentro dele. A resistência é composta por um fio metálico que tem uma
característica simples, quando ligado na energia elétrica esse fio esquenta, a
água passa por um pequeno reservatório dentro do chuveiro, onde fica a
resistência, o contato com ela esquenta a água e assim temos um banho quente.

A definição da temperatura, mais quente ou mais frio, é feita pela mudança


de uma chave seletora, que a maioria dos chuveiros tem como opções as
posições verão, inverno e desligado. A posição “desligado”, como o nome já diz,
mantém o chuveiro desligado, assim, não esquenta a água. As outras posições
têm temperaturas diferente pois fazem com que partes diferentes da resistência
sejam ligada, fazendo esquentar mais ou menos a água.

Outro fator importante é a potência do chuveiro, 1000 Watts, 2000 Watts,


enfim, existem vários modelos e várias potências. A potência é medida em Watts,

56
e quer dizer quanta energia esse aparelho consegue utilizar. Ou seja, um
chuveiro de 1000 Watts usa menos energia do que um de 2000 Watts, isso é, o
de 1000 Watts é mais econômico, mas também esquenta menos a água.

Quando o chuveiro queima na verdade o que queima é a resistência, ela


literalmente queima quando aquece demais e o calor não é todo transferido para
a água, o fio metálico derrete e se rompe, isso faz com que o chuveiro pare de
funcionar.

Vídeo:

https://youtu.be/gfenP2707Ts

Imagens:

http://sossolteiros.bol.uol.com.br/wp-content/uploads/2012/09/IMAGEM-8.jpg

57
Por que é tão perigoso ficar em áreas abertas em dias de tempestades?

Renan André Peres (2017)

Imagem 1: Raio atingindo uma área aberta.

Constantemente ouvimos falar dos alertas para os perigos em ficar em


determinados locais durante tempestades, principalmente em áreas abertas,
como zonas rurais, campos de futebol, praias etc. Pois bem, vejamos então o
porquê é tão perigoso a permanência das pessoas em tais locais durante
tempestades.

De acordo com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais),


cerca de 50 milhões de raios caem no país anualmente, deixando o Brasil como
líder global em tal aspecto, e ficando em sexto lugar no número de mortes
ocasionadas por raios, por isso é tão importante que a atenção e os alertas a tal
perigo se tornem cada vez mais frequentes e intensos para a população.

Vejamos mais algumas informações conforme traz a tabela abaixo:

58
Imagem 2: Alguns dados em relação aos acidentes ocasionados por raios no Brasil.

Já vimos o quanto perigoso e intenso é atividade de raios em nosso país,


porém existem alguns lugares no qual tais perigos se tornam ainda mais
intensos, como em áreas abertas.

Podemos explicar tal agravamento do perigo nesses locais pelo seguinte


fato, quando o raio sai das nuvens para chegar até nosso solo (isso ocorre devido
a uma diferença de cargas elétricas entre as nuvens e o solo), ele tende a
procurar o caminho mais curto, ou seja, tende a cair no lugar mais alto que ele
encontrar, por isso é tão importante o uso de pára-raios em prédios e
construções mais altas, já em cidades menores onde não há muitos edifícios,
vemos um índice maior de queda de raios em árvores ou postes energia.

Já quando passamos para uma área aberta, como campos de plantações,


campos de futebol ou praias, a pessoa pode passar ser o ponto mais alto para o
raio chegar até o solo, pois ao seu redor não haverá árvores, postes ou
construções, fazendo assim que aumente a possibilidade do raio cair nela
mesmo, sendo na maioria das vezes fatal.

59
Por isso, é muito importante não permanecer em tais ambientes em dias
de tempestades, ou em último caso, se não der tempo da pessoa sair e os raios
estiverem muito intensos, aconselha-se que ela fique agachada e espere a
tempestade passar.

Vídeo:

Como se proteger dos raios: https://www.youtube.com/watch?v=WNykyvpgVP8

Referências:

http://www.brasil.gov.br/ciencia-e-tecnologia/2015/10/cresce-numero-de-
pessoas-mortas-por-raios-dentro-de-casa

60
61
Por que no céu formam as nuvens do tipo prateleira?

Fabrício Pignata Seule (2017)

Imagem 7: Nuvem prateleira.

Geralmente as “shelf clouds” precedem uma tempestade. Como o nome


já diz, possui camadas que se assemelham a uma prateleira. Estas nuvens
formam-se em associação com uma frente de rajada.

Essa frente de rajada pode ser causada por uma linha de instabilidade de
um temporal. O que é uma frente de rajada? Bem, uma frente fria é a vanguarda
limite do encontro entre ar frio com ar quente. Da mesma forma, uma frente de
rajada apenas significa a vanguarda de rajadas de vento ou movimento rápido.

As “shelf clouds”, ou seja, nuvens prateleiras formam-se quando o ar mais


quente se eleva acima de uma camada de ar mais frio. Durante este processo,
o ar aquecido condensa rapidamente, gerando o aspecto característico da
nuvem.

O movimento acelerado das shelf clouds, ocorrido em alguns casos,


produz ventos muito fortes e danosos, que acontecem antes da tempestade
propriamente dita. Apesar disso, shelf clouds não produzem tornados.

62
Imagem 8: Nuvem prateleira.

Para saber mais:

http://www.uespi.br/site/?p=73770

http://chemtrailbrasil.blogspot.com.br/2015/01/nuvem-prateleira-shelf-cloud-
conheca.html

Vídeo:

https://www.youtube.com/watch?v=wUh1vR55LRk

63