Você está na página 1de 5

FUNÇÕES DO “QUE” IMPORTANTES PARA O CESPE.

A palavra QUE tem muitas possibilidades de uso, e por isso mesmo


pode causar algumas dúvidas sobre a sua regência, concordância,
significado, etc. Veremos abaixo as principais funções desta palavra:

PRONOME RELATIVO.

Importante! Apenas o, “QUE”, Pronome Relativo, tem função


sintática.

Bizu 1: o “QUE”, Pronome Relativo, pode ser substituído por: “O


QUAL E SUAS VARIAÇÕES exemplo: no qual”

Bizu 2: Sempre que o "QUE” tiver como antecedente "a", "as", "o",
"os", tente substituir esses termos por algum pronome
demonstrativo (aquele, aquilo, aquela), se tiver lógica, esse: "QUE"
será Pronome Relativo.

 Quando o “QUE” é Pronome Relativo ele estará introduzindo:


a. (Sem vírgula) Oração Subordinada Adjetiva Restritiva.
b. (Com vírgula) Oração Subordinada Adjetiva Explicativa.

Refere-se a um termo anterior (ANAFÓRICO)(não, necessariamente,


o imediatamente anterior).

Exemplo: As crianças que gostam de fabricar seu próprio brinquedo


se mostram mais criativas no futuro.

Pergunta CESPE. O “QUE” no excerto “Os Juízes que se deparam


com o tema dos conflitos familiares e da violência doméstica
assistem a situações de violência extrema .” é um elemento
expletivo, empregado apenas para dar realce a “Os juízes"?

Errado.

1º. Não é um elemento expletivo ou de realce. Se fosse, poderia


facilmente ser retirado da frase, sem prejuízo do sentido, neste caso.

2º. Trata-se, na verdade, de um pronome relativo, que tem a função


sintática de sujeito do verbo "deparar" e se refere ao termo anterior
"juízes". Esse pronome introduz uma oração adjetiva restritiva.

PARTÍCULA EXPLETIVA (ou de REALCE).

Neste caso não tem função na oração, serve apenas para realçar
determinado termo.

Exemplo: Há muito tempo que não vou à minha cidade natal.

CONJUNÇÃO COORDENATIVA1. (EM ORAÇÕES

COORDENADAS…)

a) ADITIVA (Expressam ideia de adição, acrescentamento).

Exemplo: Mexe que mexe e não encontra nada!

b) ALTERNATIVA (Expressam ideia de alternância de fatos ou

escolha).

Exemplo: Que aceitem ou que não aceitem, eu vou falar mesmo

assim.

1 Liga duas orações independentes.


c) ADVERSATIVA (MAS) (Exprimem fatos ou conceitos que se

opõem).

Exemplo: Pode falar à vontade que não vai fazer efeito!

d) EXPLICATIVA (POIS) (Indicam uma justificativa ou uma

explicação).

Exemplo: Vocês precisam escutar, que é muito importante.

CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA2. (EM ORAÇÕES

SUBORDINADAS…)

a) INTEGRANTE:

Introduz uma oração subordinada substantiva (ou seja, oração que

equivale a um Substantivo) e não tem função sintática.

Bizu: o “QUE”, Conjunção Subordinativa Integrante, pode ser

substituído por: “ISSO”.

Exemplo: Falou que não iria, mas acabou indo.

Pergunta CESPE. O vocábulo “que”, na oração: “Consta-nos que o

autor, solicitado por seus numerosos amigos, leu há dias a

comédia em casa. ”, classifica-se como conjunção e introduz o

sujeito da oração “Consta-nos”?

2 Liga duas orações, sendo uma delas dependente da outra.


Certo.

O Sujeito (no caso, Sujeito Oracional) da oração: “Consta-nos”, é: “o

autor, solicitado por seus numerosos amigos, leu há dias a comédia

em casa”.

Assim, o “que” é uma Conjunção Subordinativa

Integrante que introduz a oração subordinada substantiva, que é o

Sujeito Oracional.

 Como confirmar se é uma oração subordinada substantiva?

É só a substituir por: “ISSO”.

Consta-nos ISSO.

b) COMPARATIVA – aparece no início de uma oração

subordinada adverbial comparativa.

Bizu: mais…que, menos…que, melhor…que, pior…que, etc.

Exemplo: Não há maior prova de amor que doar a vida pelo irmão.

c) CAUSAL (POIS) - aparece no início de uma oração subordinada

adverbial causal.

Exemplo: Tenho que tomar cuidado, que esse chão é muito

escorregadio.

d) CONCESSIVA – expressa uma concessão, uma exceção à regra.

Exemplo: Gosto de goiabas, verdes que estejam.


e) CONSECUTIVA – expressa uma consequência do que acabou

de ser afirmado.

Bizu: fique atento as palavras: Tão, tantas, de sorte…que…

Exemplo: É tão pequeno que não alcança a geladeira.

 “QUE” como Elemento de Coesão.

 Elementos de Coesão (são os conectivos):

É fundamental na redação a apresentação clara das ideias, e para se


alcançar isso as frases devem estar bem articuladas. Essa articulação
chama-se coesão textual, a qual é explicitada por meio de elementos
conectivos (ou Elementos de Coesão), normalmente conjunções,
advérbios e pronomes.

Pergunte CESPE. No excerto “Diversidade é a semente inesgotável


da autenticidade e da individualidade humana, que se expressam
nas subjetividade da liberdade pessoal. ”, o termo “que” é
elemento de coesão empregado em referência a “autenticidade
[humana]” e “individualidade humana”, razão por que a forma
verbal “expressam” está flexionada no plural?

Certo. Esse “que” é pronome relativo e tem por referente


“autenticidade e da individualidade humana”.
Os verbos que regidos pelo Pronome Relativo, devem concordar com
o seu referente, no caso, indo para o plural.