Você está na página 1de 9

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ
PRÓ-REITORIA DE ENSINO
PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

EXPOPIBID 2017

FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS COM O AUXÍLIO DO GEOGEBRA: UMA


EXPERIENCIA NO PIBID – IFPA

Demetrius Araujo
Fernando Ohashi
Marcivaldo Santos
Nildo Sena

RESUMO
Este artigo trata-se de um relato de experiência sobre um trabalho desenvolvido por bolsistas do
Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) de Matemática do IFPA com
alunos do ensino médio integrado do IFPA, onde foi realizada uma oficina de funções
trigonométricas com aproximadamente 30 alunos. O objetivo do trabalho foi aprimorar o
conhecimento dos alunos através do software GeoGebra e analisar as vantagens do uso desse
software no processo de ensino-aprendizagem de funções trigonométricas. Foram realizadas duas
aulas de 50 minutos. Durante a exposição didática, foram levantadas algumas perguntas a cerca do
conteúdo para vermos as principais dúvidas, para com isso, esclarecê-las. A utilização de estratégia
participativa, associada a esse recurso didático, facilitou a nossa pesquisa. Visto que os alunos
apresentavam diferenciais, esta experiência nos permitiu analisar a contribuição do uso do
programa em sala de aula.

Palavras-chave: Funções Trigonométricas; Pibid; GeoGebra.

INTRODUÇÃO:
O software Geogebra (aglutinação das palavras Geometria e Álgebra) é um
aplicativo de matemática dinâmica que combina conceitos de geometria e álgebra em uma
única GUIA. Sua distribuição é livre, nos termos da GNU General PublicLicense, e é
escrito em linguagem Java, o que lhe permite estar disponível em várias plataformas, Foi
criado por MarkusHohenwarter para ser utilizado em ambiente de sala de aula. O projeto
foi iniciado em 2001, na Universität Salzburg, e tem prosseguido em desenvolvimento na
Florida AtlanticUniversity.
O programa permite realizar construções geométricas com a utilização de pontos,
retas, segmentos de reta, polígonos etc., assim como permite inserir funções e alterar todos
esses objetos dinamicamente, após a construção estar finalizada. Equações e coordenadas
também podem ser diretamente inseridas. Portanto, o GeoGebra é capaz de lidar com
2

variáveis para números, pontos, vetores, derivar e integrar funções, e ainda oferecer
comandos para se encontrar raízes e pontos extremos de uma função. Com isto, o programa
reúne as ferramentas tradicionais de geometria com outras mais adequadas à álgebra e ao
cálculo. Isto tem a vantagem didática de representar, ao mesmo tempo e em um único
ambiente visual, as características geométricas e algébricas de um mesmo objeto.
Uma das habilidades e competências a serem desenvolvidas em Matemática
dentro do contexto sócio-cultural do educando é utilizar adequadamente as calculadoras e
computadores, reconhecendo suas limitações e potencialidades, sendo assim percebemos
que o software Geogebra é uma excelente ferramenta para ser utilizada em sala de aula,
pois permite ao aluno visualizar o comportamento do gráfico de funções trigonométricas,
interagir com objetos matemáticos, buscando compreender propriedades e conceitos
ligados ao objeto.
O PIBID é um programa que visa a integrar os alunos de licenciatura no âmbito
escolar, os bolsistas vão às escolas parceiras e junto aos seus supervisores avaliam que
atividades podem contribuir com o processo de ensino aprendizagem, assim os bolsistas
desenvolvem atividades para aplicarem nas escolas parceiras, como oficinas e gincanas,
assim vivenciando a realidade na sala de aula.
As atividades realizadas nas escolas parceiras proporcionam aos alunos,
professores e bolsistas do projeto, trocas de experiências, onde bolsistas levam para as
salas de aulas metodologias aprendidas ou desenvolvidas na faculdade, e encontram dentro
delas realidades que encontraram como futuros professores, adequando as suas
metodologias com a realidade escolar.

METODOLOGIA
As novas tecnologias fazem parte do atual momento do contexto escolar,
buscando auxiliar no processe de ensino, facilitando a aprendizagem, tornando as aulas
bem dinâmicas e atrativas, uma vez que está dentro da realidade do aluno o mundo
tecnológico.
O computador pode representar uma ferramenta potencial no favorecimento do
ensino e aprendizagem de matemática e na percepção, exploração e ação do aluno, uma
vez que através de um software possibilita manipular os objetos concreto presente em sua
tela. O objeto passa de uma representação estática para uma que pode ser alterada,
3

transformada e explorada (GRAVINA & SANTAROSA, 1998). Nascimento (2007)


complementa afirmando que
“a utilização do computador na educação é possível ao professor e a
escola dinamizarem o processo de ensino-aprendizagem, com aulas mais
criativas, mais motivadoras e que despertem, nos alunos, a curiosidade e
o desejo de aprender, conhecer e fazer descobertas.” (NASCIMENTO,
2007, p.38)

Desse modo as TIC’s ganham espaço no ensino de matemática uma vez que os
softwares educacionais como o Geogebra favorecem o ensino e a aprendizagem de forma
bem dinâmica, estimulando o aluno a explorar o objeto matemático, pois
“a interface dinâmica, a interatividade que esses programas proporcionam e os
recursos de manipulação e movimentação das construções podem contribuir para
o desenvolvimento de habilidades em perceber diferentes representações de uma
mesma figura, por exemplo, bem como as relações entre as mesmas, levando
assim, à crítica e à descoberta autônoma, por parte dos estudantes, das
propriedades dos elementos em estudo” (OLIVEIRA, GONÇALVES &
MARQUETTI, 2015, p. 487).

Utilizar softwares educacionais no ensino de matemática favorece a


aprendizagem, uma vez que proporciona uma dinamização nas aulas, explorando objetos
matemáticos e seus conceitos, possibilitando ao aluno ao aluno a visualização da
manipulação de vários elementos que compõem o objeto matemático, como por exemplo,
as funções trigonométricas.
No primeiro momento os bolsistas elaboraram atividades e tutoriais para a
aplicação da oficina, verificando com o professor da turma qual o conteúdo a ser
ministrado, sabendo que seria funções trigonométricas, sendo assim buscamos desenvolver
atividades que possa explorar os elementos da função trigonométricas, fazendo os alunos
visualizarem o comportamento quando alteramos as constantes presentes na função.
Após as pesquisas e as elaborações das atividades focamos na oficina, com isso
fizemos uma metodologia participativa, onde sempre questionávamos os alunos, para
poderem participar da atividade, a atividade evoluía conforme a participação dos alunos
em nossas perguntas sobre o conteúdo mostrado no computador.
O início da atividade foi dado ênfase no uso do Geogebra, falando um pouco
sobre esse software e mostrando a sua interface, neste momento apresentamos cada botão e
janela do programa e suas respectivas funções, deixando os alunos explorá-las, para se
familiarizassem com essa ferramenta, e assim pudesse acompanhar com mais facilidade a
oficina.
4

A nossa metodologia foi expositiva, pois expomos pontos importantes que seriam
tratados na oficina e também participativa, pois indagamos os alunos com questionamentos
sobre o programa e o conteúdo da oficina, utilizamos 10 computadores do laboratório e 10
notebooks que pertencem à instituição, trabalhamos com cerca de 2 alunos por máquina.
Assim podendo ter interação entre os alunos na hora dos questionamentos que surgiram
durante o desenvolvimento da atividade
Assim a atividade iniciou de fato após a exploração do programa e algumas
considerações iniciais sobre o conteúdo, pois os alunos já tinham conhecimento sobre o
mesmo. Desse modo nossa atividade foi explorar através do geogebra esses conceitos já
estudados em sala de aula e visualizar de maneira dinâmica a alteração que ocorre nas
funções quando alteramos constantes e variáveis.

RELATO DA ATIVIDADE
A atividade foi iniciada após as explicações e explorações dos alunos sobre o
programa Geogebra, o nosso ponto de partida foi justamente trabalhar o círculo
trigonométrico unitário, sendo assim, projetamos utilizando o Datashow um tutorial para
os alunos seguirem para criar um círculo trigonométrico.

A construção do círculo trigonométrico é um passo importante para os alunos


visualizarem o comportamento das funções: seno, cosseno, tangente, cotangente,
cossecante e secante, quando variamos o ângulo formado no circulo trigonométrico. Desse
modo essa etapa da atividade foi bem aproveitada, uma vez que eles exploraram as
ferramentas recém conhecidas no software.
5

A partir desse ponto de partida exploramos conceitos já estudados, como os


quadrantes, sinal de cada função nos quadrantes, função seno e cosseno, ângulos em grau e
radiano, ângulo notáveis e etc.

Figura 1: circunferência de raio 1.


Fonte: autor

Após a criação do círculo, implementamos pontos moveis(pontos que são


utilizados para variar o ângulo), onde ao variar o ângulo, o aluno pode perceber o
comportamento do gráfico através do RASTRO(é um função que ao ser ativada permite
que o ponto ao se locomover deixa o seu caminho a mostra através de um rastro de cor a
ser escolhida pelo usuário) deixado pelo ponto que representa função.

Deste modo os alunos construíram as funções y=sen(ax), g=cos(ax), h = tan(ax),


onde “a” é uma constante, utilizamos os seletores para analisar o comportamento da função
6

quando aumentamos ou diminuímos o valor da constante. Construímos também as funções


inversas secante, cossecante e cotangente, mudando apenas as cores dos rastros. A partir
daí fizemos algumas perguntas sobre a atividade, como por exemplo: O que o ponto de
interseção entre as funções seno e cosseno representa? O que acontece com o período da
função se aumentamos a constante que multiplica o x? o que acontece com a função
tangente no ângulo reto? Esses e outros questionamentos levantado durante a oficina,
foram importantes para o desenvolvimento da atividade, pois os alunos buscaram a
explicação com os conhecimentos adquiridos nas aulas teóricas.
A pergunta “O que o ponto de interseção entre as funções seno e cosseno
representa?” muitos alunos responderam que representa o ângulo de 45º, porem
perceberam que há outras interseções entre os gráficos dessas funções, percebendo assim a
redução ao primeiro quadrante, onde o valor do seno e cosseno é iguais, nas demais
interseções também, porem em módulo.
No questionamento “O que acontece com o período da função se aumentamos a
constante que multiplica o x?” os alunos perceberam que o período da função varia de
acordo com a constante que multiplica a variável x.
.

Aproveitamos para explorar funções que eles estudaram na semana anterior. As


funções do tipo y = c +b.sen(ax+pi/4), as funções puderam ser exploradas de maneira
interativa, criando botões seletivos, que podemos manipular e visualizar o comportamento
quando variamos as constantes a,b e c, deste modo os alunos puderam identificar a função
de cada constante, assim pudemos encerrar nossa oficina fazendo perguntas sobre o
conteúdo de funções, verificando o que os alunos puderam assimilar após a oficina do
Geogebra.
7

RESULTADOS E DISCUSSÕES
Percebemos um grande interesse dos alunos nas atividades, muitos
conseguiram fazer a atividade sem a ajuda dos bolsistas, conseguiram entender o conteúdo
com mais facilidade, pois com a ajuda desse software dinâmico, puderam compreender
qual o papel das constantes presentes nas funções trigonométricas.
Desse modo a estratégia de utilizar os Softwares dinâmicos como o Geogebra,
torna a aula bem produtiva, onde o professor e aluno podem interagir de maneira mais
objetiva, buscando nessa metodologia incentivar o aluno a buscar as informações que
responda as suas duvidas.
Durante a aplicação vimos que o software oportunizou aos alunos uma maneira
interativa e divertida, prendendo a atenção dos mesmos, motivando a participação dos
alunos na atividade, com perguntas e respostas satisfatórias.
Percebemos que alguns alunos conseguiram dominar o programa de maneira
mais avançada, pulando etapas das atividades, fazendo-as mesmo antes de chegarmos à
etapa que estava prevista, percebemos o envolvimento de todos os alunos na atividade
proposta sendo assim, obtivemos bons resultados nesta atividade, uma vez que as
indagações feitas aos alunos foram respondidas de maneira correta.
Desse modo o ensino de matemática se torna mais dinâmico e interativo
comparado a métodos tradicionais sem o uso de tecnologia, o Geogebra promove essa
interação, pois dar a possibilidade de o aluno explorar os conceitos estudados em sala de
aula.
As Tics em modo geral têm um impacto significativo no ensino,
principalmente na matemática, pois seu uso promove a exploração gráfica de maneira mais
interativa, e trás novas possibilidades, de realização de atividades que estimulem a
pesquisa e a exploração por parte dos alunos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
O uso das novas tecnologias nas escolas está cada vez mais presente em nosso dia
a dia. Sendo assim, professores e alunos devem engajar-se no processo de evolução das
novas tecnologias, a fim de poder explorar este método de ensino e aprendizagem, e com
isso, aprimorar seus conhecimentos, dinamizando as aulas e contribuindo para a
aprendizagem do aluno.
8

O GeoGebra é uma ótima sugestão de recurso tecnológico no ensino da


matemática. Ele está disponível para download na internet, é um software gratuito e é de
fácil utilização, podendo ser utilizado não só por professores em suas escolas, como
também por alunos em suas residências.
É importante destacar o valor desse recurso para instrumentalizar (complementar)
o processo de ensino. O GeoGebra torna a aula muito produtiva, pois o dinamismo do
software e da mídia, quando bem explorado, motiva os alunos, prende a atenção e facilita a
compreensão deles, além de promover a interação entre professor e aluno.
9

BIBLIOGRAFIA CONSULTADA

DE OLIVEIRA, G. P; GONÇALVES, M. D; MARQUETTI, C. Reflexões acerca da


tecnologia e sua inserção na Pesquisa em Educação Matemática. Educação Matemática
Pesquisa, São Paulo, v. 17, n. 3, p. 472-489, 2015.

INSTITUTO GEOGEBRA NO RIO DE JANEIRO. GeoGebra: Software de Matemática


Dinâmica Gratuito. Disponível em:
<http://www.professores.uff.br/hjbortol/geogebra/geogebra.overview.html>. Acesso em:
20/09/2017

JUNIOR SANTANA. E. J. de.Uso do Geogebra no Ensino das Funções Quadráticas: Uma


proposta para sala de aula. João pessoa – PB. 2011

GRAVINA, Maria Alice; SANTAROSA, Lucila Maria. A Aprendizagem da Matemática


em Ambientes Informatizados. In: IV Congresso RIBIE. Brasília, 1998. Disponível em
<http://www.ufrgs.br/niee/eventos/RIBIE/1998/pdf/com_pos_dem/117.pdf>.

NASCIMENTO, João Kerginaldo Firmino do. Informática aplicada à educação. Brasília:


Universidade de Brasília, 2007. Disponível em
http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/profunc/infor_aplic_educ.pdf