Você está na página 1de 65

FÍSICA II

ESTÁTICA DOS FLUIDOS


DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Lembrança de mecânica
• Tipos de força de contato:

Cisalhamento

http://earthquake.usgs.gov/learn/glossary/?term=shear%20stress (editada)
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Um sólido pode resistir a qualquer destes três tipos de


força (até um certo limite!).
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
• Exemplo: Copo desliza em um plano sem atrito.

É possível que o fluido esteja em


equilíbrio nesta situação?
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
• Exemplo: Copo desliza em um plano sem atrito.

É possível que o fluido esteja em


equilíbrio nesta situação?
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
• Exemplo: Copo desliza em um plano sem atrito.
Esta é a configuração
de equilíbrio!
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
• Exemplo: Copo desliza em um plano sem atrito.
Esta é a configuração
de equilíbrio!

Fluido em equilíbrio: Todos os elemen-tos


do fluido têm a mesma aceleração!
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
• Exemplo: Copo desliza em um plano sem atrito.
Esta é a configuração
de equilíbrio!

Fluido em equilíbrio: Todos os elemen-tos


do fluido têm a mesma aceleração!
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
• Exemplo:
A força exercida pelo restante do
fluido neste elemento deve ser
per-pendicular à superfície livre!

Fluido em equilíbrio: Todos os elemen-tos


do fluido têm a mesma aceleração!
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!
• Exemplo:
A força exercida pelo restante do
fluido neste elemento deve ser
per-pendicular à superfície livre!

Com nesta direção é satisfeita a


equação
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!

• Em outras palavras:
• Usando que é perpendicular à superfície livre e que a e-quação
de Newton deve ser satisfeita para cada ele-mento do fluido,
conseguimos descobrir a forma da super-fície livre!
DEFINIÇÃO DE FLUIDOS

• Fluido: Estado da matéria na qual a substância não


suporta forças de cisalhamento e nem de tração.
• Num fluido atuam forças volumares (ex. Peso) e de pressão.
• Em um fluido em equilíbrio não há forças tangenciais!

• Em outras palavras:
• Usando que é perpendicular à superfície livre e que a e-quação
de Newton deve ser satisfeita para cada ele-mento do fluido,
conseguimos descobrir a forma da super-fície livre!
• No exemplo dado, a forma é plana e paralela ao plano incli-nado!
BALDE DE NEWTON

• Desafio: Mostre que a forma assumida pela super-fície


livre em um balde girante com velocidade an-gular é
dada por um parabolóide de revolução.
BALDE DE NEWTON

• Desafio: Mostre que a forma assumida pela super-fície


livre em um balde girante com velocidade an-gular é
dada por um parabolóide de revolução.

i.e. Mostre que


PRESSÃO

• Portanto, em um fluido em equilíbrio atuam apenas


forças de compressão e forças volumares (no nosso
curso, sempre o peso).
PRESSÃO

• Portanto, em um fluido em equilíbrio atuam apenas


forças de compressão e forças volumares (no nosso
curso, sempre o peso).
• As forças de compressão são forças de contato.
• Para superfícies pequenas, a força de compressão é
pro-porcional à área da superfície.
PRESSÃO

• Portanto, em um fluido em equilíbrio atuam apenas


forças de compressão e forças volumares (no nosso
curso, sempre o peso).
• As forças de compressão são forças de contato.
• Para superfícies pequenas, a força de compressão é
pro-porcional à área da superfície.

• Mais formalmente:
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
• Vejamos como a pressão varia com a altura em um fluido.
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
• Vejamos como a pressão varia com a altura em um fluido.
• A força resultante deve ser nula!
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
• Vejamos como a pressão varia com a altura em um fluido.
• A força resultante deve ser nula!

&
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
• Vejamos como a pressão varia com a altura em um fluido.
• A força resultante deve ser nula!
Pressões a mesma
altura são iguais
&
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
• Vejamos como a pressão varia com a altura em um fluido.
• A força resultante deve ser nula!
Pressões a mesma
altura são iguais
&
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
• Vejamos como a pressão varia com a altura em um fluido.
• A força resultante deve ser nula!
Pressões a mesma
altura são iguais
&
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
• Vejamos como a pressão varia com a altura em um fluido.
• A força resultante deve ser nula!
Pressões a mesma
altura são iguais
&
PRESSÃO

• p é definido como a pressão exercida pelo fluido no


elemento de área em questão.
• Vejamos como a pressão varia com a altura em um fluido.
• A força resultante deve ser nula!
Pressões a mesma
altura são iguais
&

Densidade do fluido
na altura h!
PRESSÃO

• Num fluido em equilíbrio sobre a ação apenas do campo


gravitacional:

• Sabemos disto intuitivamente: quanto maior a profundida-de


maior a pressão.
PRESSÃO

• Num fluido em equilíbrio sobre a ação apenas do campo


gravitacional:

• Sabemos disto intuitivamente: quanto maior a profundida-de


maior a pressão.
• Interpretação física: A diferença de pressão sustenta a coluna de
fluido acima.
PRESSÃO

• Num fluido em equilíbrio sobre a ação apenas do campo


gravitacional:

• Sabemos disto intuitivamente: quanto maior a profundida-de


maior a pressão.
• Interpretação física: A diferença de pressão sustenta a coluna de
fluido acima.
• Exemplo:
• Quanto mais profundo o lago mais largo precisa ser o dique.

Hewitt: Conceptual physics


PRESSÃO

• Num fluido em equilíbrio sobre a ação apenas do campo


gravitacional:

• A equação acima vale para qualquer fluido!


• Água em copo.
PRESSÃO

• Num fluido em equilíbrio sobre a ação apenas do campo


gravitacional:

• A equação acima vale para qualquer fluido!


• Água em copo.
• Mercúrio em um termômetro.
PRESSÃO

• Num fluido em equilíbrio sobre a ação apenas do campo


gravitacional:

• A equação acima vale para qualquer fluido!


• Água em copo.
• Mercúrio em um termômetro.
• Atmosfera terrestre.
PRESSÃO

• Num fluido em equilíbrio sobre a ação apenas do campo


gravitacional:

• A equação acima vale para qualquer fluido!


• Água em copo.
• Mercúrio em um termômetro.
• Atmosfera terrestre.
• Façamos uma hipótese adicional:
• Fluido incompressível: densidade uniforme.
PRESSÃO

• Num fluido em equilíbrio sobre a ação apenas do campo


gravitacional:

• A equação acima vale para qualquer fluido!


• Água em copo.
• Mercúrio em um termômetro.
• Atmosfera terrestre.
• Façamos uma hipótese adicional:
• Fluido incompressível: densidade uniforme.
• Integrando a equação anterior:
PRESSÃO

• (Lei de Stevin)

• Na qual é a pressão exercida na superfície livre do


líquido.
PRESSÃO

• (Lei de Stevin)

• Na qual é a pressão exercida na superfície livre do


líquido.
• A equação acima não é válida para ar na atmosfera.
• Densidade do ar varia muito com a altura (Aproximação de
incompressibilidade ruim em geral para gases).
PRESSÃO

• (Lei de Stevin)

• Na qual é a pressão exercida na superfície livre do


líquido.
• A equação acima não é válida para ar na atmosfera.
• Densidade do ar varia muito com a altura (Aproximação de
incompressibilidade ruim em geral para gases).
• Para muitos casos, é a pressão atmosférica no nível do mar.
PRESSÃO

• (Lei de Stevin)

• Na qual é a pressão exercida na superfície livre do


líquido.
• A equação acima não é válida para ar na atmosfera.
• Densidade do ar varia muito com a altura (Aproximação de
incompressibilidade ruim em geral para gases).
• Para muitos casos, é a pressão atmosférica no nível do mar.

• Esta é a pressão que “carregamos” nas costas a todo instante.


PRESSÃO

• (Lei de Stevin)

• Na qual é a pressão exercida na superfície livre do


líquido.
• A equação acima não é válida para ar na atmosfera.
• Densidade do ar varia muito com a altura (Aproximação de
incompressibilidade ruim em geral para gases).
• Para muitos casos, é a pressão atmosférica no nível do mar.

• Esta é a pressão que “carregamos” nas costas a todo instante.


• Estamos no fundo de um oceano de ar.
PRESSÃO

• Experimento: Dois hemisférios são justapostos e o ar é


retirado de dentro através de uma válvula.

Válvula
PRESSÃO

• Experimento: Dois hemisférios são justapostos e o ar é


retirado de dentro através de uma válvula.

• Após retirado o ar, 15 cavalos puxando de cada lado não foram


capazes de separar os hemisférios!
BARÔMETRO

• Em um barômetro de mercúrio, a pressão atmos-férica é


medida em termos da altura atingida pela coluna de
mercúrio.
BARÔMETRO

• Em um barômetro de mercúrio, a pressão atmos-férica é


medida em termos da altura atingida pela coluna de
mercúrio.
BARÔMETRO

• Em um barômetro de mercúrio, a pressão atmos-férica é


medida em termos da altura atingida pela coluna de
mercúrio.

Para o mercúrio, h=76 cm.


BARÔMETRO

• Altura da coluna de água ~10 m.


BARÔMETRO

• Como funciona o canudo?


BARÔMETRO

• Como funciona o canudo?


• Ao puxarmos o ar diminuímos a pressão no interior do canudo. A
diferença de pressão empurra o líquido para cima.
BARÔMETRO

• Como funciona o canudo?


• Ao puxarmos o ar diminuímos a pressão no interior do canudo. A
diferença de pressão empurra o líquido para cima.

Funcionaria no
espaço?
PRESSÃO

• Sutilezas:
• Vimos que com .
PRESSÃO

• Sutilezas:
• Vimos que com .
• Da mesma forma, para a força numa superfície lateral:
PRESSÃO

• Sutilezas:
• Vimos que com .
• Da mesma forma, para a força numa superfície lateral:

• Como obter ?
PRESSÃO

• Sutilezas:
• Vimos que com .
• Da mesma forma, para a força numa superfície lateral:

• Como obter ?
• Pela equação de Stevin também!

A pressão atmosférica em
nosso ouvido é a mesma em
qualquer direção que o
orientemos!
PRESSÃO

• Exercício: Calcule a força total que um reservatório de


altura h exerce na parede lateral.
PRESSÃO

• A pressão atmosférica em nosso ouvido é a mesma em


qualquer direção que o orientemos!
• Isto precisa ser demonstrado!
PRESSÃO

• A pressão atmosférica em nosso ouvido é a mesma em


qualquer direção que o orientemos!
• Isto precisa ser demonstrado!
• Demonstração: Considere um elemento muito pequeno
de fluido em 2D de lados a, b e c.
PRESSÃO

• A pressão atmosférica em nosso ouvido é a mesma em


qualquer direção que o orientemos!
• Isto precisa ser demonstrado!
• Demonstração: Considere um elemento muito pequeno
de fluido em 2D de lados a, b e c.
• As forças são normais a cada supefície:
PRESSÃO

• A pressão atmosférica em nosso ouvido é a mesma em


qualquer direção que o orientemos!
• Isto precisa ser demonstrado!
• Demonstração: Considere um elemento muito pequeno
de fluido em 2D de lados a, b e c.
• As forças são normais a cada supefície:
• A força resultante deve ser nula:
PRESSÃO

• A pressão atmosférica em nosso ouvido é a mesma em


qualquer direção que o orientemos!
• Isto precisa ser demonstrado!
• Demonstração: Considere um elemento muito pequeno
de fluido em 2D de lados a, b e c.
• As forças são normais a cada supefície:
• A força resultante deve ser nula:

• Sabemos que:
PRESSÃO

• Sabemos que:

Por outro lado:


PRESSÃO

(1)
• Sabemos que:

(2)
(3)
Por outro lado:
(4)
Substituindo equações (2)-(4) na equação (1):
PRESSÃO

(1)
• Sabemos que:

(2)
(3)
Por outro lado:
(4)
Substituindo equações (2)-(4) na equação (1):
EM RESUMO

• Nesta aula vimos que:


1. Um fluido não suporta tensão de cisalhamento.
2. Pressão é dada por

3. Podemos analisar completamente um fluido estático usando (1.) e


impondo 2ª lei de Newton para cada elemento do fluido.
4. Fazendo isto para um fluido em um campo gravitacional:
a. Pressões à mesma altura são iguais.
b. Variação da pressão com a altura compensa o peso do elemento.
5. Para um fluido incompressível, 4b fica: