Você está na página 1de 12

Dez minutos após uma mulher de 85 anos entrar em colapso, a equipe c) Preparar material de intubação orotraqueal para prevenir a

do SAMU (serviço de atendimento móvel de urgência) chegam e vasodilatação cerebral.


iniciam a RCP pela primeira vez. O monitor mostra Fibrilação
Ventricular (amplitude baixa). Quais ações devem ser executadas em d) Preparar acesso venoso e infusão venosa com ringer lactato 2000
seguida conforme as diretrizes da American Heart Association (AHA)? mL para corrigir a hipotensão.

a) Realizar pelo menos 5 minutos de RCP vigorosa antes de tentar a e) Transportar o paciente para tomografia.
desfibrilação. Você é enfermeiro (a) do Pronto Socorro de um Hospital
b) Inserir um tubo orotraqueal e depois tentar a desfibrilação. Universitário. Admitiu em sua unidade de emergência o paciente ALS,
28 anos, 80 Kg, trazido pelo SAMU com história de crise asmática.
c) Administrar até 3 socos precordiais ao observar a resposta do Segundo os socorristas paciente é tabagista e etilista de longa data,
paciente no monitor. não segue tratamento, foi encontrado com Glasgow 8, esforço
respiratório, FR 30 ipm, ausculta pulmonar com sibilos difusos,
d) Iniciar ciclos de RCP ao preparar o desfibrilador para uso assim que murmúrios vesiculares diminuído em campos pulmonares. Ao exame
possível. físico paciente apresenta-se entubado, ramsay 6, PA 140/80 mmHg,
e) Administrar 300 mg de amiodarona em seguida realizar entubação FC 120 bpm, FR 24 ipm, assincronia ventilatória e saturação 86%. Qual
orotraqueal. a conduta para estabilizar o paciente pós-transporte?

a) Checar posicionamento do tubo orotraquel, iniciar suporte


ventilatório + broncodilatador, realizar monitorização da mecânica
Na avaliação secundária de uma paciente vítima de colisão ventilatória e da hiperinsuflação pulmonar. Avaliar pressão de platô,
auto/anteparo. A vítima refere fortes dores em região cervical. pressão de pico, auto – PEEP, volume minuto, resistência de vias
Assinale as alternativas corretas quanto à avaliação do paciente com aéreas e complacência pulmonar.
suspeita de trauma raquimedular.
b) Checar posicionamento do tubo orotraquel, iniciar suporte
I - Todo paciente que sofre traumatismo acima da linha da clavícula ventilatório com volume corrente 9l/kg e brocondilatador, aumentar
ou está inconsciente por ter sofrido TCE não é considerado como frequência respiratória e relação I:E 1:2, avaliar pressão de platô,
tendo associado trauma de coluna cervical. pressão de pico, auto – PEEP e volume pulmonar ao final da
inspiração.
II - Qualquer fator que altere a percepção de dor do paciente irá
dificultar a avaliação da lesão feita pelo socorrista. c) O paciente deve iniciar com broncodilatador e volume minuto
elevado.
III - A equipe que presta o atendimento não precisa ter conhecimento
do mecanismo de trauma, somente da avaliação primária do d) Deve-se oferecer suporte ventilatório com PEEP elevado e
paciente. broncodilatador.

IV - Deve-se suspeitar de trauma raquimedular quando há presença e) Realizar mudança na modalidade ventilatória e realizar elevação da
de paralisia imediatamente após o trauma ou frequência respiratória.

houve uma deterioração gradual da sensibilidade ou da atividade


motora. - Em relação ao suporte ventilatório invasivo. Qual o melhor conceito
para modo ventilatório?
V - O uso do álcool altera a avaliação da lesão raquimedular.
a) Característica relacionada ao modo de finalizar a inspiração e
a) todas as alternativas estão corretas. iniciar a expiração.
b) Somente I e II estão corretas. b) Característica relacionada ao disparo do ventilador, podendo ser a
c) Somente I, II, III, IV estão corretas. fluxo, pressão, tempo ou neural.

d) Somente I, II, III estão corretas. c) Característica relacionada aos parâmetros do ventilador, podendo
ser volume corrente, frequência respiratória e fração inspirada de
e) Somente II, IV e V oxigênio.

O condutor de uma moto colide com anteparo sofrendo um TCE d) Característica relacionada ao modo de finalizar a expiração e iniciar
grave. Você está na Unidade de Urgência, ao receber a vítima você a inspiração, podendo ser a fluxo e volume.
identifica na avaliação secundária, creptação em região temporal,
pressão arterial de 110 x 70 mmHg, pulso de 110 bpm, frequência e) Característica relacionada a ciclagem ventilatória, podendo ser
respiratória de 10 irpm. Quando se aplica a escala de Coma de volume corrente, frequência respiratória e fração inspirada de
Glasgow tem como resultado retirada a dor, não tem abertura ocular oxigênio.
aos estímulos dolorosos e apresenta sons incompreensíveis. Você QUESTÃO 30 - F.M.S. 42 anos, masculino, diabético, hipertenso,
instala a máscara de oxigênio com 5 L/min. Dentre as condutas a obeso e sem tratamento, resolve jogar futebol com os amigos
seguir, a prioritária é: durante uma comemoração na associação da empresa. Você está
a) Preparar medicamentos para diminuir a dor e consequentemente presente. Logo percebe que o Sr° F.M.S deita-se no campo e pede
melhorar o consumo de oxigênio. ajuda. Os demais colegas molham seu rosto e seu peito com agua
gelada. Ao aproximar-se, percebe-se que ele está pálido, sudoreico e
b) Trocar a máscara de oxigênio pela máscara de alto fluxo para apresentando gasping. Com relação ao atendimento a PCR,
prevenção de vasoconstricção cerebral. identifique a alternativa incorreta.

a) Devemos inicialmente checar a responsividade e chamar ajuda.


b) Não devemos gastar mais que 10 segundos observando expansão esquerda, percussão maciça no local, ausculta cardíaca hiperfonética.
torácica. A avaliação descrita acima é caracterizada como?

c) Na ausência de pulso carotídeo, iniciar imediatamente a) Pneumotórax.


compressões torácicas.
b) Hemotórax.
d) O tórax molhado contribui no momento da desfibrilação e dispensa
o uso de gel condutor. c) Tamponamento cardíaco.

e) Após a identificação da ausência de pulso, iniciar a relação de d) Derrame pleural.


compressão/ ventilação (30:2). e) Pneumotórax hipertensivo.

Trata-se de uma das principais causas de entrada nas salas de


Atendimento à pacientes vítimas de parada cardiorrespiratória (PCR), emergência ou de morte ou mesmo de sequelas irreversível em
requer técnicas apropriadas descritas em protocolo do AHA. Com pacientes hipertensos e ou diabéticos que não seguem um programa
base nesses conceitos, identifique a alternativa correta: de tratamento ou desconhecem a doença. É um tipo de síndrome
a) A causa mais comum de obstrução de via aérea superior em neurológica caracterizada pela instalação de déficits neurológicos –
pacientes inconscientes é a perda do tônus nos músculos da garganta graduais ou abruptos provocados por alterações hemorragia ou
ocorrendo queda da base da língua sobre a hipofaringe. Nestes, interrupção do fluxo de sangue. Marque a opção que apresenta a
empregar imediatamente técnicas de Via Aérea Avançada. síndrome descrita.

b) Acessórios básicos como a cânula de guedel, restringem-se ao uso a) Epilepsia.


das vítimas de trauma. b) Acidente Vascular Encefálico – AVE.
c) Relação ventilação – compressão durante PCR para o adulto sem c) Traumatismo Crânio Encefálico – TCE.
via aérea é variável (15:2 e em seguida 30:2).
d) Trauma medular.
d) Ventilação durante PCR no adulto com via aérea avançada é uma
ventilação a cada 6 segundos, totalizando 10 ventilações por minuto. e) Infarto do miocárdio

e) A compressão cardíaca deverá ultrapassar 6 cm de profundidade Ritmos de parada cardíaca "não chocável" incluem:
durante a ressuscitação cardiopulmonar.
a) Assistolia e Atividade Elétrica sem Pulso
QUESTÃO 32 - A equipe da Unidade de Suporte Avançado (USA) é
acionada para atender uma mulher de 65 anos em um Centro b) Taquicardia Ventricular sem pulso e Assistolia
Comercial, segundo familiar, “ela sofreu um desmaio”. Na avaliação c) Fibrilação Ventricular e Taquicardia Ventricular sem Pulso
inicial, as suas queixas são de cefaleia intensa, dormência em
membro superior e inferior esquerdo, com dificuldade de elevação. d) Atividade Elétrica sem Pulso e Fibrilação Ventricular
Ao ser questionado sobre os medicamentos de uso regular, paciente
afirma fazer uso de antihipertensivo. É correto afirmar que: e) Taquicardia Ventricular e Fibrilação Ventricular

a) Essa paciente apresenta um quadro de demência, provavelmente Paciente de 22 anos, previamente hígido, deu entrada no PS com
pela idade avançada, o que justifica que movimenta um lado do corpo quadro de taquicardia e palpitação após o consumo de heroína. Ao
e o outro não. exame físico, apresenta hipotensão (100/45 mm/Hg), dispneia com
queda de saturação (87%) e diminuição da perfusão periférica. O ECG
b) Devido ao quadro provável de demência, é importante que o demonstra o seguinte ritmo cardíaco:
enfermeiro da USA solicite ao Médico

Regulador da Central de Regulação, que faça contato com o médico


assistente da paciente para que o

mesmo determine onde será atendida.

c) Conforme a escala de Cincinnati, a debilidade do membro superior


esquerdo traduz uma probabilidade de Acidente Vascular Encefálico
(AVE).
Considerando as informações descritas, assinale o ritmo e a conduta
d) Pela Escala Pré-Hospitalar para AVE de Cincinnati, a alteração adequada.
somente da movimentação dos braços, sempresença de queda facial
a) Fibrilação Atrial – Cardioversão química com Amiodarona
e fala anormal, afasta a possibilidade de AVE.
b) Taquicardia Ventricular sustentada – Desfibrilação
e) não é necessário rapidez no encaminhamento dessa paciente a um
centro de referência para receber terapia específica, uma vez que c) Fluter Atrial – Cardioversão elétrica sincronizada
essa só é indicada quando o início dos sintomas for superior a 3 (três)
horas. d) Taquicardia Supraventricular - Cardioversão elétrica sincronizada

Você foi chamado para atender uma colisão auto anteparo, ao chegar e) Taquicardia Supraventricular – Cardioversão química com
no local a vítima de 35 anos se encontrava com PA 70/50, confusa, Adenosina
sonolenta, FR 30 irpm, FC 140 bpm, sangramento em cavidade oral,
deformidade e escoriação em tórax esquerdo, respiração superficial,
ausculta pulmonar com murmúrio vesicular diminuído em base
QUESTÃO 25. Diante de um paciente com parada cardíaca em II. Trauma abdominal fechado com FAST ou LPD positivos.
atividade elétrica sem pulso (AESP), devemos obrigatoriamente
pensar em determinadas condições que, ao serem corrigidas III. Ferimento penetrante de abdome com hipotensão.
permitem o retorno da circulação espontânea. As duas causas mais (A) I, II, III estão incorretas.
comuns e facilmente reversíveis de AESP são:
(B) Apenas I está incorreta.
(A) tamponamento cardíaco e hipóxia
(C) Apenas II está incorreta.
(B) hipoglicemia e pneumotórax
(D) I, II e III estão corretas.
(C) hipóxia e hipovolemia
(E) Apenas III está correta
(D) hipotermia e hipopotassemia

(E) acidose metabólica e intoxicações exógenas


É rotina o manuseio das vias aéreas no
A taquiarritmia mais comum que leva os pacientes a procurarem os
serviços de emergência é: atendimento do paciente politraumatizado.

(A) taquicardia sinusal Assinale a alternativa que NÃO é fator

(B) flutter atrial relevante para rastreamento da via aérea

(C) taquicardia ventricular difícil.

(D) fibrilação atrial (A) História de ronco.

(E) fibrilação ventricular (B) Idade inferior a 55 anos.

(C) Índice de Massa corpórea superior a 26 kg/m2

Paciente masculino, 49 anos, é admitido no pronto-socorro, vítima de (D) Ausência de dentes.


acidente automobilístico, colisão frontal. Na admissão, apresentava
abertura ocular ao chamado, localizava a estímulo doloroso e estava (E) Presença de barba.
desorientado e confuso. De acordo com exame físico, seu resultado QUESTÃO 37
da escala de coma de Glasgow é
Paciente masculino, 68 anos, é admitido no pronto-socorro, levado
(A) 10 pontos. por familiares que já o encontraram em parada cardiorrespiratória
(B) 8 pontos. (PCR). Após monitorização, o paciente encontrava-se em atividade
elétrica sem pulso. Durante o exame físico, o residente da clínica
(C) 11 pontos. médica verificou um cateter de hemodiálise na jugular direita. A
provável causa da PCR é
(D) 12 pontos.
(A) tamponamento cardíaco.
(E) 6 pontos.
(B) hipóxia.
O trauma é uma das principais causas de morte ou invalidez em
pacientes até a quarta década de vida. Assinale a alternativa correta (C) hipercalemia.
em relação ao trauma torácico.
(D) pneumotórax Hipertensivo.
(A) A sequência ABCDE de atendimento inicial ao politraumatizado
não deve ser usada em pacientes com trauma torácico. (E) uso de drogas.

(B) O pneumotórax hipertensivo necessita de descompressão


imediata, que deve acontecer apenas pela inserção de um dreno Os cristaloides são utilizados no choque hipovolêmico. Assinale a
tubular de tórax. alternativa correta, em relação à quantidade dos eletrólitos em
(C) São indicações para ventilação mecânica em tórax instável: sinais mEq/L no Ringer Lactato.
clínicos de fadiga, evidência clínica de choque, traumatismo craniano (A) Sódio: 154; Potássio: 4; Cálcio: 2; Lactato: 22; Cloro: 105.
grave, PaO2 < 60 mmHg com FiO2 > 0,5.
(B) Sódio: 154; Potássio: 3; Cálcio: 1,8; Lactato: 26; Cloro: 110.
(D) O tratamento da dor tem pouca importância do manejo do
paciente com trauma torácico. (C) Sódio: 130; Potássio: 4; Cálcio: 2,7; Lactato: 28; Cloro: 109.

(E) A contusão miocárdica ocorre em cerca de 60% dos traumas (D) Sódio: 130; Potássio: 3; Cálcio: 2,7; Lactato: 26; Cloro: 120.
torácicos leves.
(E) Sódio: 130; Potássio: 4; Cálcio: 2,7; Lactato: 20; Cloro: 109.
Referente às principais indicações de laparotomia nos pacientes com
trauma abdominal, analise as assertivas e assinale a alternativa
correta.
No Choque hipovolêmico Classe IV do American College Of Surgeons,
I. Trauma abdominal fechado com hipotensão e sinais claros de a perda volêmica estimada é
sangramento abdominal.
(A) até 20%.
(B) de 15 a 30%. C) Deve-se tentar manter o alinhamento anatômico do membro
traumatizado com o objetivo de facilitar a imobilização, melhorar a
(C) de 20 a 40%. circulação, reduzir a dor e evitar maiores danos aos tecidos moles.
(D) maior que 30%. D) Nos casos de amputações traumáticas não se deve retardar o
(E) maior que 40%. transporte do paciente na tentativa de localizar a parte amputada.

Em um atendimento pré-hospitalar, a vítima por trauma grave (com


comprometimento do ABC), que está sentada e em uma cena sem
Os Traumatismos Cranioencefálicos (TCE) são uma causa importante segurança, deve ser retirada com uma técnica que englobe
de mortalidade e morbilidade. O cérebro, quando sujeito a um estabilização, alinhamento da cabeça e colocação do colar cervical.
traumatismo poderá desenvolver um edema, provocando o aumento Sabendo que o tronco e os membros inferiores são controlados por
da Pressão Intracraniana (PIC). Assinale a alternativa dos valores outro profissional, assinale a opção que apresenta a técnica utilizada
normais da PIC em adultos: para retirar a vítima.

A) < 15 mmHg. A) Retirada rápida.

B 18 a 25 mmHg. B) Imobilização tipo ked.

C 20 a 30 mmHg. C) Movimento em bloco.

D- > 30 mmHg. D) Alinhamento esternal.

E) Bandagens elásticas.

O Traumatismo Raquimedular (TRM) é uma lesão traumática definida


como um conjunto de situações que comprometem a função da
medula espinhal em graus variados de extensão. Sobre o TRM, O trauma nos órgãos torácicos é ocasionado por mecanismos
assinale a alternativa INCORRETA. contusos ou penetrantes que provoca dificuldade na manutenção da
oxigenação, ventilação e oferta de oxigênio. Em relação às condutas
A) Lesão medular incompleta: há alguma função motora ou sensitiva iniciais do socorrista de acordo com os tipos de lesões torácicas,
abaixo do nível da lesão associe a segunda coluna de acordo com a primeira e, a seguir,
assinale a alternativa com a sequência correta.
B) Choque medular: é a perda de todas as funções neurológicas
abaixo do nível da lesão medular Lesões torácicas

C) Lesão medular completa: as funções motoras e sensitivas estão 1. Tórax instável


ausentes abaixo do nível da lesão.
2. Pneumotórax aberto
D) Fisioterapia precoce: ainda no período hospitalar, por meio de
diferentes técnicas cinesioterapêuticas, não é eficaz nessa fase da 3. Hemotórax
doença. 4. Fratura de costela

Condutas
No caso de ferimentos no abdome em que ocorra evisceração, deve- ( ) Alívio da dor, suporte ventilatório e monitoramento do quadro.
se
( ) Administração de oxigênio em alta concentração, suporte
A) recolocar os órgãos na cavidade. ventilatório, monitoramento hemodinâmico e reposição volêmica.
B) proteger os órgãos com compressa estéril embebida em soro ( ) Fechamento do orifício no tórax e fornecimento de ar
glicosado. complementar.
C) proteger os órgãos com compressa estéril embebida em soro ( ) Alívio da dor, imobilização adequada para redução do movimento
fisiológico. e reavaliações frequentes.
D) proteger os órgãos com compressa estéril embebida em A) 1 – 2 – 4 – 3
bicarbonato de sódio.
B) 1 – 3 – 2 – 4

C) 4 – 3 – 1 – 2
Em relação ao atendimento pré-hospitalar das vítimas de trauma
musculoesquelético, marque a alternativa INCORRETA: D) 4 – 3 – 2 – 1

A) As luxações são lesões em que os ligamentos são estirados ou E) 2 – 1 – 3 – 4


parcialmente lacerados e caracterizam-se por dor extrema, edema e
possível hematoma local. O socorrista ao iniciar o atendimento de uma vítima deve prever que
há lesão raquimedular e coluna instável nas seguintes situações:
B) As fraturas cominutivas representam uma fonte importante de
hemorragia interna. ( ) qualquer queda, principalmente em pessoas idosas.

( ) vítimas de acidente em água rasa.

( ) impacto violento na cabeça com alteração do nível de consciência.


A) V – V – V QUESTÃO 21 - Paciente com história de AVE interna no Pronto
Socorro às 22h00 do dia 22/09/2016. Assim, no manuseio deste
B) V – F – V paciente é fundamental que o emergencista conheça os mecanismos
C) F – V – V fisiopatológicos envolvidos na lesão cerebral, a fim de iniciar
precocemente manobras que evitem o agravamento da lesão
D) F – V – F cerebral primária. Pergunta-se: qual das seguintes afirmativas acerca
do fluxo sanguíneo cerebral (FSC) é falsa?
E) F – F – F
a) A hipotensão aumento fluxo sanguíneo cerebral e causa
hipertensão intracraniana.
Sobre o atendimento pré-hospitalar de enfermagem à sala de b) O padrão de fluxo sanguíneo hiperêmico é caracterizado por
emergência a vítimas de queimaduras, analise as proposições abaixo redução do fluxo de sangue no cérebro.
e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta a sequência
correta. c) A saturação de bulbo jugular 90% é caracterizado como padrão de
fluxo sanguíneo cerebral hiperêmico.
I. Não ultrapassar o tempo de dez minutos lavando a área queimada.
d) O padrão de fluxo oligoêmico é caracterizado por redução do fluxo
II. No atendimento pré-hospitalar, retirar joias, acessórios e de sangue no cérebro.
vestimentas, inclusive as que aderiram ao tecido cutâneo lesado.
e) A hiperventilação profilática no paciente neurológico não é
III. Nas queimaduras extensas, devem ser utilizados curativos úmidos indicada para o uso rotineiro.
e frios, com soro fisiológico para evitar a contaminação da lesão.
Senhor JLS de 40 anos, 70 kg, interna na Unidade Pré-hospitalar Fixa
IV. No caso de queimadura associada à hemorragia, usar curativo com história de IAM, entubado, ventilação mecânica (modo: A/C,
espesso, firme e compressivo no local da lesão. modalidade: VCV, parâmetros: volume corrente 490 ml, PEEP 05
A) Somente I e II estão corretas. cmH2O, relação I:E 1:2, FiO2 60%, FR 16 rpm, Glasgow 3, acesso
venoso periférico em jugular externa esquerda recebendo
B) Somente I e IV estão corretas. noradrenalina 30 ml/h, PA: 90/50, SVD sem débito urinário.

C) Somente II e III estão corretas Gasometria arterial: pH: 7,20; PaCO2: 36; HCO3: 15; PaO2: 90; SaO2:
96%
D) Somente II e IV estão corretas.
Qual o resultado da gasometria?
E) Somente III e IV estão corretas.
a) Acidose respiratória.

b) Acidose metabólica.
A inalação de gases superaquecidos pode causar obstrução alta de
vias aéreas. c) Alcalose metabólica.

d) Acidose respiratória e metabólica.

Dentre as alterações precoces apresentadas por um paciente com e) Alcalose respiratória


suspeita de lesão térmica de via aérea superior, aponte aquela que
deve ser considerada pelo enfermeiro no atendimento pré-
hospitalar. Você foi chamado para atender uma criança de 6 anos que foi ejetada
do veículo, ela se encontra inconsciente (resposta a estímulo
A) Escarro carbonáceo. doloroso ausente), pupilas anisocóricas à esquerda, respiração
ruidosa, FR 10 ipm, FC 140 bpm, pressão arterial 50/30 mmHg,
B) Estridor. enchimento capilar 8 segundos. Quais são as primeiras ações que
você deve realizar para dar suporte básico e avançado de vida a esta
C) Convulsões.
criança? Conforme as diretrizes do PHTLS ( Atendimento Pré-
D) Visão diminuída. Hospitalar ao Trauma).

a) Realizar controle da cena, fornecer O2 a 21% por meio de máscara


facial simples, imobilizar a coluna
A escala de coma de Glasgow (E C G ) foi publicada inicialmente em
1974 por Graham Teasdale e Bryan J . Jennett como método para cervical, puncionar acesso venoso.
avaliação direta do paciente com traumatismo cranioencefálico (T C
b) Realizar controle da cena, fornecer O2 a 100% por meio de máscara
E ) . A pontuação de 7 em um paciente vítima de acidente
facial simples, realizar exame físico completo, puncionar acesso
automobilístico, com perda de consciência determina:
venoso.
A) Traumatismo cranioencefáliico moderado.
c) Realizar controle de cena, fazer uso de EPI, elevar membros
B) Nao há traumatismo cranioencefálico. inferiores para melhorar o retorno venoso.

C) Traumatismo cranioencefálico intermediário. d) Realizar controle de cena, controle cervical, abertura de vias
aéreas, administrar O2 com pressão positiva, puncionar acesso
D) Traumatismo cranioencefálico grave. venoso.
E) Traumatismo cranioencefálico leve.
e) Realizar abertura de vias aéreas, puncionar acesso venoso pressão arterial de 110 x 70 mmHg, pulso de 110 bpm, frequência
periférico, administrar O2 por meio de máscara com reservatório. respiratória de 10 irpm. Quando se aplica

a escala de Coma de Glasgow tem como resultado retirada a dor, não


tem abertura ocular aos estímulos
Dez minutos após uma mulher de 85 anos entrar em colapso, a equipe
do SAMU (serviço de dolorosos e apresenta sons incompreensíveis. Você instala a máscara
de oxigênio com 5 L/min. Dentre as
atendimento móvel de urgência) chegam e iniciam a RCP pela
primeira vez. O monitor mostra Fibrilação condutas a seguir, a prioritária é:

Ventricular (amplitude baixa). Quais ações devem ser executadas em a) Preparar medicamentos para diminuir a dor e consequentemente
seguida conforme as diretrizes da melhorar o consumo de oxigênio.

American Heart Association (AHA)? b) Trocar a máscara de oxigênio pela máscara de alto fluxo para
prevenção de vasoconstricção cerebral.
a) Realizar pelo menos 5 minutos de RCP vigorosa antes de tentar a
desfibrilação. c) Preparar material de intubação orotraqueal para prevenir a
vasodilatação cerebral.
b) Inserir um tubo orotraqueal e depois tentar a desfibrilação.
d) Preparar acesso venoso e infusão venosa com ringer lactato 2000
c) Administrar até 3 socos precordiais ao observar a resposta do mL para corrigir a hipotensão.
paciente no monitor.
e) Transportar o paciente para tomografia.
d) Iniciar ciclos de RCP ao preparar o desfibrilador para uso assim que
possível.

e) Administrar 300 mg de amiodarona em seguida realizar entubação 1. A escala de coma de Glasgow permite a definição de algumas
orotraqueal. condutas de emergência, entre elas a

necessidade imediata ou não de intubação orotraqueal. Pacientes


Na avaliação secundária de uma paciente vítima de colisão com essa necessidade são aqueles
auto/anteparo. A vítima refere
pontuados como:
fortes dores em região cervical. Assinale as alternativas corretas
quanto à avaliação do paciente com (a) 12.

suspeita de trauma raquimedular. (b) 11.

I - Todo paciente que sofre traumatismo acima da linha da clavícula (c) 10.
ou está inconsciente por ter sofrido TCE não é
(d) 07.
considerado como tendo associado trauma de coluna cervical.
2. Qual a melhor conduta para o tratamento emergencial de um
II - Qualquer fator que altere a percepção de dor do paciente irá paciente com taquicardia ventricular
dificultar a avaliação da lesão feita pelo socorrista.
com instabilidade
III - A equipe que presta o atendimento não precisa ter conhecimento
hemodinâmica?
do mecanismo de trauma, somente da
(a) Lidocaína.
avaliação primária do paciente.
(b) Cardioversão elétrica.
IV - Deve-se suspeitar de trauma raquimedular quando há presença
de paralisia imediatamente após o trauma ou (c) Amiodarona.
houve uma deterioração gradual da sensibilidade ou da atividade (d) Verapamil.
motora.
3. Sobre a intubação orotraqueal de urgência, assinale a alternativa
V - O uso do álcool altera a avaliação da lesão raquimedular. incorreta:
a) todas as alternativas estão corretas. (a) Deve ser realizada em pacientes com rebaixamento do nível de
consciência, com escala de Glasgow menor
b) Somente I e II estão corretas.
que oito, para prevenir broncoaspiração.
c) Somente I, II, III, IV estão corretas.
(b) Pacientes que foram resgatados de incêndio, com inalação de
d) Somente I, II, III estão corretas.
fumaça, devem ser intubados precocemente.
e) Somente II, IV e V
(c) Pacientes vítimas de overdose opioide com hipercapnia devem ser
O condutor de uma moto colide com anteparo sofrendo um TCE intubados em caráter de urgência.
grave. Você está na Unidade
(d) É a primeira medida a ser realizada no atendimento a um paciente
de Urgência, ao receber a vítima você identifica na avaliação em parada cardiorrespiratória.
secundária, creptação em região temporal,
4. Crianças menores de 10Kg devem ser desfibriladas com pás de 10. São complicações observadas após acidentes ofídicos todos os
tamanho infantil. O primeiro choque abaixo, exceto:

deve ser realizado com: (a) Neurotoxicidade com diplopia e ptose.

(a) 1 J/kg. (b) Sangramento gengival e epistaxe.

(b) 4 J/kg. (c) Hipotensão.

(c) 2 J/kg. (d) Insuficiência hepática.

(d) 6 J/Kg. 11. Ao realizar um atendimento verifica-se que se trata de paciente


vítima de queimadura. Após exame
5. A droga de primeira escolha no controle da crise convulsiva durante
o atendimento pré-hospitalar é o: faz-se atendimento no local e libera-se o paciente sem necessidade
de encaminhá-lo até o hospital.
(a) Midazolam.
Assinale abaixo a alternativa correta para a condição clínica do
(b) Diazepam. paciente:
(c) Fenobarbital sódico. (a) Inalação de fumaça em ambiente fechado, com rouquidão, sem
(d) Haloperidol. lesões externas visíveis.

6. Assinale a alternativa correta para os sinais de alerta que sugerem (b) Queimadura de segundo grau por óleo de cozinha em antebraço
de imediato situação de risco de direito.

vida: (c) Queimadura de segundo grau, causado por água quente em região
perineal.
(a) Paciente inconsciente.
(d) Queimadura de terceiro grau por explosão de fogos de artifício
(b) Paciente com dificuldade ou parada respiratória. que atingiu somente a mão direita.

(c) Cianose. 12. Durante o atendimento de um paciente politraumatizado, a


complicação mais vista em decorrência
(d) As alternativas A e B estão corretas.
do uso de grandes quantidades de soro fisiológico é a:
7. Qual dos pacientes abaixo não apresenta um choque distributivo?
(a) Hipercalemia.
(a) Paciente de 25 anos que sofreu traumatismo raquimedular após
mergulho em piscina. (b) Hipercalcemia.

(b) Paciente de 40 anos que desenvolveu pneumotórax hipertensivo (c) Hipercloremia.


após trauma torácico em acidente
(d) Hipernatremia.
automobilístico.
13. Em relação ao TCE, é incorreto afirmar:
(c) Paciente de 50 anos que sofreu ataque por enxame de abelhas,
com mais de 500 picadas. (a) A presença de fratura craniana tem relação direta com lesão
cerebral grave.
(d) Paciente de 18 anos que desenvolveu choque e edema de glote
após ingestão de crustáceo. (b) Hemorragia subaracnóidea é lesão secundária no TCE.

8. Paciente apresentando quadro de agitação intensa com (c) O fluxo sanguíneo cerebral equivale a 10% do débito cardíaco.
necessidade de contenção química (d) Todas as alternativas acima estão incorretas.
medicamentosa. A droga de escolha que não vai interferir na 14. É indicação formal de imobilização de coluna, o trauma:
avaliação psiquiátrica é:
(a) Penetrante de cabeça sem déficit ou queixa neurológica.
(a) Diazepan.
(b) Penetrante de tronco com déficit neurológico.
(b) Clorpromazina.
(c) Fechado, sem alteração de nível de consciência, dor ou
(c) Haloperidol. hipersensibilidade da coluna.
(d) N.D.A. (d) Fechado, sem alteração de nível de consciência, sem déficit ou
9. A concentração de O2 oferecida por cateter nasal é de queixa neurológica.
aproximadamente: 15. Sobre o tratamento da cetoacidose diabética, é correto afirmar
(a) 25%. que:

(b) 50%. (a) A infusão endovenosa de insulina regular deve ser interrompida
quando a glicemia alcançar valores abaixo
(c) 90%.
de 250mg/dl.
(d) N.D.A
(b) A infusão de bicarbonato de sódio só deve ser indicada quando o (d) N.D.A.
pH estiver abaixo de 7,0.
21. Qual das seguintes afirmações sobre os efeitos da epinefrina,
(c) Deve ser feita reposição de potássio desde o início, independente durante a tentativa de ressuscitação, é
dos níveis séricos.
verdadeira?
(d) A reposição volêmica é essencial e deve ser sempre realizada com
soro fisiológico a 0,9%. (a) A epinefrina reduz a resistência vascular periférica e diminui a pós-
carga miocárdica, de modo que as
16. No impacto traseiro, a lesão mais provável de ser encontrada é a:
contrações ventriculares são mais eficazes.
(a) Fratura de quadril.
(b) A epinefrina melhora a pressão de perfusão da artéria coronária e
(b) Lesão de fígado. estimula as contrações espontâneas

(c) Lesão de coluna cervical. quando ha assistolia.

(d) Lesão de tórax. (c) A epinefrina é contra-indicada na fibrilação ventricular, pois


aumenta a irritabilidade miocárdica.
17. As duas causas mais freqüentes de atividade elétrica sem pulso
são: (d) A epinefrina reduz o consumo de oxigênio miocárdico.

(a) Trauma raquimedular e afogamento. 22. Durante o tratamento inicial do infarto agudo do miocárdio, deve-
se utilizar aspirina na dose de:
(b) Tamponamento cardíaco e pneumotórax hipertensivo.
(a) 300 a 500 mg mastigados.
(c) Intoxicação exógena e infarto agudo do miocárdio.
(b) 160 a 325 mg mastigados.
(d) Hipóxia e hipovolemia.
(c) 50 a 100 mg engolidos.
18. O uso do torniquete, atualmente:
(d) 160 a 325 mg engolidos.
(a) É absolutamente contra-indicado.
23. Qual das afirmações a seguir sobre a administração endotraqueal
(b) Só deve ser utilizado no ambiente hospitalar. de medicações é correta?
(c) Pode ser utilizado quando a compressão direta não for efetiva no (a) A administração endotraqueal de medicações é a via preferida de
controle do sangramento. administração de medicações durante as
(d) Pode ser utilizado em associação à elevação da extremidade tentativas de ressuscitação, pois resulta em níveis previsíveis da
sangrante. medicação e de seus efeitos.
19. O método START (simple triage and rapid treatment) avalia, além (b) As doses endotraqueais das medicações de ressuscitação em
da deambulação: crianças já foram bem estabelecidas e são
(a) Cianose, confusão mental e freqüência cardíaca. apoiadas por evidências de ensaios clínicos.
(b) Respiração, pressão arterial sistólica e diastólica. (c) As doses de medicações intravenosas para as medicações de
(c) Respiração, consciência e pressão arterial sistólica. ressuscitação devem ser usadas, caso você

(d) Confusão mental, respiração e enchimento capilar. administre as medicações por via endovenosa (IV), intra-óssea (IO) ou
endotraqueal.
20. Avalie o quadro e indique a alternativa que mais se aplica a
situação: Qual paciente hipotenso deve (d) A administração de medicação endotraqueal é a via menos
desejável para a administração de medicações,
ter punção venosas por 2 (dois) acessos de grosso calibre para infusão
de reposição volêmica em caráter pois essa via resulta em níveis e efeitos farmacológicos imprevisíveis.

de urgência? 24. A descompressão torácica por agulha é realizada na:

(a) Paciente com 30 anos, apresentando palidez cutânea, pulso cheio (a) Linha hemiclavicular, no 2.º ou 3.º espaço intercostal.
60bpm, sofreu perda de consciência (b) Linha hemiclavicular, no 4.º ou 5.º espaço intercostal.
durante desfile militar com recuperação espontânea; (c) Linha hemiclavicular, no 5.º ou 6.º espaço intercostal.
(b) Paciente com 15 anos, que após ter aplicado inseticida no (d) Linha média, no 2.º ou 3.º espaço intercostal.
domicílio começou a apresentar prurido
25. O escore de trauma revisado estabelece a avaliação dos seguintes
generalizado, rush cutâneo, angioedema e respiração ruidosa. parâmetros:
(c) Paciente com 35 anos, vítima de queda de motocicleta, (a) Freqüência cardíaca, pressão arterial sistólica e escala de coma de
apresentando ansiedade, pele fria com sudorese, Glasgow.
taquicardia, pulso filiforme e vômito. (b) Freqüência ventilatória, pressão arterial sistólica e escala de coma
de Glasgow.
(c) Freqüência ventilatória, freqüência cardíaca e saturação arterial PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
de oxigênio.
1 D 2 B 3 D 4 C 5 B 6 D 7 B 8 C 9 A 10 D
(d) Freqüência ventilatória, freqüência cardíaca e pressão arterial
sistólica. 11 B 12 C 13 D 14 B 15 B 16 C 17 D 18 C 19 D 20 C

26. Paciente vítima de trauma apresenta-se com abertura ocular 21 B 22 B 23 D 24 A 25 B 26 A 27 C 28 B 29 A 30 C


ausente, assim como sem resposta

verbal. Do ponto de vista motor, o padrão visto é extensor. Segundo 1. Ao realizar o exame físico numa mulher de 28 anos, vítima de
a escala de coma de Glasgow, sua atropelamento por motocicleta, você
pontuação é de: constatou a presença de anisocoria. Este sinal clínico é caracterizado
(a) 4. por:

(b) 3. (a) Nistagmo.

(c) 7. (b) Globo ocular desigual.

(d) 6. (c) Diâmetro pupilar desigual.

27. É indicação para retirada rápida da vítima: (d) Aumento do campo visual.

(a) Suspeita de coluna instável. 2. Durante o transporte de uma vítima, que apresenta trauma
músculo-esquelético e na qual foi
(b) Vítima estável.
realizada imobilização da extremidade afetada, o socorrista observa
(c) Necessidade de obter acesso a outra vítima instável. que o tempo de enchimento capilar

(d) Cena segura para a equipe. está aumentando. Este é um sinal indicativo de:

28. As drogas geralmente utilizadas na seqüência rápida de (a) Melhora da perfusão celular.
entubação são:
(b) Aumento da perfusão celular.
(a) Fentanil, haloperidol e diazepam.
(c) Diminuição da perfusão celular.
(b) Fentanil, etomidato e succinilcolina.
(d) Circulação da extremidade normal.
(c) Diazepam, etomidato e quetamina.
3. O choque hipovolêmico é um estado resultante do desequilíbrio
(d) Fentanil, haloperidol e quetamina. entre a oferta e o consumo de oxigênio

29. Você deseja fazer uma sedação considerada mínima durante um causado por hemorragia. Dentre os sinais iniciais do choque estão:
transporte inter-hospitalar. Isto
(a) Diminuição da freqüência cardíaca e aumento da diurese.
significa que o paciente:
(b) Cianose, hipertermia e freqüência cardíaca diminuída.
(a) Responde aos comandos verbais, está em ventilação espontânea,
com função cardiovascular normal. (c) Palidez cutânea e taquidicardia.

(b) Responde a comando verbal, embora necessite de suporte (d) Parada respiratória e hipertensão.
ventilatório para manutenção das vias aéreas 4. Assinale a alternativa incorreta:
pérvias. (a) O uso do torniquete é o último recurso a ser empregado no
(c) Responde a estimulação dolorosa repetida e a função controle da hemorragia. Primeiramente deve ser realizada a pressão
cardiovascular está mantida. direta e a elevação do membro afetado.

(d) Responde a estímulo táctil, embora necessite de suporte (b) Uma hora após administração de Ringer lactato apenas cerca de
circulatório. 1/3(um terço) continua no espaço intravascular. Assim, uma regra
prática é que a maioria dos pacientes com choque hemorrágico, para
30. Considerando a cinemática do trauma, aquela que, em geral, receber uma reposição volêmica adequada, precisa receber 300 ml
cursa com as maiores taxas de de ringer lactato para cada 100 ml de soro perdido.

mortalidade é: (c) No hemotórax a hipotensão pode ser explicada pelo acúmulo de


até 3.000 ml de sangue em cada lado do tórax.
(a) O impacto frontal.
(d) Após aplicar pressão direta sobre o sangramento, a próxima etapa
(b) O impacto traseiro. a ser seguida na tentativa de conter a hemorragia de uma
(c) A ejeção do veículo. extremidade é realizar o torniquete.

(d) O impacto lateral direito. 5. Qual dos sinais, abaixo relacionados, caracteriza o choque
hipovolêmico descompensado?

(a) Taquicardia.
(b) Taquipnéia. 11. Durante uma parada cardio-respiratória de um lactente de 6
meses, o pulso que deve ser aferido
(c) Nível de consciência inalterado.
durante o procedimento é:
(d) Hipotensão arterial.
(a) carotídeo.
6. Subitamente, a sua frente, um indivíduo coloca a sua mão na
garganta, não consegue mais falar, mantém a boca aberta, faz (b) femoral.
esforços para respirar, não ocorre a entrada e a saída de ar, e não
consegue mais tossir. Qual é a conduta indicada nessa situação? (c) radial.

(a) Realizar duas ventilações de resgate. (d) braquial.

(b) Realizar a manobra de Heimlich. 12. Paciente com suspeita de hemorragia interna não tem sinais de
fratura. O tratamento adequado no
(c) Iniciar reanimação cardiorrespiratória.
atendimento pré-hospitalar, além de deitar a vítima, é;
(d) Ofertar oxigênio com máscara facial.
(a) Elevar MMII, iniciar ABC e providenciar rapidamente o transporte.
7. Bandagem é a manobra de aplicação de uma atadura, dando voltas
com a mesma até cobrir uma parte do corpo. Em relação aos seus (b) Elevar MMII, analisar ritmo cardíaco e pressão arterial e
objetivos, assinale a alternativa correta: providenciar rapidamente o transporte.

(a) Contenção: exercer pressão sobre determinada área do corpo, (c) Mantê-la em decúbito dorsal horizontal, puncionar veia,
estancar hemorragias. administrar volume e providenciar rapidamente o

(b) Correção: fixar curativos, conter talas e imobilizar. transporte.

(c) Correção: para evitar o contato das partes em tratamento e fixar (d) Mantê-la em decúbito dorsal horizontal, analisar ritmo cardíaco e
curativos. providenciar rapidamente o transporte.

(d) Proteção: para evitar o contato das partes em tratamento com o 13. A fratura é caracterizada pela ruptura total ou parcial do osso,
meio exterior, proteger curativos, proporcionar calor. podendo ser fechada ou exposta. A

8. Aparelho que possui um sistema computadorizado de análise do fratura fechada é aquela:


ritmo cardíaco, de fácil manuseio, muito utilizado no ambiente pré- (a) Em que há o rompimento da pele e, nesse caso, ocorre
hospitalar. simultaneamente um quadro de hemorragia.
Assinale a alternativa correta: (b) Em que a alteração do ritmo respiratório altera os sinais e
(a) Desfibrilador Externo Automático. sintomas.

(b) Monitor Cardíaco. (c) Em que há a perda dos reflexos.

(c) Oxímetro de pulso. (d) Em que não há o rompimento da pele, ficando o osso no interior
do corpo.
(d) Cardioversor.
14. Em relação ao uso do colar cervical rígido, é correto afirmar que:
9. No atendimento a uma vítima de crise convulsiva, os familiares
referem que a mesma é diabética em uso regular de insulina e que (a) É utilizado para auxiliar a imobilização da coluna.
nunca havia apresentado uma crise convulsiva. Dizem ainda que (b) Imobiliza totalmente o movimento da cabeça.
minutos antes da crise a vítima referiu tontura, fraqueza, dor de
cabeça e logo em seguida iniciou com sudorese, tremores, teve queda (c) Deve ser aplicado depois de alinhar a cabeça da vítima em posição
ao solo e começou a debater-se. Com base nestas informações, neutra.
assinale a alternativa que corresponde à provável causa da crise
convulsiva: (d) Convém estar atento ao aplicar tamanho pequeno, pois permite
hiperextensão da cabeça.
(a) Hipoglicemia.
15. Na suspeita de fraturas expostas, a conduta de emergência
(b) Hiperglicemia. prioritária é:

(c) Cetoacidose diabética. (a) Recolocar a articulação em seu local correto e imobilizar com tala.

(d) Não uso da insulina regular. (b) Manter a parte afetada elevada e em repouso, aplicar bolsa de
gelo e imobilizar.
10. Sabe-se que o paciente está desidratado quando apresenta os
seguintes sintomas: (c) Proteger o ferimento com gaze e imobilizar o membro mantendo-
o na posição em que se encontrava.
(a) Febre, poliúria, sede e ressecamento de mucosas.
(d) Apoiar o membro fraturado na tala e fixar com bandagem
(b) Sede, febre, elasticidade diminuída e bradicardia. compressiva.
(c) Sede, taquicardia, ressecamento das mucosas e oligúria. 16. Os sinais e sintomas característicos do estado hiperglicêmico que
(d) Hematúria, edema generalizado, sudorese e taquicardia. levantam suspeita de diabetes são:
(a) Anúria, sonolência, taquicardia e perda de peso. 3. Faz respiração artificial;

(b) Taquicardia, anúria, piúria e dislipidemia. 4. Libera e abre as vias respiratórias;

(c) Nictúria, perda de peso, poliúria e sonolência. 5. Faz massagem cardíaca.

(d) Poliúria, polidipsia, polifagia e aumento de peso. Assinale a alternativa cujos números indicam, na ordem crescente de
importância, as atitudes que devem ser
17. Em caso de efetuar um procedimento de primeiro socorro em
vítima de acidente por cobras peçonhentas não deve ser efetuado: tomadas:

(a) Hidratação. (a) 1, 2, 3, 4, 5.

(b) Elevação do membro afetado. (b) 2, 4, 3, 5, 1.

(c) Aplicação de soro antiofídico. (c) 1, 2, 4, 3, 5.

(d) Torniquete. (d) 1, 2, 3, 5, 4.

18. Ao avaliar o nível de consciência de um paciente com diagnóstico 22. No adulto, as compressões torácicas durante o atendimento da
de Acidente Vascular Hemorrágico, o Técnico de Enfermagem reanimação cardiopulmonar devem ser realizadas sob superfície
considera respectivamente: rígida e com depressão da parede torácica de ordem, de,
aproximadamente:
(a) Pressão arterial, resposta motora e perfusão periférica.
(a) 7 a 8 cm.
(b) Abertura ocular, coloração da pele e edema de membros
inferiores. (b) 2 a 3 cm.

(c) Coloração da pele, resposta verbal e resposta motora. (c) 4 a 5 cm.

(d) Resposta motora, resposta verbal e abertura ocular. (d) 10 a 15 cm.

19. Segundo o que está preconizado pelo Ministério da Saúde para o 23. Uma das técnicas para retirada de vítimas em acidentes de
Atendimento Pré-Hospitalar, os trânsito é o uso do colete imobilizador dorsal (ked). Sobre esse
assunto, assinale a alternativa correta.
socorros de urgência e emergência exigem do indivíduo que atende a
vítima ter treinamento, calma, bom senso e criatividade. Isto (a) Está contra-indicado de forma absoluta em crianças e mulheres
proporcionará atingir os objetivos básicos dos primeiros socorros, ou grávidas.
seja:
(b) Deve- se colocar o colete após a movimentação da vítima.
(a) Manter a respiração, a circulação, conter a hemorragia intensa e
diminuir a intensidade do estado de choque. (c) O socorrista manterá o alinhamento da vítima com uma das mãos,
e com a outra, colocará o colete.
(b) Diminuir a intensidade do estado de choque, salvar vidas e
prevenir seqüelas, transportando rapidamente ao hospital. (d) A rigidez vertical e a flexibilidade horizontal tornam o ked o
método mais indicado para extração de vítimas.
(c) Salvar vidas, prevenir seqüelas, conservar a vitalidade e resistência
às infecções e transportar ao hospital. 24. A picada de animais peçonhentos tem ações no homem que
podem ser definidas das seguintes maneiras:
(d) Prevenir seqüelas, conservar a vitalidade e resistência às infecções
e transportar para o hospital. (a) Ação proteolítica: provoca necrose tecidual.

20. Vítima de acidente automobilístico se encontra na cena (b) Ação neurotóxica: age destruindo as hemácias.
deambulando, confusa, irritada, com sinais de sangramento pelo (c) Ação hemolítica: a peçonha provoca ptose palpebral.
nariz e hematoma na face. Para esse caso, a conduta correta é:
(d) Ação coagulante: ocorre a destruição dos neurônios.
(a) Acompanhar a vítima, pedindo que deambule até a ambulância.
25. Em um paciente que apresente riscos para um Infarto Agudo do
(b) Pedir para que se deite na prancha e iniciar atendimento. Miocárdio (IAM), poderão ser reconhecidos os seguintes sinais e
(c) Aplicar gelo no local do sangramento, comprimir e liberá-la. sintomas:

(d) Imobilizar a coluna cervical com a vítima em pé e iniciar o (a) Vômitos, ansiedade, torpor, hipotensão.
atendimento. (b) Vômitos, dor precordial, ansiedade, sudorese.
21. Um indivíduo foi acidentado ou acometido de mal súbito. Você vê (c) Hipotensão, anorexia, torpor, sede.
e tenta prestar-lhe algum socorro. Supondo-se ausência de pulso,
ausência de movimentos respiratórios e cianose. Imediatamente, (d) Hipertensão, vômitos, sudorese, torpor.
segundo o preconizado pelo suporte básico de vida, você toma as
seguintes atitudes: 26. As hemorragias externas dividem-se em arterial, venosa e capilar.
A hemorragia arterial é aquela em que o sangue:
1. Chama ajuda e pede ambulância;
(a) Extravasa em vasos de pequenos calibres.
2. Coloca a pessoa em decúbito dorsal;
(b) É vermelho escuro, pobre em oxigênio.
(c) É vermelho claro e apresenta pequenas perdas em vasos de em situação de colisão com impacto traseiro, percebeu-se que o
pequeno calibre. condutor era o único ocupante do veículo, usava cinto de segurança,
o encosto de cabeça não estava ajustado e o air bag não
(d) É vermelho vivo, rico em oxigênio acionou.Nesta situação o condutor, poderá ter se lesionado (a) MAIS
27. O quadro clínico de um choque é sempre grave, mas apresenta provavelmente:
variações nos sinais e sintomas, conforme a causa do choque. De a) O crânio b) O tórax. c) A coluna cervical. d) A região pélvica.
maneira geral, não se encontra:
A perda continua óssea produzida de forma brusca e violenta como
(a) Hipotensão arterial. resultado de um trauma, denomina-se:

(b) Taquicardia. a) Concussão b) Entorse c) Luxação d) Fratura

(c) Taquipnéia.

(d) Fluxo urinário aumentado.

28. Vítima de acidente de moto encontra-se imobilizada na prancha


para o transporte. Perde a consciência. No momento da colocação da
cânula orofaríngea, a vítima a começa a apresentar episódios de
vômitos em jato. A conduta adequada é:

(a) Iniciar aspiração das VAS.

(b) Passar uma sonda nasogástrica.

(c) Retirar a imobilização e lateralizar a vítima em bloco.

(d) Girar a prancha em 90º e aspirar VAS.

29. O traumatismo craniano com perda de substância encefálica


requer, da assistência imediata de enfermagem, a:

(a) Acomodação da maior parte possível do tecido perdido de volta


ao receptáculo natural e a compressão do local de saída com
ataduras.

(b) Administração de fluídos para impedir a diminuição da oxigenação


tecidual no local da lesão.

(c) Manutenção da substância perdida em recipiente limpo, imersa


em gelo ou água salinizada hipertônica.

(d) Oclusão simples do local de saída de substância com material


estéril, com imobilização da cabeça, para prevenir aumento do dano.

30. Segundo a Portaria n.º 2.048/02, é considerado atendimento


hospitalar móvel, o atendimento:

(a) Que presta assistência correspondente ao primeiro nível de casos


com média complexidade.

(b) Que procura chegar precocemente à vítima após ter ocorrido um


agravo à saúde.

(c) Que procura o primeiro nível de assistência ambulatorial.

(d) Com unidades de programas de saúde da família.

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

1 C 2 C 3 C 4 D 5 D 6 B 7 D 8 A 9 A 10 C

11 D 12 A 13 D 14 C 15 D 16 C 17 D 18 D 19 A 20 D

21 C 22 C 23 D 24 A 25 B 26 D 27 D 28 D 29 C 30 B

Um veículo transitava em baixa velocidade em uma via e foi atingido


por outro veículo em alta velocidade na traseira, na chegada da cena,
foi determinado que se atendesse a vítima do veículo que foi atingido
na traseira. Durante avaliação da biomecânica do trauma envolvida