Você está na página 1de 39

Conhecendo o Linux

v1.0

GARÇA
2010
Conhecendo o Linux v1.0 ii

Conhecendo o Linux
v1.0

Copyright© 2010 Fernando Antonio Lara Seabra


Copyright© 2010 Canonical Ltd.

É dada permissão para copiar, distribuir e/ou modificar este documetno sob os termos da
Licença de Documentação Livre GNU, Versão 1.3 ou qualquer versão posterior publicada
pela Free Software Foundation; sem Seções Invariantes, sem Textos de Capa da Frente
sem Textos da Quarta-Capa. Uma cópia da licença está inclusa na seção intitulada “GNU
Free Documentation License”
Conhecendo o Linux v1.0 iii

AVISOS LEGAIS

Todas as imagens, telas, nomes, marcas e quaisquer outras informações sob direitos
registrados utilizados neste material são para fins EDUCACIONAIS, não objetivando em
momento algum a promoção de alguma marca, descrédito e ao mesmo tempo, se algum detentor
dos direitos das marcas sentir-se prejudicado, abrimos o direito a resposta e eventual correção do
material.
O arquivo original, assim como suas alterações e responsabilidade encontram-se com o
autor, podendo eles ser enviados mediante pedidos das empresas detentoras dos direitos para
análise e comunicação de existência de textos que prejudiquem a Imagem e/ou direitos exercidos
sobre as marcas.
Reiterando, este material encontra-se em sua versão 1.0, e sendo de caráter
EDUCACIONAL, NÃO cede o direito de garantia, seja por falhas de escrita, má utilização do
material, e por qualquer outra que surgir no decorrer da utilização do material ou posteriormente.
Ubuntu, EDUbuntu, Canonical em texto e suas logomarcas são marcas registradas da
CANONICAL Ltd.
Utilize este material por sua conta e risco. No caso de dúvidas, não hesite em entrar em
contato.
Conhecendo o Linux v1.0 iv

PREFÁCIO

Projeto Educa Ubuntu BRASIL, um projeto de educação básica voltada a iniciantes no


mundo da informática. Este projeto tem como propósito conscientizar usuários em potencial das
facilidades encontradas e praticas comuns no mundo do Software Livre.
Todas as imagens aqui representadas, criadas ou obtidas através da Internet não estão
sendo utilizadas para quaisquer fins que não sejam os educativos. Ubuntu Linux, Linux, o Tux são
marcas registradas e suas imagens e utilizações obedecem a GNU General Public License.
Criada por Fernando Seabra, graduando do curso de Tecnologia em Informática para a
Gestão de Negócios da FATEC de Garça, esta apostila utiliza materiais encontrados pela internet,
além de conhecimento próprio. Criada com uma didática simples e por ser um passo a passo, o
resultado esperado com o curso Conhecendo o Linux do Projeto Educa Ubuntu BRASIL, é de
que usuários iniciantes saibam que o Linux não é um mundo desconhecido e inapropriado para
usuários domésticos. Fato é que o Linux, desde sua criação, vem crescendo no mercado de
Sistemas Operacionais para desktop PC, um mercado dominado pelo Microsoft Windows® com
mais de 90% do mercado. A Apple, com seu OS, atingem um mercado seleto, voltado apenas
para componentes de um consorcio de peças e equipamentos facilitando o não carregamento do
sistema. No caso de sistemas Windows e Linux, é ampla a quantidade de Hardware, os quais
mais diversos tipos de processadores, placas mãe, discos rígidos e outros.
No caso do Linux, em especial o Ubuntu Linux, a instalação facilitada consegue identificar
diversos dispositivos por padrão, tornando-os disponíveis sem a necessária instalação de drivers
ou softwares controladores. Em alguns casos específicos como placas Wi-Fi e componentes
mais avançados é necessária a instalação de software próprio, como no caso de Placas de Vídeo
Nvidia GForce, para melhorar o desempenho e qualidade de utilização. Nestes casos o Linux
instala automaticamente um controlador padrão genérico para que se obtenha acesso fácil e
rápido ao sistema, não descartando a qualidade de imagem.
Inicialmente utilizados em servidores dedicados e computadores de programadores o Linux
tem a vantagem de não ser vulnerável à Vírus (nas suas mais comuns variações), sendo
acometido apenas por uso indevido e execução de códigos maliciosos.
No mais, sendo o Linux um sistema considerado seguro, pode sem problemas administrar
o computador de um “usuário final” como você e as pessoas de sua família, e previne ainda
contra roubo de informações, acesso indevido e outros.
Conhecendo o Linux v1.0 v

Tenha uma boa experiência utilizando o material espero que no final, possa contar com
mais um usuário Linux.
Inicialmente criada com o propósito educacional na EMEF Coronel Galdino de Gália,
Estado de São Paulo, este material servirá de base para muitas pessoas que se interessarem
pelo universo Linux, em primeiro por conhecê-lo e aprimorando-se depois.
Este material é GRATUITO e disponibilizado pela Licença de Documentação Livre.
Obrigado por escolher meu material e tenha um bom aprendizado. Caso seja necessário,
ficam aqui registradas as minhas formas de contato:
• MSN: tigalia_fseabra@hotmail.com
• MSN: usmarshallhp@hotmail.com
• http://www.formspring.me/sysspy
Conhecendo o Linux v1.0 vi

“A mentalidade politeísta vê Pandora como a que deu ao homem a possibilidade de se


aperfeiçoar através das provas e da adversidade. Ela lhe dá assim a força de enfrentar estas
provas com a Esperança. Na filosofia pagã, Pandora não é a fonte do mal; ela é a fonte da força,
da dignidade e da beleza, portanto, sem adversidade o ser humano não poderia melhorar.”
Conhecendo o Linux v1.0 vii

ÍNDICE DE TABELAS
TABELA 1 - COMANDOS BÁSICOS DO MODO TEXTO ............................................................................. 26
TABELA 2 - COMANDOS VIM .............................................................................................................. 27
Conhecendo o Linux v1.0 viii

ÍNDICE DE FIGURAS
FIGURA 1 - ÍCONE DO VMWARE......................................................................................................... 13
FIGURA 2 - ÍCONE PARA A CRIAÇÃO DE UMA NOVA MÁQUINA VIRTUAL .................................................... 13
FIGURA 3 - TELA DA MÁQUINA VIRUTAL CRIADA .................................................................................... 14
FIGURA 4 - TELA DO IDIOMA ............................................................................................................... 15
FIGURA 5 - PARTICIONADOR DE DISCO ................................................................................................ 16
FIGURA 6 - CRIANDO A PARTIÇÃO DE SWAP ....................................................................................... 17
FIGURA 7 - PARTICIONAMENTO DA RAIZ .............................................................................................. 17
FIGURA 8 - TELA DO PARTICIONADOR APÓS A PREPARAÇÃO DAS PARTIÇÕES ......................................... 18
FIGURA 9 - REINICIALIZAÇÃO E ÍCONE DO CD-ROM ............................................................................ 20
FIGURA 10 - TELA DO VMWARE TOOLS CD ........................................................................................ 21
FIGURA 11 - PROMPT DE LINHA DE COMANDO ..................................................................................... 22
FIGURA 12 - INSTALAR OU REMOVER PROGRAMAS ............................................................................... 25
FIGURA 13 - PROMPT DE LOGIN NO TERMINAL 2 .................................................................................. 26
Conhecendo o Linux v1.0 ix

SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO ............................................................................................................. 10
1.1 O UBUNTU LINUX .................................................................................................... 10
1.2 HISTÓRICO.............................................................................................................. 11
2 INSTALAÇÃO.............................................................................................................. 12
2.2 PRECAUÇÕES.......................................................................................................... 12
2.3 VIRTUALIZAÇÃO ....................................................................................................... 12
2.4 BOOTANDO O UBUNTU ............................................................................................. 15
2.4.1 PARTICIONAMENTO DO HD ....................................................................................... 16
2.4.2 SENHAS .................................................................................................................. 18
2.5 INSTALAÇÃO FÍSICA ................................................................................................. 20
3 INICIANDO O UBUNTU .............................................................................................. 21
3.2 INSTALANDO O VMWARE TOOLS ............................................................................... 21
3.3 ATUALIZAÇÃO DO SISTEMA ....................................................................................... 23
3.4 ÁREA DE TRABALHO ................................................................................................ 23
3.4.1 “Menu Iniciar” .................................................................................................... 24
3.5 ADICIONAR E REMOVER PROGRAMAS ......................................................................... 25
4 O MODO TEXTO ......................................................................................................... 26
4.2 O PODEROSO VIM .................................................................................................. 27
4.3 SISTEMA DE ARQUIVOS ............................................................................................ 28
4.4 INSTALANDO PROGRAMAS EM MODO TEXTO................................................................ 28
5 GNU FREE DOCUMENTATION LICENSE ................................................................. 29
5.1 PREAMBLE .............................................................................................................. 29
5.1 APPLICABILITY AND DEFINITIONS ............................................................................... 29
5.2 VERBATIM COPYING ................................................................................................ 31
5.3 COPYING IN QUANTITY ............................................................................................. 31
5.4 MODIFICATIONS ....................................................................................................... 32
5.5 COMBINING DOCUMENTS ......................................................................................... 34
5.6 COLLECTIONS OF DOCUMENTS ................................................................................. 35
5.7 AGGREGATION WITH INDEPENDENT W ORKS ............................................................... 35
5.8 TRANSLACTION........................................................................................................ 35
5.9 TERMINATION .......................................................................................................... 36
5.10 FUTURE REVISIONS OF THIS LICENSE ........................................................................ 36
5.11 RELICENSING .......................................................................................................... 37
6 PROPRIETÁRIAS DE SOFTWARE ............................................................................ 38
7 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ............................................................................ 39
Conhecendo o Linux v1.0 10

1 Introdução
Criado a partir do “código fonte” escrito pelo finlandês Linus Torvalds, o
Sistema Operacional kernel serve de base para todas as plataformas denominadas
Distribuições Linux.
Seu principal diferencial é geralmente ser gratuito e poder ser baixado pela
internet e até mesmo requisitar um CD de instalação da distribuição que vamos
estudar. Todas as imagens e logotipos, marcas e similares são aqui utilizadas sem
nenhum fim comercial, ou seja, são de domínio público para fins educacionais.

1.1 O Ubuntu Linux

O Ubuntu Linux, derivado da distribuição Debian, pode ser encontrado no site


da internet http://www.ubuntu.com e todo o suporte fornecido por inúmeras listas de
discussão podem e serão encontradas com auxilio do Google Linux
(http://www.google.com.br/linux), um site como o Google que conhecemos, porém
com um olhar mais voltado para plataformas OpenSource.
Várias distribuições Linux podem se assemelhar ou serem completamente
diferentes da versão que estudaremos, mas como o próprio nome já diz todos, na
teoria, são iguais. Seu núcleo, o kernel, foi aprimorado com o apoio de
programadores, entusiastas, hackers, profissionais de segurança da informação,
administradores de banco de dados entre muitos outros. Portanto, do contrário que a
imagem é passada, o sistema Linux é uma das melhores ferramentas para a
utilização dos em toda sua capacidade sem estragar ou danificar tanto as
informações existentes.
Outro ponto vantajoso do Linux, é que um sistema desse porte não possui
vírus, como os Sistemas Operacionais da Microsoft. Virus são programas maléficos
que exploram vulnerabilidades de um sistema pouco seguro e as transforma em
ferramentas para a propagação de informações mentirosas, roubo de informações,
atentados contra serviços de internet, danos à informação, entre outros.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 11

1.2 Histórico

O Linux, como já foi dito anteriormente, foi originalmente desenvolvido por


Linus Torvalds, finlandês do Departamento de Ciência da Computatação da
Universidade de Helsinki. Após seu lançamento, milhares de programadores
espalhados pelo mundo contribuíram e continuam a contribuir para o aprimoramento
das ferramentas, utilizado a maior delas, a Internet.
Inicialmente o Linux suportava apenas uma interface por linha de comando, o
que usuários atuais chamam de “Modo Texto”, com recursos ditos poderosos e
ferramentas que simulavam janelas, ou seja, se utilizavam de quebras de texto para
montar interfaces móveis. Como exemplo temos o BitchX, um programa IRC para
bate papo, considerado muito útil e com poderes que até hoje são fielmente
utilizados e copiados por versões deste tipo de programa seja na plataforma
Windows e até mesmo Linux.
O Linux é distribuído sob a GNU General Public License, ou seja,
preservando a disponibilidade do código fonte que sempre estará disponível para
consulta, estudo e até mesmo modificações, desde que sejam obedecidas as
“regras” de sua licença. Por ser um software aberto, alertas de segurança ou de
falhas nos programas são sinalizados e distribuídos imediatamente pela Internet em
busca de soluções, não sendo necessário esperar meses até que um desenvolvedor
crie uma solução.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 12

2 Instalação

Aqui serão tratadas informações sobre a Instalação do Linux em máquinas


x86 (PC). Precauções da “pré-instalação” assim como aspectos envolvidos na
configuração “pós-instalação”, e logicamente todo o processo de instalação. Iremos
instalar o Ubuntu® Linux, sistema estável e de fácil utilização por iniciantes e que é
muito utilizado na Comunidade Tecnológica.

2.2 Precauções

O Sistema Linux pode utilizar um HD separado ou compartilhar a utilização de


um HD com outro tipo de sistema operacional, o tamanho escolhido para
particionamento depende do tipo de instalação desejado.
É importante dizer que o Linux tem uma convivência amigável com outros
tipos de SO, respeitando as diferenças e permitindo acesso aos documentos,
músicas, fotos e todo tipo de arquivos utilizados por exemplo no Windows. A única
dificuldade surgirá se o Windows não for desligado corretamente, ocasionando
problemas no acesso, pois o Windows tem um tipo de proteção de arquivos que
dificulta o acesso externo às informações quando em uso.
Lembre que o Linux é um sistema multiusuário, ou seja, por mais que apenas
uma pessoa esteja à frente do monitor utilizando o sistema através dos recursos
físicos (teclado e mouse do próprio computador), via rede local ou Internet o sistema
pode ser acessado. Em algumas ocasiões um computador Linux é acessado por
diversos computadores ao mesmo tempo, e em outras situações vários
computadores juntos poderão se transformar em uma super máquina via Rede, a
isto damos o nome de Cluster.
Outros aspectos sobre instalação, métodos e todo tipo de planejamento
veremos a seguir.

2.3 Virtualização

No momento não iremos utilizar a instalação física nos computadores, por


questões de segurança de dados. Iremos instalar o Linux no programa VMware,
FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy
Conhecendo o Linux v1.0 13

poderoso software para a virtualização de Hardware. Com ele podemos simular um


computador novo para cada sistema instalado. O processo é o mesmo se fosse
instalado em um HD separado, e neste processo podemos visualizar informações
que serão úteis se fossemos instalar em um HD compartilhado. Inicie o VMware
clicando em seu ícone na área de trabalho:

Figura 1 - Ícone do VMware

O programa apesar de ser em inglês, pode ser facilmente compreendido.


Após o carregamento de sua janela podemos visualizar vários ícones na área
central, no momento, iremos utilizar apenas um:

Figura 2 - Ícone para a criação de uma nova Máquina Virtual

Ao clicarmos neste ícone, o assistente de criação se abre com a


apresentação. Clicamos avançar e já temos uma pergunta sobre o tipo de máquina
virtual que desejamos criar. Clicando em Avançar novamente, o tipo de sistema
operacional, neste caso selecionaremos “Linux” e na versão “Ubuntu”. Observe que
existe a opção Ubuntu 64-bit, que seria utilizado se fossemos instalar um outro tipo
de versão do Ubuntu. Clique avançar para poder mudar o nome da máquina virtual.
Vale lembrar que este é apenas um nome físico, e não irá alterar em nada a
utilização do sistema. Na próxima tela, o método de rede poderá ser mantido
como “NAT”, ou seja, nosso Linux terá acesso completo à rede e à Internet,
lembrando que para tal o Windows, sistema “host” ou hospedeiro deve ter acesso
também, como se existisse um compartilhamento de internet.
Na questão da quantidade de espaço necessário para o “HD virtual”, o
programa nos fornece por padrão 8.0GB, dos quais no máximo 3.2GB serão
FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy
Conhecendo o Linux v1.0 14

utilizados. Como nosso intuito é a aprendizagem, colocaremos 4.0GB para este HD,
não iremos precisar de mais que isso.
Finalmente, clicamos em concluir e vemos a tela final de criação da máquina
virtual. Lembre que isto não instalou o Linux ainda, apenas criou uma máquina
virtual para a instalação. A isto, damos o nome de virtualização.
Ao clicarmos Close, voltamos para a janela principal do programa já com
nossa máquina virtual pronta para utilização. Neste caso, utilizaremos imagens de
CD baixadas do site oficial da Distribuição Ubuntu.

Figura 3 - Tela da máquina virutal criada

Dando dois cliques em CD-ROM (IDE 1:0), a tela de configuração será aberta,
selecionaremos então “Use ISSO image”. Clicando em “Browse” podemos localizar a
imagem do cd. Ela está na Área de Trabalho, na pasta Projeto Educa Ubuntu
BRASIL, Curso Linux e o arquivo se chama ubuntu-9.04-desktop-i386. Ao dar dois
cliques neste arquivo, voltamos para a tela inicial do CD-ROM, onde podemos clicar
OK.
Por conveniência, daremos um clique duplo no “Floppy” da tela de nossa
maquina virtual e desmarcaremos a opção “Connect at Power on”.
Pronto, estamos prontos para “Ligar” nossa máquina, clicando em “Start this
virtual machine” no centro da tela, ou na barra de ferramentas, abaixo do menu
“Team” na seta verde.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 15

2.4 Bootando o Ubuntu

Ao ligarmos nossa máquina virtual, a primeira tela com que deparamos é a de


escolha do idioma utilizado. Português do Brasil é suportado pelo Ubuntu, então, o
utilizaremos. Por definição o VMware não disponibiliza diretamente o uso do teclado
pela máquina virtual, sendo necessário clicar com o mouse sobre a janela do
sistema. Selecione “Português do Brasil” nesta tela.

Figura 4 - Tela do idioma

Na próxima tela, a de boas vindas do sistema, iremos escolher “Instalar


Ubuntu” e então o processo de instalação terá seu inicio. Na próxima tela, a de boas
vindas vemos a opção de selecionar novamente o idioma à esquerda, informações
sobre o sistema à direita. Clicamos avançar e vamos para a tela da seleção do Fuso
Horário, que a instalação colheu como América – São Paulo, que deverá ser
mantida para um funcionamento ideal do sistema. Caso seja outra seleção, mude
para Amécia – São Paulo. Na próxima tela, seleção do idioma do teclado, clique em
avançar, chegando na tela do Particionador.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 16

2.4.1 Particionamento do HD

Como podemos ver e era de se esperar, não existe nenhum sistema instalado
no HD, então o instalador sugere a instalação no HD inteiro. Nesta tela se fossemos
instalar em um computador com outro sistema operacional o próprio instalador iria
configurar uma melhor forma de utilização dos recursos para ambos os sistemas,
que deverão ser alteradas conforme a necessidade apenas por usuários avançados.
Como nossa máquina virtual foi criada apenas com 512MB de memória RAM
(por padrão do VMware), utilizaremos um particionamento manual (avançado) para a
instalação. Lembre-se de realizar todas as operações como aqui forem descritas,
para não ter problemas futuros.
Clique em avançar, para iniciar o “Particionador de Disco”.

Figura 5 - Particionador de disco

Clicaremos em “Nova tabela de partição”, onde seremos alertados sobre a


possível destruição dos dados contidos no HD. Como este HD é virtual e não tem
nada instalado, apenas clique em “Continuar”.
Neste momento, o HD encontra-se sem nenhum tipo de espaço que possa
armazenar quaisquer informações, sendo mostrado como “Espaço Livre”. Clique
sobre o espaço livre para selecioná-lo e depois clique em nova partição.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 17

Na janela que se abrirá, o novo tamanho da partição deverá ser de 1024


megabytes, para isso coloque 1024 no lugar do 4294 que a janela trouxe por padrão.
Este espaço será utilizado com “swap”, ou seja, é um tipo de memória destinada à
utilização como memória ram. A janela deverá ficar assim:

Figura 6 - Criando a partição de SWAP

Clique em OK, a barra superior da janela tende a ficar com duas cores,
geralmente verde e cinza. A parte verde indica que esta “fatia” do HD será utilizado
para o tipo de partição swap. Clique novamente sobre o espaço livre e
posteriormente Nova Partição. Marque esta nova partição com o tipo Primária e no
“Ponto de montagem” coloque “/”.
A “/” quer dizer que esta parte do HD será a “Raiz” do sistema, utilizado no
Windows como “C:”. No Linux todos os diretórios são com base nesta barra, /etc,
/bin, /root, /usr como veremos adiante.

Figura 7 - Particionamento da raiz

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 18

Após clicarmos ok, voltamos para a tela inicial do particionador, que agora
mostra a barra superior em duas cores, verde e laranja, indicando respectivamente
swap e ext3, os tipos de partição que serão gravados no disco.

Figura 8 - Tela do Particionador após a preparação das partições

Vale ressaltar que nenhuma destas informações foi gravada no disco ainda, e
caso exista algum erro, basta desfazer as mudanças e começar novamente.

Ao clicar em Avançar, a instalação nos perguntará sobre o usuário inicial da


instalação. Respondendo a pergunta, “Quem é você?” já podemos ver que o nome
do usuário e do computador serão escolhidos.
Para facilitar posteriormente, altere o campo usuário para usuario.

2.4.2 Senhas

Como se lê na tela uma senha segura é a mistura de letras, números e


pontuação, por exemplo “Ab4c4[e” é muito mais seguro que “abacate”, pois envolve
métodos de política de segurança. No nosso caso, não necessitamos de tanta
segurança e prevendo que a senha possa ser esquecida, utilizaremos uma senha
padrão: ubuntubrasil.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 19

Temos a opção de iniciar a sessão automaticamente, ou pedir uma senha


para o acesso. Novamente, isto é um critério de segurança, não sendo obrigatório o
uso, principalmente pelo motivo de poder esquecer a senha. Por momento,
manteremos iniciando automaticamente. Clique em avançar.
Na próxima tela podemos visualizar todas as informações que prestamos
anteriormente, apenas para confirmação dos dados. Clicamos em Instalar para dar
inicio ao processo de instalação automatizado do Ubuntu.
Como mostrado pela barra de progresso, todas as configurações sobre
particionamento, criação de arquivos, instalação de usuários entre outros estão
sendo realizados.
Após completo, recebemos uma mensagem pedindo reinicialização do
computador. Não é o computador com Windows que irá reiniciar e sim a máquina
virtual.
Mande reiniciar, e durante o processo de desligamento da máquina virtual,
“retire o cd” clicando com o botão direito do mouse sobre o ícone do CD-ROM na
barra de status, Edit, e marque a opção “Use Physical drive”. Para conseguir clicar
neste ícone, aperte junto as teclas “Ctrl” e “Alt Gr”, do lado direito da barra de
espaço. Isso irá liberar o mouse da máquina virtual. Após remover o CD, deve-se
clicar novamente na janela da Máquina para obter acesso novamente. Feito isso,
mande reiniciar a máquina.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 20

Figura 9 - Reinicialização e ícone do CD-ROM

2.5 Instalação Física

O processo de instalação física do sistema, ou seja, aquela que não é


virtualizada utiliza os mesmos conceitos da seção 2.5 Bootando o Ububtu, e devem
ser utilizadas restritamente como informadas ou no caso de instalação concorrente
(com outro sistema operacional no HD) o particionamento deverá ser automático.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 21

3 Iniciando o Ubuntu

Já após a reiniciliazação somos advertidos que o Pacote de instalação de


idiomas não está completo. Não é necessário a atualização deste pacote já que 90%
do sistema é traduzido.

3.2 Instalando o VMware Tools

Por conveniência, facilitando o uso do Linux virtualizado, aperte o conjunto de


teclas para liberar o uso do mouse (Ctrl+Alt Gr) e no menu do VMware escolha VW -
> Install VMware Tools. Com isso, serão instalados alguns pacotes de atualização
no Ubuntu que facilitarão o uso e administração. Clique em “Install” na janela que irá
abrir.
Após isso, surgira na tela uma emulação (virtualização) de um CD contendo
dois arquivos.

Figura 10 - Tela do VMware Tools CD

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 22

Selecione o VMwareTools-6.0.2-59824.tar.gz e arraste-o para área de


trabalho (coluna marrom à direita da tela), assim o arquivo será copiado. Feche a
janela do CDROM clicando sobre o “X” no canto da janela, e em seguida clique com
o botão direito do mouse sobre o arquivo copiado. Selecione “Extrair Aqui” na lista
suspensa e será criado uma pasta com os arquivos.
Aperte junto as teclas “Alt+F2”, para surgir o prompt de execução do Ubuntu.
Digite xterm e aperte enter. Um prompt de comando será exibido.

Figura 11 - Prompt de linha de comando

Este prompt é uma virtualização do modo texto, nele podem ser digitados
comandos que no modo gráfico seriam complicados de executar. Iremos mandar
instalar o VMware Tools via linha de comando, visto que necessitamos de permissão
de administrador para tal.
No prompt digite o seguinte:

sudo ./Desktop/vmware-tools-distrib/vmware-install.pl

Surgirá uma linha pedindo uma senha, é a senha que foi anteriormente
criada. Caso tenha sido criada a senha padrão, digite ubuntubrasil. Não se
preocupe, pois nada aparecerá enquanto estiver digitando. Tenha certeza de digitar

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 23

corretamente pois não é possível ver se foram inseridos caracteres a mais ou a


menos.
O instalado então irá fazer diversas perguntas sobre as configurações de
instalação, é recomendado aceitar todas as configurações por padrão, pressionando
ENTER para cada uma das questões formuladas pelo instalador. Após concluída a
instalação, o prompt de comando volta ao estado inicial aguardando a entrada de
outro comando. Digite sudo reboot para reiniciar a máquina e poder utilizar o
VMware Tools.
Após a reinicialização é possível notar que o mouse não fica mais preso
dentro da janela do VMware bastando a janela estar ativa para o teclado e mouse
funcionarem nela. Isso facilita o acesso rápido à interface da VMware e a troca de
controle entre Host (Windows) e Guest (Ubuntu).

3.3 Atualização do sistema

Pode-se ver, quando carregamos o sistema, que o Gerenciador de


Atualizações nos informa que existem diversas atualizações de segurança, entre
outras. Isso se dá pela imagem de instalação ser velha, ou melhor, desatualizada,
servido apenas para o propósito educacional, como primeiro contato com o Sistema
Operacional Linux.
Sendo assim, iremos desativar este aviso. Clique na janela do Gerenciador
sobre o botão configurações. Será solicitado a senha que informamos antes, insira a
senha e o menu de configuração será exibido. Desmarque todas as atualizações
(campos superiores) e também a Verificação de atualizações. Posteriormente clique
em Fechar, e em seguida Fechar novamente.

3.4 Área de Trabalho

Aqui veremos aspectos gerais da área de trabalho do ubuntu e suas


funcionabilidades.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 24

3.4.1 “Menu Iniciar”

Pode parecer estranho utilizar este termo no Linux, mas o que chamamos de
Menu Iniciar do Windows tem seu parente OpenSource. Ao invés do canto inferior
esquerdo, ele foi desmembrado em três menus e ficam no canto superior esquerdo.
O desmembramento foi feito visando o não acesso acidental à configurações.

3.4.1.1 O Menu Aplicativos

Mais próximo da margem esquerda da tela, o menu Aplicativos contem todos


os programas instalados e os que venham a ser instalados por meio de instaladores
oficiais e alguns próprios.
Estão nele contidos acessórios, como calculadoras, mapa de caracteres,
gravadores de disco, editores de texto. Ferramentas para escritório como versões
OpenSource do Word, Excel e PowerPoint. Ferramentas gráficas como o poderoso
GIMP, ferramentas para digitalização de documentos e fotos. Ferramentas para
internet, como o Mensageiro Pidgin, cliente BitTorrent, programas de e-Mail, o
navegador Mozilla Firefox, entre outros. Ferramentas para manipulação de som e
vídeo, como gravadores de CD, Players de vídeo e áudio. Por ultimo, os Jogos,
“instalados de fábrica” são fáceis de usar.
Existe também neste menu, a chamada para instalação de novos programas.
É necessária a conexão com internet para utilizar este recurso.

3.4.1.2 Menu Locais

Neste menu estão os caminhos para a localização de arquivos e pastas no


computador. Nele serão vistos os CDs e Pendrives colocados no computador.
Formas de acesso à discos compartilhados pela rede e outros.

3.4.1.3 Menu Sistema

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 25

Aqui serão encontrados várias configurações para melhorar o desempenho do


sistema ou melhorar a qualidade de exibição.

3.5 Adicionar e remover programas

Dentro do menu Aplicativos (3.4.1.1), temos um atalho Adicionar/Remover


programas. Clicando sobre este atalho, é aberta uma janela e um prompt informando
que a Lista de aplicativos expirou. Feche esta janela, e poderemos continuar com
uma instalação de exemplo.
Iremos instalar a Suite Educacional do GCompris, aplicativo OpenSource para
educação de 2 a 10 anos de idade. Para isso, posicione o cursor sobre o campo
para “Pesquisar>” e escreva GCompris. Outra forma de faze-lo é clicar sobre
Education e baixar a barra de rolagem até Educational Suite GCompris. Basta
marcar a caixa de seleção à esquerda. Uma janela irá surgir com as dependências
do pacote, ou seja, de quais outros pacotes o programa necessita. Clique em
Instalar Tudo e depois Aplicar mudanças, Aplicar, insira a senha. Neste caso a
digitação da senha pode ser vista, como no Windows. Aguarde o fim do download e
instalação dos pacotes. Após a mensagem de conclusão, clique Fechar. O
GCompris já se encontra instalado e pronto para uso. Para acessá-lo basta clicar no
menu Aplicativos -> Educativo -> Série Educacional GCompris.
É possível realizar a remoção de programas por esta mesma janela. Basta
escolher o aplicativo, e desmarcar a seleção à sua esquerda e aplicar as mudanças
selecionadas.

Figura 12 - Instalar ou remover programas

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 26

4 O Modo texto

Muito complicado para alguns, e muito útil para outros. Essa é a definição
usual do modo de linha de comando, o modo texto. Aqui veremos como acessá-lo à
partir do modo gráfico, e a realizar algumas operações nele. Para um bom
entendimento, a seguinte tabela tem algumas informações úteis para utilização do
modo texto.

Tabela 1 - Comandos Básicos do Modo Texto


ls Lista arquivos e diretórios
md Make Dir, cria um diretório
cd Call Dir, abre um diretório
pwd Mostra o diretorio atual
passwd Altera a senha do usuário
rm Remove um arquivo ou pasta
mv Mover um arquivo ou pasta, também
utilizado para renomear arquivos ou pastas
sudo Comando para ganho de permissões de
administrador (requer senha)
su Super User, faz chamada para se tornar o
Super Usuário (root)

Para acessar o modo texto, à partir do modo gráfico pressione


simultaneamente as teclas Shit + Ctrl + Alt + F2, a tela irá piscar e ficará preta,
aparecerão algumas informações conforme figura abaixo.

Figura 13 - Prompt de login no Terminal 2

Insira neste momento, o nome do usuário criado no momento da instalação,


login: usuario e passwd: ubuntubrasil.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 27

No modo texto é necessário “capturar” o teclado para digitação, como


fazíamos antes de instalar o VMware tools. Deu pra perceber também que mouse é
uma coisa que não será utilizada. Após colocarmos a senha correta, algumas
informações sobre a versão do Linux instalado aparecerão, como estão em inglês e
no momento não é importante, digite clear e aperte enter para limpar a tela.

4.2 O Poderoso ViM

O ViM (Vi IMproved) é um clone do famoso editor de texto vi, para sistemas
baseados em Unix ou Unix-Like, primeiro editor de texto a trabalhar com tela de
digitação. O ViM, alem de ser um clone deste programa também possui uma
interface gráfica com o usuário, ou seja com suporte à menus, mouse, etc..
Para se editar um arquivo com o ViM, digita-se na linha de comando vim
arquivo.
Dentro do ViM existem funcionabilidades avançadas que não veremos aqui.
Todos os principais comandos são presididos de dois pontos ( : ), os outros são
invisíveis como contadores e edições.

Tabela 2 - Comandos ViM


:q Sair
:q! Força saída, não mantém as alterações
:w Write, grava o arquivo
:x Gravar e Sair

Para se entrar em modo Inserção, pressiona-se “i”, digita-se o texto desejado


e pressiona-se a tecla ‘esc”. Para apagar uma letra no sentido da escrita (Del) a
tecla é “x” (sem :). Para apagar no sentido contrário deixe ligado a função caps lock
e pressione x. Para inserir texto após uma linha, pressione o, e para antes utilize a
tecla caps lock ativada. Para apagar uma linha aperte duas vezes a tecla D, e para
deletar mais de uma linha de uma só vez aperte o numero de linhas e duas vezes a
tecla D, por exemplo para apagar dez linhas aperte 1 em seguida 0 e depois duas
vezes D.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 28

4.3 Sistema de Arquivos

Com a utilização do ViM, foi possível notar que no Linux não existe o conceito
de extensão, como no Windows. Por exemplo, é possível criar um arquivo *.exe que
seja texto e um arquivo *.txt que seja executável. A continuação do nome do arquivo
após o ponto no Linux é mais uma referência do que uma regra de utilização.
Exemplo disso é o arquivo que utilizado para instalar o VMware Tools, sua
extensão é *.pl ou seja, foi feito para ser entendido pelo Perl. Arquivos .sh são os
arquivos de Lote do Windows. Linhas de comando em sequência para produzir um
efeito desejado.
Estes arquivos possuírem estas terminações não quer dizer necessariamente
que são executáveis, e as vezes necessitam de um interpretador de comandos.
Muitos programadores ou utilizadores fazem dos pontos um forma de escrever um
“of” (do inglês de ou do) exemplo: ips.orkutperm pode muito bem ser o arquivo de
um servidor que permita o acesso ao Orkut somente para algumas pessoas.

4.4 Instalando programas em modo texto

Para instalar programas utilizaremos a ferramenta nativa do Ubuntu, o apt-


get. Ele pode ser executado de qualquer diretório, e utilizado corretamente sempre
trará os melhores resultados nas instalações. O aplicativo que iremos instalar é o
lynx, um navegador de modo texto com muitos recursos e funcionabilidades.
No prompt de comando digite sudo apt-get install lynx. O sistema então
pede confirmação para baixar e instalar os arquivos consumindo 4911kb. Após a
confirmação o navegador então começa a ser instalado. Passado algum tempo o
prompt volta a ser o normal esperando comando. Digite lynx
www.google.com.br/linux.
Após carregada a página do Google, é possível realizar pesquisas, neste
casos dirigidas à sites de fórum e suporte Linux. Para abrir outro site aperte G, e
para sair aperte ESC e em seguida Q. Caso necessário, confirme a saída com S.
Para voltar para o modo gráfico, digite exit e em seguida Alt+F7.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 29

5 GNU Free Documentation License

Version 1.3, 3 November 2008


Copyright © 2000, 2001, 2002, 2007, 2008 Free Software Foundation, Inc. <http://fsf.org/>
Everyone is permitted to copy and distribute verbatim copies of this license document, but
changing it is not allowed.

5.1 Preamble

The purpose of this License is to make a manual, textbook, or other functional and
useful document "free" in the sense of freedom: to assure everyone the effective freedom to
copy and redistribute it, with or without modifying it, either commercially or noncommercially.
Secondarily, this License preserves for the author and publisher a way to get credit for their
work, while not being considered responsible for modifications made by others.
This License is a kind of "copyleft", which means that derivative works of the
document must themselves be free in the same sense. It complements the GNU General
Public License, which is a copyleft license designed for free software.
We have designed this License in order to use it for manuals for free software,
because free software needs free documentation: a free program should come with manuals
providing the same freedoms that the software does. But this License is not limited to
software manuals; it can be used for any textual work, regardless of subject matter or
whether it is published as a printed book. We recommend this License principally for works
whose purpose is instruction or reference.

5.1 Applicability and definitions

This License applies to any manual or other work, in any medium, that contains a
notice placed by the copyright holder saying it can be distributed under the terms of this
License. Such a notice grants a world-wide, royalty-free license, unlimited in duration, to use
that work under the conditions stated herein. The "Document", below, refers to any such
manual or work. Any member of the public is a licensee, and is addressed as "you". You
accept the license if you copy, modify or distribute the work in a way requiring permission
under copyright law.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 30

A "Modified Version" of the Document means any work containing the Document or a
portion of it, either copied verbatim, or with modifications and/or translated into another
language.
A "Secondary Section" is a named appendix or a front-matter section of the
Document that deals exclusively with the relationship of the publishers or authors of the
Document to the Document's overall subject (or to related matters) and contains nothing that
could fall directly within that overall subject. (Thus, if the Document is in part a textbook of
mathematics, a Secondary Section may not explain any mathematics.) The relationship
could be a matter of historical connection with the subject or with related matters, or of legal,
commercial, philosophical, ethical or political position regarding them.
The "Invariant Sections" are certain Secondary Sections whose titles are designated,
as being those of Invariant Sections, in the notice that says that the Document is released
under this License. If a section does not fit the above definition of Secondary then it is not
allowed to be designated as Invariant. The Document may contain zero Invariant Sections. If
the Document does not identify any Invariant Sections then there are none.
The "Cover Texts" are certain short passages of text that are listed, as Front-Cover
Texts or Back-Cover Texts, in the notice that says that the Document is released under this
License. A Front-Cover Text may be at most 5 words, and a Back-Cover Text may be at
most 25 words.
A "Transparent" copy of the Document means a machine-readable copy, represented
in a format whose specification is available to the general public, that is suitable for revising
the document straightforwardly with generic text editors or (for images composed of pixels)
generic paint programs or (for drawings) some widely available drawing editor, and that is
suitable for input to text formatters or for automatic translation to a variety of formats suitable
for input to text formatters. A copy made in an otherwise Transparent file format whose
markup, or absence of markup, has been arranged to thwart or discourage subsequent
modification by readers is not Transparent. An image format is not Transparent if used for
any substantial amount of text. A copy that is not "Transparent" is called "Opaque".
Examples of suitable formats for Transparent copies include plain ASCII without
markup, Texinfo input format, LaTeX input format, SGML or XML using a publicly available
DTD, and standard-conforming simple HTML, PostScript or PDF designed for human
modification. Examples of transparent image formats include PNG, XCF and JPG. Opaque
formats include proprietary formats that can be read and edited only by proprietary word
processors, SGML or XML for which the DTD and/or processing tools are not generally
available, and the machine-generated HTML, PostScript or PDF produced by some word
processors for output purposes only.
FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy
Conhecendo o Linux v1.0 31

The "Title Page" means, for a printed book, the title page itself, plus such following
pages as are needed to hold, legibly, the material this License requires to appear in the title
page. For works in formats which do not have any title page as such, "Title Page" means the
text near the most prominent appearance of the work's title, preceding the beginning of the
body of the text.
The "publisher" means any person or entity that distributes copies of the Document to
the public.
A section "Entitled XYZ" means a named subunit of the Document whose title either is
precisely XYZ or contains XYZ in parentheses following text that translates XYZ in another
language. (Here XYZ stands for a specific section name mentioned below, such as
"Acknowledgements", "Dedications", "Endorsements", or "History".) To "Preserve the Title" of
such a section when you modify the Document means that it remains a section "Entitled
XYZ" according to this definition.
The Document may include Warranty Disclaimers next to the notice which states that
this License applies to the Document. These Warranty Disclaimers are considered to be
included by reference in this License, but only as regards disclaiming warranties: any other
implication that these Warranty Disclaimers may have is void and has no effect on the
meaning of this License.

5.2 Verbatim Copying

You may copy and distribute the Document in any medium, either commercially or
non-commercially, provided that this License, the copyright notices, and the license notice
saying this License applies to the Document are reproduced in all copies, and that you add
no other conditions whatsoever to those of this License. You may not use technical
measures to obstruct or control the reading or further copying of the copies you make or
distribute. However, you may accept compensation in exchange for copies. If you distribute a
large enough number of copies you must also follow the conditions in section 3.
You may also lend copies, under the same conditions stated above, and you may
publicly display copies.

5.3 Copying in Quantity

If you publish printed copies (or copies in media that commonly have printed covers)
of the Document, numbering more than 100, and the Document's license notice requires

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 32

Cover Texts, you must enclose the copies in covers that carry, clearly and legibly, all these
Cover Texts: Front-Cover Texts on the front cover, and Back-Cover Texts on the back cover.
Both covers must also clearly and legibly identify you as the publisher of these copies. The
front cover must present the full title with all words of the title equally prominent and visible.
You may add other material on the covers in addition. Copying with changes limited to the
covers, as long as they preserve the title of the Document and satisfy these conditions, can
be treated as verbatim copying in other respects.
If the required texts for either cover are too voluminous to fit legibly, you should put
the first ones listed (as many as fit reasonably) on the actual cover, and continue the rest
onto adjacent pages.
If you publish or distribute Opaque copies of the Document numbering more than
100, you must either include a machine-readable Transparent copy along with each Opaque
copy, or state in or with each Opaque copy a computer-network location from which the
general network-using public has access to download using public-standard network
protocols a complete Transparent copy of the Document, free of added material. If you use
the latter option, you must take reasonably prudent steps, when you begin distribution of
Opaque copies in quantity, to ensure that this Transparent copy will remain thus accessible
at the stated location until at least one year after the last time you distribute an Opaque copy
(directly or through your agents or retailers) of that edition to the public.
It is requested, but not required, that you contact the authors of the Document well
before redistributing any large number of copies, to give them a chance to provide you with
an updated version of the Document.

5.4 Modifications

You may copy and distribute a Modified Version of the Document under the
conditions of sections 2 and 3 above, provided that you release the Modified Version under
precisely this License, with the Modified Version filling the role of the Document, thus
licensing distribution and modification of the Modified Version to whoever possesses a copy
of it. In addition, you must do these things in the Modified Version:
A. Use in the Title Page (and on the covers, if any) a title distinct from that of the
Document, and from those of previous versions (which should, if there were any, be listed
in the History section of the Document). You may use the same title as a previous version
if the original publisher of that version gives permission.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 33

B. List on the Title Page, as authors, one or more persons or entities responsible
for authorship of the modifications in the Modified Version, together with at least five of the
principal authors of the Document (all of its principal authors, if it has fewer than five),
unless they release you from this requirement.
C. State on the Title page the name of the publisher of the Modified Version, as the
publisher.
D. Preserve all the copyright notices of the Document.
E. Add an appropriate copyright notice for your modifications adjacent to the other
copyright notices.
F. Include, immediately after the copyright notices, a license notice giving the public
permission to use the Modified Version under the terms of this License, in the form shown
in the Addendum below.
G. Preserve in that license notice the full lists of Invariant Sections and required
Cover Texts given in the Document's license notice.
H. Include an unaltered copy of this License.
I. Preserve the section Entitled "History", Preserve its Title, and add to it an item
stating at least the title, year, new authors, and publisher of the Modified Version as given
on the Title Page. If there is no section Entitled "History" in the Document, create one
stating the title, year, authors, and publisher of the Document as given on its Title Page,
then add an item describing the Modified Version as stated in the previous sentence.
J. Preserve the network location, if any, given in the Document for public access to
a Transparent copy of the Document, and likewise the network locations given in the
Document for previous versions it was based on. These may be placed in the "History"
section. You may omit a network location for a work that was published at least four years
before the Document itself, or if the original publisher of the version it refers to gives
permission.
K. For any section Entitled "Acknowledgements" or "Dedications", Preserve the
Title of the section, and preserve in the section all the substance and tone of each of the
contributor acknowledgements and/or dedications given therein.
L. Preserve all the Invariant Sections of the Document, unaltered in their text and in
their titles. Section numbers or the equivalent are not considered part of the section titles.
M. Delete any section Entitled "Endorsements". Such a section may not be
included in the Modified Version.
N. Do not retitle any existing section to be Entitled "Endorsements" or to conflict in
title with any Invariant Section.
O. Preserve any Warranty Disclaimers.
FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy
Conhecendo o Linux v1.0 34

If the Modified Version includes new front-matter sections or appendices that qualify
as Secondary Sections and contain no material copied from the Document, you may at your
option designate some or all of these sections as invariant. To do this, add their titles to the
list of Invariant Sections in the Modified Version's license notice. These titles must be distinct
from any other section titles.
You may add a section Entitled "Endorsements", provided it contains nothing but
endorsements of your Modified Version by various parties—for example, statements of peer
review or that the text has been approved by an organization as the authoritative definition of
a standard.
You may add a passage of up to five words as a Front-Cover Text, and a passage of
up to 25 words as a Back-Cover Text, to the end of the list of Cover Texts in the Modified
Version. Only one passage of Front-Cover Text and one of Back-Cover Text may be added
by (or through arrangements made by) any one entity. If the Document already includes a
cover text for the same cover, previously added by you or by arrangement made by the same
entity you are acting on behalf of, you may not add another; but you may replace the old one,
on explicit permission from the previous publisher that added the old one.
The author(s) and publisher(s) of the Document do not by this License give
permission to use their names for publicity for or to assert or imply endorsement of any
Modified Version.

5.5 Combining Documents

You may combine the Document with other documents released under this License,
under the terms defined in section 4 above for modified versions, provided that you include in
the combination all of the Invariant Sections of all of the original documents, unmodified, and
list them all as Invariant Sections of your combined work in its license notice, and that you
preserve all their Warranty Disclaimers.
The combined work need only contain one copy of this License, and multiple identical
Invariant Sections may be replaced with a single copy. If there are multiple Invariant Sections
with the same name but different contents, make the title of each such section unique by
adding at the end of it, in parentheses, the name of the original author or publisher of that
section if known, or else a unique number. Make the same adjustment to the section titles in
the list of Invariant Sections in the license notice of the combined work.
In the combination, you must combine any sections Entitled "History" in the various
original documents, forming one section Entitled "History"; likewise combine any sections

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 35

Entitled "Acknowledgements", and any sections Entitled "Dedications". You must delete all
sections Entitled "Endorsements".

5.6 Collections of Documents

You may make a collection consisting of the Document and other documents
released under this License, and replace the individual copies of this License in the various
documents with a single copy that is included in the collection, provided that you follow the
rules of this License for verbatim copying of each of the documents in all other respects.
You may extract a single document from such a collection, and distribute it
individually under this License, provided you insert a copy of this License into the extracted
document, and follow this License in all other respects regarding verbatim copying of that
document.

5.7 Aggregation with Independent Works

A compilation of the Document or its derivatives with other separate and independent
documents or works, in or on a volume of a storage or distribution medium, is called an
"aggregate" if the copyright resulting from the compilation is not used to limit the legal rights
of the compilation's users beyond what the individual works permit. When the Document is
included in an aggregate, this License does not apply to the other works in the aggregate
which are not themselves derivative works of the Document.
If the Cover Text requirement of section 3 is applicable to these copies of the
Document, then if the Document is less than one half of the entire aggregate, the
Document's Cover Texts may be placed on covers that bracket the Document within the
aggregate, or the electronic equivalent of covers if the Document is in electronic form.
Otherwise they must appear on printed covers that bracket the whole aggregate.

5.8 Translaction

Translation is considered a kind of modification, so you may distribute translations of


the Document under the terms of section 4. Replacing Invariant Sections with translations
requires special permission from their copyright holders, but you may include translations of
some or all Invariant Sections in addition to the original versions of these Invariant Sections.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 36

You may include a translation of this License, and all the license notices in the Document,
and any Warranty Disclaimers, provided that you also include the original English version of
this License and the original versions of those notices and disclaimers. In case of a
disagreement between the translation and the original version of this License or a notice or
disclaimer, the original version will prevail.
If a section in the Document is Entitled "Acknowledgements", "Dedications", or
"History", the requirement (section 4) to Preserve its Title (section 1) will typically require
changing the actual title.

5.9 Termination

You may not copy, modify, sublicense, or distribute the Document except as
expressly provided under this License. Any attempt otherwise to copy, modify, sublicense, or
distribute it is void, and will automatically terminate your rights under this License.
However, if you cease all violation of this License, then your license from a particular
copyright holder is reinstated (a) provisionally, unless and until the copyright holder explicitly
and finally terminates your license, and (b) permanently, if the copyright holder fails to notify
you of the violation by some reasonable means prior to 60 days after the cessation.
Moreover, your license from a particular copyright holder is reinstated permanently if
the copyright holder notifies you of the violation by some reasonable means, this is the first
time you have received notice of violation of this License (for any work) from that copyright
holder, and you cure the violation prior to 30 days after your receipt of the notice.
Termination of your rights under this section does not terminate the licenses of parties
who have received copies or rights from you under this License. If your rights have been
terminated and not permanently reinstated, receipt of a copy of some or all of the same
material does not give you any rights to use it.

5.10 Future Revisions of this License

The Free Software Foundation may publish new, revised versions of the GNU Free
Documentation License from time to time. Such new versions will be similar in spirit to the
present version, but may differ in detail to address new problems or concerns. See
http://www.gnu.org/copyleft/.
Each version of the License is given a distinguishing version number. If the Document
specifies that a particular numbered version of this License "or any later version" applies to it,
FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy
Conhecendo o Linux v1.0 37

you have the option of following the terms and conditions either of that specified version or of
any later version that has been published (not as a draft) by the Free Software Foundation. If
the Document does not specify a version number of this License, you may choose any
version ever published (not as a draft) by the Free Software Foundation. If the Document
specifies that a proxy can decide which future versions of this License can be used, that
proxy's public statement of acceptance of a version permanently authorizes you to choose
that version for the Document.

5.11 Relicensing

"Massive Multiauthor Collaboration Site" (or "MMC Site") means any World Wide Web
server that publishes copyrightable works and also provides prominent facilities for anybody
to edit those works. A public wiki that anybody can edit is an example of such a server. A
"Massive Multiauthor Collaboration" (or "MMC") contained in the site means any set of
copyrightable works thus published on the MMC site.
"CC-BY-SA" means the Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 license
published by Creative Commons Corporation, a not-for-profit corporation with a principal
place of business in San Francisco, California, as well as future copyleft versions of that
license published by that same organization.
"Incorporate" means to publish or republish a Document, in whole or in part, as part of
another Document.
An MMC is "eligible for relicensing" if it is licensed under this License, and if all works
that were first published under this License somewhere other than this MMC, and
subsequently incorporated in whole or in part into the MMC, (1) had no cover texts or
invariant sections, and (2) were thus incorporated prior to November 1, 2008.
The operator of an MMC Site may republish an MMC contained in the site under CC-
BY-SA on the same site at any time before August 1, 2009, provided the MMC is eligible for
relicensing.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 38

6 Proprietárias de Software

Os softwares aqui mencionados, assim como já informado na seção “AVISOS


LEGAIS” são apenas de caráter ilustrativo e utilizados no conceito EDUCACIONAL.
Como esta apostila não acompanha licenças, ou qualquer outro tipo de número
serial, aqui estão relacionadas os sites da internet para relacionamento com as
empresas detentoras de suas patentes.

Ubuntu Linux Desktop Edition:


• http://www.ubuntu.com/desktop/get-ubuntu/download

VMware Workstation:
• http://www.vmware.com

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy


Conhecendo o Linux v1.0 39

7 Referências Bibliográficas

GUCKES, S. O que é ViM? Uma explicação em seis kilobytes. Tradução para o Português:
Douglas Santos. 2001. Disponível em <http://www.vim.org/6k/features.pt.txt>

COUTINHO, A. P. Curso de Linux Básico. 3ª Edição. Disponível em


<http://www.deinf.ufma.br/~csalles/prog/curso_linux.pdf> [2003].

Documentation for Ubuntu 9.04. Disponível em <https://help.ubuntu.com/9.04/index.html>.

FSEABRA Consultoria e Manutenção http://formspring.me/sysspy