Você está na página 1de 2

OBS: NA HORA DO SEMINÁRIO SER CRIATIVO, FAZER UMA CRIATIVIDADE, FAZER ALGO QUE

VAI ALÉM DO SEMINÁRIO COMO EU FIZ AO ESTOURAR A BEXIGA NO DIA DO SEMINÁRIO DO


MEIO AMBIENTE.

CONCLUSÃO:

John Keneddy foi o primeiro presidente a não usar o chapéu, desde então os homens deixaram
de usar chapéu, veja só como é impactante o ídolo para transformar não só a vida do homem,
mas sim toda uma sociedade, os negros pelo fato de ainda serem tratados como negros
precisam de ídolos para fortalecerem e crescerem, para mostrar que são capazes e Shaka Zulu
fortalece isso, por isso Shaka Zulu é mais do que importante no passado, ele é essencial
também no presente, principalmente para o fortalecimento e prosperar da raça negra, pois ele
é um exemplo, ele é um ídolo. / Eu não acho correto dizer isso, pois cada um é cada um e por
isso cada um tem sua importância, mas como fazer uma analogia para nós do ocidente
entendermos melhor quem foi Shaka Zulu, posso dizer que ele foi o Júlio César Africano, o Júlio
César Black. 13/03/19 ^^

COLOCAR A FOTO DO JOHN KENEDDY ONDE UM DIA ANTES TODOS USAVAM CHAPÉU, NO DIA
QUE O PRESIDENTE DOS EUA APARECEU SEM CHAPÉU, TODOS DEIXARAM DE USAR.

Sim senhor, existiu uma conjunção de fatores para levar o chapéu a derrocada,
mas, se tivermos que escolher uma representação individual, este alguém é ele
mesmo: John “the hair” Kennedy, o presidente mais carismático dos Estados
Unidos. Embora tenha usado o acessório em seus primeiros momentos na
presidência, Kennedy logo o deixou de lado, associando sua imagem, cada vez mais,
aos jovens da época (que também não simpatizavam tanto com a peça). Penso que
a escolha foi consciente, ajudando-o na transmissão de uma imagem menos
engessada e conservadora, atenta aos “novos tempos” e a saúde que um cabelo
bem cuidado representava.

Eu não acredito em coincidências nesta esfera de poder.

É, amigão, até um dos mais queridos presidentes dos Estados Unidos levava o
vestuário e a estética a sério, então quando você estiver falando sobre o assunto e
ouvir aquele seu amigo expansivo falar “eu não ligo pra roupa, isso é bobagem,
coisa de mulher”, lembre-se do Kennedy, sorria, e agradeça por saber que
ignorância e misoginia não são contagiosos. Mas não paramos por aí, meu bom.

Outros grande fator foi que, ao fim da Segunda Guerra Mundial, muitos homens
(agora heróis) que retornaram a América não queriam mais usar chapéu, 19%
deles afirmaram que não o queriam pois tinham que usá-los no exército. Soma-se
isto ao fato, não menos importante, da massificação dos automóveis, que, por
serem veículos individuais, faziam os homens andarem menos ao ar livre,
diminuindo a necessidade de proteção em suas cabeças, além da consequência
Tostines da diminuição da altura dos capôs a partir da década de quarenta.

E por mais que Frank Sinatra fosse um amante de chapéus e um dos maiores
ícones de estilo do mundo, os tempos estavam mudando. Elvis e seu topetão
incendiário encorajavam os jovens a mostrar que a virilidade começava nos
cabelos.
https://papodehomem.com.br/por-que-nao-usamos-mais-chapeu/

Elvis Presley é um exemplo de ídolo que mudou nosso comportamento.,