Você está na página 1de 2

UFC - Departamento de Estatı́stica e Matemática Aplicada

CC0051 - Introdução à Estatı́stica - Semestre: 2016/1


Profa. Ana Maria

1a Lista de exercı́cios

1. EXERCÍCIOS DE BUSSAB & MORETTIN (2002)


i) exercı́cios do Capı́tulo 2, seção Problemas, págs 14 e 15;
ii) exercı́cios do Capı́tulo 2, seção Problemas, págs 22 e 23(4 a 8);
iii) exercı́cios do Capı́tulo 2, seção 2.6 Problemas e Complementos, (9 a 11; 19 e 20);
iv) exercı́cios do Capı́tulo 3, seção Problemas, pág 40 (1 a 6);
v) exercı́cios do Capı́tulo 3, seção Problemas, pág 51 (11 a 13);
vi) exercı́cios do Capı́tulo 3, seção 3.8 Problemas e Complementos, (14 a 16; 20 a 25 (itens a,
b, c, e); 26; 27 (itens a, b, c e); 28 a 40).
2. EXERCÍCIOS DE MOORE(2011)
i) Exercı́cio 2.11 do Capı́tulo 2.
A média e o desvio padrão medem o centro e a dispersão, mas não representam uma descrição
completa de uma distribuição. Conjuntos de dados com diferentes formas podem ter a mesma
média e o mesmo desvio padrão. Para demonstrar esse fato, ache média e desvio padrão para os
dois conjuntos de dados na Tabela 1. Então faça um diagrama de ramos-e-folhas de cada um e
comente sobre a forma da distribuição.

Tabela 1: Dados hipotéticos do exercı́cio 2.11


Dados A 9,14 8,14 8,74 8,77 9,26 8,10 6,13 3,10 9,13 7,26 4,74
Dados B 6,58 5,76 7,71 8,84 8,47 7,04 5,25 5,56 7,91 6,89 12,50

Fonte:MOORE(2011)
ii) Exercı́cio 2.13 do Capı́tulo 2.
”Os ambientalistas estão desesperados com a destruição da floresta tropical pela extração da
madeira, abertura de clareiras e queimadas.” Essas palavras abrem um relatório de um estudo
estatı́stico dos efeitos da extração de madeira em Bornéu. Charles Cannon, da Duke University, e
seus colegas de trabalho compararam pedaços de floresta que nunca sofreram extração (Grupo 1)
com pedaços similares próximos que tinham sido explorados 1 ano antes (Grupo 2) e 8 anos antes
(Grupo 3). Todos os pedaços tinham 0,1 hectare de área. Eis as contagens de árvores por pedaço
em cada grupo:

Grupo 1 27 22 29 21 19 33 16 20 24 27 28 19
Grupo 2 12 12 15 9 20 18 17 14 14 2 17 19
Grupo 3 18 4 22 15 18 19 22 12 22

Até que ponto a extração de madeira afetou a contagem de árvores? Utilize as medidas estatı́sticas
e gráficos estudados para responder a essa pergunta.
iii) Exercı́cio 2.35 do Capı́tulo 2.
São fornecidos a seguir tempos de sobrevivência, em dias, de 72 cobaias de porcos da Guiné contami-
nadas por uma bactéria infecciosa num experimento médico. Tempos de sobrevivência, usualmente,
têm distribuições assimétricas à direita.

43 45 53 56 56 57 58 66 67 73 74 79
80 80 81 81 81 82 83 83 84 88 89 91
91 92 92 97 99 99 100 100 101 102 102 102
103 104 107 108 109 113 114 118 121 123 126 128
137 138 139 144 147 145 156 162 174 178 179 184
191 198 211 214 243 249 329 380 403 511 522 598
2

Construa uma distribuição de frequências em classes e, com base nela, encontre os valores de média
aritmética, moda, mediana e desvio padrão. Compare os valores com os obtidos para os dados
brutos.
iv) Exercı́cio 2.45 do Capı́tulo 2.
Os homens de negócio sabem que os clientes respondem bem a música de fundo. Eles respondem
também a odores? Nicolas Guéguen e seus colegas estudaram essa questão em uma pequena pizzaria
na França nas noites de sábado, em maio. Em uma noite, um perfume relaxante de lavanda foi
espalhado pelo restaurante; em outra noite, um odor estimulante de limão; uma terceira noite
serviu como controle, sem qualquer perfume. A Tabela 2 mostra as quantias (em euros) gastas
pelos clientes em cada uma dessas noites. Compare as três distribuições. Que efeito os odores
tiveram sobre os gastos dos clientes?

Tabela 2: Quantias gastas (em euros) pelos clientes em um restaurante quando expostos a odores
NENHUM ODOR
15,9 18,5 15,9 18,5 18,5 21,9 15,9 15,9 15,9 15,9
15,9 18,5 18,5 18,5 20,5 18,5 18,5 15,9 15,9 15,9
18,5 18,5 15,9 18,5 15,9 18,5 15,9 25,5 12,9 15,9
ODOR DE LIMÃO
18,5 15,9 18,5 18,5 18,5 15,9 18,5 15,9 18,5 18,5
15,9 18,5 21,5 15,9 21,9 15,9 18,5 18,5 18,5 18,5
25,9 15,9 15,9 15,9 18,5 18,5 18,5 18,5
ODOR DE LAVANDA
21,9 18,5 22,3 21,9 18,5 24,9 18,5 22,5 21,5 21,9
21,5 18,5 25,5 18,5 18,5 21,9 18,5 18,5 24,9 21,9
25,9 21,9 18,5 18,5 22,8 18,5 21,9 20,7 21,9 22,5

Fonte:MOORE(2011)