Você está na página 1de 4

AUTO-BIOGRAFIA

Eu, Rodrigues Francisco, Casado, filho de Samusseia e de Lotina, nascido aos


27 de Setembro de 1969, natural de Lucapa, Município de Lucapa, Província
da Lunda-Norte, Portador do B.I nº 000326143LN036, Passado pelo Arquivo
de Identificação de Luanda, aos 07 de Outubro de 2014, residente nesta Cidade
de Luanda, Município do Rangel, Bairro Nelito Soares, Avª Hoji-Ya-Henda,
Casa nº 21 A.

A chegada do 1º Batalhão da Região Política Militar da Frente-Leste do MPLA


– Movimento de Libertação no Sector de Cuilo, chefiado pelos seguintes
camaradas, Comandante Fundão Começa, Apanha-Tudo, João Político, Manuel
Movimento e tantos outros.

Tendo-me enquadrado na OPA (Organização dos Pioneiros Angolanos), com


os dirigentes locais: Rodrigues Sapassa, Modesto Tchamwa, Caungula, e o
Coordenador da OPA: João Mupila e o seu adjunto Francisco Fernando.

Fui nomeado como Chefe da Organização e Propaganda do Sector. Depois


passei pela Juventude do Partido, com os coordenadores do Sector Cuilo,
Camaradas: Bonifácio Sacajica e o seu adjunto Baptista Mwanakalunga.

Logo depois da entrada dos movimentos de libertação nas cidades, participando


em todas as actividades relacionadas à organização Juvenil, onde dei melhor
funcionamento com as exigências da organização que acabava de chegar
recentemente.

Tendo participado num seminário de capacitação dos quadros onde fui


abrangido com o Cartão de Membro da J.M.P.L.A, Juventude do Partido,
desempenhando as funções de Primeiro Secretário da Zona B conforme tinha
sido dividido a Cidade para o melhor controlo da Juventude em Zonas, isto em
1984.

PARTICIPAÇÃO MILITAR
Incorporei-me nas Forças Armadas de Libertação de Angola (F.A.P.L.A) aos
10 de Abril de 1985. Neste ano fui selecionado para pertencer aos Serviços
Militares da Zona Independente de Cuango com pedido dos Senhores: Joaquim
António Lopes (Farrusco) actual Comandante da Guarnição de Luanda, vida de
hoje (Falecido) Chefe do Estado-Maior da Zona Independente do Cuango,
passei a fazer deste Órgão da Província da Lunda-Norte.

No mesmo ano fui encaminhado para a Cidade do Huambo, onde frequentei um


Curso da especialidade.
Tendo sido possíveis as condições técnicas e materiais, pois nesta altura a
Escola Nicolau Gomes Spencer estava vocacionada à formação dos oficiais do
ramo.
Fui patenteado com a patente de Sub-Tenente, terminando o Curso na
companhia de outros oficiais, partimos do Huambo para a Província do Kuando
Kubango (Menongue), onde fui colocado.

Em Agosto de 1987 atravessamos o Rio Kuito Kuanavale no dia 5 à 6 de


Setembro de 1987, houve o primeiro confronto com os Sul-Africanos nas
mediações da Lagoa Chaóla próximo do Marco 13. Na Brigada 47º na altura
comandada pelo Major Tubias.

No Outubro do mesmo ano (1987) enfrentamos novamente uma batalha com as


tropas Sul-Africanas onde fomos atacados pela divisão 8,8 na altura a Brigada
59º era comandada pelo Capitão Itchinjelekwa, na altura estávamos
localizados nas mediações do Rio Mianei onde cumprimos a operação
“Saudemos Outubro”, no dia 18 de Março fomos flagelados pelos Sul-
Africanos.

Após esse flagelamento fomos rendidos pela 25ª Brigada, comandada pelo
Comandante António Valeriano, destacamos no Rio Chambinga onde
permanecemos até em Fevereiro de 1988, tendo o exército Sul-Africano
destruído a ponte do Rio Kuito Kwanavale, impossibilitando a travessia da
tropa. Nos dias 20 e 25 de Fevereiro atravessamos sob Protecção de Cordas e
destacamos junto ao Rio Tchiengo.

No dia 23 de Março de 1988 travamos a histórica batalha do Kuito-Kuanavale,


onde derrotamos o exército Sul-africano, que não tiveram tempo de levar o seu
material bélico, sem capacidade de resposta na parte deles. Nesta batalha fomos
medalhados com a medalha de heróis do Kuito Kuanavale. Nesta altura as
unidades 47º, 59º, 21º e 16º estavam juntos a poucos quilómetros de Mavinga
com os seguintes comandantes: Sakayoya, Ngueto e Ngueleca.

No mês de Dezembro de 1989, iniciamos a “Operação Zebra” onde agrupamos


com o terceiro agrupamento da Frente Sul, chefiada na altura pelo Comandante
Major Kangamba e o Comandante da Frente Sul, na altura o Coronel João
Baptista de Matos.

Chegamos em Mavinga de 02 à 05 de Fevereiro de 1990, depois da retirada de


Mavinga, no mês de Junho.

Foi no cumprimento duma dessas missões que em “Operação Mavinga” em


1990, que fui atingido nos ombros, logo depois do combate, fui evacuado no
Hospital Militar de Luanda onde fui submetido posteriormente no famoso
Hospital por conta própria, onde conclui o tratamento; depois do tratamento
voltei para o Luena.

Com êxitos alcançados nos combates, fui promovido a Grau Militar de 2º


Tenente. Neste ano fui colocado na Brigada 45º no Lukusse como Chefe da
Secção das Comunicações, tendo levado a cabo actividades com toda a
dedicação e isenção que o trabalho impunha.
Reconhecendo a minha capacidade e participação em todas as tarefas em que
me eram incumbidas a desempenhar, fui promovido ao Grau Militar de 1º
Tenente em 1990 após a “Operação Zebra” de Mavinga.

Assim é que se justifica a minha participação em acções combativas


nomeadamente junto dos postos de comando avançado com destaque para as
áreas: Tchafinda, Lewa, Kassamba, Kamanongue, Lwacano, Kavungo,
Karipande, Lumbala Kaquemgue, Lukusse, Luvei, Lumbala-Nguimbo,
Kangamba, Kangumbe, Chicala, Munhango, Kwemba, Kamakupa, Rivungo e
Kuito Kuanavale, sendo nesta última localidade onde conheci fisicamente pela
primeira vez o Ministro da Defesa, aquando da sua deslocação naquela área
com o objectivo de constatar as condições das tropas no terreno para poder
orientar e encorajar as tropas que de Mavinga tinham recuado face ao avanço
do inimigo, isto em 1990.

Em 1991 com a ordem superior, parti com a agrupação chefiada pelo


Comandante Major Gouveia João Sá Miranda e o Estado Maior da Agrupação
Derrama, do Moxico para Bié, onde houve fracasso, pois não conseguimos
chegar até à província do Bié por falta de material Bélico, e intensos combates
do inimigo, o que levou-nos a regressar à Cidade do Luena. Depois do regresso
à Cidade do Luena, o inimigo perseguiu-nos com bombardeamento até a Cidade
onde originou-se o ataque intenso dos famosos 45 dias de combate contra a
cidade do Moxico.

Apesar do Cessar fogo dos 45 dias fui eleito como Operador para acompanhar
as negociações do governo e a Unita, na área do Sangondo. Na parte do
Governo a Delegação é chefiada pelo General Higino Carneiro, acompanhado
pelos Jornalistas William Tonet e Carla Castro. E na parte da Unita a delegação
é chefiada pelo general Bem-Bem e o seu elenco.

Por força da deficiência física contraída em consequência da minha


contribuição à defesa da Pátria, fui atingido com uma doença tradicionalmente
contagiosa que não permitiu a minha estadia nas F.A.P.L.A, isto depois de 45
dias.

Surgindo os Acordos de Bicesse, já era uma oportunidade para eu ser


desmobilizado e assim fui desmobilizado com a Patente de Capitão.
Ficando assim sem o título dos Antigos Combatentes.

Factos narrados neste documento podem ser, se for o caso, testemunhados pelos
Generais:

1. Miguel Ângelo Vietnam


2. Marques Correia Mbanza
3. Gouveia João Sá Miranda
4. Higino Carneiro
5. Neco
6. Seteko

Luanda, aos 15 de Julho de 2014

O Signatário

___________________
Rodrigues Francisco