Você está na página 1de 7

Lição 1 30 de março a 05 de abril

Os ciclos da vida

Sábado à tarde Ano Bíblico: 1Sm 24–27


VERSO PARA MEMORIZAR: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para
todo propósito debaixo do Céu” (Ec 3:1).

LE I TUR AS D A S E M AN A: Gn 1; 8:22; Sl 90:10; Jó 1:13-19; At 9:1-22; Fp 1:6; Rm 8:1

Algumas das mais belas poesias já escritas são de autoria do rei Salomão: “Tudo tem o seu tempo
determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do Céu: há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo
de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo
de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar de alegria; tempo de espalhar
pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar e
tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora; tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar
calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz” (Ec 3:1-8).

Essas palavras captam muito da existência humana – as estações e o ciclo da vida. Passamos por fases e
mudanças, e isso ocorre desde o momento em que nascemos. Às vezes as mudanças são boas, às vezes
não; às vezes temos controle sobre elas; às vezes não. Nesta semana, examinaremos as estações e o ritmo
da nossa vida, especialmente na medida em que eles impactam a nós e a nossa família.

Ore e prepare seu coração para a Semana Santa. Será de 13 a 21 de abril e o título será “Renascidos, um novo
coração”. Deus usará você para alcançar pessoas.

Retirado do site:
Domingo, 31 de março Ano Bíblico: 1Sm 28–31

No princípio
A Bíblia começa no princípio. Por isso ela inicia com as palavras (na verdade, uma palavra no hebraico) “no
princípio [...]” (Gn 1:1). O foco especial do capítulo é a transformação da Terra, originalmente “sem forma e
vazia” (Gn 1:2), em um mundo que o próprio Deus, no sexto dia, declarou ser “muito bom” (Gn 1:31). Em suma,
esse princípio é o início do nosso mundo.

1. Leia Gênesis 1. Existe um sinal de que algo surgiu de modo aleatório ou casual, ou tudo foi feito de maneira
muito ordenada, com todas as coisas em seu devido tempo e lugar? O que sua resposta revela sobre o caráter
de Deus?

_______________________________________________________________________________________

Ellen G. White escreveu que “a ordem é a primeira lei do Céu” (Signs of the Times, 8 de junho de 1908); parece
que na Terra também é assim. Embora o pecado tenha desorganizado o mundo natural, até certo ponto,
ordem, ritmo e regularidade ainda existem.

2. Leia Gênesis 8:22. Como a ordem também é vista nessa passagem?

_______________________________________________________________________________________

Mesmo depois da queda, as estações geralmente vêm e vão de maneira ordenada. Portanto, juntamente com
os luzeiros no Céu, isto é, o Sol e a Lua, que existem para fazer “separação entre o dia e a noite [...] para
sinais, para estações, para dias e anos” (Gn 1:14), há também as estações – tudo faz parte do ciclo natural do
mundo criado por Deus. E, de fato, embora tenhamos hoje apenas vislumbres, Isaías 66:23 sugere que o
senso de ritmo também existirá no novo Céu e na nova Terra.

Como o sábado, de maneira poderosa e regular, influencia sua vida familiar? Quais são as vantagens distintas,
não apenas do sábado, mas do fato de que ele ocorre com regularidade?
Fortaleça sua vida por meio do estudo da Palavra de Deus: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org

Retirado do site:
Segunda-feira, 01 de abril Ano Bíblico: 2Sm 1–4

Os ciclos da vida
Os cientistas falam sobre algo chamado ciclo circadiano – a ideia de que existem ciclos biológicos (às vezes
chamados de “relógios corporais”) que regulam as funções em nosso corpo. Em outras palavras, existe certo
grau de regularidade até mesmo em nosso corpo. Portanto, até certo ponto, existem ciclos por toda parte e
até mesmo em nós.

3. Quais são as previsíveis estações da vida mencionadas nas seguintes passagens das Escrituras e como
elas se relacionam diretamente à vida familiar?

Ec
3:2 ____________________________________________________________________________________

Gn 21:8; Jz
13:24 ________________________________________________________________________________

Sl 71:5; Pv
5:18: _________________________________________________________________________________

Gn 15:15; Jz
8:32 ________________________________________________________________________________

Sl
90:10 __________________________________________________________________________________

Entre os dois extremos da vida, isto é, o nascimento e a morte, passamos por várias estações, que são
diferentes para cada indivíduo. Algumas crianças não vivem muito após seu nascimento; outras se tornam
adultas e atingem a velhice. As crianças crescem e se desenvolvem em seu próprio ritmo. Algumas andam ou
falam mais cedo que outras. Algumas poderão frequentar a escola e se tornar profissionais, enquanto outras
dedicarão seu tempo a outras formas de trabalho. Algumas terão famílias, e outras poderão nunca se casar
nem ter filhos.

Existem bilhões de pessoas na Terra, e embora todos nós tenhamos muito em comum (veja At 17:26), cada
um de nós é um indivíduo com características singulares.

De certa maneira, essas diferenças são importantes porque nos tornam únicos, o que significa que todos temos
algo para compartilhar – algo que outros não têm. Em suma, nossas diferenças nos permitem ser uma bênção
para os outros. Por exemplo, tanto o jovem quanto o idoso podem se beneficiar do que um oferece ao outro:
“A beleza dos jovens está na sua força; a glória dos idosos, nos seus cabelos brancos” (Pv 20:29, NVI). Seja
qual for a fase em que estivermos, e não importam nossas diferenças, todos temos algo a oferecer, não apenas
ao Senhor, mas também uns aos outros.

Não importam quais sejam as circunstâncias da sua vida hoje, o que você pode fazer para o bem de outras
pessoas? Por que não fazer um esforço consciente para ser uma bênção, especialmente para alguém da sua
família?
Retirado do site:
Terça-feira, 02 de abril Ano Bíblico: 2Sm 5–7

O inesperado
4. Leia Jó 1:13-19; 2:7-9. O que aconteceu com Jó? De que maneira a experiência de Jó reflete o que acontece
com todos, de um modo ou de outro? Assinale a alternativa correta:

A.( ) Jó perdeu suas propriedades, animais, servos, filhos e saúde.

B.( ) Jó perdeu sua esposa.

O filósofo grego Heráclito (535-475 a.C.) declarou que “não há nada permanente, exceto a mudança”.
Justamente quando tudo parece estar indo bem, o inesperado acontece. Pode ser a perda do emprego ou de
um membro do corpo; uma doença que nos deixa acamados ou nos leva à morte prematura; um incêndio na
casa; um acidente de carro ou uma queda ao passear com o animal de estimação da família.

Evidentemente, nem todas as mudanças são negativas. Possivelmente uma promoção no trabalho o leve a
melhores condições financeiras. Ou talvez você conheça seu futuro cônjuge, uma mudança que muitos
receberiam de bom grado.

De qualquer maneira, podemos estar em uma rotina, em um ritmo, quando, instantânea e inesperadamente,
tudo é interrompido.

Jó certamente não esperava a nova fase em sua vida. A Bíblia o descreve como um homem “íntegro e reto,
temente a Deus e que se desviava do mal” (Jó 1:1). Também sabemos que ele era casado, tinha sete filhos e
três filhas, e era muito rico (Jó 1:2, 3). Até a metade do livro, ele já havia sofrido pelo menos seis grandes
perdas: foi privado de suas propriedades, sua força de trabalho, seus filhos, sua saúde, o apoio de sua esposa
e o incentivo de seus amigos. Seu mundo virou de cabeça para baixo e sua vida familiar foi devastada.

Embora o que aconteceu com Jó tenha sido bastante extremo, quem entre nós já não viveu o inesperado, de
maneira também muito negativa? As coisas podem estar indo bem quando, de repente e sem aviso, tudo muda
completamente, e nossa vida e a vida de nossa família pode nunca mais voltar a ser a mesma.

Isso não é novidade. Abel não esperava ser assassinado, e José não esperava ser vendido para viver como
escravo no Egito. Em ambas as histórias, os membros da família foram os traidores, e também nas duas
situações as famílias foram muito afetadas pelo que aconteceu. A Bíblia está repleta de exemplos de pessoas
cuja vida e família foram grandemente transformadas pelo inesperado.

A fé o ajudou em meio às provações que, inesperadamente, interromperam os ciclos da sua vida?

Retirado do site:
Quarta-feira, 03 de abril Ano Bíblico: 2Sm 8–10

Transições
O ser humano é uma criatura de hábitos. De fato, nos apegamos a eles e, quanto mais velhos ficamos, mais
difícil é mudá-los.

Não mudamos facilmente. Quantas esposas reclamam dizendo o seguinte: “Eu tentei mudar meu marido, mas
[...]”? A obra de Deus, no entanto, é nos mudar, se não nossa personalidade, certamente o nosso caráter. Em
grande parte, essa é a essência do plano da salvação: Deus nos transformando em novas pessoas Nele.

5. Qual foi a grande mudança na vida de Saulo de Tarso e como ela se deu? Leia Atos 8:1, 3; 9:1-22; Gl 1:15-
17. Assinale “V” para verdadeiro ou “F” para falso:

A.( ) Saulo teve sucesso na perseguição aos cristãos e se tornou sumo sacerdote.

B.( ) Ele foi convertido e se tornou um dos maiores apóstolos do cristianismo.

“Ao render-se Saulo inteiramente ao convincente poder do Espírito Santo, viu os erros de sua vida e
reconheceu a amplitude dos reclamos da lei de Deus. Aquele que tinha sido um orgulhoso fariseu, confiante
na justificação por suas boas obras, então, curvou-se perante Deus com a humildade e simplicidade de uma
criancinha, confessando sua indignidade e pleiteando os méritos de um Salvador crucificado e ressurgido.
Saulo ansiava por entrar em inteira harmonia e comunhão com o Pai e o Filho; e na intensidade de seu desejo
de perdão e aceitação, elevou ferventes súplicas. [...]

“As orações do penitente fariseu não foram em vão. Os mais secretos pensamentos e emoções de seu coração
foram transformados pela divina graça; e suas nobres faculdades foram postas em harmonia com os eternos
propósitos de Deus. Cristo e Sua justiça passaram a representar para Saulo mais que o mundo inteiro” (Ellen
G. White, Atos dos Apóstolos, p. 119, 120).

Mesmo que nossa história de conversão não seja, nem de longe, tão dramática quanto a de Saulo, todos
devemos ter uma experiência na qual o Senhor tenha atuado em nossa vida para nos mudar e nos transformar
no tipo de pessoa que devemos ser. Evidentemente o processo pode ser longo e, às vezes, é fácil perguntar
se algum dia realmente mudaremos. Em momentos assim, é muito importante meditar em dois textos bíblicos
e reivindicá-los para nossa vida.

Leia Filipenses 1:6 e Romanos 8:1. Quais são as duas grandes promessas encontradas nesses textos e como
elas se encaixam na experiência de um cristão?

Retirado do site:
Quinta-feira, 04 de abril Ano Bíblico: 2Sm 11, 12

Interações
A Bíblia é um livro de relacionamentos. Deus nos criou para que nos relacionássemos com outras pessoas.
De fato, poucos vivem em completo isolamento. Ninguém poderia sequer existir se não fosse através de outras
pessoas. Mesmo após o nascimento precisamos que outros cuidem de nós, pelo menos até uma certa idade,
quando, ao menos em princípio, podemos viver por conta própria. E mesmo se pudéssemos, quem desejaria
isso? A maioria de nós necessita da companhia de outros seres humanos. Embora animais de estimação,
como cães, possam ser agradáveis companheiros, no fim, as interações mais profundas, significativas e
transformadoras vêm de outras pessoas. Portanto, não é de admirar que a família e os relacionamentos
familiares sejam tão cruciais para nossa existência.

Visto que a maioria de nós interage, muitas vezes o tempo todo, com outras pessoas, com frequência essas
interações influenciam as mudanças e o ritmo da nossa vida. E isso funciona de duas maneiras: outras
pessoas, em sua interação conosco, causam impacto em nós ou, em nossa interação com os outros, causamos
impacto na vida deles. E quer percebamos ou não, essas interações, em ambas as direções, podem ser tanto
para o bem quanto para o mal. Portanto, é essencial que sejamos proativos a todo momento, de maneira que
nossa inevitável influência sobre os outros seja sempre para o bem, especialmente sobre aqueles de quem
somos mais próximos, que geralmente são os membros da nossa família.

6. Leia Romanos 15:7; Efésios 4:2, 32; 1 Tessalonicenses 3:12 e Tiago 5:16. O que esses textos nos ordenam
em relação à nossa interação com os outros?

_______________________________________________________________________________________

De muitas maneiras, o princípio é simples. Se agirmos bondosa, gentil e compassivamente com os outros,
seremos uma influência positiva sobre eles, a ponto de mudar sua vida de uma forma muito positiva. Assim
como Jesus transforma a vida das pessoas de modo muito favorável, é nosso privilégio fazer algo semelhante
pelos outros também! Mais uma vez, devemos nos lembrar de que nossa influência será tanto para o bem
quanto para o mal, mesmo que de maneira sutil. E em nenhum lugar essa influência é mais marcante do que
em nossa família.

Leia as declarações de Jesus em Lucas 11:34 e Marcos 4:24, 25. Qual é a importância da maneira como
interagimos com os outros?

Retirado do site:
Sexta-feira, 05 de abril Ano Bíblico: 2Sm 13, 14

Estudo adicional
Imagine as mudanças que ocorreram na vida dos discípulos de Cristo à medida que eles passavam tempo
com o Salvador. Em sua maioria, eles não tinham escolaridade, eram simples, acostumados com os
ensinamentos e tradições de sua fé judaica, mas agora estavam sendo desafiados pelo Mestre galileu. Eles
sentiram ciúmes (Mt 20:20-24) e enfrentaram discordâncias (Jo 3:25); eles pareciam carecer de fé (Mc 9:28,
29) e até abandonaram (Mt 26:56) e negaram Jesus (Mt 26:69-74). No entanto, cresceram espiritualmente de
maneira que as pessoas reconheceram que Pedro havia estado com Jesus (Mt 26:73). Até mesmo os membros
do Sinédrio ficaram maravilhados quando perceberam que, embora Pedro e João fossem “homens iletrados e
incultos”, sua ousadia e convicção, bem como o poder do Espírito, mostravam que eles haviam “estado com
Jesus” (At 4:13).

Pense na grande influência positiva que poderíamos exercer em nossa família se vivêssemos de maneira que,
quando nossos queridos nos vissem, eles soubessem que temos “estado com Jesus”.

O que essas palavras de Ellen G. White revelam sobre influências no lar? “O lar pode ser simples, mas pode
sempre ser um lugar em que se profiram palavras alegres e se pratiquem atos de bondade, onde a cortesia e
o amor são hóspedes constantes” (O Lar Adventista, p. 18).

Perguntas para discussão

1. Leia Eclesiastes 3:1-8. O que esses versículos afirmam e como você pode aplicar o princípio ali mencionado
à sua vida e experiência?

2. Pergunte na classe: Quais lições você aprendeu com as experiências transformadoras da vida? Quais lições
você deveria ter aprendido, mas não aprendeu? Fale do impacto dessas experiências sobre sua família. Quais
lições você aprendeu nessas situações?

3. Comente sobre sua vida. Se não fosse por Cristo, ela seria radicalmente diferente do que é hoje? O que
isso revela sobre o poder de Cristo para nos transformar?

Respostas e atividades da semana:

1. Não há nenhum sinal de casualidade na criação do mundo. Deus planejou e executou todas as coisas de
maneira perfeita. Ele é sábio e organizado.
2. As estações do ano são relativamente estáveis e governam a época da semeadura e da colheita, do frio e
do calor, etc. Tudo é ordenado.
3. O tempo de nascer e de morrer, de plantar e de colher. [...] Grande parte dessas fases passamos em
companhia da nossa família.
4. A.
5. F; V.

6. Acolher as outras pessoas; suportá-las em amor; ser bondosos com elas; perdoá-las, etc.

Retirado do site: