Você está na página 1de 2

RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS X RESÍDUOS DE SERVIÇO DE SAÚDE

 RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS


Os chamados Resíduos Sólidos Urbanos (RSUs, de acordo com a norma NBR.10.004
da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT), vulgarmente denominados
como lixo urbano, são resultantes da atividade doméstica e comercial dos centros
urbanos. Ex.: Matéria orgânica, papel e papelão, plásticos, vidro, metais e outros >>
COLETA SELETIVA

 RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE (RSS)


Os resíduos sólidos são classificados quanto aos seus riscos potenciais ao meio
ambiente e à saúde pública, conforme definição estabelecida na NBR 10.004:2004
(tóxicos, corrosivos, inflamáveis e reativos).
O ordenamento jurídico, notadamente a norma RDC ANVISA nº 222/18 (ANTIGA RDC
306) e a Resolução CONAMA nº 358/05, define como geradores de resíduos de serviços
de saúde todos os serviços relacionados com o atendimento à saúde humana ou animal.

 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS


A RDC ANVISA nº 222/2018, no seu capítulo II, define que é da competência dos
serviços geradores de RSS a designação de profissional para exercer a função de
responsável pela elaboração, implementação e coordenação do Plano de
Gerenciamento de RSS (PGRSS), pelo provimento e pela comprovação de
treinamentos e capacitações para o pessoal envolvido, pelo atesto de licença ambiental
e pelo documento de cadastro no órgão de limpeza urbana (documentos entregues pela
prestadora de serviços terceirizados), pela requisição de documento perante os
encarregados da coleta, do transporte, do tratamento ou da disposição final dos
resíduos que identifique a conformidade com as orientações dos órgãos de meio
ambiente, pela manutenção de registro de operação de venda ou doação dos resíduos
destinados à reciclagem ou compostagem, dentre outros.

 PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE


(PGRSS): documento que aponta e descreve todas as ações relativas ao gerenciamento
dos resíduos de serviços de saúde, observadas suas características e riscos,
contemplando os aspectos referentes à geração, identificação, segregação,
acondicionamento, coleta, armazenamento, transporte, destinação e disposição final
ambientalmente adequada, bem como as ações de proteção à saúde pública, do
trabalhador e do meio ambiente
AMBICAMP: OFERECE PGR FÍSICO > TREINAMENTO POR VÍDEO AULA E
PRESENCIAL, EMBALAGEM, CDR, FLEXIBILIDADE NAS COLETAS.

 CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

Por isso, na operacionalização dos RSS, faz-se mister realizar a identificação dos tipos
de resíduos tanto nos locais de armazenamento quanto nos recipientes de coleta interna
e
externa

Aterro Classe I: Para resíduos perigosos


Aterro classe II: para resíduos não perigosos e inertes
Incineração: resíduos sólido e líquidos > coprocesamento, pois enquanto os resíduos
são destruídos no interior do forno, acontece a produção de cimento (logística reversa).

REAGENTES > CÓPIA DO MAPA > EMBALAGEM ORIGINAL EM CAIXA DE


PAPELÃO