Você está na página 1de 8

Como a Medicina Chinesa pode ajudar no tratamento da Depressão?

Segundo a ONU (organização das Nações Unidas), a depressão é uma das doenças que
mais cresce e incapacita pessoas mundialmente.

De acordo com a psiquiatria, é um distúrbio, um sintoma ou uma doença com


característica emocional, mas que também tem suas bases orgânicas. A pessoa com depressão
pode apresentar os seguintes sintomas: tristeza, pessimismo, baixa autoestima, falta de energia,
angústia, alteração de humor, perda de apetite ou aumento de apetite, perda de interesse ou
prazer, e em alguns casos, ansiedade. Sem médias palavras, a depressão pode ser interpretada
como uma desistência da vida, e por isso, muitas vezes pode acabar em suicídio.

De acordo com o DSM -IV-TR, para diagnosticar a depressão em um indivíduo, é preciso


que ele apresente cinco dos sintomas por no mínimo um período de duas semanas e representar
uma alteração a partir do funcionamento anterior sendo humor deprimido ou perda de
interesse ou prazer.

No que diz respeito às bases orgânicas da doença, existem alterações químicas no


cérebro do indivíduo deprimido, principalmente com relação aos neurotransmissores
(serotonina, noradrenalina e, em menor proporção, dopamina). Estas substâncias são, entre
outras, responsáveis por transmitir impulsos nervosos entre as células. A serotonina é
considerada o principal neurotransmissor responsável pelo equilíbrio do humor e da sensação
do bem-estar do sujeito (Galhardo; Mariosa; Takata, 2010). Como também, existem outros
aspectos neuroquímicos que podem estar relacionados á episódios depressivos, como por
exemplo, o uso excessivo de glicocorticoides ou corticosteroides, o qual vai haver uma relação
ao déficit de dopamina, e que são liberados ao ser administrado via oral, como também, em
momentos de stress onde o cortisol é liberado. Portanto, os fatores psicológicos e sociais podem
ser encarados como a consequência e não a causa da depressão, pois a causa pode e deve ser
pensada também de forma fisiológica.

Para a medicina Chinesa a depressão tem sua origem em estados de tristeza e stress
emocional que causam “estagnação do chi no fígado, coração e pulmão”, debilitando estes
órgãos e desequilibrando o sistema energético, e também pode ser vista como uma
“Deficiência”, de modo que, outros fatores também estão relacionados como por exemplo,
estilo de vida, e podem se apresentar de várias formas, por isso é preciso sempre uma
investigação criteriosa para realizar um melhor diagnóstico e seleção de tratamentos.
Segundo Ye Chenggu (1936), a origem da depressão de uma forma geral se deve a
feridas emocionais como excesso de raiva, falta de vontade, preocupação, ansiedade, angústia,
tristeza que conduzem á falta de canalização do fígado, disfunção do baço, má nutrição do
coração, acumulação de fleuma e desequilíbrio entre Yin e Yang, dos órgãos e vísceras.

De acordo com PAIVA (2011), a depressão neste contexto pode se apresentar da


seguinte forma (o que vai depender de onde esteja a deficiência ou estagnação):

Deficiência de QI e do YANG do Rim: desmotivação, falta de força de vontade, falta


de iniciativa, vontade de ficar encolhido, joelhos frios e fracos, urina clara e abundante, micção
noturna e redução da libido.

Deficiência de YIN e QI do Rim: queda de personalidade, desistência da vida, perda


total do controle, falta de força de vontade, apatia.

Deficiência ou Estagnação de QI do Rim: baixa energia constitucional ou por excesso


de uso. Existe o desejo, porém não consegue atingir seus objetivos.

Deficiência ou Estagnação de QI do Coração: carência de calor humano e de afeto.


Timidez, constrangimento, apresenta dificuldade na comunicação e de iniciar relacionamentos.
Sente-se como se estivesse preso, desconforto na região do tórax, sensação de frio, mãos frias,
falta de alegria, solidão, falta de interesse na vida. Tem a sensação de ser amado, mas não ser
digno desse amor.

Estagnação de QI do Coração: frustração nos relacionamentos por dificuldade em


expressar cordialidade e sentimentos. Tristeza, aflição, agitação mental, insônia, agitação ao
anoitecer, sonhos excessivos, palpitações, dor no tórax em punhalada ou sensação de
constrição no tórax, cianose dos lábios e das unhas e mãos frias.

Deficiência de YANG do Coração: desmotivação, tendência a se assustar com


facilidade, palpitações, respiração curta após esforço. Cansaço, Transpiração em excesso.

Deficiência de YIN do Coração: labilidade emocional, fraqueza e nervosismo,


facilmente se cansa e emocionalmente perturbado.

Deficiência e Estagnação de QI do Fígado: falta de planejamento e decisões


imprudentes. Incapacidade e inabilidade para gerir conflitos.

Deficiência do QI do Fígado/Vesícula Biliar: dúvida sobre si mesmo, incerteza,


insegurança, suscetibilidade e hipersensibilidade e uma noção limitada sobre si.
Estagnação de QI do Fígado: sentimento de frustração, sente-se bloqueado pelas
circunstâncias, impotência, aversão em ficar parado, zangado e irritável. Mau-humor,
irritabilidade, ansiedade, frustração e TPM (mulheres).

Fogo no Fígado: raiva reprimida ora raiva expressa; agressividade.

Deficiência de QI do Baço/Pâncreas: preocupação excessiva e questionamentos


mentais.

Estagnação de QI do Baço/Pâncreas: isolamento social, comportamento possessivo e


dependente, dominadores, invasivos e queixosos.

Deficiência de QI do Pulmão: recolhimento e cabeça longe do presente, dificuldade ou


medo de formar vínculos duradouros, vive com foco nas lembranças do passado.

Estagnação do QI do Pulmão: pesar reprimido, apego aos relacionamentos passados,


dificuldade em assimilar perdas, irritabilidade branda, choro excessivo, tristeza, sensação de
“nó na garganta”, dificuldade para engolir, sensação de opressão ou distensão do tórax, ligeira
falta de ar.

Na visão da medicina Chinesa, a depressão pode ser dividida em cinco diferentes tipos,
que estão relacionados com a Teoria dos Cinco Elementos (Paiva, 2011), são elas:

1 - Depressão Água: esse tipo de depressão se caracteriza por uma desarmonia no elemento
água. A essência energética no elemento Água é denominada "Zhi", que mora nos Rins e
representa a raiz do Yin e do Yang, a essência, a iniciativa, o poder de decidir e a confiança. O
paciente com depressão água apresenta os seguintes sintomas: medo e fobias que podem não
ter causa aparente, e esse medo fica claro em situações de risco reduzido, onde somente aquela
pessoa hesita em encarar tal situação. A principal característica é a falta de vontade e o
desânimo. Senso assim, apresenta uma apatia, uma falta de inciativa, sentimento de
incapacidade para resolver as situações (de qualquer natureza), sensação de impotência,
inclusive sexual (onde não existe nenhum problema estrutural que justifique) e podem ser
pessoas que enfrentam problema gênito-urinários.

2 - Depressão Terra: esse tipo de depressão tem como consequência uma desarmonia no
intelecto, ou seja, a pessoa não consegue memorizar o que estuda. Quando a energia do Baço-
Pâncreas é insuficiente ocorre este descontrole, destruindo a calma e a claridade dos
pensamentos. A essência matriz do elemento terra é a essência Yi, que quando em desequilíbrio
sofre e perde a quietude. Reflexão, calma e simpatia compõem a base da matriz emocional do
elemento Terra chamada de Yi. É aquela pessoa que se preocupa demais, e fica remoendo a sua
preocupação e esquece de procurar por soluções para seu problema, justamente porque falta
clareza. A principal característica da pessoa que sofre de depressão tipo Terra são: antipatia,
preocupação excessiva com os problemas alheios e com grande dificuldade em refletir sobre a
sua própria vida (problemas e necessidades). Geralmente, trata-se de pessoas que se mostram
independentes, mas que no fundo são extremamente carentes de auto-nutrição e com o espirito
pesado. É a típica pessoa que pensa demais, mas apresenta pensamentos confusos e com
grande opressão.

3 - Depressão Fogo: esse tipo de depressão envolve problemas afetivos relacionados a rejeição
e desapontamentos em relacionamentos interpessoais: alegria, amor e razão compõem a base
da matriz emocional do coração chamada de Shen, mas quando em desequilíbrio traz
sentimentos opostos. O paciente com depressão fogo tem como característica uma frieza e
distância em relação aos novos relacionamentos, ou seja, trata-se de pessoas que eram
“quentes e sensíveis e que por algum motivo se tornaram frias e apáticas, ou ao contrário,
tornaram-se excessivamente agitadas e hipersensíveis”. É importante enfatizar, que em casos
muitos extremos esta forma de depressão pode gerar comportamentos maníaco-depressivos,
maníacos-sexuais e a loucura, ou seja, aquela excitação excessiva, euforia e a perda total da
razão onde o Shen não encontra a sua verdadeira morada. Geralmente, a pessoa apresenta uma
falta de alegria em viver, possui pouco entusiasmo, desinteresse, falta de inspiração e
capacidade de julgamento desequilibrado.

4 - Depressão Metal: essa forma de depressão é decorrente de perdas materiais. A tristeza está
presente na matriz emocional do elemento Metal, mas especificamente no pulmão. O
sentimento de tristeza ajuda o sujeito na aceitação, o que o leva na expressão máxima do
pulmão: a reverência. O Pulmão também tem a função de proteger o sujeito. Assim, pode-se
observar as relações entre o Pulmão e a pele (barreira defensiva) e a energia defensiva Wei.QI.
O paciente que sofre de depressão do tipo metal tem como características: sente-se de alguma
forma desamparado, e este desamparo pode se apresentar tanto no sentido físico como
material, como por exemplo, a morte de um ente querido, a perda de um bem estimado, entre
outros. Está relacionada a sentimentos de melancolia, resignação, pessimismo e remorso.

5 - Depressão Madeira: a depressão do tipo madeira geralmente é provocada por excesso de


tensão e pressão. Ela fica evidente em situações de stress muito prolongado como também,
quando ocorre algum tipo de fracasso. É causada pela estagnação do Qi no Fígado. Geralmente,
pacientes com depressão madeira são pessoas que trabalham arduamente, ambiciosas e que de
repente perdem a motivação e o foco, e isso ocorre, quando envolve algum motivo de fracasso
que os forçam a abandonarem alguma ação, projeto, emprego, entre outros, ao qual foi muito
desejado, fazendo com que todo o sentido de viver desapareça. Tem como principais sintomas
a frustração, irritabilidade, sensação de opressão, falta de movimento, desgosto, colapso e
prostração, perda de propósito de vida e falta de perspectiva.

Tratamento:

O tratamento para depressão requer muitos cuidados e deve ser encarado de forma
multidisciplinar, sedo assim, pode-se dizer que a medicina chinesa é uma das alternativas
eficazes que favorecem a resposta do cliente ao tratamento. De acordo com Servan-Schereiber
(2004), a ação da acupuntura possui o mesmo ritmo da ação dos medicamentos antidepressivos
aos quais os chineses haviam comparado. Mas para que a resposta seja eficaz é fundamental
uma avaliação e seleção de pontos de acordo com o tipo de depressão apresentado e de acordo
com as características do paciente, mas um dos pontos principais a serem trabalhados são: F3,
VG20, P6 e B6 que estimula rim, fígado e baço.

A auriculoterapia também é uma forma muito eficaz de tratar a depressão e que pode ser
realizada após a sessão de acupuntura para prolongar os efeitos da aplicação no organismo do
sujeito. Dentro deste contexto, os principais pontos a serem trabalhados na auriculoterapia são:
shenmen, ponto antidepressivo, coração, baço, suprarrenal, rim, mas também podem ocorrer
variações de acordo com a necessidade do cliente o objetivo do acupunturista.
A psicoterapia é fundamental para tratar a depressão, e aliado aos recursos que a medicina
tradicional chinesa oferece como tratamentos, os resultados podem ser muito mais eficazes,
seja através da acupuntura, auriculoterapia, fitoterapia, entre outros.

É fundamental pensar o indivíduo como um todo e nunca se esquecer de cada sujeito é único e,
que para cada caso é necessário um cuidado e tratamento específico. Um bom profissional
nunca se esquece disso, e jamais utiliza protocolos prontos.

Além da psicoterapia e a prática da medicina chinesa, existem também outros fatores que
contribuem para a melhora da depressão, principalmente no que diz respeito a mudança de um
estilo de vida e da percepção do mundo a sua volta. A seguir, segue algumas dicas.

Dicas para sair da depressão:

 Trabalhe a autoestima e aprenda a gostar de si exatamente como você é;


 Busque uma visão mais positiva sobre a vida;
 Mantenha-se com hábitos saudáveis, ou seja, pratique atividade física, meditação e
cuide de uma alimentação saudável e equilibrada;
 Realize atividades sob a luz do sol e procure coisas que lhe dão prazer de viver;
 Pratique o exercício da gratidão;
 Perdoe quem precisa ser perdoado;
 Cobre-se menos;
 Encare a vida de frente e pare de achar que você é vítima;
 Não tenha vergonha de procurar ajuda profissional;
 Faça terapia;
 Fique longe de pessoas pessimistas e negativas e mais perto de pessoas que te coloca
para cima;
 Compartilhe suas emoções;
 Aprenda com os erros e dificuldades e sempre siga em frente;

Depressão é uma doença que deve ser levada a sério, ela tem cura e deve ser tratada o mais
rápido possível. Se você se encontra nesta situação, não tenha vergonha de procurar ajuda, ou
se conhece alguém que necessita de ajuda incentive-a ao tratamento. Quanto antes iniciar um
tratamento, melhores os resultados e menores os danos na vida do paciente e das pessoas a sua
volta.
REFERÊNCIAS UTILIZADAS

American Psychiatric Association et. Al. DSM-5 - Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos
Mentais. Ed: Artmed, 2014.

David Servan-Schreiber. Curar. O Stress, a ansiedade e a depressão. Ed. Sá, 2004.

GALHARDO, V. A. C.; MARIOSA, M. A. S.; TAKATA, J. P. I. Depressão e perfis sociodemográfico e


clínico de idosos institucionalizados sem déficit cognitivo. Revista Médica de Minas Gerais, Belo
Horizonte, v. 20, n. 1, p. 16-21, 2010. Disponível em: Acesso em: 11 abr. 2019.

PAIVA, Regiane do Carmo. Acupuntura no Tratamento da Depressão. São José dos Campos:
Unisaúde/Centro de Estudos Firval / Especialização em Acupuntura. Monografia de pós-
graduação, 2011. Disponível em: http://www.firval.com.br/ftmateria/1411747007.pdf.
Acessado em 17/03/2019.
Ye Chenggu. Tratamento das doenças mentais por acupuntura e moxabustão. Ed: Roca, São
Paulo,1936.

LINKS UTILIZADOS

https://nacoesunidas.org/depressao-afeta-mais-de-300-milhoes-de-pessoas-e-e-doenca-que-
mais-incapacita-pacientes-diz-oms/