Você está na página 1de 11

Segundo Rezende “...

Ausência completa de movimentos e ausência total de rigidez


muscular em qualquer parte do corpo. Os nervos que vão e partem dos músculos
permanecem inativos”.

O relaxamento por si só, possui um valor terapêutico, já que ao longo dos séculos a
capacidade de relaxamento da massagem tem sido usada para tratar muitas condições,
como histeria e astenia.

A massagem relaxante é uma técnica aplicada no corpo todo com movimentos lentos e
suaves, proporcionando um relaxamento, e conforto para o paciente. Esta técnica tem
como objetivo principal suavizar e acalmar, ajudar na redução do estresse e induzir a
uma profunda e agradável sensação de bem-estar. É pelo toque que a massagem
desencadeia transformações físicas e emocionais que cria por vezes uma sensação de
descanso, paz e realização tanto no corpo como na mente.

Introdução a Massagem Relaxante


A técnica de massagem relaxante caracteriza-se como uma técnica sedativa e calmante,
que deve ser realizada com manobras lentas e superficiais em um ambiente calmo a
aconchegante. Com o objetivo de induzir o paciente ao relaxamento físico e mental,
através do toque e de manipulações nos tecidos. O terapeuta deve ter o cuidado de
manter sempre a velocidade, ritmo e pressão das manobras.

Velocidade, Ritmo e Pressão das Manobras de Massagem.

A maioria das manobras tem direção centrípeta, respeitando o retorno venoso e


linfático, e seguem o sentido das fibras musculares.

A pressão, velocidade e ritmo das manobras devem ser adaptados conforme o objetivo a
ser alcançado. Na massagem relaxante as manobras devem seguir um ritmo harmônico,
sempre iniciando de forma mais lenta e superficial e gradualmente atingir pressão e
velocidades maiores. A harmonia das manobras é essencial para o relaxamento do
paciente. A pressão é adequada a cada paciente, para o fim de relaxamento não deve
promover dor nem desconforto. A velocidade deve manter-se lenta, promovendo
tranquilidade.

Quanto à velocidade:

Manobras lentas e superficiais tem efeito calmante.

Manobras lentas e profundas aumentam a absorção e retorno venoso e linfático.

Manobra rápida e profunda tem efeito excitante, estimulante e desintoxicante.

Postura do terapeuta...

Quem quer fazer massagem tem que gostar "de gente, de toque". O cliente precisa de
confiar e saber que o terapeuta tem seriedade no que faz.

 Aspetos éticos

Benefícios

 Diminuição da pressão arterial;


 Estimulação do sistema imunológico;
 Redução de insónias relacionadas com o stress;
 Prevenção do envelhecimento;
 Tratamento de ansiedade;
 Estimulação dos sentimentos positivos;
 Aumentar a energia e estimular o intelecto;
 Aumentar a autoestima;
 Potenciar a respiração;
 Reduzir a fadiga muscular e diminuir o cansaço;
 Estimular o sistema nervoso de forma eficaz;
 Estimular e equilibrar o sistema digestivo;
 Melhorar a elasticidade da pele e a circulação sanguínea;
 Ajudar a combater a hipertensão arterial.
 Proporcionar sensação de conforto e bem-estar;

Posicionamento do Cliente

A posição do cliente é muito importante para se obter um bom resultado, pois é preciso
que o paciente se encontre bem relaxado. A parte que não for massageada deverá ficar
coberta.

Posições utilizadas:

Decúbito dorsal;
Decúbito ventral;

Fowler, apoiado anteriormente;

A posição de decúbito é recomendada uma vez que permite o relaxamento dos músculos
abdominais, as coxas encontram-se apoiadas de modo a melhorar o fluxo sanguíneo e
linfático.

Em todas as posições a cabeça, os ombros e as outras partes do corpo deverão estar


apoiados.

Como deve ser realizada...

 Alisamento;
 Deslizamento
 Amassamento;
 Percussão;
 Tamponamento;
 Fricção;
 Pressão/compressão;
 Vibração;
 Manipulação.

*Contato permanente;

*Pressão: superficial - profundo – superficial

*Toque suave e leve, lento, vistoso, místico, pensativo;

Pontos fulcrais

Ambiente calmo e confortável ("Zen");

Bom senso/ obter feedback do cliente;

Poderá ser interessante utilizar música, sem vozes ou barulhentas.

*Quanto mais profundo e devagar é o toque durante a massagem, mais relaxado à


pessoa ficará.

Ambiente

 Limpo e acolhedor;
 Fraca luminosidade;
 Arejado;
 Espaçoso;
 Tranquilo e silencioso;
 (Alternativa) música em baixo volume que induza ao relaxamento;
 Temperatura amena.
 Assegurada privacidade e não interrupção da sessão.

Material Necessário...

 Maca de massagem (com orifício) ou cadeira de massagem;


 Toalhas para poder cobrir o corpo dos seus clientes e para poder limpar os
óleos de massagem.
 Óleos/cremes de massagem para melhorar ainda mais a sensação do seu cliente.
 Velas para criar um ambiente mais relaxante. (ex: velas aromáticas);
 Mãos.

Óleos e Cremes

 Cremes:
 Hipoalergénico;
 Neutro.

Óleos frescos, de:

 Limão alfazema;
 Laranja;
 Uva;
 Camomila;
 Alperce;
 Amêndoas doces;
 Entre outros...
Contra indicações

Trombose; Doenças de pele


Embolias; Neoplasia de pele
Flebites; Taquicardia
Infecções; Gravidez
Febre; Hematoma grave
Gânglios inchados; Reações alérgicas
Fraturas ósseas; Imediatamente após cirurgia
Osteoporose grave
Manipulações de Manobras de Massagem Relaxante

Deslizamento Superficial e Deslizamento Profundo

Definição:

Um movimento de deslizamento ou alisamento é realizado com toda a superfície palmar


de uma ou ambas as mãos. Quando realizado lentamente, o alisamento ajuda o paciente
a relaxar. Este movimento também se mostra útil na união das sequências de outros
movimentos. Deve-se iniciar a massagem com deslizamento superficial e gradualmente
aumentar a pressão passando a aplicar o deslizamento profundo. Efeitos do
Deslizamento Superficial e Profundo:

Os efeitos terapêuticos são gerados principalmente mediante um impacto mecânico


direto nos tecidos, e reflexamente por meio do sistema nervoso sensitivo.

Pode ser obtido um relaxamento significativo, produzindo um efeito sedativo, que pode
aliviar a dor e o espasmo muscular.

Quando realizado de forma rápida e suave, o alisamento exerce um efeito estimulante


nas terminações nervosas sensitivas, resultando num efeito generalizado de
revigoramento. Quando aplicado de forma suave e lenta têm-se um efeito calmante.

O alisamento profundo pode causar a dilatação das arteríolas nos tecidos mais
profundos e também nas estruturas superficiais.

Usos terapêuticos do Deslizamento:

 Como meio para ajudar o paciente a acostumar-se com o contato das mãos do
terapeuta. Ajuda relaxamento geral ou local.
 Como meio de proporcionar informações sobre os tecidos do paciente.
 Como ajuda no alívio do espasmo muscular e, portanto, indiretamente no alívio
da dor associada.
 Como ajuda no alívio da flatulência ou outros distúrbios do movimento
intestinal, pelos efeitos mecânicos no conteúdo intestinal.
 Na promoção do relaxamento e indução do sono, em pessoas que sofrem de
insônia.

Contra-indicações

Grandes áreas abertas (por exemplo, queimaduras ou ferimentos)

Edema muito extenso, caso pareça haver perigo de causar solução de continuidade na
pele.

Varicosidades significativas, caso possa resultar alguma lesão às paredes venosas. (Pode
haver possibilidade de um alisamento muito leve).
Áreas de hiperestesia (muito sensíveis ao contato).

Áreas extremamente pilosas (se o alisamento causar dor).

Effleurage

É um movimento de deslizamento lento, realizado com pressão crescente e na direção


do fluxo veno linfático (direção centrípeta). Sempre que possível o movimento termina
com uma pausa definida, em um grupo de nodos linfáticos superficiais.

É útil para facilitar a circulação e para o acabamento de uma sequência de massagem.

É realizada com a superfície palmar de uma ou das duas mãos, alternadamente ou de


forma simultânea, sempre de distal para proximal. Ao final de cada movimento, pode-se
deixar que as mãos retornem a sua posição inicial por meio de um deslizamento suave,
ou podem ser erguidas da superfície do corpo, retornando “pelo ar” até a posição inicial.

Efeitos da Effleurage:

•O fluxo de sangue é impelido na direção do coração através da pressão mecânica e


quando a pressão é relaxada, as válvulas existentes nas veias impedem o fluxo
retrógrado;

•Remoção de produtos do catabolismo pela melhor circulação linfática;

•Estimula a circulação pelo aumento do fluxo nas veias e linfáticos, aliviando a


congestão nos capilares;

•Aumenta a mobilidade dos tecidos moles superficiais, melhorando a amplitude do


movimento;

Amassamento

Definição

Amassamento é uma manipulação em que os músculos e tecidos subcutâneos são


alternadamente comprimidos e liberados. Durante a fase de pressão de cada movimento,
a mão (ou mãos) e a pele se movem conjuntamente sobre as estruturas mais profundas.
Durante a fase de liberação (relaxamento), a mão (ou mãos) desliza suavemente até uma
área adjacente, e o movimento é repetido.

Efeitos do Amassamento

Sobre a circulação, pela compressão e relaxamento alternados dos músculos, as veias


(tanto superficiais como profundas) se esvaziam e enchem alternadamente. Assim, fica
aliviada a congestão nos leitos capilares, e melhora o fluxo de sangue proveniente das
arteríolas para os capilares. O fluxo da linfa fica estimulado pelo mesmo mecanismo.
A administração de um amassamento vigoroso provoca vasodilatação na pele. A
temperatura cutânea da parte também pode elevar-se ligeiramente. Este efeito é
produzido talvez pela liberação de substâncias produtoras de vasodilatação.

Nos músculos, aumenta a irrigação sanguínea. Os produtos imprestáveis do


metabolismo são eliminados mais prontamente, em decorrência da aceleração no fluxo
venoso e linfático. O amassamento lento e rítmico relaxa os músculos e reduz a dor.

Na pele e nos tecidos subcutâneos, o aumento da irrigação sanguínea é importante para


a promoção da resolução dos processos inflamatórios da pele e tecidos subcutâneos. A
pele é mobilizada pelas manipulações, e isso promove sua elasticidade.

Contraindicações do Amassamento

 Amassamento profundo em lacerações musculares agudas (especialmente


hematomas intramusculares).
 Amassamento em torno de articulações agudamente inflamadas.
 Doenças cutâneas (especialmente dermatite aguda, psoríase ou qualquer
infecção cutânea comunicável).
 Lesão ou doença dos vasos sanguíneos e. Doença maligna (câncer ou
tuberculose), na área sob tratamento ou proximidades.
 Infecção bacterianas nas áreas sob tratamento, ou em suas proximidades,
sobretudo infecções em articulações.

Beliscamento:

Um ou mais músculos são agarrados, erguidos dos tecidos subjacentes, comprimidos e


soltos (liberados). O agarramento e a liberação são realizados em um movimento
circular, habitualmente na mesma direção das fibras musculares.

Visa aumentar a mobilidade muscular, facilitando o movimento articular.

Torcedura:

Os tecidos são levantados com ambas às mãos e comprimidos alternadamente entre os


dedos e o polegar das mãos em oposição. As mãos movimentam-se alternadamente ao
longo do eixo longitudinal do músculo, operando transversalmente às fibras musculares
e estirando os tecidos.

Esta também é uma técnica realizada amplamente em tecido muscular, com a finalidade
de mobilização de músculos individuais ou grupos de músculos visando aumentar a
mobilidade muscular, facilitando o movimento articular.

Rolamento na pele:

Os tecidos subcutâneos são rolados sobre as estruturas mais profundas visando a


mobilização entre a pele e as estruturas subcutâneas facilitando o movimento articular
que possa ter ficado comprometido por uma imobilização excessiva da pele.
As mãos repousam completamente, lado a lado, sobre a superfície cutânea, com os
polegares esticados e afastados o mais longe possível. Os dedos estendidos arrastam os
tecidos na direção dos polegares produzindo uma prega de pele entre os dedos e os
polegares. Em seguida, os polegares comprimem os tecidos na direção dos dedos
rolando-os em torno daquela parte do corpo em um movimento ondular.

Percussão:

Abrange vários movimentos distintos de massagem que se caracterizam por partes


variadas da mão golpeando os tecidos em uma velocidade bastante rápida.
Habitualmente, as mãos operam alternadamente, os pulsos são mantidos flexíveis, de
modo que os movimentos são leves, elásticos e estimulantes.

Efeitos da Percussão:

Efeito Mecânico:

Aplicada adequadamente sobre o tórax, a percussão pode auxiliar na eliminação do


muco aderida no trato respiratório;

Efeitos Reflexo: A aplicação de cutiladas sobre os músculos espinhais pode induzir a


uma sensação geral de calor e revigoramento. Executada sobre as fibras musculares
produz um efeito de estiramento que reflexamente facilita a contração muscular.

Uso Terapêutico da Percussão:

Tratamento dos distúrbios crônicos do tórax;

Efeito estimulante geral;

Alivia a nevralgia após amputação, traumatismo ou qualquer outro processo patológico;

Palmada

As mãos em concha golpeiam rapidamente a superfície cutânea, comprimindo o ar e


provocando uma onda de vibração que penetra nos tecidos.

As palmadas são realizadas com rapidez visando estimular os tecidos. Quando efetuadas
sobre os pulmões ajudam a mobilizar secreções.

Pancada ou batimento:

É um movimento em que as mãos fechadas golpeiam, alternadamente, a parte do corpo,


de modo que a região dorsal das falanges médias e distais dos dedos e a região tênar e
hipotênar da mão entrem em contato com os tecidos. Os objetivos são os mesmos da
palmada.
Socamento:

É o movimento em que as bordas ulna das mãos frouxamente cerradas golpeiam


alternadamente e em rápida sucessão a superfície corporal.

Fricções

Definição

As fricções consistem de movimentos breves, precisamente localizados e


profundamente penetrantes realizados numa direção circular. Esses movimentos
profundos são habitualmente realizados pelas pontas dos dedos, embora a almofada do
polegar ou palma também possa ser utilizada.

Efeitos da Fricção

A pressão profunda e contínua nos tecidos causa lesão local e libera uma substância
similar à histamina e outros metabólitos que atuam diretamente nos capilares e arteríolas
do local, causando vasodilatação. A magnitude da resposta depende da profundidade da
manipulação e da duração da aplicação.

A vasodilatação local promove um aumento do líquido tecidual na área, o que provocará


distensão local. Com efeito, o movimento produz uma inflamação controlada da área-
alvo e ao mesmo tempo, mobiliza as estruturas que não estavam tendo uma mobilidade
correta. Se a manipulação for mantida por algum tempo, pouquíssimos efeitos sensitivos
serão percebidos pelo paciente, mas inicialmente ela pode ser dolorosa. De fato, a
fricção profunda produz uma resposta muito eficaz, se bem que dolorosa.

Contraindicações da Fricção

 Lacerações musculares agudas (sobretudo hematomas intramusculares).


 Articulações agudamente inflamadas.
 Doenças de pele (sobretudo dermatite aguda, psoríase ou qualquer inflamação
cutânea comunicável) na área a ser tratada.
 Vasos sanguíneos lesionados ou enfermos na área a ser tratada.
 Neoplasia ou tuberculose na área a ser tratada ou proximidades
 Infecções bacterianas na área a ser tratada, ou em suas proximidades, sobretudo
infecções articulares.

Vibração

Definição

A vibração é aplicada com uma ou duas mãos, em que um delicado movimento de


agitação, ou tremor, é transmitido aos tecidos. Efeitos da Vibração:

Quando aplicada sobre o tórax objetiva soltar o muco aderente dos pulmões, sobre o
estômago e intestinos causam mobilização de gases. Sobre os músculos pode ser
empregada como técnica de facilitação da contração muscular (reflexo de estiramento) e
sobre os nervos podem aliviar a dor e alguns casos de nevralgias.

Contraindicações

 Movimentos executados sobre fraturas de costela a risco de lesão pulmonar.


 No tórax, em casos de insuficiência cardíaca congestiva, especialmente
associada à trombose coronariana, e em casos de embolia pulmonar, risco de
causar bloqueio nos vasos pulmonares.
 Hipertensão severa.
 Hiperestesia, esta manobra pode ser demasiadamente dolorosa.
 Espasticidade (poderá aumentar).
Referências

BORGES, F. S. Dermato-funcional: modalidades terapêuticas nas disfunções


estéticas. São Paulo: Phorte, 2006.
GUIRRO, E.; GUIRRO, R. Fisioterapia dermato-funcional. 3. ed. São Paulo:
Manole, 2002.
cassar, m.p. Livro MASSAGEM TERAPÊUTICA digital source
GUYTON, A. C. Fisiologia humana. 6. Ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara
Koogan, 1988.
JÚNIOR, A. A. Elementos de anatomia e fisiologia humanas. 39. Ed. São Paulo:
Companhia Editora Nacional, 1976.
www.sogab.com.b

Você também pode gostar