Você está na página 1de 2

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

LICENCIATURA

Disciplina: FUNDAMENTOS DA
EDUCAÇÃO FÍSICA INCLUSIVA E Tarefa: atividade do ciclo 3
ADAPTADA
Nome: Cíntia Oliveira Carra RA: 1158407 Turma: DGEFL1402VILA0S
Parecer do Tutor:

Projeto de Prática––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Título do Projeto “Atendimento escolar na perspectiva da inclusão ou integração”
1ª Etapa – realização de uma entrevista
• Quantos alunos com necessidades educacionais especiais participam das aulas de Educação
Física e quantos não participam?
R:Na turma da 8° série há 13 alunos com necessidade especial e apenas 1 não participa
de todas as atividades por ter problemas motores nos membros inferiores.
• Existe alguma estratégia por parte do professor para o atendimento dos alunos com
necessidades educacionais especiais durante a realização das atividades? Qual?
Sim, busco adaptar as atividades para os alunos que tem a necessidade especial,
principalmente para eles compreenderem a atividade e para que realizem a atividade
junto com os outros colegas que não tem nenhuma deficiência.
• Existem barreiras que possa a vir a dificultar a participação destes alunos nas atividades?
Quais?
R:Não, contanto que o profissional envolvido busque estratégias para o bom
entendimento desses alunos durante as atividades.
• Quais necessidades educacionais especiais que estes alunos apresentam (deficiência física,
auditiva, visual, intelectual, altas habilidades ou condutas típicas)? Como eles estão
distribuídos nas atividades? Por exemplo, um aluno com surdez no 6º ano, um com
deficiência intelectual no 2º ano, e assim por diante.
R:De todas as turmas apenas a turma do 8° C tem alunos com deficiência auditiva,
sendo que apresenta um total de 13 alunos.
• Você, como professor (a) de Educação Física, realizou algum curso ou tem recebido alguma
formação específica acerca do trabalho com a de alunos necessidades educacionais especiais
ou alguma deficiência? Se sim, como foram esses cursos e/ou formação? Informe,
adicionalmente, se eles foram propostos pela rede pública ou se procurou por iniciativa
própria.
R:Realizei alguns cursos nas áreas de inclusão social e educação física adaptada, ambos
oferecidos em cursos de formação continuada para professores da rede pública.
• A escola na qual você atua como professor (a) conta com um setor responsável pela
educação especial? Se sim, esse setor tem promovido o apoio à inclusão, garantindo recursos
humanos materiais que viabilizem o atendimento de qualidade aos alunos?
R:Sim contamos com um setor responsável pela acessibilidade e educação especial em
nossa escola que fornece todo o suporte necessário aos professores e aos alunos, dentre
as minhas turmas por exemplo em que tenho 13 alunos com necessidades especiais tenho
CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA
LICENCIATURA

duas professoras intérpretes de libras para que haja a comunicação necessária com os
alunos.
• Como os alunos necessidades educacionais especiais têm sido avaliados na Educação
Física?
R:Eles são avaliados normalmente como os outros alunos, até porque a deficiência deles
não afeta o lado físico, os mesmos praticam atividades físicas normalmente, somente
uma aluna não tem toda a aptidão física, entretanto atividades de menos impacto ou
ainda em sala ela executa normalmente e é avaliada por isso.
• Visando à organização da Educação Física Adaptada, em sua opinião, o que precisa ser
melhorado na sua escola?
R:Nós professores de educação física precisamos de uma sala onde haja recursos
pedagógicos para tralharmos não somente com alunos especiais, mais também com o
todo, conteúdos como ginásticas, danças etc. Visando a acessibilidade para o ambiente
melhorar para os alunos especiais é preciso que todos os alunos independente da série
tenha a disciplina de libras em sua grade para que os alunos especiais tenham a
possibilidade de se comunicar como nós.

2ª Etapa – Relatório conclusivo de análise

A escola visitada foi a Escola Estadual Marechal Rondon que é uma escola especializada em
ensinar alunos com algumas necessidades especiais, como exemplo há uma sala com 13
alunos com eficiência auditiva, em outros anos a escola já atendeu alunos com paralisia
infantil e cegueira; hoje pode-se dizer que essa escola adotou em seu modelo de trabalho uma
perspectiva de inclusão, pois conta com todos os recursos pedagógicos para a aprendizagem
desses alunos, a escola conta com uma sala de atendimento para alunos com altas habilidades
(atividades de pintura, poesia, dança etc.) e com duas intérpretes de LIBRAS das quais ficam
na sala de aula para atendimento dos alunos com deficiência auditiva, assim eles conseguem
atingir o mesmo nível de aprendizado que os ouvintes. Nas aulas de educação física a
professora adapta atividades que permitem a inclusão dos alunos surdos com os ouvintes, por
meio de atividades que fazem com que os alunos ouvintes entendam as dificuldades dos
outros e aprendam a conviver e respeitar as diferenças.

Referencias Bibliográficas

PEDROSO, C. C. A; CAMPOS, J. A. de P.P.; ROCHA, J. C. de M. Fundamentos da


Educação Inclusiva. Batatais: Claretiano,2013. Unidade 3.

VAN MUSTER, M. A. Educação Física Especial e Adaptada. Batatais: Claretiano,


2013.Unidade 2.