Você está na página 1de 5

Como Pescar Carpas

O Cyprinus carpio, de nome popular carpa, é um peixe encontrado na Ásia, Europa e na


maioria dos rios dos Estados Unidos. Pertencente à família dos vairões, foi trazida para os
Estados Unidos em 1877 para servir de alimento à crescente população do país. Há décadas,
ela é desprezada há décadas pelos amantes da pescaria, mas começa lentamente a recuperar a
popularidade de outrora.[1] Apanhar a carpa é como apanhar qualquer outro peixe, mas você
pode lançar mão de algumas técnicas específicas para ampliar suas chances de êxito.

Escolha uma vara de fibra de vidro, fibra de carbono ou de composto de grafite e cerâmica.
Lembre-se de que o grafite tende a estilhaçar-se com o peso de peixes maiores, e portanto
deve ser evitado a não ser que você saiba que vai apanhar somente pequenas carpas. Como a
variedade de marcas disponíveis no mercado é grande, pesquise antecipadamente, leia
resenhas de outros usuários e leve em conta o preço que você está disposto a pagar.

Para pescar pequenas carpas, uma vara de grafite com 1,4 kg de capacidade vai bastar.

A carpa comum pode ter até 30 kg, exigindo que você use uma boa vara.[2]

Providencie milho doce ou massa de isca. Iguaria muito apreciada pelas carpas, o milho doce
enlatado é a melhor isca para quem deseja apanhá-las. Embora o milho convencional funcione,
o milho doce contém açúcares, sais e aminoácidos que o tornam ideal para a pesca de carpas.

A massa de isca, feita de proteínas de peixe ou de leite, ovos e grãos, é uma alternativa ao
milho.[3]

A cor forte do milho ajuda a chamar a atenção da carpa.

Ração, cânhamo, junça, milho cru, grão-de-bico e larvas são outras iscas possíveis.

Providencie uma linha monofilamento ou multifilamento resistente. Havendo a


probabilidade de você apanhar um espécime grande, é importante levar uma linha forte o
bastante para suportar o peso dele. Tente descobrir o peso médio da carpa na sua região e
compre uma linha monofilamento de capacidade compatível. A capacidade da linha é
geralmente apresentada no rótulo ou na gôndola do ponto de venda. Se você sabe que só vai
apanhar carpas de 450~900 g ou menores, uma linha multifilamento serve.

A linha monofilamento propicia nós mais confiáveis, que são muito importantes para
certas modalidades de pesca.

A linha monofilamento de náilon tem uma flutuabilidade próxima de zero, e pode ser
esticada e absorver o impacto de peixes grandes.[4]
4

Compre um anzol com fisga para diminuir as chances de que o peixe escape. Evite anzóis
grandes, que permitem à carpa mordiscar a isca sem se deixar apanhar por eles.[5] Ademais,
seu tamanho avantajado faz com que sejam facilmente farejados, sentidos e avistados por
elas.[6]

Verifique se anzóis com fisga são permitidos na sua região, pois eles são ilegais em certas
áreas.

Use roupas confortáveis. Lembre-se de usar uma indumentária apropriada para o tempo. Se
você vai pescar num corpo d'água caudaloso, prepare-se para a lama e as algas que encontrará
na área equipando-se com um bom par de botas, que ajuda a evitar pé-de-trincheira e
complicações semelhantes.

A roupa tem de ser adequada para qualquer hora do dia. A temperatura pode despencar
ao cair da tarde.

O pé-de-trincheira é uma doença perigosa causada pela umidade prolongada nos pés e
cujos sintomas são inchaço, dormência e dor.[7]

Parte 2

Preparando o equipamento para pescar com boia

Passe a linha pelos anéis da vara e calcule a sobra. A sobra depende da profundidade das
águas em que se vai pescar. No tocante à pesca de carpas, é interessante que a isca toque o
fundo do corpo d'água, que é onde elas costumam se alimentar.

Para pescar em águas com 1,5 m de profundidade, deixe uma sobra de 1,5 m, portanto.

E calcule a linha necessária para prender a boia, o chumbo e o anzol.

Faça um nó de anteparo acima da boia. Sem um obstáculo, ela deslizará indefinidamente


linha acima. Por isso, crie um nó de anteparo próximo à ponta da linha para regular a altura
máxima da boia. Deve haver bastante espaço entre o nó e a boia, a fim de que a isca toque o
fundo do rio ou do lago. A posição do nó depende da profundidade em que o peixe em
questão costuma se alimentar, mas, via de regra, ele é colocado a dois ou três braços de
distância do destorcedor.[8]

Você pode criar um nó de anteparo passando a ponta da linha duas vezes por um pedaço
de uma pequena mangueira de borracha.[9]
3

Passe a linha pelo duto que atravessa a boia. Insira a ponta da linha na boia. Apesar de
dispensável na pesca de carpas, a boia ajuda o pescador a saber se há um peixe bicando a isca.
Como a carpa se move com muita delicadeza, será muito difícil detectar a presença dela sem
uma boia.

A boia vai ajudá-lo a saber quando você fisgou um peixe e a regular anzol.

As boias do tipo torpedo costumam ser as mais usadas nesta modalidade de pescaria.

Coloque um chumbo abaixo da boia. A função dele é criar um peso na linha, de forma que a
isca possa chegar ao fundo, aonde as carpas costumam ir para se alimentar, além de evitar que
a linha seja arrastada pela correnteza. O chumbo deve ser instalado logo acima do
destorcedor, e a cerca de 12~22 cm do anzol.

Se notar que a linha tende a se dirigir para longe do lugar onde foi atirada, use um
chumbo mais pesado.

Instale o destorcedor. Ele dá ao anzol uma liberdade de movimento de 180°, impedindo que
a linha se retorça e se parta quando você apanhar um peixe. Esse é um utensílio importante na
pesca de carpas, que costumam girar e se sacudir para se livrar do anzol.[10]

Há três tipos diferentes de destorcedor: comum, grua e rolamentado.

O rolamentado é o que tem mais qualidade, pois suporta a maior carga.[11]

Corte um segmento longo de linha e prenda-o ao anzol. A ideia é que o anzol e essa linha
extra fiquem no fundo da água. Como as carpas residem nas profundezas dos rios, esse
segmento deve ser de aproximadamente 18 cm.

Para calcular o comprimento que a linha deve ter depois do nó de anteparo, descubra a
profundidade do corpo d'água e adicione 18 cm a esse número.

Alguns pescadores prendem um anzol pequeno a um outro maior e bem visível, que
funciona como um engodo: tentando contorná-lo, a carpa acaba apanhada pelo anzol menor.

Parte 3

Apanhando o peixe

Encontre uma área repleta de vida vegetal. As carpas alimentam-se tanto de vegetais como
de insetos e animais herbívoros,[12] sendo desejável a presença desses três fatores no lugar
onde se quer pescá-las. E é bom ter em mente que a carpa prefere águas rasas no tempo
quente e águas profundas no tempo frio.[13]

Encontre um lugar onde possa se sentar confortavelmente por duas horas.


A pesca de carpas, animais reconhecidamente sensíveis, requer muita paciência.

Atire a linha na água. Se avistar um cardume de carpas, não atire o anzol diretamente acima
dele, ou vai espantá-las. Melhor seria lançar o anzol mais adiante na correnteza, que é
provavelmente aonde elas se dirigirão para comer.

Quanto mais próximo o chumbo estiver da boia, maior a facilidade para atirar a linha.[14]

Sente-se e observe a boia para saber se alguma carpa está mordiscando a isca. Animal sagaz,
a carpa tende a contornar o anzol, chegando, em alguns casos, a arrancar toda a isca antes que
o pescador se dê conta de que ela esteve ali. Olhe a boia atentamente: se ela se agitar,
provavelmente há uma carpa comendo a isca.

É fácil confundir o movimento da correnteza com o de um peixe a puxar a linha, então se


certifique de que fisgou alguma coisa antes de começar a retraí-la.

A boia vai afundar rapidamente se houver uma carpa no anzol.

Dê um puxão para fisgar uma carpa que estiver mordiscando a isca. Às vezes, a boia salta
para fora d'água em vez de submergir, o que é sinal de que há uma carpa mordiscando a isca
sem se fisgar pelo anzol. Nesse caso, espere a boia saltar da superfície outra vez e puxe a vara
rapidamente para o alto ao mesmo tempo em que começa a retrair a linha. Isso vai fincar o
anzol na boca da carpa.

Essa técnica nem sempre é bem-sucedida, sobretudo se você não estiver acostumado a
pescar com boia.

Recolha a linha uma vez que a carpa esteja fisgada. Quando você tiver certeza de que pegou
a carpa, segure a vara firmemente enquanto a puxa com cuidado para cima.

Gire o molinete lentamente para trazer o peixe aos poucos para perto da margem.

Faça com que ele se canse antes de tirá-lo da água.

Com uma rede, tire-o da água. A melhor maneira de se tirar uma carpa da água é com o
auxílio de uma rede. Depois que ela estiver cansada, submerja a rede e envolva-a com ela.
Depois, apanhe a carpa segurando-a pela base do ventre com uma mão e envolvendo a
nadadeira traseira com a outra. Lembre-se de usar luvas para não se furar com as barbatanas.
Depois de apanhar o peixe, remova o anzol da boca dele.

Caso a carpa fique agitada fora d'água, cubra os olhos dela com um tecido escuro para
remover o anzol.

Não apanhe a carpa pela boca como faria com um robalo, posto que isso pode feri-la.
Dicas

Embora comumente empregada na pesca de peixes de qualidade superior à da carpa, a vara


de fibra de vidro é a melhor que se pode encontrar no mercado, então compre uma, se o seu
orçamento permitir.

Na falta de milho doce, coloque um pouco de sal em qualquer isca que tiver à disposição.

Você pode adquirir o equipamento via internet ou em lojas de pescaria.

É possível atirar iscas na água para atrair mais peixes.

Caso você esteja tendo problemas para fisgar alguma coisa, tente pensar aonde a carpa iria
para se alimentar.

Outra opção é usar milho comum com um pouco de anis, ingrediente dotado de um cheiro
forte e agradável às carpas.

Referências

↑ https://www.nps.gov/miss/learn/nature/carphist.htm

↑ http://www.fcps.edu/islandcreekes/ecology/common_carp.htm

↑ http://www.lakefishingtechniques.com/boilies-carp-fishing/

↑ http://www.berkley-fishing.com/Berkley-ae-why-use-monofilament.html

↑ http://www.carp-fishing-tactics.com/carp-hooks.html

↑ http://www.carp-fishing-tactics.com/science-carp-senses.html

↑ http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17219792

↑ https://torbayfishing.com/rigs/float-fishing.htm

↑ https://torbayfishing.com/rigs/float-fishing.htm