Você está na página 1de 5

A INFLUÊNCIA DAS estar atento a si mesmo,

RELIGIÕES/FILOSOFIAS ORIENTAIS NA consciente, presente, significativo


GESTALT-TERAPIA: na relação terapêutica e, esta
TAOÍSMO E ZEN BUDISMO postura é, em parte, influenciada
pelos conhecimentos advindos do
1 Taoísmo e Zen Budismo.
Luciane Patrícia Yano
1. Taoísmo

O taoísmo surgiu na China, há


“Discutir uma filosofia de diálogo, falar
sobre o entre e mencionar a graça aproximadamente cinco mil anos
coloca meu pensamento explicitamente atrás e fora apresentado ao
num contexto espiritual. Por espiritual
quero dizer um reconhecimento de uma
ocidente juntamente com o I Ching,
realidade maior do que a soma total de “O livro das mutações”, no século
nossas realidades individuais, e do XX, podendo ser compreendido
mundo físico visível. Para mim é
inconcebível uma dimensão espiritual como uma visão intuitiva da
ou transpessoal. Cada vez mais sinto realidade, sem se enquadrar
que em meus melhores momentos
exatamente como religião ou
terapêuticos estou presente a alguma
realidade espiritual e algumas vezes, filosofia.
sou seu instrumento” (Hycner In
Cardella, 1994) O taoísmo parece conter noções
complexas quando comparado ao
A proposta deste artigo é discutir
modelo científico do ocidente.
a necessidade da compreensão
Complexo, quando necessitamos
das influências que as
basicamente utilizar o instrumento
religiões/filosofias orientais
da intuição para chegar a este
obtiveram, juntamente com o
conhecimento e, a intuição é
humanismo, existencialismo e
paradoxal em nossa sociedade, pois
fenomenologia, na composição do
é algo que nos pertence enquanto
todo que é a Gestalt-Terapia. A GT
pessoas, mas que fora
é uma forma de atuação que foca
desvalorizado pelo desenvolvimento
os afetos, mobilizando a pessoa do
do conhecimento dito estritamente
terapeuta e do cliente/paciente,
científico/racional.
tendo estes como coatuantes no
processo psicoterápico e, para isso, O primeiro conceito do Taoísmo
considero que o terapeuta deva que aqui apresento é o de Equilíbrio
estar preparado para ser o Dinâmico. Equilíbrio Dinâmico
facilitador da percepção do outro refere-se à compreensão de que
que, ao procurar a terapia, nos traz não precisamos aprender nada,
alguma forma do sofrimento que mas que tentemos nos livrar do
vivencia. Neste aspecto, peso limitante das velhas verdades,
compreender um pouco das pois apenas desta forma é que
religiões/filosofias orientais consiste poderemos chegar aos movimentos
em uma via de expressão da naturais que regem nossa vida.
vivência do terapeuta, que precisa Desta forma, o que faremos é sentir

1
a vida e suas manifestações, bem da necessidade de oposição para o
como respeitá-las, equilibrando-nos crescimento pessoal e para o
neste movimento. aprimoramento da consciência.
Conhecer a si mesmo, de maneira a
O segundo conceito do Taoísmo perceber o bem e o mal, opostos
refere-se a Unicidade Cósmica, em que em si coexistem, evitariam a
que percebe-se uma realidade que guerra e o preconceito, à medida
em si não existe, mas o que existe é que possibilitaria à pessoa, a
nossa interação com esta realidade. compreensão dos próprios defeitos
Portanto, somos como espelhos a e de outrem.
refletir outros espelhos e, deste
modo, uma das coisas que “Quando ingressa na vida, o homem é
tenro e fraco; quando morre é duro e
aprendemos é que ao invés de forte. Ao entrarem na vida, as plantas
mudarmos o mundo, precisamos são macias e frágeis; quando morrem
mudar a nós mesmos. são secas e duras. Por isso os fortes e
rígidos são companheiros da morte e os
tenros e flexíveis são companheiros da
O terceiro conceito do Taoísmo vida” (Pensamento - Tao Te King)
é o de Crescimento Cíclico, em que
há a percepção de que o movimento
da vida contém momentos de dor e 2. Zen Budismo
de alegrias. Coisas feias, coisas
belas, boas ou ruins, todas elas O Zen Budismo consiste numa
constituem este movimento. Em das mais antigas religiões da
outras palavras, dor e queda fazem humanidade, proveniente de uma
parte da vida e, destas nunca escola de meditação do Budismo.
escaparemos. Contudo, a pior dor é Para os discípulos do verdadeiro
sofrer sem ver nisto um sentido Zen, os ensinamentos de Buda
qualquer. O Taoísta reconhece que colocaram o homem na eternidade
a vida é feita de fluxos e refluxos e do momento presente, sendo a
identificá-los é essencial para não realidade algo intemporal, em que o
ser “pego de surpresa”. homem descobrirá sua integridade
reagindo no ato instintivo do Agora,
O quarto conceito do Taoísmo valorizando o ensinamento
refere-se a Ação Harmoniosa. Ação relacional, pessoa a pessoa.
Harmoniosa é a atividade
transformadora originária dos No Zen, considera-se que a
movimentos internos para os iluminação genuína (Satori), decorre
externos. Conhecer a si primeiro, do esclarecimento e da
aperfeiçoar seu trabalho e utilizar simplificação, mediante a prática
este conhecimento pessoal com dos valores antigos de tempo e de
mais confiança em si e na vida. experiência, em que a verdade é
encontrada ao se afastar do erro e
O quinto e último conceito do não ao descobrir um caminho novo.
Taoísmo aqui destacado, refere-se
a Dissolução da Realidade que fala

2
Para o Zen Budismo, a realidade 3. Influências das religiões
não é objetiva, mas um reflexo orientais para a Gestalt-
subjetivo que se torna realidade Terapia
somente se a pessoa consentir em
participar de sua manifestação pela Segundo Ginger & Ginger
libertação da vontade, de maneira (1995), é, em grande parte, devido
que se possibilite a fluidez, numa as influências das religiões
sequência intimamente ligada. orientais, que a Gestalt-Terapia
poderá ser definida como uma arte
Atualmente, o termo Zen vem e uma filosofia de vida. Perls
sendo empregado de maneira utilizou-se de grande parte de seu
errônea, tendo conotação de calmo, conhecimento quanto as religiões
de um viver despreocupado em orientais aplicando-as para o
perene devaneio, alienado da vida desenvolvimento da GT. Todavia, o
e/ou à margem dos problemas lado espiritual das religiões não
sérios do cotidiano. Contudo, ser parece ter sido assimilado por Perls,
Zen é estar no presente, é perceber embora um número significativo de
sua subjetividade, é escutar-se Gestaltistas tendam a desenvolver
visando o alcance da Satori. seus trabalhos considerando
fortemente o lado espiritual.
Satori é um termo complexo
para ser definido. Entende-se por Uma característica que a GT
Satori o insight impactante e apresenta e parece representar no
profundo, que muda a percepção da aspecto da influência das religiões
vida. Sentir e perceber a realidade orientais é no que se refere à
subjacente ao mundo e perceber a valorização dos afetos, das
unicidade de todos os seres vivos características humanas mais
com o universo. Como peculiares, de forma gradativa,
consequência da Satori, a pessoa possibilitando entrar em contato
passa a viver no mundo a pleno com o outro não apenas no sentido
vapor, radiantes em poder estar corporal, mas de maneira holística,
aqui presente experienciando todas descobrindo a natureza humana e
as emoções. permitindo que esta siga seu curso
natural. Cada acontecimento, cada
“(...). Antes da iluminação, as
montanhas são montanhas, os rios são homem é único, pois este não se
rios; durante o processo de repete. Logo, o terapeuta tratará
aperfeiçoamento, as montanhas deixam
desta individualidade que reside em
de ser montanhas, os rios deixam de ser
rios; depois da iluminação, as todo ser.
montanhas voltam a ser montanhas e os
rios voltam a ser rios.” (Medeiros, 2002) Outro aspecto que reflete a
influência oriental na GT, refere-se
ao fato de que a Gestalt procura
trabalhar a energia gerada por um
dado problema e não o problema
em si. Reconhecendo “o que” este

3
problema está gerando, “como” ele significativamente absorvendo
faz e “para que” o faz. ideias que são nossas, ideias estas,
que compõem a subjetividade
Na religião oriental, percebe-se a individual, Perls estava recolocando
realidade retratada como um vazio, o Homem como centro. Desta
em que mudanças, que são maneira, a GT convida-nos a uma
consideradas tão importantes para o transcendência, experienciando
ser, dão-se no desprender de algo limites e descobrindo novas
para posteriormente, aprendermos possibilidades.
conforme nossa organização
perceptiva o faça. Isto tem por Ainda, segundo Ginger & Ginger
finalidade, a ocorrência da (1995), quanto a influência das
aprendizagem significativa e, religiões/filosofias orientais Taoísmo
consequentemente, o exercício de e Zen Budismo na GT, ocorrera um
nossa capacidade intuitiva de cruzamento desta com demais
acordo com nossas vivências. pensamentos, ficando sem se saber
Contudo, este processo só é ao certo, quem influenciou quem.
possível devido a uma das Contudo, valorizando não apenas
características mais peculiares ao um conhecimento, reconhecemos a
Homem, sua subjetividade, tida importância de cada parte destes
como verdade pessoal que, de para a formação do todo.
forma criativa, preenche esse vazio
“O que importa não é descobrir de qual
inicial tal qual a frase Zen: Não mina fora extraída uma pedra preciosa,
apresse o rio, ele corre sozinho. mas se ela encontrou seu lugar no
colar: é a coerência e não a origem das
Outro aspecto importante da técnicas que constituem o valor dos
métodos” (Ginger & Ginger, 1995)
religião que influenciou a GT, é o
conceito de frustração como algo Do Taoísmo, observa-se na GT
importante ao crescimento humano, o conceito de naturalidade entre os
visto que o Ser só cresce, a partir contrários, em que logo após a
de experienciarem a si próprio cada nomeação de algo, outro surge em
momento que gere mudanças, oposição, originando os dois
conhecendo pela sensação seus princípios, o Yin, feminino,
limites e possibilidades. Ressalta-se referindo-se a estabilidade e Yang,
porém, que este exercício é árduo, masculino, representando o
já que nossos pensamentos, nem movimento. Na terapia, podemos
sempre são nossos de fato, mas representar a figura do terapeuta
retratam condições trabalhadas pela como aquele que o paciente/cliente,
sociedade e que foram introjetadas, representa como seu oposto,
sem prévio pensar sobre os demonstrando que estas oposições
mesmos. Portanto, entende-se que caminham em função do
quando Perls falava da necessidade crescimento. O terapeuta temerá o
de pensar menos e sentir mais, vazio, porque ele é o centro da
sobre desaprender para aprender mudança na psicoterapia e, quando
o paciente/cliente o procura, o
4
mesmo poderá temer este vazio. na possibilidade de um crescimento
Assim, o terapeuta deve encontrar- humano que parta do princípio da
se em oposição a esta atitude. importância da subjetividade, para
Ademais, segundo o Taoísmo, que o homem possa conhecer a si
temos a seguinte concepção que mesmo e reconhecer suas próprias
aborda bem o entendimento para a escolhas e necessidades
GT. verdadeiras, resultando na
ampliação de seu campo perceptual
“.(...) trata-se de viver intensamente o
Aqui e Agora, porque o passado é um e, consequentemente, relacional.
peso morto e só o presente está vivo”.
(Ginger & Ginger, 1995) 4. Referências bibliográficas

Do Zen Budismo, a relação com Cardella, B. H. P. (1994). O amor na


GT está na busca pela criatividade relação terapêutica: uma visão
gestáltica. São Paulo: Summus
humana, da consciência da editorial.
totalidade e não um conviver com
Ginger & Ginger, A. (1995). Gestalt: uma
coisas envelhecidas pelo tempo, terapia do contato – São Paulo:
pelos hábitos, deixando que os Summus editorial.
processos fluam com naturalidade, Medeiros, A. (2002). Budismo: o que é ser
percebendo esta transformação e Zen – Disponível em:
permitindo que a natureza siga seu www.uol.com.br/bemzen/ultnot/budism
o/ult48/u6.htm
curso e cresça pela própria
experiência. Podemos perceber isso Perls, F. S. et al. (1977). Isto é Gestalt:
coletânea de artigos escritos por
no processo psicoterápico da GT, Frederick S. Perls e outros; compilação
através da fronteira de contato, em e edição da obra original de John O.
que apenas conseguindo facilitar a Stevens; tradução de George
Schlesinger e Maria Júlia Kovacs;
retirada, a fluidez e a sensação do revisão científica: Paulo Eliezer Ferri
outro é então que ele pode chegar à de Barros – São Paulo: Summus
editorial.
consciência de uma dada vivência
que lhe causa sofrimento, e, Ribeiro, J. P. (1985). Gestalt-terapia:
permitindo ao mesmo, conhecer sua refazendo um caminho. São Paulo:
Summus editorial.
individualidade irrepetível, presente
1
em todo Ser humano. Psicóloga clínica, mestre (M.A.) e Doutora
(PhD) em Humanities and Social Science. pela
“No Zen, dizemos que o homem só Nagoya City University, docente na
conhece o frio e o quente pelo contato Universidade Federal do Acre. Texto não
publicado, desenvolvido no programa de
com as coisas. Aqui, tudo se explica Formação como psicólogo, na Universidade da
pela experiência vivida” (Ginger & Amazônia, Belém-PA, no ano de 2002.
Ginger, 1995)

A partir destas considerações,


percebo as influências que as
religiões/filosofias orientais exercem
na GT, quanto à vivência no Aqui e
Agora, quanto ao sentido das
polaridades, na sensação de
totalidade do corpo, das emoções,

Você também pode gostar