Você está na página 1de 8

A crucificação de Jesus

Mt 27:32-50

INTRODUÇÃO
1. Sem dúvida, a crucificação de Jesus foi um acontecimento
terrível...
a. Foi uma maneira penosa e dolorosa de morrer, que
Jesus esteve disposto a aceitar sem analgésicos - Mt
27:32-35
b. Era uma maneira vergonhosa de morrer, crucificado
com ladrões comuns, zombada por aqueles que
assistiam - Mt 27:36-44
c. Junto com o sofrimento físico, havia ainda a agonia
espiritual - Mt 27:45-50
2. Embora possa haver um lugar para contemplar a real agonia
física que Jesus suportou...
a. Jesus não queria que as pessoas chorassem por ele, mas
por si mesmas - cf. Lc 23:26-311
b. Mesmo na cruz, sua preocupação com os outros era
evidente - Lucas 23:342
- Então o propósito da crucificação não foi apenas o de
gerar sentimento de pena por Jesus
O significado e as lições a serem aprendidas da crucificação vão muito
além de sentir pena pelo que Jesus sofreu. Por exemplo, nunca
devemos esquecer que “A Crucificação de Jesus” é...

1
Seguia-o numerosa multidão de povo, e também mulheres que batiam no peito e o
lamentavam. Porém Jesus, voltando-se para elas, disse: Filhas de Jerusalém, não
choreis por mim; chorai, antes, por vós mesmas e por vossos filhos! Lucas 23.26–31
2 Contudo, Jesus dizia: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Então,

repartindo as vestes dele, lançaram sortes. Lucas 23.34


1
I. A CONDENAÇÃO DO PECADO
A. Jesus morreu por causa do pecado.
1. Conforme predito, Ele morreu por nossos
pecados - 1Co 15:33; Is 53:5-64
2. Ele se entregou pelos nossos pecados - Gl 1:45
3. Ele levou os nossos pecados na cruz - 1Pe 2:24
- Que o pensamento da crucificação nos lembre da
nossa própria pecaminosidade e necessidade de
redenção - 1Jo 1:8-10

B. Jesus condenou o pecado.


1. Ele condenou o pecado na carne através de
sua morte - Rm 8:36
2. Agora, permitindo que os pecadores destruam
seu próprio corpo do pecado, quando unido a
Ele pelo batismo em sua morte - Rm 6:3-6
- Que o pensamento da crucificação nos lembre do
nosso dever de crucificar as paixões pecaminosas
da carne - Gl 5:24; Cl 3:5-11
Para nos motivar em nossos esforços para deixar a morte de Jesus nos
ajudar a lidar com o problema do pecado, devemos também lembrar
que “A Crucificação de Jesus” é...

3
Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos
pecados, segundo as Escrituras... 1Coríntios 15.3
4 Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o

castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos
nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o
SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. Isaías 53.5–6
5 ...o qual se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste

mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai... Gálatas 1.4


6 Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez

Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante


ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado... Romanos 8.3
2
II. A REVELAÇÃO DO AMOR
A. Jesus morreu por amor...
1. O amor do Pai por um mundo perdido - Jo
3:167; Rm 5:88
2. O amor do Filho - Ef 5:29
- Que nossa contemplação da crucificação nunca
negligencie o amor que estava por trás do fato -
1Jo 4:9-10

B. Jesus demonstrou o que é o amor...


1. Agora entendemos o significado do amor
verdadeiro - 1Jo 3:1610; Jo 15:1311
2. Seu amor serve como padrão para nosso amor
- Jo 13:34-35 ; 15:1212
- Que nossa contemplação da crucificação nos lembre
do alto padrão de amor que somos chamados a
demonstrar uns aos outros - 1Jo 4:1113
Enquanto nos esforçamos para vencer o pecado e amar uns aos
outros, ajudamos e motivado pela morte de Jesus na cruz, devemos
também estar atentos que “A Crucificação de Jesus” é ...

7 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para
que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3.16
8 Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido

por nós, sendo nós ainda pecadores. Romanos 5.8


9 ...e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por

nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave. Efésios 5.2


10 Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa

vida pelos irmãos. 1João 3.16


11 Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos

seus amigos. João 15.13


12 O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos

amei. João 15.12


13 Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos

outros. 1João 4.11


3
III. A REDENÇÃO DO MUNDO
A. Jesus morreu por todos...
1. Deus deseja que todos os homens sejam salvos,
não desejando perecer - 1Tm 2:3-614; 2Pe 3:915
2. Portanto, Ele ofereceu Jesus como uma
propiciação para todos - 1Jo 2:1-2
- Que nossa meditação sobre a crucificação inclua
pensar sobre a necessidade dos outros

B. Jesus é a única esperança do mundo.


1. Ele é o único caminho para o Pai - Jo 14:6
2. Somente em Seu nome é a salvação
encontrada - At 4:12
3. Negar o Filho, é não ter o pai - 1Jo 2:23
4. Permanecer em Sua doutrina, é ter tanto o Pai
como o Filho - 2Jn 9
- Que nossa meditação sobre a crucificação nos
mova a fazer o que pudermos proclamar a
mensagem de redenção aos perdidos no pecado -
cf. 2Co 5:18-6:1
E assim a morte de Jesus na cruz deve nos levar a olhar tanto para
dentro e para fora, para abordar tanto as nossas necessidades
espirituais como as de outros. Até que ponto o esforço pode ser
necessário nessas áreas, devemos ver também “A Crucificação de
Jesus” como...

14 Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os
homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há
um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual
a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve prestar em
tempos oportunos. 1Timóteo 2.3–6
15 Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo

contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão
que todos cheguem ao arrependimento. 2Pedro 3.9
4
IV. A INSPIRAÇÃO DO SACRIFÍCIO
A. Jesus forneceu o exemplo...
1. Sua morte demonstrou o que é humildade - Fp
2:3-816
2. Seu sofrimento demonstrou o exemplo de
sofrer pacientemente - 1Pe 2:20-2417
- Que nossa reflexão sobre a crucificação nos leve
a considerar o que seu sacrifício deve nos inspirar
a fazer.

B. O sacrifício de Jesus nos inspira...


1. Andar em amor - Ef 5:2
2. Caminhar em humildade - Filipenses 2:3-5
3. Sofrer pacientemente quando maltratado por
fazer o bem - 1Pe 2:20-24
4. Dar de nós mesmos aos outros - 2Co 8:9; 1Jo
3:16-18

16
3 Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando
cada um os outros superiores a si mesmo.4 Não tenha cada um em vista o que é
propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros. 5 Tende em vós o
mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,6 pois ele, subsistindo em
forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus;7 antes, a si mesmo se
esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e,
reconhecido em figura humana,8 a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente
até à morte e morte de cruz. Filipenses 2.3–8
17 20 Pois que glória há, se, pecando e sendo esbofeteados por isso, o suportais com

paciência? Se, entretanto, quando praticais o bem, sois igualmente afligidos e o


suportais com paciência, isto é grato a Deus.21 Porquanto para isto mesmo fostes
chamados, pois que também Cristo sofreu em vosso lugar, deixando-vos exemplo
para seguirdes os seus passos,22 o qual não cometeu pecado, nem dolo algum se
achou em sua boca;23 pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando
maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente,24
carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que
nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados.
1Pedro 2.20–24
5
CONCLUSÃO
1. Certamente mais poderia ser dito sobre “A Crucificação de
Jesus”
2. Mas talvez esses poucos pensamentos aumentem nossa
apreciação deste evento significante...
a. Sua morte é a condenação do pecado
b. Sua morte é a revelação do amor
c. Sua morte é a redenção do mundo
d. Sua morte é a inspiração do sacrifício
3. Você já aproveitou o que “A Crucificação de Jesus” significa
para você...?
a. Você foi crucificado com Cristo?
b. Você está matando os atos da carne?
c. Você está amando?
d. Você está preocupado e fazendo algo sobre a redenção
do mundo?
e. Você é inspirado em seu serviço para seus irmãos e os
perdidos por o exemplo do sacrifício de Jesus?
Nas palavras do apóstolo Paulo: “E nós, na qualidade de cooperadores
com ele, também vos exortamos a que não recebais em vão a graça de
Deus”. (2Co 6:1)

6
Outros versículos:
carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que
nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados.
1Pedro 2.24

8 Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a
verdade não está em nós.9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para
nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.10 Se dissermos que não
temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.
1João 1.8–10

3 Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos
batizados na sua morte?4 Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo;
para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim
também andemos nós em novidade de vida.5 Porque, se fomos unidos com ele na
semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua
ressurreição,6 sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para
que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos;
Romanos 6.3–6

E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e


concupiscências. Gálatas 5.24

5 Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva,
desejo maligno e a avareza, que é idolatria;6 por estas coisas é que vem a ira de Deus
[sobre os filhos da desobediência].7 Ora, nessas mesmas coisas andastes vós
também, noutro tempo, quando vivíeis nelas.8 Agora, porém, despojai-vos,
igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena
do vosso falar.9 Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho
homem com os seus feitos10 e vos revestistes do novo homem que se refaz para o
pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou;11 no qual não pode
haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre;
porém Cristo é tudo em todos. Colossenses 3.5–11

9 Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho
unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele.10 Nisto consiste o amor: não em
que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho
como propiciação pelos nossos pecados. 1João 4.9–10

7
34 Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos
amei, que também vos ameis uns aos outros.35 Nisto conhecerão todos que sois
meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros. João 13.34–35

1 Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém
pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo;2 e ele é a propiciação
pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do
mundo inteiro. 1João 2.1–2

Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai


senão por mim. João 14.6

E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro
nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos. Atos dos
Apóstolos 4.12

Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem
igualmente o Pai. 1João 2.23

18 Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo
e nos deu o ministério da reconciliação,19 a saber, que Deus estava em Cristo
reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e
nos confiou a palavra da reconciliação.20 De sorte que somos embaixadores em
nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo,
pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus.21 Aquele que não conheceu pecado,
ele o fez pecado por nós; para que, nele fôssemos feitos justiça de Deus. 1 E nós, na
qualidade de cooperadores com ele, também vos exortamos a que não recebais em
vão a graça de Deus 2Coríntios 5.18–6.1

e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós,
como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave. Efésios 5.2

pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez pobre por
amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos. 2Coríntios 8.9

16 Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar
nossa vida pelos irmãos.17 Ora, aquele que possuir recursos deste mundo, e vir a seu
irmão padecer necessidade, e fechar-lhe o seu coração, como pode permanecer nele
o amor de Deus?18 Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e
de verdade. 1João 3.16–18