Você está na página 1de 13

Salus J Health Sci. 2017; 3 (2): 1-13 DOI: https://dx.doi.org/10.5935/2447-7826.

20170011

ARTIGO ORIGINAL

A sistematização da assistência de enfermagem e atuação do enfermeiro


ao paciente infartado
Janaína Leite Frigini1; Braulio Luna Filho2; Rita Simone Moreira3; Bruno Henrique Fiorin4

Trabalho Submetido em 06/06/2016


Aprovado: 17/02/2017

Palavras Resumo
Chaves
Objetivo: Descrever o papel do enfermeiro na assistência ao
paciente no IAM, apontar sua atuação no atendimento ao paciente
infartado nas emergências e identificar os principais Diagnósticos de
Infarto do Enfermagem. Método: Trata-se de uma revisão bibliográfica
Miocárdio; realizada através de busca da literatura nos principais meios
Cuidados de eletrônicos de divulgação cientifica, considerando os trabalhos
Enfermagem; publicados entre os anos de 2011 a 2015, e consultas de site oficiais
Doença da para coleta de dados atualizados e embasamento legal. Resultados: O
Artéria enfermeiro capacitado com conhecimento teórico e prático pode ser
Coronariana o diferencial na assistência ao infartado. Com um olhar diferencial
para interpretar os sinais e sintomas o enfermeiro atua com foco a
antecipar e prevenir as complicações. O enfermeiro primordial na
assistência ao infartado tem na Sistematização da Assistência de
Enfermagem um instrumento que legitima sua atuação e favorece sua
comunicação com a equipe multi e interdicisplinar, além de permitir
um atendimento individualizado que atenda as necessidades
humanas, e contribui para uma assistência resolutiva. Conclusão: A
atuação do enfermeiro é fundamental tanto na abordagem inicial ao
paciente com IAM bem como no processo de acompanhamento e
orientações que estimule os cuidados.

*Autor para correspondência: brunohenf@hotmail.com

1
Especialista em Urgência - EMESCAM - (Enfermeira),
2
Doutor em Cardiologia - UNIFESP - (Cardiologista, Professor Titular- UNIFESP).
3
Doutora em Cardiologia - UNIFESP - (Chefe da Residência Multiprofissional em Cardiologia - UNIFESP).
4
Doutorando em Ciências da Saúde/ UNIFESP - (Professor Assistente).

1
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

Portanto um dos fatores para reduzir a


INTRODUÇÃO mortalidade no IAM, está no rápido
atendimento, e o profissional enfermeiro
Dentre as Doenças Cardiovasculares muitas das vezes é o primeiro contato
(DCV), o Infarto Agudo do Miocárdio quando o paciente dá entrada na unidade
(IAM) é considerado um problema de saúde hospitalar, devendo ser responsável ao
pública, pois a alta taxa de mortalidade no ofertar um atendimento com competência
Brasil apresenta um impacto técnica, científica, ética e humanista, de
socioeconômico significativo por atingir forma pré-estabelecida e sincrônica visando
indivíduos no ápice sua capacidade à eficiência, rapidez, prioridade, alta
produtiva1. Segundo o DATASUS, está em qualidade e contensão de custo5.
primeiro lugar como causa de óbito no
Brasil, com cerca de 100 mil mortes anuais, Estudos apontam a assistência de
sendo que só no ano de 2012 a incidência de enfermagem a vítima do IAM, como
óbito foi de 123/100.000hab. na faixa etária primordial, na unidade emergencial, mas
de 30-69 anos, o IAM por ter início súbito e que para isso, este deve ser portador de
evolução rápida, apresenta uma ocorrência conhecimento das patologias
de morte de 40 a 65% na primeira hora, e cardiovasculares, para distinguir a
até 80% nas primeiras 24 horas, portanto sintomatologia do infarto, desta forma
tendo o tempo um importante papel no ofertar uma assistência qualificada. Pois
prognostico2, 3. através dos primeiros cuidados realizados
com eficácia ao paciente com IAM, poderá
Conforme a Sociedade Brasileira de ser possibilitado melhor prognostico, e
Cardiologia (SBC)3 o Infarto Agudo do consequentemente minimizar complicações
Miocárdio deve ser assim entendido quando futuras4.
há evidencias de isquemia miocárdica, num
contexto clinico isquêmico característico Desta forma, todo estudo voltado para
acompanhado de elevações dos marcadores melhorar e agilizar a assistência ao
de necrose miocárdica. Ainda, o IAM infartado, pode ajudar a reduzir os números
ocorre quando há lesão isquêmica no impactantes na atualidade, e contribuir para
músculo cardíaco, devido à inadequada uma melhor qualidade de vida pós-infarto
oferta de oxigênio, por evento de redução da população afetada. Por isso o presente
do fluxo sanguíneo nas artérias coronariana, estudo se apoia na problemática: Pode a
provocado pela oclusão da artéria por Sistematização da Assistência de
trombo formado por placa aterosclerótica Enfermagem colaborar para melhorar a
ou embólico4. assistência de enfermagem a vítima do
IAM?
Seus sintomas por ser diversos e às vezes
inespecíficos, faz com que o atendimento Sendo assim, descrever o papel do
médico especializado seja retardado. Dentre enfermeiro na assistência ao paciente no
a sintomatologia mais comum encontra-se a IAM é o objetivo geral deste estudo, e para
dor torácica, sudorese, dor na mandíbula, isso os objetivos específicos são: descrever
mal estar estomacal, falta de ar e brevemente o processo dinâmico do IAM;
formigamento nos braços. O tempo entre apontar a atuação do enfermeiro na
início da sintomatologia e o atendimento assistência ao paciente infartado na
pode determinar o prognóstico, reduzir a emergência; e identificar os principais
mortalidade e o custo no tratamento da Diagnósticos de Enfermagem; conforme
insuficiência isquêmica e sua sequelas1. estudo já publicados.

2 MÉTODO

2
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

O estudo trata-se de uma pesquisa publicados em mais de um periódico foram


bibliográfica, pois basear-se no analisados um total de 11 artigos.
levantamento e análise das informações já
publicadas dentro de um período No quadro 01 observa-se a apresentação dos
predeterminado, levando o pesquisador ao artigos que cumpriram os critérios de
contato direto com o assunto estudado6. inclusão. Dentre os 11 artigos encontrados,
analisados e apresentados, cinco apresenta
Foi realizada revisão bibliográfica nos como sua linha de pesquisa o atendimento
meses de janeiro a maio/2016utilizando na emergência cardíaca, três abordam a
para o trabalho artigos publicados a partir de Sistematização da Assistência de
2011,na língua portuguesa, completos, Enfermagem a vítima do IAM, dois tratam
divulgados na Scientific Eletronic Library sobre o papel do enfermeiro no tempo de
Online (Scielo), na Literatura Latino- busca da assistência diante da emergência
americano (Lilacs), no Ministério da Saúde IAM, e um esclarece o conceito da dor que
pela Biblioteca Virtual em Saúde (BVS),na foi utilizador para melhor compreensão do
Base de Dados da Enfermagem (DBENF), efeito da dor no paciente infartado.
e na Sociedade Brasileira de Cardiologia,
além de consulta nos sites oficiais do
Ministério de Saúde (DATASUS), e
Conselho Federal de Enfermagem, aonde
foi coletado dados atualizados e
embasamento legal.

Os temas selecionados para o estudo foram:


Conceitos do Infarto agudo do miocárdio,
Sistematização da Assistência de
Enfermagem ao paciente infartado, e
Atuação do enfermeiro no atendimento ao
paciente acometido de infarto agudo do
miocárdio. Para tanto os descritores
utilizado foram: Infarto do miocárdio,
assistência de enfermagem, emergência e
enfermagem em emergência. Sendo que os
artigos localizados foram separados por
linha de pesquisa, tabelados e
criteriosamente analisados.

3 RESULTADOS

Durante a busca pela literatura nos meios


eletrônicos de divulgação de trabalhos
científicos utilizando os descritores
propostos dentro dos critérios de inclusão,
os resultados foram os seguintes: na
Literatura Latino-americano (Lilacs) foram
localizados 13 artigos, na Scientific
Eletronic Library Online (Scielo)13, na
Base de Dados da Enfermagem (DBENF)
14. Deste desconsiderando os que foram

3
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

Quadro 01: Principais resultados da


revisão bibliográfica com foco na
assistência da enfermagem ao paciente
acometido de infarto agudo de miocárdio

Embasado nas descrições técnico cientifico sobre IAM, e pautado nos estudos anteriores
descritos, e na Classificação de Diagnósticos de Enfermagem da Associação Norte Americana
de Diagnósticos de Enfermagem (NANDA), no quadro 02 apresenta-se os principais
Diagnósticos de Enfermagem identificados nos estudos e as intervenções propostas.

4
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

Quadro 02: Diagnósticos de enfermagem voltados a vítima do IAM e algumas de suas


respectivas intervenções.

4 DISCUSSÃO As doenças cardiovasculares, são estimadas


como responsáveis por 40% dos óbitos em
Segundo o código de ética aprovado pela 2020, e o IAM representa 80% das doenças
Resolução COFEN 311/2007, nos art. 12 a isquêmica do coração, sendo também a
14, cabe ao profissional de enfermagem ser mais letal. O que contribui
responsável em prestar uma assistência com significantemente para a redução da
competência técnica, cientifica e ética, livre mortalidade é o rápido atendimento, tendo
de danos para o indivíduo decorridos de em visto que a maior parte das mortes
imperícia, negligência ou imprudência, bem ocorre nas primeiras 24 horas8.
como aprimorar seus conhecimentos em
benefício à pessoa e ao desenvolvimento da O IAM é definido de várias formas, mas
profissão7. Desta maneira, refletir a para Alves et al.9 nada mais é que a
dinâmica do IAM, permite a elaboração e destruição da musculatura cardíaca,
planejamento da assistência de enfermagem mediante necrose, como consequência da
que deve ser prestado ao paciente, tornando redução do fluxo sanguíneo, levando ao
assim o procedimento dinâmico e eficiente. desequilíbrio entre oferta e demanda de
oxigênio e nutrientes, devido a obstrução da
4.1 CONTEXTUALIZANDO O artéria coronária, geralmente por acumulo
INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO anormal de lipídios que provoca uma
resposta inflamatória na artéria,

5
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

favorecendo a formação da placa de própria vítima que não valoriza os sintomas,


ateroma, ou ainda pode acontecer a não as reconhecendo como origem cardíaca
obstrução por meio do trombo de origem e agem inapropriadamente, desta forma
aterosclerótica. reforça a importância da educação para
reduzir o tempo entre o aparecimento dos
Inúmeros fatores contribuem para a sintomas e a busca pela ajuda
ocorrência do IAM, sendo que entre os nãos especializada12.
modificáveis estão faixa etária,
hereditariedade e gênero, e entre os 4.2 O PAPEL DO ENFERMEIRO
modificáveis estão inatividade física, MEDIANTE AO IAM
tabagismo, hábitos alimentares, hipertensão
arterial sistêmica (HAS), diabete mellitus O Enfermeiro abrange sua assistência nos
(DM), obesidade, estresse e doença não mais variados ambientes como ambulatório,
tratadas10. hospital e domicilio contemplado desde a
promoção, prevenção e reabilitação do
Quanto aos sintomas relacionados ao IAM, indivíduo. Dentro desta linha de atuação
apesar de serem característicos, como a dor Souza et al.4 em consenso com as
torácica, formigamento do membro recomendações da V Diretriz da Sociedade
esquerdo, dispnéia, náuseas, vômito, Brasileira de Cardiologia sobre Tratamento
sudorese, palidez, em mulheres, idosos e do Infarto Agudo do Miocárdio com
diabéticos os sintomas podem ser supradesnível do segmento ST, citam que
inespecíficos10. estudos destacam a importância da
assistência pré-hospitalar na melhora do
Mendes e Miranda10 observaram ainda que prognóstico na situação em que o infarto
os pacientes em 75% a 85% das vezes está presente, uma vez que pesquisas
descrevem sua dor com irradiação para o mostram que 25 a 35% das vítimas morrem
membro esquerdo com duração superior a antes de receberem atendimento médico.
20 minutos. Conforme os estudos, a dor no
IAM tem início súbito, intermitente, de Neste contexto o enfermeiro capacitado
grande intensidade, prolongada que não tem com conhecimento teórico e prático pode
alivio no repouso. Os pacientes a descreve ser o diferencial na assistência ao infartado,
como sendo constrictiva e opressiva, com deste que seja atento e preparado para atuar
sensação de esmagamento no peito5, 8. nestas situações de emergência4. Porém
deve-se aqui destacar que a maioria das
Conforme estudos a dor pode ser cidades brasileiras é desprovida de equipes
responsável em elevar a pressão arterial, de socorro intermediário como a SAMU.
aumentar a frequência cardíaca, náuseas, Diante deste fato estudos tem demonstrado
vômitos, dispnéia, medo, agitação, que o enfermeiro muito pode contribuir para
ansiedade, fraqueza e diaforese, gerando reduzir o tempo pela busca de assistência
desconforto, alterações fisiológicas e médica diante dos sintomas sugestivos de
psicológicas, limitando o paciente11. IAM, quando atuam como educadores,
orientando a população de risco e seus
Diante desta enfermidade o tempo é fator familiares e amigos acerca da
determinante do prognostico e sintomatologia, do momento de solicitarem
consequência pós-infarto, sendo desta ajuda, aonde buscar assistência, e até
forma o atendimento extremamente mesmo treina-los para situação que
importante na alteração da mortalidade e necessita de manobra de ressuscitarão1.
impacto na vida do paciente, porém
pesquisas destacam que a busca pela Em acordo com o estudo de Mussi et al.1,
assistência ou seu retardo dependem da Sampaio et al.12 já havia constatado que

6
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

além das orientações sobre os sintomas, o para acompanhar os marcadores


enfermeiro deveria diante da compreensão bioquímicos de lesão cardíaca, também na
dos motivos pelo retardo na procura por admissão e com repetição após 6 a 9 horas10.
ajuda especializada na presença dos sinais e
sintomas do IAM, orientar sua clientela No entanto, ao iniciar o atendimento o
para os riscos dos procedimentos enfermeiro deve avaliar os sinais vitais, o
inadequados como automedicação, uso de que contribui na distinção entre o IAM e
chás e outro líquidos, tolerância a dor, e demais patologias, além das intervenções já
persistência em realizar esforço físico citados anteriormente, deve ainda está
indevidos. Destaca ainda que a educação atento e priorizar e a avaliação da dor
deve abranger não só os familiares, mais torácica4. Tal intervenção é justificável uma
toda a comunidade em geral, incluindo vez que a literatura a relaciona a demais
escolas e empresas privadas. manifestações como dispnéia, sudorese,
agitação, além da hipertensão11.
No âmbito da emergência da patologia
instalada o enfermeiro quase sempre é o Estudos apontam ainda que nem todo
primeiro profissional a realizar contato com paciente apresentam os sintomas
o paciente infartado. Sua atuação ocorre característicos do IAM, que por vezes se
assim que o paciente a admitido em unidade manifesta de forma inespecífica, como nas
hospitalar, iniciando a assistência gestantes, idosos e diabéticos4. Por tanto o
imediatamente, portanto deve ser enfermeiro deve ser capaz de interpretação
capacitado para reconhecer os sintomas do dos exames principalmente o ECG, que
IAM, para direcionar adequadamente sua auxilia da definição diagnostica, e desta
assistência emergencial, aumentado às forma instituir a terapia o mais breve
chances de sobrevida do paciente possível. Portanto diante da patologia e sua
enfartado13. predominância emergencial, o enfermeiro
deve ainda ser dotado de habilidade,
Segundo Bezerra et al.8 e Carvalho, Pareja e agilidade e tomada de decisão rápida, livre
Maia13 as intervenções hemodinâmicas tem de imperícia e intuição que seria uma
demonstrado ser eficazes na redução da barreira na instituição de uma assistência
mortalidade no IAM, porém deve ser adequada e eficaz10.
realizado o mais breve possível, neste
âmbito o enfermeiro deve ter um olhar Pois, após o primeiro atendimento o
diferencial para interpretar os sinais e portador de IAM deve ser criteriosamente
sintomas e atuar com foco a antecipar e monitorado, pois pode evoluir para
prevenir as complicações. importantes alterações vitais entre as quais
está a hipotensão, depressão respiratória e
Dentre as intervenções que cabe ao alterações do ritmo cardíaco. Ressalta ainda
enfermeiro paralelo a assistência médica ou a necessidade de o enfermeiro conhecer
enquanto aguarda a mesma estão: o repouso afinco as ações medicamentosas, pois o
ao leito que tende a reduzir a sobrecarga risco para o paciente depende da terapia
cardíaca, a oxigênio terapia por cateter como, por exemplo, os agentes
nasal, monitoramento cardíaco continuo, trombolíticos podem desencadear uma
acesso venoso, oximetria de pulso ou hemorragia, enquanto que o sulfato de
gasometria arterial, ainda para auxiliar na morfina tende a depressão respiratória9.
determinação do diagnóstico o exame de
eletrocardiograma (ECG), deve ser Por tanto o paciente enfartado está
realizado na admissão (em até 10 min.) e sucessível nas primeiras 12h, se mantendo
repetido após 6 horas. Cabe ainda ao assim vigilância quanto à ocorrência de
enfermeiro agilizar a coleta laboratorial arritmias, persistência e intensidade da dor,

7
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

além dos sinais vitais, balanço hídrico e o uma padronização da linguagem utilizada
estado de consciência do indivíduo, ficando pela equipe, além de ser útil para determinar
este cuidado a cargo do profissional de clareza e assertividade na conduta da
enfermagem. O enfermeiro deve ter diante enfermagem, por associar os fatores
do paciente uma atuação calma, de forma a predisponentes e evidentes. A estrutura da
tranquiliza-lo, orientando sobre os SAE favorece a comunicação do enfermeiro
procedimentos, e fornecer condições para com os demais membros da equipe, bem
restauração emocional do paciente, como na atuação multi e interdisciplinar16.
demonstrando interesse por seus problemas.
Na oportunidade por ter maior contato, Para Carvalho, Pareja e Maia13 os
pode dispensar educação em saúde diagnósticos de enfermagem contribui para
esclarecendo dúvidas e transmitindo acompanhar as resposta direta e indireta do
tranquilidade também a família10. paciente ao IAM, que respeitadas às cincos
etapas da SAE (investigação, diagnósticos,
4.3 A SISTEMATIZAÇÃO DA prescrição, intervenção e avaliação) tendem
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM a supri as necessidades humanas básicas do
indivíduo. Destaca ainda a responsabilidade
A Sistematização da Assistência de do enfermeiro em ter um olhar diferenciado,
Enfermagem (SAE) é regida pela e antecipar as complicações, e desta forma
Resolução 358/2009 do Conselho Federal a comunicação entre a equipe
de Enfermagem (COFEN), que prever sua multidisciplinar é essencial para saber-se o
instituição em toda instituição de saúde que acontece com paciente.
pública e privada, sendo privativo ao
Enfermeiro sua execução e avaliação em Portanto analisar os diagnósticos de
conformidade com a Lei 7.498/8614. O enfermagem com foco no IAM, pautada em
cuidar na enfermagem é um processo que uma investigação holística, e embasado em
demanda zelo devendo ser interativo e evidências cientificas, proporciona uma
sistematizado, o enfermeiro aborda e assistência qualificada, e as pesquisas
analisa o paciente em todas as dimensões, apontam os diagnósticos mais comuns
holisticamente, o assistindo em todas as durante a internação e na recuperação pós-
demandas, seja física, psicológica, social ou infarto com objetivo de aperfeiçoar a
espiritual15. Desta forma necessita de assistência e contribuir na redução dos
aptidão para realizar julgamentos clínicos e danos e no aumento da qualidade de vida da
diagnosticar os problemas passíveis de vítima do infarto.
intervenções de enfermagem, tendo em
vista alcançar melhores resultados. Dentro dos artigos encontrados sobre
assistência de enfermagem ao infartado,
A SAE permite uma organização e somente 03 abordam a SAE, sendo que
sistematização na assistência em Carvalho, Pareja e Maia13 tem a pesquisa
enfermagem, por subsidiar a preparação de voltado especificamente para diagnostico
planos de cuidados, implementação de no IAM na fase emergencial; Pereira et al.16
intervenções e avaliação em acordo com a descreve diagnósticos no caso de doenças
necessidade do cliente. Pois sua base está no cardiovasculares, mas em seu grupo
método cientifico, com objetivo de estudado 33,3% eram vítima do IAM; e
identificar a interação saúde-doença e as Pereira, Dias e Santos15 atende ao IAM,
necessidades dos cuidados de porém após alta na fase de adaptação e
enfermagem13. Mediante o diagnóstico do recuperação, com objetivo da construção do
IAM, a SAE torna-se uma ferramenta protocolo para padronização da assistência.
essencial, pois dentro deste processo o
Diagnóstico de Enfermagem (DE) permite

8
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

No estudo de Pereira et al.16 a dor foi tissular periférica ineficaz” e “Troca de


observado em 70,7% dos pacientes e sua gases prejudica” já que ambos são
verbalização esteve presente em 100% dos dependentes da eficaz ejeção sanguínea e
diagnósticos elaborados, enquanto que no adequado transporte de oxigênio. Portanto
estudo de Sampaio et al.12 somente 9% dos as intervenções destes diagnósticos não
paciente não apresentava dor, e entre os variam muito que são repouso absoluto no
demais pacientes, a dor foi relacionada com leito nas primeiras horas de tratamento,
a sudorese (51%), vômitos (34%), dispnéia cabeceira do leito elevado, instalar a
(18%) e em menor proporção tonturas, oxigênio terapia conforme necessidade do
náuseas, fadiga, síncope e palpitação. paciente e prescrição, monitorar
Pereira, Dias e Santos15 destaca que a continuadamente a pressão arterial e
contextualização da dor difere de gênero e o oximetria de pulso, avaliar frequentemente
desconhecimento das características da dor a perfusão e pulso periférico, além de
no IAM, é uma das causas na mortalidade manter atenção nos sons pulmonares e
pré-hospitalar. bulhas cardíacas, e monitorar a resposta ao
tratamento medicamentoso quanto aos
Identificar o Diagnóstico de Enfermagem efeitos terapêuticos, adversos ou tóxicos
(DE) “Dor aguda” e iniciar imediatamente dos fármacos17.
a intervenção no sentido de reduzir sua
intensidade, contribui para estabilização Entretanto o débito cardíaco diminuído é
hemodinâmica da vítima do IAM, pois a dor um DE que dependendo da gravidade do
além de limitante, ela desencadeia inúmeras infarto tendente a acompanhar o paciente
reações do organismo que caracterizam ainda por algum tempo e/ou por toda vida.
alterações fisiológicas e psicológicas11. Sendo assim, recomenda-se a orientação ao
Desta forma a dor deixa de ser somente um cliente quanto ao autocuidado após a alta
sintoma e passa a ser motivo de outros DEs hospitalar, para que possam respeitar seus
como Ansiedade e Medo, que limites, moderar nos esforços, orientando
consequentemente contribui para a também a família quanto à restrição e a
sobrecarga cardíaca. progressão das atividades, para aprenderem
a monitorar a dispnéia, fadiga e taquicardia
O débito cardíaco é definido como e a importância do paciente informar
capacidade de bombeamento de sangue qualquer desconforto torácico15.
pelo coração que tem por objetivo suprir
todos os tecidos orgânicos com oxigênio e A “ansiedade” no estudo de Pereira et al.16
substâncias necessárias a suas atividades esteve presente em 76,7%, sendo superior
vitais15, quando ocorre uma diminuição até mesmo ao DE “dor aguda” (70,7%)
deste débito, os sinais como a dispneia e tendo resultado paralelo ao estudo revisado
palidez são frequente, mas durante a por ele, em que nos pacientes vítimas do
assistência o DE “Débito Cardíaco infarto o DE “Ansiedade” é manifesto em
Diminuído” pode está relacionado não só 93% do pacientes. Isto porque segundo
com o IAM, mas ainda com a administração inúmeros estudos doenças cardiovasculares
das drogas vasoativas, o que necessita de produzem sinais e sintomas emocionais
uma atenção reforçada do enfermeiro que devido ao medo da morte e da dor. Outro
deve verificar a Pressão Arterial (PA) e achado foi à ansiedade relacionada ainda
certifica-se da ausência da hipotensão antes com o desconhecimento do autocuidado e
de administrar tais drogas13. da progressão da doença, o que demonstra a
importância da intervenção da enfermagem
Destaca-se que o débito cardíaco diminuído com objetivo de orientar o paciente quanto
consequentemente está associado aos DEs a estas questões.
“Padrão respiratório ineficaz”, “Perfusão

9
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

Por tanto o controle da dor, repouso no leito elaboração das intervenções subsidiará a
e a redução da ansiedade tendem ser promoção e prevenção, recuperação e
benéfico ao bem estar do paciente, pois tais reabilitação do indivíduo, sendo
intervenções minimiza a agitação do consideradas as necessidades humana deste
paciente e consequentemente a sobrecarga indivíduo.
cardíaca. O autor destaca ainda a
importância da interação entre a equipe e No entanto a Sistematização da Assistência
paciente, na tentativa de acalma-lo e de Enfermagem tem na sua essência
amenizar o impacto da ansiedade9. considerar o indivíduo no todo, físico-
psico-social. Desta forma o enfermeiro deve
A “mobilidade física prejudicada” apesar de ponderar desde suas doenças de base e
ser de caráter provisório, se não esclarecida concomitante ao IAM, suas emoções,
para o paciente, pode ser desencadeador de frustrações, ofertando uma assistência
ansiedade e angustia, por ter sinônimo de holística e humanizada, para além da
dependência. Mas mesmo estando internação preparando-o para o retorno de
relacionado à necessidade do repouso seu ambiente e lar, sendo educador.
absoluto e presente em 100% dos
tratamentos do IAM, os estudos consultados Do mais a SAE propicia uma assistência
pouco abordam o tema, o que demonstra integral ao paciente infartado, que diante
uma carência de sensibilidade na dos DE descritos permite a elaboração das
representação do impacto emocional para o intervenções necessárias e organizadas para
paciente, que na maioria das vezes é uma o alcance do resultado almejado,
pessoa ativa e independente. contribuído para uma assistência de
enfermagem resolutiva, sistêmica e
A “intolerância a atividade” foi constato em continua.
36,7% no estudo de Pereira et al.15 sendo
comum em insuficiência cardíaca,
apresentando fadiga, desconforto
respiratório e palpitação, isso por está 5 CONCLUSÃO
relacionado a redução da capacidade do
coração manter o débito cardíaco, Tendo o IAM sua fisiopatologia bem
dificultado a realização das atividades da conhecida, apesar do avanço das pesquisas
vida diárias, portando no IAM ocorre uma é ainda um desafio, quanto à busca pela
redução na variabilidade da frequência redução dos números de caso, bem como o
cardíaca, dependente da gravidade da lesão, impacto da enfermidade sobre o paciente
desta forma está diretamente relacionada infartado e sua qualidade de vida.
como o débito cardíaco diminuído, podendo
ser adota as mesmas intervenções, com O Enfermeiro como profissional de saúde
destaque para orientações para pós alta15. tem papel primordial em todas as fases do
cuidado com o paciente infartado, desde a
Além dos DEs acima abordados o promoção, prevenção, recuperação e
enfermeiro deve estar atento aos reabilitação da população afetada. Sendo
diagnósticos consequentes da assistência que na promoção e prevenção o enfermeiro
como “Risco de infecção” relacionado ao deve atuar como educador, ao orientar a
acesso venoso, “Risco de aspiração” população de risco sobre como prevenir o
relacionado à ventilação mecânica e IAM, a reconhecer os seus sinais e
sedativos, e “Autocuidado prejudicado” sintomas, quando e aonde buscar
relacionado ao repouso no leito, além de assistência, capacitando não somente o
“Risco para confusão aguda” relacionada à paciente, mas também família e
hipóxia cerebral13. Desta forma a comunidade.

10
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

No ápice da emergência o enfermeiro tem n5/0034-7167-reben-67-05-


que ser capacitado a reconhecer e 0722.pdf.
diferenciar o infarto das demais patologias, 2. Departamento de Informática do
além de necessitar de habilidade, agilidade SUS – DATASUS [homepage na
e ser apto a tomar decisões rápidas, para internet]. Infarto agudo do
uma assistência eficaz e adequada, sendo miocárdio é primeira causa de
responsável junto com sua equipe desde a mortes no País, revela dados do
chegada do paciente a unidade hospitalar DATASUS. 2014 [acesso em 27
até a sua alta. fev 2016]. Disponível em:
http://datasus.saude.gov.br/noticias/
A Sistematização da Assistência de atualizacoes/559-infarto-agudo-do-
Enfermagem dá legitimação à atuação do miocardio-e-primeira-causa-de-
enfermeiro, facilita a comunicação da mortes-no-pais-revela-dados-do-
equipe multi e interdisciplinar e padroniza o datasus.
cuidado embasado na evidencia. Permite 3. Sociedade Brasileira de Cardiologia
elaborar um plano do cuidado individual, – SBC [homepage na internet].
atendendo as necessidades humanas, Dados e Estatísticas de mortalidade
contribuindo para a reabilitação do Cardiovascular 2003-2012. [Acesso
infartado, considerando a pessoa cuidada em 03 abr 2016]. Disponível em:
como o centro do processo da assistência. http://www.cardiol.br
/dados/mortalidade.html#tabela3.
A limitação do presente estudo está no 4. Souza Bg, Silva ALF, Barbosa AC,
baixo número de pesquisas voltadas a Campos Junior Ap. Atuação do
descrever os benefícios da SAE como enfermeiro frente ao atendimento
instrumento facilitador na assistência do paciente com infarto agudo do
emergencial ao paciente infartado, mesmo miocárdio. Rev Elet Interd [online].
que pela Resolução 358/2009, ela seja 2014 [Acesso em 04 Abr 2016];
obrigatória em todos os estabelecimentos 2(12):1-5. Disponível em:
em que tenha uma equipe de enfermagem. http://revista.univar.edu.br/index.ph
Portanto novos estudos podem contribuir p/interdisciplinar/article/view/349
para a construção de uma SAE dinâmica e 5. Caveião C, Santos RB, Montezeli
legitima que favoreça uma assistência JH, Visentin A, Brey C, Oliveira
qualificada ao paciente infartado. VBCA. Dor torácica: atuação do
enfermeiro em um pronto
atendimento de um hospital escola.
R. Enferm. Cent. O. Min [online].
REFERÊNCIAS 2014 [acesso em 15 abr 2016];
4(1):921-28. Disponível em:
http://www.seer.ufsj.edu.br/index.p
hp/recom/issue/ view/80.
1. Mussi FC, Mendes AS, Damasceno 6. Prodanov CC, Freitas EC.
CA, Gibaut MAM, Guimarães AC, Metodologia do trabalho científico:
Teles CAS. Fatores ambientais métodos e técnicas da pesquisa e do
associados ao tempo de decisão trabalho acadêmico 2. ed. Novo
para procura de atendimento no Hamburgo: Feevale, 2013 [acesso
infarto do miocárdio. Rev Bras em 02 fev 2016]. Disponível em:
Enferm. [online]. 2014 [acesso em http://www.feevale.br/institucional/
27 fev 2016]; 67(5):722-729. editora-feevale/metodologia-do-
Disponível em: trabalho-cientifico---2-edicao.
http://www.scielo.br/pdf/reben/v67

11
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

7. Conselho Federal de Enfermagem uchadeEnfermagem/article/view/51


(Brasil) [homepage na internet]. 203.
Resolução COFEN nº 311 de 08 de 12. Sampaio ES, Mendes AS,
fevereiro de 2007. Aprova a Guimarães AC, Mussi FC.
Reformulação do Código de Ética Percepção de clientes com infarto
dos Profissionais de Enfermagem do miocárdio sobre os sintomas e a
[acesso em 03 abr 2016]. decisão de procurar atendimento.
Disponível em: Cienc Cuid Saude [online], 2012
http://www.cofen.gov.br/resoluo- [acesso em 14 abr 2016];
cofen-3112007 _4345.html. 11(4):687-696. Disponível em:
8. Bezerra AA, Bezerra AA, Queiroz http://ojs.uem.br/ojs/index.php/cien
SJ, Brasileiro ME. A conduta de ccuidsaude/article/download/17591
enfermagem frente ao paciente /pdf_1.
infartado. Rev Eletr Enfer Centro 13. Carvalho DC, Pareja DCT, Maia
Est Enfer e Nutr. [online]. 2011 LFS. A importância das
[acesso em 05 mar 2016]; 1(1): 1- intervenções de enfermagem ao
10. Disponível paciente com infarto agudo do
em: https://www.ceen.com.br/midi miocárdio. Rev Recien [online],
as/downloads/11022014154530.pdf 2013 [acesso em 12 abr 2016];
9. Alves TE, Silva MG, Oliveira LC, 3(8):5-10. Disponível em:
Arrais AC, Menezes Júnior JE. www.recien.com.br/online/index.p
Atuação do enfermeiro no hp/Recien/article/download/51 /99.
atendimento emergencial aos 14. Conselho Federal de Enfermagem
usuários acometidos de infarto (Brasil) [homepage na internet].
agudo do miocárdio. Rev Enferm Resolução COFEN nº 358 de 15 de
UFPE [online], 2013 [acesso em 16 outubro de 2009. Dispõe sobre a
abr 2016]; 7(1):176-83. Disponível Sistematização da Assistência de
em: Enfermagem e a implementação do
https://periodicos.ufpe.br/revistas/r Processo de Enfermagem em
evistaenfermagem/article/viewFile/ ambientes, públicos ou privados,
10219/10801. em que ocorre o cuidado
10. Mendes MM, Miranda IPC. Infarto profissional de Enfermagem, e dá
agudo do miocárdio com outras providências. [acesso em 03
supradesnível do segmento ST e a abr 2016]. Disponível em:
assistência de enfermagem no intra- http://www.cofen.gov.br/resoluo-
hospitalar. Rev Eletr Cienc Hum, cofen-3582009_ 4384.html.
Saúde e Tecn [online], 2015 15. Pereira ACR, Dias BVB, Santos
[acesso em 31 mar 2016]; 7(1): 81- FT. Protocolo assistencial no pós
112. Disponível em: infarto agudo do miocárdio baseado
http://www.fasem.edu.br/revista/in nos diagnósticos de enfermagem e
dex.php/fasemciencias/article/view/ intervenções da North American
79. Nursing Diagnosis Association –
11. Santos SMJ, Araújo TL, NANDA. CuidArte,
Cavalcante TF, Galindo Neto NM. Enferm[online], jul./ dez. 2013
Dor aguda no infarto agudo do [acesso em 28 fev 2016]; 7(2):113-
miocárdio: análise do conceito. 118. Disponível em:
Rev. Gaucha Enferm. [online], http://fundacaopadrealbino.org.br/f
2015 [acesso em 08 maio 2016]; acfipa/ner/pdf/cuidarte_enfermage
36(3): 102-108. Acesso em: m_v7_ n2_jan_jun_2013.pdf.
http://www.seer.ufrgs.br/RevistaGa

12
Salus J Health Sci. 2016; 2(3): 1‐13

16. Pereira JMV, Cavalcanti ACD, http://www.scielo.br/scielo.php?scr


Santana RF, Cassiano KM, Queluci ipt=sci_ arttext&pid=S1414-
GC, Guimarães TCF. Diagnósticos 81452011000400012&lng=en.
de enfermagem de pacientes 17. Doenges ME, Moorhouse MF,
hospitalizados com doenças Murr AC. Diagnósticos de
cardiovasculares. Esc. Anna Nery Enfermagem: Intervenções,
[online], dez 2011 [acesso em 08 prioridade e fundamentos. 12. ed.
maio 2016]; 15(4): 737-745. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan;
Acesso em: 2011.

13