Você está na página 1de 1

Eletricidade, Magnetismo e Circuitos

Jaime Villate, FEUP

Problemas resolvidos do capítulo 7

4. Na superfície de raio 5 cm o potencial é:

9 × 109 × 3 × 10−9 9 × 109 × 2 × 10−9


V1 = −
0.05 0.07
e na superfície de raio 7 cm

9 × 109 × 3 × 10−9 9 × 109 × 2 × 10−9


V2 = −
0.07 0.07

Assim sendo, a diferença de potencial é

9 × 109 × 3 × 10−9 9 × 109 × 3 × 10−9


V1 − V2 = − = 154.3 V
0.05 0.07

5. (a) Se d 1 e d 2 são as distâncias desde cada uma das cargas até P, como o campo total em nulo P,
obtém-se r
k |q1 | k |q2 | d1 q1 2
2
= 2
=⇒ = =
d1 d2 d2 q2 3
e como d 1 + d 2 = 7 cm, então d 1 = 2.8 cm e d 2 = 4.2 cm.
(b) A carga da partícula no lado esquerdo é q1 = 4 q2 /9 = −32/9 nC e o potencial total no ponto P é
k q1 k q1 9 × 32 9 × 8
V= + =− − = −2857 V
d1 d2 9 × 2.8 4.2

8. (a) O campo aponta para baixo (direção em que diminui o potencial) e tem módulo:
15 V
Eext = = 187.5
0.08 m

(b) A carga é negativa, porque há uma linha de campo que atravessa as superfícies equipotenciais de
90 V, 75 V, 60 V, 45 V e 30 V entrando logo na carga. Também, se não existisse a carga, o potencial
no ponto onde se encontra teria um valor entre 45 V e 60 V, mas com a carga pontual o potencial nesse
ponto passa a ser menor que 30 V, ou seja, o potencial da carga pontual é negativo e a carga também.
(c) Como a carga é negativa, a força é na direção oposta ao campo externo, ou seja, para cima. (d) No
ponto P o campo total é nulo e, como tal, o campo produzido pela carga pontual é:

k |q| 187.5 × 0.092


E= = Eext = 187.5 =⇒ |q| = = 0.169 × 10−9
d2 9 × 109
e q = −0.169 nC.