Você está na página 1de 2

DA JORNADA DE TRABALHO

CONCEITO
Jornada de trabalho é o tempo em que o empregado fica à disposição do empregador,
executando ou aguardando ordens
A CF/88 estabelece
“art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais :
XIII - Duração do trabalho normal não superior a 08 (oito) horas diárias e 44 (quarenta e
quatro) semanais, facultada a compensação de horários e redução de jornada, mediante acordo
ou convenção coletiva de trabalho.
XIV - Jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos interruptos de revezamento,
salvo negociação coletiva
XVI – remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, cinqüenta por cento à do
normal”
Em qualquer trabalho contínuo que exceda as seis horas, é obrigatória a concessão de um
intervalo para repouso ou alimentação de no mínimo 1 hora e no máximo duas horas. Art.
71, da CLT.
Caso a jornada seja superior a 04:00 horas e não exceda a 06:00 horas haverá um intervalo
de 15 minutos. Art. 71, parágrafo 1º da CLT
Nota: Esses intervalos não são computados na duração do trabalho, porém, se não
concedidos pelo empregador serão considerados como jornada extra.
Entre duas jornadas de trabalho haverá um intervalo de no mínimo 11 horas consecutivas
para descanso . Art. 66 da CLT.
É assegurado ao trabalhador um descanso semanal remunerado de 24 horas consecutivas,
que deverá preferencialmente coincidir com o Domingo. Art. 67 da CLT.
FÉRIAS Artigos 129 ao 153 CLT
Conceito: Consiste na Recuperação do Esforço Gasto pelo Trabalhador;
Modalidades:
Simples;
Coletivas;
Proporcionais.
Art. 129 “todo empregado terá direito anualmente ao gozo de um período de férias, sem
prejuízo da remuneração”
PERÍODO AQUISITIVO
O empregado para adquirir direito as férias devem trabalhar no mínimo 12 meses que é
conhecido como período aquisitivo.
PERÍODO CONCESSIVO
Período de 12 meses subsequentes ao período aquisitivo para que o empregador conceda
férias ao empregado.
PRAZO DE PAGAMENTO/DOBRA
As férias deveram ser pagas nos 02 dias que antecede ao gozo das mesmas; Art. 145
CLT
Em se tratando de rescisão o pagamento deve ocorrer no momento da rescisão;
Sempre que gozadas apos o período concessivo de 12 meses devem ser pagas em dobro.
Art. 137
• DIREITO PROPORCIONAL AS FALTAS Art. 130 CLT
• Faltas: • Férias:
 até 05;  30 dias;
 de 06 a 14;  24 dias;
 de 15 a 23;  18 dias;
 de 24 a 32;  12 dias;
acima de 32  perde direito.C
PERDA DO DIREITO AS FÉRIAS Art. 133 CLT
Permanecer em licença remunerada por mais de 30 dias;
Deixar de trabalhar por mais de 30 dias, com percepção de salários, em decorrência de
paralisação total ou parcial dos serviços da empresa;
PERDA DO DIREITO AS FÉRIAS
Deixar o emprego e não for readmitido dentro de 60 dias subseqüentes à sua saída;
Receber prestação da previdência social por auxílio-doença ou acidente do trabalho por
mais de 06 meses, dentro do período aquisitivo, ainda que descontínuos.
FÉRIAS COLETIVAS Art. 139
São aquelas concedidas simultaneamente a todos os empregados da empresa;
Enviar comunicação ao MTB;
Com antecedência de 15 dias do gozo;
FÉRIAS COLETIVAS
Especificar os setores das empresas;
Afixar no quadro de avisos da empresa;
Comunicar o sindicato;

• Qual objetivo do contrato de experiência?


• Qual o prazo máximo de duração para o contrato de experiência? E quantas vezes
poderá ser prorrogado?
• Atingindo o termo avençado, o contrato de experiência se extingue, termina
automaticamente, pelo decurso do respectivo prazo
• Se o empregador/empregado, não desejar dar continuidade à contratação o que
dever fazer?
• Qual a importância do Contrato Individual de Trabalho na relação
• de emprego?
• Comente a diferença entre empregador e empregado (artigos 2º e 3º da CLT) e as
circunstâncias básicas para que haja a relação de emprego.
• Comente a importância da CLT na relação entre empregador e trabalhador.