Você está na página 1de 19

1

Geodésia Espacial
Profª Mayara C. Ortega Caldeira
Normal: linha
perpendicular à superfície
Raios de Curvatura do elipsoide do ponto
Introdução considerado

• Considerando-se um ponto na superfície do elipsóide de


referência e a normal deste ponto, o plano contendo esta
normal secionará a superfície do elipsóide gerando uma
curva denominada seção normal.

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Raios de Curvatura
Introdução
• Os raios de curvatura de uma seção normal dependerá
do azimute da linha
▫ ângulo que o meridiano de um ponto forma com uma direção.

• Para cada ponto há duas seções normais


perpendiculares entre si, cujas curvaturas são máxima
e mínima, denominadas de seções normais principais.

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Raios de Curvatura
Introdução
• No elipsóide, estas duas seções principais são:
▫ Seção meridiana (plano contendo o ponto e os pólos)
▫ Seção primeiro vertical (seção do ponto perpendicular à sua
seção meridiana).

A seção meridiana tem raio de curvatura mínimo e a


primeiro vertical tem raio máximo.

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


5

Raio de Curvatura da
Seção Meridiana
Raios de Curvatura
Seção Meridiana
• Este raio é obtido por

onde ds é uma distância diferencial e dφ a separação angular

Portanto

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Raios de Curvatura
Seção Meridiana
Derivando-se a equação de Z em razão da latitude geodésica, obtém-se o
raio de curvatura da seção meridiana:

Portanto Prove

No equador, este raio é igual a b2/a e Prove


enquanto nos pólos corresponde a2/b

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


8

Raio de Curvatura da Seção


Primeiro Vertical
Raios de Curvatura
Seção Primeiro Vertical

• Meusnier propôs o seguinte teorema: "o raio de


curvatura de uma seção inclinada é igual ao raio de
curvatura de uma seção normal multiplicada pelo
cosseno do ângulo formado pelas duas seções"

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Raios de Curvatura
Seção Primeiro Vertical
• Considerando-se o teorema de Meusnier, observa-se que a seção
primeiro vertical é a seção normal, enquanto a seção inclinada é o
paralelo de latitude geodésica considerada.

N é a componente da
normal, ou seja, a distância
da superfície do elipsóide
até a interseção com o eixo
menor, p é o raio de
curvatura do paralelo e φ é
o ângulo entre a seção
primeiro vertical e a seção
inclinada (paralelo).

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Raios de Curvatura
Seção Primeiro Vertical
• O raio de curvatura do paralelo é obtido por

• Do teorema de Meusnier, tem-se:

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Raios de Curvatura
Seção Primeiro Vertical
• Deste modo, observa-se que o raio de curvatura da seção primeiro
vertical é a componente da normal (N):

Note que o raio do paralelo (p) coincide com a abscissa (x) do ponto
considerado

Portanto,

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Raios de Curvatura
Seção Primeiro Vertical
• No equador, o raio de curvatura da seção primeiro vertical é igual ao
semi-eixo maior do elipsóide.
• Nos pólos, este raio é igual a2/b
• Comparando-se os raios de curvatura das seções normais principais,
tem-se que no equador são mínimos e nos pólos são iguais.
• Obtendo-se a razão entre estes raios,
verifica-se que N>M.

Prove

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Raios de Curvatura
Seção Primeiro Vertical
• Seja uma reta que passa por um ponto P na SFT (Superfície Física
da Terra) perpendicular ao elipsoide de revolução.
▫ Esta reta é denominada normal do ponto P.
• A distância entre o ponto M e H é denominada grande normal (N) e
a distância entre os pontos M e D é a Pequena Normal (N’).
• Numericamente, o raio de curvatura da seção primeiro vertical
coincide com a grande normal

Prove

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


15

Posição de um ponto acima do


elipsóide de referência
Posição de um ponto acima do elipsóide de
referência
• Considerando-se um ponto (P) na superfície física da
Terra com coordenadas geodésicas (φ, λ) e altura
geométrica (h) e sua projeção na superfície do elipsóide,
ao longo da normal

y
x

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Superfícies Elipsoidal
P
Z h

Elipsóide de
Referência
Z

X Y

Meridiano de origem Y
(Greenwich)

X Meridiano do
observador

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Astronomia de Posição


Posição de um ponto acima do elipsóide de
referência
Da ilustração da
geometria de um ponto
acima do elipsóide,
obtém-se as coordenadas
do ponto (x’ e z’)

As coordenadas retangulares espaciais (X,Y,Z) relacionam-se com as


coordenadas (x’,z’) por

Profª. Mayara Cobacho Ortega Caldeira Geodésia Espacial


Dúvidas????
Mayarac.ortega@gmail.com