Você está na página 1de 19

Cálculos de superestruturas 3

Conteúdo

CÁLCULOS DE SUPERESTRUTURAS ....................... 2

PRINCÍPIOS DE CÁLCULO ........................................... 3

OPTIMIZAÇÃO DA CARGA ............................................ 6

EXEMPLOS DE CÁLCULO ........................................... 7


Exemplo 1 4x2 Carro-tractor de 2 eixos ...................... 7
Exemplo 2 6x4 Carro-tractor de 3 eixos ...................... 9
Exemplo 3 4x2 Grua atrás da cabina .......................... 11
Exemplo 4 6x2 Grua montada à retaguarda .............. 12
Exemplo 5 4x2 Cálculo de comprimento ................... 13
Exemplo 6 6x2 Cálculo de centro de gravidade ....... 15
Exemplo 7 6x2/4 Carro-tractor .................................... 16
Exemplo 8 8x4 Cálculo do centro de gravidade ....... 18
Exemplo 9 8x4*4 Cálculo do centro de gravidade ... 19

© Scania CV AB 2003 1
Cálculos de superestruturas 3

CÁLCULOS DE SUPERESTRUTURAS

2 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

PRINCÍPIOS DE CÁLCULO

O modo de proceder ao calcular o comprimento da


caixa de carga, a capacidade de carga e a pressão nos
eixos, baseia-se em algumas regras simples.

A soma das forças dirigidas para baixo tem que ser


sempre igual à soma das forças dirigidas para cima.
Se uma tábua (que se parte do princípio de não ter
peso próprio) for posta sobre dois cavaletes e um
peso de 100 kg for colocado no meio da tábua, cada
cavalete será carregado com metade do peso, quer
dizer, 50 kg cada um.

Se o peso for posto em cima de um dos cavaletes,


este será carregado com 100 kg e o outro ficará
descarregado.

Se o peso for colocado para fora de um dos


cavaletes, a tábua eleva-se do outro cavalete.

Para que a tábua não se vire, tem que se colocar um


peso de pelo menos 20 kg sobre o primeiro cavalete,
assegurando assim um estado de equilíbrio. A totalida-
de da carga estará neste caso sobre o segundo cavale-
te.

© Scania CV AB 2003 3
Cálculos de superestruturas 3

Esta regra é chamada normalmente de princípio da


alavanca.

Substitua um dos cavaletes por uma roda e o outro


por um operário. Se o peso for colocado junto do
operário, este terá que suportar o peso todo.

Se um peso de 100 kg for colocado no lado do


operário, este terá que suportar o peso todo.

Quanto mais próximo o peso estiver da roda,


menor parte dos 100 kg terá o operário que supor-
tar.

Se além disso o peso for avançado para diante do


centro da roda, terá o operário que carregar a tábua
para baixo, para que esta não bascule para cima.

Como varia então a carga para o operário, relativa-


mente à colocação do peso?

O peso (carga) é-nos dado como L (kg). A carga (a


força de reacção da carga no operário) é-nos dado
como F (kg).

A distância do eixo da roda ao centro de gravidade do


peso (carga) é expresso como braço de alavanca H
(mm).
A distância entre os pontos de carga (o eixo da roda e
o operário) é expresso como A (mm).

4 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

Para manter o equilíbrio, deverá a carga L multipli- O cálculo da pressão sobre os eixos e da superestru-
cada pelo seu braço de alavanca H ter o mesmo tura de camiões baseia-se neste simples princípio de
valor que a força de reacção F multiplicada pelo alavanca e é expresso na fórmula:
seu braço de alavanca, ou seja, a distância A.

Lx H = FxA
Carga (L) x Braço de alavanca (H) = Força de
reacção (F) x Distância (A)

Esta fórmula pode ser escrita de maneira a poder A roda no exemplo anterior pode ser substituida
calcular a carga (L), a força de reacção (F) ou o pelas rodas dianteiras do camião e o operário pelas
braço de alavanca (H). rodas traseiras do camião.

Carga (L) x Braço de alavanca (H) = Força de


reacção (F) x Distância (A) O peso pode ser substituido pela caixa do camião
mais a carga. Pressupõe-se que o centro de gravida-
Carga (L) = Força de reacção (F) x Distância (A) de da caixa e carga, se encontra no meio da plata-
Braço de alavanca (H) forma da caixa.

Força de reacção (F) = Carga (L) x Braço de alavanca (H) Para simplificar, usaremos a unidade (kg) mesmo para
Distância (A) designar cargas, ou melhor, forças.

Braço de alavanca (H) = Força de reacção (F) x Distância (A)


Carga (L)

© Scania CV AB 2003 5
Cálculos de superestruturas 3

OPTIMIZAÇÃO DA CARGA

Todos os tipos de transportes com camião, requerem


o completar do chassi do camião com alguma espécie
de superestrutura.
O objectivo dos cálculos de superestrutura, é
optimizar o chassi e a colocação da superestrutura, de
forma a conseguir o máximo de carga útil, sem
ultrapassar a pressão máxima sobre os eixos e sobre o
bogie e tomando em consideração os limites legais e
técnicos.

Esta brochura trata das noções fundamentais de como


fazer um cálculo de superestrutura.
Para poder optimizar a carga, é preciso dispor de
Os distribuidores e concessionários da Scania dis- dados referentes aos pesos e medidas do chassis.
põem dum programa de cálculo para PC, que permi- O distribuidor tem acesso aos pesos do chassis.
te optimizar a carga / o peso, e que pode ajudar a Em muitos países, os distribuidores põem os pesos ao
calcular a superestrutura. dispor nas suas “home-pages”.

Exemplo de cálculo por PC


Diant. Tras. Total
Peso do chassis 6445 2585 9030
Peso suplementar 0 0 0
Peso da superestrutura 1146 3404 4550
Peso 1-4 0 0 0
Equipamento da
superestrutura 2135 -135 2000
Peso em vazio 9726 5854 15580
Carga 0 3885 11535 15420
Carga 1-4 0 0 0
Peso da carga 3885 11535 15420
Peso em vazio 9726 5854 15580
Peso da carga 3885 11535 15420
Peso total 13611 17389 31000
Peso máximo 14200 19000 32000
Peso em reserva 589 1611 1000

Peso em eixos direccionais 66%


Em eixos direccionais dianteiros 43%
Limite de patinagem em alcatrão 31%
Limite de patinagem em macadame 18%

6 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

EXEMPLOS DE CÁLCULO
Exemplo 1 4x2 Carro-tractor de 2 eixos
Cálculo da pressão sobre os eixos dianteiro e traseiro
(PA e PB), num carro-tractor de 2 eixos com a
pressão do pivote central (L).

Usando o princípio da alavanca, podemos escrever: com: A = 4200 mm


L = 10000 kg
H = 3600 mm
FB= L x H
A Produz a seguinte distribuição da carga no eixo
traseiro (FB)

FB = Distribuição da carga (pressão do pivote


central) no eixo traseiro FB = 10000 x 3600 = 8571 kg
A = Distância entre eixos 4200
L = Carga, (pressão do pivote central)
H = Distância entre o eixo dianteiro e a quinta
roda A pressão sobre o eixo traseiro (PB) é então a soma
da distribuição da carga no eixo traseiro (FB) e do
peso do chassi do carro no eixo traseiro (TB).

PB = FB + TB

© Scania CV AB 2003 7
Cálculos de superestruturas 3

Se o peso traseiro do chassi, TB = 4000 kg, resulta-


rá numa pressão sobre o eixo traseiro (PB), de
acordo com o seguinte:

PB = 8571 + 4000 = 12571 kg

A distribuição da carga no eixo dianteiro (FA), é


calculada subtraindo a distribuição da carga no eixo
traseiro à carga total (L).

F A = L - FB

A distribuição da carga no eixo dianteiro (FA), será


neste caso a seguinte:

FA = 10000 - 8571 = 1429 kg

A pressão sobre o eixo dianteiro (PA) será calculada


em seguida, da mesma forma que a pressão sobre o
eixo traseiro, isto é, a soma da distribuição da carga
sobre o eixo dianteiro (FA) e do peso dianteiro do
chassi do carro (TA).

P A = FA + TA

Se o peso dianteiro do chassi, TA = 4500 kg, resul-


tará na seguinte pressão sobre o eixo dianteiro (PA):

PA = 1429 + 4500 = 5929 kg

8 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

Exemplo 2 6x4 Carro-tractor de 3 eixos

Cálculo da localização da quinta roda (H) num carro


de três eixos, para poder utilizar ao máximo a pressão
sobre o eixo dianteiro e sobre o bogie.

Usando o princípio da alavanca, podemos escrever: Calcula-se a carga máxima no bogie (FB), subtrain-
do o peso traseiro do chassi (TB) à pressão máxima
permitida no bogie (PB).
H = FB x (A + B)
L
F B = PB - T B
se: H = Distância entre o eixo dianteiro e o
pivote central
FB = Carga máxima permitida (pressão do se: PB = máx. 20000 kg
pivote central) no bogie. TB = 5000 kg
A = Distância entre eixos
B = Distância até ao centro de gravidade
Resultará na seguinte distribuição da carga no
do bogie
bogie (FB)
L = Carga máxima permitida (pressão do
pivote central)
Depreende-se dos traçados das dimensões principais, FB = 20000 - 5000 = 15000 kg
qual a distância até ao centro de gravidade do bogie
(B), nos vários tipos de chassi.

© Scania CV AB 2003 9
Cálculos de superestruturas 3

A carga máxima permitida (L) é calculada somando


a carga máxima permitida no bogie (FB) e a carga
máxima permitida no eixo dianteiro (FA)

L = FB + FA

A carga máxima permitida no eixo dianteiro (FA), é


calculada da mesma forma que a carga máxima
permitida no bogie (FB), de acordo com o seguinte:

FA = PA - TA

se: PA = 7000 kg
TA = 5000 kg

resultará na seguinte carga máxima permitida (L):

FA = 7000 - 5000 = 2000 kg

L = 15000 + 2000 = 17000 kg

se: A = 4200 mm
B = 675 mm (6x4)

dá-nos a seguinte colocação optimizada da quinta-


roda:

H = 15000 x (4200 + 675) = 4300 mm


17000

Isto significa que para utilizar ao máximo a pressão


sobre os eixos, deverá a quinta-roda ser colocada a
4300 mm do eixo dianteiro (100 mm atrás do primeiro
eixo motor)

10 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

Exemplo 3 4x2 Grua atrás da cabina


Equipamento montado dentro da distância entre eixos; por exem-
plo, grua atrás da cabina.

No caso do carro estar equipado com equipamento suplementar


pesado, tal como uma grua atrás da cabina, deverá ser calculada a
distribuição do peso da grua nos eixos dianteiro e traseiro, antes
dos cálculos de superestrutura descritos anteriormente poderem ser
executados.

Usando o princípio da alavanca, podemos escrever: O peso da grua no eixo dianteiro (KA) será então:

K B= K x C
A KA = K - KB

KB = Peso da grua no eixo traseiro


K = Peso total da grua KA = 1950 - 364 = 1586 kg
C = Distância entre o eixo dianteiro e o
centro de gravidade da grua
A = Distância entre eixos

se: K = 1950 kg O peso da grua no eixo dianteiro (KA) é em seguida


C = 802 mm adicionado ao peso dianteiro do chassi (TA) e o peso
A = 4300 mm da grua no eixo traseiro (KB) é adicionado ao peso
traseiro do chassi (TB) para poder prosseguir os
do peso total da grua (K), obtém-se o seguinte peso cálculos de superestrutura.
no eixo traseiro (KB). Ver o exemplo 5.

K B= 1950 x 802 = 364 kg


4300

© Scania CV AB 2003 11
Cálculos de superestruturas 3

Exemplo 4 6x2 Grua montada à retaguarda


Equipamento montado fora da distância entre eixos. Por
exemplo, grua montada à retaguarda.
No caso do camião estar equipado com equipamento suple-
mentar pesado, tal como uma grua montada à retaguarda,
deverá ser calculada a distribuição do peso da grua nos eixos
dianteiro e traseiro, antes dos cálculos de superestrutura
descritos anteriormente poderem ser executados.

Usando o princípio da alavanca, podemos escrever: O peso da grua no eixo dianteiro (KA) será então:

KB= K x C
(A+B) KA = K - K B

KB = Peso da grua no eixo traseiro


K = Peso total da grua KA = 2500 - 3550 = -1050 kg
C = Distância entre o eixo dianteiro e o
centro de gravidade da grua
A = Distância entre eixos
B = Distância até ao centro de gravidade do Repare que KA toma um valor negativo, o que
bogie implica que o eixo dianteiro é descarregado de
1050 kg
se: K = 2500 kg
C = 7400 mm Para poder prosseguir os cálculos de superestrutu-
A = 4600 mm ra, deverá o peso da grua no eixo traseiro (KB), ser
B = 612 mm (6x2) adicionado ao peso traseiro do chassi (TB) e o peso
da grua descarregado do eixo dianteiro (KA), deve-
do peso total da grua (K), obtém-se o seguinte peso rá ser subtraído ao peso dianteiro do chassi (TA).
no eixo traseiro (KB).

KB= 2500 x 7400 = 3550 kg


(4600+612)

12 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

Exemplo 5 4x2 Cálculo de comprimento


Cálculo do comprimento da superestrutura, sendo o camião
e o equipamento os mesmos que no exemplo 3.

Usando o princípio da alavanca, podemos escrever: A carga máxima permitida (L), é calculada adicio-
nando a carga máxima permitida no eixo dianteiro
(FA) com a carga máxima permitida no eixo
H = FB x A traseiro (FB).
L
L = FA + FB
A carga máxima permitida no eixo traseiro (FB), é
calculada subtraindo à pressão máxima permitida no
eixo traseiro (PB), o peso traseiro do chassis (TB) e o A carga máxima permitida no eixo dianteiro (FA), é
peso traseiro da grua (KB). calculada da mesma forma que a carga máxima
permitida no eixo traseiro (FB), ou seja:

FB = PB - TB - KB
FA = PA - TA - KA

se: PB = 10000 kg se: PA = 6500 kg


TB = 1780 kg TA = 5000 kg
KB = 364 kg (segundo o exemplo 3). K A = 1130 kg (segundo o exemplo 3)
resultará na seguinte carga máxima permitida no eixo obtém-se a seguinte carga máxima permitida (L):
traseiro:
FA = 7500 - 4260 - 1586 = 1654 kg
FB = 10000 - 1780 - 364 =7856 kg
L = 1654 + 7856 = 9510 kg

© Scania CV AB 2003 13
Cálculos de superestruturas 3

Segundo o exemplo 3, a distância entre eixos O comprimento da parte traseira suspensa(J) pode ser
(A) = 4300 mm. A distância entre o eixo dianteiro calculado de acordo com o seguinte:
e o centro de gravidade da plataforma + carga, será
então o seguinte:

J = D + X -A
H = 7856 x 4300 = 3552 mm
9510

o que significa que o centro de gravidade da caixa de J = 1352 + 4400 - 4300 = 1452 mm
carga + carga, terá que ficar 3552 mm (H) atrás do
eixo dianteiro ou 4300 - 3552 = 748 mm (Y) à frente
do eixo traseiro, para poder aproveitar a pressão
máxima sobre os eixos. Comentário:
Se for de prever, como neste exemplo, que o centro
Neste exemplo, o cálculo foi feito pela ordem inversa,
de gravidade da caixa de carga + carga fique centrado
assumindo D depois de aproveitar o programa de
na mesma, o comprimento da caixa de carga pode ser
cálculo da Scania. Obviamente, assim é mais simples e
calculado como se indica a seguir.
rápido chegar a um veículo adequado. Deste modo
obtivemos um veículo com o peso, a localização da
grua e a caixa de carga totalmente optimizados.
O comprimento máximo da plataforma, desde o
centro de gravidade e para a frente, é limitado pele
O programa de cálculo também permite ganhar capa-
grua e o respectivo suporte, ou seja, a distância (D).
cidade de carga escolhendo o eixo dianteiro ou trasei-
ro com menos capacidade de carga, se verificar que
X/2 pode então ser no máximo:
isso permite melhorar o aproveitamento do ponto de
vista da distribuição dos pesos.
X/2 = H - D
Contudo, as autoridades da maioria dos países apro-
vam veículos em que o centro de gravidade da carga
não seja exactamente coincidente com o da caixa de
se D = 1352 mm, será X/2:
carga.
Ba prática, isso é irrelevante.
Entretanto, verifique sempre os regulamentos nacio-
X/2 = 3552 - 1352 = 2200 mm
nais.

o comprimento da plataforma será então:

X = X/2 + X/2

X = 4400 mm

14 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

Exemplo 6 6x2 Cálculo de centro de gravidade


Cálculo da distância (E) entre o centro de uma dada superes-
trutura (centro de gravidade teórico) e o centro de gravidade,
para aproveitar as pressões máximas sobre os eixos.

Usando o princípio da alavanca, podemos escrever: obtém-se a seguinte posição do centro de gravidade
para a carga máxima sobre os eixos.

H = FB x (A + B) H = 12000 x (5000 + 553) = 4595 mm


L 14500

H = Distância entre o eixo dianteiro e o centro


de gravidade da carga para poder apro Se a caixa neste exemplo tiver 8000 mm e a distân-
veitar a pressão máxima sobre os eixos. cia entre o eixo dianteiro e a caixa for 650 mm,
FB = Carga máxima sobre o bogie então a distância (E) entre o centro de gravidade
para pressão máxima sobre os eixos e o centro da
A = Distância entre eixos
caixa (centro de gravidade teórico), será a seguinte:
B = Distância até ao centro de gravidade do
bogie.
L = Carga máxima permitida, incluindo a
E = D + X/2 - H
superestrutura

se: FB = 12000 kg
A = 5000 mm E = 650 + 4000 - 4595 = 55 mm
B = 553 mm (6x2)
L = 14500 kg
Confira com as normas nacionais, que esta distância
Ver o exemplo anterior para calcular (L) e (FB). (E) está dentro dos valores limites indicados.

© Scania CV AB 2003 15
Cálculos de superestruturas 3

Exemplo 7 6x2/4 Carro-tractor


Cálculo da localização da quinta roda (H) num carro de
três eixos com o eixo de apoio à frente do eixo motor,
para poder utilizar ao máximo a pressão sobre o eixo
dianteiro e sobre o bogie.

Usando o princípio da alavanca, podemos escrever: Calcula-se a carga máxima no bogie (FB), subtraindo o
peso traseiro do chassi (TB) à pressão máxima
H = FB x (A - B) permitida sobre o bogie (PB).
L

se: H = Distância entre o eixo dianteiro e a quinta F B = P B - TB


roda
FB = Carga máxima (pressão do pivote central)
permitida no bogie. se: PB = máx. 20000 kg
TB = 5000 kg
A = Distância entre eixos
B = Distância até ao centro de gravidade do resultará na seguinte distribuição da carga no bogie
bogie. (FB)
L = Carga máxima permitida (pressão do
pivote central) FB = 20000 - 5000 = 15000 kg
Depreende-se dos traçados das dimensões principais,
qual a distância até ao centro de gravidade do bogie
(B), nos vários tipos de chassi.

16 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

A carga máxima permitida (L) é calculada somando a


carga máxima permitida no bogie (FB) e a carga
máxima permitida no eixo dianteiro (FA)

L = FB + FA

A carga máxima permitida no eixo dianteiro (FA),


é calculada da mesma forma que a carga máxima
permitida no bogie (FB), de acordo com o seguinte:

FA = PA - TA

se: PA = 7000 kg
TA = 5000 kg

resultará na seguinte carga máxima permitida (L):

FA = 7000 - 5000 = 2000 kg

L = 15000 + 2000 = 17000 kg

se: A = 4100 mm
B = 675 mm

dá-nos a seguinte colocação optimizada da quinta-


roda:

H = 15000 x (4100 - 675) = 3022 mm


17000

Isto significa que para utilizar ao máximo a pressão


sobre os eixos, deverá a quinta-roda ser colocada a
3022 mm do eixo dianteiro.

© Scania CV AB 2003 17
Cálculos de superestruturas 3

Exemplo 8 8x4 Cálculo do centro de gravidade


A determinar: Medida (E), distância entre o centro de gravidade
da superestrutura e o centro de gravidade optimizado da superestru-
tura / carga (H).

Peso delante Peso detrás Peso tot.


Objetivo, camión cargado FA = 14 000 FB = 18 000 F tot = 32 000
Peso de chasis - 5 865 - 2 830 - 8 695
Carga + carrocería PB = 8 135 PB = 15 170 L = 23 305

A = 5000 mm AT = Distância entre eixos teórica


B = 677,5 mm H = Centro de gravidade optimizado da
C = 970 mm carga/superestrutura
D = 650 mm L = Peso máximo da carga + superes
FA = 14 000 kg trutura Pontos de vista:
FB = 18 000 kg E = Medida entre H e o centro de
L = 23 305 kg gravidade da carga · A distância (D) pode ser um valor mínimo, p.
X = 7 000 mm PB = Peso da carga + superestrutura ex. se for montado um cilindro dianteiro entre a
sobre os eixos traseiros cabina e a superestrutura.
· O comprimento escolhido da superestrutura (X)
Cálculo: pode ser um valor normalizado do construtor da
carroçaria. Um desvio deste valor normalizado
AT = A + B – C = 5000 + 677,5 - 970 = 4 707,5 mm pode representar um acréscimo de custo
considerável.
AT x PB 4707,5 x 15170 · A distância entre eixos (A) escolhida, 5000 mm,
H= = = 3064 mm é a máxima permitida para um camião com
L 23305
báscula, mas isso é irrelevante do ponto de vista
E = X/2 + D – C – H = 3500 + 650 – 970 – 3064 = 116 mm de cálculo. A estabilidade é maior nos veículos
mais curtos. Contudo, em alguns países, são
A medida (E), distância entre os valores prático e exigidas distâncias entre eixos ainda maiores
optimizado de H é de = 116 mm. A superestrutura para poder carregar o veículo ao máximo.
deveria ficar 116 mm mais para a frente para obter a
distribuição de carga ideal. Verifique nos regulamentos nacionais, se a distância
(E) está dentro dos limites legais.

18 © Scania CV AB 2003
Cálculos de superestruturas 3

Exemplo 9 8x4*4 Cálculo do centro de gravidade


A determinar: A posição ideal do centro de gravidade da superestru-
tura / carga deve ser coincidente com o centro da superestrutura. H
deve portanto ser igual a D + X/2 e E ser igual a 0.

Peso delante Peso detrás Peso tot.


Objetivo, camión cargado FA = 7 100 FB = 24 000 F tot = 31 100
Peso de chasis - 4 870 - 4 585 - 9 455
Carga + carrocería PA = 2 230 PB = 19 415 L = 21 645

A = 3350 mm AT = Distância entre eixos teórica


B = 1256 mm H = Centro de gravidade
FA = 7100 kg optimizado da carga/superes
FB = 24000 kg trutura
L = 21645 kg L = Peso máximo da carga +
X = 6200 mm superestrutura
AT = 4606 mm (conforme E = Medida entre H e o centro de
desenho com as cotas gravidade da carga
principais) X = Comprimento da superestrutura
PB = Peso da carga + supe D = Distância do eixo dianteiro à
restrutura sobre os eixos face dianteira da superestrutura
traseiros

Cálculo:
AT x PB 4606 x 19415
H= = = 4131 mm
L 21645

Uma vez que é exigida a coincidência dos centros de


gravidade da superestrutura vazia e da superestrutura
com carga, D passa a ser:

D = H – X/2 = 4 131-3 350 = 1031 mm


A distância entre o eixo dianteiro e a superestrutura
passa a ser:

D = 1031 mm och E = 0.

© Scania CV AB 2003 19

Você também pode gostar