Você está na página 1de 2

AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA E TRATAMENTO DA LOMBALGIA

GESTACIONAL

PITANGUI, Ana Carolina Rodarti¹; Ferreira, Cristine Homsi Jorge². Avaliação


Fisioterapêutica e Tratamento da Lombalgia Gestacional. Fisioterapia e Movimento ed.
Abril/junho de 2008; 21(2): 135.142.
¹Fisioterapêuta, Doutoranda pelo programa de Enfermagem em Saúde Pública da Escola de
Enfermagem de Ribeirão Preto-USP, Ribeirão Preto, SP-Brasil;
²Fisoterapêuta, Prof.ª Dr.ª do Departamento de Biomecânica, Medicina e Reabilitação do
Aparelho Locomotor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto-USP, Ribeirão Preto, SP-
Brasil.

A obra trata da ocorrência de lombalgias durante o período gestacional, uma das


principais queixas das mulheres nesse período. Esclarece que tal complicação pode ocorrer
como dor lombar, dor pélvica posterior ou uma combinação entre as duas, classificando-as
através da história e exame clínico das pacientes, aplicação de questionários e de testes
objetivos aplicados por fisioterapeutas. Aborda classificação, avaliação clínica, prevenção e
tratamento de tal comprometimento visando uma boa qualidade de vida da mulher no decorrer
da gestação.
Conclusão do autor: as autoras concluíram que a lombalgia gestacional é um assunto
controverso, com necessidade de mais pesquisas e conscientização dos profissionais de saúde,
visando uma melhor qualidade de vida das gestantes.
O objetivo da obra é uma revisão literária científica sobre avaliação clínica,
classificação, prevenção e tratamento da lombalgia gestacional.
O texto trata a dor pélvica e dor lombar de forma única, piorada no período
gestacional. Tais complicações são conseqüências diretas da gestação devidas às várias
mudanças ocorridas, aumento de peso, mudança do centro de gravidade, devido ao
crescimento da barriga, ou seja, não há como uma mulher durante tal período não apresentar
tais disfunções. O que deve ser feito ao que se refere a esta lombalgia, o texto abrange de
forma plausível, "precaver" dores excessivas; amenizá-las através de atividades físicas
adequadas, alongamento, relaxamento desde até mesmo antes da concepção, no entanto,
maior ênfase deveria ser dada às patologias que já existentes maximizem essas complicações
inevitáveis do período gestacional. Uma fraqueza muscular, uma deficiência de membros
inferiores, escoliose são exemplos de patologias que secundariamente à lombalgias
complicam ainda mais o bem estar da gestante. Determinar a incidência e classificação da
lombalgia o mais correto e preciso em associação a qualquer outro evento que possa
maximizá-la seria mais proveitoso do que enfatizar somente a lombalgia como o texto propõe,
visando tratar um todo. Quanto à prevenção e tratamento da lombalgias em si o texto é
objetivo e abrange vários métodos tanto de teste para avaliação quanto de formas de
tratamento, mas é falho quanto a considerar pouco, patologias pré-existentes em cada mulher
antes do período gestacional.
A obra tem uma abordagem completa, e certamente influenciará nas tomadas de
decisões em futuros planejamentos. É observado atualmente que a literatura científica que
aborda esta temática encontra-se escassa, o que justifica a escolha deste tema para estudo,
sendo necessários conhecimento e compreensão pelos profissionais de saúde para obtenção de
melhores resultados.
Ao final deste, as autoras, recomendam haver necessidade de mais pesquisas devido a
controvérsias a respeito, enfatizando melhor definição do tema relacionado à avaliação
clínica, classificação, prevenção e tratamento para que as metas sejam atingidas.