Você está na página 1de 37

Tipos e Resistência de RWY

RESISTÊNCIA DE PISO
Capacidade do pavimento da pista em suportar o peso de um
avião em um número irrestrito de movimentos (um movimento
representa um pouso, uma decolagem e uma rolagem sobre a
pista). Método criado pela OACI em 1977.
Metodologia ACN - PCN

1 PCN é a força necessária para suportar uma


massa de 500kg em um único pneu com
pressão de 1,25MPa (181,5 psi).
2
Tipos e Resistência de RWY

INFORMAÇÃO NO ROTAER
Tipos e Resistência de RWY
Peso superior a 5.700kg será notificada pelo “ Método ACN / PCN ”
Tipos e Resistência de RWY
Tabela de ACN / PCN do 737-700

Determinar o Peso Máximo


limitado por pavimento para
um 737-700 operando em uma
pista com PCN 27/F/C/W/T
REGULAMENTOS
REGRAS DO AR

12
REGRAS DO AR

As regras do ar são aplicáveis à :

Toda aeronave que opere no espaço aéreo brasileiro


Toda aeronave brasileira , onde quer que se encontre

Responsabilidade pelo cumprimento das Regras do ar

OBS: O comandantes da aeronave só poderá se desviar


das Regras do Ar, somente quando absolutamente
necessário ao atendimento de exigências de segurança.

13
14
USO DE INTOXICANTES, NARCÓTICOS, DROGAS E
BEBIDAS.

Nenhuma pessoa pilotará ou


tripulará uma aeronave, enquanto
estiver sob a influência de bebidas
alcoólicas, intoxicantes,
narcóticos ou drogas que lhe
diminuam a capacidade de agir.

15
Atividade Aérea

Autorização e condições relativas ao tráfego aéreo em


que devam ser realizados os voos acrobáticos ,
lançamento de objetos ou pulverização ou reboque e
lançamento de pára-quedas é do SRPV ou CINDACTA
da área.

A autorizaçāo para a realizaçāo da atividade tėcnica da


operaçāo ė da ANAC.

18
PROXIMIDADE
Nenhuma aeronave voará tão próximo de outra, de
modo que possa ocasionar perigo de colisão.

Os vôos de formação devem ser previamente autorizados:


a) aeronaves militares - Comandante da Unidade

b) aeronaves civis - ANAC

Distâncias máximas previstas na ICA


100-12

Lateral- 0,5 nm = 1 km
Vertical - 100 ft= 30m
19
PREVENÇÃO DE COLISÕES

Direito de passagem

Aproximação de frente

Ambas alteram seus rumos para a direita


20
PREVENÇÃO DE COLISÕES

Direito de passagem

Convergência

Quando duas aeronaves convergirem em níveis


aproximadamente iguais, a que tiver a outra à sua direita cederá
passagem com as seguintes exceções:
21
22
PREVENÇÃO DE COLISÕES

Direito de passagem
Ultrapassagem
Denomina-se aeronave ultrapassadora a que se aproxima por trás da
outra numa linha que forme um ângulo inferior a 70º com o plano de
simetria da aeronave que vai ser ultrapassada.

23
LUZES DA AERONAVE

5
LUZES DA AERONAVE

6
Regras de Voo
Visual

27
REGRAS DE VOO VISUAL
• A responsabilidade por manter-se
separado de aeronaves e de
obstáculos no solo compete ao
Piloto em Comando, por meio do
uso da visão. Vendo e evitando.

1) Visibilidade do solo ou água de, pelo menos, mais da metade da


área de visão abaixo da linha de voo;
2) Voar abaixo do FL 150:
3) Visibilidade e distância de nuvens conforme a classe do espaço
aéreo;
4) Limites de velocide velocidade -- 380 kt
28
- Mínimos meteorógicos de aeródromo -
Aviões Helicópteros
Teto 1500 pés
Visibilidade 5 Km Teto 600 pés
Dia – Visibilidade 1500 m

Teto 1000 pés


Noite- Visibilidade 3000 m
AVIÕES - VMC

Visibilidade a frente: 5 Km abaixo FL100 - acima 8Km


Horizontalmente: 1500m
Verticalmente: 1000 pés
Nuvens abaixo: mais da metade da área de visão abaixo livre de nuvens

27
HELICÓPTEROS - VMC - DENTRO DE ESPAÇO AÉREO
CONTROLADO

Visibilidade: 3000 m
Horizontalmente: 1500m
Verticalmente: 500 pés
Nuvens abaixo: 50%
HELICÓPTEROS - VOO VMC FORA DO ESPAÇO AÉREO CONTROLADO

Acima de 3000 pés ou 1000 pés acima do solo


Visibilidade: 3000 m
Horizontalmente: 1500m
Verticalmente 500 pés
Nuvens abaixo: mais da metade da área de
visão abaixo livre de nuvens

3000 PÉS

Abaixo de 3000 pés ou 1000 pés acima do solo


Visibilidade ≥ 1000 m
Velocidade suficiente para ser visto /evitar obstáculos
Afastado de nuvens e referência solo ou água
500 pés altura
Raio de 600 m
1000 pés altura
Raio de 600 m
COMO ESCOLHER SEU NÍVEL DE CRUZEIRO ?

Exceto quando autorizado pelo órgão ATC, os voos VFR


em nível de cruzeiro, quando realizados acima de 900m
(3000 pés) em relação ao solo ou água, serão efetuados em
um nível apropriado à rota, de acordo com a tabela de
níveis de cruzeiro, em função do rumo magnético.

Ver níveis na tabela de voo visual.


33
Tabela de níveis para voo VFR
Avião\Helicóptero

P I

Níveis pares Níveis ímpares


REALIZAÇÃO DE VOO VFR EM ROTA

Em rota: na FIR, fora


de TMA/CTR
Local: somente
dentro de TMA/CTR

PERÍODO DIURNO

Os aeródromos - registrados ou homologados - ROTAER

Condições meteorológicas – mínimos da operação VFR  450m/5Km


REALIZAÇÃO DE VOO VFR EM ROTA

Em rota: na FIR, fora


de TMA/CTR
PERÍODO NOTURNO
Local: somente
dentro de TMA/CTR
a)o piloto deverá ter habilitado voo IFR;

b) a aeronave deverá ser homologada voo IFR;

c) os aeródromos envolvidos:
- balizamento luminoso;
- farol de aeródromo; e
- indicador de direção do vento iluminado ou órgão ATS.
PERÍODO DIURNO
d) aeronave: dispor de VHF.
Os aeródromos - registrados ou homologados - ROTAER

Condições
OBS: meteorológicas
Voo realizado – mínimos
em ATZ, CTR, TMA ouda operação
AFIZ VFRa 
não aplica e b.450m/5Km
REGRAS DE VOO POR INSTRUMENTOS (IFR)

As regras de voo IFR foram estabelecidas porque nem sempre


as condições meteorológicas são favoráveis ao voo visual.

A esta condição de voo é chamada:


Condições Meteorológicas de Voo por Instrumentos (IMC).

1
REGRAS DE VOO POR INSTRUMENTOS (IFR)
Classificação dos Equipamentos de bordo

• Básicos
São equipamentos previstos e nas quantidades estabelecidas pelo Regulamento
Brasileiro de Homologação Aeronáutica (RBHA - 91 Aviação Geral; RBAC-121 Transporte
Público Regular e RBAC-135 Transporte Público Não Regular) e nas disposições da ICA
100-11 Plano de Voo. São eles :

• Transceptor de VHF, para comunicação na faixa de freqüência 118,000 e 136,975 Mhz.


• Transceptor de HF, operação SSB-USB na faixa de freqüência 2,0 a 18,0 Mhz;
• Receptor Radiogoniométrico (ADF), na faixa de freqüência de 200 a 1749 KHz;
• Receptor de VOR / Localizer, na faixa de freqüência 108,00 a 117,90 Mhz;
• Receptor de Glide Slope (GS);
• Receptor Radiotelemétrico (DME);
• Transponder (SSR);
• Receptor de Marker Beacon;
• Transmissor Localizer de Emergência (ELT) em VHF, freqüência 121,5 e 243,0 Mhz;
• Transmissor Localizer de Emergência (ELT) em UHF, freqüência 406,025 Mhz; 2
REGRAS DE VOO POR INSTRUMENTOS (IFR)

Níveis para voos IFR :


Voo em AWY: FL mínimo para cima. Ver ENRC. ________
Voo fora de AWY: fora de rota ATS - FIR. --------->

12
REGRAS DE VOO POR INSTRUMENTOS (IFR)

Voo SBLO para SBAU.


Rumo magnéticoNível
050 de Mínimo na FIR
Calcule o nível mínimo IFR fora de rota ATS
O FL mínimo nas FIRs está determinado no AIP-Brasil parte ENR 1.3

• FL 110 nas FIRs Brasília e Curitiba;

• FL 080 nas demais FIRs; e

• FL 130 próximo a fronteira com a Venezuela (FIR Maiquetia).

A exigência acima será dispensada se o piloto declarar, no item 18 do


Plano de Voo , já ter voado VMC, no nível proposto.
RMK/Rota já voada VMC.

AIP-BRASIL ENR 1.3 sub-item 1.3 13


REGRAS DE VOO POR INSTRUMENTOS (IFR)

Cálculo de FL abaixo do nível mínimo da FIR


O piloto em comando deverá calcular o FL abaixo nível mínimo fora do espaço
aéreo controlado de acordo com a seguinte regra:

1) Procura-se a altitude do ponto mais elevado dentro de


uma faixa de 30 Km (16 NM) para cada lado do eixo da rota:

2) Soma-se a maior correção QNE da rota; e

3)Soma-se 300m (1000 pés) de gabarito de segurança se a


região não for montanhosa ou 600m (2000 pés) se for
montanhosa.

4) Se o valor encontrado não corresponder a um nível de


14
vôo, arredonda-se para o nível IFR imediatamente acima.
REGRAS DE VOO POR INSTRUMENTOS (IFR)

Condições para realização do voo IFR

No Período Diurno:

3
REGRAS DE VOO POR INSTRUMENTOS (IFR)
Condições para realização do voo IFR

No Período Noturno

1)Aeródromo de DEP : homologado IFR noturno, caso contrário use regras de IFR
diurno;
2) Aeródromos de ARR e ALTN : homologados para operação IFR noturna; caso a
hora estimada de chegada ao aeródromo de ARR ocorra no período diurno basta
que seja homologado IFR diurno.
3) Condições meteorológicas do AD DEP deverão ser iguais ou superiores aos
mínimos estabelecidos para operação IFR de decolagem; e
4) Comunicações bilaterais em VHF – a aeronave deverá estar em condições de
estabelecer com os órgãos ATS envolvidos.