Você está na página 1de 10

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Eduesley Santana Santos

Doutor em Ciências pela FMUSP Pós-Doutorado em Ciências pela FMUSP Professor Adjunto do Departamento de Enfermagem da UFS

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

DC =

PRESSÃO ARTERIAL

RESISTÊNCIA SISTÊMICA

FLUIDOS melhoram a contratilidade miocárdica, a pressão arterial e reduzem a resistência vascular,otimizando o débito cardíaco;

VASOPRESSORES aumentam a pressão arterial e a pressão de perfusão, preservando a distribuição do DC para os órgãos;

VASODILATADORES reduzem a resistência vascular, resultando em melhora do DC;

INOTRÓPICOS melhoram a contratilidade miocárdica, otimizando o DC.

vascular, resultando em melhora do DC; INOTRÓPICOS – melhoram a contratilidade miocárdica, otimizando o DC.

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

Parâmetros Hemodinâmicos

Hipovolemia

PAOP<5mmHg

PVC<5mmHg

Taquicardia

Vasoconstrição periférica

Débito urinário<0,5ml /Kg/h

Delta de CO2 > 5

BE elevado

Hipervolemia

PAOP>15mmHg

PVC>20mmHg

Edema pulmonar

Crepitação na ausculta pulmonar

Ritmo de galope na ausculta

cardíaca

Cardiomegalia

• Crepitação na ausculta pulmonar • Ritmo de galope na ausculta cardíaca • Cardiomegalia

23/11/2017

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Oferta de O2 • DO2 = CaO2 x DC Transfusão
Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos
Oferta de O2
• DO2 = CaO2 x DC
Transfusão de hemácias
Otimização da Ventilação mecânica
• DO2 = (Hb x 1,34 x SaO2)+(PaO2 x 0,003) x DC
DO2 = oferta de oxigênio
CaO2 = conteúdo arterial de oxigênio
Reposição Volêmica
Hb
= hemoglobina
Drogas vasoativos
PaO2= pressão arterial de oxigênio
SaO2 = saturação arterial de oxigênio
DC
= débito cardíaco
Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos
Efeitos do Choque ao Nível Celular
Falha nos Mecanismos de
Manutenção da Membrana Celular
Morte
Celular
Perda do gradiente
osmótico
Disfunção do
Entrada
de Na + na
celula
Entrada de
EDEMA
metabolismo
agua na
CELULAR
celular
célula

Como avaliar a volemia e otimizar a hemodinâmica do nosso paciente em tempo real ?

Pressão Venosa Central (PVC) ou Pressão de átrio direito (PAD): é utilizada na

obtenção de informações de enchimento do átrio direito indica a pré carga do

ventrículo direito ;

Pressão de átrio esquerdo (PAE) ou Pressão de oclusão da artéria pulmonar

(POAP): correlaciona-se com as pressões de átrio esquerdo e pressão diastólica

final do ventrículo esquerdo indica a pré carga do ventrículo esquerdo;

VDFVD: pode ser obtido por meio da determinação da fração de ejeção da

câmara direita, verifica-se pelo método da termodiluição, através de cateteres

tipo Swan Ganz com sensor de resposta rápida ou ecocardiografia.

pelo método da termodiluição, através de cateteres tipo Swan Ganz com sensor de resposta rápida ou

23/11/2017

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição
Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição
Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição
Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição
Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição
Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição
Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos
e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos
e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos
e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Novas Tendências!

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos Novas Tendências!

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

COLÓIDES

Amidos / Hidroxietilamida

-Efeito expansor semelhante ao da albumina

-Contra Indicado: Disfunção renal

-Complicações: distúrbio de coagulação por disfunção plaquetária, interferência com fator VIII e fator de Won Willebrand

distúrbio de coagulação por disfunção plaquetária, interferência com fator VIII e fator de Won Willebrand

23/11/2017

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Reposição Volêmica e Fármacos Vasoativos

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

 
 

Escolha do Fluido

 

Cristalóides:

 

- Sódio como principal elemento osmótico.

 

1) Soluções Hipotônicas

 

2) Soluções Isotônicas:

 

Nacl 0,9%

Ringer lactato

 

3)Soluções hipertônicas

 

Nacl 7,5%

Efeitos

colaterais:

hipernatremia,

hipercloremia

e

hiperosmolaridade

e

convulsões.

 
convulsões.  

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

 
 

ALBUMINA

 

-Comercializadas: 20-25% associadas a solução isotônica. -Indicações:

 
 

Pacientes cirróticos após paracenteses volumosas

Facilitar terapia diurética em pacientes com ascite Fluido de reposição nas plasmaféreses

-Complicações:

 
 

Anafilaxia Coagulopatia por diluição dos fatores de coagulação Alto custo

 
 
 

Colloids versus Crystalloids for Fluid Resuscitation in Critically ill patients Cochrane Review

-Colóides x Cristalóides Hipertônicos x Isotônicos

-Colóides: Albumina/ Hydroxyethyl / Gelatina / Dextran

Não existe evidência que a ressuscitação com colóides reduz o risco

de morte comparando com cristalóides em paciente com trauma, queimaduras e pós operatório.

Os colóides não estão associados a aumento da sobrevida e são mais caros.

Cochrane BVS 2007

e pós operatório. Os colóides não estão associados a aumento da sobrevida e são mais caros.
Ressuscitação volêmica precoce – otimização da perfusão tecidual PVC 8 - 12 mmHg PAM ≥

Ressuscitação volêmica precoce otimização da perfusão tecidual

PVC 8 - 12 mmHg PAM ≥ 65 mmHg SvO 2 ~ 70 %
PVC 8 - 12 mmHg
PAM ≥ 65 mmHg
SvO 2 ~ 70 %
Redução mortalidade 16%

Redução mortalidade 16%

Redução da disfunção orgânica

Redução da necessidade de monitorização invasiva

Adequação precoce da oferta de oxigênio

Deterioração cardiovascular

Redistribuição de fluxo sangüíneo

N Engl J Med 2001;345:1368-77.

Resposta Inflamatória

cardiovascular  Redistribuição de fluxo sangüíneo N Engl J Med 2001;345:1368-77.  Resposta Inflamatória
ESTRATÉGIA LIBERAL DANO CELULAR DISFUNÇÃO ORGÂNICA

ESTRATÉGIA LIBERAL

DANO CELULAR

DISFUNÇÃO ORGÂNICA

ESTRATÉGIA LIBERAL DANO CELULAR DISFUNÇÃO ORGÂNICA

23/11/2017

LIBERAL DANO CELULAR DISFUNÇÃO ORGÂNICA 23/11/2017 Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas Até que ponto

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

Até que ponto a ressuscitação volêmica agressiva é benéfica em pacientes admitidos na UTI?

Excessive Fluid Resuscitation Pathophysiology and clinical implications of perioperative fluid excess

 

Holte K. et al (Br J Anaesth 2002;89:622-632)

 
   
 

Excesso de fluidos administrados sem critério ou monitoração pode comprometer a função cardíaca

 
 
monitoração pode comprometer a função cardíaca   • Não houve diferença na mortalidade em 60 dias.

Não houve diferença na mortalidade em 60 dias.

 

Estratégia conservadora :

Melhorou função pulmonar

Diminuiu tempo de ventilação mecânica

Diminuiu tempo de permanência em UTI.

Excesso de volume:

Edema pulmonar com maior tempo de ventilação mecânica

Edema visceral leva e síndrome compartimental

Edema cerebral.

Edema cerebral.

FÁRMACOS VASOATIVOS

 
 

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

FÁRMACOS VASOATIVOS

Agentes Simpatomiméticos:

Noradrenalina;

Adrenalina;

Dopamina;

Dobutamina;

Dopexamina;

Isoproterenol;

Inibidores da Fosfodiesterase:

Amrinone;

Milrinone;

Vasodilatadores:

Nitratos;

Nitroprussiato de Sódio;

NO;

Hidralazina.

 
 
Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas Débito Cardíaco Volume Resistência Inotrópicos Reponha as Perdas
Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas
Débito Cardíaco
Volume
Resistência
Inotrópicos
Reponha as Perdas
Precocemente
Vasopressores
Vasodilatadores
β Agonistas
Cristalóides
Inibidores da
Colóides
Fosfodiesterase
Noradrenalina
Nitroprussiato
Hemoderivados
Sensibilizadores Ca ++
Adrenalina
Nitroglicerina
Vasopressina
Terlipressina

23/11/2017

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas FÁRMACOS VASOATIVOS DEFINIÇÃO: substâncias que apresentam efeitos
Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas
FÁRMACOS VASOATIVOS
DEFINIÇÃO: substâncias que apresentam efeitos vasculares periféricos, cardíacos ou
pulmonares, diretos ou indiretos.
OBJETIVO DE UTILIZAÇÃO: restaurar a perfusão tecidual, otimizar a relação DO2/VO2,
atender
a
demanda
metabólica
dos
órgãos
e
tecidos,
preservando
ao
máximo
a
bioquímica celular.
Holmes C. Curr Opin Crit Care 2005; 11: 413-417.
Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas
FÁRMACOS VASOATIVOS
 Por que entender a concentração das drogas vasoativas?
 mL/h ou mcg/kg/min?
mcg/kg/min= mcg/ml x ml/h
60 x peso
Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas
Receptores Alfa-Adrenérgicos
 Alpha-1:
 Promove Vasoconstricção Arteriolar :
- Cutâneo
- Renal
- Esplâncnico
 Aumento da Pressão Arterial;
 Aumento da Pressão Coronariana;
 Aumento da Pressão Cerebral.
 

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

 

Receptores Beta-Adrenérgicos

Beta-1:

 

Otimiza a Performance Cardíaca

-

Aumento Cronotropismo

-
-

Aumento Inotropismo

 
 
 

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

 

Receptores Dopaminérgicos

Dopa-1:

   

Promove Vasodilatação Arteriolar

 
 

- Renal

 

- Esplâncnico

 

- Coronariano

-

Cerebral

Inibe Aldosterona e ADH;

 

Aumento Diurese e Natriurese.

 
 
 
 

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

 

1) Noradrenalina

Catecolamina natural;

Efeito predominante nos a-receptores, efeito b1 discreto;

Eleva a PA devido a seu efeito vasoconstrictor ( RVS), com pouca ação na FC ou DC;

Não altera a capilar pulmonar ou a pressão arterial pulmonar;

Mais potente vasoconstrictor que a dopamina;

DOSES: 0,01 a 2,0 mcg/kg/min;

Martin C, et al (chest 1993): dopamina foi eficaz em 31% x norepinefrina 93%;

CHOQUE HIPOVOLÊMICO: vasoconstricção deletéria (renal);

CHOQUE SÉPTICO: otimiza o fluxo sanguíneo renal, TFG;

A monitorização do paciente em uso de noradrenalina deve levar em conta, além dos

 

valores da PA, a perfusão sistêmica e regional.

 
valores da PA, a perfusão sistêmica e regional.  

23/11/2017

 

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

 

Receptores Beta-Adrenérgicos

Beta-2 :

 

Promove Relaxamento Muscular Lisa Vasos;

Broncodilatação;

 
 

Efeitos cronotrópicos β1

 

Orgãos Viscerais;

 

Diminuição da Pressão Arterial

Viscerais;    Diminuição da Pressão Arterial     Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas
 
 
 

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

 

VASOPRESSORES:

 

Fármacos que visam restaurar a pressão arterial (PAM > 65 mmHg) e por consequência a perfusão tecidual

 
 

- NORADRENALINA

 

Catecolaminas

- DOPAMINA

 

- ADRENALINA

- FENILEFRINA

 

Não-catecolaminas

- VASOPRESSINA

 

- TERLIPRESSINA

 

ESCOLHA DO AGENTE

  ESCOLHA DO AGENTE 1) CONHECIMENTO DA AFECÇÃO 2) EFEITOS OUTROS DA MEDICAÇÃO 3) RESPOSTA ESPECÍFICA

1) CONHECIMENTO DA AFECÇÃO 2) EFEITOS OUTROS DA MEDICAÇÃO 3) RESPOSTA ESPECÍFICA DO PACIENTE

  ESCOLHA DO AGENTE 1) CONHECIMENTO DA AFECÇÃO 2) EFEITOS OUTROS DA MEDICAÇÃO 3) RESPOSTA ESPECÍFICA
 

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

 

1) Noradrenalina

 

Redução dos níveis de lactato, melhora da oxigenação na sepse;

 

Martin C (Crit Care Med 2000):

 
 

A

Noradrenalina é um fármaco muito útil no choque séptico restaurando a

 

PA sem deteriorar o IC ou função orgânica apesar de poucos dados em transporte de O2, sua ação resulta em melhora das variáveis hemodinâmicas, fluxo urinário, lactato e perfusão renal.

transporte de O2, sua ação resulta em melhora das variáveis hemodinâmicas, fluxo urinário, lactato e perfusão

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

2) Dopamina

Precursor natural da noradrenalina e adrenalina;

Efeito dose-dependente:

* < 3 mg/Kg/min DA1 DA2 vasodilatação renal, mesentérica e coronária eleva TFG e excreção de sódio

3 - 10 mg/Kg/min

* aumento da contratilidade e FC

b1

> 10 mg/Kg/min

* vasoconstricção e aumento da PA

a1

Meier-Hellman, 1997: aumento da PA em 24% dos pacientes em choque séptico;

Dose suficiente para elevar a PA: 15 mg/Kg/min;

Aumento do retorno venoso, da PCP, shunt pulmonar, taquicardia, arritmias

suficiente para elevar a PA: 15 mg/Kg/min;  Aumento do retorno venoso, da PCP, shunt pulmonar,
Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas 2) Dopamina  Baixas doses – aumento do FSR e
Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas
2) Dopamina
 Baixas doses – aumento do FSR e TFG, inibição da reabsorção tubular de Na+
e natriurese
DOPAMINA REDUZ O RISCO DE LRA POR AUMENTAR O FLUXO ?
Lancet 2000 (356): 2139-2143
Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas
3) Dobutamina
 2 a 20 µ/Kg/min Ação β Adrenérgica;
 Contratilidade Miocárdica;
 Reduz pressões de enchimento;
 Pressão Capilar Pulmonar Ocluída;
 Resistência Vascular Sistêmica;
 Mínima Alteração PA, exceto em caso de hipovolemia;
 > 20 µ/Kg/min favorecimento de arritmias

23/11/2017

 > 20 µ/Kg/min favorecimento de arritmias 23/11/2017 Efeitos deletérios no sistema Imunológico, Endócrino e
 > 20 µ/Kg/min favorecimento de arritmias 23/11/2017 Efeitos deletérios no sistema Imunológico, Endócrino e
 > 20 µ/Kg/min favorecimento de arritmias 23/11/2017 Efeitos deletérios no sistema Imunológico, Endócrino e
Efeitos deletérios no sistema Imunológico, Endócrino e Respiratório.
Efeitos deletérios no sistema Imunológico, Endócrino e Respiratório.

Efeitos deletérios no sistema Imunológico, Endócrino e Respiratório.

Efeitos deletérios no sistema Imunológico, Endócrino e Respiratório.

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

4) Adrenalina

Em pacientes que não respondem à noradrenalina ou à dopamina, pode aumentar a PA por aumentar o DC/VS, com menor efeito sobre a RVS e a FC; Melhora a contratilidade do VD; Aumenta a oferta e o consumo de O2; Reduz o fluxo esplâncnico, aumenta lactato e o pH; Redução da oxigenação global pode ser revertida por dobutamina; Dose: 0,05- 2,0 mcg/kg/min

lactato e o pH;  Redução da oxigenação global pode ser revertida por dobutamina;  Dose:

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

4) Adrenalina

Efeitos adversos:

elevação da FC;

arritmias;

hiperglicemia;

aumento do lactato.

Pelos seus efeitos deletérios na perfusão, deve ser reservada aos pacientes não-reponsivos aos fármacos habituais

Pelos seus efeitos deletérios na perfusão, deve ser reservada aos pacientes não-reponsivos aos fármacos habituais

Efeitos deletérios da Vasopressina

Efeitos deletérios da Vasopressina
Efeitos deletérios da Vasopressina
Efeitos deletérios da Vasopressina
Efeitos deletérios da Vasopressina

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

7) Nitroprussiato de Sódio

Vasodilatador de ação direta extremamente rápido;

Promove vasodilatação venosa e arteriolar;

Diminui a Resistência Vascular Sistêmica;

Aumenta Capacitância Venosa;

Dose: 0,1 a 8,0 µ/Kg/min

 Diminui a Resistência Vascular Sistêmica;  Aumenta Capacitância Venosa;  Dose: 0,1 a 8,0 µ/Kg/min

23/11/2017

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

5) Vasopressina

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas 5) Vasopressina  Análogo da adrenalina com meia-vida mais longa; 

Análogo da adrenalina com meia-vida mais longa;

Em investigação para hipotensão refratária a catecolaminas;

Meia-vida: 6 horas;

Duração de ação: 2 a 10 horas;

Infusão em pacientes sépticos segura e eficaz 0,01 a 0,04 U/min

associada a outros vasopressores

Curr Opin Crit Care 2004; 10: 442-448. Am J Respir Crit Care Med 2003; 167: A838 Crit Care 2004; 8: 15-23.

vasopressores Curr Opin Crit Care 2004; 10: 442-448. Am J Respir Crit Care Med 2003; 167:
Crit Care Med 2003; 167: A838 Crit Care 2004; 8: 15-23. Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas
Crit Care Med 2003; 167: A838 Crit Care 2004; 8: 15-23. Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

8) Nitroglicerina

Atua na musculatura lisa dos vasos;

Promove vasodilatação venosa (principalmente);

Diminui o consumo de O2 por

Droga de escolha na Angina Instável;

Taquicardia / Cefaléia

Dose: 1 a 80 µ/Kg/min

o retorno venoso;

por  Droga de escolha na Angina Instável;  Taquicardia / Cefaléia  Dose: 1 a

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

9) Milrinone

Potente e seletiva inibição da Fosfodiesterase ;

Aumento do AMP-c nas células cardíacas;

Débito Cardíaco (aumento da contratilidade);

Pressão Capilar Pulmonar Encunhada (efeito positivo no

inotropismo de VD);

Resistência Vascular Periférica (vasodilatação periférica)

 
 

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas

10) Levosimedan

Sensibilização do miocárdio ao Ca++;

Não aumenta o cálcio intracelular e sim capacita o miocardio a

gerar maior força contrátil;

Efeito Inotrópico: manutenção da troponina C em conformação ideal para contração na presença de calcio;

Efeito Inotrópico sem comprometer o relaxamento diastólico;

Dose: 0,1-0,4mcg/kg/min 6 a 24 horas.

 
 

Intervenções de Enfermagem

Cateter venoso central e em Bombas Infusoras

Extravasamento necrose isquêmica

Padronização das diluições

Peso do paciente

• Padronização das diluições • Peso do paciente • Conhecer a concentração das drogas • [

Conhecer a concentração das drogas

[ ] Dose X efeito esperado X efeito apresentado

Dose e veloc.infusão forma individualizada

“Cinco Certos

23/11/2017

Reposição Volêmica e Drogas Vasoativas



9) Milrinone

Opção na disfunção severa quando a terapêutica com catecolaminas torna-se inefetiva;

Início imediato com duração 3-6 horas;

DOSE DE ATAQUE

0,50 µ/Kg em 10 minutos

DOSE MANUTENÇÃO

0,375 µ/Kg/min Dose Mínima

0,50 µ/Kg/min Dose Standard

0,75 µ/Kg/min Dose Máxima

DOSE MANUTENÇÃO  0,375 µ/Kg/min Dose Mínima  0,50 µ/Kg/min Dose Standard  0,75 µ/Kg/min Dose
PENSE SEMPRE!!! Resistência Volume Débito Cardíaco Inicialmente use ferramentas não invasivas Use medidas
PENSE SEMPRE!!!
Resistência
Volume
Débito
Cardíaco
Inicialmente use ferramentas não invasivas
Use medidas invasivas se não houver resposta
Não dê inotrópicos ou
vasopressores sem adequada
Considere vasodilatadores
para baixo débito cardíaco
(diminuem a pós-carga)
pressão de enchimento
Mas: mantenha adequada pressão
arterial média para garantir
perfusão tissular

Intervenções de Enfermagem

Reações alérgicas conservantes (sulfitos e sulfetos)

Inativadas soluções com pH alcalino

Existe fotosenssibilidade?

Arritmias cardíacas

• Existe fotosenssibilidade? • Arritmias cardíacas • Vasoconstricção sistêmica   perfusão •

Vasoconstricção sistêmica   perfusão

Monitoração Básica: PA, FC e ritmo cardíaco, Sat O 2, nível de consciência,

débito urinário, perfusão periférica.

Você deverá iniciar uma infusão de dopamina a 3,0 g/Kg/min em um paciente pesando 72 Kg.

Prescrição

Dopamina 5 ampolas

Apresentação da droga:

médica:

SG 5% 200 mL

1 ampola = 10 mL / 50 mg

EXERCÍCIOS

Sra Solineuza, paciente hemodinamicamente instável que irá receber drogas vasoativas, seu peso é 95Kg. O plantonista solicitou em sua prescrição:

dobutamina ---- 500mg

210ml ------ SG5%

que deverá correr 15µg/Kg/min. em bomba de infusão. Apresentação da droga:1 ampola = 20mL / 250 mg

a) Você como o enfermeiro da UTI deverá programar a bomba de infusão em quantos ml por hora?

eduesley.santos@gmail.com

23/11/2017

Você deverá iniciar uma infusão de dopamina a 3,0 g/Kg/min em um paciente pesando 72 Kg.

Prescrição médica:

Dopamina 5 ampolas

SG 5% 200 mL

Apresentação da droga:

1 ampola = 10 mL / 50 mg

Resposta: Inicie com 13 mL/h

EXERCÍCIOS

Sr. MMA, 73anos, 78Kg, encontra-se hemodinamicamente instável e recebe drogas vasoativas, conforme prescrição abaixo. A dopamina está sendo infundida a 5 µg/Kg/min. e a dobutamina 20 ml/hora. Ambas em bomba de infusão.

Prescrição Médica:

Dopamina ------------------------ 5 ampolas (50mg/10ml)

S. Glicosado 5%---------- 200 ml

Dobutamina ------------------ 2 ampolas (250mg/20ml)

S. Glicosado 5%------- 210 ml

a) Quantos ml/hora de dopamina ele está recebendo?

b) Quantos µg/Kg/min. de dobutamina ele está recebendo?