Você está na página 1de 3

Direito Fiscal II

Teórica 8-2-2018

 Sistema fiscal português


o O IMI (imposto municipal sobre imóveis) – vai para as camaras e não para o
Estado.
 A nível das ações só pode haver ações nominadas, as ações ao portador (sem nome) já
não são permitidas.

Teórica 9-2-2018

 1940 – restauração da independência


o As contribuições também fazem parte do financiamento do reino, mas não era
a principal fonte, a principal fonte era as rendas dos terrenos. Os impostos era
da repartição, cada parte contribuía com a sua parte.
o Era um estado patrimonial.
o Deu origem a uma guerra que durou 28 anos, fez-se o tratado de Lisboa. Para
financiar a guerra em que todos pagavam, incluindo o clero e nobreza o que
para a época era inaceitável.
o No séc. XVII também se discutiu a soberania popular (o povo é que manda).
Defendia-se com o intuito de colocar o rei de Espanha na rua ( o Rei Espanhol
não pode estar aqui, porque o povo não o quer e o povo é que manda).
 As contribuições começava, por ser décimas (décima patrimonial, décima de lucro,
etc.). Mais tarde é que mudaram o nome para contribuições.
 Reforma fiscal dos anos 60
o 3 setores do imposto

Consumo Rendimento Património


 IVA (rende mais)  Aparece o IRS e o  Tinha-mos dois
 Foi o primeiro setor IRC. impostos sobre a
a ser reformado.  Antigamente havia transição dos
Houve 3 mais impostos sobre impostos
modificações: os rendimentos. (Ex: (transmissões
1º - quase todo o imposto das janelas, gratuitas e a searc
produto tinha um imposto da palhota, (?)). Veio do séc. XIX.
imposto. etc.).  A primeira alteração
2º - era necessário haver  Tinha-mos várias a contribuir foi a
um imposto geral parcelas para os contribuição predial
embora ainda com impostos sobre o que desaparece e
alguns impostos rendimento cria-se o IRS.
especiais. Impostos de (impostos do  Criou-se uma
transição. trabalho, etc.). contribuição
3º - O iva passa por  Havia uma autocrática que
todas as fazes do tributação na base e incide sobre o
produto, mas o eram também património e não
consumidor é que acaba tributos com para o rendimento
por o pagar. impostos (IMI). Passou a ser
complementares calculado e
sobre a mesma devidamente
coisa, para calculado, dantes
personalizar os como muitos fugiam
sistemas. Estes eram apenas duas
Direito Fiscal II

impostos passaram avaliações, ou era


todos para o IRS uma habitação
(rendimentos rustica ou urbana.
prediais, etc.). Cada um pagava um
determinado X.
 Nas pessoas
coletivas é aplicável
o IRC, que é de 21%.
 A Searc é aplicável á
mesma mas com
outro nome e mais
pesado, Tributação
estática (IMI) e outra
quando se
transmite.

 O que Portugal experta mais para o estrangeiro é maquinaria industrial.

Prática 15-2-2018

 Curiosidade: A primeira moeda em Portugal é a morabitino (no tempo dos mouros), e


a seguir apareceu o Real que esteve em circulação durante, aproximadamente, 600
anos. Só depois é que apareceu o escudo que vingou, aproximadamente, por 70 anos
até chegar-mos ao euro atual.
 Livro “A utopia” de Thomas More – Tem este nome porque naquela altura não era
suposto ter-se aquela ideia. Cria um sítio onde todas as pessoas tinham liberdade e
todas nasciam iguais. E chama-se utopia, porque era considerado uma coisa que nunca
viria a acontecer, mas mais tarde aconteceu com a democracia.
 O imposto mais antigo em Portugal é o imposto de selo.
 Em meados de 71 não se pagava impostos para o estado, apenas as entidades privadas
é que pagavam impostos que era o imposto profissional.
 Mas em 72 Caetano disse que se ia começar a pagar impostos e foi um choque. Isto
aconteceu por causa do primeiro choque petrolífero.
 Aparece a OPEP que começa a regular o preço de petróleo, e ainda hoje o faz. Isto
trouxe uma crise aos países que não eram produtores de petróleo que é o caso de
Portugal.
 Angola era a joia da coroa de Portugal naquela altura, pois era muito maior e vinha
muito dinheiro de lá para Portugal.
 Existia o Banco de Angola. Tudo isto desapareceu com a revolução.
 A segunda reforma fiscal é a mais importante (Professor cavaco é que faz a reforma).
 O imposto da transação acabou e criou-se o IVA, que era uma das exigências para
entrar para a união europeia. O IVA entrou em vigor a 85 e entramos para a EU em 86.
 Quando entrou em vigor o 1º ano correu bem. Entrou no máximo de 17%, a mesma
taxa do imposto de transação. Hoje em dia o máximo é de 23%.
 O IVA dantes era cotado anualmente, mas agora á retirado mensalmente e
trimestralmente, dependendo do lucro da empresa. Mensalmente quando tem uma
receita de 650 mil euros e trimestralmente quando a empresa tem um lucro abaixo
dos 650 mil euros.
Direito Fiscal II

 O IVA aumentos para 21% para obter mais receita, para tirar o pais dos 5% do PIB,
para a que está agora que é os 3% do PIB, temos que estar abaixo desta percentagem
e não acima, como estava. E obrigatoriamente temos que aumentar o IVA que é onde
o Estado vai buscar a maior receita.
 Em 88/89 entrou em vigor o IRS e o IRC, no mesmo dia e no mesmo diploma. Só entra
em vigor em 89.
 Mais tarde é que aparece o IMI e o IMT.
 O imposto de selo é um assunto muito importante que está presente em todos os
contratos e situações que estejam sujeitos ao mesmo. Ex: Se eu fizer uma
transferência superior a 500 euros a uma pessoa, pode ser uma doação e estar sujeito
a imposto de selo.

Teórica 16-2-2018

 Impostos que as pessoas são tributadas:


o Assalariado
o Imóveis
o ?
 A restribuição da riqueza é feita pelo fisco, tira aos que tem mais para dar aos que tem
menos. Mas alguns que tem mais fogem ao fisco.
 Lei de Lafra – A taxa vai aumentando e dando lucro, mas chega a um certo ponto que
começa a dar prejuízo. Porque as pessoas vêm que o preço está demasiado alto e
deixam de comprar.
 O imposto de circulação sofre uma reforma, que é a causa das emissões que
produzem.
 Art. 2º CIRS nº2 – todos os nomes que se pode chamar, para que ninguém consiga
fugir.
 Art. 2º nº4 alínea b) CIRS