Você está na página 1de 2

E.E.I.E.F.

JOSÉ BATISTA DE OLIVEIRA


AVALIAÇÃO BIMESTRAL DISCIPLINA: HISTORIA

ALUNO(A): Nº º ANO TURNO:


TARDERDTTURMAS:AA“C6666º8º/
PROFESSOR(A):LEOPOLDO
PROFESSOR(A): DATA: NOTA:
9qANbbbbbbBBBA““MAaaAA“’
“-Bimestre
GABARITO:
1. A B C D 6. A B C D
2. A B C D 7. A B C D
3. A B C D 8. A B C D
4. A B C D 9. A B C D
5. A B C D 10. A B C D TURMA:

1. Como elemento comum aos vários 3. Analise o mapa que indica os locais onde
movimentos insurrecionais que marcaram o explodiram as principais rebeliões durante o
Período Regencial (1831-1840), destaca- período regencial. Sobre os movimentos
se: indicados no mapa pode-se afirmar que:
a) Oposição ao regime monárquico. a) Para além das disputas partidárias e das
b) Defesa do regime republicano. crises institucionais, as raízes das revoltas
c) O repúdio à escravidão. podiam ser encontradas no regime
d) O confronto com o poder centralizado. escravista, na pobreza urbana e no
abandono do sertão;
2. O Período Regencial, iniciado com a b) De modo geral, todos os movimentos
abdicação de D. Pedro I (1831) e encerrado possuíam caráter político-ideológico sobre
com a aprovação da maioridade de D. Pedro uma base social definida: a defesa dos
II (1840), caracterizou-se pela: ideais de igualdade e de liberdade dos
a) Normalidade democrática, superadas as escravos negros do país;
várias revoltas ocorridas contra o c) Embora houvesse divergências entre os
autoritarismo de D. Pedro I; grupos participantes, o sucesso dos
b) Instabilidade política, gerada por revoltas movimentos promoveu transformações
ocorridas nas províncias, que reivindicavam sociais significativas, sobretudo quanto ao
maior autonomia; latifúndio e à escravidão;
c) Proclamação de uma República d) O quadro social era favorável à
Provisória, com a eleição direta dos radicalização política, canalizada para a
Regentes para um mandato de quatro anos; rebelião pelos liberais exaltados,
d) Revogação da Constituição de 1824, de incentivados pelos fazendeiros e por setores
caráter autoritário, e convocação de uma populares descontentes com os regentes.
nova Assembleia Constituinte no Brasil.
4. O Período Regencial no Brasil (1831-
1840) foi marcado por grandes questões
sociais, econômicas e políticas,
fundamentais para a consolidação do
Império.
Entre elas se destacam, exceto:
a) A eliminação da ameaça à unidade
política e territorial através da defesa de
uma monarquia centralizada e
conservadora;
b) O acirramento do debate acerca de
término da escravatura e da incorporação do
trabalho imigrante;
c) A eclosão de rebeliões em vários pontos
do País, como a Cabanagem no Pará e a
Farroupilha no Rio Grande do Sul;
d) A superação parcial da crise econômica,
herdada do período colonial, através da
cultura cafeeira no Vale do Paraíba.
e positivistas, fundamentais para o advento
5. O período compreendido entre a da república.
abdicação de D. Pedro I e o Golpe da d) O Terceiro Reinado era visto de forma
Maioridade propiciou: positiva e otimista pela população, já que a
a) O fortalecimento do Exército, que Princesa Isabel tinha uma liderança
adquire, a partir de então, preponderante expressiva, apesar dos valores patriarcais da
papel político; época.
b) O acirramento das posições relativas ao
centralismo e descentralismo político- 8. A Constituição brasileira de 1891:
administrativo; a) Permitiu a plena democratização do país,
c) A participação efetiva da Igreja nas com a superação do regime militar.
questões relativas ao sistema escravocrata; b) Criou um quarto poder, o Moderador,
d) A consolidação, em nível político, dos que atribuía plenos poderes ao Imperador.
partidos, Liberal e Conservador. c) Separou o Estado, agora republicano, da
Igreja Católica.
6. Sobre o contexto histórico responsável d) Manteve a permissão para a existência de
pela proclamação da República NÃO se mão-de-obra escrava.
inclui:
a) A insatisfação dos setores escravocratas 9. A crise do Encilhamento, ocorrida
com o governo monárquico após a Lei durante o primeiro governo republicano,
Áurea. provocou um grande descontrole na
b) A ascensão do exército após a Guerra do economia nacional. Essa crise
Paraguai, passando a exigir um papel na a) Culminou com o desenvolvimento da
vida política do país. forte política de industrialização no Brasil.
c) A oposição de grupos médios urbanos e b) Foi consequência da política econômico-
fazendeiros do oeste paulista, defensores de financeira de emissão de papel-moeda e do
maior autonomia administrativa. crédito aberto, adotada por Rui Barbosa,
d) O alto grau de consciência e participação então Ministro da Fazenda.
das massas urbanas em todo o processo da c) Conteve a especulação, evitando a
proclamação da República. falência de banqueiros e industriais.
d) Foi consequência da desvalorização dos
7. O povo assistiu aquilo bestializado, preços do café no mercado internacional.
atônito, surpreso, sem conhecer o que
significava. Muitos acreditavam 10. O movimento resultou da conjugação de
sinceramente estar vendo uma parada. três forças: uma parcela do exército,
Aristides Lobo O texto refere-se à fazendeiros do oeste paulista e
Proclamação da República, em 15 de representantes das classes médias urbanas.
novembro de 1889. Podemos, então, (Emilia Viotti) Momentaneamente unidas,
concluir que: segundo a autora, conservaram profundas
a) o movimento contou com sólido apoio divergências na organização do novo
popular, luta armada e resistência violenta regime. Identifique o fato histórico
dos monarquistas. mencionado pelo texto.
b) a proclamação vitoriosa resultou da a) Abdicação do imperador Pedro I.
conjugação de parte do exército, b) Proclamação da República.
fazendeiros do oeste paulista e classes c) Ato Adicional de 1834.
médias urbanas. d) Organização do Gabinete de Conciliação.
c) A Guerra do Paraguai não teve relação
com o crescimento das ideias republicanas