Você está na página 1de 14

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem 2ª fase tributário XXVI Exame de
Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem 2ª fase tributário XXVI Exame de

2ª fase tributário XXVI Exame de Ordem Prof. Pedro Barretto

COACH PB

XXVI Exame de Ordem Prof. Pedro Barretto COACH PB MODELO DE PEÇAS Coach PB – Prof.

MODELO DE PEÇAS

de Ordem Prof. Pedro Barretto COACH PB MODELO DE PEÇAS Coach PB – Prof. Pedro Barretto
de Ordem Prof. Pedro Barretto COACH PB MODELO DE PEÇAS Coach PB – Prof. Pedro Barretto

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem AÇÃO ANULATÓRIA COM DEPÓSITO Prof.Pedro Barretto

AÇÃO ANULATÓRIA COM DEPÓSITO

Prof.Pedro Barretto - PB / PORTAL F3

Modelo de Petição Inicial em Ação Anulatória de Lançamento de Tributo

Exmº Sr.Dr.Juiz de Direito da Município

(10 linhas)

Vara (Única/Especializada/Cível/Fazenda Pública) da Comarca do

, CPF e Identidade, endereço,

endereço eletrônico, vem, por meio de seu advogado, procuração em anexo com todas as qualificações necessárias e endereço profissional para os fins dos arts.77,V e 105,§2º do CPC,

Pedro Barretto, nacionalidade, estado civil, prestador do serviço

respeitosamente perante V.Exª, nos termos do art.319 do CPC, bem como dos arts.151,II, c/c 156,

X do CTN, Súmula 112 STJ e ainda o art.38,p.único da Lei 6.830/80, ajuizar a presente

AÇÃO ANULATÓRIA COM DEPÓSITO DO MONTANTE INTEGRAL

, pública municipal, com base nos fatos e fundamentos a seguir expostos.

em face do Município

endereços, endereço eletrônico, CNPJ, bem como sua respectiva fazenda

DOS FATOS.

, essa que o ora demandante entende ser indevida. Com a intenção de invalidar o lançamento em apreço é que se ajuíza a presente Ação, em razão dos fundamentos adiante expostos.

Na data

cobrança

o réu formalizou lançamento de IPTU em face do autor, na quantia de R$

DO DEPÓSITO

Requer o autor seja admitida a realização de depósito do montante integral em dinheiro, na quantia

de R$

art.151,II, CTN e Súmula 112,STJ, até o final do processo, impedindo execuções fiscais, cortando a fluência dos juros e correção monetária e assegurando o acesso a certidões de regularidade fiscal caso necessário requerê-las.

e com o objetivo de suspender a exigibilidade do crédito tributário lançado, nos termos do

DO DIREITO

A

questão de mérito versa sobre o tema

A

cobrança ora atacada é indevida pelo motivo

e pelo motivo

 

O

direito do autor tem amparo no artigo nº

da Constituição e no artigo nº

da Lei

Sobre o tema existe a Súmula nº direito do demandante.

do STF/STJ demonstrando ser a jurisprudência favorável ao

do STF/STJ demonstrando ser a jurisprudência favorável ao Coach PB – Prof. Pedro Barretto – Há
do STF/STJ demonstrando ser a jurisprudência favorável ao Coach PB – Prof. Pedro Barretto – Há

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem Nesses termos é que formaliza os

Nesses termos é que formaliza os pedidos adiante expostos.

DO PEDIDO

a) requer seja citado o Município

para ingressar no feito;

b) requer seja admitido o depósito, conforme ante exposto;

c) requer sejam aceitas as provas documentais apresentadas, nos termos do art.319,VI,CPC é

admitida a produção de outras que se revelem úteis ao deslinde do feito;

d) requer a condenação do réu ao pagamento das verbas sucumbenciais, destacando as custas

processuais e os honorários advocatícios nos termos do art.85,§§2º a 4º do CPC;

e) reafirma pedido que reconheça o efeito suspensivo da exigibilidade de ambos os créditos, nos

termos do art.151,II do CTN e Súmula 112 do STJ;

f) requer acate a opção de que não ocorra audiência de conciliação ou mediação, nos termos dos

arts.319,VII e 334,§4º do CPC;

g) requer julgue procedente a presente ação para fins de anular o lançamento do IPTU e extinguir o

crédito tributário indevidamente lançado, nos termos do art.156,X, CTN;

h) requer ao final o levantamento do valor depositado corrigido na forma da lei.

DÁ-SE À CAUSA O VALOR R$ (valor do depósito) (CPC, arts.291 a 293)

Nestes Termos, Pede Deferimento.

Data

Advogado (a)

Local

OAB nº

Termos, Pede Deferimento. Data Advogado (a) Local OAB nº Coach PB – Prof. Pedro Barretto –
Termos, Pede Deferimento. Data Advogado (a) Local OAB nº Coach PB – Prof. Pedro Barretto –

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem MANDADO DE SEGURANÇA Prof.Pedro Barretto -

MANDADO DE SEGURANÇA

Prof.Pedro Barretto - PB / PORTAL F3

Modelo de Petição Inicial em MS Repressivo em face de ato coator do Ministro da Fazenda

Colendo Superior Tribunal de Justiça - STJ Doutos Ministros Digníssimo Ministro Relator

(10 linhas)

Pedro Barretto, nacionalidade, estado civil, profissão, CPF e Identidade, endereço, endereço eletrônico, vem, por meio de seu advogado, procuração em anexo com todas as qualificações necessárias e endereço profissional para os fins dos arts.77,V e 105,§2º do CPC, respeitosamente perante V.Exª, nos termos dos arts.5°,LXIX e 102,I,'b' da Constituição, bem como art.319 do CPC, da Lei 12.016/09 arts.1º, 6º, 7º,I,II e III, 12 e 23, e ainda os arts.151,IV c/c 156,X do CTN, impetrar o presente

MANDADO DE SEGURANÇA COM PEDIDO DE CONCESSÃO DE LIMINAR

praticado sob a ordem e responsabilidade do Ilustre Sr.Ministro da

Fazenda, autoridade coatora que se acha vinculada à Administração Tributária da União, para proteger direito líquido e certo não amparável por Habeas Corpus ou Habeas Data, com base nos fatos, provas e fundamentos a seguir expostos.

em face do ato coator

DOS

FATOS.

DO

ATO

COATOR,

DA

AUTORIDADE

COATORA

E

DA

PESSOA

JURÍDICA A QUE SE VINCULA.

Na data

autoridade coatora e que atua na Administração Direta da União Federal.

ocorreu o fato

sob a responsabilidade do Ministro da Fazenda, aqui considerado

O ato atinge direito líquido e certo do impetrante não amparável por habeas corpus ou habeas data, respeitado o princípio da subsidiariedade do cabimento do Mandado de Segurança, conforme será a seguir demonstrado.

Por estar acometido do vício da ilegalidade / abuso de poder dito ato se considera coator e em razão de sua pratica é que está sendo ajuizada a presente ação.

DO

CABIMENTO,

DA

DESNECESSIDADE

DE

DILAÇÃO

PROBATÓRIA

E

DAS

PROVAS DOCUMENTAIS PRÉ-CONSTITUÍDAS EM ANEXO

De notório saber que um dos requisitos a serem observados para determinar a admissibilidade do Mandado de Segurança é a desnecessidade de dilação probatória, sendo essa uma das suas especiais regras de cabimento. Registra o autor que no caso presente é desnecessária qualquer dilação probatória, sendo apresentado em anexo rol de documentos que se revelam suficientes para provar tudo que é preciso, demonstrando-se que de fato ocorreu o ato coator e que o mesmo verdadeiramente atinge o impetrante na esfera do seu direito líquido e certo (a seguir comentado).

esfera do seu direito líquido e certo (a seguir comentado). Coach PB – Prof. Pedro Barretto
esfera do seu direito líquido e certo (a seguir comentado). Coach PB – Prof. Pedro Barretto

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem DO CABIMENTO: DA TEMPESTIVIDADE Registra o

DO CABIMENTO: DA TEMPESTIVIDADE

Registra o impetrante que o presente ajuizamento se faz tempestivo já que dentro do prazo de 120 dias contados da ciência do ato coator a que se refere o art.23 da Lei 12.016/09, prazo decadencial considerado constitucional pelo STF, vide Súmula 632-STF.

DO DIREITO

No caso em tela o ato coator viola o direito

previsão no art

jurisprudência firmada no STF / STJ, vide Súmulas nº

da Constituição/ Código

e o direito

e

do autor da ação. Dito direito tem

e amparo no entendimento da

e no art

/ Lei nº

Observe-se ainda que a conduta ora impugnada colide com os Princípios

e

Perceba-se, por fim, que o ato deve ser considerado ilegal / com abuso de poder em razão dos

argumentos

e

que também merecem ser considerados.

Face todo o exposto é que formaliza os pedidos adiante apresentados.

DA LIMINAR SEM NECESSIDADE DE FIANÇA, CAUÇÃO OU DEPÓSITO

Requer o impetrante seja concedida tutela provisória em sede liminar, nos termos do art.7º,III da Lei 12.016/09 e arts.294 a 311 do CPC, já que todos os requisitos necessários se revelam cumpridos.

Há fundamento relevante na tese apresentada sendo provável a decisão final de procedência da ação, estando presente o fumus boni iuris.

Existe risco de lesão grave de difícil ou incerta reparação para o impetrante caso a tutela pra requerida não seja deferida, podendo a medida se tornar ineficaz caso somente concedida ao final. Há periculum in mora.

O dano supramencionado é o dano

A finalidade almejada com a liminar ora requerida é a suspensão imediata dos efeitos do ato coator,

libertando o impetrante de ficar sujeito aos mesmos até o final do processo. No caso em tela, especificamente, se intenta a suspensão da exigibilidade do crédito tributário, impedindo-as ajuizamento de execução fiscal e assegurando-se o acesso a certidões de regularidade fiscal.

Requer ainda o impetrante que a tutela provisória ora pleiteada possa ser deferida sem a necessidade de oferecimento de fiança, caução ou depósito.

Por fim, reafirma pedido de que o provimento ora requerido seja concedido e que seja mantido até o final do processo, convertendo-se em definitivo com a sentença de procedência.

DO PEDIDO

a) requer a notificação da autoridade coatora para que preste esclarecimentos no prazo de 10 dias,

nos termos do art.7º,I, Lei 12.016/09;

b) requer seja dada ciência ao órgão de representação judicial da pessoa Juridica interessada, nos

termos do art.7º, II, citando-a;

Juridica interessada, nos termos do art.7º, II, citando-a; Coach PB – Prof. Pedro Barretto – Há
Juridica interessada, nos termos do art.7º, II, citando-a; Coach PB – Prof. Pedro Barretto – Há

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem c) requer a intimação do Ministério

c) requer a intimação do Ministério Público nos termos do art.12 da Lei 12.016/09

d) requer sejam aceitas as provas documentais apresentadas, nos termos do art.319,VI,CPC;

e) requer a condenação do réu ao pagamento das custas processuais;

f) requer acate a opção de que não ocorra audiência de conciliação ou mediação, nos termos dos

arts.319,VII e 334,§4º do CPC;

g) reafirma pedido de concessão da liminar nos termos do art.7º,III da Lei 12.016/09 e art.151,IV

do CTN, para fins de suspender de imediato o ato coator e sua manutenção até o final, conforme supra mencionado;

h) requer julgue procedente a presente ação para fins de conceder a segurança, invalidando o ato

coator praticado, reconhecendo o direito

do impetrante e extinguindo o crédito tributário com a

decisão transitada em julgado nos termos do art.156,X, CTN.

DÁ-SE À CAUSA O VALOR R$ (CPC, arts.291 a 293)

Nestes Termos, Pede Deferimento.

Data

Advogado (a)

Local

OAB nº

Termos, Pede Deferimento. Data Advogado (a) Local OAB nº Coach PB – Prof. Pedro Barretto –
Termos, Pede Deferimento. Data Advogado (a) Local OAB nº Coach PB – Prof. Pedro Barretto –

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem AÇÃO CONSIGNATÓRIA Prof.Pedro Barretto - PB

AÇÃO CONSIGNATÓRIA

Prof.Pedro Barretto - PB / PORTAL F3

Modelo de Petição Inicial em Ação Consignatória em situação de "Bi-Tributação" com dois Municípios cobrando ISS

Exmº Sr.Dr.Juiz de Direito da Município

(10 linhas)

Vara (Única/Especializada/Cível/Fazenda Pública) da Comarca do

, CPF e Identidade, endereço,

endereço eletrônico, vem, por meio de seu advogado, procuração em anexo com todas as qualificações necessárias e endereço profissional para os fins dos arts.77,V e 105,§2º do CPC, respeitosamente perante V.Exª, nos termos dos arts.319 c/ 542 e 539 a 549 do CPC, bem como dos arts.151,II, c/c 156,VIII e X e ainda 164,III e §§1º e 2º do CTN, ajuizar a presente

Pedro Barretto, nacionalidade, estado civil, prestador do serviço

AÇÃO CONSIGNATÓRIA

em face dos Municípios

respectivas fazendas públicas municipais, com base nos fatos e fundamentos a seguir expostos.

e

,

endereços, endereços eletrônicos, CNPJ's, bem como suas

DOS FATOS. DA SITUAÇÃO DE BI-TRIBUTAÇÃO

O autor da ação é prestador do serviço

domiciliado no Município

lançamento formalizada por ambos os entes federativos, para recolher o ISS sobre tais serviços, tendo se consumado situação de Bi-Tributação, configurando nítido conflito de competência tributária. Com a intenção de pagar unicamente ao legítimo credor e de extinguir a cobrança indevidamente feita num único processo é que ajuíza a presente Ação, adequada para tal propósito.

da lista anexa da LC 116/03. É tendo recebido notificação de

previsto no item

e prestou deus serviços no Município

DO DEPÓSITO

Requer o autor seja admitido o depósito, nos termos do art.542,I do CPC, o qual se realiza em

dinheiro, na quantia de R$

legitimamente devida, nos termos da fundamentação adiante exposta.

e com o objetivo de pagamento da dívida que se reconhece como

DO EFEITO SUSPENSIVO

Requer o autor seja reconhecida a suspensão da exigibilidade de ambas as cobranças feitas, nos termos do art.151,II, CTN e Súmula 112,STJ, até o final do processo, impedindo execuções fiscais e assegurando o acesso a certidões de regularidade fiscal.

DO DIREITO

A

questão de mérito versa sobre conflito de competência tributária, o qual deve ser resolvido por

lei

complementar (art.146,I, CRFB/88) e encontra sua solução no art.3º da LC 116/03.

CRFB/88) e encontra sua solução no art.3º da LC 116/03. Coach PB – Prof. Pedro Barretto
CRFB/88) e encontra sua solução no art.3º da LC 116/03. Coach PB – Prof. Pedro Barretto

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem No caso presente e em razão

No caso presente e em razão da análise do art.3º, caput e incisos, da LC 116/03, pôde-se afirmar

que o ISS é devido ao Município

sujeito ativo tendo esse último praticado ato de invasão de competência tributária.

sendo certo que aquele é o legítimo

e não ao Município

Registre-se, por fim, que nos termos do art.164,III do CTN a presente ação é adequada para situações como a presente.

Nesses termos e ciente de que o depósito deve ser convertido em renda em favor do Município que formaliza os pedidos adiante expostos.

DO PEDIDO

a) requer sejam citados ambos os Municípios

e

nos termos do art.542,II, CPC;

é

b) requer seja admitido o depósito, conforme ante exposto, nos termos do art.542,I,CPC;

c) requer sejam aceitas as provas documentais apresentadas, nos termos do art.319,VI,CPC é admitida a produção de outras que se revelem úteis ao deslinde do feito;

d) requer a condenação do réu sucumbência ao pagamento das verbas sucumbenciais, destacando

as custas processuais e os honorários advocatícios nos termos do art.85,§§2º a 4º do CPC;

e) reafirma pedido que reconheça o efeito suspensivo da exigibilidade de ambos os créditos, nos

termos do art.151,II do CTN e Súmula 112 do STJ;

f) requer acate a opção de que não ocorra audiência de conciliação ou mediação, nos termos dos

arts.319,VII e 334,§4º do CPC;

g) requer julgue procedente a presente ação para fins de extinguir ambos os créditos, nos termos do

art.156,VIII c/c art.164,§2º e também art.156,X, todos do CTN, homologando o pagamento

consignado e convertendo em renda em favor do Município

tributário, cobrado pelo Município art.156,X, CTN.

e extinguindo o outro crédito

, com a decisão transitada em julgado nos termos do

DÁ-SE À CAUSA O VALOR R$ (valor do depósito) (CPC, arts.291 a 293)

Nestes Termos, Pede Deferimento.

Data

Advogado (a)

Local

OAB nº

Termos, Pede Deferimento. Data Advogado (a) Local OAB nº Coach PB – Prof. Pedro Barretto –
Termos, Pede Deferimento. Data Advogado (a) Local OAB nº Coach PB – Prof. Pedro Barretto –

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem PETIÇÃO INICIAL em ADI Ação Direta

PETIÇÃO INICIAL em ADI

Ação Direta de Inconstitucionalidade

PORTAL F3 - Foco, Força e Fé - Prof.Pedro Barretto - 2ªFase Tributário

ADI AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE OBJETO: LEI ESTADUAL AUTOR: CONFEDRAÇÃO SINDICAL

EGRÉGIO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL STF, ILUSTRE MINISTRO PRESIDENTE, MERITÍSSIMO JUIZO COMPETENTE;

DOUTOS MINISTROS, PRECLARO MINISTRO RELATOR;

(10 linhas)

Confederação Sindical “ABC”, pessoa jurídica de direito privado, CNPJ, endereço, endereço eletrônico, vem, por meio de seu advogado, procuração em anexo com qualificações e endereço, nos termos dos arts.77,V e 105, §2º, CPC e poderes especiais constituídos especificamente para o presente ajuizamento, respeitosamente, perante esse Colendo Supremo Tribunal Federal, nos termos dos arts.102, I, “a” e “p”, 103, §§1º e 3º, CRFB/88, bem como art.319, CPC e, ainda, Lei 9868/99, arts.1º, 2º, 3º a 12 e 22 a 28, ajuizar a presente

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE ADI COM PEDIDO DE MEDIDA CAUTELAR

em face da Lei Estadual nº

, entender ser ela inconstitucional, com base nos fatos e fundamentos a seguir expostos.

Assembléia Legislativa do Estado

publicada na data

editada pela

órgão independente e exequente do seu Poder Legislativo, por

e com vigência a partir da data

DOS FATOS. DO OBJETO DA PRESENTE AÇÃO

A ação em tela se ajuíza em razão de ter sido aprovada pela Assembléia Legislativa do Estado

data

mesma inconstitucional.

, Dita lei é objeto da presente ADI, entendendo-se ser a

na

a lei nº

com vigência na data

DA LEGITIMIDADE. DA PERTINÊNCIA TEMÁTICA

O autor da presente é legitimado à propositura, vide norma do art.103, IX, CRFB/88 c/c art.2º, IX,

Lei 9868/99. Trata-se de uma Confederação Sindical, legitimada especial e submetida ao princípio

da congruência, devendo comprovar a pertinência temática. No caso em apreço, a mesma resta devidamente observada, já que a lei impugnada atinge diretamente o segmento sobre o qual recai a atividade fim da proponente.

o segmento sobre o qual recai a atividade fim da proponente. Coach PB – Prof. Pedro
o segmento sobre o qual recai a atividade fim da proponente. Coach PB – Prof. Pedro

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem DA CAPACIDADE POSTULATÓRIA. DA PROCURAÇÃO COM

DA CAPACIDADE POSTULATÓRIA. DA PROCURAÇÃO COM PODERES ESPECIAIS

Resta obedecido o requisito da capacidade postulatória. A presente petição é assinada por advogado devidamente habilitado, com procuração especial com poderes específicos para o presente ajuizamento.

DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS EM ANEXO. DA OBEDIÊNCIA DO ART.3º, PAR. ÚNICO, LEI 9868/99

Segue em anexo o rol de documentos mencionados no art.3º, parágrafo único da Lei 9868/99, a saber: a segunda via da presente petição, a cópia da lei atacada, a procuração com poderes específicos para o advogado e os demais documentos necessários para provar a impugnação.

DO DIREITO. DOS FUNDAMENTOS JURÍDICOS DO PEDIDO DE DECLARAÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE

No caso presente, a lei impugnada viola o art

de constitucionalidade.

Os fundamentos consistem em

da Constituição, sendo esse o parâmetro do controle

DA MEDIDA CAUTELAR ARTS.10 a 12, 22 E 23, LEI 9868/99

1º passo:

O autor requer seja deferida a medida cautelar, nos termos do art.102, I, “p”, CRFB/88 c/c art.10 a 12 da Lei 9868/99, já que todos os requisitos necessários restam obedecidos.

2º passo:

O fumus boni iuris” se revela presente, havendo fundamento relevante na tese jurídica apresentada

e probabilidade de ser provido o pedido principal de declaração de inconstitucionalidade.

3º passo:

O “periculum in mora” salta aos olhos sendo visível que, caso a lei continue a produzir efeitos, ela pode gerar danos de grave teor ao segmento por ela atingido.

4º passo:

A finalidade da tutela provisória ora requerida é afastar a aplicabilidade da lei de imediato, bem

como, sendo o caso, restabelecer a aplicabilidade da legislação anterior, nos termos do art.11, §2º,

Lei 9868/99.

5º passo:

Requer seja a medida cautelar deferida com eficácia vinculante, erga omnes e ex-nunc, salvo se a Corte entender pelo efeito ex-tunc, vide art.11, §1º, Lei 9868/99.

pelo efeito ex-tunc , vide art.11, §1º, Lei 9868/99. Coach PB – Prof. Pedro Barretto –
pelo efeito ex-tunc , vide art.11, §1º, Lei 9868/99. Coach PB – Prof. Pedro Barretto –

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem 6º passo: Reafirma pedido de deferimento

6º passo:

Reafirma pedido de deferimento da medida cautelar, sua manutenção até o final do processo e a conversão em definitiva com a procedência da ação.

DO PEDIDO

, responsável pela lei impugnada, para que preste esclarecimentos, nos termos do art.6º da Lei 9868/99, em 30 dias;

a)

Requer a citação do representante judicial da Assembléia Legislativa Estadual do Estado

b) requer a citação do Advogado Geral da União AGU para que possa, em 15 dias, apresentar a

defesa da lei, nos termos do art.8º da Lei 9868/99 e art.103, §3º, CRFB/88;

c) requer sejam aceitos os documentos anexados nos termos do art.3º, parágrafo único da Lei

9868/99, conforme ante exposto.

d) requer a intimação do Procurador Geral da República PGR, nos termos do art.8º da Lei

9868/99 e art.103, §1º, CRFB/88, para que se manifeste, após o AGU, em 15 dias;

e) reafirma pedido de deferimento da medida cautelar, conforme ante exposto, nos termos dos

arts.10, 11, 12, 22 e 23, Lei 9868/99;

f) requer julgue procedente a presente ação direta, declarando a inconstitucionalidade da lei

atacada, com efeitos erga omnes, vinculante e ex-tunc, salvo modulação de efeitos, nos termos do

art.27 da Lei 9868/99;

Dá-se à causa o valor de R$

Nesses termos,

Pede deferimento.

Local

Advogado

data

OAB

(CPC, art.291 a 293).

deferimento. Local Advogado data OAB (CPC, art.291 a 293). Coach PB – Prof. Pedro Barretto –
deferimento. Local Advogado data OAB (CPC, art.291 a 293). Coach PB – Prof. Pedro Barretto –

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem EPE EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE PORTAL F3

EPE EXCEÇÃO DE PRÉ-EXECUTIVIDADE

PORTAL F3 - Foco, Força e Fé - Prof.Pedro Barretto

Execução Fiscal contra Administrador de Pessoa Jurídica com aplicação indevida do art.135,III do CTN (Súmula 430, STJ)

EXMO SR DR JUIZ FEDERAL DA

DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DO MUNICÍPIO

VARA

FEDERAL ( competente para a Execução fiscal)

DA

SEÇÃO JUDCIÁRIA DO ESTADO

Execução fiscal n Exceção de Pré Executividade Excipiente: João Excepta: União

( 10 linhas)

João, já devidamente qualificado nos autos, vem, por meio de seu advogado, procuração em anexo com qualificações e endereço, respeitosamente perante V Exa, nos termos da Súmula 393, STJ, opor a presente

EXCEÇÃO DE PRÉ EXECUTIVIDADE

Em face da União, exequente excepta, pessoa jurídica de Direito Público Interno, endereço, endereço eletrônico e sua respectiva Fazenda Pública Nacional, diante dos fatos, provas e fundamentos a seguir narrados

DOS FATOS

A presente Execução se ajuizou em razão de cobrança do tributo

que fora exigido do pra executado, Administrador da mesma.

devido pela Pessoa Jurídica

e

O lançamento do suposto débito se deu na data

houve inscrição em dívida ativa na data

citado no dia

e como o executado não pagou e nem impugnou

e o executado

sendo a presente ação ajuizada no dia

Por entender não merecer prosperar a demanda é que apresenta a via de defesa em tela nos termos adiante expostos.

DO CABIMENTO DA EPE

É pacífico o cabimento de EPE em sede de Execução Fiscal, vide súmula 393 do STJ. Basta que se

tarte de matéria de Ordem Pública e não envolva a necessidade de Dilação Probatória. É exatamente o que ocorre no caso presente, conforme se demonstra nos tópicos a seguir e nos documentos anexados.

DA DESNECESSIDADE DE DILAÇÃO PROBATÓRIA DA PROVA DOCUMENTAL EM ANEXO

DE DILAÇÃO PROBATÓRIA DA PROVA DOCUMENTAL EM ANEXO Coach PB – Prof. Pedro Barretto – Há
DE DILAÇÃO PROBATÓRIA DA PROVA DOCUMENTAL EM ANEXO Coach PB – Prof. Pedro Barretto – Há

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem anexo Rol de Documentos que demostram

anexo Rol de Documentos que demostram o seu bom direito e

evidenciam que não merece prosperar a pretensão do Exequente. No caso em tela, é desnecessária qualquer dilação probatória.

O executado apresenta no DOC

em

DO DIREITO

A questão de mérito versa sobre a impossibilidade de redirecionamento automático da Execução fiscal contra o administrador que não foi notificado extra judicialmente no lançamento ( Súmula

392 STJ- vedada a modificação do sujeito passivo da execução) e a inaplicabilidade do art.135, III

CTN, por inocorrência de infração a lei/contrato social por parte do administrador (súmula 430

STJ).

Não assiste razão à Exequente, estando o caso viciado pela ilegitimidade passiva do Executado excipiente.

É sabido que o artigo 135, III CTN autoriza execuções fiscais diretamente contra os administradores de pessoas jurídicas em relação a dívidas da PJ. Tal cabimento todavia exige obediência de alguns requisitos , a saber:

A) Que o administrador tenha praticado dolosa ou culposamente infração à lei ou ao Estatuto/ contrato social ;

b) é imprescindível que antes de executá-lo a Fazenda tenha inscrito seu nome no Cadastro de

Dívida Ativa após ter promovido o lançamento do débito pessoalmente contra ele (para oportunizar o direito de impugnação gratuita ou um pedido do parcelamento do débito se for o caso).

No caso presente não houve infração alguma, tratando-se de situação em que se configura mero inadimplemento de dívida fiscal. Já pacificou o STJ que o mero inadimplemento da dívida fiscal

pela PJ (mera mora) não é suficiente para aplicação do artigo 135, III do CTN. No caso em tela, o executado não recebeu notificação do lançamento e nem foi inscrito em dívida ativa, sendo vítima de situação de Emenda da CDA e redirecionamento automático da execução, comportamento inadmitido, vide entendimento sedimentado na jurisprudência dos Tribunais brasileiros (Súmula

392 do STJ).

Por assim ser formaliza pedidos

DO PEDIDO

1) Requer a excipiente seja intimada a exequente da juntada da presente peça processual;

2) Requer seja acolhida a prova apresentada;

3) Requer a condenação da Exequente ao pagamento das verbas sucumbenciais destacando os

honorários advocatícios e as custas processuais;

4) Requer quanto ao mérito seja acolhida a presente EPE para fins de que se declare a ilegitimidade

passiva do excipiente e que se extingua em relação à ele a presente execução;

Nestes Termos, Pede Deferimento.

Local

,

data

,

execução; Nestes Termos, Pede Deferimento. Local , data , Coach PB – Prof. Pedro Barretto –
execução; Nestes Termos, Pede Deferimento. Local , data , Coach PB – Prof. Pedro Barretto –

Prof. Pedro Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem

Barretto Pioneiro no sistema de COACHING no Exame de Ordem Advogado , OAB Coach PB –

Advogado

,

OAB

no sistema de COACHING no Exame de Ordem Advogado , OAB Coach PB – Prof. Pedro
no sistema de COACHING no Exame de Ordem Advogado , OAB Coach PB – Prof. Pedro