Você está na página 1de 13

*

Um olhar sobre o marco ético-


jurídico do trabalho médico
no Brasil
Giovanni Gurgel Aciole
Washington Luiz Abreu de Jesus
Perguntas-chave

•Apresentando o médico brasileiro


•Quem é o médico brasileiro?
•Como se forma médico?
•Como se organiza a profissão no país?
•Como o médico brasileiro se insere nos
sistemas e serviços de saúde?
•Quais são os debates do momento?
•E quem vem de ‘fora’, quais são as regras?
O médico brasileiro
•Alguns estudos de referência:
•O médico e seu trabalho
•Lilia Schraiber
•Os médicos e a política de Saúde
•Gastão Wagner de Souza Campos
•Ser médico no Brasil
•André de F. P. Neto
Características gerais
•O médico (ainda) se vê como profissional liberal
•Liberdade: pressuposto máximo

•Alterações da prática pela incorporação


tecnológica
•Deslocamento domicílio – consultório – hospital
•A especialização é o caminho de eleição
•Os médicos privilegiam os interesses econômicos
e mercantis aos sociais
Características comportamentais

•Os médicos brasileiros trabalham, em média,


80 horas semanais;
•Acumulam, no mínimo, três tipos de
atividade:
•a liberal no consultório
•um emprego público assistencial
•plantão hospitalar;

•Advogam a autonomia plena para o exercício


profissional
•Outras?
Onde se forma
•Quadro de distribuição das escolas médicas no
país
•Publicas, privadas e número de vagas
•Quadro de oferta de vagas para as residências
médicas
•Por região e por especialidades
Organização da profissão
•Três organizações:
•A estrutura conselhal
•A estrutura sindical
•A estrutura associacional
•As sociedades de especialista
•As associações médicas
Os debates do momento

•Lei do Ato Médico


•Exame de Ordem
•Revalidação de diplomas
•Re-certificação profissional
E quem vem de ‘fora’?

•Marcos regulamentares
•Resolução do CFM 1494, de junho de 1998

•Resolução do CFM 1832, de agosto de 2008

•Lei 6815, de 19 de agosto de 1980


•Inciso V, Artigo 13

•Código de Ética Médica


Recomendações importantes
•São deveres do médico
Preencher receituário médico com indicações corretas e claras de
medicação, posologia e forma de ingestão diária, e/ou outras
recomendações que julgar pertinentes;
Preencher de forma legível e completa os registros da consulta nos
prontuários e nos demais impressos em utilização no Sistema Único de
Saúde
Notificar todo e qualquer caso ou suspeito de agravo ou doença de
notificação compulsória do Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica
Considerar as variações estaduais, onde houver
Fornecer atestados de saúde ou declaração de comparecimento,
quando solicitado
Preencher Atestado de óbito, conforme modelo universal, em caso de
morte assistida ou de paciente sobre cuidado pela equipe ou unidade de
saúde
quando for o único médico na localidade em toda e qualquer
Recomendações importantes
•São direitos dos pacientes
Ser tratados com dignidade e atendidos de forma atenciosa e
respeitosa, identificados pelo nome e/ou sobrenome e nunca por um
número, senha ou qualquer outra forma genérica, humilhante ou
desrespeitosa
Ter resguardado o segredo e o sigilo de seus dados pessoais e sua
história clínica, quando não acarrete riscos a terceiros ou a saúde pública
Poder identificar os profissionais envolvidas no seu atendimento pelo
nome em crachás visíveis, legíveis ou em qualquer outra forma de
identificação pessoal
Receber informações claras, objetivas e compreensíveis sobre seu caso
clínico, e os riscos e benefícios das medidas diagnósticas e terapêuticas
propostas
Consentir ou recusar de forma livre, voluntária e esclarecida a fazer
procedimentos diagnósticos e terapêuticos a serem nele realizados
Ter acesso a seu prontuário médico a qualquer tempo
*