Você está na página 1de 2

Mulher, ninguem te condenou?

C G C G
1. De madrugada, retornando ao templo 3. Eles armados com pedras nas mãos
F C F C
Jesus reuniu-se com aquele povo estavam prontos para condenar
C7 F C7 F
E ensinando-lhes sobre o amor aquela pobre mulher indefesa
G C G7 G C G7
Dizia coisas que jamais ouvidas e sem mais chances para caminhar.
C G C G
E, entretanto, quiseram prová-lo Quando, inclinado no chão a escrever,
F C F C
Os fariseus e os mestres da lei Jesus pergunta dentre todo o povo:
C7 F C7 F
Ao entregarem pobre pecadora Se alguém não peca, que seja o primeiro.
G C C7 G C C7
Não hesitavam em apedrejá-la Apedrejá-la é um motivo novo?

F E Am C/G C G
Mulher, ninguém te condenou? 4. Todos aqueles, ao ouvirem isto
F G C F C
Não, ninguém me condenou! Foram aos poucos desistindo disso
E7 Am C7 F
Nem eu te condenarei Jesus ficou sozinho com a mulher
F C G C G7
Vai e não peques mais Que se encontrava em meio àquele povo
G7 C G7 C G
Vai e não peques mais Deus não protege a quem somente é justo
F C
C G Mas quer salvar também os pecadores
2. Ali estavam os acusadores C7 F
F C Não condenar, é para isto que veio
Para tramar a morte de Jesus G C C7
C7 F E dar sua vida para a salvação
E, persistindo em interrogá-lo
G C G7 C G
Com artimanhas, mostravam a Lei 5. Só Deus assim é quem pode fazer
C G F C
Que tinha sido escrita por Moisés: A vida velha em nova transformar
F C C7 F
- Por isso temos um motivo justo O Filho do Homem é o libertador
C7 F G C G7
O que tu dizes sobre este preceito E do pecado nos faz desviar
G C C7 C G
O que tu falas sobre este assunto? É pela graça que nós somos salvos
F C
E sem Jesus o sinal é eficaz
C7 F
Ele liberta a humanidade inteira
G C C7
E em criaturas novas nos refaz