Você está na página 1de 9
UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE FACULDADE DE ENGENHARIA PLANO ANALÍTICO DISCIPLINA: MAQUINAS ELÉCTRICAS I Maputo, 21 de

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE

FACULDADE DE ENGENHARIA

PLANO ANALÍTICO

DISCIPLINA:

MAQUINAS ELÉCTRICAS I

Maputo, 21 de Julho de 2014

Universidade Eduardo Mondlane Faculdade de Engenharia Departamento de Engenharia Electrotécnica CURSO: Engenharia

Universidade Eduardo Mondlane Faculdade de Engenharia Departamento de Engenharia Electrotécnica

CURSO:

Engenharia Eléctrica

DISCIPLINA:

Maquinas Eléctricas I

ANO:

2014 - 2º SEMESTRE: Julho/Dezembro

ANO LECTIVO:

2014

CARGA HORÁRIA SEMESTRAL:

96 HORAS

DOCENTE (S) Regente:

Engº Victor Furai Juga

Assistente:

Engº Zefanias José Mabote

CONTACTOS DOS DOCENTES Telefone (regente):

Cel.: 827186184

Cel.: 827440860/843993958

E-Mail(s): (regente) Telefone do assistente:

E-Mail do assistente:

v.juga@yahoo.com.br

mzefaniasj@yahoo.com.br

1. INTRODUÇÃO

A disciplina Maquinas Eléctricas I é uma disciplina de carácter teórico-prático para habilitar os estudantes a realizarem os cálculos electrotécnicos e ensaios experimentais das máquinas eléctricas de corrente contínua, transformadores monofásicos e máquinas assíncronas. É notório o papel das

chamadas Máquinas Eléctricas Rotativas (MER) ou conversores de energia electromecânicos e Transformadores, na geração, transmissão, utilização de electricidade e as consequências socioeconómicas que elas apresentam, no desenvolvimento de outras tecnologias, como tecnologia da informação, electrónica e automação.

2. COMPETÊNCIAS

GERAIS

O estudante deverá desenvolver as seguintes competências gerais:

Compreender a teoria do funcionamento das máquinas eléctricas;

Avaliar os diferentes tipos de máquinas através de trabalhos laboratoriais;

Conhecer a constituição das diferentes máquinas e suas características principais;

Possuir capacidade de análise e escolha das máquinas em função da sua utilização;

Possuir conhecimentos sobre a bobinagem de máquinas eléctricas.

ESPECÍFICAS

O estudante deverá desenvolver as seguintes competências específicas:

Identificar as partes constituintes dos transformadores; Identificar as partes constituintes das máquinas de corrente contínua; Identificar os tipos dos enrolamentos das máquinas de corrente contínua; Analisar as características de funcionamento dos transformadores;

Analisar as características de funcionamento das máquinas de corrente contínua e maquinas de assincronas; Realizar ensaios com transformadores; Realizar ensaios com motores e geradores; Analisar e seleccionar as máquinas eléctricas em função da sua utilização; Identificar e reparar avarias comuns em transformadores, motores e geradores.

3. PLANO ANALÍTICO

Semana 01: 21 a 25 de Julho de 2014

 

AULA 01: 21 de Julho

 

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

1. INTRODUÇÃO

A

DISCIPLINA

DE

MAQUINAS

 

ELÉCTRICAS

 

1.1. Apresentação do plano analítico da disciplina e do sistema de avaliação.

1.2. Instruções organizativas.

 

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

2. INTRODUÇÃO AS MAQUINAS ELÉCTRICAS

2.1. Definição de máquinas eléctricas.

   

2.2. Vantagens das máquinas eléctricas.

2.3. Classificação das máquinas eléctricas.

2.4. Materiais usados nas máquinas eléctricas.

 

AULA 02: 25 de Julho

 

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

3. LEIS FUNDAMENTAIS

   

3.1. Campo magnético criado por corrente eléctrica

3.2. Lei de Ampere. Lei da corrente total.

 

3.3. Força electromagnética. Densidade do campo magnético.

Notas do docente [1], [2], [4], [6]

3.4. Lei

de

Faraday-Lenz.

Força

electromotriz

induzida.

 

Semana 02: 28 de Julho a 01 de Agosto de 2014

AULA 03: 28 de Julho

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

4. MÁQUINAS DE CORRENTE CONTÍNUA

4.1. Princípio de funcionamento de uma máquina de corrente contínua.

4.2. Circuito magnético de uma máquina de corrente contínua.

4.3. Circuito eléctrico de uma máquina de corrente contínua. Tipos de enrolamentos do induzido.

4.4. Força electromotriz (f.e.m) de uma máquina de corrente contínua.

4.5. Binário electromagnético de uma máquina de corrente contínua.

4.6. Reacção do induzido.

4.7. Fenómenos de comutação nas máquinas de

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

corrente contínua. 4.8. Métodos de melhoramento do fenómeno de comutação.

 

AULA 04: 01 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

4.9. Geradores de corrente contínua 4.9.1. Classificação dos geradores de corrente contínua pelo método pelo método de excitação. 4.9.2. Características fundamentais dos geradores de corrente contínua. 4.9.3. Características do gerador de excitação separada 4.9.4. Gerador de excitação em paralelo. Condições de auto-excitação. 4.9.5. Características do gerador de excitação em paralelo. 4.9.6. Características do gerador de excitação em série. 4.9.7. Características do gerador de excitação mista (compound). 4.9.8.Correlações energéticas nos geradores de corrente contínua.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

Semana 03: 04 a 08 de Agosto de 2014

AULA 05: 04 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Pratica 1: Fundamentos de máquinas eléctricas. Geradores de corrente contínua.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

AULA 06: 08 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

4.10.

Motores de corrente contínua

 

4.10.1.

Classificação dos motores de

corrente contínua pelo método de excitação.

4.10.2.

Características fundamentais dos

motores de corrente contínua.

4.10.3.

Características dos motores de

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

excitação independente.

4.10.4.

Características dos motores de

 

excitação em paralelo.

4.10.5.

Características dos motores de

excitação em série.

4.10.6.

Características dos motores de excitação mista.

Semana 04: 11 a 15 de Agosto de 2014

AULA 07: 11 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Aula Lab. 1: Características de funcionamento de um gerador de corrente contínua de excitação separada.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

AULA 08: 15 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Aula Lab. 1: Características de funcionamento de um gerador de corrente contínua de excitação separada (continuação).

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

Semana 05: 18 a 22 de Agosto de 2014

AULA 09: 18 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

4.10.7.

Métodos de arranque dos motores

 

de corrente contínua.

4.10.8.

Métodos de controlo de

velocidade nos motores de corrente contínua.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

4.10.9.

Diagrama energético dos motores de corrente contínua.

AULA 10: 22 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Pratica 2: Motores de corrente contínua.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

Semana 06: 25 a 29 de Agosto de 2014

AULA 11: 25 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Aula Lab. 2: Características de funcionamento de um motor de corrente contínua de excitação separada.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

AULA 12: 29 de Agosto

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Aula Lab. 2: Características de funcionamento de um motor de corrente contínua de excitação separada (continuação).

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

Semana 07: 01 a 05 de Setembro de 2014

AULA 13: 01 de Setembro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

TESTE 1

AULA 14: 05 de Setembro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

5.

TRANSFORMADORES 5.1. Transformadores monofásicos 5.1.1. Princípio de funcionamento de um transformador monofásico. 5.1.2. Classificação dos transformadores. 5.1.3. Circuitos magnéticos de transformadores

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

monofásicos. 5.1.4. Transformador ideal e transformador real. Circuito equivalente.

5.1.5.Regime

um

da

marcha

em

vazio

de

transformador.

Semana 08: 08 a 12 de Setembro de 2014

08 de Setembro: TOLERÂNCIA DE PONTO

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

NÃO HÁ AULAS

AULA 15: 12 de Setembro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

5.1.6. Experiência de curto-circuito e da marcha em vazio de um transformador. 5.1.7. Tensão de curto-circuito. Variação da tensão secundária. 5.1.8. Transformador no regime de carga. 5.1.9. Diagrama energético de um transformador. Rendimento de um transformador 5.2. Auto-transformadores.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

15 a 19 de Setembro de 2014

SEMANA INTERCALAR (NÃO HÁ AULAS)

Semana 09: 22 a 26 de Setembro de 2014

AULA 16: 22 de Setembro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Pratica 3: Transformadores monofásicos. Princípios básicos e circuito equivalente.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

AULA 17: 26 de Setembro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Pratica 4: Transformadores monofásicos. Ensaios e determinação de parâmetros.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

Semana 10: 29 de Setembro a 03 de Outubro de 2014

AULA 18: 29 de Setembro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Aula Lab. 3: Transformador monofásico. Ensaios, regulação de tensão e rendimento.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

AULA 19: 03 de Outubro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Aula Lab. 3: Transformador monofásico. Ensaios, regulação de tensão e rendimento (continuação).

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

Semana 11: 06 a 10 de Outubro de 2014

 

AULA 20: 06 de Outubro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

TESTE 2

   
 

AULA 21: 10 de Outubro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

6.

MÁQUINAS ASSÍNCRONAS 6.1. Introdução. 6.2. Criação de um campo magnético girante.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

 

6.3.

Classificação dos motores assíncronos. Vantagens e desvantagens.

Semana 12: 13 a 17 de Outubro de 2014

 

AULA 22: 13 de Outubro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

6.4. Circuito equivalente. F.e.m. e correntes nos enrolamentos do estator e do rotor. 6.5. Potencia e torque. Característica mecânica. 6.6. Ensaios em vazio e com rotor bloqueado.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

6.7.

Diagrama energético de um motor assíncrono. Rendimento de um motor assíncrono.

 

AULA 23: 17 de Outubro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Pratica 5: Motores assíncronos trifásicos. Princípios básicos. Circuito Equivalente.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

Semana 13: 20 a 24 de Outubro de 2014

 

AULA 24: 20 de Outubro

 

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

6.8. Métodos de arranque dos motores assíncronos.

 

6.9. Controlo

de

velocidade

dos

motores

assíncronos.

 

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

6.10.

Motor monofásico. Classificação.

 

6.10.1.

Equações e circuito equivalente.

 

AULA 25: 24 de Outubro

 

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Pratica 6: Motores assíncronos trifásicos. Circuito equivalente. Ensaios e determinação de parâmetros.

Notas do docente [2], [5], [6], [7]

Semana 14: 27 a 31 de Outubro de 2014

AULA 26: 27 de Outubro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Aula Lab. 4: Características de funcionamento de motor assíncrono de rotor bobinado.

Notas do docente [1], [2], [3], [5], [6], [7]

AULA 27: 31 de Outubro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Aula Lab. 4: Características de funcionamento de motor

Notas do docente

assíncrono de rotor bobinado (continuação).

[1], [2], [3], [5], [6], [7]

Semana 15: 03 a 07 de Novembro de 2014

AULA 28: 03 de Novembro Pratica 7: Arranque do motor assíncrono trifásico.

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO Notas do docente

[6]

AULA 29: 07 de Novembro

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

TESTE 3

Semana 16: 10 a 14 de Novembro de 2014

 

10 de Novembro

 

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

NÃO HÁ AULAS Dia da Cidade de Maputo

   
 

AULA 30: 14 de Novembro

 

BIBLIOGRAFIA OU MATERIAL DE APOIO

Considerações

finais

e

divulgação

dos

resultados

de

 

frequência

4.

A disciplina tem um carácter teórico-prático para habilitar os estudantes a realizarem cálculos

com Máquinas Eléctricas e ensaios experimentais nas máquinas de corrente contínua e de corrente alternada.

METODOLOGIA

Aulas teóricas Nas aulas teóricas abordam-se os conceitos e leis principais, métodos, regras, algoritmos de cálculo das Máquinas. São usados recursos didácticos convencionais e eventualmente algum dispositivo ilustrativo. É importante a participação dos alunos no desenvolvimento da disciplina ao longo do semestre lectivo.

Aulas práticas Nas aulas práticas desenvolvem-se aptidões de cálculos de problemas concretos a fim de se adquirir habilidades de operar, usar e interligar os conhecimentos, obtidos nas aulas teóricas. As aulas práticas constituem o mesmo teor de importância que as aulas teóricas, devendo os alunos empenharem-se na realização das actividades propostas. São usados recursos didácticos convencionais. As aulas práticas são obrigatórias.

Aulas laboratoriais Nas aulas laboratoriais realizam-se ensaios que permitem de um lado desenvolver e verificar

os conhecimentos teóricos e de outro lado adquirir as habilidades práticas de montar os

circuitos contendo máquinas eléctricas, realizar medições de diferentes grandezas, analisar

resultados e fazer conclusões. As actividades devem ser realizadas com a participação de

todos os elementos dos grupos, pois nessa prática se constitui em exercício de trabalho em

equipa. São usados recursos didácticos convencionais e equipamentos especiais. O aluno

estará envolvido, na actividade, com tensões iguais ou superiores de 220 V (CC/CA), o que

exige atenção e seriedade. Os circuitos montados devem ser intensamente revisados para

evitar riscos para as pessoas e danos aos equipamentos. As aulas laboratoriais são

obrigatórias.

5. AVALIAÇÃO FINAL

1. Avaliação de frequência O nível de aprendizagem das aulas teóricas e práticas avalia-se mediante 2 testes por escrito,

onde:

MTeste

1

n

n

k 1

T

k

(1)

As aulas laboratoriais avaliam-se mediante uma nota média de trabalhos laboratoriais.

MLab

1

n

n

k 1

Lab

k

(2)

A nota de frequência determina-se pela fórmula:

NFreq 0.65MTeste 0.35MLab

(3)

NOTA: A fórmula (3) é aplicável no caso de MTeste 10 e de MLab 10. Quando MTeste <10 e/ou MLab <10 a nota de frequência será negativa e o estudante não se admite ao exame.

2. Avaliação final

É previsto um exame final por escrito. A nota final determina-se pela fórmula:

NFinal 0.5NExame 0.5NFreq

(4)

NOTA: O estudante é aprovado na disciplina se NExame 10.

6. BIBLIOGRAFIA

[1]. A. E. Fitzgerald, Charles Kingsley Jr., Stephen D. Umas Electric Machinery, 6 th Edition, Mcgraw-Hill,

New York.

[2]. Chapman, Stephen J. 1985 Electric Machinery Fundamentals, Second Edition, McGraw-Hill, New Jork. [3]. Konstenko & Piotrovoski. 1979 Máquinas Eléctricas, Edições Lopes da Silva, Vol I e Vol II.

[4]. L. Bessonov Electricidade Aplicada para Estudantes e Engenheiros, Porto Editora.

[5]. Nasar, Syed. 1981 Electric Machines and Electromecanics, Second Edition, McGraw-Hill, New York.

[6]. P. C. Sen. 1997 Principles of Electric Machines and Power Electronics, 2 th Edition, John Wiley &Sons, Canada. [7]. Vicent Del Toro. 1990 Basic Electric Machinery, Prentice-Hall, New Jersey.