Você está na página 1de 77

Copyright © 2017 por Pandora Evolução Consciente.

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida
por qualquer processo mecânico, fotográfico ou eletrônico, ou na forma de uma
gravação fonográfica, nem pode ser armazenado em um sistema de recuperação,
transmitido, ou então ser copiado para uso público ou privado, além do “uso
justo” como breves citações incorporadas em artigos e análises, sem autorização
prévia por escrito da editora.
Texto: Lucas Esprega
Revisão: Bruna Kessler
Projeto gráfico e diagramação: Daniele Esprega
Todos os direitos reservados por Pandora Evolução Consciente Ltda.
Alameda Mamoré, 911, sala 101c - 06454-040 - Barueri/SP
Fone: 11 2532-1809 | 11 95749-4980
E-mail: contato@pandoratreinamentos.com.br
http://www.pandoratreinamentos.com.br
SUMÁRIO
Pandora treinamentos 6
Introdução 10
Sessão 1: conceitos iniciais 14
O que são os chakras? 15
Por que e como os chakras influenciam nossa vida? 21
Sessão 2: aprofundamento 30
Yin e yang 31
A Psicologia humana 38
Caminhos para o despertar 42
A Prática da moralidade 48
Sessão 3: prática 58
Meditação nos sete chakras 59
Diminuindo a influência do externo 65
Praticando o equilíbrio no dia a dia 69
Expandindo sua consciência 73
Criando um estilo de vida equilibrado 76
Apêndices 80
PANDORA TREINAMENTOS
A Pandora Treinamentos é uma empresa de palestras e treinamentos com a
intenção de despertar o máximo potencial de cada pessoa dentro de seu contexto
de vida.
A Pandora desenvolveu, ao longo de cinco anos de estudos, análise e
experiências, o Processo de Alta Performance® que hoje já mudou a vida de mais
de 200 pessoas que passaram pelo processo e aprenderam a alcançar e manter um
estilo de vida de alta performance.
O método visa ao treinando (pessoa que passa pelo processo):
- Alcançar resultados e conquistar objetivos: sair da zona de conforto do alcance
de resultados ordinários (comuns) no curtíssimo prazo e criar um estilo de vida
de conquistas extraordinárias (além do comum) no curto, médio e longo prazo.
- Eliminar dúvidas e receios: quando nos dispomos a buscar resultados além do
comum, as dúvidas e receios surgem e precisamos encará-las e invocar coragem
para dar o primeiro passo no caminho determinado.
- Solucionar problemas e impedimentos: após iniciarmos o caminho, além da
coragem, é necessário disciplina para se manter nele, sem desfocar.
- Resolver conflitos internos e externos: durante a jornada, algumas pessoas
buscarão desviar sua atenção do objetivo através de ceticismo, cinismo,
indignação, inveja, ataques diretos ou argumentando para desconsiderar suas
opiniões. Essas intervenções podem gerar conflitos e dúvidas em si mesmo ou
com as pessoas ao seu redor. É necessário manter-se em seu centro sem conflitar
com aqueles que discordam de sua decisão.
- Aumentar a autoconfiança e a coragem: conforme vamos nos desafiando no
campo do desconhecido, nossa confiança em nós mesmos começa a aumentar e
começamos a viver um estilo de vida de coragem para encarar qualquer problema
e buscar qualquer resultado que pareça estar distante.
- Manter equilíbrio e serenidade diante de adversidades: quanto mais conquistas
adquirimos e problemas resolvemos, aprendemos a confiar mais em nós mesmos
e na vida, sendo possível ficar tranquilo diante de imprevistos, pois sabemos que
essas questões são passageiras e irão se resolver.
- Observar todas as áreas da vida e dar qualidade de atenção a elas: não
negligenciar nenhuma área da vida ou procrastinar para resolver os problemas
iminentes. Quando não damos atenção a uma área da vida, ela começa a se
tornar problemática e pode culminar em uma crise, que afetará todas as outras
áreas, inclusive a que você está se dedicando a conquistar algo. Alta performance
é observação constante para dissolver qualquer problema que apareça.
Através do Processo de Alta Performance® aprendemos a sair e nos manter fora
da zona de conforto, criando um estilo de vida de alta performance onde os
resultados e as satisfações raras e incomuns aos outros se tornam constantes e
comuns a nós.
Mais sobre o processo poderá ser visto na Sessão 4 – Apêndice.
INTRODUÇÃO
Todo ser é composto de energia. E o ser humano não é diferente. Além de
nossa capacidade de visão, audição, tato, paladar, olfato e racionalização daquilo
que está ao nosso redor, existem energias que nos movimentam e nos fazem
viver, e elas estão completamente conectadas a nossos atos, nossos pensamentos e
nossas emoções. Mas o que são essas energias?
Estudos milenares, atualmente comprovados cientificamente, provam que
temos pontos de energia em nosso corpo que, quando giram harmonicamente
entre si, mantêm nossos órgãos e músculos em funcionamento perfeito, além de
influenciar toda a nossa vida emocional e racional. Entretanto, nem sempre esses
pontos estão equilibrados, devido a estímulos internos e externos. Esses pontos
são chamados de “Chakras”.
Compreender sobre os Chakras se torna importante para entendermos quais
áreas de nossas vidas estão sendo negligenciadas ou estão desequilibradas, de
acordo com alguma ação, pensamento ou intenção que estamos tendo contato, o
que pode estar sendo criado por nós mesmos ou influenciado pelo que está ao
nosso redor.
Entender que somos nós quem criamos qualquer desequilíbrio e que temos o
poder de equilibrar nossas vidas a qualquer momento também é um dos focos
que falaremos nas próximas páginas, de diversas formas, para entendermos o
quão importante é a atenção que damos para tudo aquilo o que acontece dentro
e fora de nós.
A partir do momento em que temos uma atenção mais direcionada para aquilo
que nos faz bem, que faz bem para quem está conosco em nossa jornada e que
nos traz expansão e abundância, começamos a perceber que a vida é muito mais
do que aquilo que se limita ao exterior, aos objetos que temos, ou ao que
conquistamos em diversos anos de vida trabalhados.
A jornada do estudo interior, que talvez hoje não seja um foco muito falado
socialmente, nos traz compreensões além do espaço e do tempo que vivemos,
para cada dia mais conhecermos e aprendermos a lidar com o ser que mais temos
contato em nossas vidas, todos os dias: nós mesmos. Quando nos conectamos
com sentimentos negativos e positivos, razões e crenças que nos fazem bem e
mal, ou qualquer outro aspecto interior, temos a oportunidade de perceber
aqueles que estão fazendo sentido para nós e fortalecermos eles, bem como
também notar os que não fazem sentido, para criarmos maneiras de transcendê-
los e assim alcançarmos uma vida mais ideal.
Para isso, daremos um importante passo juntos ao nos conectarmos com o
conhecimento apresentado neste livro, que está distante de pertencer somente a
mim. O que falaremos aqui é parte de uma jornada de anos e anos de estudos
aplicados e modificados, de acordo com pessoas que vivenciaram diversas
experiências. E caberá também a você, com sua história de vida e suas
percepções, aplicar esses ensinamentos para que assim possa adaptá-los ao que faz
sentido para sua jornada, expandindo esse benefício em forma de boas
conclusões e práticas para aqueles que têm ou terão contato com o seu ser.
Mesmo que nós sejamos seres de diversos Chakras, neste livro estudaremos os
sete principais, que são mencionados em diversos materiais científicos e
espirituais. Apesar de relacionarem muitas vezes essas energias a algum tipo de
dogma, crença ou religião, o seu estudo não representa a defesa de nenhum
caminho específico, e sim apenas a consciência de energias presentes dentro de
nós, que podem nos ajudar a evoluir e expandir nossa consciência para melhorias
de áreas como saúde, bem-estar, finanças, atividades pessoais e profissionais,
relacionamentos, capacidade de compreensão, foco e observação.
O objetivo deste material é ensinar a você o que são os Chakras, como
equilibrá-los e utilizá-los de forma consciente, para gerar uma melhoria
constante de seus resultados e deixar sua vida mais plena e pacífica.
Este é um livro bastante prático. Por isso, minha recomendação a você é que
leia um capítulo por vez, experimentando entre um e outro as dicas e práticas
que sugerimos, para, assim, poder evoluir sua percepção da realidade antes de
começar uma nova ideia em um novo capítulo. Isso dará a você um
aprofundamento ainda maior no ensinamento e pode gerar ainda mais resultados
positivos.
Boa leitura e boas experiências.
SESSÃO 1: CONCEITOS INICIAIS
CAPÍTULO

01
O QUE SÃO OS CHAKRAS?
A palavra Chakra tem uma origem bastante antiga e diversas formas de escrita e
representação. Ela também é escrita “chacra” ou “xacra” em português brasileiro.
A origem de sua etimologia vem do sânscrito “cakram”, e mais tarde foi
referenciada em chinês tibetano como chakka. O significado principal da palavra
veio de “centro”, “roda” ou “ciclo”.
A intenção principal dest termo, muito provavelmente, era a movimentação
dessas energias, que são feitas de maneira circular, além de representarem
também “centros de energia” para determinadas áreas e funções de nosso corpo.
Os Chakras
Os Chakras são centros de energia localizada, dentro do corpo humano, que
distribuem nossa energia vital (também conhecida como prana, no oriente)
através de canais energéticos (nomeados nadis), nutrindo assim órgãos e sistemas.
Os pontos energéticos são diversos, e portanto, temos Chakras ao longo de todo
o nosso corpo, seja nas mãos, nos pés, nas pontas dos dedos e em quaisquer
outros membros.
Por serem responsáveis pela distribuição de nossa energia vital, ou seja, a
energia que nos mantém vivos e encarnados, os Chakras são também pontos
responsáveis por tudo o que envolve estar vivo, seja o que está dentro ou fora de
nós. Muitas vezes, não fazemos a conexão do que passamos em nossa mente e
nosso corpo com aquilo que está fora de nós, mas a conexão de tudo é
extremamente real e presente, fazendo com que o contexto de ambos (interno e
externo) seja a somatória daquilo que nossa vida é no momento presente.
Repare o que ocorre quando você entra em um ambiente sujo, escuro e mal
cuidado, com pessoas que alimentam energias negativas de raiva, medo, angústia
ou qualquer outra energia destrutiva. Seu corpo, sua mente, suas emoções e tudo
aquilo que está dentro de você começa a ser influenciado negativamente e,
dependendo da sua capacidade de controlar isso, você pode sentir dores,
sensações ruins ou pensamentos discrepantes com a sua realidade. É assim que
comprovamos que o externo é totalmente conectado com o interno.
Entendendo este conceito, entendemos que os nossos Chakras, então, são
influenciados por tudo aquilo que ocorre em nossas vidas, seja interno ou
externo. Para que eu possa direcionar a influência que eu terei sobre cada
Chakra, primeiro posso entender como se comportam cada uma dessas energias,
fazendo com que nossas mudanças sejam feitas de maneira “cirúrgica” e
homeopática.
Os Chakras giram em espiral dentro de nós, formando assim um ciclo de
energia, que entra e sai de nosso corpo. Portanto, assim como as estações do ano
e tudo o que se encontra na natureza, também somos seres de ciclos e quanto
mais observamos quais os ciclos atuais de nossas vidas, mais podemos interagir
para que eles se concluam de forma construtiva e evolutiva e não nos façam ficar
rodando em um mesmo ciclo infinitamente. O que nos faz estagnar em algumas
áreas da vida e ter sempre os mesmos resultados não satisfatórios é exatamente a
não conclusão desses ciclos.
Para conseguirmos, então, ter a compreensão das principais energias que
podemos direcionar para termos uma vida mais equilibrada, foram detectados 7
principais Chakras, que estão localizados em um ponto principal corporal e têm
conexão com as energias mais presentes em nossas vidas.
Os 7 Principais Chakras
Os 7 Chakras estão localizados ao decorrer de nossa espinha dorsal, desde sua
base (cóccix) até o topo de nosso crânio. Eles são percebidos como auras ou
círculos de luz e cada um deles tem uma cor de representação. Entretanto, suas
cores não são como oficialmente os Chakras são visualizados em nosso corpo, são
apenas cores que representam similaridade com a função que cada um deles
representa. As cores representadas nos Chakras também são as 7 cores do arco-
ìris.

Apesar de suas localizações seguirem nossa coluna, não significa que as energias
estão somente na parte posterior (traseira) do ser humano. Elas compõem toda a
sua região de localização, dentro de nós, da frente até as costas, influenciando
também todos os ossos, músculos, nervos e órgãos que estão em determinada
área.
Para entendermos o que representa cada Chakra, entenderemos primeiro a
localização aproximada de cada um deles para, depois, aprofundarmos em cada
função que os Chakras têm em nosso organismo e nossa vida.
A Localização dos Chakras
Cada Chakra influencia energeticamente na região em que ele está localizado,
seja física, psíquica ou energeticamente. Na figura a seguir, vemos a
representação de cada Chakra e sua localização aproximada no corpo humano.

Ao observar as localizações de cada Chakra, podemos começar a notar em nossa


vida quais deles podem estar desequilibrados, de acordo com dores localizadas ou
sensações que temos em determinadas regiões de nosso corpo. Basta observar
onde estão surgindo essas manifestações e refletir o que pode ser feito, de acordo
com o Chakra que domina a região, para que você gere mudanças efetivas que
melhorem a situação.
Conclusão do Capítulo
A prática da observação será bastante recomendada neste livro, a fim de que
você sempre esteja acompanhando como os ensinamentos aqui transmitidos se
aplicam em sua vida e, assim, tenha mais clareza e consciência do que pode e
precisa ser trabalhado para sua melhoria constante.
Com as conclusões chegadas neste capítulo, se pensarmos, então, que cada
Chakra representa uma região e gira em espiral para continuar movimentando a
energia localizada que ele representa, ao desequilibrarmos um Chakra, ele pode
ter seu ritmo afetado, girando mais devagar ou mais depressa. Isso faz com que a
fluidez energética de nosso corpo também seja afetada, causando “obstruções
energéticas” em determinados pontos, o que se manifesta fisicamente em dores,
emocionalmente em emoções negativas e psicologicamente em doenças ou
pensamentos destrutivos.
O equilíbrio que buscamos para os Chakras trabalharem em harmonia tem a
ver com “moderação”. Todos os excessos que presenciamos ou geramos em
nossas vidas geram desequilíbrio, seja um excesso de muito ou excesso de pouco.
A busca para o equilíbrio dos Chakras e, portanto, de nossa energia vital (vida)
vem de moderar todos os aspectos presentes em nosso cotidiano, para não
sermos escravos de excessos e também da necessidade de só alcançarmos a
felicidade quando temos esses excessos (o que gera sofrimento e tristeza, quando
não os temos).
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Busque observar como o campo ao seu redor (pessoas, ideias, ações, palavras,
etc) interage com você e como você interage com ele
- Observe as principais reações que cada sentimento causa em seu corpo, seja
emocional ou psicológico.
- Reflita quais as últimas resistências que você teve em sua vida
- Reduza a intensidade de emoções que podem estar vindo junto com os
acontecimentos cotidianos
CAPÍTULO

02
POR QUE E COMO OS CHAKRAS
INFLUENCIAM NOSSA VIDA?
Para entender a influência de cada Chakra em nossa vida, veremos neste
capítulo a descrição e funcionamento de cada um deles.
Os Chakras de Base
Os 3 primeiros Chakras são aqueles que trazem a base para a sobrevivência do
ser humano. Eles são responsáveis por nossos instintos animais, bem como pelos
prazeres e pelas atividades conectadas a cada um deles. São também os Chakras
que influenciam órgãos importantes como os genitais e os digestivos, que são
grandes responsáveis por necessidades básicas do ser humano.
1º - O Chakra Raiz
O primeiro Chakra (Chakra Base ou Raiz), situado na base da espinha dorsal, é
responsável pela energização geral do organismo. É o Chakra que nos conecta à
terra, ao mundano, à nossa sobrevivência. E, por isso, é o Chakra básico. Ele está
conectado a questões alimentares, de sono, de saúde, de vícios e a questões
financeiras. Controla também o sistema gênito-urinário.
Nome em sânscrito: MULADHARA (“Base e fundamento”; “Suporte”).
Função principal: Sobrevivência.
Localização: Região do cóccix.
Cor: Vermelho. | Elemento: Terra. | Outras funções: Trazer vitalidade para o
corpo físico.
Quando equilibrado, representa: coragem, estabilidade, saúde, segurança.
Quando desequilibrado, representa: insegurança, raiva, tensão e violência.

2º - O Chakra do Baço
O segundo Chakra (Chakra Esplênico, Sacro ou do Baço), relaciona-se com o
poder criador da energia sexual, além de todos os prazeres que sentimos, sejam
pessoais, profissionais, em relacionamentos ou em qualquer atividade. Quando
esse Chakra está enfraquecido, indica distúrbios da sexualidade ou disfunções
endócrinas. Quando muito energizado, indica excesso de hormônios e
sexualidade exacerbada, além de gerar um grande apego a prazeres imediatos.
Quando equilibrado, representa moderação e satisfação em todos os pequenos
prazeres da vida.
Nome em sânscrito: SWADHISTANA (“Fundamento de si próprio”)
Função principal: Prazer.
Localização: Abaixo do umbigo.
Cor: Laranja. | Elemento: Água. | Outras funções: Força e vitalidade física.
Quando equilibrado, representa: abundância, equilíbrio emocional, prazer,
saúde e moderação.
Quando desequilibrado, representa: confusão, ciúme, impotência, problemas
da bexiga e problemas sexuais.

3º - O Chakra do Plexo Solar


O terceiro Chakra (Chakra do Plexo Solar) localiza-se na região do umbigo ou
do plexo solar e está relacionado com as nossas emoções e atividades, sejam
pessoais ou profissionais. Quando muito energizado, indica que a pessoa está
com suas emoções “à flor da pele” e com excesso de atividades. Quando fraco,
sugere carência energética, baixo magnetismo, suscetibilidade emocional e a
possibilidade de doenças crônicas. Quando equilibrado, representa organização,
foco e disciplina.
Nome em sânscrito: MANIPURA (“Cidade das Joias”)
Função principal: Atividades.
Localização: Ao redor do umbigo.
Cor: Amarelo. | Elemento: Fogo. | Outras funções: Digestão, emoções e
metabolismo.
Quando equilibrado, representa: autocontrole, organização, neutralidade,
foco e disciplina.
Quando desequilibrado, representa: medo, desorganização, falta de foco e
problemas digestivos.
Os Chakras de Conexão
Os 2 Chakras centrais são aqueles que trazem união e propósito ao ser humano.
Eles são responsáveis por nossos relacionamentos, bem como pela nossa
capacidade de comunicação. São também os Chakras que influenciam órgãos
importantes como o coração e o sistema respiratório, que são cruciais para a
existência do ser humano.

4º - O Chakra do Coração
O quarto Chakra relaciona-se principalmente com o timo e o coração. Sua
energia corresponde ao amor e à devoção. Quando energizado, pode representar
uma forte tendência a pensar somente nos outros, prejudicando a si mesmo(a).
Quando enfraquecido indica a necessidade de se libertar do ego e se dedicar ao
próximo. No aspecto físico, também pode indicar doenças cardíacas. Quando
equilibrado, é o Chakra que pode desenvolver todo o potencial para o verdadeiro
amor.
Nome em sânscrito: ANAHATA (“Invicto”; “Inviolado”)
Função principal: Relacionamentos.
Localização: No meio do peito, entre os mamilos.
Cor: Verde. | Elemento: Ar. | Outras funções: Energizar o sangue e o corpo
físico.
Quando equilibrado, representa: amor incondicional, compaixão, harmonia,
paz, aceitação, disposição e entusiasmo.
Quando desequilibrado, representa: desequilíbrio, instabilidade emocional,
problemas de coração e circulação.

5º - O Chakra da Garganta
O quinto Chakra está ligado à tireóide e aos órgãos respiratórios. Relaciona-se
com a capacidade de percepção mais sutil, com a expressão e com a voz. Quando
muito energizado, pode se relacionar a uma comunicação agressiva e muito
expansiva. Em caso contrário, pode indicar doenças tireoidianas e fraquezas de
diversas funções físicas, além de uma alta introspecção. Quando equilibrado,
indica força de caráter e uma conexão verdadeira com a autenticidade e missão
de vida.
Nome em sânscrito: VISHUDDA (“O Purificador”)
Função principal: Expressão.
Localização: Na garganta.
Cor: Azul claro. | Elemento: Éter. | Outras funções: Som, vibração,
comunicação.
Quando equilibrado, representa: boa comunicação, criatividade, verdade,
autenticidade e lealdade.
Quando desequilibrado, representa: falta de propósito e problemas na
comunicação.
Os Chakras de Consciência
Os 2 últimos Chakras são aqueles que trazem uma compreensão e consciência
maior. Eles são responsáveis por nossa capacidade de criação mental, bem como
com nossa conexão com algo maior, seja Deus, o Universo ou nosso Ser Interior.
São também os Chakras que influenciam órgãos importantes como os olhos e o
cérebro, que são responsáveis por todo o comando que damos ao nosso corpo.

6º - O Chakra do Terceiro Olho


O sexto Chakra situa-se no ponto entre as sobrancelhas. Conhecido como
“terceiro olho” na tradição hindu, está ligado à capacidade intuitiva e à
percepção sutil. Quando equilibrado, pode indicar uma sensibilidade de alto
grau. Enfraquecido, aponta para um certo primitivismo psicológico ou, no
aspecto físico, para tumoração craniana ou doenças psicológicas.
Nome em sânscrito: AJÑA (“O Centro de comando”)
Função principal: Entendimento.
Localização: Na testa, entre as sobrancelhas.
Cor: Azul anil. | Elemento: Todos. | Outras funções: Revitalizar sistema
nervoso e a visão.
Quando equilibrado, representa: concentração, compreensão, intuição,
imaginação, discernimento e sabedoria.
Quando desequilibrado, representa: arrogância, ignorância, dores de cabeça,
problema nos olhos, pesadelos e tensão.
7º - O Chakra Coronário
O sétimo Chakra situa-se no alto da cabeça e relaciona-se com o padrão
energético global da pessoa. Conhecido como Chakra da Coroa, é representado
na tradição indiana por uma flor-de-lótus de mil pétalas na cor violeta. Através
dele recebemos a luz divina. A tradição de coroar os reis fundamenta-se no
princípio da estimulação deste Chakra, de modo a dinamizar a capacidade
espiritual e a consciência superior do ser humano.
Nome em sânscrito: SAHASRARA (“O Lótus das mil pétalas”)
Função principal: Consciência.
Localização: No topo da cabeça, bem no centro.
Cor: Violeta. | Elemento: Todos. | Outras funções: Revitalizar o cérebro.
Quando equilibrado, representa: consciência, devoção, conexão com o
Divino/Universo
Quando desequilibrado, representa: confusão, depressão e falta de inspiração.
Conclusão do Capítulo
Cada Chakra tem uma função crucial em nossa existência. Ao tomarmos
atitudes negativas ou desconectadas com aquilo que acreditamos ser melhor para
nós, causamos desequilíbrio nessas energias e obstruimos seu bom
funcionamento, causando consequências corporais, mentais, energéticas e
espirituais para nós mesmos.
Ao passo que analisamos cada Chakra, podemos nos conectar mais com as
ações e intenções que nos trarão equilíbrio, gerando, assim, boas recompensas
para nós mesmos.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Busque mais simplicidade em suas escolhas
- Busque moderar mais seus prazeres
- Busque controlar suas atividades
- Busque melhorar seus relacionamentos
- Busque melhorar sua comunicação
- Busque melhorar seus pensamentos
- Busque se conectar mais a algo maior
SESSÃO 2: APROFUNDAMENTO
CAPÍTULO

03
YIN E YANG
Falamos anteriormente sobre os excessos de energia e que essa é uma das
principais causas de gerarmos desequilíbrio nos Chakras. A partir desse capítulo,
iremos aprender o que são esses polos de energias que compõem os Chakras e
como identificá-los em cada área de nossas vidas.
Algumas filosofias orientais milenares falam sobre a presença de duas energias
opostas que regem tudo o que acontece no universo. Um polo é positivo e o
outro negativo, mas sem necessariamente significar que o positivo é “bom” e o
negativo é “ruim”. São apenas energias complementares, que interagem entre si
para gerar equilíbrio e harmonia no universo.
Essas energias também estão presentes em nós e em tudo o que fazemos, e não
são energias místicas ou distantes da nossa percepção. Elas estão em cada ação,
pensamento e atitude que tomamos, seja internamente ou externamente.
Para representar essas energias, alguns mestres filosóficos e espirituais chegaram
em um diagrama que, inclusive, é bastante conhecido por nós e provavelmente
você já tenha tido contato com ele alguma vez em sua vida. Esse diagrama é
chamado de Tei-gi e a função dele é demonstrar a complementação e o
movimento entre os polos positivo e negativo. Veja a figura a seguir.

Provavelmente, você conheça o diagrama com outro nome e esse é o nome das
energias opostas representadas nele: Yin e Yang.
O que é Yin?
O Yin é a energia de recesso. Ele representa a passividade, o descanso, a
receptividade, a abertura. Essa energia é necessária em nossas vidas para termos
períodos de entendimento, reflexão e recuperação. Em equilíbrio, o Yin nos
deixa serenos, confiantes e nos traz mais clareza sobre a vida. Em desequilíbrio,
pode gerar comodismo, sedentarismo e apatia com ideias ou outras pessoas.
Por mais que seja nomeado como polo “negativo”, a sua representação não
indica que seja uma energia ruim. Ao contrário disso, é uma energia bastante
importante para que tenhamos o vazio. Olhe ao seu redor, dentro de uma sala,
ou então pela janela de uma casa ou um prédio. O que você mais vê são
matérias, prédios, terra e árvores, ou um vazio infinito que vai até o espaço, ao
olhar para cima? Exatamente por isso a sua importância.
O vazio é a não-manifestação que permite as coisas se manifestarem. Só
podemos sobreviver no espaço porque existe o vazio. Se tudo fosse matéria ou
aquilo que tocamos com as mãos, estaríamos sem espaço algum de
movimentação e expansão.
A energia Yin também representa o polo feminino, que é o complementar do
masculino (Yang). Por isso, vemos que a energia feminina é sempre mais aberta e
receptiva, além de mais cuidadosa e compreensiva e isso não quer dizer que
apenas as mulheres têm essa energia. Todos temos a capacidade de acessar as
energias dentro de nós, seja Yin ou Yang, e é o equilíbrio entre as duas que traz a
harmonia para nossas vidas.
O que é Yang?
O Yang é a energia de excesso. É a energia que representa a atividade, a ação, a
geração e a criação. Ela é necessária em nossas vidas para termos períodos de
movimento, realizações e atividades. Em equilíbrio, o Yang nos dá coragem,
atividades alinhadas e entusiasmo. Em desequilíbrio, pode gerar stress, raiva e
orgulho.

Por mais que seja nomeado como um polo “positivo”, não significa que essa é
apenas uma energia boa. O que faz das energias Yin e Yang serem boas ou ruins
é a intenção com que usamos cada uma, sendo que o excesso de uma ou de outra
gera um desequilíbrio que tem de ser compensado por sua energia oposta.
A energia Yang é a energia de manifestação que nos permite agir e materializar
tudo aquilo que imaginamos ou queremos. A parte mental e criativa pode ser
chamada e Yin, enquanto sua realização e prática pode ser chamada de Yang.
Além disso, ela é a energia que representa o polo masculino, que é
complementar ao polo feminino (Yin). Perceba que a energia masculina é
sempre mais expansiva e com realizações práticas, focando mais naquilo que é
lógico e realizável, enquanto o Yin, complementar, fortalece as ideias e as
possibilidades extras. Mas ambas as energias também podem ser encontradas em
mulheres.
A relação do Yin e do Yang com os Chakras
Com o entendimento das energias opostas complementares Yin e Yang,
podemos traduzir isso agora em relação a cada Chakra do ser humano.
Como vimos anteriormente, a energia Yin representa a não manifestação.
Portanto, um excesso de energia Yin em qualquer Chakra tende a gerar um
desequilíbrio de estagnação, inatividade ou falta. Em exemplos práticos, pode
gerar falta de prazer em atividades; estagnação em áreas profissionais, pessoais ou
de relacionamentos; introspecção exagerada; falta de entendimento e
compreensão; falta de propósito pessoal; entre outros desequilíbrios de recesso.
Já a energia Yang representa a manifestação. Portanto, um excesso de energia
Yang em qualquer Chakra tende a gerar um desequilíbrio de ação exagerada,
muitas atividades ou exageros diversos. Em exemplos práticos, pode gerar
excessos de atividades pessoais ou profissionais; excesso de vícios e atividades
repetitivas; relacionamentos muito expansivos e destrutivos; expansão e exagero
na comunicação; excesso de orgulho ou arrogância; entre outros desequilíbrios
de excesso.
A seguir vemos uma figura que representa alguns desequilíbrios em cada
Chakra, tanto para Yin, quanto para Yang.
Como equilibrar as energias Yin e Yang
A intenção principal de equilíbrio vem de observarmos como está nossa vida no
momento presente, tanto internamente como externamente. As respostas para o
que está acontecendo com você encontram-se neste exato momento ao seu redor
e fica simples, quando tomamos consciência disso, observar o que está certo e o
que está errado em nossas vidas.
Por mais que algumas vezes não queremos enxergar o que está acontecendo, por
medo ou outro sentimento negativo, a observação neutra e plena nos mostra as
verdades como elas são, independente se ela “dói” ou não. Quem faz a verdade
“doer” são nossas crenças de que o que está acontecendo conosco é ruim e não
tem solução.
Ao observarmos, repararemos quais são os excessos presentes em cada área,
sejam eles físicos, psíquicos ou energéticos. Assim sendo, a nossa função agora é
começar, aos poucos, a diminuir esses excessos e seguir por um caminho mais
equilibrado, optando por experimentar o que acontece quando mudamos um
padrão ou um hábito que fazemos sem nem perceber, levando ele para outro
ponto, o que traz outra possibilidade de resultado.
Na Pandora, chamamos isso de autodesafio e veremos nos próximos capítulos
como escolher autodesafios que nos levam a melhorar nossas vidas através de um
equilíbrio consciente.
Conclusão do Capítulo
A causa dos excessos, tanto para o polo Yin quanto para o Yang, vem de ações,
pensamentos e atitudes que tomamos ao decorrer de nossa vida e nosso dia a dia.
Assumir a responsabilidade por aquilo que acontece conosco é muito importante
para que tenhamos a consciência e a possibilidade de mudar os cenários.
Muitas vezes, colocamos a culpa do que acontece conosco fora de nós, como se
fôssemos vítimas de diversas injustiças. Mas fica claro, pelo estudo dos Chakras,
que nós temos total participação em tudo o que acontece conosco.
Portanto, observar quais são as atitudes que você realmente quer mudar faz
parte de uma prática que deve se tornar rotina em nossas vidas, para assim não
negligenciarmos nenhuma parte do que nos mantém bem e alcançarmos cada
vez mais plenitude e felicidade.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Busque observar quais são os excessos que você está vivendo atualmente
- Elimine ou diminua os excessos prejudiciais a você
- Fortaleça hábitos de equilíbrio e moderação, começando com pequenas coisas
(alimentação, sono, atividades, etc)
- Assuma a responsabilidade sobre a sua vida e tudo o que acontece nela todos
os dias
- Busque refletir diariamente quais são seus propósitos de vida e como se
conectar cada dia um pouco mais com eles (mesmo que seja com um simples ato
ou pensamento)
CAPÍTULO

04
A PSICOLOGIA HUMANA
A ideia para este capítulo, a partir do entendimento de Yin e Yang, é de
entendermos como funciona a psicologia do ser humano e como ela pode
interferir no equilíbrio dos Chakras, assim como também vermos práticas de
autodomínio para usar a nossa mente em prol de nosso bem-estar.
O que é o ego?
O termo “ego” vem da Psicologia, mais especificamente da área de Psicanálise, e
surgiu para explicar como é o funcionamento da mente
impulsiva/inconsciente/consciente humana.
Ego é a parte do ser humano que alimenta pensamentos e emoções de
interesse próprio, com base nos estímulos dos sentidos que formam nossas
opiniões particulares, nos levando a agir a favor daquilo que nos agrada e
contra o que nos desagrada.
Em palavras comuns, o ego é também a “personalidade” de uma pessoa, e está
ligado ao “caráter” e a maneira como ela age e pensa. Isso porque o ego é uma
característica psíquica do ser humano que une todas as experiências que ele teve
contato até então, para formar as suas opiniões e os caminhos que ele tomará.
Todo ser humano tem o Ego dentro de si mesmo. É dele que vem todas as
nossas reações automáticas, que acontecem de acordo com o que conhecemos. O
ego, então, age com “opiniões individuais”, que se transformam em uma
“verdade” para nós, pois é aquilo que acreditamos, de acordo com nossas
percepções da vida e da realidade, já que passamos por isso no passado ou
estamos passando no presente.
O ponto positivo do ego é fazer de tudo para nos manter vivos. Ele cria
maneiras, a todos os momentos, de nos manter em vida, de acordo com tudo o
que passamos antes e as referências de sobrevivência que temos vindas do
instinto. Ele é uma ferramenta para revolver problemas e busca sempre fazer isso
com as conclusões que chegou através de nossas experiências.
O ponto negativo do ego é acreditar que sempre estamos certos. Como o ego
funciona de maneira “linear”, ou seja, apenas reagindo à vida com percepções
limitadas da realidade, ele gosta de “ter razão” e seguir isso com todas as forças,
mesmo que estejamos errados dentro de uma situação ou contexto.
Quando, então, não conseguimos perceber dentro de nós o que vem do ego,
costumamos agir apenas “reativamente”. Isso pode provocar diversas repetições
de sentimentos negativos em nós.
Percebendo o ego no dia a dia
Pare em um momento do seu dia hoje, em que você possa estar tranquilo e sem
fazer nada. Avalie os pensamentos que vêm em sua cabeça nesse momento.
Talvez venham centenas de pensamentos relacionados a centenas de coisas
diferentes. Pode ser a sua fome, pode ser um sentimento negativo que você está
carregando, pode ser um problema que você quer resolver logo, pode ser um fato
totalmente bobo que você presenciou há pouco tempo. Tudo isso são
pensamentos do ego.
Perceba que, dificilmente, algum pensamento está conectado ao momento
presente. A maioria estará te levando para o passado ou para o futuro e tirando
seu foco do que você realmente precisa focar agora. Esses pensamentos são
aqueles infinitos que falamos antes, tentando resolver problemas que ainda nem
aconteceram.
Observar quais são seus pensamentos, hábitos e ações constantemente vai te
fazer perceber como é e como está o seu ego hoje. Por enquanto, e por alguns
dias, só observar já basta. Isso porque, assim, você estará se distanciando e
percebendo cada vez mais a separação entre sua consciência (o observador) e o
ego.
Conclusão do Capítulo
Para ter autodomínio, a observação, como dizemos no passo anterior, é muito
importante. Ao observar os pensamentos constantes, podemos começar a
entender quais são aqueles que nos ajudam e aqueles que nos prejudicam. Os
famosos “pensamentos negativos” tiram muito nossa energia, fazendo também
focarmos em ações negativas.
Uma dica simples que costumo dar bastante nos Processos de Alta Performance
que faço na Pandora, é para você fazer uma lista. Pegue um papel e uma caneta,
ou anote em um bloco de notas do seu celular, quais os pensamentos frequentes
que você está tendo. Primeiro os que mais estão presentes (e pode ser genérico,
por exemplo, “pensamentos de fome”). Com esse “mapa” de pensamentos,
poderemos agora saber quais pontos trabalhar aos poucos para mudar os
pensamentos e, assim, direcionar energias de melhoria para cada Chakra e a área
que ele influencia.
Se, por exemplo, seus pensamentos principais do dia são focados em fome, você
pode começar a controlar sua alimentação, de maneira simples. Talvez comer
menos, ou fazer uma pequena dieta, ou comer mais alimentos saudáveis, como
frutas, para saciar sua fome constante. E isso pode ser repetido depois com
outros pensamentos.
O principal é trocar o foco dos seus pensamentos para o seu bem. Autodomínio
significa dominar-se, em primeira pessoa. Quanto mais deixarmos nossos
pensamentos nos controlarem, impulsivamente, estaremos sendo “escravos” do
acaso.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Pratique a observação de pensamentos e hábitos limitantes
- Busque diminuir a frequência e a intensidade com que você quer ter razão de
algo
- Ouça mais as outras pessoas e crie um vínculo de empatia com elas (vide livro
O Poder da Empatia - Pandora Books - por Vitor Esprega)
- Traga para si mesmo as responsabilidades do que acontece em sua vida e pare
de culpar o externo
CAPÍTULO

05
CAMINHOS PARA O DESPERTAR
A intenção deste capítulo é demonstrar como podemos nos apoiar em alguns
caminhos e práticas milenares que falam sobre o “Despertar da Consciência”,
que nos levam a, cada vez mais, observar nossos princípios internos e externos
para equilibrar os Chakras e diminuir a influência do ego.
Os caminhos que falaremos seguem direções de grandes mestres espirituais e
alguns foram transformados em religiões. Entretanto, o foco do que passaremos
se relaciona aos ensinamentos que cada mestre recomendava e não para defender
nenhum tipo de crença ou religião.
O caminho do Yoga
A palavra ioga ou yoga – da raiz Sânscrita yuj (unir) – é normalmente traduzida
como “união” ou “integração” e pode ser entendida como integração do corpo,
mente e alma. Diferente de ser apenas uma prática física, o yoga é um estilo de
vida que trabalha o corpo através dos exercícios, a mente através do
entendimento e a alma através da moralidade.
O yoga trabalha o equilíbrio dos Chakras através da sua própria essência: a
união. Quando unimos a consciência corporal com a consciência de nossos atos,
com a consciência de nossos pensamentos e com a consciência de nosso espírito,
podemos encontrar uma plenitude, que nos trará qualquer resultado que
buscamos.
Para alcançar essa plenitude, o yoga se desdobra em 4 caminhos que podemos
seguir:
- Raja Yoga - O caminho da Concentração - Relaciona-se principalmente ao 6º
e 7º Chakra.
- Bhakti Yoga - O caminho da Devoção - Relaciona-se principalmente ao 4º,
5º, 6º e 7º Chakra.
- Karma Yoga - O caminho da Ação - Relaciona-se principalmente ao 1º, 2º,
3º e 4º Chakra.
- Jnana Yoga - O caminho da Compreensão - Relaciona-se principalmente ao
6º e 7º Chakra.
Essas definições nos fazem entender o que cada mestre e caminho espiritual
propunham, para alcançarmos o equilíbrio interno e externo; sendo assim, o
equilíbrio dos Chakras.
Leitura recomendada para aprofundar neste caminho: Os Yoga Sutras -
Patanjali.
O caminho de Cristo (Devoção + Ação)
Jesus ensinava o caminho para a Salvação através do amor ao próximo e a Deus.
O trabalho de amor incondicional vem do 4º Chakra, que engloba o nosso
coração. Perceba que, ao servirmos o próximo (ação/servidão), de coração aberto
e com pureza, temos imediatamente uma sensação maravilhosa de gratidão e
amor, assim como quando fazemos um trabalho voluntário e caridoso, por
exemplo.
Isso pode se aplicar em outras situações. Podemos, por exemplo, servir de
coração aberto e com pureza um momento no trabalho, uma atividade física,
uma prática alimentar, um momento com alguém que amamos. No momento
em que a servidão se torna plena e profunda, ela se transforma na real devoção,
que significa a entrega de corpo, mente e alma ao que está acontecendo aqui e
agora.
Jesus Cristo ensinava alguns pontos que podemos praticar para alcançarmos
essa devoção sem limites:
- Humildade (“De que vale um médico ficar longe de seus pacientes?”) - 4º e 5º
Chakras
- Amor (“Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”) - 4º, 5º, 6º e 7º
Chakras
- Não julgamento (“Quem nunca pecou que atire a primeira pedra”) - 5º e 6º
Chakras
- Misericórdia (“Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem”) - 6º e 7º
Chakras
- Fé (“Se tua fé for do tamanho de um grão de mostarda, moverás montanhas”)
- 7º Chakra
Leitura recomendada para aprofundar neste caminho: O Novo Testamento.
O caminho de Buda (Compreensão + Concentração)
Siddhartha Gautama, mais conhecido como Buda, nos trouxe os ensinamentos
sobre o sofrimento e o desapego e isso tem conexão com todos os Chakras.
Segundo ele, a razão de todo o sofrimento vem do apego e o apego é, também, o
que gera o desequilíbrio excessivo para Yin ou para Yang, de um determinado
Chakra. Quando nos apegamos apenas a um pólo, estamos ignorando e
negligenciando o outro.
O Buda também se referia a esse fenômeno de apego do ser humano
comparando-nos com um pêndulo: ao puxarmos o pêndulo para um dos lados,
ele só estará ganhando força e impulso para ir ao outro lado, ao soltarmos ele.
Isso explica o nosso apego aos extremos Yin e Yang, toda hora presentes em
nossas vidas: trabalhamos demais e depois, no final de semana, não fazemos
quase nada; comemos demais e depois queremos fazer dietas extremistas que
prejudicam o corpo; curtimos demais e depois ficamos com uma ressaca
energética alta que nos dá desprazer.
Com isso, o Buda nos ensinou que uma das melhores formas de nos
equilibrarmos era através da concentração (ou “o caminho do meio”: se manter
em um centro equilibrado) e do conhecimento (compreender cada vez mais os
aspectos do ser, para assim poder transcender as negatividades que adquirimos).
Para simplificar os ensinamentos, ele nos proporcionou 4 nobres verdades:
1. A verdade sobre o sofrimento - Apego
2. A verdade sobre o início do sofrimento - Intenção
3. A verdade sobre o fim do sofrimento - Desapego
4. A verdade sobre o caminho para o fim do sofrimento – O Nobre Caminho
Óctuplo (que veremos nos próximos capítulos)
Leitura recomendada para aprofundar neste caminho: Budismo - Significados
Profundos - Hsing Yün.
O caminho de Krishna (Concentração + Ação + Devoção +
Compreensão)
Krishna, com palavras doces e transcendentais, nos ensinou o caminho do reto-
agir, com base na Verdade. Todos nós sabemos, internamente e no fundo do
nosso ser, aquilo que é verdadeiro, e isso nos faz viver em paz quando seguido ou
em conflito quando não seguido. Em passagens como o Bhagavad Gita, ele traz
percepções profundas de que o nosso ego só nos traz angústias e sofrimentos e
temos que quebrar padrões e crenças vindas de nossos familiares e tutores para,
assim, poder alcançar uma real e pura felicidade, que é a conexão com o Divino.
Além disso, para chegarmos nessa “iluminação plena”, que significa o equilíbrio
pleno dos Chakras, ele também indica o serviço àqueles que precisam e uma
devoção e entrega sem quaisquer amarras ao Divino.
Leitura recomendada para aprofundar neste caminho: O Bhagavad Gita.
Outros caminhos espirituais e filosóficos
Existem diversos caminhos espirituais e filosóficos que nos levam a viver uma
vida mais plena e equilibrada, diminuindo o sofrimento e as seduções que temos
ao sair do nosso centro.
Um deles, o Taoísmo, explica sobre o “Tao”, que significa o caminho
equilibrado para a iluminação através da aceitação plena do momento presente
como é e do desapego de qualquer bem ou ideia materialista que temos.
Outros, como caminhos da Filosofia Clássica Greco-romana, nos ensinam a
investigar toda e qualquer possibilidade de estar errado, a fim de ter mais
equilíbrio pela compreensão e pelo intelecto, como a famosa frase de Sócrates:
“só sei que nada sei”.
E existem, também, diversas vertentes de livros sagrados, como o Torá, o
Alcorão, o Zohar, que nos mostram que a vida pode ser muito mais do que
aquilo que vemos com nossos olhos carnais, sempre com a intenção de mostrar
que o equilíbrio e a conexão com algo maior nos traz uma paz sem fronteiras.
Conclusão do Capítulo
Independente do caminho espiritual, religioso ou filosófico que seguirmos,
teremos mais clareza de como expandir nossa consciência para ter um equilíbrio
maior de nossos Chakras. Entretanto, é importante observarmos sempre se os
ensinamentos que estamos ouvindo ou consumindo fazem sentido para a nossa
realidade e se conectam com aquilo que acreditamos ser melhor para o bem-estar
de nossa vida e da vida dos que estão ao nosso redor.
Estudar as bases dos ensinamentos antigos, que perduraram até hoje em nossa
sociedade, nos traz entendimento de que existem pontos a seguir para termos
uma vida mais plena e o mais incrível é que todos eles mostram que essa tarefa é
simples, basta ser aplicada e vivenciada na prática em nosso dia a dia.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- A Verdade é um dos caminhos para o equilíbrio
- Busque praticar pequenos atos de servidão ao próximo, principalmente para
aqueles que necessitam mais
- Reflita internamente quais são crenças que estão te limitando de ser feliz e
busque mudar elas aos poucos por crenças positivas
- Se apoie em ensinamentos profundos e espirituais para ter, assim, uma vida
mais leve e disciplinada
- Crie práticas de devoção (meditação ou oração) em prol daquilo que você
acredita para agradecer, perdoar ou se conectar a sentimentos de purificação
CAPÍTULO

06
A PRÁTICA DA MORALIDADE
No capítulo anterior, entendemos as bases de alguns caminhos espirituais,
compreendendo a maneira de cada um deles de equilibrar nossos Chakras. Neste
capítulo, veremos um pouco sobre a moralidade de cada caminho.
Moralidade são princípios e virtudes que o ser humano trabalha para alinhar
suas vontades individuais com as vontades naturais/coletivas, fazendo com que
simples boas práticas cotidianas tornem o nosso caminho ser cada vez mais
espiritual.
Cada caminho criou a sua prática moral a fim de simplificar os ensinamentos e
deixá-los com uma fácil aplicação diária na vida do ser humano, a partir das
bases do que vivemos. Portanto, por mais que alguns conselhos foram dados há
milênios atrás, sua aplicabilidade é perfeita para o momento presente, sendo,
então, ensinamentos que transcenderam o tempo e o espaço.
Acompanhe e veja as práticas que podem se adequar a sua vida.
Os Yamas e os Niyamas
Algumas escrituras iogues, como os Yoga Sutras de Patanjali, dizem que as duas
pernas do Yoga são a disciplina e o desapego.
A disciplina é o que trabalha o foco no caminho correto, na moralidade, sendo
uma prática que equilibra as energias Yang para que não tenhamos excesso ou
desperdício de energias e possamos direcioná-las para os lugares certos.
O desapego é o que trabalha a leveza e pureza do ser humano, sendo uma
prática que equilibra as energias Yin para termos sempre a concentração correta
para seguirmos nosso caminho.
O caminho moral do Yoga vem de duas vertentes, que são chamadas de Yamas
e Niyamas.
Os Yamas no Yoga representam o caminho do desapego. São condutas para
diminuirmos as ações pecaminosas que fazemos em nosso dia a dia, que geram
desequilíbrio.
Os Niyamas no Yoga representam o caminho da disciplina. São pequenas
virtudes que nos fazem aumentar a observação para, assim, equilibrar todos os
Chakras e as áreas de nossas vidas.
Veja abaixo as recomendações cruzadas de cada vertente:
- Não cobiçar VS. pureza do corpo e da mente: O primeiro Yama nos
aconselha a não cobiçar qualquer coisa que não tenhamos. Isso porque a cobiça
gera um distúrbio de pensamentos, fazendo com que não estejamos nunca
satisfeitos com o que temos aqui e agora.
Como antídoto para a cobiça, o primeiro Niyama nos aconselha a purificar,
todos os dias, o corpo e a mente. Usualmente já tomamos banho todos os dias,
mas limpar a mente de problemas e pensamentos negativos também é muito
importante.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 6º e 7º Chakra.
*Dica: Pratique alguns minutos de relaxamento todos os dias, refletindo como
foi o seu dia, agradecendo pelos bons acontecimentos e perdoando os seus
erros/os maus acontecimentos.
- Falar a verdade VS. autorreflexão: O segundo Yama nos aconselha a falar a
verdade em qualquer circunstância. A prática de falar e pensar a verdade nos
conecta com situações mais verdadeiras em nossas vidas, livrando-nos de atitudes
ou pensamentos destrutivos.
Como complementação, o segundo Niyama nos aconselha a autorreflexão, uma
prática que nos faz observar com clareza quem nós realmente somos, qual é a
nossa Verdade e como podemos sempre agir em prol do nosso bem.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 5º e 6º Chakra.
*Dica: Faça uma lista dos pensamentos que você está tendo frequentemente e
analise como mudar os principais pensamentos negativos por positivos.
- Não roubar VS. contentamento em todas as circunstâncias: O terceiro
Yama nos aconselha a não roubar. Esta ação pode ser tanto a de não roubar
materiais, como também de não roubar ideias, sentimentos positivos, méritos ou
qualquer coisa que possa ser tirada de alguém.
Como complementação, o terceiro Niyama nos aconselha a prática de se
contentar em todas as circunstâncias, mantendo uma aceitação plena para que
sempre possamos fluir com os acontecimentos da vida.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 1º, 2º, 3º e 7º Chakra.
*Dica: Observe em seu dia a dia quais situações são mais desafiadoras e
pratique aceitar aquelas situações do jeito que elas são, sejam boas ou ruins.
- Controlar impulsos VS. autodisciplina: O quarto Yama nos aconselha a
controlar impulsos. A energia do desejo gera muita insatisfação e descontrole,
fazendo com que utilizemos apenas impulsos instintivos, seja o desejo material,
por alimentos, sexual, etc.
Como complementação, o quarto Niyama nos aconselha a prática da
autodisciplina, que envolve estar concentrado em apenas consumir o suficiente (e
nada além disso) e realizar apenas as ações que estejam alinhadas com nosso ser.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 2º e 3º Chakra.
*Dica: Faça uma lista dos excessos que você tem em sua vida hoje, sejam
excessos de desejos ou de materiais e trace maneiras de moderar ou diminuir
aquilo que está abusivo.
- Não-violência VS. devoção à vida: O quinto Yama nos aconselha a não ter
pensamentos ou atitudes violentas. Qualquer tipo de ação violenta nos leva à
raiva ou ao ódio, desequilibrando nossas energias e causando impactos negativos
internos e externos.
Como complementação, o quinto Niyama nos aconselha a prática devoção à
vida, que instiga-nos a sempre dar o nosso melhor para nós mesmos e para os
seres ao nosso redor, gerando harmonia constante em nossas vidas.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 4º e 7º Chakra.
*Dica: Reflita sobre os pensamentos negativos que está tendo no momento,
para perceber se algum é violento e prejudica a você ou a outros seres. Mude por
pensamentos e práticas positivas.
Os 10 mandamentos
Os mandamentos cristãos são práticas morais definidas para termos uma vida
pacífica e longe de pecados que causem sofrimentos a nós e a seres ao nosso
redor. É interessante estudarmos eles também neste capítulo para termos a
percepção de como questões bastante enraizadas em nossa sociedade, e que
muitas vezes já não damos mais importância, também podem ajudar a
alcançarmos equilíbrios em nossa vida.
Abaixo, citaremos os 10 mandamentos originais e uma
complementação/interpretação deles para termos um pouco mais de clareza em
seu significado:
1º - Adorar a Deus e amá-lo sobre todas as coisas
Interpretação: Apenas a intenção de conhecer e amar a Deus acima de tudo
proporciona contexto para a Iluminação e o equilíbrio pleno.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 7º Chakra.
2º - Não usar o Santo Nome de Deus em vão
Interpretação: A repetição, em vão, mata a essência por trás do símbolo. Deus
morre para o homem por causa da repetição verbal. Assim como qualquer
repetição sem sentido. Temos que estar presentes para falar somente aquilo que
faz sentido e nos fará bem e deixar de falar aquilo que não faz sentido e nos fará
mal.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 5º Chakra.
3º - Santificar os domingos/sábados/7º dia e festas de guarda
Interpretação: Respeitar o ciclo mínimo Yang/Yin. De nada adianta só nos
apoiarmos a trabalhar e fazer ações infinitas. Temos de equilibrar com descansos
e entendimentos necessários para cada ação.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 2º e 3º Chakra.
4º - Honrar pai e mãe (e os outros legítimos superiores)
Interpretação: Aprender o que significa respeito (diferente de concordância,
submissão ou adoração). A honra à nossa história e às pessoas que fazem parte
dela nos traz o respeito necessário para vivermos em harmonia.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 4º e 5º Chakra.
5º - Não matar (nem causar outro dano, no corpo ou na alma, a si
mesmo ou ao próximo)
Interpretação: Abster-se de tirar a oportunidade que você mesmo usufrui para
que continue tendo essa oportunidade – para todos os Seres.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 1º e 2º Chakra.
6º - Guardar castidade nas palavras e nas obras
Interpretação: Cuidar da sua energia vital para que possa ser investida no
propósito dessa vida ou nem um caminho de equilíbrio pleno.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 5º e 6º Chakra.
7º - Não furtar (nem injustamente reter ou danificar os bens do
próximo)
Interpretação: Abster-se de retirar os recursos de outros para que mantenha os
recursos que você usufrui para desdobramento do seu propósito de vida.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 1º, 2º, 3º e 4º Chakra.
8º - Não levantar falsos testemunhos (nem de qualquer outro
modo faltar à verdade)
Interpretação: Abster-se de criar ilusões para que ilusões não sejam criadas no
seu caminho e te tirem de seu propósito principal, de seu centro ou de seu
equilíbrio.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 5º e 6º Chakra.
9º - Guardar castidade nos pensamentos e desejos
Interpretação: Só o necessário é necessário. O desejo desperdiça energia vital.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 2º e 6º Chakra.
10º- Não cobiçar as coisas alheias
Interpretação: Tudo que lhe é necessário é dado. Ninguém precisa de mais do
que possui temporalmente.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 2º, 3º e 4º Chakra.
O Nobre Caminho Óctuplo
Como vimos no capítulo anterior, Buda nos apresentou as 4 Nobres Verdades.
Para que a última Verdade fosse aplicável em nossas vidas, ele nos proporcionou
8 recomendações de concentração para que pudéssemos dar um fim no
sofrimento e viver uma vida no caminho da Iluminação.
As recomendações de Buda são simples e diretas e têm a ver com tudo o que
você vivencia em sua vida para transformar o seu caminho em um caminho
correto.
01. Compreensão correta: Entender as coisas como elas realmente são.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 7º Chakra.
02. Pensamento correto: Ter apenas pensamentos construtivos e abster-se de
pensamentos destrutivos.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 6º Chakra.
03. Fala correta: Falar a verdade, ter uma fala construtiva, harmoniosa,
conciliadora.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 5º Chakra.
04. Ação correta: Abster-se de destruir a vida, de tomar aquilo que não for
dado e de conduta sexual imprópria.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 2º e 3º Chakra.
05. Meio de vida correto: Ter um modo de vida nem esbanjador e nem
mesquinho, que não cause mal a outros seres.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 2º e 3º Chakra.
06. Esforço Correto: Cultivar estados benéficos que tenham surgido e
condições para futuros estados benéficos.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 1º, 2º e 3º Chakra.
07. Atenção correta: Observar todas as ações do corpo, fala e mente para evitar
atos insanos.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 5º, 6º e 7º Chakra.
08. Concentração correta: Estabilidade e foco mental.
Esse ensinamento relaciona-se principalmente ao 6º e 7º Chakra.
Conclusão do Capítulo
Cada caminho dá sugestões e ideias práticas de como mantermos nossa vida em
uma constante de equilíbrio e paz. Entretanto, o que vale, em todos esses
caminhos, é a intenção com que fazemos as práticas. De nada adianta fazermos
tudo o que é sugerido por medo de sofrer, por interesse egóico de ser melhor que
alguém ou por qualquer outra intenção destrutiva. A intenção tem de ser pura e
em nome de um bem maior, que envolve você e todos os seres que estão ao seu
redor.
Veja o caminho que faz sentido para você, através da reflexão consciente dos
caminhos que apresentamos e faça sua vida mudar de acordo com o que acredita.
Ser melhor depende de nós mesmos, mesmo que isso tenha um apoio espiritual.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Dê um passo de cada vez e não pegue muitas tarefas ao mesmo tempo
- Mude pequenos passos ao invés de querer mudar tudo do dia para a noite
- Identifique quais práticas de cada caminho podem te fazer melhor no seu
contexto de vida atual
- Vislumbre onde quer chegar com tudo isso para ter uma motivação de
continuar sempre em frente.
SESSÃO 3: PRÁTICA
CAPÍTULO

07
MEDITAÇÃO NOS SETE CHAKRAS
A meditação é uma das práticas mais recomendadas para o equilíbrio dos
Chakras. Isso porque ela é uma prática constante de atenção focada que começa
em um simples ato de percebermos como está nossa respiração no momento
presente.
Existem muitos formatos de meditação, mas passaremos aqui um formato
reflexivo, para cada Chakra, a fim de percebermos se as energias deles estão
desequilibradas e quais os pontos que temos de trabalhar para melhorar.
Como começar a meditar
Na Pandora, temos diversas práticas de meditação que podem te ajudar a iniciar
nessa jornada. Entretanto, nesse momento, vamos aprender uma maneira
simples de começar.
Tudo o que você precisa para essa meditação é de um ambiente tranquilo e
confortável. Procure uma sala, um quarto ou um local com pouco ou nenhum
barulho, a fim de que qualquer ruído externo não interfira em seu momento
reflexivo ou direcione sua atenção para outra coisa.
Além disso, vale avisar as pessoas que estão ao seu redor sobre a prática que você
irá realizar, apenas para que elas entendam que não podem te interromper nesse
momento e façam mais silêncio em atividades próximas a você, caso seja
necessário.
Sente-se em uma cadeira confortável e com encosto, com roupas confortáveis e
de maneira confortável, para que você também não tenha problemas com a sua
postura ou com algum incômodo no meio da prática. Mantenha-se encostado(a)
com a coluna reta, a cabeça reta e feche seus olhos. Respire de maneira natural,
nem forçando demais a entrada e saída do ar e nem respirando mais devagar que
o normal. Apenas de maneira relaxada e natural.
Como realizar a meditação dos Chakras
Foque sua atenção em sua respiração e siga as reflexões a seguir, uma de cada
vez. Não é necessário fazer uma reflexão seguida da outra, fazendo com que a
prática fique longa e cansativa. Você pode optar, por exemplo, por fazer 1 prática
por dia, durante 7 dias, sendo cada dia a reflexão de um Chakra. O que importa
não é a quantidade de tempo, mas sim a qualidade com que você se concentra na
prática. Portanto, ela pode durar 5 minutos, 10 minutos, 30 minutos ou o
quanto você achar necessário.
Pode ser que na prática venham sensações fortes, lembranças profundas ou
emoções que te façam se emocionar. Pode ser, também, que nada disso venha e
que você faça uma meditação reflexiva, tranquila. Por isso, deixe o que vier vir,
viva isso na prática, deixe aquele sentimento ou pensamento ali e volte a se
concentrar em sua respiração e, consequentemente, para os pensamentos
reflexivos.
A ideia da prática é nos gerar percepção e conhecimento do que está nos
limitando ou prejudicando, a fim de nos concentrarmos cada vez mais em
melhorar aos poucos nossa vida.
Acompanhe a seguir as reflexões para cada Chakra.

1º - Reflexão para o Chakra Raiz


- O que estou odiando ultimamente?
- Quais as situações ou pessoas que têm me deixado com raiva?
- Por que estou ficando tenso(a) com algumas coisas e o que são essas coisas?
- Como está minha situação financeira? Estou dando a devida atenção e carinho
ao meu dinheiro?
Deixe fluir. O que for bom deixe que fique, o que for ruim deixe que vá.
Perdoe e aceite.

2º - O Chakra do Baço
- Estou tendo ciúme ou inveja de alguém hoje?
- Meus desejos estão muito fortes e além do que eu realmente preciso pra mim?
- Estou me sentindo impotente com a vida, trabalho ou algo?
- Meus prazeres estão fortes ou fracos hoje?
Deixe fluir. O que for bom deixe que fique, o que for ruim deixe que vá.
Perdoe e aceite.
3º - O Chakra do Plexo Solar
- Do que estou tendo medo hoje?
- Como estão minhas energias? Fracas ou fortes?
- Essas energias estão me ajudando ou atrapalhando?
- E minhas atividades: estão em excesso ou em falta?
- Minhas atividades estão alinhadas com aquilo que acredito ser melhor para
mim?
Deixe fluir. O que for bom deixe que fique, o que for ruim deixe que vá.
Perdoe e aceite.

4º - O Chakra do Coração
- Como estão meus relacionamentos pessoais e profissionais? Bons ou ruins?
- Como está o relacionamento comigo mesmo?
- Tenho me ouvido?
- Tenho me respeitado e me perdoado?
- Estou tendo compaixão comigo mesmo e com outros seres?
Deixe fluir. O que for bom deixe que fique, o que for ruim deixe que vá.
Perdoe e aceite.

5º - O Chakra da Garganta
- Estou contando a verdade pra mim mesmo?
- No que tenho mentido pra mim ultimamente?
- O que tenho falado de agradável pra mim que é uma mentira? E para os
outros?
- Tenho me posicionado e agido de maneira forte demais com os outros? Ou
então de maneira leve demais?
- Tenho me mostrado leal a meus compromissos, horários e promessas?
Deixe fluir. O que for bom deixe que fique, o que for ruim deixe que vá.
Perdoe e aceite.
6º - O Chakra do Terceiro Olho
- Estou seguindo minha intuição?
- Estou aplicando todo o conhecimento que estou recebendo na prática?
- Estou defendendo demais minhas ideias a ponto de gerar sofrimento para
mim e para outras pessoas?
Deixe fluir. O que for bom deixe que fique, o que for ruim deixe que vá.
Perdoe e aceite.

7º - O Chakra Coronário
- Como está minha conexão com Deus, com o Divino, com o Universo ou com
meu Ser Interior?
- Tenho conversado com Ele? Agradecido a Ele?
- Como está minha gratidão?
- O que posso agradecer hoje na minha vida?
Deixe fluir. O que for bom deixe que fique, o que for ruim deixe que vá.
Perdoe e aceite.
Conclusão do Capítulo
Independente de quais respostas vierem à tona neste exercício, elas são
respostas. Ao termos respostas, temos a opção de trabalhar em cima delas para
obter novos questionamentos e, assim, novas respostas. Portanto, mesmo que
algumas respostas pareçam ou sejam negativas para você agora, com a observação
e a atenção focadas a elas, podemos começar pequenos movimentos de mudança
e transformação da nossa vida para melhor.
Não se apegue ao resultado de como você está agora. Use esse resultado para te
motivar a ir em frente com sua expansão de consciência.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Dê atenção ao que precisa ser dado
- Mantenha-se presente
- Foque naquilo que realmente importa para você e não naquilo que te faz mal
CAPÍTULO

08
DIMINUINDO A INFLUÊNCIA DO
EXTERNO
Já vimos aqui, neste livro, diversos exercícios práticos para melhorarmos nossa
vida e equilibrar as energias dos Chakras. A ideia para este capítulo é vermos
aquilo que nos atrapalha externamente e criar artifícios para não cairmos em
armadilhas que nos tirem de nosso foco.
O Inconsciente coletivo
Ao contrário do que muitos falam, semelhante atrai semelhante. Os opostos se
complementam, assim como vemos nas energias Yin e Yang. Portanto, ao pensar
de uma maneira X, vamos atrair tudo aquilo que é X para nós. É simples de
entender isso na prática, quando encontramos, por exemplo, uma pessoa que
pensa igual ou muito parecido a nós. A sensação imediata é de: “Preciso ficar
perto dessa pessoa para sempre!”. Por isso, fica claro como a semelhança nos
atrai.
Pensamentos semelhantes, juntos, se transformam em um pensamento maior
único, que é chamado de “inconsciente coletivo”: uma sequência de mesmos
hábitos que formam um grupo social. E isso pode ser qualquer hábito conjunto:
uma crença, um time de futebol, uma tradição familiar, uma cultura de um país.
Todos esses aspectos nos unem, em algum ponto, e nos faz sermos atraídos pelos
mesmos tipos de resultados.
Entretanto, nem sempre esses hábitos são bons. Diversos deles nos influenciam
a realizar ou não realizar coisas destrutivas, como, por exemplo, hábitos que
geram medo, raiva, indignação, angústia, orgulho. Perceba que, muitas vezes,
fazemos um padrão com a única explicação de que “todo mundo faz” e é por isso
que fazemos. E aí, mal percebemos e já estamos indignados com alguma coisa
que falaram para nós, reclamando de algo que todo mundo reclama, agindo de
má fé em alguma situação que todo mundo age.
É importante observarmos cada vez mais esses padrões para que eles não
influenciem negativamente nossas decisões e assim possamos levar uma vida mais
focada naquilo que faz sentido para nós.
Mudando padrões
A ferramenta que mais utilizamos na Pandora para mudar padrões são os
autodesafios. Para começarmos a nos familiarizar com essas práticas, vou deixar
aqui algumas dicas que sempre damos em treinamentos, a fim de trocarmos
simples termos que podem nos ajudar a quebrar padrões e crenças limitantes.
“Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados
diferentes” – Albert Einstein, físico e filósofo Alemão.
Se quisermos mudar nossos resultados e sair da zona de conforto e do ciclo de
inconsciência, é necessário mudarmos padrões para que possamos ter resultados
diferentes.
- Trocar “não consigo” por “não quero”: Diversas vezes em nossas vidas,
falamos “Eu não consigo fazer coisa X”, “Eu não consigo conquistar coisa Y”,
“Eu não consigo mudar coisa Z”. Isso nos coloca em uma posição de vítima,
fazendo com que acreditemos/nos fazendo acreditar que nossa vida é uma
constante frustração por aquilo que não conseguimos, o que nos traz estagnação
em diversas áreas. Experimente, então, trocar todos os termos “Eu não consigo”
para “Eu não quero”. Na prática, nada mudará: você continuará não fazendo
aquilo. Entretanto, internamente, algo muito importante agora muda: você traz
a responsabilidade daquilo que não está sendo realizado para você mesmo(a). Ao
fazermos isso, naturalmente, nossa autoestima aumenta, pois percebemos agora
que tudo depende apenas de nós mesmos para ser realizado. Podemos ter um
leve desespero ou uma ansiedade no começo por termos diversas coisas que “não
queremos”, mas a partir do momento em que entendemos a nossa
responsabilidade sobre aquilo, podemos mudar e melhorar o que for necessário
para conseguir. Além disso, trocar “não quero” por “eu quero” se torna também
mais simples e agora você pode realizar a tarefa que por tanto tempo adiou.
- Trocar “problema” por “desafio”: A palavra “problema” tem uma carga
negativa grande em nossa sociedade, como se fosse sempre algo ruim e que nos
causa sofrimento. Mas isso não é uma verdade: quando temos problemas,
aprendemos muito e podemos evoluir para outra escala de consciência. Por isso,
podemos apenas trocar a palavra “problema” por “desafio” para tornarmos a
experiência mais leve e motivadora. “Estou cheio(a) de desafios para enfrentar
hoje” soa muito melhor do que “Estou cheio(a) de problemas para resolver
hoje”.
- Trocar “vou tentar” por “vou dar o meu melhor”: Uma tentativa é, muitas
vezes, já vista como uma possibilidade de dar errado. Por isso, muitas vezes,
quando falamos “vou tentar” já estamos determinando que aquilo tem uma
chance de não acontecer. Se trocarmos essa intenção de tentar por “vou dar o
meu melhor”, de maneira verdadeira, naturalmente faremos tudo o que está ao
nosso alcance e dentro de nossas possibilidades no momento para que a tarefa se
concretize. Além de tudo, soa muito melhor quando você fala para alguém que
“vai dar o seu melhor”, pois a sua confiança aumenta, o que faz com que a
confiança do outro também aumente e torne a tarefa mais realizável ou
alcançável.
Conclusão do Capítulo
Tudo aquilo que temos de hábitos, em alguma parte, é influenciado pelo
externo em que vivemos. Observar quais são as influências negativas que estamos
levando para nós fará com que mudemos a nossa realidade. Se semelhante atrai
semelhante, somos capazes de atrair qualquer coisa em nossas vidas. Basta nos
tornarmos, na prática, antes de querer algo, aquilo que queremos conquistar.
Para conquistar felicidade, basta ser feliz com o que já tem e como já é hoje. Para
conquistar sucesso, basta concluir com sucesso tudo o que faz hoje e acreditar
que já tem sucesso. Para conquistar paz, seja pacífico(a) e paciente em suas
atividades atuais.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Torne-se na prática o que quer para sua vida
- Troque as palavras negativas por positivas
- Observe os padrões sociais que você está inserido(a) e podem estar te
prejudicando
CAPÍTULO

09
PRATICANDO O EQUILÍBRIO NO DIA A
DIA
Agora que já estamos familiarizados com alguns pequenos autodesafios e
entendendo as influências internas e externas que temos que prejudicam nosso
equilíbrio, podemos conhecer e adotar práticas para equilibrar nossa vida.
Autodesafios
Os autodesafios são exercícios simples e práticos focados em quebrar hábitos
enraizados e limitantes para abrir espaço para novos pontos de vista e disciplinas
saudáveis. Os autodesafios servem para quebrar a inércia do ego (zona de
conforto) assim como seus padrões de controle (hábitos) e mecanismos de defesa
(emoções negativas).
Os autodesafios aumentam nossa capacidade de observação, mudando
principalmente os hábitos inconscientes que temos em nosso dia a dia. Perceba
quantas atividades você faz de forma automática ou mantendo sempre os
mesmos padrões como a forma que se lava e escova os dentes, os alimentos que
escolhe, as preferências de lazer, as atividades da semana, o jeito que anda, as
rotinas de horários, entre outras coisas. Tudo isso nos dá uma falsa sensação de
que estamos ganhando tempo, mas nos torna inconscientes de nossas atividades
e de como nos relacionamos com cada uma delas.
Aumentar a observação aumenta também nossa consciência e nos faz perceber
como podemos lidar melhor com nossos problemas e dificuldades, além de
aproveitarmos mais nossas qualidades internas.
Com a prática diária dos autodesafios, podemos perceber que os problemas que
encontramos são dissolvidos de forma mais rápida e eficiente, levando-nos a
alcançar cada vez mais resultados extraordinários em qualquer área da vida que
quisermos.
Veja a lista de exemplos de autodesafios a seguir. Leia todos os autodesafios e
escolha o que você acha que irá contribuir para sua vida neste momento:
- Servir quem precisa e pede
- Agradecer continuamente
- Agradecer antes das refeições e comer atento
- Plantar árvores/flores
- Adotar um animal
- Estudar espiritualidade pessoal
- Assistir filme espiritual
- Fazer Yoga/Aikidô/Tai Chi
- Referir-se a insetos como seres vivos
- Caminhar com atenção e observação
- Fazer caridade através de serviço presencial
- Orar ao Divino
- Meditar
- Realizar ação social ou ambiental sem divulgar
- Contemplar situações da vida
- Ouvir música espiritual
- Estudar novo testamento Bíblia - Cristianismo
- Estudar Cânone Pali - Budismo
- Estudar Bhagavad Gita - Hinduísmo
- Estudar Vedas e Upanishads - Hinduísmo
- Estudar Tao Te Ching - Taoísmo
Agora que já escolheu seu autodesafio, vamos determinar as seguintes variáveis:
01. Período: Escolha por quanto tempo fará este desafio.
Ex: 1 semana, 1 quinzena, 1 mês, etc.
02. Frequência: Dentro do período, determine quantas vezes na semana você
fará o desafio.
Ex: Todos os dias, 5 vezes nas semana, 3 vezes na semana, etc.
03. Intensidade: Dentro da frequência, quantas vezes ou por quanto tempo
você irá realizar o desafio? Ex: 1h, 1 vez ao dia, 2 pessoas por dia, o dia todo, etc.
04. Dificuldade: De 0 a 10, quão difícil é fazer o autodesafio no período,
frequência e intensidade determinados? Se a nota for 9 ou 10, talvez seja melhor
você não pegar este autodesafio no momento, pois será muito difícil a realização
dele. Se a nota for entre 0 e 5, o autodesafio é muito confortável para você e isso
dificilmente gerará uma mudança significativa. Um desafio ideal tem nota entre
6 e 8, pois é um nível de dificuldade relativamente bom, porém não demasiado.
05. Ancoragem: Como você fará para se lembrar e se comprometer a fazer o
autodesafio dentro das condições traçadas? Coloque lembretes no celular, post-
its ou bilhetes em locais de fácil acesso, peça para alguém te ajudar. Tudo é
válido, pois se não colocarmos um lembrete, podemos perder o ritmo de um dia
sem fazer aquela determinada ação.
Lembre-se que a intenção é sair da zona de conforto para que você seja mais
consciente de seus pontos de melhoria e possa agir em cada um deles.
Dicas e sugestões de aplicações prática no dia a dia
- Faça o seu autodesafio!
- Se no meio do caminho perceber que ficou muito fácil, aumente frequência e
intensidade
- Se perceber que ficou muito difícil, diminua intensidade
- Persevere!
- Ao finalizar este autodesafio, escolha outro e continue
CAPÍTULO

10
EXPANDINDO SUA CONSCIÊNCIA
Chegamos até aqui e agora temos diversas novas percepções de caminhos e
práticas que podem nos ajudar a equilibrar nossos Chakras e transformar nossa
vida em uma vida ainda melhor.
Mas para que todo esse conhecimento seja realmente útil para nós, temos que
tornar a prática de expandir nossa consciência em um hábito comum do dia a
dia. Costumamos falar nos treinamentos da Pandora que conhecimento sem
prática pode ser considerado “lixo”. De que vale sabermos daquilo que está
errado em nós, termos a ideia ou a certeza do que precisamos fazer para melhorar
e mudar e continuar deixando tudo isso no campo das ideias, sem fazer nada a
respeito?
Por mais que somos buscadores constantes de conhecimento e o tema central
deste livro é a “Teoria dos Chakras”, a ideia e a intenção principal aqui é a de
percebermos que, com simples práticas, podemos ser os agentes de mudança e
melhoria de nossas vidas. A teoria de qualquer coisa só nos apoia em uma
“ideia”, muitas vezes bastante rasa, do que é a realidade. A verdadeira realidade se
faz no vivenciar a vida e experienciar aprendizados para entendermos quais são os
caminhos que nos trazem mais resultados positivos e benéficos.
Portanto, use desse livro como um guia para te ajudar nessa jornada, mas não se
apegue a todo o conhecimento contido nele. Continue a realizar os pequenos
autodesafios que tornarão sua vida naquilo que você almeja.
O que é consciência?
De maneira breve, consciência é tudo aquilo que permite ao ser humano
vivenciar, experimentar ou compreender aspectos ou a totalidade de seu mundo
interior e exterior.
Se você parar para observar, todos os momentos em que estamos vivos é uma
oportunidade de aprendermos algo sobre nós mesmos. E isso é estar consciente.
A maneira como interagimos com tudo o que está ao nosso redor — e isso
envolve pensamentos, ações, sentimentos, emoções e qualquer outro artifício —
faz parte desses aprendizados.
Entretanto, se fizermos eles de maneira automática, inconsciente, então tudo se
torna vazio e sem sentido. Afinal, não estamos atentos ao que está acontecendo
naquele momento. Portanto, um dos sinônimos que utilizamos bastante na
Pandora para “estar consciente” é a observação.
A observação nos permite estar aqui e agora. Nos permite explorar dentro e
fora. E ainda, quando observamos, conseguimos ter outros tipos de ferramentas,
como a clareza, o discernimento e o entendimento.
Trabalhar seu desenvolvimento significa expandir sua consciência para, assim,
observar cada vez mais aquilo que faz sentido em sua vida e o que não faz
sentido. Muitas vezes, fazemos coisas que nem percebemos, no modo
automático. Essas atitudes podem ser prejudiciais para nós ou não terem mais
sentido no nosso contexto de vida atual, o que nos faz perder energia e nos deixa
com aquela sensação de vazio ou confusão, de não sabermos o porquê estamos
fazendo o que estamos fazendo.
Conclusão do Capítulo
Ao trabalharmos nossa consciência, deixando de lado as ilusões que nosso ego
cria apenas para benefício próprio, estaremos trabalhando em prol da Verdade.
O mais próximo da Verdade que podemos chegar, todos os dias, é valorizar o
momento presente e isso só se faz de maneira consciente.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Não se apegue ao conhecimento
- Pratique os conhecimentos que fazem sentido para você
- Faça da observação uma aliada de todos os momentos
CAPÍTULO

11
CRIANDO UM ESTILO DE VIDA
EQUILIBRADO
Para finalizar o nosso estudo sobre os Chakras e a Prática do Despertar, iremos
ver nesse capítulo pequenas pílulas de entendimento sobre como podemos
fomentar o nosso equilíbrio no dia a dia e nos mantermos em nosso caminho de
abundância e harmonia.
1. Intenção: Manter a intenção de evolução conjuntamente com aquilo que
você quer alcançar. A intenção determina os caminhos que vamos trilhar.
2. Mérito: Dar o seu melhor a cada dia como um estilo de vida nos faz ficar
presentes e não nos apegarmos aos resultados para que possamos viver cada vez
mais alegres com o que temos e construirmos uma vida de abundâncias e
oportunidades.
3. Autodesafios: Construir disciplinas positivas através de autodesafios. A
essência dos autodesafios é gerar concentração (manter-se em seu centro) e
coragem (agir com o coração) para enfrentar os medos que surgirem e se manter
sempre no caminho.
4. Observação: Manter-se observando os seus sentimentos internos para que
possa cada vez mais conhecer a si mesmo e os outros e não cair nas falácias do
ego.
A partir desses 4 pilares, podemos trabalhar 7 princípios em nossas vidas para
manter a concentração necessária em cada Chakra para mantê-los em sinergia:
1. Simplicidade: Somente o necessário é necessário. Tudo que for desejado a
mais, vai ser difícil e esforçoso para conquistar, não haverá fluidez e alegria
(diferente de prazer).
2. Moderação: Saiba dizer Não! O que sair do simples, do generoso e do
equilíbrio deve ser negado. O Não é importante para impedir que intenções
destrutivas/invejosas impeçam você de desdobrar o seu potencial de ser o que
você pode ser.
3. Disposição: Estar disposto sempre a enfrentar os sacrifícios necessários para
estar em seu centro, em seu propósito e seu caminho.
4. Conexão: Manter a conexão com você mesmo e com os outros vinda do
coração, com amor e carinho por cada ser e momento que você vive.
5. Declaração: Declarar sempre, sinceramente e de maneira clara, para você
mesmo, qual é sua missão de vida, quem é você e porque você está aqui.
6. Compreensão: Enxergar os pequenos milagres da vida e compreender que
tudo acontece porque tem que acontecer. Tudo é aprendizado.
7. Presença: Dê o que tem em excesso independente do que seja. Se existe
abundância em alguma área da sua vida ela deve ser compartilhada e será a porta
de entrada para o fluxo da nova fase que deseja. Gratidão é a capacidade de
perceber tudo o que tem disponível para dar. São dois lados da mesma moeda.
Conclusão do Livro
“Toda vez que alinho meu propósito pessoal com meu profissional e com meu
de vida, estou ditando o que farei e o que terei para me ajudar a alcançar a
melhor condição sempre.”
Essa frase resume o foco constante que devemos ter para uma vida em Alta
Performance, dando sempre qualidade de atenção a todos os Chakras e fazendo
com que sua vida seja aquilo que você almeja na prática.
Quanto mais sua intenção for alinhada a um bem-maior, que engloba você e os
seres ao seu redor, mais você estará caminhando em prol de uma vida feliz,
plena, saudável e equilibrada.
Dicas e sugestões de aplicações práticas no dia a dia
- Mantenha sempre uma intenção de evoluir constantemente
- Dê o seu melhor a cada dia
- Observe as influências de sentimentos negativos
- Crie um autodesafio de mudança
- Mantenha-se em humildade constante
- Invoque a coragem dentro de você para encarar o problema
- Seja honesto consigo mesmo
- Mantenha o contato constante com ferramentas e pessoas que te fazem bem
- Leia os artigos e assista aos vídeos do Quero Evoluir
- Mantenha-se atento na agenda da Pandora
- Agende uma sessão gratuita de Alta Performance
APÊNDICES
Apêndice A: Autodesafios
Tabela de Autodesafios Iniciais
Apêndice B: Alta Performance
Sobre o Método de Alta Performance
A Pandora Treinamentos desenvolveu este método próprio ao longo de quatro
anos de práticas aplicadas com o intuito de guiar as pessoas a saírem da zona de
conforto a partir da desestruturação de hábitos enraizados que impedem a
obtenção de resultados.
O método visa levar o indivíduo à Alta Performance através da saída de sua
zona de conforto e entrada controlada em uma zona de desconforto evolutiva
evitando o acesso na zona de saturação. Esta intenção leva o indivíduo a
experimentar “o outro lado” de seus hábitos, geralmente com polaridades que
levam do “8 ao 80” ou do “80 ao 8” para que, após a experienciação, a pessoa
ganhe a liberdade de escolher ficar sem o hábito, equilibrá-lo de forma saudável
ou, até mesmo, a construção de uma nova disciplina em sua vida.

Planilha Controle de Autodesafios


Benefícios
– Alcance de resultados na prática
– Limpeza de limitações e bloqueios
– Resolução de conflitos pessoais
– Aumento de influência e liderança
– Aumento de autoestima e relacionamento saudável com o corpo
– Clareza mental nas tomadas de decisão
A quem se destina
– Pessoas que querem conquistar resultados extraordinários
– Empresários que querem alcançar seu potencial máximo
– Profissionais que querem subir de cargo
– Líderes que querem ser exemplo para potencializar sua equipe
– Pessoas que querem encontrar respostas para sair de suas crises
– Pessoas que buscam autoconhecimento profundo e querem
evoluir
Processo Individual
O treinador trabalha de forma exclusiva e direcionada sobre o resultado
desejado ou problema específico da pessoa, transcendendo barreiras que limitam
o alcance do estado desejado de maneira precisa e rápida.
O processo pode ser realizado presencialmente, via Skype ou via Whatsapp.
Carga horária: 356 HORAS - 20 horas presenciais + 336 horas de autodesafios
Processo em Grupo
Cada pessoa define seu objetivo e tem um processo individual compartilhado
com o grupo. O treinador guia o processo de cada pessoa e o grupo se auxilia e se
encoraja para alcançar os resultados de cada um.
Carga horária: 188 HORAS - 20 horas presenciais + 168 horas de autodesafios
Resultados alcançados por quem já passou pelo processo:
As pessoas que passaram pelo Processo de Alta Performance da Pandora
também alcançaram diversos resultados extraordinários em suas vidas. Dentre
eles:
- Empresários que aumentaram faturamentos, que mudaram de área de atuação
para seguir suas vocações, que aumentaram a clareza na tomada de decisão.
- Profissionais de carreira insatisfeitos que tomaram coragem de sair de seus
trabalhos e abriram suas empresas, que receberam promoções em menos de 5
meses de empresa, que se recolocaram no mercado de trabalho.
- Estudantes que conseguiram estágios em empresas de grande porte, que
tiveram coragem de parar faculdades que estavam fazendo por influência familiar
para seguirem sua vocação.
- Líderes e vendedores que harmonizaram suas equipes, aumentaram suas
vendas e as de seus colaboradores.
- Pessoas que resolveram conflitos familiares de anos, se curaram de dores
crônicas, expandiram suas consciências, diminuíram conflitos internos e
externos, saíram do estado de depressão e pararam de se medicar, pararam de
fumar, emagreceram mais de 15 kg, entre outros.
Mais depoimentos podem ser visualizados em:
www.pandoratreinamentos.com.br/depoimentos
Histórico da Pandora Treinamentos
A Pandora Treinamentos foi fundada em agosto de 2012 e atua na área de
treinamentos e palestras desde setembro de 2014.
Mais de 5 mil horas já foram dadas em palestras e treinamentos.
Mais de 4 mil pessoas já passaram pelos nossos eventos.
Mais de 7 mil autodesafios já foram cumpridos.
Todos os que fizeram algum de nossos treinamentos alcançaram os seus
objetivos.
Nossos Treinamentos
Processo de Alta Performance
A Pandora desenvolveu o processo de alta performance ao longo de quatro anos
de práticas aplicadas com o intuito de gerar harmonia entre todas as áreas da vida
de uma pessoa, a fim de acelerar o alcance de resultados e conservar um estilo de
vida de alta performance.
Duração: 11 sessões
Em grupo às segundas-feiras das 20h às 22h30 em São Paulo/SP, quartas- feiras
das 20h às 22h online ou individual em horários a serem combinados.
Certificação Profissionalizante em Alta Performance
Este treinamento tem o intuito de capacitar o aluno a viver em alta
performance, alcançar resultados constantes, ampliar seu potencial e inspirar as
pessoas ao seu redor a seguirem este estilo de vida de satisfação e conquistas. A
Certificação Profissionalizante em Alta Performance é realizada em três módulos
diferentes e complementares, totalizando mais de 1.000 horas de aprendizagem
embasadas em teorias, ferramentas e práticas. Os conteúdos são focados em
autoconhecimento profundo que potencializam o aluno a ser um empreendedor,
líder e treinador de alta performance.
Para informações detalhadas deste treinamento, acesse:
www.pandoratreinamentos.com.br/ap
Treinamento A Arte de Ser Humano
Imagine se você pudesse resolver problemas e incômodos que sempre te
perseguiram e impediram você de alcançar os resultados que você sempre quis. A
Arte de Ser Humano é o treinamento ideal para quem busca uma evolução
profunda e entendimento sobre todas as áreas da vida.
Duração: 40 horas
Sábado e Domingo das 8h às 21h
Treinamentos InCompany
A Pandora oferece palestras, workshops e treinamentos personalizados, de
acordo com a necessidade de sua empresa.
Nossa metodologia se diferencia por buscar o equilíbrio entre a corporação e o
indivíduo, unindo as energias profissionais e pessoais em harmonia para que o
trabalho seja melhor executado e alcance resultados com mais agilidade e
precisão, colocando a corporação como um todo em Alta Performance.
Utilizamos técnicas de Coaching, Mentoring, Consulting, Psicologia Positiva,
PNL e Filosofias Diversas.
Clientes

Quero Evoluir
Oferecendo artigos e vídeos gratuitos, o Quero Evoluir é um projeto voltado
para o desenvolvimento e evolução do ser humano dentro das principais áreas da
vida: finanças, bem-estar, negócios e carreira, relacionamentos, influência e
liderança, autoconhecimento e espiritualidade.
Para visualizar os conteúdos, acesse:
www.queroevoluir.com.br
Apêndice C: Outros Títulos da Pandora Books
O Poder da Empatia
Neste livro, você verá conceitos profundos, técnicas e práticas para aplicar
compreensão, perdão, aceitação e gratidão no seu dia a dia e transformar as
turbulências da vida em experiências harmoniosas.
Apêndice D: Conteúdos Complementares
Filmes:
Chico Xavier
A Profecia Celestina
Conversando com Deus
Gandhi
Imensidão Azul
O Evangelho Segundo Lucas
O Evangelho Segundo João
Irmão Sol, Irmã Lua
Amor além da vida
Pedro - A Redenção
José e Maria
Até o Último Homem
Documentários:
As sete leis espirituais do sucesso
Belief: Uma Jornada Espiritual
Awake
Pode me chamar de Francisco
Vídeos:
Avatar - Os Chakras
A Senhora e a Morte
Kundallini
What is that
A mulher invisível
Ciência e Espiritualidade
- Globo Repórter
Introdução à meditação
Globo Repórter EQM
Mensagem do Papa
- Inter Religião
Cymatics: Sacred Geometry Formed by Sound
Livros:
As 7 Leis Espirituais do Sucesso - Deepak Chopra
Liberte-se do Passado
- Jiddu Krishnamurti
O Barco Vazio - Osho
Autobiografia de um Iogue
- Paramahansa Yogananda
Bhagavad Gita
The Eye of the I - Dr. David R. Hawkins
I - Reality and Subjectivity
- Dr. David R. Hawkins
Evangelho Essêncio da Paz
Letting Go - Dr. David R. Hawkins
Discovery Of The Presence Of God - Dr. David R. Hawkins
Dissolving The Ego, Realizing The Self - Dr. David R. Hawkins
In The Buddha’s Words
- Bhikkhu Bodhi
O Romance com Deus
- Paramahansa Yogananda
Autobiografia de Gandhi
- Gandhi
A Flauta nos Lábios de Deus
- Osho
Bíblia: Novo Testamento
Canone Pali
Um Curso em Milagres
- Helen Schucman
Tao Te Ching
Vedas
Upanishads

Interesses relacionados