Você está na página 1de 11

O USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS COMO

FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM
Acadêmicos¹
Tutor Externo²

RESUMO

O uso de novas tecnologias em sala de aula tem sido um dos temas mais inovadores e vistos como
desafios para a escola atual e que mais vem conquistando espaço na sociedade em nosso dia a dia.
Portanto é importante ser traçado o trajeto histórico da tecnologia utilizada como estratégia
didática para melhoria do ensino-aprendizagem. Atualmente pensar no uso da tecnologia como
instrumentos que auxiliem no trabalho do professor e que os hardwares oferecem é sem dúvida
algo muito admirável e que possibilita a mudança na prática educativa de muitas escolas que
ainda atuam utilizando-se de metodologias tradicionais, porém para compreender a criação de
tudo, temos que conhecer alguns fatos que deram início a essa grande necessidade de se buscar
algo ainda mais além e que parece muitas vezes estar distante da nossa realidade. O presente
artigo apresenta uma análise sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação em sala de
aula, e tem como objetivo o aprofundamento dessa prática pedagógica utilizando ferramentas
tecnológicas que auxiliem ao professor de como vencer o tradicionalismo, bem como a
conscientização dos educadores sobre a importância do uso das novas tecnologias como
metodologias e estratégias para melhor desenvolvimento dos alunos no que se refere ao ensino e
aprimoramento do conhecimento.

Palavras- chave: Tecnologia, Sala de aula, Professor.

1 INTRODUÇÃO

Para fazer uma abordagem acerca da história da tecnologia é imprescindível partir do


pressuposto acerca dos primórdios quando os seres humanos passaram a utilizar ferramentas de
caça e de proteção bem como a utilização do fogo como recurso para a sua sobrevivência. Pode se
dizer que a tecnologia tem consequentemente sua história embutida na cronologia do uso dos
recursos naturais quando se diz respeito aos usos desses recursos como forma de auxiliar e melhorar
a qualidade de vida, uma vez que para tais ferramentas fossem desenvolvidas, seria absolutamente
mais que necessário à utilização de recursos naturais pré-existentes como: pedra, madeira, água e
consequentemente o fogo e o ferro (metal).
As inovações tecnológicas historicamente passaram por uma um fluxo de progressões provindo
das mais simples até chegar às ferramentas mais complexas utilizando as fontes de energia
complexas para sua produção. As tecnologias mais anteriores converteram recursos naturais em
1. Anita Rocha Neves, Cintia dos Santos Fonseca, Lorena Bomfim de Carvalho, Maira Andrade e Roberto
Rodrigues Costa.
2. Maria Aparecida
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI – Licenciatura em Biologia (BIO) – Prática do
Módulo IV - 29/10/18
2

ferramentas simples com o propósito de facilitar cada vez mais a adaptação do homem no seu meio
social. Para melhor compreendermos acerca do constante uso da tecnologia em nossa sociedade e
como a mesma segue aumentando em nossos dias atuais, é necessário pensar que ela vem sendo
considerada uma base que a torna indispensável na vida das pessoas e como vem se tornando
importante seu uso, não só nas grandes metrópoles, como também aspecto inovador e facilitador na
vida de quem vive no campo, partindo dessa ideia pode-se dizer que também a sua utilização na sala
de aula é um elemento mais que essencial para uma aprendizagem mais concreta, significativa e
desafiadora frente aos desafios do tradicionalismo.
Lévy (1993) chega a comparar a tecnologia com a escrita e que a mesma é fruto da
inteligência humana, de estudos e pesquisas que surgem a partir das necessidades diárias e
cotidianas dos seres humanos, para o autor a tecnologia é sem sombras de dúvidas uma ferramenta
que dependendo de seu uso pode promover mudanças nos trabalhos relacionados a educação bem
como gerar e proporcionar avanços significativos no processo de ensino e aprendizagem, fazendo
com que o professor mude suas práticas e metodologias tecnicistas para uma promoção
construtivista onde os alunos sejam autores capazes de criar seus conceitos e encarar melhor a
revolução que a tecnologia vem causando no mundo.

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
2.1 A TECNOLOGIA COMO UMA NOVA OPÇÃO EM SALA DE AULA

A sociedade ao longo do tempo foi evoluindo e novas necessidades surgiram então às


tecnologias caminharam junto com essa evolução com objetivo de atender o homem buscando
assim facilitar nas dificuldades e criar novas oportunidades gerando novas mudanças.
Levy (2000) busca situar historicamente as tecnologias descrevendo-as em três tipos,
sendo a primeira a seleção natural, aquela que pode ser considerada uma tecnologia que a vida
aplica a si mesma produzindo mudanças que possibilitem ao indivíduo adaptações ao ambiente em
que vive. Quando os homens passam a interferir por meio da criação e domesticação esta é a
segunda tecnologia classificada como seleção natural. E a terceira e última tecnologia atua na forma
e funções dos organismos por meio da manipulação dos genes ou moléculas (transgênicos, células-
troncos etc.) denominada biotecnologia.
O avanço da tecnologia além de facilitar as atividades do homem, também tem
influência no seu modo de viver, no comportamento, na forma de se relacionar, de se comunicar, de
pensar e de ser. O homem inventa equipamentos ou ferramentas para sua supervivência ou
conforme suas necessidades cotidianas. Entretanto, essas ferramentas precisam ser estudadas,
investigadas, planejadas, construídas e criadas. Precisam ainda estar disponíveis e à disposição para
3

seu uso contínuo em favor da educação. Cada instrumento desses exige uma forma ou uma maneira
de ser utilizada. “[...] Às maneiras, aos jeitos ou às habilidades especiais de lidar com cada tipo de
tecnologia, para executar ou fazer algo, nós chamamos de técnicas” (KENSKI, 2003, p. 18).

Ainda assim é comum em nossos dias encontrarmos professores que ainda tenham
algum tipo de resistência quanto ao uso das ferramentas tecnológicas como estratégia metodológica
para melhoria da aprendizagem de seus educandos e por sua vez acabam se recusando a aceitar as
novas tecnologias que ameaçam as tarefas com as quais estão acostumadas e adaptadas.

Para Libâneo (1994 p.39)

Esta visão é considerada tecnicista, pois o professor acaba vendo a sociedade como um
sistema harmônico e funcional onde o homem é considerado o produto do meio e a sua
consciência é formada pelas suas relações com os outros, embora as produções dessas
tecnologias estão atreladas ao sistema capitalista que visam enormes lucros, pois sua
utilização vem conquistando o mundo e vai sendo descoberta e utilizada de acordo com as
necessidades dos usuários.

No Brasil foi a partir dos anos 60 que se iniciou o processo histórico, bastante sistematizado
do uso dessas tecnologias em suas escolas, encarado na época com certo preconceito por
professores que seguiam na risca métodos tradicionais denominados tecnicistas. Inicialmente a
proposta de levar qualquer ferramenta tecnológica que fosse produzida pela sociedade industrial foi
ganhando espaço e dando cada vez mais incentivo para que mais produtos fossem fabricados em
longa escala no mercado brasileiro e este cenário foi gerando ao país o título no mercado mundial
de produtor e consumidor de bens. Com o passar do tempo isso já a partir dos anos 80 por conta do
crescimento tecnológico e da construção de um pensamento mais crítico a tecnologia educacional
passou a ser vista e compreendida como uma nova opção de se fazer a educação de uma forma
contextualizada ligada as questões sociais como difere da visão tecnicista, pretendendo desenvolver
o homem integrando-o no mundo e lhes possibilitando a construção de uma visão crítica e
garantindo ao professor autonomia para a construção de uma prática pedagógica mais significativa.
Na educação foi visto como defensor de um modelo tecnicista, porque preconizava o uso das
tecnologias como fator inovador modernizado das práticas pedagógicas além de ser visto como
solução dos problemas ainda existentes nos dias atuais.

2.2 A FORMAÇÃO E REFLEXÃO DO PROFESSOR SOBRE O USO DO COMPUTADOR NA


SALA DE AULA
4

Visando a perspectiva acerca do uso das tecnologias em sala de aula pensando também no
processo de formação percebemos que os professores estão sendo desafiados a encararem a
proposta da inserção do uso das tecnologias em sala de aula, mas primeiro é preciso pensar em se
construir na escola um projeto pedagógico que dê condições ao professor e lhes permita a formação
continuada para que os mesmos possam utilizar estes equipamentos em suas aulas e é este o grande
desafio enfrentado pelas escolas da rede pública, já que o computador e demais tecnologias fazem
parte de nosso cotidiano garantindo aos alunos a expansão de seus conhecimentos. Pensando neste
pressuposto acredita-se que trabalhar com os princípios das tecnologias educacionais possibilitarão
aos professores condições para que os alunos em contato com estes meios consigam lidar com as
tecnologias da sociedade apropriando-se delas como sujeito. Com base na Lei de Diretrizes e Bases
da Educação Nacional (LDB), nº. 9394/96, em seu Art. 67, Título VI, (1996) destaca um ponto
bastante significativo onde é abordado acerca do processo de formação dos profissionais da
educação fazendo a relação entre teorias e práticas, pois partindo desta ideia, quando os professores
passarem a dominar o uso das tecnologias educacionais em sala de aula, contribuindo no processo
de ensino e aprendizagem, facilitando a compreensão de mundo e das questões sociais.
Devemos criar oportunidades para através do uso da tecnologia melhorar as relações
humanas entre professores e alunos. Segundo FELDMANN, M. G. (2009).

Formar professores com qualidade social e o compromisso político da transformação tem se


mostrado como um grande desafio a todos que acreditam na educação como um bem
universal, espaço público, espaço democrático, um direito humano e social na construção
da identidade e no exercício da cidadania. Escrever sobre esse tema nos convida a reviver
as inquietudes e perplexidades na busca de significados do que é ser professor no mundo de
hoje. Professor – sujeito que professa saberes, valores, atitudes, compartilham relações e
junto com o outro elabora a interpretação e reinterpretação acerca do mundo. Palavras,
“sentidos que encerram em si a dimensão da multidimensionalidade, da complexidade e da
incompletude do saber e do ser”.

Observando todo este conjunto e a relação teoria/prática o professor necessita de


desenvolvimento profissional quanto à utilização do computador na sala de aula, dando ênfase
acerca do processo de evolução das novas tecnologias e do uso das diversas mídias que vem
representando importantes parceiros para uma expressão mais didática de temas e assuntos
discutidos em nossos dias atuais, tendo como perspectiva que essas ferramentas se tornarão como
pontes para uma prática que gerará aos educandos grandes possibilidades de aprendizagens e o
professor será visto como um elo entre os ensinamentos e o aluno, desta forma se tornará possível
5

perceber o desempenho do aluno nas atividades de sala de aula onde o mesmo será mais
participativo e propositivo.
Se apropriar do uso das novas mídias como: projetor, PowerPoint, Excel, aparelhos de
multimídias, Movie Maker e etc. vão permitir ao professor e aos alunos que os textos ou atividades
que antes eram maçantes, sejam vistas de outra maneira, mais atraente e dinâmica na nova forma:
digital vencendo a tendência tradicionalista. No entanto, é importante ressaltar que a formação é um
conhecimento bastante amplo e necessário ao professor independente da disciplina ou modalidade
da educação que trabalhem, os resultados da formação serão para o professor, condições necessárias
que lhes possibilitarão ter uma prática melhor e mais significativa. Se a escola tem como objetivo
uma formação democrática ela deve ter uma prática democrática e inovadora que possibilite tanto
os professores como os alunos ao acesso a essas novas tecnologias, ou seja, o conhecimento deve
expandir os muros da escola, e desarticular o que temos hoje, herança da cultura da educação
tradicional, onde a prática educativa baseava-se na transmissão e na assimilação dos conteúdos pré-
estabelecidos de um currículo muito convencional, por este motivo torna-se indispensável o uso de
recursos tecnológicos em sala de aula, Kenski (2002p 43.).

Faz uma abordagem acerca da motivação do aluno que tende aumentar se a prática usada
pelo professor for coerente a realidade do aluno e quando este permite ao educando
abertura para um diálogo não técnico mas que este perceba de que modo as tecnologias são
vistas pelo aluno e como são por eles utilizadas.

Existem ferramentas que podem incentivar e facilitar este processo de aprendizagem: a


internet, desde que sejam vistas como mediadoras uma vez que encaradas como aquela que
possibilitarão ao aluno informações necessárias à construção do conhecimento. Se a proposta do
professor for de superar algumas barreiras e este em seus objetivos almejam provocar no aluno
avanço no que se diz respeito à aprendizagem e que seu foco seja prender o aluno para que este seja
construtivista em seus pensamentos tendo em vista o professor como mediador desta proposta é
imprescindível o uso do computador, claro tendo este elencado a outros meios metodológicos.

É importante que os recursos tecnológicos utilizados em sala de aula precisam estar aliados a
muitos outros recursos que vão desde o uso dos aplicativos como também das práticas adotadas
pelo professor, usar apenas um computado durante a aula não significa que esta atenderá aos
objetivos e que esta trará possibilidades aos educandos de um avanço em suas múltiplas maneiras
de aprender, será preciso por parte do professor uma postura diferente aliada à instrumentalização
também diferente.
6

3. MATERIAIS E MÉTODOS

O processo de investigação e construção deste trabalho tem enfoque qualitativo conforme a


ideia de Bogdan e Bikem (1982), citados por André e Ludke (1986) possui como características
principais a utilização do ambiente natural como fonte direta dos dados e que foram coletadas
através de um questionário realizado com perguntas relacionadas à temática abordada neste
trabalho, o pesquisador como principal instrumento da pesquisa alvo, a obtenção de dados
predominantemente descritivos a partir do contato do pesquisador com situação estudada e também
a preocupação de trazer e abordar a perspectiva dos participantes observados e que foram utilizados
como resultados da discussão realizada. As avaliações do presente trabalho foram desenvolvidas
por meio de uma entrevista com a Coordenadora Pedagógica e acompanhamento direto de uma aula
com um professor onde era visível o uso das novas tecnologias, visando à aprendizagem dos alunos.

Neste projeto de pesquisa foi utilizado o questionário como instrumento de coleta dos dados
com a coordenadora e o acompanhamento numa aula de Ciências onde os recursos tecnológicos
foram importantes para execução das atividades. A coleta de dados através desse tipo de
instrumento exige uma interpretação dos dados coletados.

Chizzotti (1991, p.44) define o questionário como:

Um conjunto de questões sobre o problema, previamente elaboradas, para serem


respondidas por um interlocutor, por escrito ou oralmente. Neste último caso, o pesquisador
se encarrega de preencher as questões respondidas [...] A elaboração de um questionário
pressupõe a apropriação de algumas técnicas para chegar aos problemas centrais da
pesquisa.

Figura 1 – Vista da entrada do Jardim Zoológico de Salvador/BA

Fonte: Elaborado pela aluna do 6º Ano – Iandra Batista (2018)


7

Figura 2 – Chegada dos alunos para a pesquisa de campo.

Fonte: Elaborado pelos autores (2018)

Figura 3 – Ficha técnica dos animais pesquisados.

Fonte: Elaborado pelo aluno do 7º ano Atrhur Brandão (2018)

O objetivo desta pesquisa de campo foi realizar uma visita no Zoológico de Salvador – Bahia onde
os alunos deveriam estar munidos de aparelhos celulares para registrar fotos de animais da fauna
brasileira, realizar uma ficha técnica como consta a Figura 3 em seguida imprimir para construção
de um painel e socializar os resultados a partir do uso do Power point, utilizando slides. Práticas
8

como esta leva o professor a se conscientizar acerca da importância do uso das novas tecnologias
como metodologias e estratégias de ensino para vencer o tradicionalismo que ainda permeia no
cenário atual da educação garantindo ao aluno diversas possibilidades de aprendizagens diante da
grande realidade vivenciada pelas crianças e adolescentes.

Figura 4 – Jogos pedagógicos a partir de recursos tecnológicos.

Fonte: Elaborado pelos autores (2018)

4. ANÁLISE E DISCUSSÃO DE DADOS

A presente pesquisa propicia a oportunidade de refletir sobre o processo da construção do


conhecimento por meio do uso das novas tecnologias nas escolas públicas superando os desafios do
tradicionalismo, o momento para ser feito um confronto com a realidade e os saberes já construídos.

O trabalho aqui apresentado procurou mostrar a importância do uso dessas novas tecnologias
e de que forma ela pode propiciar aos alunos um aprendizado tecnológico na sala de aula, buscando
aprofundar a prática pedagógica por meio de ferramentas que auxiliem ao professor de como vencer
o tradicionalismo. Portanto o questionário foi organizado a fim de compreender acerca de que
maneira os professores da rede pública estão encarando a realidade atual pautada no uso das novas
tecnologias com o intuito de melhorar a qualidade da aprendizagem dos alunos bem como de que
maneira os professores estão sendo preparados quanto ao uso das mesmas, conforme os resultados
encontrados durante a realização do questionário. As perguntas realizadas foram as seguintes:
9

Tabela 1 - ENTREVISTA COM A COORDENADORA PEDAGÓGICA.

Coordenadora Pedagógica

1. Qual o impacto que o uso das novas tecnologias tem causado na rede pública de
ensino?

2. De que maneira o professor tem sido orientado a utilizar as tecnologias em sala


de aula?
3. Como o uso da tecnologia na sala de aula impacta na relação professor e
aluno?

4. Quais as vantagens do uso das novas tecnologias como estratégias


transformadoras para garantia das aprendizagens dos alunos?
5. Quais os desafios encontrados quanto ao uso dessas novas tecnologias?
6. Qual a melhor forma de utilizar esses recursos tecnológicos a favor da
educação?
Fonte: Elaborado pelos Autores (2018).

Por fim, interpretamos os resultados obtidos, tendo em vista as teorias apresentadas no início do
trabalho. A presente pesquisa nos revela alguns resultados interessantes, os quais refletem a
concepção teórica adotada pelo professor e coordenador escolhido para a entrevista.

Tabela 2 - RESPOSTAS DADAS PELA COORDENADORA.

Pergunta 1 Pergunta 2 Pergunta 3

Confesso que ainda em Através de processos Não temos como negar que a
algumas escolas o choque é formativos, encontros tecnologia faz parte do dia a dia
muito grande e posso garantir pedagógicos onde orientamos de nossos alunos. E isso impacta
diretamente na relação professor e
que a resistência permeia o aos professores, como e em
aluno tornando-a fortalecida.
cenário da educação em muitas quais atividades eles podem
escolas e por esta razão estar usando recursos que
dizemos que o desafio é possibilitem aos alunos melhor
grande. aquisição dos conteúdos.

Pergunta 4 Pergunta 5 Pergunta 6

Fazer uso da tecnologia na sala Na rede pública são muitos os A tecnologia passa a ser uma
de aula, a favor da desafios que vão desde a falta grande aliada do professor em
aprendizagem aguça de recursos para aquisição sala de aula e deve ser vista
a percepção dos alunos e desses equipamentos como como um instrumento que
10

possibilita a discussão dos também a abertura dos consolida o aprendizado do


temas das aulas. professores para aceitação aluno, mas o seu uso só será
dessas novidades tecnológicas. eficaz se for bem planejados,
com objetivos claros e
definidos.

Fonte: Elaborado pelos Autores (2018).

Por meio das respostas dadas pela coordenadora percebe-se que o mesmo conhece o processo
teórico e prático quanto ao uso das novas tecnologias a fim de que o trabalho do professor tenha
melhores resultados, as aulas sejam mais dinâmicas, os alunos sejam bem mais motivados e
receptivos ao aprendizado. É notório que o uso da tecnologia na sala de aula não traz apenas
vantagens apenas aos professores como também aos seus alunos como visto nas figuras deste
trabalho assim como os resultados da pesquisa nos provaram que está bem presente e vista como
ferramenta aliada no processo de aprendizagem desde que sejam muito conduzidas e apoiadas pela
coordenação pedagógica e gestão como um todo.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Por fim é importante se pensar que a tecnologia é sem sombras de dúvidas uma grande
aliada na educação contemporânea, possibilitando ao aluno diminuir as fronteiras, compartilhando
ideias e novos conhecimentos. Em nossos dias atuais a tecnologia que os hardwares oferecem é sem
dúvida algo muito admirável, porém para compreender a criação de tudo, temos que conhecer
alguns fatos que deram início a informática por essa razão foi importante na introdução dessa
pesquisa fazermos uma análise do breve histórico da tecnologia desde os períodos do homem
primitivo até os dias atuais. O presente artigo apresenta um enfoque sobre o uso das tecnologias de
informação e comunicação em sala de aula como estratégia metodológica para vencer o
tradicionalismo que ainda para muitos teóricos precisam ser vencidos e substituídos por métodos
mais eficazes que garantam melhores resultados no que se refere ao ensino-aprendizagem, e que
sem dúvida está sendo um desenvolvimento que veio para facilitar a vida de todos e contribuir no
processo pedagógico e consequentemente refletindo numa melhoria na qualidade da educação bem
como motivadores e dinâmicos para os alunos. Atualmente o computador está cada vez mais
acessível a um grande número de pessoas, porém ao mesmo tempo dizemos que inacessível e desta
forma a escola deve propiciar aos seus indivíduos a utilização e o aproveitamento desse recurso
para melhorar o seu desempenho. Não podemos falar da utilização da tecnologia da informática na
11

educação sem abordarmos a questão da aprendizagem por estarem associadas sendo consideradas
importantes para o processo sendo de grande relevância conduzida ao professor como uma
estratégia de ensino. A utilização das tecnologias de informação tem um papel relativo neste
processo tendo em vista ser apenas um instrumento que irá auxiliar na aprendizagem do aluno. É
importante salientar que não é a tecnologia que vai resolver ou solucionar o problema educacional
no Brasil, mas, poderá colaborar, no entanto, se for usada adequadamente, para o desenvolvimento
educacional de nossos alunos, porém é preciso bastante comprometimento dos educadores neste
processo se for bem planejado, com objetivos claros e definidos para enriquecer o processo de
aprendizagem e o desenvolvimento de habilidades dos estudantes.

REFERÊNCIAS

BABIN, Pierre e KOPULOUMDJIAN, Marie-France. Os novos modos de compreender; a


geração do audiovisual e do computador. São Paulo: Ed. Paulinas, 1989.

CADERNO CEDES, Campinas, vol. 25, n. 66, p. 185-207, maio/ago. 2005 Caderno de Geografia,
Belo Horizonte, v.14, n.23, p. 103-111, 2º sem.2004

ALMEIDA, M. E. Informática e Educação. Diretrizes para uma formação reflexiva de


professores. São Paulo. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação:
Supervisão e Currículo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1996.

ANDRADE, P. F. & LIMA, M. C. M. Projeto EDUCOM. Brasília: MEC/OEA, 1993.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais. Associados, 2001.

KENSKI, Vani Moreira. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da


informação. Campinas: Papirus, 2008. Sílvio César Otero-Garcia

LÉVY, Pierre. As tecnologias da Inteligência – O futuro do pensamento na era da informática. São


Paulo. Editora 34. Tradução de Carlos Irineu da Costa. 2004

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública- a pedagogia crítico-social dos


conteúdos. São Paulo: edições Loyola, 1990

SANCHO, Juana M. (org). Para uma tecnologia educacional. Porto Alegre: Artmed, 1998.