Você está na página 1de 16

1

Aqui iremos abordar pontos simples e práticos de


comoobtersucesso no treinamentodecriançasejovens
no futsal e futebol. Após a leitura, você será capaz de
desenvolver uma boa relação com seus atletas, pais e
familiares, e consequentemente atingirá resultados
satisfatórios em sua equipe.
Este é o primeiro e-book que a Ciência da bola
tem o prazer de compartilhar com você! Em breve
disponibilizaremos mais conteúdos para você se
tornar um excelente profissional.
Inscreva-se para receber nossos e-mails com
conteúdos e novidades.
2

OBJETIVOS DA FORMAÇÃO
O objetivo de uma escola de formação de base é a educação integral
dos atletas. Além dos treinamentos de Futsal e Futebol, os professores devem
inserir outras atividades esportivas com bola, envolvendo conteúdos de
esportes coletivos como, por exemplo, handebol, basquete, futevôlei e showbol,
com o propósito de aumentar o repertório motor do jovem atleta.

Os treinamentos devem ser orientados para o desenvolvimento das

habilidades táticas, técnicas, cognitivas e coordenativas, através de jogos

específicos, brincadeiras de rua e jogos pré-desportivos.

Além disso, deve se levar em conta que nesta fase, a criança e o

adolescente encontram no esporte a base para o convívio social, conceitos de

solidariedade, cooperação, respeito e disciplina. Cabe destacar que todo

trabalho pedagógico deve ser coordenado e supervisionado por um profissional

que domine conhecimentos da pedagogia, psicologia e fisiologia esportiva.


3

POR QUE TRABALHAR COM JOGOS REDUZIDOS NO


FUTEBOL E FUTSAL?

 Porque favorece a prática em espaço reduzido.

 O atleta tem maior contato com a bola.

 A prática é dinâmica e com regras adaptadas.

 Limites de tempo e espaço no controle e posse de bola.

 Alta velocidade de ações e chutes a gol.

 Favorece a tomada de decisão rápida.

 Favorece a rotatividade de posições.

 Maior motivação dos praticantes.

 Facilita a compreensão tática, o desenvolvimento da técnica, da


agilidade, da coordenação e da velocidade.

 Serve de base para a prática do futebol.

 É possível fazer uso de atividades diversificadas.


4

A seguir você vai conhecer 7 dicas de como ser um excelente


treinador de crianças e jovens. Importante aplicar todas as
dicas para obter um grande sucesso em sua equipe.
5

1
DEMONSTRE QUALIDADES DE UM
TREINADOR/PROFESSOR DE SUCESSO

 Atitudes sempre positivas.

 Objetivos bem claros e definidos.

 Ser determinado e inovador em suas ações.

 Saber ouvir e filtrar informações relevantes.

 Ter mente aberta, aceitar críticas e sugestões.

 Ter uma boa comunicação com pais e alunos.

 Saber lidar com pressões, “inteligência emocional”.

 Tomar boas decisões.

 Ter autocrítica.

 Saber incentivar e encorajar membros da equipe técnica e jogadores.

 Ser bom exemplo de conduta profissional e pessoal dentro e fora das


quadras.
6

2
TENHA UMA ATITUDE PROFISSIONAL
SEMPRE
 Tratar todos os alunos da mesma forma, sem nenhum tipo de benefício
ou preconceito.

 Encorajar o sentimento de união e coletividade em todos.

 Priorizar que as crianças e jovens se sintam seguras e encorajadas nos


treinos e jogos.

 Conquistar a confiança de todos os alunos.

 Sempre assumir que as crianças são crianças, e não atletas em


miniatura.

 Sempre adaptar equipamentos, materiais, tamanho do campo e


atividades de acordo com a idade das turmas.

 Não insistir apenas no aspecto competitivo, mas promover o ensino do


esporte e principalmente fazer o aluno a gostar de praticar o esporte.
7

3
DOMINE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
DA MODALIDADE

 O bom treinador deve entender sobre os fundamentos técnicos e táticos da


modalidade.

 Ter noções da parte física e fisiológica de crianças e adolescentes.

 Ter conhecimento sobre a psicologia e preparação mental.

 Ter conhecimento sobre nutrição e primeiros socorros.

 Ter conhecimento para aplicar metodologias específicas para cada idade.

 Ter consciência do nível de cada turma, categoria e jogador.

 Ter conhecimento dos níveis de desenvolvimento de crianças e


adolescentes.

 Entender o interesse e aspiração de cada aluno dentro do esporte.


8

4
EVITE CONDUTAS E COMPORTAMENTOS
NEGATIVOS

CONDUTAS A SEREM EVITADAS

Impaciência com os atletas.

Criticar, ser grosseiro, ou humilhar aluno perante o grupo.

Concentrar somente nos aspectos negativos.

Ser e estar confuso quanto às atividades do treino.

Interromper o treinamento a todo o momento sem deixar o aluno assimilar


o conteúdo de forma implícita.

Sempre repetir os mesmos exercícios.

Fazer atividades e exercícios repetitivos e por um longo período de tempo.

Falar o tempo todo, como se estivesse narrando o jogo para o atleta.


9

5
SAIBA ORGANIZAR E FAZER
INTERVENÇÕES DURANTE OS
TREINOS

Explicação

 Explicar os objetivos de todos os exercícios ou atividades.


 Explicar o papel de cada jogador dependendo da tarefa a ser executada.
 Explicar somente quando todos estiverem prestando atenção, não se
deve explicar enquanto os alunos estão conversando ou distraídos.

Demonstração
 Sempre demonstrar aquilo que se explica, sendo o próprio professor
ou algum aluno que tenha maior facilidade.
 Certificar de que não há nenhuma dúvida após a explicação da tarefa.

Observação

 Sempre observar a postura, os gestos, os movimentos e ações dos


alunos durante as atividades e exercícios propostos.
 A observação é importante no momento de identificar problemas e
sucessos na execução.
10

Motivação

 Sempre incentivar os atletas durante as atividades e


exercícios.
 Dar orientações breves, comandos motivadores, ex.: boa bola!,
bom passe!, isso, você foi bem!, vamos não pare!

Intervenção e Adaptação

 Sempre intervir no momento certo, nunca deixar para intervir após o


acontecimento.
 Instruir novamente ou retornar a explicar o exercício ou atividade de
forma mais clara.
 Revisar os pontos observados seja eles positivos ou negativos. Os
alunos gostam de feedbacks em todas as atividades.
 Para progredir com as atividades, o professor deve começar do menor
grau e ir evoluindo conforme assimilação pelos atletas.
11

6
SEMPRE ORGANIZE UMA SESSÃO DE
TREINO COM QUALIDADE

Pontos importantes:

 Sempre ter em mente o objetivo do treino em todas as vertentes


(técnico, tático, físico e psicológico).

 Levar em consideração o dia, a semana e o mês conforme


planejamento.

 Levar em consideração se o treino antecede ou procede de algum jogo.

 Certificar do número de jogadores que irão participar do treino.

 Priorizar uso de materiais adequados e uso de uniformes e


equipamentos de segurança por parte dos atletas.

 Certificar as condições climáticas para evitar problemas com


as atividades e atletas.
12

 Sempre equilibrar as equipes durante os treinamentos para evitar


desmotivação entre os adversários.

 Evitar largas diferenças no placar de jogo, sempre fazendo


alterações para equilibrar as equipes que se enfrentam.

Exercícios e Atividades

 Objetivos claros e bem específicos.

 Duração e intensidade condizentes com os objetivos e com a categoria


em questão.

 Ter em mente os pontos que merecem atenção durante o treino.

 Organizar o exercício de modo que todos os atletas participem de forma


ativa e dinâmica. Evite filas, atletas parados, distraídos ou
desmotivados.

 Progressão das atividades: sempre do mais fácil para o mais difícil.

 Preparar o campo, circuito de forma didática que proporcione fácil


compreensão, zelo pelos materiais e pela segurança de todos.

 Os materiais como bolas, cones, coletes, arcos, etc., devem ser


previamente calculados conforme ordem de atividades e número de
atletas de acordo com o objetivo do treino.
13

MODELO DE ORGANIZAÇÃO DE
UMA SESSÃO DE TREINO

Parte 2

Parte 3
14

7
COMPORTE-SE DE MANEIRA
INTELIGENTE DURANTE JOGOS

Durante a semana

 O treinador deve mobilizar os atletas para a partida sem cobranças pelo


resultado, e sim preparar a criança para a experiência de estar competindo,
valorizando a participação do grupo de forma saudável e competitiva.

Antes do jogo

 O treinador deve controlar o nível de ansiedade e nervosismo dos


atletas, sempre motivando para que joguem bem, sem pressão por resultados.
 Mais importante que a vitória, é o aluno entender que ele é capaz de se
motivar e de enfrentar situações adversas.

Durante o jogo

 Controlar as emoções pessoais evitando apresentar-se muito exaltado


ou pouco interessado no jogo.
 Dar orientações breves, com poucas palavras e em momentos exatos do lance.
 Somente cobrar do aluno durante os intervalos aquilo que realmente ele
sabe, ou seja, somente aquilo que ele aprendeu durante os treinos.
 Nunca ser grosseiro com um atleta por um erro, pelo contrário, sempre
motivar para que no próximo lance ele possa ter êxito.

Após o jogo

 Parabenizar a todos pelo esforço e demonstrar gratidão pelos atletas


terem participado do jogo, certificando que o mais importante é que todos se
divertiram e gostaram de competir.

 Ser honesto com todos sobre o que foi positivo durante o jogo e do que
foi negativo, com o intuito de todos compreenderem o que precisam melhorar.
 O feedback negativo deve ser dado de forma individualizada, assim o
aluno se sentirá mais confortável em aceitar as críticas.
15

AGORA É SUA VEZ, APLIQUE AS DICAS E SEJA UM


TREINADOR DE SUCESSO NA CATEGORIA DE BASE!

Professor João Vítor de Assis é Mestre em Educação


Física e treinador de Futsal há 10 anos. Coordena a Escola de
Futsal Galaxy, e neste e-book compartilha com você um pouco do
conhecimento adquirido na teoria, através do meio acadêmico e a
experiência prática ao trabalhar com crianças e jovens na última
década. www.escolinhagalaxy.com

Espero que este e-book possa contribuir para o


sucesso em sua carreira!

Você pode: distribuir, imprimir, compartilhar por e-mail


ou citar em seu site ou blog, desde que o conteúdo não
seja alterado e que a fonte original seja citada.

Escrito por João Vítor de Assis (2018)


Ciência da Bola
Brasil