Você está na página 1de 19

FOCUS

ESCOLA DE FOTOGRAFIA

POSES E DIREÇÃO DE MODELOS

KAREN LYNNE DEJEAN

Relatório apresentado como parte das


exigências para conclusão do Módulo 3
do curso de Fotografia.

Joinville, SC

Agosto de 2017
Para quem gosta de fotografar retratos e pessoas, é de extrema importância
que se saiba como dirigir um modelo durante o ensaio fotográfico, pois não é de
grande valia ter uma boa câmera, saber todas as técnicas de luz, de profundidade,
de temperatura, de composição, de direção de arte, se não souber como dirigir o
modelo.

A fotografia de moda, especificamente, nunca é feita por apenas uma pessoa,


o trabalho é feito em equipe: o fotógrafo tem as habilidades com a câmera, o olhar
fotográfico, o profissionalismo. Os produtores e maquiadores vão preparar a modelo
para o tipo de ensaio específico. E a modelo, com toda a sua maestria e habilidade,
irá transmitir a essência da fotografia.

Porém, como fotógrafo no set, é dele o trabalho de tirar o máximo proveito de


seus modelos - para que eles se sintam confortáveis e ajude-os a ajudá-lo a
alcançar sua visão. Ele sempre deverá reservar um tempo para construir um
relacionamento com seus modelos; e quando for alguém com pouca experiência,
não se deve hesitar em levar alguns minutos para sentar-se lá e conversar com ele /
ela sobre vida, carreira, família, esperanças, sonhos e medos.

A capacidade de dirigir modelos (qualquer modelo) é a chave para qualquer


projeto visual. Pode-se ter a melhor localização, estilo e configuração de iluminação,
mas se não houver algum tipo de emoção no rosto do modelo, tudo será por nada. A
missão do fotógrafo não é apenas pressionar um botão, mas também ser um diretor.

Existem maneiras diversas de abordar modelos. Alguns fotógrafos os


ignoram, alguns gritam, alguns engatam em conversas e alguns seduzem. Tudo
depende de quem são e de que tipo de imagem eles querem. Em alguns sets de alta
moda, os fotógrafos nem sequer falam com seus modelos; eles simplesmente se
sentam em uma cadeira, recebem um controle remoto para a câmera e dão um sinal
de cabeça para indicar que o show está prestes a começar. Estes fotógrafos são
mais frequentemente os dinossauros presos na década de oitenta ou divas criativas,
porém eles trabalham com os melhores modelos que existem. Ou seja, eles podem
se dar o luxo de ter esse tipo de comportamento. Os modelos profissionais não
precisam de muita direção; eles conhecem seus corpos, as poses que os que
representam melhor e como mostrar as roupas com as quais são vestidos.
No entanto, a maioria dos modelos realmente precisa de direção quanto ao
que se espera deles e quanto ao projeto. Ao trabalhar com modelos amadores, isso
é ainda mais crucial.

Figura 1: Exemplo de estúdio com ensaio fotográfico de moda.

Assim como existem diferentes tipos de fotógrafos, existem diferentes tipos de


modelos. Cada modelo é único, e se ele ou ela é um profissional não importa. É
essencial fazer perguntas sobre quem eles são e ver se eles têm um senso de
humor e, o mais importante, é preciso mostrar o que se quer fazer e por que eles
foram escolhidos. Alguns elogios são sempre bem-vindos para um bom começo,
fazendo com que eles se sintam especiais. E sim, tudo isso pode ser feito em alguns
minutos para que você possa voltar para a configuração da luz intrincada que bolou
e brincar com o flash recém-adquirido.

É preciso cuidar das necessidades da modelo: comida, bebidas, chinelos


confortáveis e roupões de banho limpos para quando estão maquiando o rosto ou
trocando a roupa. Se demonstrar que se preocupa com o bem-estar dos modelos,
eles irão se dedicar ainda mais ao ensaio. Tenha sempre a iluminação, as poses e a
localização antecipadamente prontas. Seu modelo já se sentirá nervoso e
vulnerável. Sujeitando-os a testes de iluminação e à sua incerteza só vai fazer com
que eles se sintam pior.

Fotografar alguém é como uma dança. O fotógrafo lidera, o modelo segue. Se


você quer fazê-los rir, comece a rir. Se você deseja que as pessoas fotografadas
aparentem e sintam-se relaxadas, você deve aparentar e se sentir relaxado também.
Pode-se usar música para ajudá-lo, se necessário, mas se o modelo ficar distraído
por isso, desligue. Se eles são super-tímidos, é aconselhável pedir ao resto da
equipe para deixar o set durante as primeiras fotos, até que eles se sintam
confortáveis. O nome de uma pessoa é algo pessoal e o aproxima emocionalmente,
então lembre-se de usá-lo com freqüência. Não toque no modelo, a menos que
tenha solicitado e obtido permissão. Um ótimo fotógrafo deve saber falar com seus
modelos e fazê-los sentir-se à vontade, confiantes e relaxados.

Com alguns modelos, é ótimo mostrar-lhes o que funciona e o que não;


quando eles entendem, ficam entusiasmados. Se possível, faça uma breve edição
das fotos na tela do seu laptop com eles. O modelo é o seu parceiro por um dia, sua
tela, a expressão física de sua criatividade; o que eles lhe dão é o seu resultado
final. Se eles não conseguirem entregá-lo, a culpa é muito provavelmente sua: ou
não os escolheu com sabedoria, ou não conseguiu dirigi-los. Proteger seu
relacionamento com eles é uma das coisas mais importantes em um set.

Uma das coisas mais sábias para um fotógrafo fazer é praticar a postura ele
mesmo, para saber quais posições vão lisonjear um corpo e quais são as formas
que parecem boas em ângulos diferentes. Ou então ser modelo para outro fotógrafo
e experimentar o que é ser dirigido por outra pessoa. Após isto, será capaz de
explicar a pose de maneiras diferentes. Pode-se também fazer a pose para os
modelos ou mostrar-lhes o que deseja, explicando ao mesmo tempo. E então, pode-
se pedir que o modelo faça a pose antes de começar a fotografar.

Esta não é só a maneira mais rápida e eficiente de posicionar corretamente


um modelo numa pose, como também ajuda a criar um ambiente de trabalho
agradável no estúdio. Uma vez que o modelo sabe o quão boa a pose ficou (e
percebe que não está fazendo papel de bobo), ele se sentirá muito mais confortável
em fazer o que se pede.
Dê um feedback positivo quando o modelo estiver fazendo a coisa certa. É o
reforço positivo clássico, mas funciona. Ignore o que for ruim e elogie o que está
bom. Falar com o modelo irá mantê-los relaxados para que ele não se preocupe com
o que você está pensando por trás da câmera (porque é exatamente isso com que
eles estão se preocupando).

Figura 2: O diálogo com o modelo no estúdio é de suma importância.

Um fotógrafo deve sempre lembrar que tudo o que pensamos é refletido em


nossos olhos. Mesmo que você tenha tudo certo: a pose, a iluminação e a
localização; um sorriso não sincero, ou olhos que não apresentam emoção, podem
arruinar qualquer foto.

Tirar expressões naturais de um modelo pode ser uma coisa complicada, e a


maior parte da luta cabe ao fotógrafo. Pode ser fácil confiar apenas no
posicionamento do modelo em determinada pose (na qual pode faltar emoção) em
vez de confiar em um modelo com um personagem que queremos ver e permitir que
eles o façam por conta própria. O fotógrafo poderá dar-lhes um personagem, uma
cena e encorajá-los enquanto eles o fazem. Há técnicas de visualização que podem
ser usadas a fim de se conseguir as expressões faciais e corporais desejadas,
como, por exemplo, imaginar: o destino de férias favorito, o cenário de trabalho dos
sonhos, encontrar um ídolo.

Na Direção de Modelo, sinteticamente, deve-se:

1 - SABER exatamente o que queremos que a modelo transmita;

2 - CONHECER como desenvolver esta comunicação por meio da expressão


corporal;

3 - CONSEGUIR a expressão desejada do modelo.

São três os elementos principais da linguagem corporal, que deverá ser


´´lida´´ pelo fotógrafo:

- Quantidade e posição das partes expostas do corpo;

- Posição da cabeça;

- Direção do olhar.

Deve-se levar em conta qual sentimento as posições da cabeça do modelo


podem inferir:

Reta: encarar a outra pessoa em um plano de paridade.

Levantada: sugere sentimento de superioridade.

Abaixada: indica sentimento de submissão.

Inclinada lateralmente: mostra desejo de agradar.

Já a direção do olhar produz um elemento fundamental na comunicação


corporal, podendo ser dividido em duas partes:

Ausência de contato ocular:

A pessoa não está olhando para o expectador. Essa situação cria o menor
nível de tensão, pois torna os expectadores observadores despercebidos. Junto com
esta condição de tranqüilidade se instaura uma prazerosa sensação de voyeurismo.
Dependendo da direção do olhar e da expressão do rosto da modelo,
podemos caracterizar uma atitude. Alguns exemplos:

Reflexiva, intimista: olhar longe e expressão sonhadora;

Descontraída: olhar focalizado em um objeto e expressão atenta;

Concentrada: olhar focalizado em um objeto e expressão concentrada.

Figura 3: Exemplo de ausência de contato visual.

O contato visual estabelecido pode ter uma função convidativa, agressiva,


exploradora.
Figura 4: Exemplo de contato visual estabelecido.

No quesito Enquadramento, é importante saber em qual ponto pode-se


cortar uma foto sem deixar a imagem com um aspecto estranho, parecendo que
alguma coisa está faltando, há abaixo um diagrama que nos permite entender
melhor os lugares que são possíveis cortar uma imagem.
Figura 5: Cortes de enquadramento.

Os riscos verdes são os locais onde é possível fazer cortes e a foto se


apresentará natural; entretanto, os riscos vermelhos mostram as regiões que,
quando cortadas, criam uma aparência estranha na foto.

Qualquer fotógrafo pode ficar sem ideias, criatividade, ou simplesmente


precisar de uma orientação para fazer um ensaio fotográfico adequado em relação
às poses, para isso, há as “colas de poses”. São muitos os fotógrafos profissionais
que usam esta técnica de cola para se preparar antes, ou até mesmo durante o
ensaio fotográfico. As poses a seguir são apenas para referência, pois dependerão
do tipo de ensaio. É desejável começar com uma foto simples. Peça para o modelo
olhar sobre o ombro, tirando fotos em diferentes ângulos!
Nas fotos de retrato, as mãos não costumam aparecer muito. Mas, pode-se
ser criativo, pedindo para a modelo brincar com as mãos, tentando posições
diferentes em torno da sua cabeça ou rosto.

Lembre-se de usar as regras de composição. Efeitos agradáveis durante um


ensaio fotográfico feminino podem ser alcançados, usando as diagonais. Nada muito
exagerado, é preciso que seja uniforme e não ter medo de inclinar um pouco a
câmera.

A segui, uma sugestão de pose muito agradável e encantadora durante o


ensaio. A modelo deve tocar nos joelhos, e o fotógrafo deve fotografar um pouco
acima.
Outra pose convidativa com a modelo deitada no chão. É interessante
fotografar na mesma altura dos olhos da mesma.

Uma variação da pose anterior. As mãos poderiam estar no chão também.


Essa pose funciona bem em ensaios ao ar livre, na grama ou em folhagens, por
exemplo.
Uma pose que parece ser básica, mas que fica bastante bonita. É preciso
fotografar quase na altura do solo e, aos poucos, mover-se em torno da modelo,
pedindo para ela ir mudando a posição da cabeça, e das mãos.

Uma pose muito bonita e fácil para a modelo, que fica sentada no chão, é
esta abaixo:
Outra pose simples e amigável para uma modelo sentada no chão. Pode-se
experimentar diferentes direções e ângulos.

Uma ótima maneira de mostrar a beleza do corpo de uma mulher é com a


pose a seguir. Funciona muito bem como uma silhueta, ao fotografar contra um
fundo brilhante.
Abaixo, uma pose simples e casual. Muitas variações são possíveis. Pede-se
que a modelo vire seu corpo e experimente com as mãos na cabeça e na cintura.

Outra pose muito simples e elegante. A modelo é ligeiramente virada para o


lado, com as mãos nos bolsos traseiros.
Uma pose sensual. Ao segurar as mãos acima da cabeça, as curvas do
corpo são enfatizadas.

Várias variações são possíveis para posar em pé. Esta pose a seguir é
apenas o ponto de partida. Peça para a modelo virar um pouquinho seu corpo,
mudar o posicionamento para o lado, mudar a cabeça e os olhos de direção.
Uma pose tranquila para a modelo em pé, e apoiando as costas contra uma
parede. Lembre-se que a modelo pode usar uma parede não só para apoiar as
costas, mas para colocar as mãos também, ou descansando uma perna contra ela.

As poses em pé funcionam muito bem para corpos magros. Na pose abaixo, o


corpo deve ser arqueado em forma de S, as mãos devem estar relaxadas, enquanto
o peso encontra apoio em apenas uma perna.
A seguir, uma pose absolutamente romântica e delicada. Qualquer tipo de
tecido pode ser usado. A parte de trás não necessita estar completamente vazia. Às
vezes, tão pouco quanto um ombro nu poderá funcionar muito bem.

Cada uma destas poses destina-se a ser apenas um ponto de partida e tem
variações infinitas. Basta ser criativo e ajustar a pose quando for necessário; por
exemplo, experimentar diferentes ângulos e pedir para a modelo mude a posição
das mãos, da cabeça e do olhar.

REFERÊNCIAS:
LEITE, ENIO. Fotografia Digital: aprendendo a fotografar com qualidade. São
Paulo: Ed. Viena, 2017.

https://petapixel.com/2016/11/30/direct-young-inexperienced-model-photo-shoot/

https://fstoppers.com/fashion/secret-directing-models-dos-and-donts-you-need-know-
photographer-110364

https://digital-photography-school.com/10-ways-to-direct-a-portrait-shoot-like-a-pro/

http://bensasso.com/blog/shoot-tips-dont-pose-direct/
http://fotografiadicas.com.br/como-dirigir-o-modelo-em-um-ensaio-fotografico/

https://www.fotografia-dg.com/dicas-para-posar-para-um-ensaio-fotografico/

http://iphotochannel.com.br/dicas-de-fotografia/dicas-para-modelos-iniciantes

http://fotografianinja.com.br/ensaio-fotografico-feminino/