Você está na página 1de 2

31

Método Simplificado de Cálculo


B.1 Método da Isotérmica dos 500 ºC
B1.1 -. Princípios e Campo de Aplicação
1. Este método aplica-se a elementos expostos ao incêndio padrão ou a qualquer outro
regime de aquecimento, que provoque um campo de temperaturas semelhante. Outro
regime térmico que não cumpra este critério necessita de uma análise mais detalhada deste
processo e que tome em conta as propriedades mecânicas do Betão em função da
temperatura.

2. Este método é válido para secções com uma largura mínima dada pela Tabela B1
a) para resistência ao fogo em função do incêndio padrão
b) para curvas de incêndio paramétrico com um factor de abertura O≥0,14 m1/2 (ver
EN1991-1-2 Anexo A)

3. O método de cálculo simplificado consiste na redução da dimensão da secção transversal


devido à zona de betão danificada pelo calor. A espessura da zona danificada de betão,
a500 é feita igual à profundidade média da isotérmica dos 500 ºC na zona de compressão
da secção transversal.

4. A dimensão da zona de betão danificada é igual à zona de betão em que as temperaturas


são superiores a 500 ºC, considera-se que esta zona danificada não contribuí para a
capacidade resistente à carga do elemento, enquanto a restante parte do betão da secção
transversal se assume como mantendo as propriedades mecânicas iniciais, (tensão de
rotura e módulo de elasticidade).

5. Para uma secção transversal rectangular exposta ao fogo por três lados, a secção
transversal efectiva será calculada de acordo com a Figura B.1.

B.1.2 - Processos de cálculo para secções transversais de betão armado,


sujeitas a momento flector e esforço normal
1. Com base na redução da secção transversal, o processo para o cálculo da resistência duma
secção transversal de betão armado em situação de incêndio pode seguir os passos
seguintes:

32