Você está na página 1de 3

Almeida Garrett

Biografia

Almeida Garrett foi um poeta, romancista, jornalista, parlamentar,


soldado, ministro e fundador do Conservatório de Teatro.
Nasceu no Porto, em 4 de fevereiro de 1799 e morreu em Lisboa em
dezembro de 1854, com 55 anos.
.Em Portugal, tal como nos Estados Unidos e em França, surgiram novos
regimes políticos inspirados nos ideais iluministas de “liberdade, igualdade
e fraternidade” entre todos os homens. O liberalismo começou a ganhar
terreno em Portugal quando o regime absolutista do antigo regime entrou
em crise. A descrença neste regime político passava pela propagação na
Europa da ideologia revolucionária francesa, desde o final do sec. 18.

.A primeira metade do século XIX em Portugal é marcada sobretudo pela


instabilidade poli ́tica em forma da luta entre os Liberais e Absolutistas.

Em resumo, a Revolução Francesa conseguiu alterar o quadro poli ́tico e


social na França, tinha enorme influência nos outros pai ́ses europeus, e
por isso é considerada como o acontecimento inicial da Idade
Contemporânea em que se forma democracia moderna.

As primeiras ideias liberais em Portugal então apareceram no tempo das


Invasõ es Francesas. Nos ci ́rculos intelectuais e progressistas da sociedade
portuguesa eram bem vindas como portadores das ideias revolucionárias
e libertadoras, mas o povo revoltava se. O patriotismo, nesta altura,
identificavase com o antiliberalismo e tradicionalismo católico, qualquer
tendência progressista era considerada como antinacional.

A passagem dos séculos XVIII e XIX, em Portugal, representa o ini ́cio


dapenetração das ideias novas e revolucionárias no antigo regime. A corte
real permanece oficialmente no poder mas com a fuga para o Brasil
abandona a sua terra à sua própria sorte. Na época militante,
desafortunada para Portugal, mas inicial para as mudanças importantes
que se seguem, o nosso escritor investigado nasce e cresce numa
atmosfera clássica e religiosa ainda do «antigo regime».

A infância de João Baptista decorria no Porto e como filho de pais


burgueses cresceu num meio bem situado e tradicionalista. Por altura das
Invasõ es Francesas, a sua fami ́lia foi obrigada a emigrar para os Açores,
ilha Terceira. Podemos dizer que a personalidade de Almeida Garrett, já
desde a infância, parecia transportar consigo o estigma do exi ́lio. Na
Terceira viviam parentes influentes, entre os quais um tio eclesiástico – D.
Frei Alexandre da Sagrada Fami ́lia que se ocupou pessoalmente da
educação do jovem Garrett. Assim, junto ao tio bispo, Garrett recebeu
uma formação clássica e humani ́stica. Estudou os clássicos, a Antiguidade,
a história sagrada e a retórica. Retomava também conhecimentos da
leitura dos clássicos modernos europeus.
É evidente que nesta precoce época juvenil tinha aprendido a base firma
dos valores éticos, a quais permanecia fiel em toda a vida. O forte sentido
de justiça, de patriotismo e o interesse em desenvolvimento da sociedade
e cultura portuguesas foram comprovados mais tarde com a sua imensa
actividade pública, dramática, jornali ́stica, poli ́tica, diplomática e literária.

O jovem Garrett matriculou-se, em 1816, na Universidade de Coimbra,


onde tomou consciência política começando a escrever os seus primeiros
poemas com caracteres neoclássicos.

Enquanto em Portugal já havia uma situação politicamente insuportável


por causa da ausência da Fami ́lia Real, acompanhada com a decadência
grave da cultura, o Rei de Portugal organizou no Brasil, em 1818, grandes
festejos culminados na cerimónia da sua coroação. Sendo objectivo
sobretudo o reforçamento do poder absoluto e do patriotismo imperial de
toda a Monarquia,

No ano de 1820, o Pai ́s passou por uma crise em todos os planos da vida
nacional: a crise poli ́tica aumentada pela crise ideológica que nasceu da
progressiva difusão do movimento liberal nas cidades, crise económica,
como o resultado da emancipação do Brasil, e a crise militar, causada pela
presença dos oficiais ingleses nos altos postos do exército português.

Em 1921 conclui a Licenciatura e em 1822 foi nomeado secretário


particular de Silva Carvalho (secretário de estado dos negócios do Reino).

Em 1822 casa-se com Luísa Midosi (acaba por se separar).

Em 1923, Garrett segue para o exílio na Inglaterra devido à sua


participação na Revolução Liberal do Porto e, em 1824, parte para França
e influenciado por Shakespeare, começa a escrever poemas dentro de um
novo estilo. Em Paris, publica, juntamente com Alexandre Herculano
(escritor, historiador e jornalista português, um dos principais autores do
Romantismo em Portugal)“Camões”, um marco inicial do Romantismo
português e “D. Branca”.

Em 1832 regressa a Portugal.

Em 1838, apaixona-se por Adelaide Pastor, acabando por terem uma filha.

Incentivador do teatro romântico português, desperta, através dele, o


sentimento de patriotismo e o gosto pelos momentos marcantes da
história nacional. A partir de 1838, desenvolve uma campanha a favor da
edificação do Teatro Nacional D. Maria II e a criação do Conservatório de
Arte Dramática.

Obras que se destacam: “Um Auto de Gil Vicente”; “O Alfageme de


Santarém”; “Frei Luís de Sousa” e “D; Filipa de Vilhena”.

Almeida Garrett viveu intensa vida política, foi eleito deputado em 1845.
Em 1851 foi nomeado sucessivamente para a redação das instruções ao
projeto de lei eleitoral e para a comissão de reforma da Academia de
Ciências e em 1852 tornou-se Ministro dos Negócios Estrangeiros.

Interesses relacionados