Você está na página 1de 19

AULA 1: A MENSAGEM DO EVANGELHO (parte 1)

Nossa jornada rumo à LE começa no Evangelho, porque é o Evangelho é principal


“nutriente” para tudo o mais frutificar: nosso caráter, valores, serviço, ministério
1. costumamos ver EV como mensagem para não cristãos
a. porta de entrada da vida cristã
2. daí em diante, temas avançados
3. mas EV não é UMA, e sim A MENSAGEM cristã
a. o centro, o coração e o poder da vida cristã
b. não é só pra não-cristãos
c. mas poder para transformar e amadurecer os cristãos
5. a verdadeira LE flui de uma vida transformada pelo EV
6. disso falará essa 2º parte do curso
7. para nos ajudar, “Igreja Centrada”

(slide) Capítulo lido mostra: “Evangelho” não é uma palavra que pode ser aplicada a
qualquer coisa cristã. O Evangelho se refere a uma mensagem única que nunca muda
Gl 1:6-8: “Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele
que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho que, na realidade, não é
o evangelho. O que ocorre é que algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter
o evangelho de Cristo. Mas ainda que nós ou um anjo do céu pregue um evangelho diferente
daquele que lhes pregamos, que seja amaldiçoado!”
1. o Evangelho é uma NOTÍCIA sobre o que Jesus já fez
a. não é um “estilo de vida” ou algo que fazemos
b. o Evangelho é uma notícia sobre a obra de Jesus pelo mundo
c. algo que já foi totalmente realizado
d. e agora precisa ser crido por cada pessoa

1. Deus criou todas as coisas perfeitamente, e nós como sua I&S


2. mas então pecamos e nos separamos dEle
a. quebramos Sua Lei e vontade
(a) separados de Deus, (b) uns dos outros, (c) de nós mesmos,
b. estamos debaixo de Seu justo juízo e ira
c. escravos da morte, da culpa, da alienação
3. mas Deus faz algo para mudar essa situação e nos reconciliar e resgatar
a. envia Jesus como sacrifício em nosso lugar
b. na cruz, absorve toda maldição que era nossa
c. e assim, nos livra do poder dela
4. agora Deus chama para olhar para Cristo e receber a salvação que ele conquistou
a. o meio pra obter salvação não é fazer algo
b. fazer por merecer, tentar conquistar ou convencer Deus
c. salvação é dada por GRAÇA e recebida por FÉ
d. não conseguimos merecer nem 1% dela!
e. assim, não sou salvo/reconciliado/resgatado por algo que fiz ou faço
f. não importa quem seja, o que fez ou o que está fazendo
g. pela fé total em Jesus, recebemos o que ele conquistou

Essa é a “boa notícia”, o Evangelho: Deus nos salva quando ainda somos pecadores!
Ele nos resgata de nossa maldição para nos levar de volta à Sua ideia original
1. e a obra de Jesus não é só POR NÓS, individualmente
2. mas para resgatar TODA a Criação da maldição do pecado
3. por sua morte e ressurreição, está restaurando todo o mundo
a. de todos os efeitos e frutos da Queda
4. e essa salvação não será só futura
5. mas pode ser experimentada HOJE
a. nova relação com Deus: Seus filhos
b. nova relação com outros: amor
c. nova relação conosco: vida emocional e psicológica
6. resumo: não podíamos fazer nada sobre nossa condição
7. então Deus criou um meio por Jesus
8. e agora nos chama a nos arrepender da antiga vida e crer

AULA 2: A MENSAGEM DO EVANGELHO (parte 2)


Quando cremos no Evangelho então algo acontece: somos transportados para outro
Reino (Cl 1.13) e recebemos nova vida (Rm 6.4). Absolutamente TUDO muda em nós
1. quem crê no Evangelho tem vida transformada (Ef 2.8-9)
2. e passa a viver uma vida totalmente diferente
3. marcada por boas obras (Ef 2.10)
(a) valores, (b) relacionamentos, (c) caráter, (d) generosidade com pobres
3. mas não são as boas obras que nos salvam
4. mas porque somos salvos, fazemos boas obras
a. a ordem dos fatores aqui importa
5. o Evangelho, portanto, dá inúmeros frutos
6. mas nenhum desses frutos É o Evangelho
(a) “Evangelho” não é algo que fazemos, (b) não é ajudar os pobres
(c) não é fazer missões, (d) não é servir a sociedade
7. tudo isso é bom e correto, e tudo é resultado do Evangelho
8. mas “Evangelho” diz respeito ao que Jesus fez
a. 1º resolvendo nosso problema interior
b. e nos transformando para vivermos vida transformada
9. não podemos jamais perder isso de vista
OS TRÊS CAMINHOS
Assim, mensagem do Evangelho contradiz dois caminhos que a princípio parecem
muito diferentes, mas são igualmente errados: religião e irreligião
1. irreligião: não estamos sob condenação; logo, não precisamos ser salvos
a. não leva a sério a condição humana caída
b. não leva a sério nossa distância de Deus
2. religião: podemos ser salvos tendo uma vida boa e santa
a. acredita que podemos nos tornar aceitáveis pra Deus
b. acredita que podemos atrair o amor/bondade dEle
3. Evangelho: não podemos nos salvar, mas Deus nos salva sozinho, por graça
a. não há nenhum mérito ou crédito da nossa parte
b. não há “mude de vida para ser salvo”
c. “faça isso para receber a Jesus”
d. há fé nele, e então uma mudança de coração
e. que nos leva a ter uma vida transformada
f. Não pregamos, portanto, moralismo, pois Evangelho não é isso
g. quem crê tem vida moral diferente, mas não é o que leva a Deus

AULA 3: A LÓGICA DO EVANGELHO


Mostramos que EV difere tanto da religião quanto da irreligião. Vamos nos aprofundar
nessa ideia, que é absolutamente importante também para os cristãos no dia a dia
1. porque muitos receberam a salvação pela fé
2. mas vivem no dia a dia pela religião ou irreligião
3. não têm vidas de fato MOLDADAS diariamente pelo EV

(slide) A lógica religiosa/moralista: há tentação de vivermos nessa lógica, onde há


uma busca por VERDADE, mas sem conta com a GRAÇA de Deus. Na prática, é...
(a) buscar ser santo, puro e como Jesus, (b) buscar fazer boas obras
(c) buscar maturidade e crescimento
1. mas sem depender da graça e do poder do ES
2. crendo só na própria decisão, força e boas intenções
a. se vai mal: desânimo, cansaço, estafa, culpa, opressão
b. se vai “bem”: orgulho, julgamento dos outros, falta de amor

(slide) Lógica irreligiosa/relativista: mas se como cristãos, vivermos sob essa lógica,
então aceitaremos a GRAÇA, mas sem a VERDADE. Na prática, é..
a. “porque Deus já me aceita, posso viver como quiser”
b. “eu não sou perfeito mesmo, não preciso mudar”
c. não há crescimento, maturidade, santidade, serviço, devoção...
1. não entendeu o PROPÓSITO da salvação
Ef 2.10: um povo santo, puro e cheio de boas obras
2. vida, pensamentos e comportamentos transformados
3. pessoa assim jamais experimentará a alegria e plenitude
4. nunca desfrutará leveza, sabedoria e bondade da vida santa

(slide) Como evitamos as duas tentações diárias da vida cristã? Lembrando que Jesus
era “cheio de graça e verdade” (Jo 1.14), pois não há contradição entre uma e outra
(a) verdade sem graça não é verdade, (b) e graça sem verdade não é graça
1. se minimizarmos uma das duas, cairemos em grave erro
(a) ou o legalismo religioso, (b) ou a licenciosidade irreligiosa
2. nos dois, a alegria, poder e plenitude do Evangelho são roubados
3. precisamos fugir desses dois caminhos
4. e moldar nossa vida à verdade do Evangelho

Viver segundo EV é compreender de forma cada vez mais profunda e real duas
verdades fundamentais que nos mantém no “equilíbrio”:
1. compreensão cada vez mais profunda de SEU PECADO
a. percebe cada vez mais seus vícios
b. falta de fé, inveja, orgulho, justiça própria
2. compreensão cada vez mais profunda da GRAÇA DE DEUS
a. seu perdão, amor, bondade
3. são essas duas verdades que devem nos guiar
a. “Sou mais pecador e imperfeito do que jamais ousei acreditar”
b. “Sou mais aceito e amado do que jamais ousei esperar”
4. isso resulta em uma vida equilibrada e plena
a. cheia de alegria, senso de pertencimento e segurança serviço, sacrifício
b. mas também humildade, dependência e buscam santidade
5. e esse é o caminho para a LE
6. uma vida moldada e equilibrada pela verdade do EV

Ter o coração sempre renovado com essas verdades de modo real (não só
intelectualmente, mas emocional e psicologicamente) nos fará ter novo tipo de vida
1. é por isso que precisamos do Evangelho todos os dias
2. é ele quem nos conduzirá a uma vida plena
3. é ele que nos fará verdadeiros LE
AULA 4: O EVANGELHO TRANSFORMA TUDO! (pt 1)
A partir de agora começaremos a ver como aplicar a lógica do EV transforma a vida
do cristão NA PRÁTICA, no dia a dia, influenciando TODAS as coisas
a. não é só a mensagem para salvação
b. não fala apenas de perdão dos pecados
c. mas é a mensagem que transforma CADA ÁREA DA VIDA!

As cartas do NT são, em sua maioria, pastorais: elas são cartas de líderes/pastores


lidando com uma diversidade de problemas nas várias igrejas do séc. I
1. imoralidade, idolatria, preguiça, falta de amor...
2. mas há um padrão na forma de lidar com TUDO isso
a. 1º, sempre há uma explicação do Evangelho
b. 2º, há uma aplicação do Evangelho àquele problema específico
3. não resolviam só dizendo “isso é certo, isso é errado”
a. “se esforcem para fazer isso porque Deus mandou”
b. “aja assim porque é o que cristãos fazem”
c. isso é viver segundo a Lei, e não leva à obediência
(a) Rm 1-11 é exposição do Evangelho; (b) 12.1: “portanto, vivam assim”
(b) Ef 1-4: planos cósmicos de Deus; (b) 4.25: “portanto, falem a verdade”
4. a santificação sempre era uma CONSEQUÊNCIA/APLICAÇÃO do Evangelho
5. se queremos corrigir áreas da vida, precisamos do EV
6. não adianta tentar curar e corrigir por meio da Lei
7. só EV pode nos mudar de dentro para fora
(a) motivações, (b) comportamentos, (c) valores, (d) hábitos
1. “evangelho é o poder de Deus” (Rm 1.16)
2. não só pra salvação, mas pra cada área da vida

Isso significa que para falar de sexo, honestidade nos negócios, prioridades, liderança
e TODOS os temas da vida nós precisamos passar primeiro pelo Evangelho
a. ao invés de apenas dizer o que é bom
b. ao invés de apenas dizer o que é correto
c. ao invés de apenas dizer o que é santo

OBEDECENDO PELA LEI


Vamos a um exemplo prático: “trate bem a sua esposa/marido”
1. conselho bom e correto, certo?
2. mas ele tem um problema: ele é uma ordem EXTERNA
3. ou, como NT chama, ele é “Lei”
4. não há nada errado com a ordem/Lei
5. o problema é nosso coração e capacidade de obedecer! (Rm 7.10-14)
Romanos 7.10-14: “Descobri que o próprio mandamento, destinado a produzir vida,
na verdade produziu morte. 11 Pois o pecado, aproveitando a oportunidade dada pelo mandamento,
enganou-me e por meio do mandamento me matou. 12 De fato a lei é santa, e o mandamento é santo,
justo e bom. 13 E então, o que é bom se tornou em morte para mim? De maneira nenhuma! Mas, para
que o pecado se mostrasse como pecado, ele produziu morte em mim por meio do que era bom, de
modo que por meio do mandamento ele se mostrasse extremamente pecaminoso. 14 Sabemos que a
lei é espiritual; eu, contudo, não o sou, pois fui vendido como escravo ao pecado”
6. o conselho, apesar de bom, tem suas limitações

a. A intenção da obediência
Porque pregamos “trate bem sua esposa?”. Por INÚMERAS razões
(a) para ter ambiente melhor em casa, (b) para ela te perturbar menos
(c) porque Deus se agrada disso, (d) para não ser como famílias briguentas
1. motivações envolvidas aqui:
(a) medo de ser castigado por Deus, (b) evitar problemas em casa
(c) orgulho, pois tem medo de ser malvisto por outras famílias
2. todas essas motivações são centradas no “eu”
3. e todas refletem a ideia básica “para se dar bem, faça a coisa certa”
4. essas motivações dão COMPORTAMENTO corretos
5. mas na verdade, está estimulando o EGOÍSMO delas
6. a Lei não nos faz obedecer por amor e gratidão a Deus
7. mas buscando benefício, conforto e bem próprios

b. A profundidade da obediência
A frase “trate bem sua esposa” busca mudar comportamento, mas não o coração.
Trata a febre, mas não a razão da doença. Ou seja: não há mudança permanente
1. o pastor “desce a lenha” nos cônjuges
2. todos saem do culto convencidos a mudar
3. por um tempo, conseguem obedecer
4. mas sob pressão, tensão, discussão, voltam ao normal
5. porque? Porque a Lei não consegue TRANSFORMAR quem somos
6. é como dobrar pedaço de metal pela força
(a) exige MUITO esforço, (b) pode voltar à sua forma original
7. por isso Paulo diz em Rm 7.21-23: “Assim, encontro esta lei que atua em mim:
Quando quero fazer o bem, o mal está junto a mim. Pois, no íntimo do meu ser tenho prazer na lei de
Deus; mas vejo outra lei atuando nos membros do meu corpo, guerreando contra a lei da minha
mente, tornando-me prisioneiro da lei do pecado que atua em meus membros”

c. A qualidade da obediência
A frase “trate bem sua esposa” é correta. Mas quanto é “tratar bem?”. Geralmente
colocamos um padrão conveniente e bastante simplista para cumprir a Lei
1. na cultura, tratar bem é não gritar
a. comprar um presente caro
b. elogiar quando ver
2. isso não está errado, mas ainda é padrão baixo
3. porque geralmente custa pouco

d. Resultado da obediência
Provavelmente: frustração, cansaço e retorno ao padrão antigo de relacionamento

OBEDECENDO PELO EVANGELHO


Ao invés de tentar “dobrar à força” o metal do nosso coração, o Evangelho o
esquenta, deixando-o mole e totalmente possível de ser moldado a outro formato
1. não simplesmente apontamos a Lei
2. antes, apontamos pra Cristo cumprindo a Lei
3. e nos capacitando e libertando para vive-la

No exemplo: “trate bem seu cônjuge”, vamos a Cristo. A Bíblia diz em Ef 5.25-26:
“Cristo amou a igreja e entregou-se a si mesmo por ela para santificá-la, tendo-a purificado
pelo lavar da água mediante a palavra, e apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem
mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável”
1. Jesus se sacrificou e morreu por sua esposa
2. ele cumpriu perfeitamente a Lei por seu sacrifício
3. a fim de torna-la pura, santa, perfeita
4. agora, somos chamados a obedecer...
a. experimentando a graça de Jesus, que se entregou por nós
b. a imitar seu modelo, padrão e sacrifício
c. não mais por esforço próprio, mas a partir do que ele fez!

a. A intenção da obediência
Agora sou chamado a tratar bem minha esposa, não mais por orgulho, conforto
pessoal ou medo do castigo, mas pela mensagem do Evangelho: Jesus se entregou
1. não é motivação egoísta
2. mas desejo obedecer por amor e gratidão a Deus
3. porque Ele fez algo maravilhoso em nosso favor

b. A profundidade da obediência
Ao invés de mudar COMPORTAMENTO, Evangelho toca o coração e as motivações
mais profundas. Há um redirecionamento de nossos desejos, prioridades e valores
1. há uma profunda reflexão: Deus me amou, devo amor como Ele
2. é algo mais profundo e invisível
3. e talvez mais demorado que a Lei pura
4. mas não é obediência frágil e passageira
(a) não precisa pastor descer a lenha, (b) não precisa de ameaças
5. pois internalizamos o compromisso com a mudança
a. se torna um mandamento interno
6. mesmo com brigas, tensão e etc, isso não volta a ser como antes
7. o “metal” do nosso coração foi aquecido e mudou formato

c. A qualidade da obediência
Quando penso em “tratar bem minha esposa”, não penso só em “comprar algo legal”
ou “não gritar com ela”. Penso: como Jesus trata e ama sua esposa?
1. padrão e nível da obediência é MUITO mais alto
2. porque Jesus SE ENTREGOU totalmente por sua esposa
3. e assim, nosso padrão é “até a morte”!
a. farei tudo que traga vida para ela
b. mesmo que isso me custe muito!

d. Resultado da obediência
Ao invés de ser cansativo, o desejo de tratar bem o cônjuge se tornará um prazer
alegre, ainda que custoso. Experimentaremos gratidão, não orgulho ou etc

AULA 5: O EVANGELHO TRANSFORMA TUDO! (pt 2)


Vimos que o Evangelho, não a Lei ou o moralismo, é que nos dá motivação e poder
para obedecermos. Por isso precisamos aplicar EV sempre às nossas vidas
1. porque EV não é mensagem só pra não-cristãos
2. mas prra cristãos viverem CADA ÁREA da vida segundo Deus
(slide) Evangelho transforma todas as coisas
3. na aula passada, dei exemplo do “trate bem seu cônjuge”
4. mas a mesma verdade se aplica para tudo. Alguns exemplos...

(slide) O Evangelho mostra como o Filho de Deus se esvaziou para se tornar


servo. Compreender e viver à luz dessa verdade nos capacita a...
1. rejeitar o materialismo
2. rejeitar o apego ao poder, status e reconhecimento
3. rejeitar o individualismo egoísta
4. rejeitar a superioridade racial/social/de gênero
5. adotar um modo comunitário de vida, cheio de comunhão
6. sermos generosos no compartilhar com pobres e necessitados
7. nos dispormos a servir radicalmente ao próximo
8. viver e nos relacionar em verdadeira humildade
(slide) O Evangelho mostra como o Espírito aplica a nós a morte e
ressurreição de Jesus, dando-nos um novo coração e vida. Compreender e
viver à luz dessa verdade nos capacita a...
1. rejeitar a religiosidade vazia e sem vida
2. tentar conquistar a salvação por obras
3. rejeitar uma fé sem obras
4. enfatizar a conversão pessoal
5. enfatizar a renovação do coração
6. enfatizar as práticas devocionais/espirituais
7. enfatizar a santidade pessoal
8. crer que até pessoas “muito difíceis” podem ter uma nova vida
9. desejo intenso de se envolver em missões

(slide) O Evangelho mostra como o Filho de Deus, por sua obra na cruz, nos
faz filhos de Deus. Compreender e viver à luz dessa verdade nos capacita a...
1. sermos consolados em período de sofrimento
2. termos convicção de nossa salvação e eternidade
3. compreendermos nossa identidade pessoal
4. experimentar um novo senso de valor e autoimagem
5. passarmos por disciplinas sem desanimar
6. superar traumas e dores passadas

Há várias outras facetas do Evangelho e de aplicar ele às nossas vidas. Mas foi o
suficiente para mostrar como o Evangelho é suficiente para nos levar à vida plena
1. o moralismo/Lei não nos levará até lá
2. mas somente a aplicação diária e constante do Evangelho
3. não é só o “ABC” da vida cristã, mas o “A-Z”
4. não só “mensagem evangelística” para não-cristãos
5. mensagem “básica” para nos levar a “tópicos avançados”
6. mas a mensagem que amadurece e santifica cristãos
a. no sexo, finanças, depressão, casamento, autoimagem...

(slide) Nossa vida é como uma orquestra, e cada área é um instrumento


1. orquestra desafinada não se afina entre si
2. um instrumento único dá o tom para todos
3. igualmente, Evangelho “sintoniza” corretamente toda a igreja
4. individual e coletivamente

Se você quer ser um LE, terá de aprender a aplicar o EV a cada situação e área de
sua própria vida, e também como aplica-lo à vida de outas pessoas
1. pois maioria dos problemas da vida cristã vêm daí
a. um coração desorientado e desalinhado
b. que precisa ser alinhado ao Evangelho
2. esse é nosso objetivo como líderes
3. em nossa própria vida e na de outras
4. sermos moldados cada vez mais profundamente pelo Evangelho
a. entendendo suas mais variadas implicações
b. crendo nele com cada vez mais fé
5. isso moldará nossas vidas, lideranças e igrejas
6. cada aspecto da vida comunitária será moldada por isso

AULA 6: NOSSA IDENTIDADE EM CRISTO (parte 1)


O líder espiritual é, antes de tudo, alguém que tem uma ID profundamente moldada e
enraizada no EV. Essa é a razão por ser alguém tão equilibrado, sereno e abençoador
1. ID = maneira como eu vejo; como lente pela qual enxergo tudo que sou
2. e isso determina tudo que penso, sinto e faço
3. e isso tem TUDO a ver com o Evangelho
4. como líderes, lidaremos com muitos com dificuldade na ID
(a) pessoas confusas, (b) deprimidas, (c) orgulhosas, (d) instáveis
5. e como lidaremos com elas? Autoajuda, motivação?
6. não, precisamos ajuda-las a entender sua ID em Cristo
7. por isso, vamos entender melhor o assunto

(slide) Esquematização simples da relação entre identidade e maneira de viver


1. A identidade é aquilo que acreditamos sobre nós mesmos (crenças)
2. O que acreditamos se torna nossa principal fonte de pensamentos
3. Nossos pensamentos influenciam diretamente na forma como nos sentimos
4. Nossas emoções ditam como agiremos
5. Nossas ações e reações acabam reforçando a crença. O ciclo se reinicia
Ex: um rapaz se acha feio; uma ID baseada no visual
(a) crença, (b) pensamentos destrutivos, (c) emoções corrosivas,
(d) hábitos antissociais, (e) reforço do ciclo
1. ciclo repetido leva à formação de hábitos e solidificação da identidade
2. Enraiza ainda mais a falsa concepção
3. nunca terá vida diferente pensando dessa forma
4. ele precisa de uma nova identidade
5. algo que a defina de forma mais profunda que a aparência
6. algo que o liberte da identidade baseada na imagem
(slide) A CRISE DE IDENTIDADE E A FÁBRICA DE ÍDOLOS
Esse não é um problema apenas de adolescentes e seu visual; o problema da crise de
identidade é de toda a Humanidade
1. Tínhamos a mais alta ID: imagem e semelhança de Deus
2. Satanás instala crise: “são mesmo isso Imagem&Semelhança?”
3. acreditamos nele e desacreditamos de Deus
4. perdidos de Deus, nossa ID ficou manchada, confusa
5. a partir daí, buscamos alucinados algo em que fixar nossa ID
Rm 1.25: “trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a
coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre”

(slide) A Bíblia chama essa troca de “idolatria”. Idolatria não é apenas se dobrar a um
deus de madeira ou adorar a imagens de pedra, mas também...
1. qualquer coisa/pessoa que colocamos no trono do coração no lugar de Deus
2. qualquer coisa, fora Deus, fonte de sentido, alegria, propósito e esperança
3. qualquer coisa que nos defina

(slide) Vamos pensar sobre algumas das coisas da vida moderna nas quais firmamos
nossas identidades e que acabam por se tornar ídolos em nossa vida?

1. Bens materiais (“eu sou o que eu tenho”).


“Valho o que tenho”. Por isso, situação financeira define vida, senso de valor,
esperança no amanhã e sua maneira de viver:
a. fixação com valores, trabalho e visibilidade
b. horas excessivas no trabalho
c. gastos excessivos para ser visto, notado e valorizado
1. mas quando esse deus falha, tudo sucumbe
a. ex: banqueiros que se matam quando entram em falência
2. porque é um deus instável e passageiro
3. que ladrão, traça e ferrugem destróem

2. Afazeres (“eu sou o que eu faço”)


“Eu valho o que eu realizo”. Talvez seja um dos maiores ídolos hoje. Hoje nós somos
“engenheiros”, “advogados”, “pastores”... Perdemos nomes, e funções nos definem
1. fazer coisas pode ser algo muito bom
2. mas quando se torna a lente pela qual nos vemos, é idolatria
3. só conseguimos nos sentir bem quando produzimos
a. folga nos faz sentir inúteis e desvalorizados
b. só fazer mais e melhor nos faz sentir bem
c. perfeccionismo, medo do sucesso alheio e etc
4. muitos entram em depressão ao terem de parar
a. ex: pastores em fim de ministério
5. a vida inteira se viram como “fazedores de coisas”
6. agora, inativos, não conseguem experimentar valor

3. Pessoas (“eu sou o que me dizem que sou”)


É uma das mais corriqueiras: nos vemos a partir do que achamos que o outro vê:
namorado(a), amigo(a), esposo(a), chefe, pastor, líder, seguidores no FB...
1. nosso mundo gira ao redor disso
a. número de seguidores define valor de uma pessoa
b. ausência de seguidores nos faz sentir vazios
2. há uma busca permanente por desempenho e ser amado
3. e quando isso não ocorre, tudo desmorona
(a) falta de um elogio, (b) uma crítica amorosa
4. nos tornamos dependentes emocionais das pessoas
(a) vício em aprovação alheia, (b) dependência emocional
(c) incapacidade de ficar sozinho, (d) ciúmes excessivo

4. Sofrimentos (“eu sou o que eu sofri”)


Dores, traumas, rejeições e medos definem a pessoa, e condicionam sua forma de
pensar, sentir, pensar, viver, se relacionar e amar
1. acaba se tornando uma razão de orgulho e justiça própria
2. pessoa não reconhece erros e pecados
a. porque apoia-se em algo que sofreu
b. sente-se desculpado de qualquer coisa que tenha feito
3. e acaba usando suas dores para ferir outros
4. para sentir-se superior, intocável, acima de críticas

AULA 7: NOSSA IDENTIDADE EM CRISTO (parte 2)


(slide) “EU SOU EM CRISTO”
O LE é aquele que não mais define a si mesmo, seu valor, propósito e direção por
nenhuma dessas coisas. Antes, ele encontra sua identidade em Cristo
1. não é mais definido por beleza, dinheiro, status
2. mas pela sua relação com Cristo
(slide) “Em Cristo” = comunhão espiritual, viva e dinâmica
a. como galhos NA videira
Cl 2.6-7: “Portanto, assim como vocês receberam a Cristo Jesus, o Senhor,
continuem a viver nele, enraizados e edificados nele, firmados na fé”
3. Cristo não é alguém distante, lá no céu
4. mas Aquele a quem estamos ligados
a. é nossa Fonte de vida espiritual
b. é nossa Fonte de força emocional
c. Fonte de alegria, consolo e contentamento

(slide) Estar “em Cristo” é ser tudo que Cristo é:


Santos (Efésios 1:1); Abençoados (Efésios 1:3); Novos (Efésios 4:22-24)
Livres (Gálatas 5:1); Capacitados (2 Coríntios 3:5,6); Amados (Efésios 2:4,5)
Filhos (Efésios 5:1); Perdoados (Efésios 4:32); Herdeiros (Gálatas 3:29)
Habitados pelo Espírito (Efésios 1:13)
1. não somos essas coisas por desempenho nosso
2. mas porque Cristo é, nós somos nutridos por ele
3. não precisamos alcançar para ter; nele, JÁ SOMOS

(slide) Isso soa estranho porque contraria toda nossa visão e cultura; em nossa vida,
primeiro alcançamos algo e então merecemos ser reconhecidos dessa forma
Religião: “mude seu jeito/comportamento/visão, e então será nova pessoa”
1. mas por meio do Evangelho, é o oposto
Evangelho: “você já é uma nova pessoa. O Espírito Santo agora moldará sua
visão, pensamentos e comportamentos a essa verdade”
2. primeiro recebemos algo, e então aprendemos a viver de acordo
3. Craig Groeschel: “não ME SINTO pastor!”
a. Outro pastor: “mas você já é! Aprenderá a ser”
Ef 1.1: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, aos santos e fiéis em
Cristo Jesus que estão em Éfeso”
1 Co 1:2: “à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus e
chamados para serem santos”
Fp 1:1: “Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus que
estão em Filipos”
1. Igrejas com bêbados, invejosos, briguentos, fofoqueiros
2. Mas por estarem EM CRISTO, eles eram já eram SANTOS E FIÉIS
3. Inverte nossa lógica do mérito: fazer para ser

Se queremos nos tornar verdadeiros LE, precisamos entesourar as realidades do EV


em nosso coração, apropriando-nos de nossa nova identidade dia a dia
1. e essa possivelmente é a prática mais difícil de todas
2. pois precisa rejeitar vozes das falsas IDs diariamente
3. se vivermos assim, nossa vida terá uma nova cor e aroma
4. não só nossa MENTE estará cheia das verdades
5. mas nossa vida terá o doce aroma de Cristo
6. e seremos capazes de influenciar e transformar a muitos
AULA 8: NOSSA IDENTIDADE EM CRISTO (parte 3)
Aprendemos então que todos temos uma autoimagem, uma “lente” pela qual nos
enxergamos. Nossa ID é formada e baseada em coisas, pessoas, acontecimentos
1. define nosso senso de valor, propósito, dignidade
2. ex: por fato passado nos vemos como “vítimas”
3. é a “lente” que nos faz enxergar TUDO o mais
a. definirá nosso padrão de pensamentos (“essa pessoa me ofende”)
b. definirá nosso padrão de emoções (“me sinto negligenciada”)
c. definirá nosso padrão de agir (“como não gostam de mim, me isolarei”)
d. definirá nosso padrão relacional (achar alguém hiper-protetor)
4. mas ao crer no Evangelho, recebemos nova ID
5. não se baseia em relações, fatos, realizações ou posses
6. mas no que Cristo fez POR NÓS e EM NÓS
a. não mais “solteiro”, “rico”, “bem-sucedido”, “culpado”, “burro”
b. mas “santo/amado/abençoado/capacitado/filho/perdoado

A CERTEZA DE NOSSA NOVA IDENTIDADE...


1. Nos livra do desespero da santidade baseada no comportamento
Cristão que não consegue parar de usar droga ou pornografia, ou sexo, ou bebida
(1) peca, (2) pensamentos e sentimentos de culpa, (3) adota uma postura
radical contra o pecado, (4) momento de fraqueza o torna vulnerável à força do
pecado, (5) cai de novo em pecado, (6) mais culpa, (7) ciclo se reinicia e se reforça
1. O que ele precisa? Entender quem é em Cristo
2. Assim, vai parar de buscar solução no comportamento e em si
3. Passará a olhar pra Jesus, sua graça e sua cruz
4. enquanto se ver pela lente “viciado”, será escravo do vício
5. precisa aprender a ser ver pela nova lente: “santo e livre”
6. para aprender a viver segundo essa verdade
7. foco no desempenho não resolverá problema
8. pois somos instáveis, e essa ID sempre se espatifará

2. Nos livra de identidades falsas e instáveis (e dos pensamentos e sentimentos


enganosos que provém delas)
Imagine um cristão ansioso porque não se sente querido e amado
1. sempre busca aprovação dos outros
2. se não recebe, fica mal
a. pensamentos de raiva, frustração, autocomiseração
3. pra se curar, tenta achar nova fonte de apreciação e afeto
4. e então cai em outro pecado por causa disso (orgulho, lascívia, etc)
5. ciclo se reinicia
O que ele precisa entender? Em Cristo ELE JÁ É APRECIADO! "Tu és o meu Filho
amado; em ti me agrado" (Mc 1:11)
1. no deserto, Jesus sentiu fome, sede, solidão e cansaço
2. mas o que o sustentou no período?
3. exatamente a afirmação de que era um filho amado
4. porque nossa ID nos capacita a viver acima das circunstâncias
5. medo, pobreza, sofrimento e etc NÃO NOS DEFINEM MAIS
6. eles existem e machucam, mas não nos definem

3. Nos livra da inconstância espiritual, emocional e relacional


Quando não firmamos nossa ID em Cristo, buscamos outra coisa, mas todas elas são
instáveis, passageiras, imprevisíveis. E aí nossa vida se torna uma montanha-russa
1. se tenho essa coisa, me sinto a última bolacha do pacote
2. se não tenho/recebo, me sinto a pior pessoa do mundo
3. eu gosto de montanhas-russas
4. mas você não quer viver em uma, né?
5. ninguém quer viver em tal instabilidade espiritual e emocional
a. constante mudança de rumo, sempre confuso, sempre inseguro

Para sentirmos verdadeira segurança em relação à nossa ID, senso de valor e


propósito, somente firmando-a em algo maior, eterno e imutável: Jesus Cristo
1. é compreendendo que só, sou totalmente rejeitável
2. mas que por Cristo, sou totalmente amado e aceito
a. isso nos livra tanto do orgulho e esnobice
b. quanto do desânimo e senso de inferioridade
3. nos tornamos fortes, estáveis, seguros de quem somos
4. porque nada disso depende do nosso desempenho diário

4. Nos liberta a experimentar a boa, perfeita e agradável vontade de Deus em cada


área de nossas vidas (Rm 12.1-2)
Somente entendendo quem somos em Cristo poderemos desfrutar das excelências da
vida cristã em cada área: espiritual, familiar, financeira, afetiva, ministerial...
a. aprenderemos a desfrutar de tudo
b. teremos contentamento e alegria
c. sem, contudo, nos tornarmos escravos de nada
d. sem deixarmos que nos domine ou defina
e. sem orgulho no sucesso ou desespero na derrota

CRESCENDO EM NOSSA IDENTIDADE


Efésios 1:17-19: “Peço que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso Pai, lhes dê espírito de
sabedoria e de revelação, no pleno conhecimento dele. Oro também para que os olhos do coração de
vocês sejam iluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as
riquezas da gloriosa herança dele nos santos e a incomparável grandeza do seu poder para conosco, os
que cremos, conforme a atuação da sua poderosa força”
1. oração pra sermos iluminados pra conhecer o que já recebemos
2. para crescermos em nossa identidade em Cristo
3. para nos desvencilharmos das mentiras de Satanás
a. que tenta nos definir por coisas e pessoas
b. por sucessos e fracassos
4. e o que é “crescer em nossa identidade?”
5. é deixar as verdades do Evangelho enraizarem em nosso coração
6. até moldarem cada sentimento, pensamento, desejo, sonho
7. ex: sou filho do meu pai. É um fato que nada pode mudar
8. mas posso lidar com isso de duas formas
a. me contentar em só ser filho, sem que isso me mude
b. buscar crescer nessa identidade
c. Buscar ter mais intimidade, mais conhecimento, mais amor

(slide) Deus quer que nos enraizemos nessa fé, o que ocorre ao sermos alimentados
pela Palavra e cultivarmos espiritualmente essas realidades por meio da...
(a) meditação nas Escrituras, (b) oração, (c) dependência
(d) obediência, (e) autoexame e abandono de identidades falsas
1. tais coisas fortalecem nossa fé
2. nos firmam mais fortemente na Videira
3. nossa ID vai sendo nutrida, amadurecida e fortalecida
4. até jogarmos todos os ídolos fora
5. e centrarmos nossa existência em Jesus Cristo
6. não só nossa salvação, mas toda a vida

E então, de onde você tem retirado sua ID, sua alegria, esperança e força para viver?
a. seu namoro tem determinado como vive?
b. cargos e funções são a fonte primária de minha alegria ou tristeza?
c. dores do passado têm definido como você vive?
d. não somos mais mentirosos, pecadores ou órfãos
e. não somos mais nossa orientação sexual, etnia ou profissão
f. você não é mais passado!
1. Jesus já levou toda maldição e dores
Is 53.4: “Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre
si levou as nossas doenças”
2. para ser um LE é preciso de livrar dessas coisas
3. e os padrões emocionais, mental e comportamentais que derivam daí
4. e ter sua vida toda moldada pelo Evangelho
AULA 9: A CONVICÇÃO DA CONVERSÃO
Ter uma vida moldada pelo Evangelho é ter uma profunda convicção da própria
conversão e novo nascimento. Esse fator é INDISPENSÁVEL a qualquer LE
1. essa parece verdade óbvia, mas precisa ser dita
2. ninguém se torna seguidor de Jesus por seguir uma religião
(a) ir à igreja, (b) ter certos hábitos corretos, (c) saber a Bíblia
3. é necessário um encontro transformador com Jesus
4. uma experiência real com a pregação do Evangelho
a. que envolva total conversão a Cristo
b. que envolva um senso de perdão e filiação
c. que envolva uma mudança de vida
5. Spurgeon diz: “um líder espiritual não-convertido é semelhante a um cego
eleito professor de ótica, que faz filosofia sobre a luz e a visão e fala a todos sobre as
cores e suas combinações, enquanto ele mesmo está na escuridão!”
6. não importam suas habilidades, dons e capacidades naturais
7. sem ter experimentado uma obra espiritual pessoal, não haverá vida
a. e logo, não haverá verdadeira LE
b. jamais levará pessoas à verdadeira vida cristã
c. jamais poderá dar frutos que permaneçam
d. só produzirá formalismo, mas nunca VIDA

2Co 13:5: “Examinem-se para ver se vocês estão na fé; provem-se a si mesmos. Não
percebem que Cristo Jesus está em vocês? A não ser que tenham sido reprovados!”
Infelizmente poucos já foram confrontados sobre esse assunto, e especialmente os
que nasceram e cresceram no ambiente da igreja têm salvação presumida
1. raramente questionamos isso
2. sempre tendemos a nos ver como salvos e fim
3. e muitos desses são conduzidos a cargos
4. fortalecendo ainda mais sua ilusão
5. mas há grande possibilidade de estarmos enganados
6. nosso coração é enganoso
7. e podemos estar apenas confiando em hábitos exteriores
8. por isso, é preciso uma sondagem séria do próprio coração

O assunto é longo, e por isso separei um pequeno texto se você quiser entender o
assunto melhor. Mas para encerrar, faça algumas perguntas a você mesmo:
- você já compreendeu o tamanho do seu pecado e imerecimento?
- você já se percebeu como 100% incapaz e dependente de outro para salvá-lo?
- você já entendeu que Jesus é o Filho de Deus que tomou seu lugar na cruz?
- você confia que Jesus é 100% suficiente para te reconectar a Deus?
- se Deus te perguntasse hoje: “porque você deve ser salvo?”, e a resposta for
qualquer outra coisa que não “100% pela obra de Jesus”, você está na religião

NÃO SEI ONDE/SE USAR


sozinhos somos absolutamente imerecedores, incapazes de sermos apreciados e sem
valor; mas que por causa de Jesus somos totalmente amados, apreciados
Isso nos impede de cair nos dois extremos: me achar o cara (pois sou
totalmente pecador) ou me achar um lixo (pois sou totalmente amado). Isso evita
tanto a estima exagerada ou a estima baixa. Essa visão equilibrada de nós mesmo
produz uma visão adequada de nós mesmos, uma vida espiritual mais frutífera,
equilíbrio emocional, relações mais estáveis, uma alegria mais duradoura, além de
senso de dignidade, valor, propósito e etc, POR CAUSA DE CRISTO. Quando eu pecar,
me arrependerei, mas entenderei que eu NÃO SOU meu pecado; quando eu fizer algo
bom, não me orgulharei, mas entenderei que eu NÃO SOU meu desempenho. Isso
nos impede de cair em idolatrias da identidade

AULA 3: AS MANEIRAS DE FALAR DO EVANGELHO


O EVANGELHO: UMA MENSAGEM, MUITAS ABORDAGENS
Talvez você pergunte: “mas isso significa que vamos ter que ficar repetindo o
Evangelho SEMPRE? Vamos ficar sempre falando da mesma coisa?”. Sim e não!
1. sim, o Evangelho precisa ser lembrado e experimentado a cada dia
2. não, porque o Evangelho pode ser explicado de milhares de formas
(a) histórias, (b) temas, (c) ilustrações variadas, (d) aplicações
3. porque nessa pregação estão todas as “riquezas de Cristo”
Ef 1.18-19: “18 Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados,
a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas da gloriosa herança
dele nos santos 19 e a incomparável grandeza do seu poder para conosco, os que cremos, conforme a
atuação da sua poderosa força

A forma mais “básica” de explicar Evangelho é através de 4 “capítulos” da história


a. Deus cria todas as coisas
b. pecamos e fomos separados de Deus
c. Deus envia a Cristo para nos resgatar
d. pelo arrependimento e fé somos salvos
1. apesar disso, Evangelho pode ser explicado de muitas formas
2. dependendo do contexto e público
3. mensagem única, mas formato e meios bem diferentes
4. isso acontece entre os próprios autores bíblicos
a. Sinóticos: na pregação do Evangelho, “Reino” é a chave
b. em João: “vida eterna” parece ser a ênfase
c. cartas de Paulo: “justificação” é muito mais usado
5. não contradições, mas diferentes formas de expressar mesma ideia
6. que vão se complementando e se enriquecendo
7. mas todas elas concordam no que é essencial

Além disso, há uma série de temas, figuras e tópicos na Bíblia que se conectam e
explicam o Evangelho. Uma infinidade de maneiras de explicar a história da redenção
(a) justificação, (b) filiação e adoção, (c) resgate, (d) purificação, (e) herança
1. além de muitas e muitas outras
2. Keller mostra uma tabela no cap 2
3. Evangelho explicado por 3 temas
4. ainda assim, mensagem é uma só
5. Jesus substitui e assim livra da maldição

Assim, vemos que toda a Bíblia, no final das contas,


mostra a solução em Jesus, e nele somente
a. exilado do Jardim pelo pecado, fomos
resgatados para Deus por ele
b. feitos escravos do pecado, fomos libertos por ele
c. sendo oprimidos pela morte, achamos vida nele
d. nós que éramos pobres temos nele uma herança
e. aqueles que eram órfãos foram feitos filhos por ele
1. não importa qual mensagem ou tema bíblico seja
2. em todos eles o Evangelho é revelado
3. e no Evangelho, a mensagem de que Jesus nos substitui e salva
4. por isso o Evangelho é a 3º via
a. nem o caminho da irreligião que não percebe nossa situação
b. nem o caminho da religião que acredita nas obras e na moral
5. só por meio de Jesus, através da fé
6. essa deve a mensagem que “sintoniza” toda a igreja
7. e é com que ela que devíamos começar nosso curso

Interesses relacionados