Você está na página 1de 1

OS FUNDAMENTOS DA TEORIA DO CONHECIMENTO E DA PSICOLOGIA

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

Compreender Wittgenstein. Cap. 2, pag 39-54. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008

Daianny Maria de Andrade


José Vitor Ramos de Lima
Maria Eduarda da Silva Nascimento
Maria Karolayne da Silva Sousa
Patricia Arruda de Moura

O texto estudado refere-se aos trabalhos de Wittgeinstein relacionados à Teoria do


Conhecimento e Psicologia. Sendo relatados experimentos relacionados a percepção
musical e a problemas epistemológicos genéricos que dirigem sua atenção à
Psicologia, ambos vinculados aos interesses sobre a Lógica do filósofo.

De acordo com o Wittgeinstein


]
Essa passagem do pensamento mítico para o pensamento filosófico-científico ocorreu
na Grécia Antiga, pois apesar da existência de outras visões sobre a forma de explicar
os fenômenos e processos naturais na Grécia, no mesmo período surgia a ciência,
denominada physis.

A concepção de ciência neste período se caracterizava pelo racionalismo, que


representava a realidade por meio de deduções comprovadas através
demonstrações, esse conhecimento científico foi um fator decisivo para que a
insatisfação com a forma de pensar mítica pudesse despertar o conhecimento
filosófico.

No entanto, essa ruptura do pensamento mítico não significa o desparecimento do


mito, mas a transformação do pensamento mítico pela incorporação de novos
elementos através dos tempos e pela mudança de função na sociedade, pois a partir
do surgimento do pensamento filosófico científico o mito deixa de ser uma forma de
explicar a realidade para fazer parte da tradição cultural do povo.

Por fim o desenvolvimento das cidades como Éfeso e Mileto, em virtude da


decadência da civilização micênico-cretense e posterior migração para a Ásia Menor
por conta das invasões dóricas, propiciaram juntamente com a economia
essencialmente comercial e mercantil, com portos e entrepostos comerciais na região
do Mar Jônico e o pluralismo cultural da região, condições para o surgimento do
pensamento filosófico em Mileto, tendo Tales de Mileto como primeiro filósofo, de
acordo com o Livro I A Metafísica de Aristóteles.