Você está na página 1de 4

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA

2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS

Processo nº. : 0056922-24.2015.8.05.0001

Classe : RECURSO INOMINADO


Recorrente(s) : BANCO BRADESCARD S A

Recorrido(s) : DJALMA LEAL DE FREITAS

Origem : 14ª VSJE DO CONSUMIDOR (VESPERTINO)


Relatora Juíza : MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE

EMENTA

RECURSO INOMINADO. CONSUMIDOR. CONTRATO DE EMPRÉSTIMO


CONSIGNADO QUE SERIA CONDICIONADO À CONTRATAÇÃO DE
SEGURO. ALEGAÇÃO DE PRÁTICA DE VENDA CASADA . JUNTADA
PELO RÉU DE DOCUMENTOS QUE CONTÊM ASSINATURA ATRIBUÍDA
Á PARTE AUTORA. DÚVIDA RAZOÁVEL ACERCA DA AUTORIA DOS
DOCUMENTOS. NECESSIDADE DE PERÍCIA GRAFOTÉCNICA PARA O
DESLINDE DA CAUSA. PROVA INCABÍVEL NO SISTEMA DOS JUIZADOS.
INCOMPETÊNCIA ABSOLUTA. EXTINÇÃO EX OFFICIO DO PROCESSO
SEM JULGAMENTO DO MÉRITO. SENTENÇA REFORMADA.

1. Trata-se de recurso inominado interposto por BANCO


BRADESCO S/A contra sentença que julgou procedente os pedidos
formulados na exordial, nestes termos: “Isto posto JULGO PROCEDENTE o pedido
para: I- CONDENAR a demandada no pagamento da quantia de R$ 476,92 (quatrocentos e
setenta e seis reais e noventa e dois centavos) a título de repetição de indébito, acrescido de
juros (desde a citação) e correção monetária (a partir do arbitramento); II- CONDENAR a
DEMANDADA no pagamento da quantia de R$2.000.00 (dois mil reais), a título de
indenização por danos morais, corrigidos pelo INPC desde a condenação e com juros de 1%
ao mês a partir da citação .. .”.
2. Alegou a parte autora que ao celebrar contrato de empréstimo
consignado junto ao réu, teria lhe sido imposta a contratação de seguro, no
valor de R$ 238,46 (duzentos e trinta e oito reais e quarenta e seis
centavos), o que constitui prática de venda casada, vedada pelo CDC.
3. A despeito das alegações da parte autora, trata-se de
hipótese de incompetência absoluta dos juizados especiais, tendo por
conseqüência a extinção do processo sem julgamento de mérito diante da
necessidade de realização de perícia grafotécnica para o deslinde da causa.
4. Com efeito, a parte autora nega que tenha contratado de
modo específico o seguro ora impugnado, aduzindo que não assinara qualquer
instrumento contratual atinente à matéria. Inobstante, o réu colaciona no
evento número 12 do projudi instrumento contratual com a suposta assinatura
da parte autora. A assinatura constante do referido contrato, se confrontada
com as assinaturas insertas noutros documentos lançados nos autos, em
especial a procuração, incute dúvida razoável quanto ao verdadeiro subscritor
do contrato discutido, já que há grandes semelhanças entre a assinatura nele
lançada e aquelas constantes nos documentos juntados pelo réu.
5. Em tais circunstâncias, somente perícia, especialmente
grafotécnica, traria esclarecimento definitivo à lide, providência incompatível
com o procedimento abreviado e célere previsto para as ações endereçadas ao
juizado especial cível.
6. A natureza da prova cogitada requer conhecimentos técnicos
apurados, impedindo, assim, a substituição pela providência informal
autorizada pelo art. 35 da Lei nº 9.099/95.
7. Com isso, adquirindo a ação complexidade probatória
incompatível com o rito estabelecido pela Lei nº 9.099/95, impõe-se a extinção
do processo, sem resolução do mérito, com base em seu art. 51, inciso II,
providência a ser adotada até mesmo de ofício, por ser matéria de ordem
pública, suscetível de conhecimento a qualquer tempo e grau de jurisdição,
além de haver a necessidade da preservação da credibilidade do Judiciário
ante a possibilidade de o órgão julgador ter sido induzido a erro, propiciando o
eventual enriquecimento indevido da parte autora.
8. Assim sendo, ante ao exposto, voto no sentido de
EXTINGUIR EX OFFICIO O PROCESSO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO,
PREJUDICADO O RECURSO, DIANTE DA INCOMPETÊNCIA ABSOLUTA
DOS JUIZADOS ESPECIAIS PARA O DESLINDE DO FEITO, NOS TERMOS
DO ART. 51, INCISO II DA LEI 9099/95. . Sem custas processuais e honorários
advocatícios.
Salvador, Sala das Sessões, 04 de Agosto de 2016.
BELA. MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
Juíza Relatora
BELA. ISABELA KRUSCHEWSKY PEDREIRA DA SILVA
Juíza Presidente

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA


2ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS

Processo nº. : 0056922-24.2015.8.05.0001

Classe : RECURSO INOMINADO


Recorrente(s) : BANCO BRADESCARD S A

Recorrido(s) : DJALMA LEAL DE FREITAS

Origem : 14ª VSJE DO CONSUMIDOR (VESPERTINO)


Relatora Juíza : MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE

ACÓRDÃO
Acordam as Senhoras Juízas da 2ª Turma Recursal dos
Juizados Especiais Cíveis e Criminais do Tribunal de Justiça do Estado
da Bahia, MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE – Relatora , CÉLIA MARIA
CARDOZO DOS REIS QUEIROZ e ISABELA KRUSCHEWSKY PEDREIRA
DA SILVA, Presidente, em proferir a seguinte decisão: EXTINÇÃO EX
OFFICIO DO PROCESSO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO, PREJUDICADO
O RECURSO. UNÂNIME, de acordo com a ata do julgamento. Sem custas
processuais e honorários advocatícios.
Salvador, Sala das Sessões, 04 de Agosto de 2016.
BELA. MARIA AUXILIADORA SOBRAL LEITE
Juíza Relatora
BELA. ISABELA KRUSCHEWSKY PEDREIRA DA SILVA,
Juíza Presidente