Você está na página 1de 28

1

A Igreja ao Gosto do Freguês.


T.A.McMahon
http://www.apocalipsenews.com/religiao/igreja-ao-gosto-do-fregues-carta-a-laodiceia/

O movimento chamado “igreja ao gosto do freguês” está invadindo muitas denominações


evangélicas, propondo evangelizar através da aplicação das últimas técnicas de
marketing. Tipicamente, ele começa pesquisando os não-crentes (que um dos seus líderes
chama de “desigrejados” ou “João e Maria desigrejados”). A pesquisa questiona os que
não frequentam quaisquer igrejas sobre o tipo de atração que os motivaria a assistir às
reuniões. Os resultados do questionário mostram as mudanças que poderiam ser feitas
nos cultos e em outros programas para atrair os “desigrejados”, mantê-los na igreja e
ganhá-los para Cristo. Os que desenvolvem esse método garantem o crescimento das
igrejas que seguirem cuidadosamente suas diretrizes aprovadas. Praticamente falando, dá
certo!

Duas igrejas são consideradas modelos desse movimento: Willow Creek Community
Church (perto de Chicago), pastoreada por Bill Hybels, e Saddleback Valley Church (ao
sul de Los Angeles) pastoreada por Rick Warren. Sua influência é inacreditável. Willow
Creek formou sua própria associação de igrejas, com 9.500 igrejas-membros. Em 2003,
100.000 líderes de igrejas assistiram no mínimo a uma conferência para líderes realizada
por Willow Creek. Acima de 250.000 pastores e líderes de mais de 125 países
participaram do seminário de Rick Warren (“Uma Igreja com Propósitos”). Mais de 60
mil pastores recebem seu boletim semanal.
Visitamos Willow Creek há algum tempo. Pareceu-nos que essa igreja não poupa
despesas em sua missão de atrair as massas. Depois de passar por cisnes deslizando sobre
um lago cristalino, vê-se o que poderia ser confundido com a sede de uma corporação ou
um shopping center de alto padrão. Ao lado do templo existe uma grande livraria e uma
enorme área de alimentação completa, que oferece cinco cardápios diferentes. Uma tela
panorâmica permite aos que não conseguiram lugar no santuário ou que estão na praça de
alimentação assistirem aos cultos. O templo é espaçoso e moderno, equipado com três
grandes telões e os mais modernos sistemas de som e iluminação para a apresentação de
peças de teatro e musicais.
Sem dúvida, Willow Creek é imponente, mas não é a única megaigreja que tem como
alvo alcançar os perdidos através dos mais variados métodos. Megaigrejas através dos
EUA adicionam salas de boliche, quadras de basquete, salões de ginástica e sauna,
espaços para guardar equipamentos, auditórios para concertos e produções teatrais,
franquias do McDonalds, tudo para o progresso do Evangelho. Pelo menos é o que dizem.
Ainda que algumas igrejas estejam lotadas, sua frequência não é o único elemento que
avaliamos ao analisar essa última moda de “fazer igreja”.
2

O alvo declarado dessas igrejas é alcançar os perdidos, o que é bíblico e digno de louvor.
Mas o mesmo não pode ser dito quanto aos métodos usados para alcançar esse alvo.
Vamos começar pelo marketing como uma tática para alcançar os perdidos.
Fundamentalmente, marketing traça o perfil dos consumidores, descobre suas
necessidades e projeta o produto (ou imagem a ser vendida) de tal forma que venha ao
encontro dos desejos do consumidor. O resultado esperado é que o consumidor compre o
produto. George Barna, a quem a revista Christianity Today (Cristianismo Hoje) chama
de “o guru do crescimento da igreja”, diz que tais métodos são essenciais para a igreja de
nossa sociedade consumista. Líderes evangélicos do movimento de crescimento da igreja
reforçam a ideia de que o método de marketing pode ser aplicado – e eles o têm aplicado
– sem comprometer o Evangelho. Será?
Em primeiro lugar o Evangelho, e mais significativamente a pessoa de Jesus Cristo, não
cabem em nenhuma estratégia de mercado. Não são produtos a serem vendidos. Não
podem ser modificados ou adaptados para satisfazer as necessidades de nossa sociedade
consumista. Qualquer tentativa nessa direção compromete de algum modo a verdade
sobre quem é Cristo e do que Ele fez por nós. Por exemplo, se os perdidos são
considerados consumidores, e um mandamento básico de marketing diz que o freguês
sempre tem razão, então qualquer coisa que ofenda os perdidos deve ser deixada de lado,
modificada ou apresentada como sem importância. A Escritura nos diz claramente que a
mensagem da cruz é “loucura para os que se perdem” e que Cristo é uma “pedra de
tropeço e rocha de ofensa” (1 Co 1.18 e 1 Pe 2.8).

Megaigrejas adicionam salas de boliche, quadras de basquete, salões de ginástica e


sauna, auditórios para concertos e produções teatrais, franquias do McDonalds.
Algumas igrejas voltadas ao consumidor procuram evitar esse aspecto negativo do
Evangelho de Cristo enfatizando os benefícios temporais de ser cristão e colocando a
pessoa do consumidor como seu principal ponto de interesse. Mesmo que essa abordagem
apele para a nossa geração acostumada à gratificação imediata, ela não é o Evangelho
verdadeiro nem o alvo de vida do crente em Cristo.
Em segundo lugar, se você quiser atrair os perdidos oferecendo o que possa interessá-los,
na maior parte do tempo estará apelando para seu lado carnal. Querendo ou não, esse
parece ser o modus operandi dessas igrejas. Elas copiam o que é popular em nossa cultura
3

– músicas das paradas de sucesso, produções teatrais, apresentações estimulantes de


multimídia e mensagens positivas que não ultrapassam os trinta minutos. Essas
mensagens frequentemente são tópicas, terapêuticas, com ênfase na realização pessoal,
salientando o que o Senhor pode oferecer, o que a pessoa necessita – e ajudando-a na
solução de seus problemas.
Essas questões podem não importar a um número cada vez maior de pastores evangélicos,
mas, ironicamente, estão se tornando evidentes para alguns observadores seculares. Em
seu livro The Little Church Went to Market(A Igrejinha foi ao Mercado), o pastor Gary
Gilley observa que o periódico de marketing American Demographicsreconhece que as
pessoas estão:
…procurando espiritualidade, não a religião. Por trás dessa mudança está a procura por
uma fé experimental, uma religião do coração, não da cabeça. É uma expressão de
religiosidade que não dá valor à doutrina, ao dogma, e faz experiências diretamente com
a divindade, seja esta chamada “Espírito Santo” ou “Consciência Cósmica” ou o
“Verdadeiro Eu”. É pragmática e individual, mais centrada em redução de stress do que
em salvação, mais terapêutica do que teológica. Fala sobre sentir-se bem, não sobre ser
bom. É centrada no corpo e na alma e não no espírito. Alguns gurus do marketing
começaram a chamar esse movimento de “indústria da experiência” (pp. 20-21).
Existe outro item que muitos pastores parecem estar deixando de considerar em seu
entusiasmo de promover o crescimento da igreja atraindo os não-salvos. Mesmo que os
números pareçam falar mais alto nessas “igrejas ao gosto do freguês” (um número
surpreendente de igrejas nos EUA (841) alcançaram a categoria de megaigreja, com 2.000
a 25.000 pessoas presentes nos finais de semana), poucos perceberam que o aumento no
número de membros não se deve a um grande número de “desigrejados” juntando-se à
igreja.
Durante os últimos 70 anos, a percentagem da população dos EUA que vai à igreja tem
sido relativamente constante (mais ou menos 43%). Houve um crescimento, chegando a
49% em 1991 (no tempo do surgimento dessa nova modalidade de igreja), mas tal
crescimento diminuiu gradualmente, retornando a 42% em 2002 (www.barna.org). De
onde, então, essas megaigrejas, que têm se esforçado para acomodar pessoas que nunca
se interessaram pelo Evangelho, conseguem seus membros? Na maior parte, de igrejas
menores que não estão interessadas ou não têm condições financeiras de propiciar tais
atrações mundanas. O que dizer das multidões de “desigrejados” que supostamente se
chegaram a essas igrejas? Essas pessoas constituem uma parcela muito pequena das
congregações. G.A. Pritchard estudou Willow Creek por um ano e escreveu um livro
intitulado Willow Creek Seeker Services (Baker Book House, 1996). Nesse livro ele
estima que os “desigrejados”, que seriam o público-alvo, constituem somente 10 ou 15%
dos 16.000 membros que frequentam os cultos de Willow Creek.
4

O Evangelho e a pessoa de Jesus Cristo não cabem em nenhuma estratégia de


mercado. Não são produtos a serem vendidos.
Se essa percentagem é típica entre igrejas “ao gosto do freguês”, o que provavelmente é
o caso, então a situação é bastante perturbadora. Milhares de igrejas nos EUA e em outros
países se reestruturaram completamente, transformando-se em centros de atração para
“desigrejados”. Isso, aliás, não é bíblico. A igreja é para a maturidade e crescimento dos
santos, que saem pelo mundo para alcançar os perdidos. Contudo, essas igrejas voltaram-
se para o entretenimento e a conveniência na tentativa de atrair “João e Maria”, fazendo-
os sentirem-se confortáveis no ambiente da igreja. Para que eles continuem frequentando
a “igreja ao gosto do freguês”, evita-se o ensino profundo das Escrituras em favor de
mensagens positivas, destinadas a fazer as pessoas sentirem-se bem consigo mesmas. À
medida que “João e Maria” continuarem freqüentando a igreja, irão assimilar apenas uma
vaga alusão ao ensino bíblico que poderá trazer convicção de pecado e verdadeiro
arrependimento. O que é ainda pior, os novos membros recebem uma
visãopsicologizada de si mesmos que deprecia essas verdades. Contudo, por pior que seja
a situação, o problema não termina por aí.
A maior parte dos que frequentam as “igrejas ao gosto do freguês” professam ser cristãos.
No entanto, eles foram atraídos a essas igrejas pelas mesmas coisas que atraíram os não-
crentes, e continuam sendo alimentados pela mesma dieta biblicamente anêmica,
inicialmente elaborada para não-cristãos. Na melhor das hipóteses, eles recebem leite
aguado; na pior das hipóteses, “alimento” contaminado com “falatórios inúteis e
profanos e as contradições do saber, como falsamente lhe chamam” (2 Tm
6.20). Certamente uma igreja pode crescer numericamente seguindo esses moldes, mas
não espiritualmente. [Com informações de Chamada]
Xx

O Evangelho bíblico desperta dor pelo pecado para um desejo por Deus, isso
é o contrário do “Evangelho” da prosperidade que desperta uma dor pela
pobreza e um desejo pelo dinheiro. -John Piper
Jesus disse: “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará
o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a
Deus e ao Dinheiro.” -(Mateus 6:24 NVI)
 >> Leia também: Conheça o verdadeiro Reverendo Billy Graham
5

 >> Leia também: O REI DAS HERESIAS PENTECOSTAIS: Benny Hinn!


Os pastores mais ricos do Brasil, pela Forbes!

Revista Forbes lista cinco pastores “evangélicos” mais ricos do Brasil


A religião sempre foi um negócio rentável (Nota do tradutor: Em qualquer lugar do
planeta). E se acontecer de você ser um pregador evangélico brasileiro, as chances de
ganhar um jackpot (loteria) celestial são realmente muito altas nestes dias… Muitos
pastores brasileiros receberam passaportes diplomáticos nos últimos anos. Alguns,
especialmente aqueles que lideram grandes igrejas, são cortejados pelos políticos em
época de eleição.
“Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e
pestes, e terremotos, em vários lugares. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e
trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos
profetas, e enganarão a muitos.” -(Mateus, 24)

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

A Revista Forbes lista cinco pastores “evangélicos” mais ricos do Brasil. A religião
sempre foi um negócio rentável e isento de pagar imposto.
Fonte: http://www.forbes.com/
Anderson Antunes, Contributor – All things wealth-related.
… Mesmo que o Brasil ainda permaneça com o título de maior país
católico do mundo, com cerca de 123,2 milhões de sua população, de
aproximadamente 191 milhões se definindo como fiéis seguidores
da Igreja do Vaticano (Nota do tradutor – A mesma que possui um banco que
serve de lavanderia para dinheiro sujo. Veja mais em: IOR-Banco do Vaticano),
os últimos dados do censo apontam para uma forte queda entre as
fileiras dos católicos romanos, que agora seriam de 64,6% da
população do país, contra 92% em 1970, uma queda acentuada de
1/3 dos fiéis católicos.
6

Enquanto isso, o número de evangélicos protestantes subiu de 15,4%


da população do Brasil em apenas uma década, para 22,2%, ou 42,3
milhões de pessoas. É provável que a tendência de queda para o
catolicismo de Roma vai continuar e estima-se que até 2030, os
católicos representem menos de 50% dos fiéis brasileiros. Então, por
que são os evangélicos que tomam conta da cena religiosa do Brasil?
Uma das qualidades mais atraentes que os evangélicos possuem é a
sua crença de que os resultados de progresso (a posse de bens)
material na vida de um fiel vem de favores de Deus. Enquanto o
catolicismo ainda prega um olhar muito conservador para a vida após
a morte, em vez do acumulo de riquezas terrenas, os evangélicos,
especialmente os grupos “neo-pentecostal”, a eles são ensinados que
está tudo certo para Deus você ser próspero em bens materiais. Essa
“doutrina”, conhecida como “teologia da prosperidade”, está na base
da fundação do maior sucesso das igrejas evangélicas no Brasil.
O valor do progresso material no evangelicismo do Brasil é explícita e
ativamente promovido. A cantora de música gospel (evangélica) Aline
Barros, premiada com um Grammy Award e que virou pregadora, e
que já tem mais de 900 mil seguidores no Twitter, diz assim: “O que
você faz para o Reino de Deus? O que você tem produzido para
Deus? Se você está vivo, é porque você tem o fôlego de vida-produza
então! ”
Parece estar funcionando. Como tem sido amplamente divulgado, o
Brasil viveu um período de grande crescimento econômico ao longo
dos últimos anos. O sucesso econômico do país não só tirou milhões
de brasileiros da pobreza, mas também elevou as expectativas de
uma nova classe média conhecida como a “classe C”.
Com os muito ricos e os muito pobres permanecendo firmemente
católicos, a maioria dos evangélicos protestantes no Brasil estão
nesta categoria, pois que encontraram na religião uma forma de ser
grato por sua boa sorte, assim como uma desculpa para desfrutar de
seu novo status na sociedade, sem sentimento de culpa.
Em outras palavras, eles estão ansiosos para voltar à igreja, talvez
para suportar parte da carga. Isso acabou transformando algumas
igrejas (seitas) em negócios altamente lucrativos e fazendo de alguns
7

de seus “líderes” bem sucedidos multimilionários. É a chamada


“Indústria da Fé”.
Bispo Edir Macedo – Líder da Igreja Universal do Reino de Deus
“Doe TUDO que você tem para a IURD. Deus está mandando!”
Tocador de vídeo
00:00

03:00

[FONTE: http://www.forbes.com]

Bispo Edir Macedo

Tome como exemplo o “Bispo” Edir Macedo, 0 fundador e líder da


Igreja Universal do Reino de Deus, que também tem templos nos
Estados Unidos, Macedo é, de longe, o mais rico pastor de igreja
evangélica no Brasil, com um patrimônio líquido estimado por *várias
revistas de negócios do Brasil de cerca de US $ 950 milhões (um
braço do governo no Brasil estima um montante ainda maior).
Ele está constantemente envolvido em escândalos, principalmente
devido a alegações de que sua organização havia auferido bilhões de
dólares de donativos que seriam destinados à caridade. Houve também
acusações oficiais de fraude e lavagem de dinheiro. No entanto, Macedo
conseguiu manter seu rebanho de seguidores ao longo dos anos.
Um dos pais da “moderna” Teologia da Prosperidade, Macedo ainda
passou 11 dias na prisão em 1992 devido a acusações de
charlatanismo. Macedo negou todas as acusações contra ele no
Brasil, mas ele ainda está sendo processado por autoridades norte-
americanas, bem como autoridades venezuelanas.
Como um escritor evangélico, ele se destaca com mais de 10 milhões
de livros vendidos, alguns dos quais são extremamente críticos da
Igreja Católica de Roma e de um número de afro-religiões brasileiras
(Umbanda, Candomblé, etc). Mas o seu maior
movimento/empreendimento foi no final de 1980, quando adquiriu o
8

controle da Rede de Televisão Record, atualmente a segunda maior


emissora de TV aberta do Brasil.
Seus outros ativos incluem um jornal, a Folha Universal, que tem
uma circulação de mais de 2,5 milhões no Brasil, um canal de
notícias, Record News, as empresas de selo musical, grandes
propriedades (alguns luxuosos) em imóveis e um jato executivo da
Bombardier Global Express XRS de valor de US$ 45 milhões dólares.
O porta-voz de Macedo disse que não iria comentar sobre assuntos
pessoais.
 >> Leia também: Bispo e Faraó: Edir Macedo
 >> Leia também: Igreja ao gosto do freguês – Carta à Laodiceia
 >> Leia: Depois do narcotráfico, templo religioso é negócio mais lucrativo!
 >> Leia: Apostasia: igrejas cristãs no mundo todo se divorciando da Bíblia!
 >> Leia: A igreja que desenvolve e promove a Teologia do Coaching com
entretenimento!
Igreja Universal do Reino de Deus chama o domingo de dia sagrado e da família.
É curioso que muitos professos cristãos digam que não se pode saber de fato quando
é o sábado, ou, se ele é o dia do Senhor, mas sabem e reverenciam perfeitamente o dia
da Besta.
Não se enganem servos do Eterno Deus. O cerco está se fechando.
Seguindo os passos de Macedo vem o pastor Valdemiro Santiago. Um
ex-pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, ele teria sido expulso
da instituição depois de alguns desentendimentos com o seu patrão
(Edir Macedo) , de quem ele era um protegido. Isso foi o suficiente
para que ele fundasse a sua própria igreja, a Igreja Mundial do Poder de
Deus, que já tem mais de 900 mil seguidores e conta com mais de
4.000 templos, muitos dos quais são adornados com imagens dele
em grandes outdoors.

Apóstolo Valdemiro Santiago

Ele tomou as manchetes dos jornais no ano passado depois de


supostamente pagar US$ 45 milhões dólares em um jato particular
idêntico ao de Edir Macedo. Várias revistas de negócios brasileiras
9

estimam que o total de seu patrimônio líquido alcance US $ 220


milhões. Enviamos e-mails e ligamos para a igreja de Santiago
solicitando respostas mas não fomos atendidos.
{Nota do tradutor: Em 05 de Fevereiro de 2013, o jornal Folha de São Paulo,
publicou na coluna de Keila Jimenez (Outro Canal) o seguinte artigo sobre o
pastor Valdemiro Santiago e sua igreja:
“O líder religioso Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, pode
tornar-se proprietário de duas redes de TV no Brasil. A Folha apurou com pessoas
ligadas à Mundial que Valdemiro está finalizando a compra da rede CNT de televisão,
por cerca de R$ 500 milhões. Na semana passada, representantes do religioso
estiveram no Rio negociando com dirigentes das Organizações Martinez, proprietária
da CNT.
A rede (CNT) possui atualmente, entre emissoras próprias, retransmissoras e afiliadas,
48 praças que levam o seu sinal pelo país. Valdemiro também está negociando, desde o
final do ano passado, a compra de Rede 21, do Grupo Bandeirantes. Locatária há
quase cinco anos de 22 horas diárias no Canal 21, a Igreja Mundial está acertando um
novo contrato com a Band, que envolveria o arrendamento do canal e, mais adiante, a
compra com abatimento do valor já investido na emissora.
O negócio gira em torno de R$ 700 milhões. Com tamanho investimento, Valdemiro foi
para a TV pedir aos fiéis uma “doação emergencial”. Ele quer que pelo menos 100 mil
pessoas ajudem a Mundial com uma doação de R$ 200 cada (R$20 milhões).
Procurados, os dirigentes da Band, da CNT e da Igreja Mundial não quiseram
comentar o assunto”.}

Pr. Silas Malafaia

Então (a seguir) vem Silas Malafaia, o “líder” do braço brasileiro


da Igreja Assembléia de Deus, a maior igreja pentecostal do Brasil. O
mais loquaz entre os seus colegas pastores, Malafaia está
constantemente envolvido em controvérsias relacionadas com a
comunidade gay no Brasil, da qual ele se declara com orgulho de ser o
maior inimigo.
O Pr. Silas Malafaia também é uma figura proeminente no
Twitter, onde é seguido por mais de 440 mil usuários. Em 2011, Malafaia,
que tem bens no valor total de US $ 150 milhões (R$ 300 milhões),
de acordo com vários revistas de negócio brasileiras, lançou uma
campanha chamada “O Clube do Um Milhão de Almas“, que pretende
levantar US$ 500 milhões (R$ 1 bilhão) para a sua igreja, a fim de
10

criar uma rede de televisão global, que seria transmitida para 137
países.
Os interessados em contribuir com a campanha podem doar quantias
a partir de US $ 500 (R$ 1.000), que poderiam ser pagas em
prestações. Em troca, os doadores receberão um livro. Malafaia
também é dono de uma das quatro maiores gravadoras de música no
Brasil do segmento evangelho, de acordo com a Billboard Brasil, e da
segunda maior empresa de publicação do evangelho do país, a
Central Gospel, com vendas relatadas de US$ 25 milhões (R$ 50
milhões) por ano.
Relembre: Malafaia e Cerullo ministram “unção financeira” e pedem ofertas de
até R$ 10 mil
Religioso norte-americano profetizou a unção financeira sobre quem aceitar doar
Programa Vitória em Cristo (09/05/2015) – Palavra Profética de Morris Cerullo
Assista:
Possivelmente, o mais ativo em multimídia entre os pregadores
brasileiros é o compositor, cantor e televangelista Romildo Ribeiro
Soares, conhecido simplesmente como R. R. Soares. Como o fundador
da Igreja Internacional da Graça de Deus, Soares é um dos rostos mais
regulares na televisão brasileira. Outro ex-membro da Igreja
Universal do Reino de Deus, ele é cunhado de Edir Macedo, o auto-
intitulado “missionário” Soares é dito ser o mais humilde entre seus
pares.

Missionário Romildo Ribeiro Soares

Seu jato particular, um King Air 350 – vale um “modesto” valor de


US$ 5 milhões. O valor estimado do patrimônio líquido de Soares
(retirado também de várias publicações de negócios brasileiros) seria
de US$ 125 milhões (R$ 250 milhões de reais). O porta-voz de
Soares não retornou as ligações ou os e-mails que nós enviamos.
Os fundadores da Igreja Renascer em Cristo, o auto intitulado “apóstolo”
Estevam Hernandes Filho e sua esposa, a “Bispa” Sonia, supervisiona mais
de 1.000 igrejas no Brasil e no exterior, incluindo várias na Flórida,
nos EUA. Com um patrimônio líquido combinado estimado em US$ 65
milhões (R$ 130 milhões de reais) por várias revistas de negócios do
11

Brasil, o casal fez as manchetes internacionais em 2007, quando eles


foram presos e encarcerados em Miami, nos EUA, acusados de
transportarem mais de US$ 56.000 dólares em dinheiro não
declarado.
Parte do dinheiro estava escondido entre as páginas de sua Bíblia, de
acordo com os agentes alfandegários norte-americanos que
detiveram o casal no Aeroporto Internacional de Miami. Eles foram
devolvidos ao Brasil um ano depois. Eles também estão ainda
respondendo processos no Brasil por acusação de uma série de
outros crimes, inclusive para o colapso e a queda do teto em um de
seus templos, o que causou nove mortes dos seus fiéis.
A prisão e as sistemáticas alegações de desvio de fundos no Brasil
tem reverberado e ecoado ruidosamente. Em dezembro de 2010, o
astro do futebol brasileiro Kaká, que era amigo do casal Hernandes e um
membro de sua igreja, abandonou a instituição, alegadamente por
causa do mau uso do dinheiro pela sua liderança. Kaká tinha teria
doado mais de US$ 1 milhão (R$ 2 milhões) para a igreja durante o
tempo em que era um dos seus membros mais conhecidos. Um
porta-voz do casal Hernandes não respondeu aos nossos e-mails e
telefonemas.

Apóstolo Estevam Hernandes e Bispa Sonia

Tornar-se um pregador evangélico no Brasil é o sonho de muitos


jovens de todo o país. Ao contrário do que as mais tradicionais (e
conservadoras) igrejas protestantes que exigem seus pastores de ter
pelo menos um mestrado, as igrejas neo-pentecostais, como a Igreja
Universal do Reino de Deus oferece cursos intensivos para “criar” os
seus próprios pastores para tanto cobrando tão pouco quanto US$
350 (R$ 700) por alguns dias de aulas.
Não é só sobre o dinheiro (Malafaia paga até US $ 11.000 (R$ 22 mil)
por mês para os membros (pastores) mais “talentosos” da equipe de
sua igreja, de acordo com a revista Veja SP), mas também sobre “TER
PODER”.
Muitos pastores brasileiros receberam passaportes diplomáticos nos
últimos anos. Alguns, especialmente aqueles que lideram grandes
igrejas, são cortejados pelos políticos em época de eleição, para não
mencionar que, como em muitos países ao redor do mundo, as
12

igrejas são isentas de impostos no Brasil, fato que por vezes pode
criar uma lacuna muito conveniente.
Como diz a Bíblia, a fé move montanhas. “E um monte de dinheiro,
também”.
* As estimativas para valores líquidos foram baseadas em números obtidos junto ao
Ministério Público do Brasil, da União e da Polícia Federal (para aqueles que têm
sido investigadas por tais órgãos), conforme relatado pela mídia brasileira, bem como
as estimativas do valor das participações privadas de cada pastor que apareceram em
publicações importantes, incluindo revistas de negócios e outras como: Veja, Exame,
IstoÉ, IstoÉ Dinheiro e os jornais Folha de S. Paulo, O Globo e O Estado de S.
Paulo. [Informações publicadas em Abril 2014]
Agenor Duque, o apóstolo emergente das igrejas
neopentecostais.
Pastor que se veste como mendigo em culto tem mansão, Porsche e Ferrari!

Milionário, Pr. Agenor Duque simula usar roupa esfarrapada de pano de saco.

O autointitulado apóstolo Agenor Duque (foto), 37, dono da Igreja


Plenitude do Trono de Deus, apresenta-se em seus cultos vestido de
mendigo, com uma túnica feita com um tecido simulando ser de saco
de estopa, para passar a ideia de pobreza e humildade. Mas ele
nunca disse aos seus fiéis que costuma se locomover de Porsche, de
Ferrari e um jatinho. O pastor é milionário.
Casado com a pastora Ingrid, no dia a dia, fora do palco de cultos,
Duque se veste com a grife Hugo Boss, usa cordões, anéis e relógios
dourados e calca os tênis Nikes mais caros.
Duque tem cerca de 20 igrejas em São Paulo, Rio, Minas, Goiás,
Distrito Federal e Amazonas. A Plenitude aluga horário na TV e rádio.
Época apontou o ex-viciado em drogas Duque como o pastor
emergente da vez. Ele já tinha passado pela Igreja Universal e
Mundial. Ele teve, portanto, Edir Macedo e Valdemiro Santiago como
professores, os melhores que um líder neopentecostal pode almejar.
Duque tem uma parceria com o pastor André Salles, que foi o
responsável pela conversão da ex-senadora Marina Silva.
O diferencial de Duque é que ele faz o “milagre” de os fieis
esquecerem-se do que desejarem. Costuma dizer que Deus apaga da
memória o passado de sofrimento.
13

Em um culto, por exemplo, ele fez um jovem esquecer que era


homossexual, evocando um milagre de “manassés”, palavra que em
hebraico significa “esquecimento”, entre outras acepções.
O que Duque faz, na verdade, é uma nova versão da “cura gay” e de
preconceito contra os homossexuais.
Duque e seus pastores são tão habilidosos em tirar dinheiro dos fiéis
quanto os demais pregadores neopentecostais. Ele não se constrange
em pedir o 13º e o FGTS dos fiéis.
Uma pastora de Duque — após a leitura de 1 Reis 17, sobre uma
viúva miserável que doou a um profeta tudo o que tinha, um
punhado de farinha e um pouco de azeite — conseguiu que uma fiel
doasse todo o dinheiro que tinha na carteira, uma nota de 50 reais.
“Prova para Deus que você acredita Nele”, disse a pastora.
“Precisa ser um sacrifício grande, algo que dói! Limpa a carteira!
Raspa a carteira! Ou faz como uma mulher no culto desta manhã,
que doou o próprio carro.”
Com tanta falta de escrúpulo, a Igreja de Duque tende a se manter
em crescimento, se a concorrente e dona do mercado, a Universal,
deixar.
De qualquer modo, valem as palavras do doutor em ciências da
religião Paulo Romeiro: “A igreja neopentecostal brasileira é cega,
infantilizada, cheia de picaretas e cambalacheiros.”
Pastor e fiéis usam na cabeça paninho sagrado…

Via: Paulolopes
Vai um lencinho abençoado ai pessoal? Na promoção!!
14

EU PROFETIZO QUE VOCÊ TOME VERGONHA NA CARA E PARE DE


ENGANAR O POVO!
 >> Leia também: Conheça o verdadeiro Reverendo Billy Graham
 >> Leia também: O REI DAS HERESIAS PENTECOSTAIS: Benny Hinn!
por Júlio César Prado

Bispo Edir Macedo

A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE (PARTE I) –O Templo de Salomão, no


Brás, região central de São Paulo, foi construído pela Igreja Universal
do Reino de Deus, em uma área de quase 74 mil m2 e dividido em
dois grandes blocos, interligados por uma nave que pode abrigar
confortavelmente mais de 10 mil pessoas sentadas. A obra custou R$
680 milhões e tem 10 mil lâmpadas de LED, mármore rosa italiano e
oliveiras importadas de Israel. O local tem também um telão com 20
metros de comprimento.
Hoje, as maiores preocupações são o emprego, a saúde, a segurança,
a sobrevivência. Essas necessidades são percebidas por Deus, e Ele
deseja satisfazê-las. Mas uma forte e perigosa tendência é tornar a
satisfação dessas necessidades o único objetivo da religião. É isso o
que faz a chamada Teologia da Prosperidade. Os pregadores dessa
nova versão do evangelho afirmam que, diante do desejo de se ter
um carro novo ou muito dinheiro, pode-se “invocar o nome de Jesus
com a mesma facilidade com que se usa um cartão de crédito”.
A Teologia da Prosperidade originou-se na doutrina da Confissão
Positiva, criada por Essek Willian Keynon, nos Estados Unidos, e
difundida a partir dos anos 40 pelo evangelista também norte-
americano Kenneth Hagin. A Confissão Positiva, por sua vez, tem
raízes no espiritismo e na parapsicologia. Segundo essa doutrina, “os
cristãos detêm poder – prometido nas Escrituras e adquirido pelo
sofrimento vicário de Jesus – de trazer à existência, para o bem ou
para o mal, o que declaram, decretam, confessam ou determinam em
voz alta”, explica o sociólogo Ricardo Mariano. Não é somente o
poder da palavra que garante ao crente uma vida próspera. É
indispensável seguir o princípio da reciprocidade, ilustrado pela
expressão “é dando que se recebe”.
15

No livro Vida com Abundância, o bispo Edir Macedo (foto) afirma:


“Quando pagamos o dizimo a Deus, Ele fica na obrigação (por que
prometeu) de cumprir a Sua Palavra, repreendendo os espíritos
devoradores que desgraçam a vida do homem”. O dízimo deixa,
então, de ser uma demonstração de gratidão, pelas bênçãos, e passa
a ser uma forma de compra-las. Como qualquer igreja, além de pedir
o dízimo, aquelas que pregam a prosperidade também pedem
ofertas. O apregoado sacrifício que torna a fé material significa,
muitas vezes, a doação de casas, carros, terrenos, herança e
poupança.
Anunciando que a felicidade terrena está à disposição de todos, em
três anos a Universal saiu de uma ex-funerária do subúrbio carioca e
alcançou cinco Estados, abrindo 21 templos. Hoje, com cerca de
milhares de fiéis, a Igreja do bispo Edir Bezerra Macedo tem centenas
de templos no Brasil e mais de dois mil no exterior, em mais de 100
países. Ao prometer felicidade plena ainda na vida terrena, a Teologia
da Prosperidade traz o Reino dos Céus para a Terra, mas choca-se
com o evangelho de Cristo (Foto: Divulgação) (CONTINUA).
 >> Leia também: Qual a origem da Igreja Católica Apostólica Romana?

A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE (PARTE II) –“Muito dinheiro no bolso,


saúde pra dar e vender”. A frase repetida a cada passagem de ano é
reafirmada diariamente por líderes de algumas das igrejas que mais
cresceram nos últimos 20 anos. A promessa é que a prosperidade
material está à disposição de todos, bastando ao crente “tomar
posse” dessa bênção. Essa pregação leva milhares ao pé da cruz de
um “Cristo” que expia não só os pecados, mas também a pobreza. A
Teologia da Prosperidade tornou-se notória há poucas décadas
principalmente por meio de pastores de origem pentecostal.
Como doutrina, ela traduz as dádivas do evangelho em termos de
sucesso financeiro e saúde inabalável, entre outros benefícios a
serem usufruídos aqui mesmo. De acordo com o sociólogo Ricardo
Mariano, em seu livro Neopentecostais – Sociologia do novo
pentecostalismo no Brasil, “essa doutrina veio coroar e impulsionar a
incipiente tendência de acomodação ao mundo das várias igrejas
pentecostais”. Não é apenas no meio pentecostal que as promessas
de benefícios momentâneos fazem sucesso.
16

Na igreja católica, o movimento da Renovação Carismática (foto), que


em vários aspectos imita a liturgia pentecostal, também enfatiza os
benefícios presentes da religião. Acuada pelo crescimento pentecostal
na América Latina e principalmente no Brasil, a liderança católica
encontrou na Renovação Carismática a maneira de enterrar a
Teologia da Libertação, com seu ideal de justiça social, e encher
novamente as igrejas. Fora de moda, o discurso politizado dos padres
deixou de atender aos anseios contemporâneos, espantando fiéis.
Atualmente a Renovação está em 95% das cerca de 300 dioceses do
país e tem mais de oito milhões de adeptos.
Numa época em que o sensacional e o momentâneo sobrepõem-se ao
racional, líderes religiosos acompanham a tendência mundana e
adaptam o evangelho ao gosto do público. Da ênfase no Paraíso
divino à promessa de benefícios terrenos, o cristianismo tem sido
reformulado ao longo do tempo pelos que desejam arrebanhar
sempre um maior número de fiéis e estabelecer o reino do Céu, na
Terra. Igrejas como Universal do Reino de Deus, Internacional da
Graça e Renascer em Cristo destacam a importância do sacrifício, no
ato de ofertar.
A Fogueira Santa, reunião realizada pela Universal, segundo o bispo
Macedo, é uma oportunidade para provar a fé em Deus. “Muitos
dizem crer no Seu poder, mas essa crença somente é justificada
através do sacrifício que faz acontecer à materialização da fé”,
conclui. Quanto maior o sacrifício, maior seria a bênção. Na Folha
Universal com tiragem de 1,5 milhão de exemplares, Eulina Rosa
Pugliese afirma ter chegado à igreja “destruída em todos os setores
da vida”, mas depois de fazer seu sacrifício, prosperou e hoje tem até
carro importado.
A diarista Nanci de Almeida, ex-membro de uma igreja
neopentecostal, atesta ter recebido saquinhos de sal para colocar
atrás da porta, e “água ungida” para aspergir na parede de casa. Sua
intenção era espantar o demônio e os maus-olhados que rondavam o
ambiente. Na troca de objetos benzidos supostamente dotados de
poderes divinos, por ofertas, verifica-se a regressão neopentecostal
às velhas crendices pagãs (Foto: Divulgação) (CONTINUA).
 >> Leia aqui no site todos os Artigos e Estudos do jornalista e teólogo Júlio César
Prado
17

A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE (FINAL) –“Ninguém mudou tanto a


paisagem religiosa no Brasil quanto Edir Macedo, fundador da Igreja,
que, hoje, viaja em jatinho privado e com passaporte diplomático –
um privilégio também concedido no Brasil para altos representantes
do Vaticano (a Igreja de Macedo) alia a teologia da prosperidade com
cânones, como exorcismo e curas”, diz New York Times.
Se a vida com abundância, como dizem os pregadores da
prosperidade, fosse à manifestação das bênçãos de Deus, mazelas
humanas como pobreza e doença seriam demonstração de uma vida
de pecado, submetida ao demônio. Ao prometer felicidade plena
ainda na vida terrena, a Teologia da Prosperidade traz o Reino dos
Céus para a Terra, mas choca-se com o evangelho de Cristo. Quando
esteve na Terra, o Filho de Deus não prometeu uma vida livre de
tribulações. “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo;
Eu venci o mundo”, incentivou Jesus (João 13:33).
As riquezas e a prosperidade terrenas não são a promessa de Deus
para o crente. “A vida do homem não consiste na abundância de bens
que ele possui”, diz, em Lucas 12:15. Tampouco pode o crente
comprar o favor divino. Em Atos 8:20, Pedro, discípulo de Jesus,
desaprovou a atitude de Simão, que por meio de uma generosa
oferta pretendia receber poder do Espírito Santo. “O teu dinheiro seja
contigo para perdição, pois julgaste adquirir, por meio dele, o dom de
Deus”, repreendeu o apóstolo.
Na medida em que os bens materiais são tidos como representação
da bênção divina, a lógica do consumo se instala na religião.
Legitima-se o sonho de consumo de muitos e o consumo exagerado
de poucos. Mas o apóstolo Paulo adverte: “Ora, os que querem ficar
ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências
insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e
perdição” (I Timóteo 6:9).
Ao contrário, ele aconselha: “Combate o bom combate da fé. Toma
posse da vida eterna, para a qual também foste chamado” (I Timóteo
6:12). A vida eterna a ser desfrutada com Deus na Nova Terra é a
boa-nova do evangelho anunciada por Jesus e a esperança que anima
o verdadeiro cristão durante a vida na Terra. (Foto: Divulgação).
18

“DESPERTA, TU QUE DORMES, e levanta-te dentre


os MORTOS (INCONSCIENTES), e CRISTO te esclarecerá. Portanto, vede
prudentemente como andais, não como NÉSCIOS, mas como SÁBIOS” -(Efésios
5:14,15)
*Significado de néscio: adj. Característica de quem não possui capacidade,
conhecimento, sentido ou coerência. s.m. Sujeito ignorante, estúpido, incompetente,
incoerente. Burro no senso comum. (Etm. do latim: nescius.a.um)

Xx
http://www.apocalipsenews.com/brasil/teologia-da-prosperidade-a-industria-da-fe/

xx

O fenômeno Hillsong no
mundo: A igreja que
desenvolve e promove a
Teologia do Coaching com
entretenimento – A substituta
da Teologia da Prosperidade!
FacebookWhatsAppTwittergoogle_plusCo
mpartilhar
Dê consumo e entretenimento que os escravos terão amor à sua
escravidão. -Por; Autor Desconhecido
19

 >> Leia também: Teologia da Prosperidade: A Indústria da Fé!


 >> Leia também: Igreja ao gosto do freguês – Carta à Laodiceia
Mais uma técnica humanista e materialista sendo utilizada no
meio cristão. As ciências sociais (profano) estão moldando as
estratégias da igreja cristã (santo). Recomendamos a leitura para
se precaver deste que é um dos métodos pós-modernos de
“evangelismo” e não apenas se precaver mas também denunciar
onde quer que seja empregado.
Teologia do Coaching – A substituta da Teologia da
Prosperidade!

A teologia da prosperidade já apanhou demais. Seus grandes ícones


já foram expostos e desmascarados. Infelizmente ela ainda faz
vítimas pela falta de conhecimento do povo, principalmente nas
periferias, público alvo desse tipo de “teólogos”. Felizmente ela está
cada vez mais marginalizada e ficando limitada a determinadas
igrejas. Um bom números de crentes tem um grande repúdio por
esse tipo de abordagem “evangélica”. Pois bem, eis que temos uma
substituta para a tal da teologia da prosperidade (TP). Eu a chamo de
teologia do coaching (TC). Usareis as siglas a partir de agora.
A Cultura do Coaching.
Sou formado em administração. Cursei quatro anos de faculdade e fiz
outros cursos na área. Na época o coaching não era tão conhecido
como hoje. Sempre valorizei cursos com conteúdos práticos como
finanças, marketing e recursos humanos. Nunca fomos ensinados que
precisaríamos de pessoas nos acompanhando para ensinar,
direcionar, motivar e cobrar. Nós mesmos faríamos isso. Então a
20

cultura do coaching chegou. Vá a uma seção de administração e


negócios de uma livraria hoje e você perceberá o que estou
dizendo. Nunca me dei bem com ela para ser sincero. E quero
explicar a razão usando duas citações do Instituto Brasileiro de
Coaching. Primeiro, o que é o coaching?
“Um mix de recursos que utiliza técnicas, ferramentas e conhecimentos de diversas
ciências como a administração, gestão de pessoas, psicologia, neurociência,
linguagem ericksoniana, recursos humanos, planejamento estratégico, entre outras
visando à conquista de grandes e efetivos resultados em qualquer contexto, seja
pessoal, profissional, social, familiar, espiritual ou financeiro”¹
Agora pergunto: como o coaching acontece?
“Conduzido de maneira confidencial, o processo de Coaching é realizado através das
chamadas sessões, onde um profissional chamado Coach tem a função de estimular,
apoiar e despertar em seu cliente, também conhecido como coachee, o seu potencial
infinito para que este conquiste tudo o que deseja”²
Antes de continuar deixe-me dizer algo para que fique claro. Acredito
na liberdade de trabalho honesto. Se você gosta ou trabalha
honestamente com isso, ok, é a sua escolha. Por mais que eu tenha
críticas a essa prática, aqui entrarei na relação do coaching com a
igreja. Usarei essas duas respostas dadas para analisar biblicamente
o que chamo de TC. Minha argumentação será essa: Igreja e
evangelho não combinam com o coaching e não devem se misturar
jamais. Quando isso acontece temos uma nova TP com uma
roupagem mais humanista e existencialista.
Junto com o coaching cresceu o chamado empreendedorismo de
palco (EP). São aqueles profissionais que trabalham com palestras
motivacionais e grandes palestras de coaching. Esse mercado tem
crescido assustadoramente e também tenho sérias dificuldades com
ele. Aqui se aplica a mesma observação que fiz aos profissionais de
coaching. Mesmo assim indico um ótimo texto escrito por Ícaro de
Carvalho chamado Por que o empreendedorismo de palco irá destruir
você. O autor começa com uma afirmação que capta bem o ponto
onde quero chegar:
“O empreendedorismo é a nova religião do homem moderno. Materialista e secular,
ele substituiu os Santos do seu altar por fotografias de homens bem sucedidos; os
seus Evangelhos são livros como “O sonho grande” e “A força do Hábito”. Ele
acredita, de alguma maneira, que tudo aquilo irá aproximá-lo do seu objetivo
principal: sucesso, fama e dinheiro…de preferência agora!”³
Essa cultura construída em torno do coaching e do EP é em sua
maioria materialista. O objetivo de muitos é o sucesso financeiro, e
isso significa enriquecer. Com um fator especial: o mais rápido
possível. É comum ler e ouvir grandes promessas e ensinamentos
sobre como trabalhar menos e ganhar mais. O foco está no esforço
intelectual e físico daquele que está buscando seu lugar ao sol. É
dessa cultura de palco, sonhos, riquezas e promessas que estou
falando. Já viu onde isso vai chegar na igreja? Vamos falar disso
agora!
O Coaching na Igreja.
21

Eu já vi palestras de coaching acontecendo onde deveria haver uma


pregação da Palavra. Isso mesmo, em pleno culto público.
Infelizmente essa cultura chegou em muitas igrejas. E se eu já não
me dou bem com ela no mercado de trabalho, na igreja não tenho
medo de dizer que ela é minha inimiga. Assim como repudio a TP
também o faço com essa nova onda da TC. Em alguns sentidos essa
segunda chega a ser pior do que a primeira. Vamos analisar três
pontos que constroem a TC.
Humanismo: O coaching utiliza de técnicas humanas num indivíduo que
é o centro de tudo para que este alcance seus objetivos humanos.
Muitos pastores e líderes tem enveredado por esse caminho. Tratam
suas pregações como palestras motivacionais da fé que confundem fé
com força e vontade, evangelho com motivacionismo e Cristo com
um palestrante. O foco está naquilo que o homem pode fazer através
da sua fé pessoal. Fé essa que passa por Cristo, mas que tem seu
objeto na própria pessoa e nos seus esforços dirigidos. Muitas
“pregações” tem o mesmo objetivo do coaching, ou seja,
estão “visando à conquista de grandes e efetivos resultados em qualquer contexto,
seja pessoal, profissional, social, familiar, espiritual ou financeiro”. O apelo pode
ser até espiritual, mas ainda assim Você já deve ter escutado muito
coisas do tipo “como ser o melhor marido”, “como atrair e fidelizar
pessoas para o reino”, “alcançando sucesso através da fé.”. Tudo isso
travestido de espiritualidade…
Materialismo: há um desejo enorme em conquistar coisas. Sejam elas
produtos do mercado como carros, casas, roupas, viagens ou algo
mais “espiritual” como paz, pessoas, bom casamento, filhos
educados, castidade, etc. As pessoas querem conquistar, possuir e
avançar, sendo tudo isso fruto não da humilhante auto confrontação
e negação de si mesmo, mas da auto-afirmação. O papel do pastor se
tornou muito parecido com o do coach: “estimular, apoiar e despertar em
seu cliente (ovelha)… o seu potencial infinito para que este conquiste tudo o que
deseja”. É exatamente isso que essa mistura humanista-materialista
busca: o potencial infinito de cada ser humano para conquistar aquilo
que ele deseja. Há uma conexão com o existencialismo, onde o
indivíduo e sua busca pessoal por significado em si mesmo passa a
ser o centro do pensamento filosófico.
Ceticismo: Humanismo e materialismo são marcas de seres céticos. A
crença no Deus da Bíblia é cada vez mais fraca onde esse tipo de
cultura se manifesta. Como eu já disse, a TC busca descobrir o
potencial de cada pessoas para que ela alcance seus próprios
objetivos. Dependência de Deus é algo apenas fantasiado. Orações
são feitas apenas para que Deus abençoe nossos planos e para que
Ele nos dê apoio em nossa própria empreitada. O sobrenatural é
esquecido e Deus vai ficando cada vez mais distante. Na TC o
soberano é o indivíduo com suas decisões de fé e sucesso. Em muitas
igrejas tudo que você vai encontrar nos púlpitos são mensagens
sobre o que os homens podem fazer para serem alguma coisa melhor
do que já são. Até a mistura com conteúdos de coaching, marketing
22

pessoal e psicologia você encontrará. Aliás, tem sido comum pastores


e líderes entrarem nesses cursos e palestras para serem mais
persuasivos, contagiantes e teatrais (pra não usar manipuladores). O
Espírito Santo não tem muito espaço na TC, mesmo que usem seu
nome.
São por esses motivos principais que digo que a TC está substituindo
a TP. Esse discurso tem atraído jovens, empresários, profissionais
liberais, e todo o tipo de gente, principalmente na classe média. E
aqui está a transição entre as duas abordagens. A TP faz uma
barganha com Deus crendo que Ele efetuará milagres para benefício
material e espiritual do homem. A TC eliminou a barganha ao deixar
Deus de longe, mas passou a ter no próprio homem a força
“milagrosa” para seu benefício material e espiritual. Na TP ainda há
uma certa dependência de Deus e seu agir sobrenatural, enquanto na
TC o homem declarou sua independência. O relacionamento de
barganha foi substituído para o relacionamento de platéia. O Deus da
TC está assistindo e torcendo pelos grandes empreendedores no
palco da fé. Talvez você ache ruim o uso do palavra coaching, mas
pelo que você entenda a expressão completa “teologia do coaching”
que estou usando para definir esse tipo de abordagem..
Essa é uma teologia mais sutil, que parece mais humilde, mas na
verdade transborda soberba ainda mais do que a tenebrosa TP. Seu
ambiente menos escandaloso e mais conformado a cultura secular
permite que esse tipo de abordagem lote igrejas e obtenha grande
aceitação. Geralmente se fala o que as pessoas querem ouvir e
pecados são tratados como pedra e obstáculos no caminho que
devem ser superados. A pregação fica até mais dinâmica, com uso de
mídias, frases de efeito e motivação mútua. Tudo isso associado com
o desejo material dos nossos dias só contribuem para que a TC ganhe
terreno. Logo logo nós teremos grandes problemas com ela e talvez
ela chegue ao mesmo patamar da TP. Que Deus nos livre e proteja
disso!
O que Jeremias e Tiago Diriam?
Não quero tornar esse texto num texto longo demais. Portanto,
encerrarei apenas com três passagens bíblicas (quem sabe um artigo
completo poderá sair em breve sobre o tema). Compare com as
ideias da TC e veja como a Bíblia é contrária a isso. Jeremias
profetizou para um povo orgulho e que confiava em suas próprias
forças e em sua “tradição espiritual”. Contra isso Deus falou por meio
do profeta:
“Assim diz o Senhor: “Não se glorie o sábio em sua sabedoria nem o forte em sua
força nem o rico em sua riqueza, mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em
compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor, e ajo com lealdade, com
justiça e com retidão sobre a terra, pois é dessas coisas que me agrado”, declara o
Senhor” (Jeremias 9:23,24)
Num momento mais a frente ele resume bem sua mensagem ao
povo:
23

“Assim diz o Senhor: Maldito é o homem que confia nos homens, que faz da
humanidade mortal a sua força, mas cujo coração se afasta do Senhor… Mas
bendito é o homem cuja confiança está no Senhor, cuja confiança nele está”
(Jeremias 17:5-7)
Encerro com a passagem de Tiago, um verdadeiro balde de água fria
na teologia do coaching:
“Ouçam agora, vocês que dizem: “Hoje ou amanhã iremos para esta ou aquela
cidade, passaremos um ano ali, faremos negócios e ganharemos dinheiro”. Vocês
nem sabem o que lhes acontecerá amanhã! Que é a sua vida? Vocês são como a
neblina que aparece por um pouco de tempo e depois se dissipa. Ao invés disso,
deveriam dizer: “Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo”. Agora,
porém, vocês se vangloriam das suas pretensões. Toda vanglória como essa é
maligna.” (Tiago 4:13-16)
TP e TC, ambas são maléficas e distantes do cristianismo bíblico que
leva o homem a negar a si mesmo, humilhar-se diante de Deus e
depender dele em tudo. Ter sucesso profissional e conquistar
riquezas não é pecado em si, mas isso não pode ser um dos pontos
centrais de nossa espiritualidade cristã. Cuidado para não substituir a
teologia da prosperidade pela teologia do coaching, em ambas o deus
que adoram é o mesmo: o homem.
Pedro Pamplona
_______________________________________________________________
__
¹ Retirado de http://www.ibccoaching.com.br/portal/coaching/o-que-e-coaching/
Acesso em 28/12/2016 / ²Ibid / ³ Ícaro de Carvalho. Por que o empreendedorismo de
palco irá destruir você. Acesso em 28/12/2016 – Via: PEDRO PAMPLONA
 >> Leia também: Teologia da Prosperidade: A Indústria da Fé!
 >> Leia também: Igreja ao gosto do freguês – Carta à Laodiceia
Igreja Hillsong – Com Shows de Rock, Boate Gospel e preleções
e pregações motivacionais ao invés da pregação da Palavra, seu
público principal são os jovens de todas as “tribos” e
costumes. (A igreja onde se inspiram Ana Paula Valadão e família
Batista Lagoinha). >> Leia também: Conheça o verdadeiro Reverendo
Billy Graham
➡️ Dê consumo e divertimento que os escravos terão amor à sua escravidão. -Por;
Autor Desconhecido >> Leia também: O REI DAS HERESIAS PENTECOSTAIS:
Benny Hinn!
Igreja Hillsong existe desde 1983; nasceu na Austrália, criada pelos
pastores Brian e Bobby Houston. Presente em mais de 10 países, é
ligada às Assembleias de Deus.
A Hillsong Church ficou mais conhecida no mundo laico nos últimos
anos, depois que a estrela pop Justin Bieber se “converteu”.
Coincidência ou não, após a conversão o cantor canadense
praticamente sumiu do noticiário policial. Outra estrela de Hollywood
que frequenta os templos é Vanessa Hudgens. No Brasil, o jogador
David Luiz é grande entusiasta.
24

Derivada do protestantismo, a Hillsong Church tem um modo peculiar


de atingir os fiéis: em vez de apenas a pregação, o louvor a Deus é
feito também e principalmente pela música.

Hoje a igreja conta com dezenas de bandas e ajuda e trabalha na


formação de músicos.Porém, tem um amplo trabalho social e assistencial em
todos os lugares por onde se instala, além de berçários, escolas e ministério de
cursos.
A Hillsong Church é um fenômeno fonográfico e já vendeu dezenas de
milhões de CDs e DVDs no mundo.
Algumas canções se tornaram clássicos e acabaram ganhando
reinterpretações e traduções em vários países, inclusive no Brasil,
com, por exemplo, Aline Barros (“At The Cross”). Com
informações site UOL.
Rede Globo é elogiada após exibir documentário da igreja Hillsong.
25

A Globo surpreendeu a todos ao exibir, na madrugada desta


segunda-feira (02/02/2017), o documentário “Hillsong: Uma Canção
de Fé”, que conta a história da Hillsong, igreja evangélica nascida na
Austrália nos anos 80 e que acaba de criar sua primeira unidade no
Brasil (São Paulo).
Nas redes sociais, o público estranhou o fato, e o assunto foi o mais
comentado no Twitter, onde a emissora recebeu vários elogios,
apesar de algumas reclamações em relação à edição, que contou com
vários cortes. O documentário foi ao ar dentro da “Sessão de Gala”.
26

Ele conta como uma pequena igreja que decidiu montar uma banda
autoral de música gospel e contemporânea alcançou o mundo. Com o
tempo, a igreja passou a criar e gerir novas bandas, enquanto se
espalhava pelos continentes. Acabou virando também um fenômeno
fonográfico.
O grupo já vendeu dezenas de milhões de CDs e DVDs. Além disso,
a Hillsong Church hoje é considerada uma das igrejas mais influentes
do mundo, com grande atração de fiéis jovens, e conta com projetos
sociais em todo o mundo. Celebridades como Justin Bieber frequenta
a igreja.
Ele se converteu após um período turbulento na vida pessoal. A
primeira congregação no Brasil foi aberta no ano passado em São
Paulo, e os membros se reúnem aos domingos no espaço Áudio, na
Barra Funda. [Com informações do colunista Ricardo Feltrin. Via: TV
FOCO]
Assista: ‘Hillsong: Uma Canção de Fé’.
Documentário acompanha a vida da maior banda cristã de todos os tempos.
Conhecidos mundialmente, a banda gospel HillsongUnited já teve suas canções
traduzidas para 60 idiomas e venderam mais de 17 milhões de álbuns. Acredita-se que
suas canções são cantadas, todos os domingos, por mais de 50 milhões de pessoas em
todo o mundo. Acompanhe a trajetória da maior banda cristã de todos os tempos em
“Hillsong: Uma Canção de Fé”, documentário inédito na TV brasileira que a Globo
exibe na Sessão de Gala de domingo, dia 1º de 2017.
A Hillsong Church, uma igreja com sede na Austrália, tinha um sonho: montar uma
banda para que as canções entoadas nos cultos fossem autorais. Este sonho se
expandiu pelo mundo e eles se tornaram a maior banda do segmento cristão de todos
os tempos. Responsáveis por um império e uma influência incrível entre os jovens de
todas as culturas, os membros da banda comentam o sucesso e o que acreditam ser a
razão de tudo: seu amor por Jesus.
OU
27

Documentário mostra a trajetória dos 11 integrantes da banda (Foto: divulgação)


28

Banda da Hillsong Chruch tem influência entre os jovens (Foto: divulgação)

[FONTE: REDE GLOBO]


 >> Leia aqui no site tudo sobre Hollywood
 >> Leia também: Desenhos animados a serviço da mentira
http://www.apocalipsenews.com/brasil/o-fenomeno-hillsong-no-mundo-a-igreja-que-
desenvolve-e-promove-a-teologia-do-coaching-com-entretenimento-a-substituta-da-teologia-
da-prosperidade/