Você está na página 1de 46

Geodésia Física

Geodésia Física

Conteúdo Programático (Profº Walace)

A Terra e Seu Campo Gravitacional

Campo da Gravidade

Componentes da Força de Atração

Potencial de Atração

Potencial Gravívivo

Potencial Anômalo

Distúrbios da Gravidade

Funções Harmônicas Equação de Laplace;

Polinômio de Legendre

Geopotencial

Geóide e desvio da Vertical

Geodésia Física

Equação de Laplace; ▫ Polinômio de Legendre ▫ Geopotencial ▫ Geóide e desvio da Vertical Geodésia

Conteúdo Programático (Profº Walace)

Equação Fundamental da Geodésia Física

Potencial Anômalo

Anomalia da Gravidade

Distúrbios da Gravidade

Problema do Contorno

Determinação gravimétrica das ondulações do geoide;

Integral de Stokes;

Determinação de N pelo método de zonas e quadrados;

Reduções Gravimétricas

Free-Air;

Bouguer;

Isostáticas;

Efeito indireto

Geodésia Física

• Reduções Gravimétricas ▫ Free-Air; ▫ Bouguer; ▫ Isostáticas; ▫ Efeito indireto Geodésia Física

Conteúdo Programático (Profº Mayara)

Modelos do Geopotencial

Earth Gravitational Model 2008 EGM2008

MapGeo 2010 e 2015

Missões espaciais para fins da Geodésia Física (GRACE, GOCE, CHAMP, TOPEX/Poseidon/Jason dentre outros)

Superfícies e Altitudes Usadas em Alguns Países e em Especial no Brasil

Números Geopotenciais;

Altitudes Cientificas (Ortométrica, Helmert, Vignal; Normal e Dinâmica)

Geodésia Física

Números Geopotenciais; ▫ Altitudes Cientificas (Ortométrica, Helmert, Vignal; Normal e Dinâmica) Geodésia Física

Conteúdo Programático (Profº Walace)

Determinação

Ortométrica

da

Ondulação

Geoidal

e

Altitude

N a partir da anomalia da gravidade

 

N a partir do desvio astro-geodésico;

 

N a partir da modelos geopotenciais;

N

a

partir

da

Combinação

de

Nivelamento

geométrico

e

Posicionamento por Satélite.

 

Correção dos modelos geopotenciais.

 

Geodésia Física

e Posicionamento por Satélite.   ▫ Correção dos modelos geopotenciais.   Geodésia Física

Recursos e Softwares

Modelos Geopotenciais:

MAPGEO2015;

MAPGEO2010/2004;

EMG2008

Software Scilab e Qgis/Sufer;

Geodésia Física

Geopotenciais: ▫ MAPGEO2015; ▫ MAPGEO2010/2004; ▫ EMG2008 • Software Scilab e Qgis/Sufer; Geodésia Física

Critérios de Falta e Notas

Só será realizada segunda chamada, se e somente se, o aluno entrar com pedido/protocolar;

Não será abonado falta por qualquer motivo, exceto por motivo de doença mediante a comprovação de atestado médico.

Não será “arredondado notas”:

NAPs para não realizar a SUB;

SUB para não realizar a NAF;

Ou qualquer outro tipo de choro;

Geodésia Física

NAPs para não realizar a SUB; ▫ SUB para não realizar a NAF; ▫ Ou qualquer

Prévia das Datas.

Provas:

29/05/2019 P1 Conteúdo do Prof° Walace;

24/07/2019 P2 Conteúdo da Prof° Mayara;

31/07/2019 Sub Todo Conteúdo

07/08/2019 NAF Todo Conteúdo

Geodésia Física

Mayara; ▫ 31/07/2019 – Sub – Todo Conteúdo ▫ 07/08/2019 – NAF – Todo Conteúdo Geodésia

Não Haverá Aula

01/05/2019 Feriado

03/07/2019 Semana de Integração da UFRA

Geodésia Física

Não Haverá Aula • 01/05/2019 – Feriado • 03/07/2019 – Semana de Integração da UFRA Geodésia

Método de Avaliação

NAP1:

NAP1 = Conteúdo do Prof. Walace

NAP2:

NAP2 =MTPs*0,3+ P2*0,7

SUB:

SUB = Todo Conteúdo

NAF = Todo Conteúdo

MTPs = Média dos

Trabalhos Práticos

Se NF > 6 = Aprovado

Se NF < 6 = Reprovado

Geodésia Física

MTPs = Média dos Trabalhos Práticos • Se NF > 6 = Aprovado • Se NF

Trabalhos Práticos

1) Seminário

2) Determinação da Ondulação Geoidal (N) por modelos geopotenciais e pelo método GNSS/Nivelamento.

3)

Determinação

da

Correção

da

Ondulação

Geoidal;

Geodésia Física

e pelo método GNSS/Nivelamento. • 3) Determinação da Correção da Ondulação Geoidal; Geodésia Física

Seminários

Apresentar um seminário:

15 minutos de apresentação;

5 minutos de arguição;

Somente um aluno irá apresentar e representar o grupo (POR

SORTEIO);

A ordem da apresentação será sorteada e não será tolerado atrasos (Início 13:30 15:30);

Números de integrantes: 3 ou 4 alunos;

Apresentação: 05 e 12/06/2019 Entrega dia 05/06/2019

Entrega do Relatório (Padrão ABNT): 12/06

05 e 12/06/2019 – Entrega dia 05/06/2019  Entrega do Relatório (Padrão ABNT): 12/06 Geodésia Física

Geodésia Física

05 e 12/06/2019 – Entrega dia 05/06/2019  Entrega do Relatório (Padrão ABNT): 12/06 Geodésia Física

Seminários - Temas

Temas Grupos Satélite GRACE GRACE FO Danilo, Jeferson, Marcelo e Rose Satélite GOCE Rayssa, Hellem,
Temas
Grupos
Satélite GRACE
GRACE FO
Danilo, Jeferson, Marcelo e Rose
Satélite GOCE
Rayssa, Hellem, Breno, Ananda
Satélite CHAMP
Salim, Letícia, Sergio, Wanessa
Missão JASON
Karen, Wendel, Maria Luiza e
Juliana
Missão TOPEX/Poseidon
Bruno, Olavo, Salomão e Tamires
Série MAPGEO
Alexandre, Marcus, Bruna,
Marcelo Costa
Série EGM
Júlio, Patrick, Emerson, Samara
Geodésia Física

Seminários

Satélite/Missão:

Características do sistema?

 

Funcionamento?

 

O que contribui? Aplicações dos dados?

 

Aplicação

Artigo/

Estudo

de

Caso/Resultados/

Validação

Informações Adicionais

 
Dica: - Site da NASA - Youtube tem alguns Vídeos
Dica:
- Site da NASA
- Youtube tem alguns Vídeos

Geodésia Física

 Informações Adicionais   Dica: - Site da NASA - Youtube tem alguns Vídeos Geodésia Física

Seminários

Séries/Modelos Geopotenciais :

Breve histórico Diferenças entre as versões;

Metodologia para gerar o modelo: Dados utilizados

Aplicação Artigo/ Estudo de Caso/Resultados/ Validação

;

Dica: - Site http://icgem.gfz-potsdam.de/home - Sites Próprios
Dica:
- Site http://icgem.gfz-potsdam.de/home
- Sites Próprios

Geodésia Física

Caso/Resultados/  Validação ; Dica: - Site http://icgem.gfz-potsdam.de/home - Sites Próprios Geodésia Física

Dúvidas???? Questionamentos???

Sugestões?????

Geodésia Física

Profª Mayara C. Ortega Caldeira
Profª Mayara C. Ortega Caldeira

17

Geodésia

A Geodésia pode ser dividida em:

Geodésia Geométrica Semestre Passado

Geodésia Celeste Semestre Passado (Astronomia de Posição) + Semestre que vem (Levantamentos Geodésicos)

Geodésia Física AGORA^^

Geodésia Física

de Posição) + Semestre que vem (Levantamentos Geodésicos) ▫ Geodésia Física  AGORA^^ Geodésia Física

Geodésia

A

palavra

Geodésia,

"dividir a Terra“

do

grego,

significa

Estuda a forma e o tamanho da Terra na

qualidade geométrica, bem como, estudos

relativos à gravidade , a fim de analisar as irregularidades na forma da Terra no espaço tridimensional variando no tempo.

Geodésia Física

, a fim de analisar as irregularidades na forma da Terra no espaço tridimensional variando no

Geodésia

Geodésia é uma ciência interdisciplinar a

• Geodésia é uma ciência interdisciplinar a qual usa medidas terrestres, espaciais e aéreas para

qual usa medidas terrestres, espaciais e aéreas para estudar a forma e a dimensão da Terra,

dos planetas e seus satélites, e suas variações; Ciência Matemática Computação Astronomia Espacial Física
dos planetas e seus satélites, e suas variações;
Ciência
Matemática
Computação
Astronomia
Espacial
Física
Oceanografia
Metereologia
Entre outras
Ciências
Geodésia Física

Geodésia

Basicamente, a geodésia apresenta três funções:

Posicionamento: determinação da posição de um ponto em relação a um referencial.

ou com uma

de um ponto em relação a um referencial. ou com uma Coletados rede de pontos. individualmente
de um ponto em relação a um referencial. ou com uma Coletados rede de pontos. individualmente
de um ponto em relação a um referencial. ou com uma Coletados rede de pontos. individualmente

Coletados

rede de pontos.

individualmente

As posições podem ser absolutas (com relação a um sistema de coordenadas) ou relativa (com relação a outros pontos).

de coordenadas) ou relativa (com relação a outros pontos). ▫ Variações temporais resultam das deformações da

Variações temporais resultam das deformações da Terra atribuídas a várias causas

Geodésia Física

A Geodésia Física é diferente das outras disciplinas da Geomática*, se preocupa com valores quantitativos, como:

potencial escalar ou vetor da gravidade;

valores gravitacionais.

* integra todos os meios utilizados para a aquisição e gerenciamento de dados espaciais . Suas atividades incluem a cartografia, apoios topográficos, mapeamentos digitais, sensoriamento remoto, sistemas de informações geográficas, hidrografia e muito mais .

digitais, sensoriamento remoto, sistemas de informações geográficas, hidrografia e muito mais . Geodésia Física

Geodésia Física

Geodésia Física

O geodesista rotineiramente está envolvido com três

superfícies:

rotineiramente está envolvido com três superfícies : ▫ Superfície Física geodésicas ; da Terra: palco das

Superfície

Física

geodésicas;

da

Terra:

palco

das

operações

Física geodésicas ; da Terra: palco das operações ▫ Superfície de Referência: sob a qual são

Superfície de Referência: sob a qual são efetuados os cálculos geodésicos, esse modelo, na maioria das vezes, é um elipsóide de revolução;

▫ Geóide : que é uma superfície equipotencial do campo da gravidade: aquela que mais

Geóide: que é uma superfície equipotencial do campo da gravidade: aquela que mais se aproxima do nível médio dos mares não perturbados”

Geodésia Física

do campo da gravidade: aquela que mais se aproxima do “ nível médio dos mares não

Geodésia Física

Geodésia Física
Geodésia Física

Geodésia Física

Geodésia Física Geodésia Física

Geodésia Física

Geodésia Física Geodésia Física

Vínculos com as Ciências da Terra

Oceanografia o geóide determina o campo de gravidade da

Terra, que equivale a uma superfície equipotencial como o nível

médio dos mares não perturbados.

Geologia

diferentes

formações

geológicas

têm

diferentes

densidades estruturais e por isso diferentes valores de gravidade.

Hidrologia pequenas mudanças no campo de gravidade ao

longo do tempo afetam outras variáveis temporais como marés

ou cargas atmosféricas, que podem ser atribuídas a mudanças em parâmetros hidrológicos como: unidade do solo, lençol freático, carga de neve etc

Geodésia Física

a mudanças em parâmetros hidrológicos como: unidade do solo, lençol freático, carga de neve etc Geodésia

Vínculos com as Ciências da Terra

Geofísica e Geodinâmica a Gravimetria é uma ferramenta

comum a Geofísica e a Geodésia, na primeira apoia a pesquisa de

recursos naturais, já na segunda a determinação das ondulações do geoide e do desvio da vertical.

Numa primeira aproximação podemos dizer que a Geodésia se

preocupa com a Gravimetria em escala global, enquanto a Geofísica em determinações regionais e/ou locais.

Do movimento das placas tectônicas às marés terrestres;

Da precessão e nutação à variação da velocidade de rotação terrestre;

do movimento do polo.

são

todas

fenômenos

estudados

pela

Geodinâmica

intimamente ligados a Geodésia.

e

Geodésia Física

estão

do polo. são todas fenômenos estudados pela Geodinâmica intimamente ligados a Geodésia. e Geodésia Física estão

Aplicações em Engenharia

Prospecção Geofísica
Prospecção Geofísica

Como a gravidade contem informações sobre a estrutura de densidade do subsolo, a gravimetria passa a ser uma

ferramenta muito útil para a indústria de óleo e gás

natural (e outro recursos minerais).

Engenharia Geotécnica
Engenharia Geotécnica

Determinar a profundidade do leito rochoso num projeto

de túnel

Geodésia Física

minerais). Engenharia Geotécnica • Determinar a profundidade do leito rochoso num projeto de túnel Geodésia Física

Aplicações em Engenharia

Engenharia de Agrimensura e Cartográfica
Engenharia de Agrimensura e Cartográfica

Depois de nivelar o teodolito ou a estação total, seu eixo vertical está automaticamente alinhado com vetor da gravidade desse local.

Assim todas as medidas realizadas com este instrumento

estarão referenciadas a esse campo de gravidade.

Estas observações estão referenciadas ao sistema

astronômico do local, para converte-la para o sistema

geodésico é necessário conhecer a desvio da vertical (ξ,η) e a perturbação no azimute (ΔA).

Geodésia Física

geodésico é necessário conhecer a desvio da vertical ( ξ,η ) e a perturbação no azimute

Aplicações em Engenharia

Engenharia de Agrimensura e Cartográfica
Engenharia de Agrimensura e Cartográfica

No posicionamento GNSS, as alturas são geométricas (h), pois estão referenciadas ao elipsoide.

Estas alturas podem possuir um significado físico quando relacionadas ao geóide ou quase-geóide:

Estas alturas podem possuir um significado físico quando relacionadas ao geóide ou quase-geóide : Geodésia Física

Geodésia Física

Estas alturas podem possuir um significado físico quando relacionadas ao geóide ou quase-geóide : Geodésia Física

Altitude Ortométrica (H)

Distância entre o geóide e ao ponto na superfície física da Terra, contada sobre a vertical (perpendicular ao geóide).

Esta coordenada é nula na superfície do geóide.

Pode ser obtida com nivelamento Geométrico associado a gravimetria.

Ou através de modelos, empregando a Ondulação Geoidal.

v Geodésia Física
v
Geodésia Física

Altura Geométrica/Elipsoidal (h )

Distância contada sobre a normal (perpendicular ao elipsóide) do ponto do ponto considerado à superfície do elipsóide.

Esta coordenada é nula na superfície do elipsóide.

Pode ser obtida através de rastreamento GNSS.

n

~ Geodésia Física
~
Geodésia Física

Ondulação Geoidal/ Altura Geoidal

Por definição, N é a distância entre o elipsóide de referência e o geóide,

contada ao longo da Normal

A

altitude

determinada

utilizando

um

receptor

GNSS

não

está

relacionada

ao

geóide),

mas

a

um

elipsóide

de

referência

com

dimensões específicas.

Torna-se necessário conhecer a diferença entre as superfícies do geóide e do

elipsóide, isto é, a altura (ou ondulação) geoidal N;

• ~ Geodésia Física
~
Geodésia Física

Ondulação Geoidal/ Altura Geoidal

Desta forma, existe um grande interesse por um modelo de ondulação geoidal cada vez mais preciso para aplicações nas áreas de mapeamento e engenharia.

Para converter a altitude elipsoidal (h), obtida através de receptores GNSS, em altitude ortométrica (H), é necessário utilizar o valor da altura geoidal (N) fornecida por um modelo de ondulação geoidal, utilizando a seguinte expressão:

de ondulação geoidal, utilizando a seguinte expressão: O Sinal de Aproximadamente decorre das circunstâncias de
de ondulação geoidal, utilizando a seguinte expressão: O Sinal de Aproximadamente decorre das circunstâncias de

O Sinal de Aproximadamente decorre das circunstâncias de que N e H não são colineares, e além disso, H é contado ao longo da Vertical, enquanto N é em relação a Normal

Geodésia Física

Desvio da Vertical

É o ângulo formado pela normal (n ao elipsóide) e pela vertical (v perpendicular ao geoide) do ponto considerado.

Desvio da Vertical

n ao elipsóide) e pela vertical ( v perpendicular ao geoide) do ponto considerado. Desvio da

Geodésia Física

Desvio da Vertical

Determinadas através de coordenadas Astronômicas e Geodésicas
Determinadas através de
coordenadas Astronômicas
e Geodésicas

Ela pode ser decomposta em dois arcos:

componente meridiana (ξ ); e

componente primeiro vertical (η).

v n i Geo Eli
v
n
i
Geo
Eli
arcos: • componente meridiana ( ξ ); e • componente primeiro vertical ( η). v n

Geodésia Física

Desvio da Vertical

Equação de Laplace
Equação de Laplace

Desvio da Vertical, pode ser

estimado através da diferença entre as coordenadas

geodésicas e Astronômicas

Geodésia Física

Coordenadas Geodésicas x Astronômicas

Latitude Geodésica/ Elipsóidica(ϕ G ): Ângulo entre a normal (linha perpendicular ao elipsóide) no ponto considerado e o plano

equatorial do elipsóide, contato no plano do meridiano geodésico do ponto. Varia de 0° a ±90º, + no Norte e - no Sul.

Longitude Geodésica / Elipsóidica(λ G ):

Ângulo entre o meridiano geodésico (contém a normal) do ponto considerado

e o meridiano geodésico origem

(Greenwich), contato no plano equatorial do elipsóide. Esta coordenada Varia de 0-180°, é + a leste, e a oeste.

Geodésia Física

no plano equatorial do elipsóide. Esta coordenada Varia de 0-180°, é + a leste, e –

Coordenadas Geodésicas x Astronômicas

Azimute Geodésico A: é definido como o ângulo que o meridiano

geodésico passante pelo ponto forma com uma direção de interesse.

Usualmente contada a partir do norte por leste (Sentido Horário).

forma com uma direção de interesse. Usualmente contada a partir do norte por leste (Sentido Horário).

Geodésia Física

forma com uma direção de interesse. Usualmente contada a partir do norte por leste (Sentido Horário).

Coordenadas Geodésicas x Astronômicas

Latitude Astronômica(ϕ A ): Ângulo em que a vertical do ponto considerado forma com sua projeção equatorial. +N e -S

Nem todos os pontos equatoriais terão ϕ A nula, pois a vertical de um ponto no equador terrestre não pertence, necessariamente, ao plano equatorial, ou seja o geóide não regular. Do mesmo modo, ϕ A não é constante no parelelo

SFT v ϕ A λ A
SFT
v
ϕ
A
λ A

Longitude Astronômica(λ A ):

Ângulo formado pelo meridiano de Origem (Greenwich) e pelo meridiano astronômico do ponto considerado (Contém a vertical do ponto)

de Origem (Greenwich) e pelo meridiano astronômico do ponto considerado (Contém a vertical do ponto) Geodésia

Geodésia Física

Coordenadas Geodésicas x Astronômicas

Azimute Astonômico A a : é definido como o ângulo que o meridiano Astronômico passante pelo ponto forma com uma direção

de interesse. Usualmente contado a partir do Sul para Oeste (Astronomia) e do Norte para leste (Geodésia) Sentido Horário.

a partir do Sul para Oeste (Astronomia) e do Norte para leste (Geodésia)  Sentido Horário.

Geodésia Física

a partir do Sul para Oeste (Astronomia) e do Norte para leste (Geodésia)  Sentido Horário.

Exercício

Na tabela abaixo estão registradas coordenadas astronômicas de estações situadas na região noroeste do Estado de São Paulo. Calcule as

componentes principais do desvio da vertical

estações situadas na região noroeste do Estado de São Paulo. Calcule as componentes principais do desvio
estações situadas na região noroeste do Estado de São Paulo. Calcule as componentes principais do desvio
estações situadas na região noroeste do Estado de São Paulo. Calcule as componentes principais do desvio

Exercício

Resultados

Exercício Resultados Ponto 01 02 03 04 05 06 Geodésia Física
Ponto 01 02 03 04 05 06
Ponto
01
02
03
04
05
06

Geodésia Física

Exercício Resultados Ponto 01 02 03 04 05 06 Geodésia Física

Exercício

Resultados

Exercício Resultados Ponto 01 0,8” 5,34” 02 0,3” 4,6” 03 -1,3” 5,44” 04 0,3” 1,97” 05
Ponto 01 0,8” 5,34” 02 0,3” 4,6” 03 -1,3” 5,44” 04 0,3” 1,97” 05 5,8”
Ponto
01
0,8”
5,34”
02
0,3”
4,6”
03
-1,3”
5,44”
04
0,3”
1,97”
05
5,8”
0,19”
06
2,5”
3,76”

Geodésia Física

02 0,3” 4,6” 03 -1,3” 5,44” 04 0,3” 1,97” 05 5,8” 0,19” 06 2,5” 3,76” Geodésia

Exercício

Na tabela abaixo estão registradas coordenadas de três pontos, levantados pelo IBGE, bem como o azimute astronômico de primeira

pelo IBGE, bem como o azimute astronômico de primeira ordem de direções com origem nesses pontos.

ordem de direções com origem nesses pontos. Calcule os respectivos

azimutes geodésicos

de primeira ordem de direções com origem nesses pontos. Calcule os respectivos azimutes geodésicos Geodésia Física
de primeira ordem de direções com origem nesses pontos. Calcule os respectivos azimutes geodésicos Geodésia Física

Geodésia Física

de primeira ordem de direções com origem nesses pontos. Calcule os respectivos azimutes geodésicos Geodésia Física

Exercício

Resultados

Exercício Resultados Ponto Chuá -0,01” 47° 25’ 28,88” Roque 0,01” 120° 00’ 31,08” Barra 0,03”
Exercício Resultados Ponto Chuá -0,01” 47° 25’ 28,88” Roque 0,01” 120° 00’ 31,08” Barra 0,03”
Exercício Resultados Ponto Chuá -0,01” 47° 25’ 28,88” Roque 0,01” 120° 00’ 31,08” Barra 0,03”
Ponto Chuá -0,01” 47° 25’ 28,88” Roque 0,01” 120° 00’ 31,08” Barra 0,03” 165° 13’
Ponto
Chuá
-0,01”
47° 25’ 28,88”
Roque
0,01”
120° 00’ 31,08”
Barra
0,03”
165° 13’ 17,94”

Geodésia Física

47° 25’ 28,88” Roque 0,01” 120° 00’ 31,08” Barra 0,03” 165° 13’ 17,94” Geodésia Física