Você está na página 1de 2

NEFESH

Nefesh - é usualmente traduzido como "Alma Animal". É o veículo de Ruach: o


instrumento através do qual a Mente é posta em contato com o pó de Matéria do
Abismo, para que possa senti-lo, julga-lo, e reagir a ele. Nefesh é, si mesmo, um
princípio ainda espiritual, em um senso da palavra: o corpo físico do homem é
composto de pó de Matéria, temporariamente coerido pelos princípio o infundem para
seus respectivos propósitos e ultimamente para o supremo propósito de auto - realização
de Yechidah.

Mas Nefesh, desavisado como é, sem outro objetivo que o tráfico direto com a matéria,
tende a partilhar da inocência desta. Suas faculdades de perceber dor e prazer o atraem à
arapuca de prestar demasiada atenção a um grupo de fenômeno, e evitar outros. Daí que
Nefesh execute sua função como é próprio, é necessário que ele seja dominado pelas
mais severa disciplina. Nem merece mesmo Ruach confiança neste ponto. Ele tem suas
próprias tendências a fraqueza e injustiça. Ele tenta todo truque - e é diabolicamente
astuto - para organizar seu contato com a matéria no senso mais conveniente á sua
própria inércia, sem dar a mínima consideração ao seu dever para com a Tríade
Superna, cortado como está de compreensão dela; de fato, nem suspeitando
normalmente, a existência dela."

0 00 000
Estes três estados da existência são conhecidos como estados “Negativos” em
polaridade energética, física e nada tem a ver com os conceitos humanos-culturais de
Bem e Mal. Por serem negativos, receptivos, são considerados femininos. Como o
corpo da Deusa Egípia Nuit se Arca sobre a terra, Geb e entre os dois acontece a
criação, assim como o faz os 3 véus sobre a Árvore da Vida.

Ain: "Primeiramente é o Nada, ou a Ausência de Coisas, ‫[ אין‬Ain], que não faz e não
pode significar Existência Negativa (se é que pode ser dito que tal Idéia significa algo)
(...)"
Ain Soph: "(...) Em segundo lugar está Sem Limites ‫[ אין סוף‬Ain Soph] , Infinito
Espaço. Este é o Dualismo da Infinidade primal; o infinitamente pequeno e o
infinitamente grande. (...)"

Ain Soph Aur: "(...)O Confronto destes [Ain e Ain Soph] produz a Idéia finita positiva
que ocorre ser Luz, ‫[ אור‬Aur]. "Esta palavra [Aur] é a mais importante. Ela simboliza
o Universo imediatamente após o Chaos, a confusão do Confronto de infinitos
Opostos. ‫[ א‬Aleph] é o Ovo da Matéria ‫[ י‬Yod] é Taurus, o Touro, ou Energia-Motiva;
e ‫[ ר‬Resh] é o Sol, ou Sistema de Orbes organizado e móvel. As três Letras de [Ain]
desta forma repetem as três Idéias."

0 - Tohu: Sem forma, desolação. Qematiel, o dragão negro se une abaixo da força de
Kether da árvore adversária. Kether é a esfera de Satan/Moloch e o poder por trás de
Metraton (anjo do poder). É uma ascenção direta a Gnose do Adversário. O adepto
entende que não há nada além da essência do magista e que as únicas armas mágickas
necessárias são o corpo e a mente.

00 - Bohu: Vácuo, Vazio. Belial, o dragão negro ferido. Ele "nega deus" e une a força
adversa de Chokmah. Na terra representa o Anticristo, senhor da Terra, e no Astral é o
anjo mais próximo de Lúcifer. Neste vácuo o adepto se torna como Belial, sem Deus.
Sem conforto, sem alguém cuidando dele. Sem salvador ou mediador. Apenas ele e as
trevas primordiais. Belial sobreviveu no princípio da escuridão entendendo o fogo
interno do espírito.

000 - Chasek: Trevas e Vácuo primordial. Onde o princípio das trevas emergiu, e de
onde Samael se afastou. Gothiel, o homem inseto une a força adversa a Binah.