Você está na página 1de 3

FORMAÇÃO RECRUTA

Aula 01 – Introdução ao Teclado

SOBRE O TECLADO

O teclado é um dos instrumentos mais utilizados atualmente, por causa da sua grande
flexibilidade e diversas finalidades no mundo da música. Com um simples teclado pode-se dispensar
o acompanhamento básico de outros componentes de um grupo musical (baterista, guitarrista,
contrabaixista, etc.)

O teclado é dividido em 5 tipos: Sintetizadores, Teclados com acompanhamento automático,


Workstations, Pianos digitais e Controladores.

• Teclados com acompanhamento automático - São teclados que possuem vários estilos
musicais (pop, jazz, rock, balada, samba, bossa nova, dance, e muitos outros), onde pode-se
criar e modificar outros estilos, acompanhados por parte rítmica (bateria), baixo, Springs,
cordas (violão, guitarra), metais (trompete, trombone, etc.), bem como ainda pode-se sintetizar
estes timbres (sons).
• Sintetizadores - São os mais usados atualmente. É um instrumento que possui vários timbres
(sons) que na qual podem ser editados (alteração de frequências, modulação, efeitos, etc.),
com isso criando novos timbres (sons).
• Workstations - São teclados mais complexos, que envolve síntese de sons e sequenciadores
para composição, arranjos de partes musicais ou peças musicais completas, e ainda possuem a
capacidade de síntese de timbres (sons).
• Pianos digitais - São teclados com várias teclas (76,88), que possuem vários timbres de piano,
grana piano, piano elétrico, cravo, etc.
• Controladores - São teclados com várias teclas (76,88), na maioria das vezes não possuem
timbres, que tem a finalidade de controlar outros instrumentos digitais através de MIDI
(comunicação entre instrumentos digitais), controla uma bateria eletrônica, computadores,
módulos de som, etc.

O tipo de teclado mais usado entre os músicos no momento é o sintetizador. Vamos se basear
nele para que você fique por dentro sobre sua história. Um bom sintetizador pode imitar sons da
natureza tais como o canto de pássaros, vento, trovões, etc. Imitar todos os instrumentos musicais
acústicos e elétricos como os de uma orquestra sinfônica (ou mesma de uma guitarra elétrica) e
pode simular sons de helicópteros, carros, ruídos, virtualmente quase qualquer som.

Obviamente o sintetizador definitivamente proporcionou à música um enfoque criativo muito


grande pois muitos músicos e técnicos desenvolveram sons novos até então, além da imaginação.
Como iniciantes a principal dificuldade logo de imediato será a escolha do equipamento correto,
dado à imensidade de marcas e modelos existentes no mercado. Assim vamos começar por explicar
um pouco as diferenças de equipamentos para que você possa chegar à conclusão de qual deve ser
o de sua escolha.

Teclado não é igual a Piano e nem Órgão. Já perdi a conta de quantas vezes na minha vida eu
ouvi a exclamação: Que legal você toca Órgão! Isso se dá porque as pessoas em geral acham que o
Piano, o Teclado e o Órgão são a mesma coisa, o que não é.

Escrito por Daniel Pynkus para os alunos do canal Música pra Geral no Youtube
Embora venham da família das teclas, o Piano é um instrumento de Cordas, o Órgão de Sopro
e o Teclado é um instrumento Digital. Isso faz com que a forma que eles sejam tocados seja
completamente diferente, embora no Teclado existam sons de Piano, Órgão e uma infinidade de
outros instrumentos.

Nos Teclados nós temos basicamente três variações. Os Infantis, os Amadores e os


Profissionais. Cabe a você experimentar e chegar à conclusão de qual aquele que você gosta mais e
que se encaixa no seu orçamento.

Marcas mais conhecidas: Yamaha, Casio, Roland, Korg, Kurzweill, Nord, Kawai

SOBRE A MÚSICA

Numa divisão simples, pode-se dividir a música em 3 partes:

• Melodia: De forma simples, é o que é cantado. Tecnicamente, uma sequência de sons


sucessivos.
A Melodia caminha por entre o Ritmo. A Melodia normalmente é à parte mais destacada da
música, é a parte que fica a cargo do cantor, ou de um instrumento como sax ou de um solo
de guitarra e etc. Sempre que ouvir um Solo - notas tocadas individualmente - você estará
ouvindo uma melodia.

• Harmonia: É o acompanhamento da melodia através de acordes.


A junção do Ritmo, com a Melodia, e a de outros elementos formam a harmonia. É por meio
da harmonia que podemos ter estilos musicais distintos. Embora o Ritmo não varie muito, os
elementos melódicos e complementares são fundamentais para se criar Estilos distintos e
harmoniosos.

• Ritmo: É a combinação de sons dentro de um compasso, que junto com a harmonia, irá dar
sustentação à melodia.
Não devemos confundir Ritmo com Estilo. O Estilo é uma variação temática do Ritmo. O que
determina um Estilo não é tanto o Ritmo, mas a Harmonia que ainda iremos abordar. Podemos
definir como alguns Estilos principais o Rock, O Samba, a Valsa, o Jazz e etc. Mas voltando a
falar em Ritmo, podemos dividir o Ritmo em Tempos, só para citar os mais usados são 2, 3, 4,
6 e 8.

PROPRIEDADES DO SOM

Um som apresenta as seguintes propriedades:

• Altura: Os sons podem ser classificados em sons graves médios e sons agudos.

• Intensidade: Os sons podem ser fortes médios ou fracos. Caracteriza-se pela amplitude da
vibração. Por exemplo, quando tocamos uma corda com mais força, a amplitude da vibração é
maior e consequentemente o volume do som também será maior.

• Duração: Representa simplesmente o tempo que o som dura. Geralmente mede-se em


segundos (unidade do sistema internacional).

Escrito por Daniel Pynkus para os alunos do canal Música pra Geral no Youtube
• Timbre: É a qualidade do som que nos permite distinguir uma fonte sonora de outra, apesar de
estarem a produzir sons com a mesma frequência. É através dele que diferenciamos o som dos
vários instrumentos.

Escrito por Daniel Pynkus para os alunos do canal Música pra Geral no Youtube