Você está na página 1de 8

ANO XL • Nº 290 • MARÇO DE 2018 • MENSAL • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

MOTOR EA111

O motor EA111, desde seu lançamento, passou por diversas atualizações e atu- PEÇA CERTA
almente equipa versões de modelos da família Gol e da família Fox. O Gol de 3­ª
geração foi o primeiro modelo a ser equipado com o motor EA111, popularmente Ofereça tecnologia e segurança ao
conhecido como “motor power”. Esse motor foi pensado para ter durabilidade e seu cliente utilizando os Filtros de
fácil manutenção. Apesar dessa simplicidade, envolve muita tecnologia para ga- Óleo Original Volkswagen.
rantir ótimo desempenho de torque e potência, pois não basta que um veículo de
passeio tenha potência; precisa também ter força. Nesta edição, traremos muitas
dicas sobre a manutenção e o reparo do motor EA111.
EDITORIAL

PARA MARCAR ÉPOCA ANO XL • Nº 290 • MARÇO DE 2018 • MENSAL • DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

MOTOR EA111

A Volkswagen já tem mais de 65 anos de atuação no Brasil, com lançamentos que alte-
raram o patamar do mercado de veículos pela qualidade, pelo design, pela tecnologia e pela O motor EA111, desde seu lançamento, passou por diversas atualizações e atu-
almente equipa versões de modelos da família Gol e da família Fox. O Gol de
PEÇA CERTA
Ofereça tecnologia e segurança ao

segurança oferecida aos passageiros.


3ªgeração foi o primeiro modelo a ser equipado com o motor EA111, popularmen-
te conhecido como “motor power”. Esse motor foi pensado para ter durabilidade seu cliente utilizando os Filtros de
e fácil manutenção. Apesar dessa simplicidade, envolve muita tecnologia para ga- Óleo Original Volkswagen.
rantir ótimo desempenho de torque e potência, pois não basta que um veículo de

Com o lançamento do Virtus, no início deste ano, a Volkswagen está marcando época
passeio tenha potência; precisa também ter força. Nesta edição, traremos muitas
dicas sobre a manutenção e o reparo do motor EA111.

com um veículo 100% inovador não apenas para os padrões da montadora, mas também de
toda a indústria automotiva nacional. O Virtus é produzido em solo brasileiro, para orgulho NO_MAR18_v3.indd 1 28/02/2018 15:30:56

de nossa tradicional fábrica de São Bernardo do Campo, em São Paulo. JORNALISTA RESPONSÁVEL:
Vocês, reparadores, que conhecem mecânica e sabem reconhecer quando um produto
Marcelo Gabriel
tem qualidade, tecnologia, acabamento, design, motorização e reparabilidade, assim que
vivenciarem uma experiência com o Virtus concordarão que a indústria brasileira alcançou MTB: 36065/SP
um novo patamar de qualificação.
Prova dessa realidade é que o Virtus é o primeiro automóvel da América Latina a usar CONSELHO EDITORIAL:
inteligência artificial para ajudar os motoristas. Posicionado na categoria de sedãs, tem 4,48 Aguinaldo Rodrigues
metros de comprimento e um design que não o deixa passar desapercebido nas ruas. Já seu André Aiello
motor é uma obra de arte, com um litro e 128 HPs, o que representa muito desempenho
Cleber Lorenzi
com inacreditável economia. Controle de estabilidade, detector de fadiga do motorista e
um painel totalmente digital de 10,5 polegadas são mais alguns dos diferenciais dessa joia Daniel Morroni
sobre rodas. Luis César Akira
A lista de atributos do Virtus é imensa e nas próximas edições de nossa NOTÍCIAS DA OFI- Luiz Fernando Tiosso
CINA vamos apresentar mais desse fantástico carro. Também nas páginas do Jornal Oficina Luiz Toller
Brasil, o Virtus ganhará destaque por sua importância no mercado. Marcela Wieck
Porém, como o carro veio para marcar época, excepcionalmente usaremos este espaço
Marco Aurélio Fróes
para divulgar uma foto do Virtus, pois uma imagem vale mais do que mil palavras. Concordam?
Rodrigo Bueno
Rodrigo Facini
Wagner Carrieri

EDITORAÇÃO / COMERCIALIZAÇÃO:
Germinal Editora e Marketing Ltda.
IMPRESSÃO:
Oceano Indústria Gráfica e Editora
Tiragem: 50 mil exemplares

A revista Notícias da Oficina quer saber mais sobre


Boa leitura! você. Mantenha sempre atualizada a sua assinatura
através do site reparadorvw.com.br ou entre em con-
Equipe Notícias da Oficina Volkswagen tato pela Central de Relacionamento Notícias da Ofi-
cina: (11) 3071-4633.

2 | NOTÍCIAS DA OFICINA | MARÇO 2018


REPARAÇÃO PASSO A PASSO CAPÍTULO 1

MOTOR EA111

O motor EA111 foi projetado com bloco


em liga de ferro fundido com a adição de
materiais que proporcionam maior resis-
tência. Todas as versões do motor EA111
foram desenvolvidas em 4 cilindros, po-
rém com cilindradas diferentes, havendo
versões 1.0, 1.4 e 1.6 litro. A versão de 1
litro teve duas variações, de 8 válvulas e
16 válvulas, porém a versão multiválvulas
foi descontinuada a partir da 4ª geração do
Gol.
O motor EA111 utilizado atualmente é
o 1.6 com 8 válvulas, que possui o prefixo
CCRA o qual será o foco nesta edição. As-
sim como os motores da família EA111 so- Para colocar o motor no ponto, gire o motor até que
freram alterações, os sistemas de gerencia- a marcação do comando coincida com o ressalto de
Se a correia poly-v estiver em condições de ser plástico na proteção da correia dentada e que o dente
mento desses motores também evoluíram
reutilizada, marque o sentido de giro antes da diferenciado da engrenagem do virabrequim coincida
e passaram a ter a tecnologia TotalFlex. A desmontagem e em seguida utilize a ferramenta de com a ranhura 2V para os motores com 2 válvulas por
tecnologia drive-by-wire também foi um extração conforme a figura, posicionando-a entre a cilindro, ou 4V para os motores com 4 válvulas por
marco dos motores EA111, pois até então o correia e a polia. Então, gire a árvore de manivelas no cilindro
acelerador era acionado somente por cabo. sentido de trabalho; a ferramenta expulsará a correia
da polia, desmontando o conjunto
Iniciaremos com o procedimento de re- de seu giro, evitando assim sua quebra.
moção do cabeçote. Para isso, alguns pe- Após desmontar a correia poly-v, remova a Na sequência da desmontagem, remova a
riféricos devem ser removidos. Começando polia do virabrequim que aciona a correia poly- engrenagem da árvore de comando de válvulas
pelo conjunto do filtro de ar, seguido da -v; essa polia é fixada por 4 parafusos sextava- com um bloqueador de polias. A engrenagem
desmontagem do coxim do motor e finali- dos internos. Depois, remova tanto a cobertura da árvore de comando de válvulas não é louca,
zando com a remoção da correira dentada. inferior quanto a superior da correia dentada. ou seja, possui uma chaveta incorporada à en-
Para colocar o motor no ponto, primeira- Essa cobertura tem extrema importância, pois grenagem e um entalhe para encaixe na árvore.
mente remova a correia de acessórios, po- evita que objetos sejam lançados contra a cor- O próximo passo é a desconexão da tubula-
dendo existir variações de acordo com os reia dentada e a quebrem ou que levem o mo- ção de combustível. A tubulação possui engate
opcionais do veículo – por exemplo, nos tor a sair de sincronismo. As capas de proteção rápido, basta pressionar as travas laterais e re-
modelos sem ar condicionado ou direção hi- da correia dentada possuem fixação por travas movê-la. Depois, desconecte as ligações elétri-
dráulica a correia será diferente da aplicada e parafusos. Tenha cuidado durante a desmon- cas do sensor de rotação, o sensor de detona-
ao veículo com esses equipamentos; outra tagem para não quebrar as capas. ção, o TMAP, o sensor de posição da árvore de
variação que pode ser encontrada é que em Após a remoção das capas, posicione o vi- comando de válvulas, o sensor de temperatura
alguns modelos a correia que aciona o com- rabrequim girando-o até que esteja no ponto do líquido de arrefecimento, o interruptor de
pressor do ar condicionado é a mesma que correto, que deve coincidir com a marcação da pressão de óleo, a bobina de ignição, os injeto-
aciona a bomba da direção e o alternador, polia do comando de válvulas e com a marca- res e o corpo de borboleta. Lembre-se de sol-
enquanto em outros casos o compressor do ção no conjunto das capas. tar a conexão de vácuo do coletor de admissão
ar condicionado é acionado por uma correia Com o motor no ponto, solte o parafuso de com o servofreio.
independente. Antes da remoção da correia fixação do rolamento tensor. Não há necessi- Prosseguindo com a desmontagem, remo-
poly-v, remova a cobertura de proteção da dade de remoção do tensor para o trabalho de va o tubo distribuidor e os injetores. O tubo é
caixa de roda para facilitar o trabalho. Se remoção do cabeçote, apenas se forem neces- fixado com dois parafusos com cabeça sexta-
a correia for substituída, pode ser cortada; sários outros trabalhos que demandem a re- vada interna; tome cuidado ao remover os inje-
porém, se a correia possuir condições de moção do tensor. Após aliviar a tensão da cor- tores de seu alojamento para que não quebrem
ser reutilizada, remova-a com a ferramenta reia dentada, a remova das polias; se a correia nem se danifiquem.
de extração, conforme a figura a seguir. for reutilizada na montagem, marque o sentido Depois, drene o líquido de arrefecimento
MARÇO 2018 | NOTÍCIAS DA OFICINA | 3
REPARAÇÃO PASSO A PASSO

do motor. Para isso, abra o reservatório de ex- é feita em conjunto com a do cabeçote – não é Os balancins roletados geram menor atrito
pansão do sistema de arrefecimento e solte a permitido colocar outra tampa, pois isso leva- entre o comando de válvulas e o acionamen-
mangueira inferior do radiador; o líquido pode- ria os mancais a não ficarem perfeitos, o que to das válvulas, o que implica diretamente um
rá escoar. Então, remova a cobertura traseira poderia ocasionar desgastes ou travamento da menor consumo de energia para acionamento
da capa da correia dentada, que é fixada por árvore de comando de válvulas, desgaste dos das válvulas, resultando assim em melhor per-
três parafusos. Para remover o cabeçote tam- componentes e até mesmo queda de pressão formance do motor, além de menor consumo
bém é necessário remover a carcaça da válvula de óleo. Por esse motivo, caso haja necessi- de combustível. Juntamente com os balancins,
termostática. A carcaça possui conexão com a dade de substituição da tampa do cabeçote, os tuchos devem ser removidos.
bomba d’água por meio de um tubo; remova substitua o par cabeçote e tampa, garantindo Sempre que desmontar os balancins e os
a presilha que trava esse tubo na posição cor- o funcionamento correto dos componentes. tuchos, marque suas posições para que sejam
reta. Depois, solte as mangueiras de conexão Para verificar se a tampa e o cabeçote formam montados da mesma forma.
do radiador de ar quente, as duas mangueiras um par, existe no cabeçote uma gravação pró- Após a remoção dos balancins, realize a
de conexão com o radiador e a mangueira que xima ao coletor de escape e uma gravação pró- desmontagem das molas das válvulas com
se conecta ao reservatório de expansão do sis- xima ao sensor G40, sensor de posição do co- uma ferramenta universal para pressionamen-
tema. Em seguida, solte o tubo de escape do mando de válvulas. A tampa do cabeçote deve to das molas das válvulas. Ao pressionar a mola
coletor e remova a vareta que fica aparafusada ser removida soltando os parafusos de fixação. de uma válvula, remova as duas meias-luas que
no coletor de admissão. Solte os parafusos gradativamente, todos por formam uma trava, liberando assim a mola e
Por fim, basta soltar os parafusos do cabe- igual, para que a força das molas das válvu- possibilitando a retirada da válvula pela parte
çote e removê-lo cuidadosamente. O cabeçote las não cause danos à tampa, como trincas ou inferior do cabeçote.
é removido juntamente com os dois coletores, empenamento. Não se esqueça de que há um Após a remoção da mola das válvulas, po-
portanto tome muito cuidado para não que- parafuso que é acessado por meio do bocal de dem-se substituir os retentores das válvulas.
brar nenhuma peça, especialmente no coletor abastecimento de óleo. Esse parafuso também
de admissão, onde existem muitas peças em fixa a tampa do cabeçote e deve ser solto em
plástico. conjunto com os demais para não danificar a
tampa.
Com a tampa removida, a árvore de coman-
do de válvulas fica solta e pode também ser
removida. Durante a desmontagem, analise os
mancais da árvore de comando de válvulas e a
própria árvore, para verificar se não há riscos ou
marcas que demonstrem desgaste das peças.

Para soltar o cabeçote, siga a sequência mostrada


na figura acima Para remover o retentor de válvula, utilize uma
ferramenta de extração adequada. À direita está uma
Com o cabeçote na bancada, solte seus dois válvula sem o retentor e, à esquerda, uma válvula com o
coletores. Com o cabeçote removido e sem os retentor de válvula montado
componentes periféricos, precisamos desmon-
tá-lo para então iniciar as suas medições e ve-
rificações.
A desmontagem do cabeçote para manu-
tenção é necessária quando se detectam bai-
xa pressão de óleo, ruídos de tucho e de ár-
vore de comando de válvulas, falta de vedação
dos retentores da haste das válvulas, falta de
A figura acima destaca as regiões nas quais se deve ter
compressão ou queima de líquido do sistema
atenção quanto a riscos e desgastes
de arrefecimento, ou ainda no caso de outras
inspeções em que seja necessário verificar o Após remover a árvore de comando, lim-
cabeçote. pe a superfície de contato da tampa e do ca-
O início da desmontagem do cabeçote beçote. Tome muito cuidado para não riscar
ocorre pela remoção da tampa do cabeçote. as peças nem desgastá-las. Com o conjunto
Após remover os retentores de válvulas, verifique a
Essa tampa está integrada aos mancais da ár- limpo, remova os balancins. Os balancins dos folga basculante das válvulas, que pode indicar desgaste
vore de comando de válvulas e forma um par motores EA111 têm tecnologia RSH (Rollens- das guias das válvulas. Assim, se o valor da folga
com o cabeçote, pois a usinagem dos mancais chlepphebel), isto é, são balancins roletados. ultrapassar 0,80 mm, o cabeçote deverá ser substituído

4 | NOTÍCIAS DA OFICINA | MARÇO 2018


REPARAÇÃO PASSO A PASSO

ção quanto à carbonização do óleo, e à exis-


tência de borras e cristais, para não impedir a
lubrificação correta e a troca de calor eficiente
entre as peças e o óleo do motor.
Depois de remover o pescador de óleo, re-
mova o conjunto do flange traseiro do motor,
o flange de vedação com o anel impulsor e o
sensor de rotação do motor.
Remova também a bomba de óleo na par-
te da frente do motor e solte os parafusos dos
mancais das bielas. Então, empurre os con-
Outra medida que deve ser feita no cabeçote é da juntos de pistões para cima, extraindo-os do
folga axial do comando de válvulas. A medição deve ser bloco do motor. As bielas do motor EA111 são
feita sem os balancins e tuchos hidráulicos, e a tampa do fraturadas, sua vantagem em comparação com
cabeçote deve estar removida. A folga máxima admitida uma biela usinada é que as fraturadas possuem A marcação dos códigos de cores dos motores EA11
é de 0,15 mm. Caso a medição verificada seja superior à
tolerável, será necessária a substituição do cabeçote
o furo dos mancais mais perfeitos, evitando a pode estar separada, como na figura acima, ou junta na
ovalização que ocorre nas bielas usinadas. Na região D. Cada cor representa o casquilho que deverá ser
Durante a montagem das válvulas, não se desmontagem dos conjuntos de pistão e bie- colocado no mancal correspondente
esqueça de montar os retentores de válvulas las, deixe sempre marcada a posição dos man-
novos. Depois, posicione corretamente os tu- cais juntamente com a posição das bielas para
chos e os balancins. Coloque a árvore de co- que não haja mistura e troca das capas das bie-
mando de válvulas em sua posição de traba- las, que pode ocasionar o travamento do motor
lho, instalando novos retentores de comando. e o desgaste prematuro das peças móveis em
Aplique a cola de vedação na superfície da caso de troca.
tampa do cabeçote, com cuidado para não Depois, remova as capas dos mancais da ár-
haver excesso: basta um filete para a vedação vore de manivelas. Para isso, solte os parafusos
da tampa. Então, posicione novos parafusos e da extremidade para o centro e marque a po-
comece a encostá-los aos poucos e por igual sição de montagem dos mancais para que eles O código do virabrequim pode estar no lado oposto
até que todos estejam encostados em seu final não sejam invertidos. aos contrapesos, ou junto da ordem dos cilindros e
gravado na face de apoio do volante do motor
de rosca. Depois, torqueie os parafusos com 6 Após a remoção da árvore de manivelas,
Nm + 90° com o cuidado de não apertar dema- tome muito cuidado com seu manejo e con- borda inferior da saia do pistão, com um micrô-
siadamente e causar danos à tampa, para que servação, pois, se a árvore for acomodada in- metro de precisão milesimal. Os cilindros tam-
não seja necessário substituir o par cabeçote corretamente, pode empenar. Com a árvore na bém devem ser verificados quanto a desgastes,
e tampa. bancada, realize as medições dos diâmetros da realizando a medição de seu diâmetro sempre
Além da remoção e desmontagem do ca- árvore de manivelas. em três alturas – parte inferior, superior e meio
beçote, pode-se realizar a inspeção e desmon- do cilindro – e em dois sentidos – sentido do
tagem da parte inferior do motor, ou seja, das virabrequim e 90° dessa posição. Assim, em
partes móveis do bloco. cada cilindro serão feitas 6 medições, entre as
Para desmontar o bloco do motor, é neces- quais uma diferença maior que 0,06 mm indica
sário todo o trabalho anteriormente descrito que o cilindro está cônico ou ovalizado.
de remoção do cabeçote. Então, separe o con-
junto do motor do conjunto da transmissão.
Depois, remova a engrenagem de acionamento Acima estão as dimensões da árvore de manivelas do
motor 1.6 de prefixo CCRA. Esse virabrequim permite
da correia dentada, bloqueando o virabrequim retífica, porém após o trabalho de retífica deve-se ajustar
e soltando o parafuso da engrenagem da cor- a dimensão dos casquilhos
reia dentada.
Seguindo com a desmontagem do bloco do Para determinar os casquilhos, deve-se ve-
motor, remova o conjunto da embreagem e do rificar o código das cores no bloco e no virabre-
volante do motor. quim, e então colocar o casquilho correspon-
Depois, remova o cárter de óleo do motor dente. As cores são representadas por letras: Acima estão as medidas que devem ser encontradas
soltando os parafusos de fixação e descolan- G para a cor amarela, R para o vermelho e B no motor 1.6 de prefixo CCRA. As medidas são
apresentadas para os pistões e para os cilindros
do-o do bloco do motor. Realize a limpeza das para o azul.
superfícies onde será aplicada a cola de veda- Os pistões e cilindros também devem ser
ção para que na montagem tenha uma boa ve- verificados quanto a desgastes. Os pistões de- Assim, encerramos o primeiro capítulo com
dação, evitando o retrabalho com esse proce- vem ser medidos na região da saia, pois esse é as dicas de verificação e medição do motor 1.6
dimento. Remova também o pescador de óleo. o local onde ocorre maior degaste. A medida CCRA. No segundo capítulo, abordaremos a
Verifique o pescador e o conjunto de lubrifica- deve ser feita a aproximadamente 15 mm da montagem desse motor.
MARÇO 2018 | NOTÍCIAS DA OFICINA | 5
REPARAÇÃO PASSO A PASSO CAPÍTULO 2

MONTAGEM DO MOTOR EA111 1.6

A montagem do motor EA111 1.6 CCRA


inicia-se pela colocação do virabrequim e pela
instalação das capas dos mancais. Os parafu-
sos dos mancais devem ser substituídos a cada
remoção e o torque aplicado a esses parafusos
deve ser de 65 Nm, aplicando primeiramente
no mancal central e seguindo para os das ex-
tremidades da árvore. Prossiga a montagem
com a colocação do conjunto pistão e biela.
Para esse procedimento utilize uma cinta de
anéis de pistão convencional e lembre-se de
deixar os anéis posicionados a cada 180° an-
tes de colocar a cinta para montar os pistões.
Coloque as capas referentes a cada biela e
torqueie os parafusos das capas com 30 Nm +
90°, lembrando que esses parafusos também
devem ser novos.
A imagem mostra a sequência correta de aperto do cabeçote do motor. O torque a ser aplicado aos parafusos
Depois da inserção dos pistões, instale a do cabeçote é de 30 Nm + 180°
bomba de óleo e o flange traseiro. O flange
traseiro necessita de uma ferramenta para po- Depois de ter posicionado o flange corre- motor; o tensionamento desses dois tipos será
sicionamento correto do anel de impulso. Para tamente, coloque os parafusos e torqueie com explicado a seguir.
isso, coloque o motor no ponto e então aplique 6 Nm + 90° para então remover a ferramen-
a ferramenta. ta. Esse torque é o mesmo a ser aplicado aos
parafusos de fixação da bomba de óleo. Então,
monte o pescador e instale o cárter; não se es-
queça de passar a cola numa espessura entre 2
e 3 mm. O torque de aperto dos parafusos do
cárter é de 15 Nm.
Então instale o cabeçote, não se esque-
cendo de aplicar uma nova junta do cabeço-
te com a superfície do bloco limpa. A junta
do cabeçote deve ser analisada quanto a
pequenos vazamentos resultantes de supe-
À esquerda está o tensor sem ajuste; basta remover a
raquecimentos do motor que poderiam oca- trava do tensor para que a correia seja tensionada. À
sionar a sua queima. direita, está o tensor com ajuste; a seta do tensor deve
Após a instalação de uma nova junta do ca- ser ajustada entre a marcação apontada pela seta.
beçote, instale o cabeçote com parafusos novos. Ambos os tensores garantem o correto tensionamento
Depois da instalação do cabeçote, instale o da correia e possuem uma mola de compensação
Para montar o flange traseiro do motor, posicione para amortecer e compensar as vibrações da correia
o conjunto do flange com o anel de impulso conjunto da carcaça da válvula termostática e a dentada resultante dos diferentes esforços de acordo
e o colocador do retentor na ferramenta de capa traseira da correia dentada. Na sequência, com o funcionamento do motor
posicionamento. Então, parafuse no virabrequim os instale a polia do comando de válvulas. O para-
parafusos A que estão em posições assimétricas, ou fuso de fixação dessa polia deve ser de 30 Nm Por fim, após a montagem da correia den-
seja, não é possível encaixá-los em qualquer furo do + 90°, e deve ser aplicado um parafuso novo a tada, instale a correia poly-v e conecte as
virabrequim; há somente uma posição correta. Torqueie
a porca da ferramenta com 35 Nm e verifique a altura cada desmontagem. mangueiras e conexões elétricas desconec-
entre a superfície do anel de impulso e a face do Instale a correia dentada e coloque o rola- tadas na desmontagem. Assim, encerramos
virabrequim; deve haver uma distância de 0,5 mm mento tensor. Existem dois tipos de rolamen- nossa edição deste mês. Obrigado a todos e
tos tensores que podem ser aplicados a esse até a próxima.
6 | NOTÍCIAS DA OFICINA | MARÇO 2018
PEÇA CERTA FILTRO DE ÓLEO

A PEÇA CORRETA INFLUENCIA NO RESULTADO


DA MANUTENÇÃO
Os filtros de óleo Originais Volkswagen sobre a válvula de borracha;
permitem uma purificação contínua do óleo, • Projetado e testado dentro dos padrões
retendo partículas abrasivas resultantes do rigorosos da engenharia Volkswagen.
desgaste normal, bem como resíduos de su-
jeira e combustão. Problemas que podem ocorrer por falta
Um requisito essencial para o funciona- de manutenção
mento correto de qualquer motor de com- • Saúde do motor: um filtro vencido dei-
bustão interna é a lubrificação constante xará partículas no motor que poderão da-
das peças móveis do motor, através de óleos nificar peças como pistões, cilindros, anéis,
que disponham do nível necessário de lim- válvulas e mancais;
peza, de modo a evitar qualquer desgaste • Durabilidade da vida do motor, estas
prematuro. partículas podem fundir o motor.
Pelo atrito gerado entre as partes móveis
do motor, o filtro de óleo permite que cada Quando trocá-lo?
peça em movimento esteja constantemente • A troca do filtro é recomendada sempre
lubrificada, com óleo mantido no nível ne- junto com a troca do óleo;
cessário de limpeza, eliminando impurezas • Em geral, a cada 10.000 km;
como partículas de metal geradas pela fric- • No mínimo uma vez por ano.
ção das peças móveis do motor e partículas
derivadas da combustão.

Tecnologia e qualidade Somente os filtros de óleo Volkswagen garantem total


Feitos para evitar a circulação de conta- desempenho e segurança para os veículos de seus clientes
minantes, os filtros originais possuem vál-
vula de segurança e garantem a lubrificação Qualidade original acima de tudo
ideal do motor mesmo em condições extre- Na hora da substituição do filtro de óleo,
mas. Apenas nos filtros Originais Volkswa- pense na produtividade de sua oficina e na
gen estão impressas, no corpo da peça, as satisfação de seu cliente; não hesite, aplique
orientações para a sua correta substituição, a peça Original Volkswagen. Lembre-se que a
garantindo a eficiência e evitando vazamen- cada troca do óleo é importante trocar tam-
tos oriundos da instalação. bém o filtro. No manual do proprietário do
veículo consta qual é o lubrificante recomen-
Benefícios do Filtro Original Volkswagen dado, bem como a sua quantidade correta.
Em parceria com a Sogefi, os filtros são Ter acesso a peças de qualidade o mais rápido possível
produzidos mais compactos e leves, redu- é um desafio crucial para o bom resultado de uma Dica do especialista Volkswagen: Prati-
oficina nos dias de hoje. As peças Originais Volkswagen
zindo a reciclagem e respeitando o meio atendem às especificações de cada modelo e são cando a manutenção regular do sistema de
ambiente: facilmente encontradas na rede de concessionárias lubrificação (óleo do motor, filtro de óleo e
• Tecnologia avançada que oferece maio- autorizadas Volkswagen bujão do cárter), o proprietário do veículo
res intervalos de manutenção; estará prolongando a vida do motor, evitan-
• Filtros ecológicos com peças plásticas do desgaste excessivo das partes móveis,
para redução do peso e peças incineráveis; Problemas que os filtros não originais po- aumentando o desempenho e reduzindo o
• Peça sextavada na parte inferior para dem apresentar consumo de combustível.
auxiliar na remoção do componente; • Distribuição não uniforme da carga da
• Circuito de lubrificação, para evitar o mola na válvula de borracha; Luiz Antonio Toller Jr.
desgaste nas partidas; • Uso de símbolos não padronizados; Consultor de Gerenciamento
• Distribuição regular da carga da mola • Ausência de válvula de retenção. do Produto Volkswagen
MARÇO 2018 | NOTÍCIAS DA OFICINA | 7