Você está na página 1de 11

NOV

A descrição figurada de Salomão sobre a velhice e a eternidade

Por: Jânio Santos de Oliveira

Presbítero e professor de teologia da Igreja

Assembléia de Deus no Estácio

Rua Hadok Lobo, nº 92 –

Pastor Presidente Jilsom Menezes de Oliveira

Meus amados e queridos irmãos em cristo Jesus, a

PAZ DO SENHOR!

ECLESIASTES 12 (1:8)
12:1 LEMBRA-TE também do teu Criador nos dias da tua mocidade,
antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais
venhas a dizer: Não tenho neles contentamento;
12:2 Antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e
tornem a vir as nuvens depois da chuva;
12:3 No dia em que tremerem os guardas da casa, e se
encurvarem os homens fortes, e cessarem os moedores, por já
serem poucos, e se escurecerem os que olham pelas janelas;
12:4 E as portas da rua se fecharem por causa do baixo ruído da
moedura, e se levantar à voz das aves, e todas as filhas da música
se abaterem.
12:5 Como também quando temerem o que é alto, e houver
espantos no caminho, e florescer a amendoeira, e o gafanhoto for
um peso, e perecer o apetite; porque o homem se vai à sua casa
eterna, e os pranteadores andarão rodeando pela praça;
12:6 Antes que se rompa o cordão de prata, e se quebre o copo de
ouro, e se despedace o cântaro junto à fonte, e se quebre a roda
junto ao poço,
12:7 E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que
o deu.
12:8 Vaidade de vaidades, diz o pregador, tudo é vaidade.

A vida é um presente de Deus, e ela deve ser aproveitada da melhor maneira,


começando desde cedo com o temor ao Senhor, que é o princípio da sabedoria. Aqui
Salomão prega a respeito do dever do homem de temer a Deus até a velhice.

Muitos jovens acreditam até que podem viver anos e anos, e outros falam muito em
"aproveitar a vida". Até aí tudo bem ! deve-se procurar o bem estar, viver muito, mas
não à toa: ter um sentido de vida. E há um porém: Toda criatura voltará ao pó de
onde viemos. E a única certeza do homem nesta vida material é sua morte física. A
nossa vida é como um vapor e os anos passam rapidamente.

E, sem medir idade a morte também chega a nós; e rápida e inesperadamente


podemos retornar ao pó, e o espírito voltará a Deus. E então, como está sua vida
espiritualmente; você está preparado ?

Vale observar principalmente o projeto de Deus para levar a sua igreja para a
eternidade. A vinda do Senhor Jesus está muito próxima. O homem já começa a sentir
nos dias de hoje o descontentamento, por muita coisa de ruim que acontece no
mundo, isto, atesta o período que antecede à volta de Jesus.

i. MUDANÇA RUMO À ETERNIDADE

Velhice. Eclesiastes 12:2-8 registra uma descrição poética do


envelhecimento. Em termos pitorescos, as fraquezas da velhice são
descritas: as mãos trêmulas, a postura encurvada, os dentes perdidos, a
visão diminuída, a audição debilitada, o sono intermitente, a voz áspera, o
cabelo encanecido, o andar desajeitado, etc. Assim, se não morrermos antes,
estaremos todos destinados a esse estado débil. Que deprimente!

Tomemos, como exemplo, as observações de Salomão sobre a velhice.

ECLESIASTES 12:3-6: “no dia em que tremerem os guardas da casa, os teus


braços, e se curvarem os homens outrora fortes, as tuas pernas, e cessarem os teus
moedores da boca [os teus dentes], por já serem poucos, e se escurecerem os teus
olhos nas janelas; e os teus lábios, quais portas da rua, se fecharem; no dia em que
não puderes falar em alta voz, te levantares à voz das aves [sono superficial], e todas
as harmonias, filhas da música, te diminuírem; como também quando temeres o que é
alto, e te espantares no caminho, e te embranqueceres [cabelos brancos],como
floresce a amendoeira, e o gafanhoto te for um peso, e te perecer o apetite; porque
vais à casa eterna, e os pranteadores andem rodeando pela praça” .

Em três versos, Salomão descreve um ancião de cabelos brancos que desperta


com o cantar do galo, já sem equilíbrio, com as mãos trêmulas, reumatismos nos
membros inferiores e que progressivamente vai perdendo os dentes, a voz e a
audição.
Portanto, não nos atrevamos a interpretá-lo numa primeira leitura e nem após
uma leitura superficial. Leia uma, duas ou mais vezes antes de aderir a uma opinião
sobre o pregador e sua mensagem.

Não fique com a primeira impressão! Outros já cometeram esse erro.

No meu caso, logo de cara, pensei que a doença do pregador fosse depressão:
“Vaidade de vaidades! Diz o pregador; vaidade de vaidades! Tudo é vaidade”
[Eclesiastes 1:2]. Olhando para os dois primeiros capítulos de Eclesiastes, eu disse a
mim mesmo: “Esse pregador não seria convidado a proferir tal sermão na IASD do
Sudoeste! Um púlpito onde Deus é glorificado não tem espaço para quem aborrece a
vida [Eclesiastes 2:17] e o trabalho [Eclesiastes 2:18]. Estou diante de um Salomão
no fundo do poço, enfadado com tantos erros e que num momento de lucidez fez o
mea-culpa”.

De repente, minha atenção foi atraída para uma outra versão do pregador:
“Coisa maravilhosa é estar vivo” [Eclesiastes 11:70 Agora, imaginei que a doença
do pregador fosse ou uma esquizofrenia – onde o paciente assume uma dupla
personalidade – ou um distúrbio bipolar – num primeiro momento, Salomão estava
deprê e, mais tarde, numa fase de mania. Olhando para os dois últimos capítulos de
Eclesiastes, eu disse a mim mesmo: “Que pregador é esse? É Salomão que está de
bem com a vida. O púlpito do Sudoeste já pode ser liberado para esse sábio
regenerado, afinal, os jovens da minha igreja merecem ouvir o sermão de Eclesiastes
11:9 e 12:1! Os da terceira idade merecem explicações de Eclesiastes 11:8 e 12:2-7.
Que eles entendam que prazer e recreação rimam com a responsabilidade: ‘de todas
as coisas Deus te pedirá contas’. De novo: ‘De tudo o que se tem ouvido, a suma é:
Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é dever de todo
homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras até as que estão
escondidas, quer sejam boas, quer sejam más’” [Eclesiastes 12:13 e 14].
Que belas admoestações! Todavia, ainda não adicione este último pregador à
lista de favoritos. Pode ser que você mude de idéia após conhecê-lo melhor.

Após algumas releituras, deparei-me com o pregador do capítulo um amoitado


nos capítulos onze e doze.

a) Após declarar que “coisa maravilhosa é estar vivo”, o pregador afirma que
“tudo quanto sucede é vaidade” [Eclesiastes 11:8].

b) O pregador exorta os jovens a se recrearem tendo em mente o dia de acerto


de contas, mas também diz que “a juventude e a primavera da vida são vaidade”
[Eclesiastes 11:10].

c) Relembra que os dias da mocidade são os melhores para se entregar o


coração a Jesus; no entanto, o refrão se renova em sua boca: “vaidade de vaidade,
diz o pregador, tudo é vaidade” [Eclesiastes 12:8].

d) Quem poderia editar as palavras “não há limite para fazer livros, e o muito
estudar é enfado da carne” [Eclesiastes 12:11] senão o pregador do capítulo um?

Salomão recaiu? Ou ele não havia se convertido? Ou somos nós que não
conhecemos o pregador na sua intimidade? Ou somos nós que não entendemos o
significado da palavra vaidade?

Recomendo a leitura de Eclesiastes 12:9-11.

“O Pregador, além de sábio, ainda ensinou ao povo o conhecimento; e,


atentando e esquadrinhando, compôs muitos provérbios. Procurou o Pregador achar
palavras agradáveis e escrever com retidão palavras de verdade. As palavras dos
sábios são como aguilhões, e como pregos bem fixados as sentenças coligidas, dadas
pelo único Pastor”.

Se eu entendi corretamente, o pregador é sábio, professor e compositor. Como


pastor pregou palavras de verdade do início ao fim do livro, de cabo a rabo. Suas
repetições podem até ferir os tímpanos e os nossos egos. Todavia, quem reuniu e
colocou na boca do pregador esse conjunto de citações? Quem coligiu as sentenças?
Jesus Cristo, o melhor Pregador da atualidade. O pregador foi apenas o porta-voz
das repreensões.

Quem não concorda que estudar é cansativo [Eclesiastes 12:12]? Estudar é


necessário, mas é cansativo. E pode até se tornar um enfado se você tiver que
preparar uma monografia, um trabalho de conclusão de curso ou algo equivalente.

Quem não concorda que trabalhar é estressante ou fatigante, mesmo que esteja
na profissão que lhe é aprazível [Eclesiastes 2:11]? Se você discorda, o seu achismo
não está sendo coerente com a Bíblia: “... maldita é a terra por tua causa; em
fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida” [Gênesis 3:17].

Eclesiastes, portanto, não é fruto de uma mente doentia – depressiva,


esquizofrênica ou bipolar –, mas do Espírito Santo que inspirou um sábio a nos
mostrar como viver sem perder o foco. Sua biografia sem censura ou sem cortes só foi
publicada porque é muito didática. Aqueles pedaços da vida que muitos gostariam de
esquecer nos mostram um homem regido a princípio pela sabedoria entregando-se à
loucura, “até ver o que melhor seria que fizessem os filhos dos homens debaixo do
céu, durante os poucos dias da sua vida” [Eclesiastes 2:3].

No capítulo um, o pregador já havia pontuado essa preocupação com a


transitoriedade da vida: “Geração vai, geração vem; mas a terra permanece para
sempre” [Eclesiastes 1:4]. Os homens vêm e vão! Logo, logo são esquecidos. Ao
contrário dos humanos, a terra com os ciclos do sol, da água e do vento [Eclesiastes
1:5-7] permanece para sempre.

Se Deus colocou a eternidade no coração do homem [Eclesiastes 3:11], o que


já foi feito e o que precisamos fazer para que eternidade nos alcance? A cruz foi a
resposta divina para a morte, mas esse problema gigante só será equacionado após o
acerto de contas final. Durante nossos poucos dias temos a oportunidade de viver
com responsabilidade o presente, mas de olho no futuro. Não podemos imitar o rei
fazendo coisas sem sentido. Essa é a preocupação do pregador. “Que fará o homem
que seguir o rei?” [Eclesiastes 2:12]. O comentário da pergunta dois da Lição da
Escola Sabatina é muito ilustrativo. “Pense, novamente, sob a perspectiva na qual ele
estava escrevendo: os anos de sua vida, tão cheios de potencial e promessas, foram
desperdiçados em coisas que não duram, coisas sem valor permanente. Quando a
maior parte de sua vida é feita de hebel, de vapor, ao chegar ao fim dessa vida, tudo
pode parecer como um vapor, porque passou muito depressa e é tão cheio de coisas
sem sentido” – Eclesiastes – LES Primeiro Trimestre/2007, Edição do Professor
Adultos, página 18.

Isto me lembra pais corujas que ficam babando com a inteligência e esperteza
de seus herdeiros. Quando a criança ainda nem sabe falar, mas já entendem o basico
do que os pais dizem, a euforia da família é sem limites. Depois que falam como
papagaios e aprendem a fazer gracejos, os pais se orgulham da capacidade
intelectual do possível menino prodígio. Deixam a impressão de que seus filhos são os
melhores cérebros da face da terra. Mas, aos vinte anos muitas lágrimas já foram
derramadas por causa das atitudes sem sentido, das futilidades. E a vida? Bem, o
vapor continua indo embora.
II. A DESCRIÇÃO DO ESTADO DE SAÚDE A QUE PODE CHEGAR UMA

PESSOA IDOSA, A LUZ DA BÍBLIA.

1 É na mocidade que a força e a resistência são maiores. Salomão


nos aconselha a usar a energia a serviço do nosso Criador. Ele
contrasta a mocidade com a velhice. Quando envelhecemos, a força
diminui.
Fazemos menos, mas as dores aumentam. Agora, os desejos e
esperanças da mocidade já passaram. É frustrante perder o vigor
que tínhamos, especialmente com a sabedoria acumulada ao longo
da vida. Salomão reafirma o tema de Eclesiastes: Devemos
lembrar-nos do nosso Criador.
2 “Antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e
tornem a vir as nuvens depois da chuva;”. As fontes de luz “o sol, e
a luz, e a lua, e as estrelas” tornando-se escuridão, fala do chegar
da idade quando os olhos não podem contemplar as maravilhas da
criação, são imagens verbais para nos ajudar a imaginar o que
acontece quando a visão começa a enfraquecer.
3 “No dia em que tremerem os guardas da casa,( aqui temos uma
alusão sobre os joelhos que não mais sustentam o corpo) e se
encurvarem os homens fortes, ( literalmente, os mais fortes não
podem mais serem sustentados por suas pernas e andarem
encurvados) e cessarem os moedores, por já serem poucos, (aqui
nos fala dos dentes que moem os alimentos já serem poucos por
conta da idade) e se escurecerem os que olham pelas janelas; (
novamente nos fala dos olhos)” No sentido mais amplo, o
envelhecimento traz perda de força.
4 “E as portas da rua se fecharem por causa do baixo ruído da
moedura, ( aqui nos fala da boca das cordas vocais com a idade,
essas cordas perdem a força, e a voz pode perder o timbre ou
enfraquecer) e se levantar à voz das aves, (Conforme as pessoas
envelhecem, tendem a ter menos sono acordar cedo. A voz dos
pássaros significa que a pessoa se levanta bem cedo) e todas as
filhas da música se abaterem.” "Filhas da música" uma referência às
cordas vocais.
5 “Como também quando temerem o que é alto, e houver espantos
no caminho, (Com menor força, os sentidos enfraquecidos, ossos
frágeis e dificuldade para a cura, os mais idosos são mais
cautelosos, A brevidade da respiração e as articulações endurecidas
tornam mais doloroso o esforço ) e florescer a amendoeira, (fala
dos cabelos brancos por conta da idade) e o gafanhoto for um peso,
( faltar as forças para o trabalho Um gafanhoto é pequeno e
insignificante. O idoso acha que mesmo as coisas pequenas podem
se tornar grandes fardos.) e perecer o apetite; porque o homem se
vai à sua casa eterna, e os pranteadores andarão rodeando pela
praça;”.
Lembrar-nos do nosso Criador (Ec 12:6-8 6 Antes que se rompa o
cordão de prata, e se quebre o copo de ouro, e se despedace
o cântaro junto à fonte, e se quebre a roda junto ao poço,7 E o pó
volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.8 ¶
Vaidade de vaidades, diz o pregador, tudo é vaidade.)
6 “Antes que se rompa o cordão de prata, (algo frágil e valioso) e
se quebre o copo de ouro, e se despedace o cântaro junto à fonte, e
se quebre a roda junto ao poço,” O "fio de prata copo de ouro o
cântaro e a roda " simbolizam figurativamente a preciosidade e da
fragilidade de toda a vida. Tg 4:14 “Digo-vos que não sabeis o que
acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que
aparece por um pouco, e depois se desvanece.” Quão facilmente a
morte chega para nós; quão rápida e inesperadamente podemos
retornar ao pó de onde viemos. Por isso devemos reconhecer a vida
como um precioso presente que deve ser desfrutado sabiamente , e
não desperdiçado de maneira frívola.
7 “E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o
deu.” Depois da morte, o corpo se degrada fisicamente e os
elementos voltam ao pó que Deus usou para criar Adão. Juízo de
Deus (Ec 12.7,13,14; Rm 2.5-10) Ec 1:14 Atentei para todas as
obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e
aflição de espírito.
8 “Vaidade de vaidades, diz o pregador, tudo é vaidade.” Em
hebraico, a palavra hebel pode ser traduzida como respiração ou
vapor. Também pode significar vaidade. "Vaidade das vaidades" em
hebraico é hebel habalim.

III. As metáforas de Salomão

A) – Os olhos fracos que não poderá perceber a luz do sol, da luz e das
estrelas, Ec 12.2;
B) – Os braços tremerão por causa da velhice, Ec 12.3a.;
C) – As pernas que normalmente são fortes se tornarão fracas. Andará
vagarosamente por não ter mais vigor físico, Ec 12.3;
D) – Os Dentes vão cair ou ficarem estragados e haverá dificuldade para
mastigar ou alimentar-se, Ec 12.3;
E) – Os olhos ficarão cansados e fracos, Ec 12.3;
F) – Os lábios se murcharão, Ec 12.4;
G) – A pessoa perderá a capacidade de audição (problemas de saúde nos
ouvidos), Ec 12.4;
H) – A voz ao falar será fraca e tremula, Ec 12.4;
I) – A pessoa terá medo de lugares alto (medo de alturas, medo de cair), Ec
12.5;
J) – Não deverá andar sozinho, pois poderá ter espantos e cair pelo caminho,
Ec 12.5;
K) – A pessoa terá seus cabelos embranquecidos, Ec 12.5;
L) – A barriga tenderá a crescer, Ec 12.5;
M)– O apetite pela comida não será o mesmo, Ec 12.5;
N) – Verá constantemente a morte se aproximando;
O) – Por causa das doenças muitas pessoas chorarão e prantearão, Ec 12.5;
P) – O fio da vida pode ser cortado a qualquer momento (fio de prata), Ec
12.6;
Q) – O coração poderá parar (copo de ouro), Ec 12.6;
R) – Haverá problemas de saúde na cabeça (o cântaro quebrado junto a
fonte), Ec 12.6;
S) – Problemas na coluna impedirá de trabalhar (desfaz a roda junto ao
poço), Ec 12.6.

IV. A Verdadeira Satisfação na Vida

Necessitamos dessa mensagem. É má notícia. Mas precisamos receber as


más notícias para procurarmos a cura. Podemos menosprezar o fato da vida
ser vazia, podemos ocupar-nos em atividades frenéticas, podemos
trombetear em alto som que estamos felizes e satisfeitos, mas não podemos
escapar. Buscando sombras incontáveis ficamos cada vez mais vazios.
Somente quando reconhecermos a total futilidade de todos os esforços nesta
vida, nos voltaremos para aquele que pode dar o significado e a satisfação
que buscamos. A vida realmente tem significado, propósito e valor quando
nossa meta é servir a Deus. "De tudo o que se tem ouvido, a suma é:
Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de
todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as
que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más" (12:13-14). Há
um espaço em nossa alma que somente Deus pode ocupar, e nunca
estaremos em paz até que permitamos que ele a preencha.
Esta é a mensagem de Eclesiastes. A vida é vazia, a menos que façamos de
Deus nossa vida. Ele é a única meta adequada de nossa existência. Sem ele
descemos no vazio e no desespero, apesar de todos os esforços para nos
enchermos com o mundo. "Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade
de vaidades, tudo é vaidade" (1:2).

A vida só faz sentido com Jesus; sem Ele não passa de algo apático
insignificante momentâneo e vazio.
As descrições de Salomão são contundentes e pertinentes, elas deixam bem
claro que a nossa vida é seguida por um ciclo natural aonde nascemos
,crescemos , reproduzimos e depois envelhecemos e em seguida morremos.
Apesar de Salomão ter escrito este livo já desviado, há algo de importante
para ser guardado em suas declarações. Devemos lembrar do nosso
criador quando ainda estivermos robustos pois na velhice nem sempre
poderemos serví-lo com a mesma energia da nossa mocidade.
Devemos nos preparar em todos os sentidos para a terceira idade bem como
e principalmente para toda a eternidade.

A cadeia de prata, o copo de ouro, o cântaro e a roda simbolizam a fragilidade da


vida, a rapidez com que ela passa. O conhecimento de que a vida sem Deus é fútil
motiva a pessoa sábia e buscá-lo em primeiro lugar. Buscai primeiro o reino de Deus
e a sua justiça e acrescentadas todas coisas vos serão. O Senhor está no controle de
tudo, e Ele quer te salvar !