Você está na página 1de 33

Usando um Fluxo Laminar capa

Sempre executar o capô para 30 minutos ou mais antes de usar, para explodir quaisquer partículas que possam ter acumulado no

filtro uma vez que foi utilizado pela última vez.

Lembre-se que a esterilidade é sempre mais elevado perto do filtro, e cai como o fluxo de ar cai fora. Portanto, você deve

sempre procurar manter os itens mais limpas mais perto do filtro, e as coisas "sujas" mais a jusante. Por exemplo, quando se

realiza a partir de transferências de uma placa de Petri para o outro, a chapa limpa, estéril deve ser colocado mais perto do filtro do

que o colo nizadas um, de modo que quaisquer partículas presentes nas superfícies exteriores da placa mais velho são sopradas longe

da área de trabalho e não toda ela. Da mesma forma, você deve se esforçar em todos os momentos para manter as mãos e os

braços a jusante de todos os materiais estéreis.

178 I Apêndice 8
Apêndice C

RECURSOS

Este livro aborda vários métodos para cultivar um número seleto de espécies de cogumelos Psilocybe.
Existe uma grande mundo de micologia além de suas páginas que você vai inevitavelmente ser
desenhados para explorar depois de ter tido um sabor de suas muitas maravilhas. Os livros, revistas e
sites listados aqui deve fornecê-lo com alguns bons lugares para começar suas incursões. Eles são
todos os recursos que consultam com frequência, e eles vêm com nossas recomendações alta TCO.

Guias de campo
Arora, David. 1991. Tudo que as promessas de chuva e muito mais. Ten Speed ​Press. Arora, David.

1986. Cogumelos Demyst! Cadas. 2ª Ed. Ten Speed ​Press. Barron, George. 1999. Cogumelos do

Nordeste América do Norte. Lone Pine


Publishing.
Bessette, Arleen R., Alan E. Bessette, e William]. Neill. 200 1. cogumelos
Se nordeste da América do Norte. Syracuse University Press. Lincoff, Gary. 199 1. National Audubon
Society Guia de Campo para América do Norte
Cogumelos. Alfred A. Knopf.
Uma vez que nenhum único recurso é sempre definitiva, você deve sempre consultar o maior

número possível ao tentar fazer uma identificação de campo de um cogumelo desconhecido. Os

cinco títulos acima estão entre os melhores guias de campo para fungos norte-americano em

impressão. Enquanto os livros Arora são específicos para os países ocidentais, e os títulos

Bessette e Barron cobrir o Nordeste, você deve encontrar todos eles útil, não importa onde você

vive. Stamets, Paul 1996. Cogumelos psilocibina se o mundo: Um Guia Identiftcation.

Ten Speed ​Press.


O guia mais completo para o mundo da psilocibina contendo fungos na impressão.
Desde que toca apenas brevemente em 110n
espécies contendo psilocibina, venenosos ou de outro modo, deveria

CI Apêndice 1 79
ser sempre consultado em conjunto com um bom guia de campo geral, sempre
tentando fazer uma identificação de campo.

Cogumelos comestíveis
Carluccio, Antonio. 2003. The Complete Cookbook Mushroom. Rizzoli.
Um guia de mesa de café lindamente fotografado para cozinhar com cogumelos selvagens e
cultivadas. Cada receita que temos tentado de suas páginas foi delicioso. Fischer, David W, e
Alan E. Bessette. 1992. Cogumelos silvestres comestíveis de

América do Norte: Um Guia de Campo-to-Cozinha. University of Texas Press.

Um bom guia para a maioria das espécies de cogumelos comestíveis na América do Norte,

assim como a maioria de seus irmãos venenosas. fotografias a cores agradáveis ​e muitas boas

receitas. !

Hall, Ian R., Steven L. Stephenson, Peter K. e


Anthony LJ Cole. 2003. Comestíveis e venenosas o mundo.
Timber Press.
Tekela, Stan e Karen Shanberg. 1993. Comece l \ i [lIshrooming. Aventura
Publicações.
O melhor guia pouco para o início forager cogumelo comestível. Ensina-lhe como encontrar
seis "das espécies comestíveis infalíveis: os que não têm sósias venenosas e simplesmente
não pode ser confundida com qualquer outra coisa.

Psi locybe Mushroom História, Cultura e Farmacologia


Gartz, Jochen. 1996. Cogumelos mágicos todo o mundo. LIS Publicações. McKenna, Terence.
1993. Alucinações verdade. Harper San Francisco.
O relato de Terence McKenna de suas aventuras na Amazônia colombiana em busca de oo-koo-he,
a triptamina misteriosa contendo alucinógeno do Witoto. Embora ele nunca fez desvendar
mistérios da droga, ele e seu bando de aventureiros fez experiência com a cubensis
Psilocybe cogumelos eles encontrada crescendo em abundância lá. Um conto de
aventura empolgante que é altamente recomendado. Inclui um capítulo descrevendo como
Terence e seu irmão Dennis elaboraram os métodos de cultivo que detalhados em seu
livro Psilocibina: Guia do mágico Nlushroom Grower.

Metzner, Ralph, ed. 2004. Teonanacatl: cifVisions cogumelo sagrado. quatro

Árvores Press.

1 80 I Apêndice C
Ott, Jonathan. 1996. Pharmacotheon: Entheogenic Drogas, suas fontes vegetais e

História. 2ª edição. Natural Products Co. Ott, Jonathan, e Jeremy Bigwood, eds. 1978. Teona11l1catl:
Hallucinogenic
] 'I / [ushrooms se a América do Norte. Madrona Publishers. Pendell, Dale. 2006. PharmakolGnosis: Os

professores plantam eo caminho veneno.

Mercury House.
Finalmente, o terceiro volume muito antecipado de Dale Pendell de
Pharl11ako trilogia é na impressão. Esta série de livros é o guia mais poético, lunático, e
pessoal para plantas psicoativas e produtos químicos que existe. Eles são diferentes de
quaisquer outros livros sobre o assunto, impossível de descrever para os não iniciados, e
altamente recomendado. Este volume final abrange as plantas visionárias, e inclui um capítulo
sobre a Psilocybes. Perrine, Daniel M. 1996. Química telha se N1ind drogas que alteram. americano

Chemical Society. Ratsch, Christian. 2005. Enciclopédia telha (se plantas


psicoativas:
Etlmopharmarology e suas Aplicações. Park Street Press. Stamets, Paul. 1982. Psilocybe
N1ushrool11s e seus aliados. Homestead Livro
Company.
Wasson, R. Gordon. 1957. Buscando a Magic Mushroom. Life Magazine,
13 de Maio de 1957 42: 19. Wasson, R. Gordon. 1980. ! Telha Wondrous A fushroom:

Mycolatry em
N1esoamerica. McGraw-Hill.

Manuais de cultivo
Chang, Shu-Ting, e W Hayes. 1978. A Biologia e Cultivo f Edible
Cogumelos. Academic Press.
Chang, Shu-Ting, e Philip G. Miles. 1989. Cogumelos comestíveis e T7zeir
Cultivo. CRC Press. Oei, Peter. 1996. O cultivo de cogumelos: com especial ênfase na
adequada
Técnicas para Países em Desenvolvimento. Backhuys Publishers. Oss, OT, e sobre Oerie. 1992. Psilocibina:
Guia do Magic Mushroom Grower:
Um Manual para entusiastas Psilocybin. Breve americano Publishing Company.

O livro que lançou a carreira de um número incontável de cultivadores de cogumelos,


incluindo a nossa. leitura essencial. Pollock, Steven H. 1 977. Magic Mushroom cultivo
(Psych0111ycological
Estudos No. 1). Herbal Medicine Foundation Research.

Apêndice CI 181
Stamets, Paul. 2004. Correndo micélio: Como os cogumelos podem ajudar a salvar o

Mundo. Ten Speed ​Press. Stamets, Paul. 2000. Crescer Gourmet e 1 \ Cogumelos I1edicinal. Ten
Speed

Pressione.

Stamets, Paul, e j. S. Chilton. 1 983. The Mushroom Cultivator: A Practical


Guia para o cultivo de cogumelos em casa. Agarikon Press.
Estes três títulos, mais de mil páginas ao todo, são os guias mais completos para
comestível, medicinal, e psicoativa cultivo de cogumelos disponíveis. Eles são, sem
dúvida, o próximo conjunto de títulos que você deve olhar para quando você está pronto
para tentar sua mão em outros métodos ou espécies. The Mushroom Cultivator e

Crescer Gourmet e Medicinais Cogumelos focar mais complexos métodos de cultivo


profissionais, enquanto o título mais recynt,
Correndo micélio, apresenta, uma abordagem decididamente mais baixo tich "orgânica" para
o cultivo principalmente ao ar livre. Steineck, Hellmut. 1984. Cogumelos no jardim. Mad River Press.

Wayne, R. Rush. 200 1. Crescer 1 \ I1ushrooms a maneira fácil: Início Mushroom

Cultivo com peróxido de hidrogénio, Volumes 1 & 2. Auto-publicado. ( www

. mycomasters .com).
Wayne, R. apressar 2004. Não estéril cultivo de cogumelos. Auto-publicado.

(www.mycomasters. com).
Todos os três livros de Wayne são leitura essencial para uma compreensão completa do
uso de peróxido no cultivo de cogumelos, bem como uma riqueza de outros truques úteis
do comércio.

Gerais Micologia Textos


Ainsworth, G. c. , P. M. Kirk, Guy Richard Bisby, P. F. Cannon, j. C. David,
e j. A. Stalpers. 200 1. Ainsworth e 's Bisby Dicionário C! F Fungos. CABI Publishing.

Alexopoulos, C. j. , Charles W Mims, e M. Blackwell. 1 996. introdutório


Micologia. Livros de texto Wiley. Benjamin, Denis, R. 1995. Cogumelos: Venenos e
panacéias. WH Freeman.
Um guia completo para a química de fungos medicinais, comestíveis, psicoativas e
venenosas. Deacon, j. W 1997. Micologia moderna. Ciência Blackwell. Hobbes, Christopher.
2003. Medicinal Mushro0111s: Uma Exploração ofTraditioll,

Cura, & Cultura. Botanica Press.

1 82 I Apêndice C
Hudler, George. 2000. Cogumelos mágicos, Nlolds .l'v1ischievous. Princeton

Jornal universitário. Kendrick, Bryce. 2001. Th.e Quinta Unido. Foco Publishing / R. Pullins &
Co.
Um excelente, bem escrito livro micologia que consegue ser ao mesmo tempo acessível e
tecnicamente abrangente. Também disponível como um CD-ROM reforçada com fotografias
coloridas e vídeos. Dinheiro, Nicholas P. 2004. Minhas. Orchard de Bloomfield: o filarld
Mysterious de
Cogumelos, fungos e Mycologists. Imprensa da Universidade de Oxford.

Um dos nossos livros de micologia favoritas por um dos nossos escritores micologia favoritas.

Ioud laugh out engraçado às vezes e sempre fascinante. O dinheiro vem tão perto quanto

humanamente possível para fazer micologia e aqueles que a praticam parecem sexy.

Dinheiro, Nicholas P. 2004. MotlSters tapete e Killer esporos. Oxford


Jornal universitário.

Mais do mesmo, desta vez sobre o assunto de moldes e síndrome do "edifício doente".
Moore, David. 2000. Slayers, Salvador ;, Servos e Sexo: uma exposição <f Unido?

Fungos. Springer Verlag. Schaecter, Elio. 1997. Na Companhia de Cogumelos: Tale de


um biólogo.
Harvard University Press.

Revistas e Journais
Cogumelo: Mushrooming Th.e Jornal qfTiVild
1 5 1 1 E. 54th St.
Chicago, IL 6061 5
www . mushroomthejournal .com
Um grande recurso para o micologista amador. Contém artigos sobre coleta cogumelo, cultivo,

livros, selos, receitas, e até mesmo um quebra-cabeça de cogumelo de palavras cruzadas.

O Entheogen comentário

19820 POB
Sacramento, CA 95819
www . entheogenreview. com
A melhor revista discrição de plantas e drogas psicoativas, período. Contém o artigo
ocasional (e sempre informativo) sobre o cultivo Psilocybe cogumelo.

CI Apêndice 1 83
Sites web
Web sites vêm e vão, mas nós compilamos uma lista dos vários que têm sofrido ao longo do
tempo, e é provável que continue. Recursos adicionais podem ser encontrados em uma página
mantemos no site da nossa editora, www.quicktrading.com.

Geral em formação :
www.mushworld. com
Uma excelente fonte de artigos de cultivo de cogumelos comestíveis e medicinais e
informações.

www.lnycon1asters. com
Apressar o site da Wayne. Além de ordenar infonna, ion para todos os seus livros, ele
envia atualizações frequentes e feedback a �o ,

método do peróxido.

vvww . shroomery. org www.


shroomery.org/forums
Uma das melhores comunidades online de cultivo de cogumelos. Embora focada

principalmente em espécies de Psilocybe, há um bocado de discussão sobre as espécies de

cultivo de cogumelos comestíveis e medicinais também. Um excelente lugar para encontrar

fontes confiáveis ​e seguras para esporos e suprimentos.

www.erowid.org

Sem dúvida, o mais abrangente e melhor pesquisado recurso on-line sobre drogas
psicoativas, plantas e fungos, e seus efeitos. Aqui primeiro, e por favor considere fazer
uma doação para apoiar seus esforços e mantê-los em funcionamento.

esporos:
www.fsrcanada. com
www.fsre.nl
Estes dois sites, um servindo a América do Norte, a outra Europa, são boas fontes de
Esporada de muitas espécies de cogumelos Psilocybe, disponíveis para o preço do envio
sozinho. Para manter este serviço valioso indo, considere doar quaisquer cópias extras
que você gera para eles.

1 84 I Apêndice C
V, ,sporeworks
W.Tw .com
www.ralphstersspores.com www.
sporesource. www con1. sporesi0i
.com www.thehawkseye. com

Todos os fornecedores de esporos acima foram em torno de algum tempo e têm boa reputação
de serviço ao cliente e proteção de privacidade.

Cogumelo cu ltivation Iers suppl:

WW \ v.fungi.com www.mycosupply.
com WW \ v.mushroompeople.com
www.mycofactory. www. sporeworks.
com

Todas essas empresas realizam qualquer uma das ferramentas de cultivo especiais e suprimentos

que você pode não encontrar em outro lugar. Eles atendem a um público geral, por isso, não pergunte

sobre as espécies Psilocybe.

Apêndice CI 185
Appe nd ix 0

G LOSSÁRIO

UMA

agar Um polissacarídeo (uma molécula de açúcar semelhantes) encontrados nas paredes celulares de

certas algas. Quando dissolvido em água a ferver e depois arrefeceu-se, ele solidifica parcialmente, como
a gelatina. Utilizado para criar semi-sólido media tor fungos Cui reestruturação e outros microorganismos.

Eu

agonista Uma substância que inicia uma resposta fisiológica wl} en ligado a
um receptor.

alcalóide Qualquer um de uma classe de COM orgânica alcalina contendo azoto


libras de origem natural; muitos deles têm pronunciado efeitos fisiológicos sobre os seres
humanos. Psilocibina, morfina, estricnina, e cafeína são todos os alcalóides.

aleloquímico Uma substância química produzida por um organismo vivo que tem um
efeito sobre outros organismos no seu ambiente.

amina Um contendo azoto, molécula orgânica básica.

anel Os restos de tecido do véu parcial que permanecem ligadas ao


estipe como um anel membranoso.

antagonista Uma substância que inibe ou interfere com a acção de uma outra
substância em um receptor.

técnica asséptica A exclusão de microorganismos vivos de mídia


eo ambiente de trabalho, embora o uso de esterilização e filtração do ar ti 0 n.

autoclave Para esterilizar através da utilização de altas pressões e temperaturas.

autotroph Um organismo que é capaz de Torm substâncias orgânicas nutricionais


a partir de substâncias inorgânicas simples, tais como o dióxido de carbono.

1 86 I Apêndice 0
B
baeocistina 4-phosphorylm " 'YN-metiltriptamina, um alcalóide indol
produzido por muitas espécies de fungos Basidiomycete.

Basidiomycetes Uma classe de fungos mais elevados que se distinguem pela sua tendo
esporos levado num basidium.

basidium A estrutura microscópica em forma de clube, mediante o qual são suportados


os esporos de determinados fungos.

binômio O nome latino de duas partes exclusivo dado a uma espécie de


organismo, consistindo do género seguido pelo epíteto específico (por exemplo,
Psilocybe (UbC11Sis).

eficiência biológica A capacidade inerente de uma espécie de cogumelo


converter os materiais do seu substrato em cogumelos. 1 00% BE significa uma
conversão de 25% do peso do substrato molhado em cogumelos frescos, ou 10% do
substrato seco em seco.

bioluminescência A produção bioquímica de luz, vivendo


orgamsms.

C
invólucro Uma camada de material não-nutritivos com alta de retenção de água
capacidades, tal como musgo de turfa, cairo (cascas de coco finamente triturados), ou vermiculite, aplicado a

um substrato para melhorar ou promover a produção de corpos de frutificação.

cromossoma O arranjo filiforme de genes contidos no


núcleo das células da maior parte dos organismos.

feito Um organismo que é geneticamente idêntico ao do organismo progenitor


a partir do qual ela foi derivada.

coprophilic Dung-amorosa.

cortina Um véu fino, teia que se prolonga a partir da borda da tampa para o
Stipe em certos cogumelos.

cultura O cultivo de microrganismos em meios artificiais.

Apêndice I 0 1 87
D
dicariótico Contendo dois núcleos, um de cada um dos pais.

diplóide Contendo um único núcleo com dois conjuntos de cromossomas, um a partir de cada um dos
pais.

E
endospore Um esporo assexuada resistente que se desenvolve dentro de certas bactérias.

F
capacidade de campo A quantidade de humidade no material depois de ter sido totalmente
hidratado e drenado de qualquer excesso.

rubor Uma cultura de cogumelos que se forma dentro de um período de tempo definido, muitas vezes em

uma maneira de repetir regularmente.

fruta Para produzir cogumelos.

corpo frutífero Um cogumelo.

substrato frutificação A geração final de material antes da frutificação, frequentemente


idêntico em composição a desova secundário. (Veja também desova primária, spawn
secundário).

G
gameta Uma célula haplóide capaz de acoplamento com um outro gameta compatível
para formar uma célula diplóide ou dicariótico madura.

mosaico genética Um organismo que é composto de uma mistura de células de duas


ou mais genótipos diferentes.

genótipo A constituição genética particular de uma organisnl indivíduo.

gênero O princípio categoria taxonômica classificação acima espécies.

germinar Para começar a crescer após um período de dormência.

guelras As estruturas semelhantes a lâminas no lado de baixo de uma tampa de cogumelo e

sobre a qual os esporos são suportados.

1 88 I Apêndice D
H
haplóides Contendo um núcleo com um único conjunto de cromossomas desemparelhados.

heterotrofo Um organismo que deriva nutrição da digestão de


substâncias orgânicas complexas.

hymenium A camada fértil de células sobre a brânquia que dão origem a basídios
e esporos.

hypha ( Pi. - Phae) Cada um dos filamentos ramificados que compõem o


micélio de um fungo.

indole Um composto orgânico aromático composto por um anel de benzeno fundido


para um anel de pirrole.

inocular Para introduzir um organismo num meio de.

inóculo Uma substância ou material utilizado para inoculação.

K
cariogamia A fusão de núcleos-mãe durante a reprodução sexual.

eu

lignicolous Cultivo na ou em madeira ou de materiais à base de madeira.

lignina Um polímero orgânico complexo que é, juntamente com a celulose, um primário


componente de plantas lenhosas.

Sistema de Linné A classificação sistemática de organismos em um


hierarquia.

M
tipo de acasalamento O equivalente em organismos inferiores dos sexos em maior
organismos; os tipos de acasalamento tipicamente diferem apenas fisiologicamente e não na forma
física.

meiose Um tipo de divisão celular que resulta em duas células filhas, cada
contendo a metade do número de cromossomas como o pai, como na produção de gâmetas.

Apêndice I 0 1 89
mitose Um tipo de divisão celular que resulta em duas células filhas, cada
contendo o mesmo número e tipo de cromossomas como o pai.

monocarióticos Compreendendo células que contêm um núcleo haplóide.

micélio ( Pi. - I a) Uma rede de hifas fúngicas. O estado vegetativo primário da maioria dos fungos.

micologia O estudo de fungos.

micorrizas ( Pi. - izae) Um tipo de fungo que vive em simbiose


associação com as plantas.

N
núcleo A parte de uma célula que contém o seu materiaI genética. Eu

véu parcial A membrana fina que se estende a partir da margem de tampão para o
stipe de um cogumelo e cobre suas guelras em desenvolvimento.

pileus A tampa de cogumelo.

PIN A primórdio de cogumelos.

cabeça de alfinete A primórdio de cogumelos.

plasmogamia A fusão do citoplasma das células-mãe a partir de dois


micélios, sem fusão dos seus núcleos. (Syn., Somatogamy)

desovar primária micélios de madeira esterilizada que é inoculado a partir de grãos


culturas em quantidades relativamente pequenas. (Ver também substrato frutificação, micélios

secundário).

primórdio ( Pi. - dia) Um cogumelo em sua primeira fase de desenvolvimento.


(Syn., Pino, cabeça de alfinete)

psilocin 4-hidroxi-N, N-dimetiltriptamina, um alcalóide indol


produzido por muitas espécies de fungos Basidiomycete.

psilocibina 4-fosforiloxi-N, N-dimetiltriptamina, um indole


alcalóide produzido por muitas espécies de fungos Basidiomycete.

1 90 I Apêndice D
R
rhizomorph feixes de raiz do tipo de hifas formada por muitos fungos.

S
sapróbio Um organismo que vive por consumir morto ou em decomposição orgânica
importam. (Syn., Saprófita)

saprófita Um organismo que vive por consumir morto ou em decomposição


matéria orgânica. (Syn., Sapróbio)

desova secundária Micélios derivado de micélios de primário, e qualquer


expansões subsequentes seguintes. Ao contrário de micélios primário, secundário micélios não é

necessariamente constituída por materiais estéreis. (Vejo Além disso substrato frutificação, micélios de primário).

sectorização O aparecimento de dois ou mais tipos de micélio dentro de um único


cultura.

seletivo Favorecido por certos organismos e outros não.

senescência A degradação ou a morte de uma cultura devido ao envelhecimento.

reprodução sexual A produção de um organismo geneticamente única


a partir de gâmetas derivados de dois organismos parentais.

somatogamy A fusão do citoplasma das células-mãe a partir de dois


micélios, sem fusão dos seus núcleos. (Syn., Plasmogamia)

ovas Qualquer material colonizado por micélio de um fungo usado para


inocular maiores quantidades de substrato.

taxa de desova A proporção de semente de novo substrato.

espécies Um grupo de organismos capazes de cruzamento; o princípio


unidade taxonómica abaixo género.

esporo O minuto, muitas vezes unicelular, unidade reprodutiva de muitos fungos.

impressão de esporo O padrão de esporos depositado sobre uma superfície de um


esporulantes tampão cogumelo.

Apêndice DI 1 91
bunda-tronco A porção inferior de uma estipe cogumelo e qualquer ligado
substrato.
esterigma ( Pi. - mata) As protuberâncias horn-like no final de um
basidium sobre a qual os esporos são suportados.

técnica estéril A exclusão de microorganismos vivos de mídia


e a partir do ambiente de trabalho, embora o uso de esterilização e de filtragem de ar.

estipe A haste de um cogumelo.

tensão Um subconjunto geneticamente única de organismos.

substrato Qualquer material sobre o qual um micélio do fungo vai gJiow.

T
dose limite A quantidade mínima de droga necessária para produzir um
resposta.

triptamina Um composto orgânico que compreende um anel de indole e um


amina, unidos por uma cadeia de dois carbonos.

1 92 I Apêndice D
(Nota: Os números em negrito indicam fotos.)

UMA

meio de agar, 94-105

vantagens de, 17

alternada de receitas, 94-95 "nada", 97, 1 69

94, o que é tomada, 95-97

malte de levedura, 65, 94, 95-97, 1 69 placas

de agar, 19, 65, 67

colonizado, 66, 67, 76 sobre a

contaminação, 1 05 de P. azurescen; 76,

139 a preparação, armazenamento

94, 98

agar técnicas, 4, 94-105, 139 cunhas de agar, 68,

69, 70

bisp0rlis Agaricus ( cogumelo comum botão), 1, 3, 1 23 agar-agar a-transferências

(repicagem), 68, 103-1 04

para manter uma tensão gravado, 1 06 transferências ágar-a-grão,

70, 1 1 1-1 12, 1 36, 139, 158 moléculas de agonista álcool. Vejo álcool

álcool isopropílico extracto, tornando, 1 65 lâmpadas de álcool, 37, 60, 64,

69 alcalóides, 3, 23-24, 1 6 1, 163

inibidores e monoanline oxidase, 1 63-1 64

Veja também baeocistina, psilocin, psilocibina

Índice I 1 93
aleloquímico, 1 56- 1 57, 1 58 do anel, 11, 14, 16-17, 63, 91, 130. Veja também moléculas antagonistas parciais véu, 158

"nada" meio de agar, 97, 169 técnica de cultura asséptico, 26. Veja também técnica de cultura estéril; esterilização

técnicas de

tratamento em autoclave,

26, 8 autotróficos

contaminantes bacterianos. Vejo contaminantes, bactérias, esporos bacterianos,

109 baeocistina, 22, 24, 156 saldos, 39

basídios, o que é, 1 0

papel na descarga de esporos, 1 1, 15, 17

Basidiomycetes, 15, 17, 22

bioluminescente, 1 67 definição de, 1 0

binomial, taxonômica, 9 biologia de

cogumelos, 7-19 lixívia, 43

"Azul da campainha" cogumelos. Veja Psilocybe stul1zii

anilagem reacção, 22, 23, 24, 52 de arroz castanho. Vejo substratos

de cereais, arroz integral castanho fungos rot, 79, 1 46

"a granel" métodos de cultivo, xii-xiii cogumelos ( Agaricus bisporus), 1, 3, 1

23

método de "bolo", em PF Tek, 4-5, 84-85 carbonato de cálcio (cal), 45, 46, 109, 1 1 5, 122 sulfato de cálcio (gesso), 45, 1 09, 1 1

5, 1 22 caramelo Psilocybes -capped, 23, 138, 1 53. Veja também madeira-amar espécies Psilocybe;

indi1! espécie idual

a acumulação do dióxido de carbono, 85, 1 19

papelão germinação de esporos disco, 66, 76, 100, 136, 138

1 94 eu Índice
método de papelão de transferências de tecido, 138, uma camada de invólucro

52-153, 1 8, 120, 1 22

e frutificação, 61, 74 e coçar, 1

27, aplicando, 59, 86

grama, 75, 81, 148, 150 história, 1, 3

in outdoor beds, 1 49-150 peat moss as, 1 8, 46, 122, 150

vermiculite as, 47 , 85, 86 , 122, 124, 125 water crystals in, 1 22-1

23 casing soils, 1 22-128, 1 70

contaminação, 1 25, 1 27-128 pasteurização, 123-124 receitas para,

124-126 gato ninhada, sedimento de papel. Vejo papel pellet maca do gato

giz. Vejo carbonato de cálcio cogumelos tampão canela, 82, 1 67 de

classificação de cogumelos, 8, 9-10, 20 clones, 17. Veja também transferências

de tecido clonagem. Vejo transferências de tecido molde teia, 1 27-128

frio-choque, um 29 colonização, 1 8

frasco de grãos, 7 1, 1 13 no PF Tek, 61, 88 das placas de agar, 66, 67, 69 de

substratos exteriores, 80-81, 43 1 de semente secundária, 80-81, 1 46-1 48

frascos para agitação facilitar, 1 8, 71 fases de, 71 companheiro plantação. Vejo grama

na contanlinants camada exterior da carcaça

agar, 1 05

bactérias, 23, 26, 27, 89, 1 05, 1 1 3-fungos da podridão castanha, 79, uma

teia de aranha 46 de molde ( dendroides Dactyliu111), 127-128

Índice I 1 95
poeira, 27

molde, 23, 26, 27, 71, 89, 105, 1 13 externa, 79, 1 46

higiene pessoal e, 28-29

Trichoderma viride, 79, 1 46

contaminação, 89, 131

e solos invólucro, 125, 127-128 "capping" para

prevenir, diagnosticar 149, 1 05 em placas de

agar, 1 04-105 em frascos de grãos, 1 1 3

em substratos exteriores, 1 43, 144, 1 46 em sacos de

desova, 71

resistência a partir de peróxido de hidrogénio, 5-6 resistência em substratos à base de madeira,

136, 137 espécies coprophilic, 20. Veja também substratos, como estrume cultivo, interior. Vejo técnicas

de agar; técnicas de grãos; cultivo PF Tek, ao ar livre. Vejo ao ar livre placas de cultura de cultivo. Vejo placas

de agar. culturas

fazer. Vejo agar técnicas que fazem um

mestre, um 06 fazendo múltipla, 101

sedimento de papel, 69, 1 06-107 virgem, 1

37

-selvagem recolhido, 137, 138

dCl1drofdes Dacfy / fum ( molde de teia de aranha), 1 27-128 dikariotization,

15

micélio dicariótico, 1 5, 17, 84 núcleo diplóide, 1 5

dosagens para uso, 1 60-1 64

e nível de tolerância, 1 64, por

espécie, 161, níveis de 1 62-1 63

cavilhas, 142-143 secagem cogumelos, 46, 78, estrias em

espiral, 132-133

1 96 eu Índice
E

cogumelos comestíveis, 82, 84, 1 66-1 67, 1 80 efeitos de

utilização, 1 56, 1 57-1 58, 162-163

e tolerância, 1 64 com base na dosagem,

1 62-1 63 a partir de P. azurescens, 24,

endosporos bacterianos, 1 09

alterações ambientais e frutificação, 1 6, 17, 153-1 54. Veja também umidade; exterior

cultivo, climas; Equipamento de temperatura, 32-41

obtendo-se, um de selecção 85, XIII, tor chave 32-33 compras, 32 de expansão, um 6-18. Veja

também ciclo Lite de cogumelos, fases de

Falconer, William, 1, 3 capacidade de campo, 58, 86

discos de filtro, 37 remendo filtro de sacos. Vejo bolsas

de desova câmara de fluxo, 28, 1 1 5

construção de, 1 75-178 rubores, 52, 73,

131

e potência, 22 em PF Tek,

91-92

Veja também frutificação iniciação corpo frutífero. Vejo frutificação,

frutificação inicia, 05-17 janeiro

iniciador, 1 8, 126

Acende-se durante, 84-85, 89, 1 1 8, 1 1 9, 1 20-121 ao ar livre, 1 44,

1 50, 1 5 1 PF Tek, 61, 85, 89

azurescens Psilocybe, 75 Psi / ocybe cubensis, 61, 73, 74,

89-90

recipientes de frutificação, 61, 73, 84, 1 1 8-121

tubos de cartão como, 61, 62 profundidade do

substrato em, 1 1 8, 1 49

Índice I 1 97
substratos de frutificação, 18, 23, 1 1 4, 141, 1 43, 1 49, 171, 40 funis

gâmetas, o que é, 10 género, 9, 20

germinação, esporos, 12, 17, 36, 61, 66, 84, 88, 99, 130

em agar, 99

em discos de cartão, 66, 76, 100, 136, 138 brânquias, 10, 11,

16-17

papel na descarga de esporos, caixa de janeiro 01-12

luva

definição, 28

construção de, 172-175 luvas, cirúrgica,

43

provetas, 40, 72

grão frascos, 4, 19, 36, 59, 60, 61, 70, 71, 1 12

em fases de colonização, 71 rotulada, 31 de

carga, 110 agitação, 18, 71, 1 13 micélios grão

e contaminação, 1 1 3 preparação, 1 09, 1 40,

170 receitas, 1 1 0 viabilidade de, 1 1 4 grãos de

semente sacos. Vejo bolsas de desova substratos de

grão, 2, 19, 44, 17 09-01 janeiro

o arroz integral, 3, 4, 84, 85-86

comparação de, 3 para agar, 95-97

inoculação, 1 8, 1 12, 1 13 bagas

centeio, 2, 3, 44 trigo

técnicas de grãos, 1 09-1 17 transferências

grão-a-grão, 1 1 4-1 janeiro 5

grama em camada de invólucro exterior, 75, 81, 148, 150

1 98 I Index
crescer cremalheiras, 119, 120, 121 gesso. Vejo

Sulfato de Calcio.

habitats de cogumelos Psilocybe, 22-25 núcleo haplóide, 15, 1 7

de colheita, 129-131

limpeza cogumelos depois, 1 3 1 em PF Tek,

90-91

cogumelos na fase ideal para, 62, 90, 129-130 ar livre, 151

usando pauzinhos, em 91, 92, 130 Heim, Roger, 2

tllters HEPA, 28, 175 heterotróficos, 8

história de métodos de cultivo, ix-x, 1 -6, 83 humiditlers, 120 de humidade,

84, 85.

e sobreposição, 126

no cultivo ao ar livre, 1 50 níveis durante a

frutificação, 1 20, 1 29

Veja também nebulização; bolsas de desova, problemas de humidade em; rega em substratos exterior humidade

tenda, 1 1 9, o peróxido de hidrogénio, 4 1, 96

e agar-a-grão de transferências, 1 1 1 e de

clonagem, 101

e grão-a-grão transferências, 1 1 de armazenamento de

longo prazo 1 45 e Petri 4 e, 1 06 e de cultivo ao ar

livre, 1 38, 36 e desovar sacos, 1 1 5 química, 5-6

determinação da concentração de, 42 introdução de, S

solução para nebulização, 125- 1 26 hymenium,

17

Índice I 199
hifas, 14, 1 40

definição de, 13 o

crescimento (13

Veja também micélio; rhizomorphs

Hypholoma sublateritum ( tijolo ou tampas de canela), 82, 167

aferidores de impulso, 38, 72

incubação

depois de coçar, 127 em métodos de agar, 1

00 no cultivo ao ar livre, um 50 no PF Tek,

87-88 de frascos de grãos, 1 12 de recipientes

maiores, 1 1 7 ansas de inoculação, 39, 64

métodos de inoculação, 60, 72, 87

para grão, 1 12, 1 1 3

para o cultivo ao ar livre, 136 para sacos de

desova, 72, 1 1 5, 1 17 de isolamento, 17, 101, 139

de álcool isopropílico, 43

frascos. Vejo frascos de grãos; frascos de pedreiro

Reino Fungi, definição de, 9-1 0

eu

ciclo de vida de cogumelos, as fases de, 14

colonização, 18 de expansão,

06-18 janeiro de frutificação, 17,

18 germinação, 1 2, 17

isolamento, 17, 101 pinagem, 16

200 I Index
a reprodução sexuada, 13-17

Veja também colonização; frutificação; gern'lination; isolamento; luzes de reprodução sexual em fase de frutificação,

84-85, 89, 1 1 8, 1 1 9, 1 20-121 espécies lignicolous. Vejo madeira-amar Psilocybe lignina espécies, 137 cal. Vejo carbonato

de cálcio Sistema de Linné, 9-10 Linnaeus, Carolus, 9

extracto de malte, 44

meio de agar de levedura de malte, tornando, 65, 94, 95-97, 69 um estrume como

substrato, 1, 2, 7, 1 2 frascos de pedreiro, 36-37, 86

para tampas, 37 tipos de acasalamento, 1 3 McKenna,

Dennis, 2-3. sec também Oss, oT

McKenna, Terence, 2-3. Veja também Oeric, EM copos de medição e colheres, 40 meios de

comunicação. Vejo meio de agar; meio de armazenamento sedimento de papel; substratos frascos

media, 36, 65

métodos de ingestão, 159-160, 1 64-165. Veja também potência; segurança do minitorches de uso, 39

misidentification de cogumelos, 20 de nebulização, 85

depois de coçar, 127

durante a frutificação, 1 1 9, 120, 1 25, 1 26, 1 29, durante a

colheita, 1 30-131 em PF Tek, 85, 90, 91

Veja também rega em substratos moldes exteriores. Ver

contaminantes, inibidores de oxidase de monoamina, um molde 63-1

64 micélio monocarióticos, 13, 14, 15, 17 cogumelos

biologia do em 7-1 9, 11, 14, 20

bioluminescente, 168 química de, 1 55-158

Índice I 201
classificação de, 8, 9-1 0, 20 o que é, do

sistema digestivo de 8, 13 comestível, 82, 84,

1 66-1 67, 180 A alimentar-se tor, 20-21

identificando, 20, 24

métodos de processamento, 1 59-160, 164-165 ciclo de vida, 7, 1 0-17, 14, 1 57. Veja também ciclo de vida de

cogumelos, fases de identificação errada de, 20 partes de, 13, 24, 22 de potcia

preparação para utilização, uma 59-160

preservando, 132-133 reprodução sexual de,

13-17

Veja também primórdios; esporos; espécies individuais

meio MAA. Vejo levedura de malte agar (MAA) massa micelial forma, um micélio 8,

1 1, 14, 67

cortar, 67, 68, 101, 103 de definição, 13

dicariótico, 1 5, 17, 84 em frascos, 61

em subcultura, 1 03 monocarióticos, 13, 14, 15,

17 no cartão, 76, 1 53 em aparas de madeira,

78, 80-81 sobreposição em, 124, 1 26-127 pai,

13, 15, 17, 1 01

P azurescens, 76 transferência, 17-18, 67. Veja também transferências

sec também germinação, de esporos; hifas; primórdios fungos micorriza, 13

Oeric, ON, IX, X, 2 Oss, OT, IX,

X, 2

cultivo ao ar livre, 19, 23, 81, 136-154

vantagens de, 136

202 I Index
e frutificação, 1 44, 1 50-151 e de colheita,

1 5 1 "capping" em, 1 49

escolhendo para localização, 148-1 49 climas tor, 23, 1 37. Veja também As temperaturas para o cultivo ao

ar livre em colonização, 80, 81, um 43 período de dormência, para 151 germinação e, 138 para a

preparação, 1 44

restaurando camas empobrecido, 151 -152 iniciar uma

nova cama, 1 49, 1 52 transferindo a desova, 80-81, 138

sacos de forno, 38

sobreposição, 1 24, 126-127

cogumelos de ostra, 1 67

Painel / us stipticus, 168 papel pellet gato

ninhada, 46

papel lTledium armazenamento sedimento, 1 06-107 tubos de

papel com pellets de armazenamento, 19 parafilme, 43, 98, 13

fungos parasitas

véu parcial, 16, 62, 63, 91, 130

cortinate, 24

Veja também anel

pasteurização, 6

de terra de cobertura, um musgo de

turfa 23-124, 1 8, 46, 1 22, 150 perlite,

peroxidases, 85 5

Petri, 35-36, 65, 96

Alternativas, 36 cuidado de,

97-98 reesterilização, 35 PF

Tek, xi, 83-93, 1 69

método básico de, 58-59, 84, 85-87 "bolos", 4-5, 84-85

Indexl 203
colonização, 61, 88, 83-84 inconvenientes de

espécies tor-amar de madeira, 139 frutificação,

61, 85, 89, 90-91 colheita em melhoramentos,

85 a inoculação, 60, 87 de introdução, 3-5, 6

fazendo seringas de esporos para, 64, 92-93 pileus, o que

é, 1 0 pinagem, 16 pipetas, 40

Pleurotus ostreatus ( cogumelo ostra), 1 66, 167 Pollock, Dr. Steven H., 2, 3

potência, 22

e níveis de dosagem, 1 60-1 63

e métodos de ingestão, 159-160, 1 64-165 comparação entre as

espécies, 23 de P azurescens, 24 de P cyallescens, 24

preservando cogumelos, 132-133 panelas de

pressão, 33-35

Alternativas, 86 de

carregamento, 59

desovar primário, 141-145, 146, 171

tomada, 1 45-146

primórdios, 1 6, 18, 61, 73, 74, 90, 126, 129, 140

danificado na colheita, 91

Veja também frutificação

psilocin, 22, 24, 156

azurescens Psilocybe, 4, 18, 20, 23, 24, 54, 75, 81, 83, 137, 138, 150

bohemica Psilocybe, 23, 25, 138

cubel1sis Psilocybe, XI, 4, 6, 7, 1 6, 20, 21, 51, 52, 53, 56, 83 na forma de cogumelo iniciante,

21-22, 83 solos de invólucro para, 124-125 descrição, 21-22 habitat de, 22-23 para

níveis de humidade, 1 19

204 I Index
frutificação, 61, 65, 73, 74, 85, 89-90, 29, 1, 74 primórdios

substratos para, 3, 4, 1 8, 20, 2 1, 22

cyanesccl1s Psilocybe, (" tampões onduladas ") 4, 20, 23, 24, 55, 138

Psilocybe 4, 23, 25, 56, 1 38

Psilocybe Fanaticus, 4, 5 Técnica Psilocybe Fanaticus. Vejo PF Tek

serbica Psilocybe, 23

stllnzii Psilocybe ( Azul Ringer), 3

Psilocybe subaertlJ? ItlOsa, 23, 25, 57, 138, 151

tas11laniana Psilocybe, 23

psilocibina, 20, 22, 1 56-157, 158

Psilocibina: Guia do Alagic Mushroom Grower, ix-x, 2

manutenção de registos, janeiro 29-3, 87

rizomorfos, 77, 139, 1 40, 1 54

segurança de uso, 158

e níveis de dosagem, 162-1 63

inibidores da monoamina oxidase e, 1 63-1 64, 13 saprófitas

serragem, 45, 143-144, 146

pastilhas de

combustível, 46 bisturis, 39

Coçar, 127

micélios secundária, 80, 81, 141, 1 43, 146-148, 171

tomada, 146-148

sectorização, 103 selectividade,

137, 141

senescência, estirpe, 94-95, 1 06, 1 1 4 septos, 1 6

reprodução sexual de cogumelos, 13-17

e Esporada, 133 sharpies, 39

Sinden,] ames W, 2

Índice I 205
ovas

definição ot 1 8

grão, 1 09, 1 1 0, 1 1 3, 1 14, 1 70

primário, 1 4 1, 1 42, 1 43, 1 44, 1 45, 146, 1 7 1 secundário, 80-81,

1 1 4, 1 43, 1 46-148, 1 7 1 sacos de desova, 38, 1 1 5

contaminados, colonização 71, 72, 1 15, 1 17 de carregamento e de

cozedura, os problemas 1 1 6 em humidade, 1 1 05-1 janeiro 6 taxas de

desova, 1 45 espécies, o que é, 9. Veja espécies também individuais

a germinação de esporos, 1 2, 17, 36, 61, 66, 84, 88, 99, 1 30

em agar, 99

em discos de cartão, 66, 76, 1 00, 1 36, 1 38 Esporada, 19, 92

tomada, 1 33-1 35

obtendo-se, 48, 1 84 a partir de,

138 esporos, 12, 14, 66

definição de, 10

descarga de, 1 1- 12, 14, 17, 1 29, obtendo-se,

47-49, a partir de ágar, 98-1, 00 esporos estrias, 98-99

seringas de esporos, 4, 60, 83, 87

no cultivo ao ar livre, 1 39 decisões, 64,

92-93 Stamets, Paul, 4, 2 1, 24 esterigma, 1 7

definição de, 1 1

papel na descarga de esporos, 1 1 -12 técnica

estéril cultura, as técnicas de esterilização 26-31, 26,

87

e exaustores de escoamento, 28, 1 75-178 e de luva

caixas, 28, 1 72-175 e de cultivo ao ar livre, 1 38, 1 45

de história de, 1, 4, 5, 6, banho de água, 86-87

206 I Index
estipe, o que é, 1 0, 11, 63 de armazenamento

estirpe de longo prazo, uma junho 05-01, 133, 1 35 de

cogumelos, 1 0 1, 132-133 de semente primária, 1 44 de

semente secundária, 1 48 de Esporada, 135 das seringas

de esporos, 93 culturas recuperando trom , 108 tubos de

armazenamento

inoculação, 107 extractos de malte de levedura,

pelete 66 de papel, 19, 69, 1 06-107

Stropharia I1tgosOa1l1lUiata ( vinho-tampão stropharia), 82, 1 67, 168 subcultura. Vejo ágar-ágar

para-transferências substratos

comparação de, 22 oC definição

13, 26

profundidade em recipientes de frutificação, 1 1 8, 1 49 fi

· uiting, 18, 23, 1 1 4, 141, 1 43, 1 49, 1 7 1 de grãos, 2,3, 4, 44, 19, 84, 17 de janeiro 09-01. Para os grãos

específicos, consulte substratos de grãos de adubo, 1, 2, 7, 18, 21, 22 de mistura, 86

vermiculite em, 4, 58, 84, 86, 91 de madeira, 3, 4, 1 8, 19,

80-81, 136, 150, fontes de 41-43 luvas cirúrgicas, 43 seringas,

41. SCI' também seringas de esporos.

chá, cogumelo n'laking, uma 64 temperatura

e fi · uiting, 16-17, 90, 121, 1 29, 1 5 1, 1 53-154 e de humidade, 1 20 e

sobreposição, 126

durante a incubação, 87-88, 1 00, 1 12, 1 17 para a cultura ao ar livre, 136,

137, 1 44, 1 50, 1 1 5

Índice 1 207
para armazenamento, 106, 1 33

aumentar a partir de micélio, 1 1 2, 1 1 7

dormência de inverno e, 1 5 1

dose limiar, 1 60

transferências de tecido (clonagem), 67, 101-103

método de papelão, 1 38, 1 52-1 53

no cultivo ao ar livre, 1 38

contra a reprodução sexuada, 1 33

tolerância, 1 64

cogumelos toxicidade ofPsilocybe, 158

transiers

ágar-ágar-a, 68, 1 03-01 abril

ágar-a-grão, 70, 1 1 1 -1 12, 1 36, 1 39

a partir do armazenamento, 1 08

grão-de-grain, 14-01 janeiro 1 5

grão-a-madeira, 1 39, 1 45

minimização, 95, 1 06, 1 39

desovar naturalizado, 1 52 Ver também

tranfers de tecido

Trichoderma viride, 79, 1 46

triptaminas, 1 55, 1 57

T yv ek, 37

você

uso

As dosagens para, 1 60-1 64

efeitos de, 1 56, 1 57-158, 1 62-1 63

preparação para, 1 59-1 60

segurança de, 158

vermiculita, 47

como camada de invólucro, 84, 85, 86, 1 22, 1 24, 1 25

em substratos, 4, 58, 84, 86, 9 1

papel de, 84

segurança com, 1 24

208 I Índice
W

Wasson, R. Gordon, 1, 2

esterilização banho de água, 86, 87

cristais de água, 47, 1 22, 123

rega em substratos ao ar livre, 143, 144, 1 48-149, 1 50, 1 5 1 Ver também nebulização fonte de água, 86

ondulado tampas de cogumelos. Veja Psilocybe cyanescens

Wayne, Junco, 6/5

vinho cogumelos cap Stropharia, 82, 167, 168

dormência de inverno, 1 5 1

-Madeira baseado micélios primário. Vejo aparas de madeira de semente

primária, 45, 141-144

como substrato, 3, 4, 1 8, 19, 78, 80-81, 1 36, 150

escolha de, 141-1 42

colonizado, 78

resistência à contaminação em, 1 36, 1 37, 1 46

madeira-amar espécies Psilocybe, 4, 23, 1 37. Ver também espécies indit'idual

cultivo interior de, 1 53-1 54

espaço de trabalho, preparação, 27-28

extracto de levedura, 45

Índice I 209
www.quicktrading.com

Conectados casa de Ed especialização aconselhamento marijuana


online Specials crescer Dicas Lei e Política


• •

• Psilocyb Eu n : Mag c M você SHR oo m Produtores de L você Eu d e ............... S16 . 95

• T h e Big Livro de B você d s .................................................. .... S18.95

• o grande Livro 01 B você d s 2 . ... .......................................... ..... $ 19.95

• spilus 2 . novas aventuras Em cannabis Cullure ....... $ 1 2 . 95

• Ao melhor do Perguntei ............ .... . . .. . . . ..... .......... . . ... ... ..... . . .... $ 1 8 .95

• J o Eu n t Rolamentos Manual 2 .. .................. . .. .. . . .... . ........ .. .... .. S 1 1 . 95

• Órgão c Maconha - Soma Estilo ... . .... .. ... . .. . . .... . ... ... ...... $ 18.95

• Closet Cultivator . .................... .. . . . .. .. ....... .. .. .... . . . ............. . . $ 1 6. 9 5

• O Manual do Grower de maconha .. . . . . ....... . . . . . .... .. . . . . . ... ... . ... S 19 . 95

ari j uan uma Sucesso dentro de casa ............................................. S 1 3 . 95


• Manluana de ervas Livro de receitas . . .......... .. ........................ . ... .. $ 14.95

• je ff r ey ' s Jou rn ey : Heali n Rages de ga Criança ...... .... ... ...... S12.95

• perguntar E d ' Maconha eu aw , oon ' \ Gel Busted ... . ....... ...... . $ 1 4 . 9 5

• perguntar Ed : Maconha Ouro . lixo para esconder .. ... ...... .... . .. ... . . . $ 14.95

vaia s re avallablo I boo IOC'OS oV91y W h & fe

Otd61 onl M 24n W_ qulc \ desvanecimento com


OrdeI por phorMl n · Fn ,9 10 S PM PST . 1 - 688 354 · · 0321

índice de 1209